You are on page 1of 17

49

MANUAL DE

Procedimentos
ICMS • IPI • ISS RJ
Outros e Legislação
ÍNDICE

Destaques
ICMS

Trabalho com esclarecimentos sobre o tratamento fiscal dispensado as operações com material
promocional.

ICMS ........................................................................................

Material Promocional – Tratamento Fiscal

Nota Fiscal – Prazo de Validade no Acobertamento do Trânsito
de Mercadorias

IPI

Procedimentos a serem adotados na hipótese
de remessa de produtos com a finalidade de
demonstração.

IPI ..............................................................................................

3

5

Demonstração – Tratamento Fiscal

ISS

Matéria que trata sobre a aplicação da isenção
das taxas instituídas e cobradas pelo Município
prevista na Lei nº 5.230/10, visando a Copa do
Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016, observadas as disposições da
Resolução SMF nº 2.699/11.
Jorge Henrique Correia Trindade
Luzia Bicalho
Rodrigo Macedo
Sebastião Guedes de Araújo

ISS – Município do Rio de Janeiro ............................. 11

Copa do Mundo – Jogos Olímpicos e Paraolímpicos

Alvará – Código de Posturas

Jurisprudência e Outros ................................................. 12

Conselho de Contribuintes do Estado do Rio de Janeiro
– ICMS – Benefício Fiscal – Diferimento – FECP

Conselho de Contribuintes do Município do Rio de Janeiro
– ITBI – Partilha de Bens do Espólio – Quinhões Desiguais
Resultantes de Disposição Testamentária – Fato Gerador –
Inocorrência

Consultoria Cenofisco ..................................................... 13

Cenofisco BD Legislação
Com segurança e confiabilidade nas informações, o Cenofisco disponibiliza,
inteiramente grátis, o mais completo acervo de normas federais do País (de
1900 a 2011) com atualização diária, moderno sistema de pesquisa (por
número, assunto e data) e normas legais do dia
Acesse www.cenofisco.com.br e confira agora este benefício.

ICMS – Escrituração Fiscal Digital (EFD) – Obrigatoriedade

ISS – Alíquota – Assessoria e Consultoria em Informática

Legislação Federal ............................................................ 14

ICMS
– Ato Declaratório CONFAZ nº 16/11
Convênios ICMS nºs 109, 110, 111 e 112/11 – Ratificação
continua

Próprio para Ser Montado em Antena de Sistema de Recepção de Sinais de Satélite – Solução de Consulta nº 78/11 Classificação de Mercadorias – Placa de Som de Uso Externo (Off-Board) – Solução de Consulta nº 79/11 Classificação Fiscal – Tenda Quadrada – Solução de Consulta nº 80/11 Classificação de Mercadorias – Aparelho Destinado ao Armazenamento.......... • ISS – Portaria F/SUBTF/CIS nº 199/11 Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) – NOTA CARIOCA – 8º Sorteio – Resultado – Resolução SMF nº 2.700/11 Regime Especial – Emissão de Recibo Provisório de Serviço (RPS) – Prestação dos Serviços de Exibição Cinematográfica – Autorização – Alteração na Legislação • ISS/ITBI – Instrução Normativa SMF nº 13/11 Construção e Transmissão de Imóveis Edificados – Tributação – Procedimentos • ISS/Taxas – Portaria F/SUBTF/CIS nº 198/11 Código de Atividades Econômicas – Alteração 1a semana 16 ........................ com Alimentador (Feed)...........• IPI • ISS RJ ICMS Outros e Legislação Manual de Procedimentos ÍNDICE – CONTINUAÇÃO • Importação – Portaria SECEX nº 39/11 Procedimento Especial de Verificação de Origem não Preferencial • IPI – Decreto nº 7. • 16 ICMS – Portaria ST nº 783/11 Café Cru – Operações Interestaduais – Base de Cálculo Legislação Municipal ....... à Reprodução e à Distribuição de Áudio por meio de um Software – Solução de Divergência nº 13/11 Classificação de Mercadorias – Reforma da Solução de Consulta SRRF nº 98/99 – Tela de Cristal Líquido (TFT-AMLCD) 2 • No 49/11 Dezembro • Tributos e Contribuições Federais – Instrução Normativa RFB nº 1............. Própria para a Fabricação de Próteses de Restauração Dentária – Solução de Consulta nº 77/11 Classificação de Mercadorias – Equipamento Conversor de Frequências e Amplificador de Sinais................614/11 Redução de Alíquotas – Produtos Utilizados por Pessoas com Deficiência – Solução de Consulta nº 3/11 Classificação de Mercadorias – Ácido Tricloro Isocianúrico (Tricloro-S-Triazina-Triona) – Solução de Consulta nº 76/11 Classificação de Mercadorias – Mistura não Sinterizada de Pós de Cobalto e Cromo.........210/11 Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) – Alteração Legislação Estadual ....

ainda que. da Lei nº 2.949. logotipo e demais sinais distintivos).c. o Estado do Rio de Janeiro não possui legislação específica sobre o assunto. Incidência Por ocasião da saída do material promocional do estabelecimento gráfico que o confeccionou. por intermédio de vendedores ou representantes. Escrituração 5. a seguinte expressão: “Fora do campo de incidência do ICMS – Processo de Consulta nº E-04/385534/91 – DOE-RJ de 26/09/1994”.2. Incidência e Não Incidência a) como destinatário: o cliente. a nota fiscal que acobertar a saída do referido material será emitida sem o destaque do ICMS. na saída do material promocional do estabelecimento encomendante com destino ao de seu cliente para distribuição gratuita. encartes e outros impressos similares. está fora do campo de incidência do imposto. 3. SUMÁRIO 1. não há sujeição do ICMS. Material Promocional – Definição e Exemplos Os materiais promocionais são impressos de qualquer tipo que. b) a sua distribuição a clientes. Nota fiscal Tratando das operações descritas nas letras “a” e “b” do item 4 anterior. confeccionados por encomenda do usuário final. símbolo. gôndolas e expositores. são por este distribuídos para efeito publicitário. Não incidência 4. inciso XV. Incidência e Não Incidência 3. 40. catálogos com ofertas de produtos e serviços. ocorrerá incidência do ICMS.ICMS • IPI • ISS RJ Outros e Legislação Manual de Procedimentos ICMS Material Promocional – Tratamento Fiscal gratuita por parte do encomendante (art. com o objetivo de divulgar o produto por ela comercializado. o vendedor ou o representante. devendo na hipótese o documento fiscal expressar a seguinte observação: “Operação fora do campo de incidência do ICMS”. por meio do Processo de Consulta nº E-04/385. Material Promocional – Definição e Exemplos 3. a nota fiscal conterá: 3. e c) quando proveniente de outra Unidade da Federação. do comércio ou do serviço (monograma.949/6. 4. Considerações Iniciais O Estado do Rio de Janeiro não possui legislação específica sobre o assunto. 1a semana No 49/11 • 3 . faixas. c.534/91. considerando que o mesmo se destina à distribuição Dezembro b) como natureza de operação: “Distribuição gratuita de material promocional”. tendo sido contudo. Como mencionado no item 1. entretanto. displays. Como regra. folhinhas. Considerações Inicias 2. A título de exemplos podemos citar como material promocional: cartazes. Além dos mencionados requisitos. devendo constar na coluna “Informações Complementares”. Incidência 3. estes impressos trazem o nome comercial da empresa encomendante ou da marca da indústria. agendas.1. 4.657/96). 2.1. e c) CFOP 5. o qual decidiu que: a) a aquisição de material promocional para distribuição gratuita a clientes não gera crédito do ICMS. folhetos de propaganda.2. constitui fato gerador do diferencial de alíquotas. o assunto analisado pelo Fisco Estadual. Nota fiscal 4. § 4º. Procedimentos Fiscais 4. Conclusões 3. destinados à distribuição gratuita aos seus clientes. Procedimentos Fiscais 1. Não incidência Observe-se que.1.2.1. o Fisco Estadual analisou o assunto decidindo por determinados procedimentos os quais analisaremos nesta oportunidade.

• IPI • ISS RJ ICMS Outros e Legislação Manual de Procedimentos 4. Recaindo em dia não útil. aprovado pelo Decreto nº 27. sem destaque do ICMS. será considerada como referência a data da emissão do documento fiscal. – cinco dias corridos nos demais casos. e §§ 1º e 2º. A seguir. Na contagem dos mencionados prazos. fica o encomendante obrigado ao pagamento do diferencial de alíquotas. • Nota Fiscal – Prazo de Validade no Acobertamento do Trânsito de Mercadorias As notas fiscais emitidas para acobertar o transporte de mercadorias no território do Estado do Rio de Janeiro têm os seguintes prazos de validade. • 4 • No 49/11 Dezembro 1a semana . contados a partir da data de saída das mercadorias: – três dias corridos. b) no Livro de Saídas. Escrituração A escrituração será efetuada: a) no Livro de Entradas nas colunas” Valor Contábil e Outras”. de 12/05/1988: “ICMS – Nota Fiscal – Prazo de Validade. incisos I e II. a contagem será feita a partir do dia útil subsequente. o dia do início ou do término. Dia do início é aquele indicado na nota fiscal correspondente à data da saída das mercadorias do estabelecimento. 28. deverá conter em seu corpo a seguinte frase: “Fora do Campo de Incidência do ICMS”. Base legal: art. do Livro VI. na mesma linha em que for lançada a nota fiscal de aquisição ou transferência. Conclusões As seguintes conclusões devem ser seguidas: a) o material promocional ao sair da gráfica para o encomendante é tributado pelo ICMS. quer a aquisição se faça dentro do Estado ou fora dele. O prazo de validade da nota fiscal é contado em dias corridos. com destino a cliente. e – até a data do retorno na saída de mercadoria destinada à realização de operação fora do estabelecimento. inclusive por meio de veículo.086 (Pleno Conselho) publicada no DOE-RJ. Acrescenta-se que se for proveniente de outra Unidade da Federação. 5. exclui-se o dia do início e inclui-se o do vencimento. d) o documento fiscal referido no item anterior. a parcela relativa ao diferencial de alíquota será lançada na coluna “Observações” do Livro de Entradas. Se não houver esta indicação. somente ao final do período de apuração e transportada também para a coluna “Observações” do RAICMS. excluído o dia do início e incluído o do vencimento. b) a entrada do material promocional no estabelecimento da consulente deve ser devidamente escriturado no Livro Registro de Entradas sem o aproveitamento do crédito fiscal. do RICMS-RJ. Parte I. ainda que por meio de vendedor da empresa. conforme decide o Conselho de Contribuintes deste Estado. adquirido pela empresa para tal finalidade. Se o material provir de outra Unidade da Federação. quando o remetente e o destinatário estiverem localizados no mesmo município ou em municípios limítrofes. transcrevemos a Ementa do Acórdão nº 2. também nas colunas “Valor Contábil e Outras”. c) a saída interna ou interestadual de material promocional. Base legal: citada no texto. não começando sua contagem e nem se vencendo num domingo.2.427/00. deve ser acobertada por nota fiscal. feriado ou qualquer dia assemelhado que não seja considerado dia útil”.

além dos requisitos normalmente exigidos: a) no campo “Natureza da Operação”. 1a semana No 49/11 • 5 . transferência.1. Saídas destinadas a vitrinas isoladas. Nota fiscal de remessa de mercadoria para demonstração 7. Notas Fiscais – Modelos 7. consumo. tanto a contribuinte quanto a particular. Procedimentos Fiscais na Remessa e no Retorno 2. 196 do RIPI/10. e nos demais atos que citaremos no decorrer do texto. Dezembro Nas saídas de produtos a título de demonstração. inciso II. 3. Considerações Iniciais Nesta oportunidade.1. Base de Cálculo 4. inciso II. Na falta dos referidos valores. os contribuintes deverão observar os subtópicos a seguir. etc. Retorno 5. a base de cálculo do citado imposto será o total da operação de que decorrer a saída do produto do estabelecimento industrial ou a ele equiparado. Hipótese de aplicação da suspensão É de se observar que a suspensão do IPI prevista no art. doação. para caracterização do fato gerador. só se aplica aos produtos remetidos pelo estabelecimento industrial ou equiparado a industrial. b) no campo “CFOP”. 43. do RIPI/10. 4. inciso I.1.4. Segundo o referido RIPI/10 (art. Nota fiscal identificada como “entrada” relativa ao retorno simbólico de mercadoria enviada em demonstração a particular Assim. do RIPI/10). observado o valor tributável mínimo que não poderá ser inferior ao preço corrente no mercado atacadista da praça do remetente (arts. Estabelecimento transmitente (vendedor) 6. comercialização. Remessa Na remessa de produtos em demonstração. CFOPs 7. arrendamento. serão examinados os procedimentos a serem adotados na hipótese de remessa de produtos com a finalidade de demonstração. desfiles. comodato. 3. 1. os estabelecimentos industriais ou a eles equiparados devem emitir Nota Fiscal (Modelo 1 ou 1-A).ICMS • IPI • ISS RJ Outros e Legislação Manual de Procedimentos IPI Logo.2. Transmissão de Propriedade 5.). a expressão “Remessa para demonstração”. locação. Remessa 4. para efeitos da legislação do IPI. são irrelevantes: a) a destinação do produto (uso. diretamente à exposição em feiras de amostra e promoções semelhantes (exposição ao público em geral). e 195. 190.3.). Nota fiscal de retorno simbólico 7. Base de Cálculo Na remessa de mercadoria para fins de demonstração.912 (operações interestaduais). a operação de demonstração. beneficiamento. não são alcançadas pela suspensão do IPI as remessas para demonstração destinadas a contribuintes ou particulares (Parecer Normativo CST nº 78/73).912 (operação interna) ou 6.1. Procedimentos Fiscais na Remessa e no Retorno 4.2.1. b) o título jurídico atribuído à operação de importação ou de saída do produto do estabelecimento industrial ou equiparado a industrial (venda. Demonstração – Tratamento Fiscal SUMÁRIO 1. Fato Gerador 2. demonstração. industrialização. que deverá conter. Hipótese de aplicação da suspensão 2. Fato Gerador O fato gerador do IPI é o desembaraço aduaneiro de produto de procedência estrangeira ou a saída de produto do estabelecimento industrial ou a este equiparado. etc. Nota fiscal de transmissão de propriedade da mercadoria 7. 4. Estabelecimento adquirente 5.2. 4. é normalmente tributada pelo citado imposto. etc.3.212/10. cujo fundamento encontra-se no Regulamento do IPI. Considerações Iniciais 2. o código 5. 39). serão observadas as regras estabelecidas no parágrafo único do art.1. aprovado pelo Decreto nº 7.

o contribuinte. etc. o código 5.3. tais como: o número. no campo “Informações Complementares” o número. se adotada. Na saída dos produtos destinados a vitrinas isoladas. eventualmente. nas colunas sob o título “IPI – Valores Fiscais – Operações sem Crédito do Imposto – Outras”. o código 1.3. 371 do RIPI/10). nas colunas sob o título “IPI – Valores Fiscais – Operações sem Débito do Imposto”. desfiles. Promovido por não contribuinte a) emitir nota fiscal em nome do estabelecimento de origem. atendido ao que dispõe o inciso I do art. Transmissão de Propriedade d) no campo “Informações Complementares”. b. 195 do RIPI/10 (art. 5. o valor total e o valor do IPI incidente na operação. porém.101 (operação interestadual).1) no campo “Natureza da Operação”. 4. da data da emissão e do valor da nota fiscal emitida por ocasião da remessa para demonstração. a expressão “Transmissão de propriedade de mercadoria remetida em demonstração”. 5. deve-se atentar para os prazos especificados pela legislação do ICMS. c) no campo “Informações Complementares”. o destaque do IPI. 4.913 (operação interna) ou 6. a data da emissão e o valor da nota fiscal pela qual foi a mercadoria recebida em seu estabelecimento. como destinatário. a indicação do número. b. o retorno não tem qualquer benefício fiscal no âmbito do IPI. c) registrar a nota fiscal referida na letra “b” no Livro Registro de Saídas. ainda. nas colunas sob o título “IPI – Valores Fiscais – Operações sem Crédito do Imposto – Outras”. na qual será consignada como natureza da operação a expressão “Retorno simbólico de mercadoria em demonstração” – CFOP 5. a série.913 – sem destaque do IPI. além dos requisitos indispensáveis: a) no campo “Natureza da Operação”. tabela prática com os Códigos Fiscais de Operações e Prestações (CFOPs) aplicáveis às operações relativas à demonstração de mercadorias: 1a semana . os dados da nota fiscal emitida por ocasião da entrada da mercadoria em seu estabelecimento. deverá ser emitida pelo remetente originário Nota Fiscal (Modelo 1 ou 1-A) identificada como “Entrada”. a expressão “Retorno de mercadoria remetida para demonstração”. c) lançar a nota fiscal emitida pelo estabelecimento transmitente (vendedor). o código 5. 6 • No 49/11 O estabelecimento adquirente da mercadoria deverá: Dezembro O estabelecimento transmitente (vendedor) deverá: a) registrar a nota fiscal de retorno simbólico (veja a letra “a” do subitem 5. tais como o prazo para o retorno da mercadoria ou para a transmissão de sua propriedade. 6. por ocasião do retorno. outras indicações pertinentes à operação. c) no campo “Informações Complementares”. a seguir.1. se adotada. a data. 4. e o dispositivo legal ou regulamentar da legislação do ICMS que.913 (operação interna) ou 2. no Livro Registro de Entradas.101 (operação interna) ou 6. mencionando-se: b. o valor total e o valor do IPI incidente na operação. a série (se houver). Promovido por contribuinte Observados os prazos de retorno estabelecidos pela legislação do ICMS. o imposto. b) escriturar a nota fiscal mencionada na letra “a” no Livro Registro de Saídas. a série (se houver). Estabelecimento transmitente (vendedor) Por ocasião do retorno da mercadoria enviada para demonstração a não contribuinte. Referida nota fiscal servirá para acobertar o trânsito do produto em retorno ao estabelecimento de origem e conterá. deverá emitir Nota Fiscal (Modelo 1 ou 1-A) que conterá. b) emitir nota fiscal em nome do estabelecimento adquirente. com menção de que o IPI foi lançado nessa nota fiscal. mencionando-se.913 (operação interestadual). desfiles e outras demonstrações públicas. como destinatário. 5. Retorno Assim como na remessa para demonstração.3. calculado de acordo com a respectiva classificação fiscal e alíquota. na respectiva nota fiscal. b) no campo “CFOP”. tais como: o número. CFOPs Reproduzimos.2.3) no campo “Informações Complementares”. da série. a expressão “Retorno de mercadoria recebida em demonstração”.1) emitida pelo estabelecimento adquirente.913 (operações interestaduais).2) no campo “CFOP”. Estabelecimento adquirente 4.• IPI • ISS RJ ICMS Outros e Legislação Manual de Procedimentos c) nos campos próprios. será destacado. no Livro Registro de Entradas.1. nem prazo estipulado para o retorno.2. Saídas destinadas a vitrinas isoladas. disponha sobre benefício fiscal.2. nas colunas sob o título “IPI – Valores Fiscais – Operações sem Débito do Imposto – Outras”. além dos requisitos normalmente exigidos: a) no campo “Natureza da Operação”. b) no campo “CFOP”. os dados da nota fiscal emitida por ocasião da remessa do produto.

1. 7.130 Dormitório de Casal – “Bom Sono” CLASSIFICAÇÃO FISCAL SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA 9403.912 demonstração.102 propriedade).00.ICMS • IPI • ISS RJ Outros e Legislação Manual de Procedimentos CFOP Entradas CFOP Saídas 1.00 VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA 502.912/2.050. ENDEREÇO BAIRRO / DISTRITO CEP DATA DA SAÍDA / ENTRADA 10/11/2011 MUNICÍPIO FONE / FAX UF INSCRIÇÃO ESTADUAL HORA DA SAÍDA FATURA DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS 052. LTDA.912 Entrada de mercadoria ou bem recebido para 5.101/6.913/6.101 Venda de produção do estabelecimento (transmissão de propriedade).00 CNPJ / CPF DATA DA EMISSÃO 10/11/2011 Atacado de Móveis Rosana Ltda.50 10. 1.001 SAÍDA ENTRADA 1ª VIA EMITENTE: Nome / Razão Social: IND.107 Venda de produção do estabelecimento destinada a não contribuinte (transmissão de propriedade) – Operações interestaduais. 5. 1. Notas Fiscais – Modelos 7.552.913 Retorno de mercadoria ou bem recebido em demonstração. – – 6. Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros (transmissão de propriedade). Remessa de mercadoria ou bem para demonstração.912 INSCRIÇÃO ESTADUAL DO SUBSTITUTO TRIBUTÁRIO INSCRIÇÃO ESTADUAL DATA LIMITE PARA EMISSÃO DESTINATÁRIO REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL 00.00 UNIDADE QUANTIDADE VALOR UNITÁRIO VALOR TOTAL Conj.350.101/2.912/6.102 Compra para comercialização (transmissão de 5. 1. 70 – Centro – São Paulo Município: São Paulo Fone / Fax: Bairro/Distrito: Vilas das Merces UF: SP CEP: DESTINATÁRIO/ REMETENTE CNPJ NOTA COM EFEITO APENAS ILUSTRATIVO NATUREZA DA OPERAÇÃO CFOP Remessa para Demonstração 5.913/2. Endereço: Rua dos Cunhas.102/6.50 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL FRETE POR CONTA 1 EMITENTE 2 DESTINATÁRIO ENDEREÇO PLACA DO VEÍCULO MUNICÍPIO QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA UF CNPJ / CPF UF INSCRIÇÃO ESTADUAL 1 NÚMERO PESO BRUTO PESO LÍQUIDO DADOS ADICIONAIS RESERVADO AO FISCO N° DE CONTROLE DO FORMULÁRIO DADOS DA AIDF E DO IMPRESSOR RECEBEMOS DE (RAZÃO SOCIAL DO EMITENTE) OS PRODUTOS CONSTANTES DA NOTA FISCAL INDICADA AO LADO DATA DO RECEBIMENTO IDENTIFICAÇÃO E ASSINATURA DO RECEBEDOR NOTA FISCAL N° 001.108 Venda de mercadoria adquirida ou recebida de terceiros destinada a não contribuinte (transmissão de propriedade) – Operações interestaduais.50.&COM. 3 3.913 Retorno de mercadoria ou bem remetido em demonstração.J.102/2. DE MÓVEIS S. – – 6.050.001 Dezembro 1a semana No 49/11 • 7 .00 ALÍQUOTAS ICMS IPI 5% VALOR DO IPI 502. 5.101 Compra para industrialização (transmissão de propriedade). Nota fiscal de remessa de mercadoria para demonstração NOTA FISCAL N° 001.00 10.50 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE DE CÁLCULO ICMS SUBSTITUIÇÃO VALOR DO ICMS SUBSTITUIÇÃO – VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO VALOR TOTAL DOS PRODUTOS – OUTRAS DESPESAS ACESSÓRIAS 10.

50.552. J.2. Endereço: Rua das Telhas. LTDA.00 UNIDADE QUANTIDADE VALOR UNITÁRIO VALOR TOTAL Conj.003 SAÍDA ENTRADA 1ª VIA EMITENTE: Nome / Razão Social: Atacado de Móveis Rosana Ltda. 250 – Centro – São Paulo Município: São Paulo Fone / Fax: Bairro/Distrito: UF: SP CEP: DESTINATÁRIO/ REMETENTE CNPJ NOTA COM EFEITO APENAS ILUSTRATIVO NATUREZA DA OPERAÇÃO CFOP Retorno simbólico de mercadoria em demonstração 5.00 DESTINATÁRIO REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL CNPJ / CPF DATA DA EMISSÃO 17/11/2011 IND.50 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL PLACA DO VEÍCULO FRETE POR CONTA 1 EMITENTE 2 DESTINATÁRIO ENDEREÇO MUNICÍPIO QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA UF CNPJ / CPF UF INSCRIÇÃO ESTADUAL 1 NÚMERO PESO BRUTO PESO LÍQUIDO DADOS ADICIONAIS Mercadoria recebida por meio da Nota Fiscal nº 001. com IPI destacado no valor de R$ 502. & COM. RESERVADO AO FISCO N° DE CONTROLE DO FORMULÁRIO DADOS DA AIDF E DO IMPRESSOR RECEBEMOS DE (RAZÃO SOCIAL DO EMITENTE) OS PRODUTOS CONSTANTES DA NOTA FISCAL INDICADA AO LADO DATA DO RECEBIMENTO 8 • No 49/11 IDENTIFICAÇÃO E ASSINATURA DO RECEBEDOR NOTA FISCAL N° 003.00.00 ALÍQUOTAS ICMS IPI 5% VALOR DO IPI 502.• IPI • ISS RJ ICMS Outros e Legislação Manual de Procedimentos 7. no valor de R$ 10. 3 3.050.552.001. ENDEREÇO BAIRRO / DISTRITO CEP DATA DA SAÍDA / ENTRADA 17/11/2011 Rua dos Cunhas.350.50.00 VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA 10. 70 – Centro – São Paulo MUNICÍPIO FONE / FAX UF INSCRIÇÃO ESTADUAL HORA DA SAÍDA FATURA DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS 052.130 Dormitório de Casal – “Bom Sono” CLASSIFICAÇÃO FISCAL SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA 9403.050.50 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE DE CÁLCULO ICMS SUBSTITUIÇÃO VALOR DO ICMS SUBSTITUIÇÃO – VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO VALOR TOTAL DOS PRODUTOS – OUTRAS DESPESAS ACESSÓRIAS 10.00 10. DE MÓVEIS S. Nota fiscal de retorno simbólico NOTA FISCAL N° 003.50.913 INSCRIÇÃO ESTADUAL DO SUBSTITUTO TRIBUTÁRIO INSCRIÇÃO ESTADUAL DATA LIMITE PARA EMISSÃO 00.003 Dezembro 1a semana .

004 SAÍDA ENTRADA 1ª VIA EMITENTE: Nome / Razão Social: IND.050.050.50 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL FRETE POR CONTA 1 EMITENTE 2 DESTINATÁRIO ENDEREÇO MUNICÍPIO QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA PLACA DO VEÍCULO UF CNPJ / CPF UF INSCRIÇÃO ESTADUAL 1 NÚMERO PESO BRUTO PESO LÍQUIDO DADOS ADICIONAIS Mercadoria enviada por meio da nossa Nota Fiscal de remessa para demonstração nº 001. no valor de R$ 10.50.J.00 VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA 10.00 ALÍQUOTAS ICMS IPI VALOR DO IPI 502.004 Dezembro 1a semana No 49/11 • 9 .101 INSCRIÇÃO ESTADUAL DO SUBSTITUTO TRIBUTÁRIO INSCRIÇÃO ESTADUAL DATA LIMITE PARA EMISSÃO 00.50. & COM.00 UNIDADE QUANTIDADE VALOR UNITÁRIO VALOR TOTAL Conj. com IPI destacado no referido documento fiscal no valor de R$ 502. 3 3. Nota fiscal de transmissão de propriedade da mercadoria Destacamos que os dados pertinentes ao ICMS serão preenchidos de acordo com a legislação estadual.3.50 5% CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE DE CÁLCULO ICMS SUBSTITUIÇÃO VALOR DO ICMS SUBSTITUIÇÃO – VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO VALOR TOTAL DOS PRODUTOS – OUTRAS DESPESAS ACESSÓRIAS 10. de 10/11/2011.350.00 DESTINATÁRIO REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL CNPJ / CPF DATA DA EMISSÃO 16/11/2011 Atacado de Móveis Rosana Ltda.130 Dormitório de Casal – “Bom Sono” CLASSIFICAÇÃO FISCAL SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA 9403.001. NOTA FISCAL N° 004.ICMS • IPI • ISS RJ Outros e Legislação Manual de Procedimentos 7. RESERVADO AO FISCO N° DE CONTROLE DO FORMULÁRIO DADOS DA AIDF E DO IMPRESSOR RECEBEMOS DE (RAZÃO SOCIAL DO EMITENTE) OS PRODUTOS CONSTANTES DA NOTA FISCAL INDICADA AO LADO DATA DO RECEBIMENTO IDENTIFICAÇÃO E ASSINATURA DO RECEBEDOR NOTA FISCAL N° 004. ENDEREÇO BAIRRO / DISTRITO CEP DATA DA SAÍDA / ENTRADA 16/11/2011 MUNICÍPIO FONE / FAX UF INSCRIÇÃO ESTADUAL HORA DA SAÍDA FATURA DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS 052. Endereço: Rua dos Cunhas.50.00 10.00. DE MÓVEIS S.552. 70 – Centro – São Paulo Município: São Paulo Fone / Fax: Bairro/Distrito: Vilas das Merces UF: SP CEP: DESTINATÁRIO/ REMETENTE CNPJ NOTA COM EFEITO APENAS ILUSTRATIVO NATUREZA DA OPERAÇÃO CFOP Transmissão de propriedade de mercadoria remetida em demonstração. 5.552. LTDA.

de 10/11/2011.517. 125 – Jardim Fortuna – São Paulo (SP). portador do RG nº 00.50.• IPI • ISS RJ ICMS Outros e Legislação Manual de Procedimentos 7. 125 – São Paulo MUNICÍPIO FONE / FAX UF INSCRIÇÃO ESTADUAL HORA DA SAÍDA FATURA DADOS DO PRODUTO CÓDIGO PRODUTO DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS 052. Endereço: Rua dos Cunhas.50 TRANSPORTADOR / VOLUMES TRANSPORTADOS NOME / RAZÃO SOCIAL FRETE POR CONTA 1 EMITENTE 2 DESTINATÁRIO ENDEREÇO PLACA DO VEÍCULO MUNICÍPIO QUANTIDADE ESPÉCIE MARCA UF CNPJ / CPF UF INSCRIÇÃO ESTADUAL 1 NÚMERO PESO BRUTO PESO LÍQUIDO DADOS ADICIONAIS Mercadoria enviada com a nossa Nota Fiscal de remessa para demonstração nº 001.350.130 Dormitório de Casal – “Bom Sono” CLASSIFICAÇÃO FISCAL SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA 9403.00 3. 70 – Centro – São Paulo Município: São Paulo Fone / Fax: Bairro/Distrito: Vilas das Merces UF: SP CEP: DESTINATÁRIO/ REMETENTE CNPJ NOTA COM EFEITOS APENAS ILUSTRATIVO NATUREZA DA OPERAÇÃO CFOP Transmissão de propriedade de mercadorias remetidas em demonstração 5.00.000.001.50 CÁLCULO DO IMPOSTO BASE DE CÁLCULO DO ICMS VALOR DO ICMS BASE DE CÁLCULO ICMS SUBSTITUIÇÃO VALOR DO ICMS SUBSTITUIÇÃO – VALOR DO FRETE VALOR DO SEGURO VALOR TOTAL DOS PRODUTOS – OUTRAS DESPESAS ACESSÓRIAS 3. 16/11/2001 (as) Antônio Mello RESERVADO AO FISCO N° DE CONTROLE DO FORMULÁRIO DADOS DA AIDF E DO IMPRESSOR RECEBEMOS DE (RAZÃO SOCIAL DO EMITENTE) OS PRODUTOS CONSTANTES DA NOTA FISCAL INDICADA AO LADO DATA DO RECEBIMENTO IDENTIFICAÇÃO E ASSINATURA DO RECEBEDOR NOTA FISCAL N° 005.000. residente na Rua Maranhão. LTDA. São Paulo.350. & COM. DE MÓVEIS S. Valor do IPI = R$ 167. Antônio Mello. 1 3.101 INSCRIÇÃO ESTADUAL DO SUBSTITUTO TRIBUTÁRIO INSCRIÇÃO ESTADUAL DATA LIMITE PARA EMISSÃO 00.350.00 UNIDADE QUANTIDADE VALOR UNITÁRIO VALOR TOTAL Conj. no valor de R$ 3.517.50. Nota fiscal identificada como “entrada” relativa ao retorno simbólico de mercadoria enviada em demonstração a particular NOTA FISCAL N° 005.005 SAÍDA ENTRADA 1ª VIA EMITENTE: Nome / Razão Social: IND.00 ALÍQUOTAS ICMS IPI 5% VALOR DO IPI 167.00 VALOR TOTAL DO IPI VALOR TOTAL DA NOTA 3.00 DESTINATÁRIO REMETENTE NOME / RAZÃO SOCIAL CNPJ / CPF DATA DA EMISSÃO 16/11/2011 Ambrossio de Mello.005 Base legal: citada no texto.4.40 Devolução pelo Sr. ENDEREÇO BAIRRO / DISTRITO CEP DATA DA SAÍDA / ENTRADA 16/11/2011 Jardim Fortuna Rua Maranhão. • 10 • No 49/11 Dezembro 1a semana .J.

5. Reconhecimento da Isenção Nos termos do art. VII – Entidades Nacionais e Regionais de Administração de Desporto Olímpico ou Paraolímpico.ICMS • IPI • ISS RJ Outros e Legislação Manual de Procedimentos ISS MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Copa do Mundo – Jogos Olímpicos e Paraolímpicos SUMÁRIO 1. VIII – Mídia credenciada aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. 3. Dezembro 5. § 1º. 3. 5º da Resolução SMF nº 2. Protocolizado o pedido de isenção ficará automaticamente suspensa a exigência de pagamento prévio da taxa até que a Gerência de Consultas Tributárias decida quanto ao pedido de reconhecimento da isenção. II – Comitê Olímpico Internacional. VI – Comitês Olímpicos e Paraolímpicos de outras nacionalidades. 16 da Lei nº 5. da Resolução SMF nº 2. da Coordenadoria de Consultas e Estudos Tributários. 4. 1. 4º da Resolução acima citada estão isentas das taxas instituídas e cobradas pelo Município do Rio de Janeiro.699/11 vem disciplinar a aplicação da isenção das taxas instituídas e cobradas pelo município prevista na Lei nº 5. assinada pelo Presidente da entidade ou preposto devidamente habilitado.699/11 o pedido de reconhecimento da isenção objeto da presente matéria será protocolizado junto ao órgão responsável pelo licenciamento ou autorização para o exercício da atividade objeto do pedido. Isenção Nos termos do art.230/10. IV – Federações Internacionais Desportivas. • 1a semana No 49/11 • 11 . de que a atividade objeto do pedido está diretamente relacionada à organização ou à realização dos Jogos Rio 2016. A não comprovação dos requisitos da isenção acarretará o indeferimento do pedido e a exigência de pagamento da taxa com os devidos acréscimos legais. 2.699/11. ou X – Emissora anfitriã dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016 – Host Broadcasting. Sem prejuízo dos demais documentos exigidos na legislação. Introdução Isenção Período da Isenção Reconhecimento da Isenção Requerimento da Isenção IX – Patrocinadores dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. V – Comitê Olímpico Brasileiro. III – Comitê Paraolímpico Internacional. Introdução Visando a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. 4º § 2º da Resolução acima citada o reconhecimento da isenção das taxas cobradas pelo município competirá à Gerência de Consultas Tributárias. 4º. Requerimento da Isenção Observado o art. conforme previsão contida no art. o pedido de isenção deverá ser acompanhado de declaração do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. Período da Isenção Nos termos do art. 2.230/10. a isenção das taxas se limita às operações realizadas no período compreendido entre 26/11/2010 e o 60º dia após o encerramento dos Jogos Paraolímpicos de 2016. as pessoas físicas e jurídicas a seguir enumeradas quando a atividade objeto do respectivo exercício do poder de polícia estiver diretamente relacionada à organização ou à realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016: I – Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. 4. da Secretaria Municipal de Fazenda. Base legal: citada no texto. o Município do Rio de Janeiro por meio da Resolução SMF nº 2.

Os estabelecimentos serão fiscalizados a qualquer tempo. nos termos das normas de posturas municipais. 12 • No 49/11 Dezembro 1a semana . por maioria. para manter a exigência fiscal. no prazo e forma previstos no Código Tributário Municipal. Matéria Técnica.• IPI • ISS RJ ICMS Outros e Legislação Manual de Procedimentos Alvará – Código de Posturas Por força do Decreto nº 30. No mérito. Benefício Fiscal. Recurso voluntário a que se nega provimento. Preliminar. Base legal: citada no texto. vencido o Conselheiro Antonio Soares da Silva que dava provimento – Acórdão nº 9. Perícia. aquela outra exigência há de subsistir na íntegra. verificando-se o empate e tendo este último no exercício regimental da Presidência. Incabível deferir-se a realização de perícia. inexistindo matéria técnica que fuja ao conhecimento dos julgadores. a fim de se verificar a manutenção das condições que possibilitaram o licenciamento. proferido o voto de qualidade pela rejeição.) Relator: Conselheiro Antonio de Pádua Pessoa de Mello Ementa ICMS. Obrigação Acessória. • JURISPRUDÊNCIA E OUTROS CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ICMS – BENEFÍCIO FISCAL – DIFERIMENTO – FECP Recurso nº 37.. Diferimento. e uma vez provada nesta a existência de operações em que é devido o tributo.144.022/2006 Recorrente: (. nos termos do voto do Relator. 117 do Código Tributário Municipal. foi rejeitada a preliminar tendo sido acompanhado pelo Conselheiro Charley Francisconi Velloso dos Santos.123 Processo nº E34/067. vencidos os Conselheiros Antonio Soares da Silva e João da Silva de Figueiredo que voltarem pelo acolhimento. configurará exercício de atividade sem autorização e sujeitará o infrator às multas e demais sanções previstas nas normas de posturas municipais. As guias para pagamento da Taxa de Licença para Estabelecimento serão emitidas nas Inspetorias Regionais de Licenciamento e Fiscalização (IRLF) ou disponibilizadas na internet para impressão direta pelo interessado. FECP (Fundo Estadual de Combate à Pobreza e Desigualdades Sócias). A autuação relacionada ao FECP decorre. que introduziu alterações no Código de Posturas. de uma outra autuação exigindo ICMS.. os Alvarás para funcionamento dos estabelecimentos localizados no Município do Rio de Janeiro somente serão expedidos após o deferimento do pedido e a comprovação do pagamento da Taxa de Licença para Estabelecimento. uma vez que os elementos constantes do processo são suficientes para a apreciação do litígio. nos termos de Resolução da Secretaria Municipal de Fazenda. declarando que adotava tal posição para ficar estabelecida uma coerência com a decisão proferida no Recurso nº 31. Decisão Pelo Voto de qualidade. relativo ao “ICMS-PRINCIPAL”. como regra geral. nos termos do art. foi negado provimento ao recurso voluntário. objeto do julgamento precedente.052/08. O exercício de atividade sem o cumprimento do requisito de prévio pagamento da taxa para concessão da autorização inicial ou das subsequentes.514.

da Lei nº 691/84 (Código Tributário do Município).289 Recorrente: Recorrido: Coordenador da Coordenadoria de Revisão e Julgamento Tributários Relator: Conselheiro Alfredo Lopes de Souza Junior Representante da Fazenda: Sérgio Dubeux Designado para redigir o voto vencedor: Conselheiro Roberto Lira de Paula Ementa I) ITBI – Partilha de Bens do Espólio – Quinhões Desiguais Resultantes de Disposição Testamentária – Fato Gerador – Inocorrência – A desigualdade dos quinhões na partilha dos bens do espólio. que negavam provimento ao recurso. Dezembro A alíquota do ISS nos serviços de assessoria e consultoria de informática é de 5%.753/03.ICMS • IPI • ISS RJ Outros e Legislação Manual de Procedimentos CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO ITBI – PARTILHA DE BENS DO ESPÓLIO – QUINHÕES DESIGUAIS RESULTANTES DE DISPOSIÇÃO TESTAMENTÁRIA – FATO GERADOR – INOCORRÊNCIA Recurso Voluntário nº 13. nos termos do voto do primeiro. fica vedado ao contribuinte obrigado à EFD a escrituração dos livros Registro de Saídas. Decisão Acorda o Conselho de Contribuintes. Registro de Entradas. 70 do Livro VI do RICMS-RJ. razão pela qual não há a ocorrência de fato gerador tributável pelo ITBI. Dirce Maria Sales Rodrigues e Domingos Travaglia. por maioria. Registro de Apuração do ICMS e Registro de Inventário? Qual a alíquota do ISS na prestação de serviços de assessoria e consultoria de informática? Não. I. nos termos do art. quando resultante de disposição testamentária. do RISS-RJ – Decreto nº 10. Recurso voluntário provido.345/2009 Acórdão nº 12. dar provimento ao recurso voluntário. De acordo com o § 4º do art. • CONSULTORIA CENOFISCO PERGUNTAS E RESPOSTAS ICMS – Escrituração Fiscal Digital (EFD) – Obrigatoriedade ISS – Alíquota – Assessoria e Consultoria em Informática O contribuinte obrigado à Escrituração Fiscal digital (EFD) deve continuar escriturando e imprimindo os livros Registro de Entradas. há de ser restituído nos termos do art. Vencidos os Conselheiros Relator. II) ITBI – Pagamento Indevido de Tributo – Repetição de Indébito – O pagamento indevido do tributo. Registro de Inventário e Registro de Apuração do ICMS de forma diversa. diante da inocorrência do fato gerador.514/91. não configura a prática de ato oneroso entre os herdeiros. Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis. inciso I.175 Processo nº 04/325. 19. nos termos do voto vencedor do Conselheiro Roberto Lira de Paula. 189. Base legal: citada no texto. • 1a semana No 49/11 • 13 . Decisão por maioria. Registro de Saídas. Base legal: citada no texto. alterado pelo Decreto nº 23.

SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 76.• IPI • ISS RJ ICMS Outros e Legislação Manual de Procedimentos LEGISLAÇÃO FEDERAL A íntegra da legislação mencionada encontra-se disponível no Cenofisco BD On-line. 110. PORTARIA SECEX Nº 39. de 09/11/2010. DE 11/11/2011 DOU de 16/11/2011 Importação Procedimento Especial de Verificação de Origem não Preferencial Sinopse: A Portaria SECEX nº 39/11 dispõe sobre o procedimento especial de verificação de origem não preferencial para fins de aplicação do disposto no art. DE 17/11/2011 DOU de 18/11/2011 IPI Classificação de Mercadorias – Ácido Tricloro Isocianúrico (Tricloro-S-Triazina-Triona) Sinopse: A Solução de Consulta nº 3/11 esclarece sobre a classificação fiscal da mercadoria 3808. SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 3. de fabricação chinesa. própria para a fabricação de próteses de restauração dentária. DE 01/09/2011 DOU de 21/11/2011 IPI Classificação de Mercadorias – Mistura não Sinterizada de Pós de Cobalto e Cromo. 110.614. DE 17/11/2011 DOU de 18/11/2011 IPI Redução de Alíquotas – Produtos Utilizados por Pessoas com Deficiência Sinopse: O Decreto nº 7. Própria para a Fabricação de Próteses de Restauração Dentária Sinopse: A Solução de Consulta nº 76/11 esclarece sobre a classificação fiscal do produto mistura não sinterizada de pós de cobalto e cromo. DE 16/11/2011 DOU de 17/11/2011 ICMS Convênios ICMS nºs 109.614/11 reduz a zero as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente sobre produtos utilizados por pessoas com deficiência. 111 e 112/11 – Ratificação Sinopse: O Ato Declaratório CONFAZ nº 16/11 ratifica os Convênios ICMS nºs 109. 14 • No 49/11 Dezembro 1a semana . ATO DECLARATÓRIO CONFAZ Nº 16. 111 e 112. 3º da Resolução CAMEX nº 80.9419 – Ácido Tricloro Isocianúrico (Tricloro-S-Triazina-Triona). DECRETO Nº 7. de 25/10/2011.

Dezembro 1a semana No 49/11 • 15 . SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 78. DE 01/09/2011 DOU de 21/11/2011 IPI Classificação de Mercadorias – Equipamento Conversor de Frequências e Amplificador de Sinais. SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 79.ICMS • IPI • ISS RJ Outros e Legislação Manual de Procedimentos SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 77. SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 80. com Alimentador (Feed). 2. próprio para ser montado em antena de sistema de recepção de sinais de satélite. SOLUÇÃO DE DIVERGÊNCIA Nº 13. Próprio para Ser Montado em Antena de Sistema de Recepção de Sinais de Satélite Sinopse: A Solução de Consulta nº 77/11 esclarece sobre a classificação fiscal da mercadoria equipamento conversor de frequências e amplificador de sinais. à reprodução e à distribuição de áudio por meio de um software. DE 11/11/2011 DOU de 21/11/2011 IPI Classificação de Mercadorias – Reforma da Solução de Consulta SRRF nº 98/99 – Tela de Cristal Líquido (TFT-AMLCD) Sinopse: A Solução de Divergência nº 13/11 reforma a Solução de Consulta SRRF/8ªRF/DIANA nº 98/99 – Mercadoria Tela de Cristal Líquido (TFT-AMLCD).4m ou 2m de lado com forma de um gazebo. DE 29/09/2011 DOU de 21/11/2011 IPI Classificação de Mercadorias – Aparelho Destinado ao Armazenamento. com alimentador (feed). à Reprodução e à Distribuição de Áudio por meio de um Software Sinopse: A Solução de Consulta nº 80/11 esclarece sobre a classificação fiscal do produto aparelho destinado ao armazenamento. DE 21/09/2011 DOU de 21/11/2011 IPI Classificação Fiscal – Tenda Quadrada Sinopse: A Solução de Consulta nº 79/11 esclarece sobre a classificação fiscal do produto tenda quadrada de 3m. DE 20/09/2011 DOU de 21/11/2011 IPI Classificação de Mercadorias – Placa de Som de Uso Externo (Off-Board) Sinopse: A Solução de Consulta nº 78/11 esclarece sobre a classificação fiscal do produto placa de som de uso externo (off-board) à máquina automática para processamento de dados (computador).

e dá outras providências. 16 • No 49/11 Dezembro 1a semana . DE 17/11/2011 DOE-RJ de 21/11/2011 ICMS Café Cru – Operações Interestaduais – Base de Cálculo Sinopse: A Portaria ST nº 783/11 fornece dados para o cálculo do ICMS nas operações interestaduais com café cru.183.210. de 19/08/2011. no período de 21 a 27/11/2011.210/11 altera a Instrução Normativa RFB nº 1. LEGISLAÇÃO MUNICIPAL A íntegra da legislação mencionada encontra-se disponível no Cenofisco BD On-line. que dispõe sobre o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). DE 17/11/2011 DOM-Rio de Janeiro de 18/11/2011 ISS Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) – NOTA CARIOCA – 8º Sorteio – Resultado Sinopse: A Portaria F/SUBTF/CIS nº 199/11 divulga o resultado do 8º sorteio de prêmios relativo à Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) – NOTA CARIOCA. PORTARIA ST Nº 783. LEGISLAÇÃO ESTADUAL A íntegra da legislação mencionada encontra-se disponível no Cenofisco BD On-line. DE 16/11/2011 DOU de 17/11/2011 Tributos e Contribuições Federais Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) – Alteração Sinopse: A Instrução Normativa RFB nº 1.698/11. previsto na Resolução SMF nº 2. PORTARIA F/SUBTF/CIS Nº 199.• IPI • ISS RJ ICMS Outros e Legislação Manual de Procedimentos INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1.

por Ato Oneroso (ITBI).700. quando o incorporador imobiliário acumular a qualidade de construtor da edificação e o contrato firmado com o adquirente evidenciar a existência de obrigação de entregar unidade imobiliária futura. nos casos de prestação dos serviços de exibição cinematográfica referidos no item 12.45. DE 11/11/2011 DOM-Rio de Janeiro de 16/11/2011 ISS/Taxas Código de Atividades Econômicas – Alteração Sinopse: A Portaria F/SUBTF/CIS nº 198/11 altera o Código de Atividades Econômicas 8. DE 17/11/2011 DOM-Rio de Janeiro de 18/11/2011 ISS Regime Especial – Emissão de Recibo Provisório de Serviço (RPS) – Prestação dos Serviços de Exibição Cinematográfica – Autorização – Alteração na Legislação Sinopse: A Resolução SMF nº 2. Realizada Inter Vivos. Dezembro 1a semana No 49/11 • 17 .700/11 altera o inciso IV do art. Atendimento de 2ª a 6ª feira. INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF Nº 13. que autoriza a adoção de regime especial para a emissão de Recibo Provisório de Serviço (RPS). do Grupo de Atividades 8 – Comércio Ambulante. Novo Telefone Suporte Técnico – Cenofisco (11) 3545 2919 Nossos profissionais continuam à sua disposição para esclarecer qualquer dúvida sobre instalação e operação dos produtos eletrônicos Cenofisco. PORTARIA F/SUBTF/CIS Nº 198. 2º da Resolução SMF nº 2. DE 17/11/2011 DOM-Rio de Janeiro de 18/11/2011 ISS/ITBI Construção e Transmissão de Imóveis Edificados – Tributação – Procedimentos Sinopse: A Instrução Normativa SMF nº 13/11 dispõe sobre a tributação do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) e do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis e Direitos a Eles Relativos. das 8h30 às 18h.02 da Lista de Serviços do art.637/10.9 – Artista Plástico. 8º da Lei nº 691/84.ICMS • IPI • ISS RJ Outros e Legislação Manual de Procedimentos RESOLUÇÃO SMF Nº 2.11.