You are on page 1of 3

APOIO E LUTA POR GARANTIA DE DIREITOS

A população LGBT perpassa por muitos preconceitos, que são rebelados
em vários ambientes de sua vida, muitas vezes sem o apoio necessário para
compreensão de seus direitos, para isso em Fortaleza essa população conta
com varias ONGs e projetos que visam efetivar a garantia de direitos. Aqui
vamos falar um pouco sobre esses locais de apoio, aconselhamento e vivencia
das garantias de direitos.
O Grupo de Resistência Asa Branca - GRAB é uma Organização NãoGovernamental

(ONG),

sem

fins

lucrativos

ou

vinculação

partidária,

reconhecida como de Utilidade Pública Municipal. Fundado em 1989, sendo
uma das organizações LGBT em funcionamento mais antigas do Brasil, o
GRAB tem atuado diretamente no enfrentamento ao preconceito por orientação
sexual, execução e controle social de políticas públicas, assim como do
ativismo em torno dos direitos da população homossexual. Desta forma, a
instituição tem desenvolvido diversas ações e projetos nas áreas da Saúde,
Direitos Humanos, Ativismo e Organização das Paradas pela Diversidade
Sexual no Ceará.
A Associação de Travestis do Ceará (ATRAC) é uma entidade da
sociedade civil não governamental. Tem como missão a melhoria da qualidade
de vida das travestis e transexuais, através da construção permanente da
cidadania e da luta pela garantia dos seus direitos.
A Prefeitura Municipal de Fortaleza junto com a Coordenadoria de
Direitos Humanos e Diversidade Sexual realiza eventos com intuito de
promover os direitos da população LGBT e sua participação nos projetos e
políticas publicas que são: a Conferência Municipal LGBT de Fortaleza, os
Jogos da Diversidade Sexual, a Quarta Cultural LGBT, o Grupo de Trabalho
Saúde da População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais
(LGBT),o Povo do Santo Promovendo Saúde e Cidadania o Programa
Municipal Educação Sem Homofobia, a Juventude Sem Homofobia, as Rodas
de diálogos: Direitos Sexuais são Direitos Humanos, o GT Segurança Pública
LGBT, e a Assistência Social sem homofobia/lesbofobia/transfobia.
POLITICAS PÚBLICAS: EFETIVANDO DIREITOS

através da Coordenadoria da Diversidade Sexual. Travestis e Transexuais. para os efeitos desta lei. promovendo a conscientização. a equidade que visa combater preconceitos. Bissexuais. na forma do inciso XXI do artigo 7º da Lei Orgânica do Município. criada em 2005. Proibição de ingresso ou permanência. Parágrafo único .Os estabelecimentos comerciais. tendo como bases as diretrizes e preceitos éticos e políticos que visam à garantia dos direitos e do exercício pleno da cidadania. Consciente da relevância dessa tarefa. sofrerão as sanções previstas nesta lei. III. elaborar e implementar políticas públicas de enfrentamento ao preconceito e à discriminação por orientação sexual e identidade de gênero no município de Fortaleza. As ações voltadas para as garantias dos direitos da população LGBT parte da afirmação de que um maior acesso e participação social é um instrumento essencial para democratizar o Estado e a sociedade. Através de ações intersetoriais sistematizadas e conjuntas.211/98: Art. segmento populacional que reúne 18 milhões de pessoas segundo dados do IBGE. através de políticas públicas específicas reafirma sua determinação de compromisso com a defesa dos Direitos Humanos de Lésbicas. que discriminarem pessoas em virtude de sua orientação sexual.entende-se por discriminação. 1º . que venha a promover o reconhecimento da população LGBT como sujeitos de direitos. O que vale ressaltar as ações e sanções aos estabelecimentos comerciais existentes em Fortaleza que contam com a Lei Municipal Nº 8. como o acesso aos direitos civis da população LGBT. situação tais como: I. . focando ações no enfrentamento à discriminação e ao preconceito dirigido à população LGBT. articulando com as demais secretarias e áreas de atuação governamental a promoção da cidadania da população LGBT. Constrangimento. Atendimento selecionado. empresas prestadoras de serviços e similares. industriais.A implementação das políticas públicas significa a ampliação do papel do Estado na formulação e implementação dessas políticas. exigindo de fato o respeito á pluralidade e diversidade da população. Secretaria de Direitos Humanos de Fortaleza (SCDH). impor a pessoas de qualquer orientação sexual. II. nos últimos anos foi acompanhada pela inclusão de novos temas no campo de atuação. Tendo como missão: coordenar.

nos hotéis e similares. Aluguel ou aquisição de imóveis para fins residenciais. 2º . Preterimento quando da ocupação e/ou imposição de pagamento de mais de uma unidade. II. as quais serão aplicadas progressivamente. O que confere a construção de uma sociedade democrática por meio da valorização da diversidade e da promoção dos direitos humanos garantindo grande avanço na temática da diversidade sexual. suspensão de seu funcionamento por trinta dias.IV. cassação de alvará.250 UFIR. IV. V. . multa mínima de 1.As sanções impostas aos estabelecimentos privados que contrariarem as disposições da presente lei. III. comerciais ou de lazer. Art. advertência. serão as seguintes: I.