You are on page 1of 15

Universidade Federal de Mato Grosso

Campus Universitário de Rondonópolis – CUR
Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS
Ciências Econômicas - CE

PROJETO DE VIABILIDADE ECONÔMICO - FINANCEIRA

CACHAÇA DO OESTE

Francisca Nathalia de Sousa Leite
Katieli Furlan
Lucas Padilha

Projeto Elaborado para a disciplina de Elaboração e Análise de Projetos
Orientação: Prof. Msc. Djalma Adão Barbosa Junior
Ciências Econômicas - Universidade Federal de Mato Grosso – Campus Rondonópolis.

Rondonópolis
2014
1

..............................................CE Sumário 1............................... 7 1................................................................................................................ 4 1................................................................ 9 1......................................... 5 1........5 Panorama internacional ......9 Estudo de Canais de Comercialização.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas ..7 Histórico de Preços............ 10 1............6 Influência de Variáveis Macroeconômicas ...... 11 1...................................................................................1 Consumo Histórico e Atual de Cachaça .....................................3 População Consumidora ................................................ 12 2 .............................................2 Capacidade Produtiva .4 Elasticidade ................................. 5 1..... Estudo de Mercado ................................................................................... 6 1............................................................................................8 Estudo de Concorrência .... 4 1............................................

com teor alcoólico corrigido pela diluição de água e adoçantes. Apenas no século XIX e XX o Brasil e mundo foram perdendo o preconceito em relação a cachaça. A cachaça é também conhecida como aguardente de cana. esta possui teor alcoólico de 38% a 54%. destilada em um volume menor em alambiques em propriedades rurais. á temperatura de 20°C. foi descoberta pelos escravos dos engenhos de açúcar no século XVI. a famosa caipirinha (coquetel no qual se utiliza a cachaça) tornou-se uma bebida popularmente conhecida e uma marca cultural brasileira. a empresa será constituída sob forma de sociedade empresarial limitada. obtida da destilação simples de cana-de-açúcar.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas .CE INTRODUÇÃO Apresentação do Negócio A empresa Cachaça do Oeste LTDA tem como objetivo a produção e comercialização de Cachaça Industrial destilada da cana-de-açúcar. Caracterização do Produto A cachaça é uma bebida feita da fermentação e destilação do melaço extraído da cana-de-açúcar. contém o mesmo teor alcoólico é obtida pela destilação do mosto fermentado de cana-de-açúcar. sem adição de açúcar ou adoçante. enquanto a cachaça artesanal. É importante distinguir que existem dois tipo dessa bebida. a caninha industrial produzida em larga escala por grandes empresas de destilação. em alambique de cobre. através dela a cachaça deixou de ser uma bebida de classes baixa para habitar qualquer festa de elite. 3 . chamada de cachaça artesanal. Considerada durante muito tempo como uma bebida das classes sociais mais baixas a cachaça foi ainda no Brasil colônia a bebida mais consumida no país .

4 .Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas . O que gerou uma valorização no produto. onde pode-se encontrar garrafas que custam mais de 600 reais. Dentro deste contexto. por ser um produto ao qual antes. os produtos consumidos no Brasil. surgem vastas plantações de cana-de-açúcar e também os grandes engenhos. Com os anos. onde surgiu uma bebida originaria do caldo de cana-de-açúcar fermentado. o que a diferenciou de diversas outras aguardentes de cana. E assim passou-se a destilar aquele caldo de cana fermentado que era dado aos escravos e começou-se a descobrir o potencial do que depois viria a ser chamado de cachaça. Estudo de Mercado 1. produto extremamente em alta na Europa.1 Consumo Histórico e Atual de Cachaça A história da cachaça remonta o início da colonização do Brasil. fazendo com que seu espaço no mercado internacional crescesse muito. Foi a partir do alto custo de trazer essas bebidas de Portugal. hoje a cachaça está entre as cinco bebidas mais consumidas do mundo. para ser consumido pelos portugueses que aqui estavam morando. Graças a isso.CE 1. Em 1994 a cachaça foi reconhecida como um produto cultural brasileiro e em 2012 os EUA reconheceram a cachaça como produto tipicamente brasileiro. E um mercado especifico que tem se desenvolvido muito é o das cachaças especiais. onde era extremamente comum o consumo de uma aguardente feita do bagaço da uva. vinham quase todos da metrópole. Como toda colônia. Era uma bebida escura e de baixo teor alcoólico que passou a ser servida aos escravos e também aos animais. envelhecidas em barris e toneis de madeiras nobres. no caso. quando os portugueses desembarcaram no litoral a fim de cultivar a cana-de-açúcar e lucrar com a produção do açúcar. foram descobertas formas de envelhecer a bebida agregando inúmeros sabores e aromas a mesma. que fez com que fossem buscadas outras alternativas de bebidas. apenas os nobres tinham acesso e que agora estava disseminado por entre outras classes sociais. Portugal. que consequentemente veio para o brasil.

Apesar desses dados.2 Capacidade Produtiva Capacidade Instalada de Produção: 1. Bahia e Minas Gerais 1.3 População Consumidora No final de 2006 o Brasil atingiu 186. Ceará.770. cumpre lembrar que. Rio de Janeiro.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas .000 • Principais Regiões Produtoras: São Paulo.9 por mulheres. A forte concentração da população nos centros urbanos ainda é um traço marcante. contra a presença do homem no campo (17. Minas Gerais e Paraíba • Principais Regiões Consumidoras: São Paulo.5%). Pecuária e Abastecimento: 1.000 – Levantamento do Censo Agropecuário de 2006: 11.000 • Empregos diretos e indiretos: + 600. Ceará.124 – Registrados no Ministério da Agricultura.5%. Pernambuco.2 bilhão de litros • Produtores em todo Brasil: – Estimativa do IBRAC (com base em informações das principais entidades Estaduais): 40.539 de habitantes.554 (dados de setembro de 2011) • Marcas no Brasil: 4.CE 1. com 82.1% por homens e 50. Pernambuco. deve-se considerar o conceito de mercado 5 . sendo representado em 49. com o objetivo de definir o potencial de mercado para um produto.

Imagem do produto no exterior. ou quase 125 milhões de habitantes. aumentando a percepção de valor no mercado interno e despertando o consumidor para um produto que até então tinha demanda negativa nas classes mais abastadas. antes tratada como direcionada somente às classes menos favorecidas. fruto de processos cuidadosos e de envelhecimento do produto. Esse conceito considera não apenas o interesse em consumir. verificou-se uma elasticidade preço demanda.CE disponível qualificado. principalmente na Europa. O movimento resulta de várias ações no mercado. ou passaram a assumir a adoção ao consumo da bebida. . O movimento se refletiu inclusive na forma de pedir e degustar a bebida. Dessa forma. assim encontrou-se uma elasticidade preço demanda de -1. . mas principalmente de três motivos: . a partir de um modelo desenvolvido pela Coocachaça.Organização setorial e incentivo à produção de qualidade. mas também a possibilidade de um consumidor adquirir um produto e.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas . resultando em produtos de melhor característica sensorial. uma taça própria para cachaça. pela Cristais Hering. O aumento da demanda começou de forma espontânea e passou a ser sentido nos próprios produtores e pontos de dose desde 1999.22. reduz-se a população-alvo a cerca de 67% do total. Em 2003 foi lançada. 1. com destaque para a legislação aplicada ao setor de bebidas alcoólicas. uma elasticidade menor 6 .Qualificação e padronização da produção. Tendências no padrão de consumo conforme avaliação realizada pela Federação Nacional da Cachaça (Fenaca) em 2004. que mede a variação percentual da demanda dada as variações no preço. a cachaça buscou também melhoria na imagem de seu produto via utilização de embalagens diferenciadas. que autoriza o consumo de somente a partir dos 18 anos de idade. Com um produto de melhor qualidade. o consumidor das classes A e B ou descobriram a cachaça como produto de qualidade. segundo controles rígidos que conferem selos de qualificação.4 Elasticidade Com base nos dados da tabela 02.

052.418.5 Panorama internacional A cachaça é hoje a terceira bebida destilada mais consumida no mundo ficando atrás apenas da vodca e do shoju (bebida típica da Coréia).246 1.04 R$ 0. Tabela 02: Produção. Tabela 01: Exportação de Cachaça Valor e Quantidade Período Valor US$ 2005 13.591 R$ 0. um acréscimo de 10.71 % em relação a recita gerado no ano de 2012. aumentando também o volume de litros exportados que cresceu 13.099.em que sua demanda não varia significativamente com variações no preço. recentemente foi reconhecida pela Organização Mundial do Comercio – OMC como bebida tipicamente brasileira.59 milhões de dólares.404 1.805 7 .585.673 840.784.20 R$ 1.90 R$ 1.276 2008 16.978 2009 15.033 2007 13.047.467 1.77 R$ 0.802 989. podendo receber essa denominação apenas a aguardente de cana-de-açúcar produzida no Brasil.770 1.456 1.453 11.176.578 Quantidade 9.716 938.93 R$ 0.045.831. e a Europa constitui o principal destino das exportações brasileiras de cachaça. Período Quantidade Produzida (Em mil litros Quantidade Consumida (Em mil litros) Preço Unitário (Por Litro) 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 902.580 1.052.464 942.838.CE que 1 índica um bem inelástico.67 Fonte: Elaborado pelos autores com dados do IBGE-SIDRA 1.133 1.838.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas .092. A cachaça exportada pelo Brasil em 2013 chegou a 59 países.997 1.204. A tabela 01 apresenta uma série histórica do valor e quantidade de cachaça exportada pelo Brasil de 2005 a 2012.157.91 R$ 0.23% no ultimo ano.063.276 2006 14.088 10.519 965. A cachaça é uma bebida consumida em mais de 60 países.276 9. Consumo e Preço da Cachaça.78 R$ 0.453 13. No ano de 2013 a cachaça gerou uma receita de US$ 16.415.171.461 1. com mais de 60 empresas exportadoras.838.638 1.252.

140.954.ALICEWEB.00 Alemanha 17.26% Bolivia Fonte: MDIC.12% Paraguai Italia Espanha 5.094 8. Paraguai e Itália. Acesso em 21/10/2014 A consolidação da exportação de cachaça brasileira se deve em grande parte pela criação da Associação Brasileira de Bebidas (ABRABE) em 1997. França.2013 Principais Países de Destino em Valor .18% 3.441.2013 Total: US$ 16.43% 2.52% 7. Elaboração Instituto Brasileiro de Cachaça .993.66% 9.217.768 10.768.057 9.107 9.AliceWeb. Os principais importadores desse produto brasileiro em 2013 foram: Alemanha.598. Portugal. O gráfico abaixo mostra em valores percentuais dos países que mais importaram a cachaça brasileira em valores.312 Fonte: MDIC .801.286.127 16.69% 24.598. Estados Unidos.07% 3.CE 2010 2011 2012 2013 15.08% 6.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas .728 14. 2006).02% Estados Unidos 11.IBRAC 8 .97% Portugal França 9. Figura 01: Principais Países de destino da cachaça brasileira em valor .447 17. além do incentivo da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX) e do Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) (VERDI.

cenário global. ameaças e oportunidades para a sobrevivência da empresa no mercado. Estados Unidos . dentre outros fatores.12% Portugal 3. com destaque para a Alemanha.96% 29. sendo no âmbito Econômico.12% 7. pois esse conhecimento é de suma importância para analisar tendências. PIB. A globalização exerce fundamental controle nos sistemas comerciais mundiais.CE O gráfico baixo mostra os principais países para onde o Brasil exportou cachaça em termos de volume. legal ou tecnológico.2013 Total: 9.81% França Bolívia 4.2013 Principais Paises de Destino em Volume . onde o ambiente externo possui uma forte influência nas atividades. acordos internacionais. Paraguai.82% Estados Unidos 11. Portugal. Elaboração Instituto Brasileiro de Cachaça . social. tratados multilaterais.10% 5.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas . No âmbito econômico pode ser influenciado pela taxa de câmbio.28% 5. Toda empresa está sucessível ao sistema. políticas de incentivo a comercialização do produto.64% 8. França e Bolívia.AliceWeb. Figura 01: Principais Países de destino da cachaça brasileira em litros.IBRAC 1. político.217.6 Influência de Variáveis Macroeconômicas A análise de uma empresa deve contar com um estudo de mercado que contemple aspectos Macro e Microeconômicos. tendo influencias diretamente nas decisões tomadas internamente pelos gestores. taxações.68% Espanha Bélgica Chile Fonte: MDIC.312 Litros Alemanha 17.58% Paraguai 3.89% 2. Deve-se estudar a demanda e verificar o ambiente ali descrito. pois está ligada a redução de barreiras. 9 . cotas.

No que se refere ao Tecnológico. O preço da bebida entre 2005 e 2012 esteve em uma média de 0.90 centavos por litro. apenas com a popularização da caipirinha. Esse diferencial além de facilitar a escolha do consumidor. capacitação de funcionários até ações de desenvolvimento da empresa ao longo do tempo. pois interferem diretamente nas negociações. aumenta sua qualidade e competitividade esse diferencial impacta positivamente sobre a escolha dos clientes em optar pela de maior qualidade.7 Histórico de Preços Por muito tempo a cachaça foi considerada uma bebida consumida apenas pelas classes mais baixas da sociedade. No quesito de legalidade a cachaça tem que adotar vários procedimentos para se certificar. gestão. 10 .CE sendo fatores decisivos na escolha de se exportar ou não a cachaça. a produção em larga escala depende do uso de equipamentos adequados e modernos. além de agregar valor à marca. isso inclui melhoria e modernização para a produção de cachaça. 1. podemos observar uma tendência de queda no preço da cachaça a partir do ano de 2006. sendo de suma importância para sua comercialização. Há de se ressaltar a relevância nos recursos organizacionais e físicos haja à necessidade de infraestrutura desde a logística de distribuição. a bebida tornou-se alvo do consumo da elite no Brasil e no mundo. a certificação provê uma garantia do produto ofertado. bebida tipicamente brasileira onde a cachaça é ingrediente essencial.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas . O gráfico 03 mostra a evolução do preço da bebida ao logo do período entre 2005 e 2012. também adentra mercados mais exigentes.

4 1.4 0. A rivalidade no setor assume uma comum de concorrência de preços.8 0.2 0 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Ano Fonte: Elaborado pelos autores com dados do IBGE-SIDRA 1. 1.8 Estudo de Concorrência A cachaça ganhou status de bebida destilada e existem alguns fatores que afetam a concorrência no setor. Os compradores também não estabelecem vínculos fiéis com seus fornecedores.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas . A cachaça sofre forte concorrência com outros destilados e não existem ações coletivas para sustentação das posições de mercado. em geral os produtos não envolvem um aparato tecnológico muito sofisticado e não seguem um formato padronizado. as barreiras a entrada podem ser facilmente quebradas. O setor é aberto a entrada de novas empresas. 11 . em razão de um produto não padronizado e tradicional.6 Preço da Cachaça por Litro 0. e quando nos referimos a divulgação tratamos de um produto alcoólico destinado a adultos o qual encontra algumas barreiras a divulgação. Preço da Cachaça por litro.2 Preço 1 0. por não possuírem fortes estratégias de diferenciação.CE Gráfico 03.

. etc. diluem em água. As vendas internas podem ser realizadas diretamente aos postos de venda ao consumidor (supermercados. et al.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas . (2004) São empresas que compram a cachaça com alto teor de álcool. Fonte: Oliveira.9 Estudo de Canais de Comercialização Esquematicamente a Figura 1 mostra que a venda interna ou externa são os canais de comercialização mais utilizados pelas empresas. armazéns.) ou para atacadistas e distribuidores de bebidas. bares. As cachaças de 12 . filtram e adoçam com xarope de açúcar e envazam o produto. Figura 1 – Cadeia produtiva e canais de comercialização da cachaça.CE 1.

também no mercado interno (GUIMARÃES. vendidas diretamente aos consumidores ou entregues as cooperativas e associações que comercializam o produto com as empresa estandardizadoras. visando aumentar o seu faturamento. Esse fato é importante no sentido de fazer com que o setor de cachaça passe a buscar os mercados mundiais. geralmente. Essa decisão parece ser mais favorável às indústrias de cerveja. Vale a pena ressaltar que mesmo diante de dificuldades internas e falta de apoio. há inúmeras vantagens e potencialidades a explorar. sua rentabilidade e principalmente fortalecer a sua imagem. de forma a obter ganhos de escala na comercialização externa. Isso porque os consumidores são. 13 .CE alambique são.2005). em última análise.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas . as empresas podem utilizarse das vendas diretas. Quanto às vendas destinadas ao mercado externo. SILVA. uma vez que existe a preferência dos jovens por essa bebida em relação à cachaça além do preconceito que associa o consumo de cachaça à pessoa de baixa renda. As pequenas e médias empresas podem formar ainda cooperativas ou associações a fim de promover a venda de seus produtos no exterior. indiretas ou consórcios. Ressalta-se que o mercado final é o determinante fundamental do sucesso ou fracasso de uma cadeia produtiva. os agentes que escolhem qual bebida comprar. inclusive institucional.

Indústria e Comércio Exterior – MDIC – Aliceweb.2. n.org.senai. em Disponível < em SOUZA. Marco A.Fabio Nogueira.36. In: XLIII Congresso da Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural. OLIVEIRA.abrabe.sc.br/> Acesso em: 21/10/2014 Instituto Brasileiro de Cachaça – IBRAC http://www. GUIMARÃES. Considerações estratégicas sobre a indústria de cachaça. Associação Brasileira de Bebidas – ABRADE http://www.br/ Acesso em: 20/10/2014. In: Informações Econômicas. A. Disponível em: http://site. VALE. F.gov. Adriana Renata. Cláudia B. 2004. Sistema agroindustrial da cachaça e potencialidades de expansão das exportações.br/> Acesso em: 21/10/2014.pdf.br/tecnologia/cachaca/docs/sistemaagroind.ibge.ibraccachacas.Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas .gov. – IBGE. SILVA.org/> Acesso em: 20/10/2014 . fev. Disponível .desenvolvimento. Diego D. Acesso em: 7 nov. Dinâmica e perspectivas do mercado da cachaça. Disponível em: Ministério do Desenvolvimento . Disponível em: < http://aliceweb. v. SP. Caracterização e análise da cadeia produtiva da cachaça brasileira.. et al.CE Referencial Teórico Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística <http://www. F. 2006. VERDI.2005 14 .

5 Panorama Internacional 1.CE Relatório de Estudo de Mercado A etapa de estudo de mercado ficou distribuída da seguinte forma: 1.1 Consumo passado.7 Histórico de Preços Katieli Furlan 1.4 Elasticidade 1. Estudo de Mercado Lucas Padilha 1.8 Comportamento das variáveis macroeconômicas 1.9 Canais de Comercialização O alunos Katieli e Lucas ficaram de encaminhar por e-mail a parte do texto que ficou designada para cada um para que eu formatasse e encaminhasse pelo AVA. combinei com o aluno Lucas que ele ficasse responsável por enviar o trabalho no dia 23/10/2014.3 População Consumidora e suas preferências Nathalia 1. Recebi o trabalho da Katieli dentro do prazo estabelecido (20/10/2014). Atual e Futuro do produto 1.6 Estudo de concorrência 1. 15 .Universidade Federal de Mato Grosso Campus Universitário de Rondonópolis – CUR Instituto de Ciências Humanas e Sociais – ICHS Ciências Econômicas . Não tendo me enviado o trabalho no mesmo dia.2 Capacidade de Produção Nacional/Regional 1.