UFF - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Caio marques Braga de Azevedo
Mateus de Freitas Brito

Reações químicas
Reações de oxi-redução

Niterói
2014

do Departamento de Química Inorgânica do Instituto de Química da Universidade Federal Fluminense. PROFESSOR: Prof.UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Caio marques Braga de Azevedo Mateus Freitas Brito Reações químicas Reações de oxi-redução Relatório das aulas práticas "Reações Químicas" e " Reações de Oxi-Redução" da disciplina Química Geral Experimental B Turma IC. Carlos Eduardo da Silva Cortês Niterói 2014 .UFF . Dr.

10...........2 2.............11............2 PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL...2... PROTOCOLO DE REAGENTE...1 MATERIAIS E REAGENTES............................................................................................................................... RESULTADOS E DISCUSSÕES.....................................................7 5....................................6 4..1......................................15 7........................4......15 .. 8..........................3. PROCEDIMENTO...............SUMÁRIO 1.........................9.......................................................4 3...........14.................... CONCLUSÃO..............12.....5........... OBJETIVO........................ INTRODUÇÃO.............................8..............2 3.......2 3..13..........................15 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS........

Primeiro devemos determinar o nox dos elementos na equação. Introdução: Para que uma reação química ocorra. como o próprio nome já diz. No método por tentativas. É possível notar o evidenciamento de uma reação química através da formação de gás. A + BC → AC + B Reação de síntese ou Adição: Duas ou mais substancias originam um único produto. o balanceamento é realizado da seguinte maneira: 1. Existem dois tipos de tipos de métodos de balanceamento do equações: O método por tentativas e o método da oxi-redução. 2. as ligações entre átomos e moléculas devem ser rompidas e devem ser reestabelecidas. Depois. 3. o balanceamento será realizado por tentativas. Agora você deverá multiplicar o valor de cada variação encontrada pelo número de átomos dos elementos que sofreram a variação. formação de precipitado ou através da mudança de cor. não será utilizada nenhuma formula. O valor da variação total do elemento que sofreu oxidação deve ser transportado . AB + CD → AD + BC Reação de Hidrólise: Quebra de alguma ligação química através da molécula de água. Já no método da oxi-redução. deverá formar uma nova substancia com propriedades químicas distintas daquela substancia que anteriormente teve suas ligações quebradas.1 1. AB → A+B Reação de Simples troca ou Deslocamento: Quando uma substancia simples reage com uma composta. originando uma nova substancia simples e outra composta. encontrando a variação de nox de cada um. identificamos os elementos que sofreram oxidação e redução. A + B → AB Reação de dupla troca: Duas substancias compostas produzindo mais duas substancias compostas diferentes. são elas: Reação de Analise ou Decomposição: Uma única substancia geral duas ou mais produtos. Reação de eletrólise: Quebra de uma ligação química através da corrente elétrica. 4. Neste processo de reestabelecimento da ligação. Há diversos tipos de classificações de reações químicas. Isto é.

Se o potencial for negativo. KSCN 0. OBJETIVO:  Evidenciar a ocorrência das reações químicas.1 Reagentes FeCl3 0.1mol/L .0mol/L . Terminar o balanceamento pelo método da tentativa.  Estudar o poder dos agentes oxidantes e redutores e a influência do meio reacional.2 para onde houve redução e vice-versa. 2. H2O2 3% . significa que a reação é espontânea.1mol/L .  Classificar as reações químicas. PROCEDIMENTO 3.1mol/L . significa que a reação não é espontânea. HCl 1. S(s). Fita de Mg(s) . .  Estudas as reações de oxi-redução utilizando a Tabela de Potenciais Padrão de Redução. Se o potencial for positivo. Solução de íons bário .1mol/L . Ela consiste em uma tabela com diversos dados que foram constatados experimentalmente. NaCl 0. NaNo3(s). 3. Água destilada . a solução poderá ser acida ou alcalina.1Materiais e Reagentes 3. Como esta reação ocorre em solução.1. 5. MnO2. AgNO3 0. A tabela de potencial de redução é utilizado na previsão da espontaneidade das reações de oxi-redução.

5mol/L .5mol/l . H2SO4 0. Cu(s) . CuSO4 0. KMnO4 0. Zn(NO3)2 0.3 K2CO3(s).5mol/l .01mol/L . Fe(NO3)3 0. Na2SO3(s) .2 Vidrarias 23 tubos de ensaio . KMnO4 0. AlCl3(s) .1. NaOH 0. Zn(s) .5mol/L . Prego novo de ferro. 3.01mol/L . Pb(s) .5mol/L . CH3COONa(s) .5mol/L .5mol/L . Erlenmeyer de boca larga . KI 0. K2Cr2O70. NH4Cl(s) . . Pb(NO3)2 0.5mol/L .

Colher de deflagração .3 Formação de substância pouco solúvel Colocou-se cerca de 1.1mol/L em um tubo de ensaio. . Ascendeu-se um palito de fósforo encostado entre as bocas dos tubos de ensaio.1 Mudança e cor Adicionou-se 5 gotas de solução de cloreto férrico 0.1 Evidenciando as reações químicas 3.2 Formação de gás Adicionou-se um pedaço de fita de magnésio contendo 3.3 Materiais Pinça de madeira . Observou-se o ocorrido.Observou-se o ocorrido.1.1.0ml de ácido clorídrico 1.0mol/L.2Procedimento experimental 3.0ml de solução de cloreto de sódio 0. Bico de Bunsen .2. 3.2.2. 3.1mol/L em um tubo de ensaio e adicionou-se gota a gota a solução de nitrato de prata 0. Papel indicador de pH .1.1mol/L até ocorrer a variação.4 3.1mol/L e uma gota de solução de Tiocianato de potássio 0.1.2. Rolha . Segurou-se um tubo de ensaio com a boca para baixo para coletar o gás desprendido. 3.

5mol/L até cobrir a superfície do metal.2. AlCl3 e CH3COONa a 5 tubos de ensaio contendo cada um 3.1 Espontaneidade de uma reação redox Numerou-se 6 tubos de ensaio limpos de 1ao 6.2. K2CO3. NH4Cl.  Colocou-se a colher incandescente no recipiente com oxigênio.  Colocou-se alguns mg de enxofre em uma colher de deflagração e aqueceu-se a colher na chama do bico de bunsen.Agitou-se e mediu-se o pH. agitou-se e retirou-se uma alíquota de 2.  Ao restante da solução adicionou-se cerca de 3.  No primeiro tubo adicionou-se gotas de indicador alaranjado de metila e no segundo adicionou-se gotas da solução contendo íons bário. . Tubo 5: Um pedaço de Cobre + Nitrato de Chumbo 0.  Adicionou-se 10.3 Reações de hidrólise  Adicionou-se alguns cristais de NaNo3. adicionou-se alguns mg de dióxido de manganês.4 Estudo das reações de oxirredução  3.5mol/L até cobrir a superfície do metal.0mL de peróxido de hidrogênio 3%.5 mol/L até cobrir a superfície do metal.  Recolheu-se o oxigênio em um erlenmeyer de boca larga e fechou-se recipiente com uma rolha. 3. Tubo 4: Um pedaço de Zinco + Sulfato de Cobre 0.0mL de água fervida. 3.2.2 Simulando chuva ácida  Colocou-se 5. fechou-se o recipiente com uma rolha e agitou-se.  Colocou-se 2ml da solução em 2 tubos de ensaio.5 mol/L até cobrir a superfície do metal. Tubo 3: Um pedaço de Chumbo + Sulfato de Cobre 0.0mL e adicionou-se a mesma quantidade de gotas de solução de íons bário.4.2. Tubo 2 : Um pedaço de Chumbo + Nitrato de Zinco 0.6 3. Adicionou-se respectivamente em cada tubo: Tubo 1: Um pedaço de cobre + Nitrato de Zinco 0.0mL de peróxido de hidrogênio 3%. Anotou-se as observações. Observou-se o ocorrido. Observou-se o ocorrido.0mL de água destilada no recipiente que contem gás.5mol/L até cobrir a superfície do metal.

3. .01mol/L + 1mL de Hidróxido de sódio 0.2.  Em outro tubo de ensaio. 3. Anotou-se os casos em que a reação foi espontânea.5mol/L + alguns cristais de Sulfito de sódio.01mol/L + 1mL de Acido Sulfúrico 0.5mol/L + 2mL de Iodeto de potássio 0. preparou-se uma outra mistura contendo 1mL de Permanganato de potássio 0.5mol/L Tubo 3: 2mL de Nitrato de Ferro (III) 0.5 Agentes Oxidantes e Agentes Redutores 3.1 Iodeto e agentes oxidantes  Numerou-se 3 tubos de ensaio de 1 ao 3.5mol/L até cobrir a superfície do metal. 3.01mol/L + 4 gotas de Acido sulfúrico 0. Em seguida. Observar o que ocorre.5mol/L + 4 gotas de Acido Sulfúrico 0.2  Em um tubo de ensaio colocou-se um prego de ferro novo ou lixado . Tubo 2: 2mL de Dicromato de potássio 0.5. Colocou-se respectivamente em cada tubo: Tubo 1: 2mL de Permanganato de potássio 0.2.5mol/L Observou-se o ocorrido.5mol/L + alguns cristais de Sulfito de Sódio.6 Tubo 6: Um pedaço de Zinco + Nitrato de Chumbo 0.2.2.2 Influencia do meio no poder oxidante e redutor  Em um tubo de ensaio adicionou-se 1mL de permanganato de potássio 0.5mol/L + 2mL de Iodeto de potássio 0.5mol/L + 2mL de Iodeto de potássio 0. adicionou-se uma solução de Sulfato de cobre 0.5mol/L até cobrir a metade do prego. Observou-se o ocorrido nos 2 tubos.4.5mol/L.5.5mol/L +4 gotas de Acido Sulfúrico 0.

Manusear o material utilizando luvas de proteção. avental e botas de PVC ou borracha. como: Óculos e luva.  Permanganato de Potássio Inalação: Pode causar edemas no trato respiratório. Embora a ingestão seja improvável. podendo resultar em hemorragia. pode causar severos danos ao aparelho digestivo. irritação ou ferimentos.  . PROTOCOLO DE REAGENTE  Nitrato de Prata Em contato com a pele e olhos causa queimaduras. Solução aquosa de Bário Pode causar queimadura caso seja ingerido. No caso de soluções concentradas pode causar lesão esofágica ou gástrica. pele e olhos. Sobre a pele produz queimaduras graves com fibrose cicatricial intensa e limitações funcionais. Pode causar irritação no aparelho respiratório. Pode causar irritação e queimadura química. inclusive máscara com filtro para pós oxidantes. vômitos e riscos graves no intestino. Manuseio: Utilizar equipamentos individuais e utilizar a capela. Ingestão: Por ingestão causa náuseas. Irritação causa irritação nas mucosas. Utilizar o material de segurança. Manuseio: Usar luvas. lavar bem as mãos antes de comer ou beber. Contato com os olhos e olhos: Pode causar queimaduras.  . Evitar o contato com o corpo e após a utilização. . catarata e glaucoma. Insuficiência renal e hepática têm sido relatados em casos graves.Peróxido de hidrogênio Em contato com a pele e olhos causa irritação e queimaduras.ulceração e perfuração. Nos acidentes com os olhos pode provocar graves lesões ulcerativas.7 4.  Acido Sulfúrico O ácido sulfúrico é um potente irritante do trato respiratório.

3 Formação de Substância pouco solúvel Após a adição das gotas de nitrato de prata houve formação de precipitado. através das seguintes reações de complexação: Fe+3 + SCN-→[FeSCN]+2 [FeSCN]+2 + SCN-→[Fe(SCN)2]+ [Fe(SCN)2]+ + SCN-→ [Fe(SCN)3] [Fe(SCN)3] + SCN-→ [Fe(SCN)4][Fe(SCN)4].1 Mudança de Cor Quando foram adicionadas gotas da solução de Tiocianato de potássio a solução instantâneamente apresentou cor avermelhada sangue pela formação de íons [FeSCN]+2 e manteve a mesma cor.8 5. que a reação entre um metal e um ácido resulta na formação de um gás. AgNO3(aq) + NaCl(aq) → AgCl(s) + NaNO3(aq) .+ SCN. pois houve formação de íons [Fe(SCN)6]-3 que também dão à solução a cor avermelhada. Pode-se observar então.→ [Fe(SCN)6]-3 5. Deste jeito. o cloreto de prata que é pouco solúvel em água.1.1. pois a reação entre o nitrato de prata e o cloreto de sódio forma além do nitrato de sódio.1 Evidenciando as reações químicas 5. podemos classificar esta como reação de precipitação.1. RESULTADOS E DISCUSSÕES 5. Mg(s) + 2 HCl(aq)→ MgCl2(aq) + H2(g) 2H2(g) + O2(g) → H2O(g) 5.→ [Fe(SCN)5]-2 [Fe(SCN)5]-2 + SCN.2 Formação de Gás Quando encostou-se o fósforo aceso na boca do tubo houve um pequeno estalo devido a queima do gás hidrogênio formado pela reação entre a fita de magnésio e o ácido clorídrico.

considerando as soluções de NaNO3. fechá-lo e agitá-lo. H2SO3(aq) + 2H2O(l) →2 H3O+(aq) + SO3-2(aq) H2SO4(aq) + 2H2O(l) → 2 H3O+(aq) + SO4-2(aq) Já em um tubo contendo contendo a mesma solução.3.2 Simulando a chuva ácida (Demonstração feita pelo professor na capela) Quando a colher incandescente foi colocada dentro do recipiente contendo oxigênio ocorreu reação entre o enxofre e o oxigênio com formação de SO2 e SO3. NH4Cl. indicando que o meio era ácido. porém com adição de solução de íons bário. AlCl3 e CH3COONa. formando maior quantidade de precipitado já que os íons sulfitos reagiram com o H2O2 e formou-se íons sulfato. os gases foram solubilizados pela água formando o ácido sulfuroso e ácido sulfúrico.5.3 Reações de hidrólise Tabela com os pHs medidos no experimento. esta apresentou cor avermelhada. nos tubos 1. respectivamente: . que deram aspecto cinza á mistura gasosa dentro do recipiente. houve formação de precipitado branco proveniente da reação entre íons bário e íons sulfato. foram liberados hidrônios no meio aquoso. 1/8 S8(s) + O2(g)→SO2(g) 1/8 S8(s) + 3/2 O2(g)→ SO3(g) Após se adicionar água destilada no recipiente.4.2.9 5. Ba+2(aq) + SO4-2(aq)→ BaSO4(PT) A mesma reação ocorreu com a adição de peróxido de hidrogênio e solução de íons bário no resto da solução. já que com a ionização dos ácidos. SO2(g) + H2O(l)→ H2SO3(aq) SO3(g) + H2O(l) → H2SO4(aq) Em seguida. K2CO3. com a adição de alaranjado de metila ao tubo de ensaio contendo a solução dos dois ácidos. SO-2(aq) + H2O2(l)→ SO4-2(aq) + H2O(l) Ba+2(aq) + SO4-2(aq)→ BaSO4(PT) 5.

logo.5 O tubo 1 apresentou pH neutro e tinha uma solução de sal proveniente de ácido forte e base forte.Como a reação redox também é um tipo de reação química. Essa previsão é feita através do potencial padrão de redução.10 Tubo de ensaio pH Tubo 1 7 Tubo 2 11 Tubo 3 4. portanto. NH4Cl(s) + H2O(l)→ Cl-(aq) + NH3(aq) + H3O+(aq) AlCl3(s)+ 6H2O(l)→ Cl-(aq)+ Al(OH)3(aq) + 3H3O+(aq) 5.no meio aquoso. NaNO3(s) → Na+(aq) + NO3-(aq) Os tubos 2 e 5 apresentaram pH básico e tinham soluções de sais provenientes de ácido fraco e base forte.5 Tubo 4 4 Tubo 5 8. Antes de realizar o experimento. quando ele ocorrer é necessário . o sal não sofreu hidrólise.1 Espontaneidade das reações A principio notou-se que o nox do zinco era +2 e o nox do cobre era 0. foi feito uma previsão se cada reação seria espontânea ou não através do potencial padrão de redução. os sais sofreram hidrólise e liberaram H3O+ no meio. portanto os sais sofreram hidrólise e liberaram OH.4.4 Estudos das reações de oxirredução 5. K2CO3(s) + 2H2O(l)→ 2K+(aq) + H2CO3(aq) + 2OH -(aq) CH3COONa(s) + H2O(l)→ Na+(aq)+ CH3COOH (aq) + OH-(aq) Já os tubos 3 e 4 apresentaram pH ácido e tinham soluções de sais provenientes de ácido forte e base fraca. É possível prever se uma determinada reação redox será espontânea ou não espontânea.

3419 V Zn+2(aq) + Cu(s) E° = -1. o tubo 1. não observou-se nenhuma alteração no sistema. podemos inferir se uma reação redox será espontânea ou não.5 mol/L até cobrir a superfície do metal no tubo 2. a reação deverá ser não espontânea pois o potencial padrão dessa reação também é negativo. Sendo assim. De acordo com a previsão. Caso não exista nenhuma alteração no sistema. o tubo 2. A principio notou-se que o nox do Zinco era +2 e o do chumbo era 0. Caso a reação redox ocorra. demonstrado que esta reação redox não é espontânea. a reação deverá ser espontânea pois o potencial padrão dessa reação será positivo. que era o Cu metálico sendo formado espontaneamente nessa reação redox. a mudança de cor.7618 V E° = -0. a variação do pH. ou seja. de acordo com essa previsão. dizemos que a reação redox não é espontânea.5mol/L ate a superfície do metal no tubo 3.1037 V Zn(s) + Cu+2(aq) Não Espontânea De acordo com a previsão.1262 V Zn+2(aq) + Pb(s) E° = -0. demonstrando que esta reação redox não é espontânea. observar a absorção ou o desprendimento de calor. Ao adicionar um pedaço de Chumbo + Nitrato de Zinco 0. A principio notou-se que o nox do zinco era +2 e o nox do cobre era 0. dizemos que a reação redox é espontânea. Zn(NO3)2 (aq) + Cu(s) →Cu(NO3)2 (aq) + Zn(s) Zn+2(aq) + 2e Zn(s) +2 Cu(s) Cu (aq) + 2e E° = -0. Ao adicionar Um pedaço de cobre + Nitrato de Zinco 0. . A principio observou-se que o nox do Cu era +2 e o nox do Pb era 0.5 mol/L até cobrir a superfície do metal no tubo 1. Zn(NO3)2 (aq) + Pb(s) →Pb(NO3)2 (aq) + Zn(s) Zn+2(aq) + 2e Zn(s) +2 Pb(s) Pb (aq) + 2e E° = -0. Isto é.7618 V E° = 0. Ao adicionar um pedaço de Chumbo + Sulfato de Cobre 0. notou-se depois de um certo tempo a formação de precipitado.6356 V Pb+2(aq) + Zn(s) Não Espontânea De acordo com a previsão para o tubo 3. a formação de precipitado ou a evolução de gás. a reação redox deverá ser não espontânea pois o potencial padrão dessa reação é negativo. não observou-se nenhuma alteração no sistema.11 observar a modificação dos reagentes. note-se um desses fatores.

a reação redox deverá ser espontânea pois o potencial padrão dessa reação é positivo.5 mol/L até cobrir a superfície do metal no tubo 5. o tubo 5. A principio notou-se que o nox do Chumbo era +2 e o nox do Zinco era 0.5mol/L ate a superfície do metal no tubo 4. o tubo 6. Ao adicionar Um pedaço de cobre + Nitrato de Chumbo 0.5 mol/L até cobrir a superfície do metal no tubo 6.1037V Zn+2(aq) + Cu(s) Espontânea De acordo com a previsão.4681 V Pb(s) + Cu+2(aq) Não Espontânea De acordo com a previsão.3419 V E° = 0.7618 V Cu+2(aq) + Zn(s) E° = 1.4681 V Pb+2(aq) + Cu(s) Espontânea De acordo com a previsão para o tubo 4.1262 V E° = -0.1262 V Cu+2(aq) + Pb(s) E° = 0. que era o Cu metálico sendo formado espontaneamente nessa reação redox. CuSO4(aq) + Zn(s) →ZnSO4(aq) + Cu(s) Cu+2(aq) + 2e Cu(s) +2 Zn(s) Zn (aq) + 2e E° = 0. Ao adicionar um pedaço de Zinco + Sulfato de Cobre 0. notou-se depois de um certo tempo a formação de precipitado.12 CuSO4(aq) + Pb(s) →PbSO4(aq) + Cu(s) Cu+2(aq) + 2e Cu(s) Pb(s) Pb+2(aq) + 2e E° = 0. a reação deverá ser espontânea pois o potencial padrão dessa reação também será positivo. a reação redox deverá ser não espontânea pois o potencial padrão dessa reação é negativo.3419 V E° = 0. A principio observou-se que o nox do Cu era +2 e o nox do Zn era 0. . A principio notou-se que o nox do Chumbo era +2 e o nox do cobre era 0.3419 V Pb+2(aq) + Cu(s) E° = -0. notou-se alteração no sistema. Ao adicionar um pedaço de zinco + Nitrato de Chumbo 0. não observou-se nenhuma alteração no sistema. demonstrando que esta reação redox não é espontânea. Pb(NO3)2 (aq) + Cu(s) →Cu(NO3)2 (aq) + Pb(s) Pb(s) Pb+2(aq) + 2e +2 Cu(s) Cu (aq) + 2e E° = -0.

5mol/L.4.5 Agentes Oxidantes e Redutores 5. formou-se precipitado.972 V E° = 1. No caso do Ferro. Isto ocorreu por causa da reação espontânea do Ferro com o Sulfato de Cobre.535 V Espontânea Ao adicionar no Tubo 2. 2mL de Permanganato de potássio 0.7889 V Fe+2(aq) + Cu(s) Espontâneo 5.1 Iodeto e Agentes Oxidantes Ao adicionar no Tubo 1.7618 V Pb+2(aq) +Zn(s) E° = 0.6356 V Pb(s) + Zn+2(aq) Não Espontânea 5. com 4 gotas de Acido sulfúrico 0.3419 V E° = 0.5mol/L. com 4 gotas de Acido Sulfúrico 0. ele passou a adquirir uma coloração avermelhada. observou-se a mudança de cor do prego. CuSO4(aq) + Fe(s) →FeSO4(aq) + Cu(s) Cu+2(aq) + 2e Cu(s) +2 Fe(s) Fe (aq) + 2e E° = 0. De acordo com essa reação. observou-se a mudança de cor do vinho para a castanho de media intensidade.5. Essa coloração avermelhada é característica do cobre metálico. ele oxidou para Fe .507 V E°= -0.13 isto é.2 Reação Espontânea do Ferro com Sulfato de Cobre Ao adicionar no tubo de ensaio um prego novo de ferro em contato com uma solução aquosa de Sulfato de cobre 0. 2mL de Dicromato de potássio 0.4470 V Cu+2(aq) + Fe(s) E° = 0. que tinha o nox 0. demonstrando que esta reação redox é espontânea. No final da reação.que possui a coloração próximo do amarelo alaranjado.5mol/L. +2 diminuindo seu nox para 0.5mol/L .5mol/L. que era o chumbo metálico. Pb(NO3)2 (aq) + Zn(s) →Zn(NO3)2 (aq) + Pb(s) Pb+2(aq) + 2e Pb(s) +2 Zn(s) Zn (aq) + 2e E° = -0. 2 MnO4-(aq) + 16H+(aq) + 10e 10 I-(aq) 5I2(l) + 10e 2Mn2+(aq) + 8H2O 2 MnO4-(aq) + 16H+(aq) + 10 I- 5I2(l) + 2Mn2+(aq) + 8H2O E° = 0. o cobre que tinha nox +2 reduziu.01mol/L. que também é pra dar a acidez necessária para reação ocorrer + 2mL de Iodeto de .1262 V E° = 0. que dará a acidez necessária para a reação ocorrer com 2mL de Iodeto de potássio 0. que tem a coloração vinho. Isto é.

houve a formação do iodo responsável pela coloração do sistema. Cr2O72(aq).795 V Espontânea Ao adicionar no tubo 3.771 V I2(l) + 2e 2Fe3+(aq) + 2 I-(aq) E° = -0.5mol/L para dar a acidez necessária + 2mL de Iodeto de potássio 0.535 V E° = 1. Ao termino da reação. Sendo assim. 2mL de Nitrato de Ferro (III) 0.+ 14H+(aq) +6e - 6 I (aq) 2Cr3+(aq) + 7H2O 3I2(l) + 6e E°= 1. isso não foi observado no experimento. A principio. notou-se que a cor do sistema mudou de amarelo alanrajado para a cor castanho claro.330 V E° = -0. formará o íon manganês. poderia ocorrer outra reação. No caso do tubo 1. Se o sistema tiver uma acidez intermediária. Sendo assim.+ 14H+(aq) + 6 I-(aq) 2Cr3+ + 7H2O +3I2(l) E° = 0. os reagentes utilizados são excelentes agentes oxidantes. mais eficiente é o agente oxidante. eles só podem reduzir. dependendo da acidez do sistema. Isto é. formara dióxido de manganês.535 V 2Fe2+(aq) + I2(l) E° = 0. Com isso.5mol/L. se o sistema for muito acido.5mol/L.Essas são as possíveis reações do nitrato: . pode-se dizer que quanto maior o numero de oxidação. que também é um ótimo agente redutor. que é característica do iodo.144V Em todos os casos. O tubo 3 apresentou uma coloração mais intensa devido a presença do Nitrato.15 potássio 0. 2Fe3+(aq) +2e 2 I-(aq) 2Fe2+(aq) E° =0. No final da reação.535 V Cr2O72(aq).5mol/L. com 4 gotas de Acido Sulfúrico 0. notou-se que todos os reagentes utilizados com o iodeto de potássio. quanto mais forte fosse a coloração castanha.236 V Espontânea Como conclusão deste experimentos. que possui a coloração uma leve coloração laranja. 2 MnO4-(aq) + 8H+(aq) + 6e 6 I-(aq) 3I2(l) + 3e 2 MnO4-(aq) + 8H+(aq) +6 I-(aq) 2MnO2(s) + 4H2 O 3I2(l) +2MnO2(s) + 4H2O E° = 1. o Ferro deveria apresentar a coloração castanha menos intensa. Porem. Sendo assim. notou-se que a cor do sistema mudou da leve coloração laranja para uma coloração avermelhada bem forte. já estavam no seu estado maximo de oxidação.679 V E° = -0. mais eficiente era o agente oxidantes.

15 1° Reação 2 NO3-(aq) + 8H+(aq) + 6e 6 I-(aq) 3I2(l) + 6e 2 NO3.infoescola.535 V I2(l) +2NO2 (g) + 2H2O E° =0. http://www. O manganês. E através da tabela de potenciais conseguiu-se prever a espontaneidade das reações de oxi-redução e entender a influência do pH no meio reacional.8000V E° = -0. esta em meio acido. ele formaria o dióxido de manganês. preparou-se uma outra mistura contendo 1mL de Permanganato de potássio 0.6 Influencia do meio no poder oxidante e redutor Ao adicionar em um tubo de ensaio 1mL de permanganato de potássio 0.php http://www.507 V 7.957V E° = -0. dependendo da acidez o manganês que tem nox +7 no permanganato pode ser reduzido até o nox +2.265 5.01mol/L + 1mL de Acido Sulfúrico 0. que esta presente no permanganato de potássio. MnO4-(aq) + 2H2O(l) + 3e MnO2(s) + 4OH-(aq) E° = 0. com a cor da solução resultante marrom. que é incolor. Essa cor marrom é devido a presença do oxido de manganês.5mol/L + alguns cristais de Sulfito de Sódio.com/quimica/balanceamento-de-equacoes-quimicas/ .01mol/L + 1mL de Hidróxido de sódio 0.br/conteudos/ef/reacoesquimicas/p2.+ 8H+ +6 I-(aq) 2NO(g) + 4H2O E° = 0.422V 2° Reação 2 NO3-(aq) + 4H+(aq) + 2e 2 I-(aq) I2(l) + 2e 2 NO3-(aq) + 4H+(aq) +2 I-(aq) 2NO2 (g) + 2H2O E° = 0.com. CONCLUSÃO Por meio da aula teórica e dos experimentos foi possível evidenciar algumas reações e classificá-las. Caso a acidez fosse pouca. Quando o manganês..588V Em outro tubo de ensaio. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Apostila Didática. observou-se a solução ficar com uma coloração esverdeada e se transformando na cor marrom.5mol/L + alguns cristais de Sulfito de sódio. 8. presente no permanganato de potássio. Observou-se a coloração da solução ficar rosa e depois de algum tempo ficou transparente.535 V 3I2(l) +2NO(g) + 4H2O E° = 0. em meio básico consegue chegar até no maximo ao nox +4. MnO4-(aq) + 8H+(aq) + 5e Mn2+(aq) + 4H2O(l) E° = 1.soq.