You are on page 1of 170

Universidade do Sul de Santa Catarina

Hipertexto
Disciplina na modalidade a distância

Palhoça
UnisulVirtual
2006

hipertexto.indb 1

6/6/2007 14:10:16

hipertexto.indb 2

6/6/2007 14:10:55

Apresentação
Este livro didático corresponde à disciplina Hipertexto.
O material foi elaborado visando a uma aprendizagem autônoma,
abordando conteúdos especialmente selecionados e adotando uma
linguagem que facilite seu estudo a distância.
Por falar em distância, isso não significa que você estará
sozinho. Não esqueça que sua caminhada nesta disciplina
será acompanhada constantemente pelo Sistema Tutorial da
UnisulVirtual. Entre em contato sempre que sentir necessidade,
seja por correio postal, fax, telefone, e-mail ou Ambiente Virtual
de Aprendizagem. Nossa equipe terá o maior prazer em atendêlo, pois sua aprendizagem é nosso principal objetivo.
Bom estudo e sucesso!

Equipe UnisulVirtual.

hipertexto.indb 3

6/6/2007 14:10:55

hipertexto.indb 4 6/6/2007 14:10:55 .

Karla Grillo Hipertexto Livro didático Design instrucional Dalva Maria Alves Godoy Flavia Lumi Matuzawa 2ª edição revista e atualizada Palhoça UnisulVirtual 2006 hipertexto.indb 5 6/6/2007 14:10:55 .

e atual.br Site:www. e atual.Universidade do Sulde Santa Catarina UnisulVirtual. 28 cm. Matuzawa. Flavia Lumi. Flavia Lumi Matuzawa. Título. Godoy. 2006.unisul. design instrucional Dalva Maria Alves Godoy. Multimídia interativa. ISBN 85-60694-36-6 ISBN 978-85-60694-36-5 1. III.Copyright © UnisulVirtual 2006 N enhum a parte desta publicação pode ser reproduzida por qualquer m eio sem a prévia autorização desta instituição.br ReitorUnisul Gerson LuizJoner da Silveira Vice-Reitore Pró-ReitorAcadêm ico Sebastião Salésio Heerdt Chefe de gabinete da Reitoria Fabian Martins de Castro Pró-ReitorAdm inistrativo Marcus Vinícius Anátoles da Silva Ferreira Cam pusTubarão e Araranguá Diretor:Valter Alves SchmitzNeto Diretora adjunta:Alexandra Orseni Cam pusGrande Florianópolise Norte da Ilha Diretor:Ailton Nazareno Soares Diretora adjunta:Cibele Schuelter Cam pusUnisulVirtual Diretor:João Vianney Diretora adjunta:Jucimara Roesler Equipe UnisulVirtual Adm inistração Renato AndréLuz Valmir Venício Inácio Bibliotecária Soraya Arruda W altrick Coordenação dosCursos Adriano Sérgio da Cunha Ana Luisa Mülbert Ana Paula Reusing Pacheco Charles Cesconetto Diva Marília Flemming Elisa Flemming Luz Itamar Pedro Bevilaqua Janete Elza Felisbino Jucimara Roesler Lauro JoséBallock LuizGuilherme Buchmann Figueiredo LuizOtávio Botelho Lento Marcelo Cavalcanti Mauri LuizHeerdt Mauro Faccioni Filho Nélio Herzmann Onei Tadeu Dutra Patrícia Alberton Patrícia Pozza RafaelPete. Computação. – 2.virtual. Leandro Kingeski. 170 p. IV.7 G87 Grillo.88130-475 Fone/fax:(48)3279-1541 e 3279-1542 E-mail:cursovirtual@unisul. Pacheco.Educação Superiora Distância Cam pusUnisulVirtual Rua João Pereira dos Santos.da Silva Raulino Jacó Brüning Design Gráfico Cristiano Neri Gonçalves Ribeiro (coordenador) Adriana Ferreira dos Santos AlexSandro Xavier Evandro Guedes Machado Fernando Roberto Dias Zimmermann Higor Ghisi Luciano Pedro Paulo Alves Teixeira RafaelPessi Vilson Martins Filho Equipe Didático-Pedagógica Angelita MarçalFlores Carmen Maria Cipriani Pandini Carolina Hoeller da Silva Boeing Cristina Klipp de Oliveira Daniela Erani Monteiro W ill Dênia Falcão de Bittencourt Elisa Flemming Luz Enzo de Oliveira Moreira Flávia Lumi Matuzawa Karla Leonora Dahse Nunes Leandro Kingeski Pacheco Ligia Maria Soufen Tumolo Márcia Loch Patrícia Meneghel Silvana Denise Guimarães Tade-Ane de Amorim Vanessa de Andrade Manuel Vanessa Francine Corrêa Viviane Bastos Viviani Poyer Logística de Encontros Presenciais Caroline Batista (Coordenadora) Aracelli Araldi Graciele Marinês Lindenmayr JoséCarlos Teixeira Letícia Cristina Pinheiro Kênia Alexandra Costa Hermann Marcia Luzde Oliveira Priscila Santos Alves Logística de M ateriais Jeferson Cassiano Almeida da Costa (coordenador) Eduardo Kraus M onitoria e Suporte Rafaelda Cunha Lara (coordenador) Adriana Silveira Caroline Mendonça Edison Rodrigo Valim Francielle Arruda Gabriela Malinverni Barbieri Gislane Frasson de Souza Josiane Conceição Leal Maria Eugênia Ferreira Celeghin Simone Andréa de Castilho Vinícius Maycot Serafim Produção Industriale Suporte Arthur EmmanuelF. 303 Palhoça . 2. II. Palhoça : UnisulVirtual.) Projeto Gráfico e Capa Equipe UnisulVirtual Diagram ação RafaelPessi Revisão Ortográfica Simone Rejane Martins . . 3. I. rev.SC. : il. Karla Hipertexto : livro didático / Karla Grillo . ed. Dalva Maria Alves. Inclui bibliografia. 006. [Leandro Kingeski Pacheco].Silveira (coordenador) Francisco Asp ProjetosCorporativos Diane DalMago Vanderlei Brasil Secretaria de Ensino a Distância Karine Augusta Zanoni (secretária de ensino) Djeime Sammer Bortolotti Carla Cristina Sbardella Grasiela Martins James MarcelSilva Ribeiro LamuniêSouza Liana Pamplona Maira Marina Martins Godinho Marcelo Pereira Marcos Alcides Medeiros Junior Maria IsabelAragon Olavo Lajús Priscilla Geovana Pagani Silvana Henrique Silva Secretária Executiva Viviane Schalata Martins Tecnologia Osmar de Oliveira BrazJúnior (coordenador) Ricardo Alexandre Bianchini Rodrigo de Barcelos Martins Edição – Livro Didático Professora Conteudista Karla Grillo Design Instrucional Dalva Maria Alves Godoy Flavia Lumi Matuzawa Leandro Kingeski Pacheco (2ªedição rev. Sistemas hipertexto. Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Universitária da Unisul Créditos Unisul.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Sumário Apresentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .09 Plano de estudo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57 Linguagem na Internet . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 Comunicação e Linguagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .15 Conteúdo hipertextual na Internet . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 137 Para concluir o estudo . . . . . . . . . . . . hipertexto. . . . . . . . . . . . . . . Sobre a professora conteudista . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .03 Palavras da professora . . . . . . . . . . . . . . . Respostas e comentários das atividades de auto-avaliação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .indb 7 153 155 163 165 6/6/2007 14:10:56 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 105 Jornalismo on-line . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 79 Técnicas de textos publicitários e jornalísticos para web . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11 UNIDADE UNIDADE UNIDADE UNIDADE UNIDADE UNIDADE 1 2 3 4 5 6 – – – – – – O Hipertexto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Sugestões bibliográficas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

indb 8 6/6/2007 14:10:56 .hipertexto.

hipertexto. Cada vez mais as cidades do interior estão mais perto do poder econômico dos grandes centros urbanos. nesse sentido. sendo que elas passam a fazer tudo acompanhando a velocidade dos equipamentos. Ficamos temerosos que as mudanças nos façam perder aquilo que tínhamos. esta disciplina tem como finalidade principal mostrar a você as mudanças e como elas têm afetado nossos conceitos de ler e escrever. a tecnologia tem mudado o mundo que conhecemos muito rapidamente. Para que possamos entendê-las devemos percorrer o mundo do virtual e do ciberespaço conhecendo as principais conceituações e características deste novo mundo. a tecnologia exige das pessoas adaptação a essas mudanças. mesmo que a mudança seja para melhor. Cada vez mais as pessoas estão trabalhando em casa. Quanto mais a tecnologia se desenvolve. telefone. devido às facilidades tecnológicas como internet. E. modem. nosso sentido de espaço e de distância. As grandes distâncias estão menores. o jeito de nos comunicarmos e nos relacionarmos com as pessoas. Por isso. etc. Mola mestra do desenvolvimento e da evolução das sociedades. Tudo que é novo ou que possibilita mudanças gera uma certa tensão de nossa parte. mais rápida fica a vida das pessoas que trabalham com ela.Palavras da professora Bem-vindo à disciplina de Hipertexto.indb 9 6/6/2007 14:10:56 . fax.

O objetivo principal dessa disciplina é desenvolver habilidades que lhe propiciem e facilitem a capacidade de criar. relativos tanto aos aspectos da linguagem hipertextual.indb 10 6/6/2007 14:10:56 . Para tanto estudaremos os novos conceitos e paradigmas criados pela tecnologia da WEB. levando em consideração a facilitação da leitura e a interatividade. navegando pelas formas de comunicação da internet. pela publicidade e pelo jornalismo. do discurso e da dialética. e passaremos inclusive. Entender isso tudo é fundamental para um posterior exercício da profissão e oportuniza seu aperfeiçoamento profissional. Professora Karla Grillo 10 hipertexto. conheceremos o que é hipermídia e hipertexto. analisar e criticar ambientes na WEB.Universidade do Sul de Santa Catarina Estas mudanças permitiram a criação de novas formas de se lidar com o conhecimento e com a informação.

indb 11 6/6/2007 14:10:56 . São elementos desse processo:  o livro didático. a construção de competências se dá sobre a articulação de metodologias e por meio das diversas formas de ação/ mediação.Plano de estudo O plano de estudos visa a orientá-lo/a no desenvolvimento da Disciplina. Nele. Técnicas de textos publicitários e jornalísticos aplicados na web. Manutenção e atualização de conteúdo textual. a distância e presenciais).  o Espaço UnisulVirtual de Aprendizagem . observando conceitos de hipertexto. Redação de websites conforme tipo e estilo da aplicação.  o Sistema Tutorial. você encontrará elementos que esclarecerão o contexto da Disciplina e sugerirão formas de organizar o seu tempo de estudos. hipertexto. critérios para facilitação da leitura no ambiente web e a promoção da interatividade. Ementa Conteúdo hipertextual na Internet.  as atividades de avaliação (complementares. Assim. associados à concepção gráfica do ambiente.EVA. objetividade e qualidade da linguagem. O processo de ensino e aprendizagem na UnisulVirtual leva em conta instrumentos que se articulam e se complementam.

com base no cronograma da disciplina disponibilizado no EVA.  Não perca os prazos das atividades. O sucesso nos seus estudos depende da priorização do tempo para a leitura. organize-se para acessar periodicamente o espaço da Disciplina. 12 hipertexto.indb 12 6/6/2007 14:10:56 . Registre no espaço a seguir as datas. Carga horária A carga horária total da disciplina é de 60 horas-aula. Agenda de atividades/ Cronograma  Verifique com atenção o EVA. e da interação com os seus colegas e tutor. analisar e criticar ambientes na WEB relativos ao aspecto da linguagem hipertextual objetivando a facilitação da leitura dos mesmos pelos usuários e buscando sempre a melhor a interatividade.Universidade do Sul de Santa Catarina Objetivo geral O objetivo principal dessa disciplina é desenvolver habilidades que propiciem ao aluno a capacidade de criar.  Use o quadro para agendar e programar as atividades relativas ao desenvolvimento da Disciplina. da realização de análises e sínteses do conteúdo. incluindo o processo de avaliação.

Hipertexto Atividades obrigatórias Demais atividades (registro pessoal) 13 hipertexto.indb 13 6/6/2007 14:10:56 .

indb 14 6/6/2007 14:10:56 .hipertexto.

 Compreender o conceito de hipertexto e identificar quais são as suas características. o que é hipertexto? hipertexto. Seções de estudo Seção 1 O que é virtual? Seção 2 Ciberespaço. Seção 3 Afinal.indb 15 6/6/2007 14:10:57 .UNIDADE 1 Hipertexto 1 Objetivos de aprendizagem  Entender o que significa virtual e ciberespaço.

Universidade do Sul de Santa Catarina

Para início de conversa
O mundo como nós conhecemos está mudando. Estas mudanças
estão inseridas tanto na nossa vida pessoal como na profissional.
Um dos componentes mais importantes destas mudanças é o
advento da internet e sua utilização cada vez maior.
Para que possamos fazer parte deste novo mundo devemos
estar inseridos neste “novo andar” precisando para isso quebrar
paradigmas, rever conceitos, reaprender a ler, escrever e
comunicar-se.
Convido você a conhecer um pouco mais destes novos conceitos
para possibilitar sua entrada neste novo mundo – o virtual.

SEÇÃO 1 – O que é virtual?

Figura 1.1 - página principal do banco do brasil.

Virtual é um dos termos mais usados nos dias de hoje. Apenas
para começar a definir, podem ser virtuais o nosso universo,
nossa comunidade, nossos relacionamentos. Podemos também ter
empresas, amigos e animais virtuais.

16

hipertexto.indb 16

6/6/2007 14:10:57

Hipertexto

Virtual é tudo aquilo que não é palpável, que não se
pode pegar ou ver, o que é abstrato. Chamamos de
mundo virtual o ambiente de comunicação que é feito
na internet. (PARENTE, 1999).

Verifique o seguinte exemplo: a maioria das pessoas tem conta
em um banco. Para pagar suas contas ou sacar algum dinheiro
elas precisam passar no banco. Esse banco pode ser real, com
endereço, mesa, cadeira, gente ou pode ser virtual, quando da sua
casa, do seu computador, você acessa todos os serviços que quiser.

Na área da computação, virtual é qualquer coisa que
não é real, mas que a nossa imaginação a transforma
em algo que nos parece familiar, para nosso melhor
entendimento. (Fonte: <www.viphostsystem.com/
glossario/glossario.html>, acesso em: 26/11/05.)

Quando você vê endereços de internet como PontoFrio.com você
entende que é uma loja de eletroeletrônicos. Você já conhece a
loja e provavelmente já tenha comprado algo lá. Por isso não lhe é
estranho. Você tem um referencial real.

Figura 1.2 - página principal da loja Ponto Frio.

Unidade 1

hipertexto.indb 17

17

6/6/2007 14:10:57

Universidade do Sul de Santa Catarina

No dia-a-dia a palavra virtual é utilizada no sentido
de um lugar intangível, ilusório. O lugar existe mas
não é palpável, não tem um território definido.

Para esclarecer um pouco mais, imagine-se em uma situação
de sala de bate-papo (chat). Onde fica essa sala? Como ela é
mobiliada? Qual a cor das paredes? Na verdade, esse lugar
não existe. Você tem apenas um endereço que acessa em seu
computador via internet e a partir desse “local” você pode
conversar, via texto, com quem quiser.
Agora que você estudou o que é virtual, verá o que é ciberespaço
e poderá perceber que o ciberespaço não existiria sem o virtual.
Por falar nisso... o que é ciberespaço?
Veja na seção seguinte como as novas tecnologias criaram um
novo espaço de comunicação e entretenimento.

SEÇÃO 2 – Ciberespaço
Uma nova forma de viver tem sido
possibilitada pelas novas tecnologias
midiáticas, que trocou a noção que
tínhamos de tempo-duração, por
tempo-velocidade.
Essa nova noção de tempo é marcada
pela interatividade on-line, que altera
nosso sentido cultural de tempo e
espaço. Espaço esse que, como vimos,
não é real, existe apenas no imaginário, e que devido às novas
tecnologias possibilitou a criação de um novo entendimento do
que é o “espaço”.

18

hipertexto.indb 18

6/6/2007 14:10:57

Hipertexto As novas tecnologias de comunicação (computador. telefone celular. sem fronteiras. pode viajar no passado com as diversas escolas de arte. Lembra do banco. Esse meio é o chamado ciberespaço. www.indb 19 19 6/6/2007 14:10:57 . da sala de bate papo.. Além disso. por meio da internet. por meio dos contatos com novos grupos sociais. internet. você tem acesso ao histórico do museu. Vamos viajar. Lá você vai encontrar os pintores das mais belas obras brasileiras que representam a imagem de uma época e de um povo. isso sem falar na biblioteca na qual você pode ver quais as obras que estão à disposição para consulta. O ciberespaço se configura em um local em que viajamos sem mapas e com apenas uma “passagem” de acesso – WWW –.) permitem às pessoas se comunicarem e partilharem do mesmo meio. em que a proximidade está nas idéias. da loja do Ponto Frio? Esse espaço. e não mais na sua localização geográfica. econômicos e políticos. Unidade 1 hipertexto. Você quer um exemplo? Você já visitou um museu de arte? Não? Independente do motivo que não o tenha permitido visitar um museu de arte. O ciberespaço possibilita novas formas de ver o mundo. em busca de dados que podem conter uma sociedade ou um mundo inteiro. sem sair de casa e na hora que quiser. e não feche os olhos. abre possibilidade para os sonhos de muitos – uma aldeia global. você poderá conhecê-lo.. etc. Com apenas um clique em um endereço de internet escolhido você pode ir ao Masp (Museu de Artes de São Paulo).

Lavrador de Café. 1939 Figura 1. À medida que nos permitimos viajar e navegar pela internet.Di Cavalcanti. vamos criando o nosso espaço e lugar de intercâmbio. 1939. 1930.art. 20 hipertexto. Figura 1. vamos descobrindo lugares.Universidade do Sul de Santa Catarina <http://www.4 . caminhos e pessoas que não sabíamos que existiam e. ao mesmo tempo.3 . Cinco Moças de Guaratinguetá.indb 20 6/6/2007 14:10:57 .br> Lavrador de Café.Portinari.masp.

Por isso. visualizamos o mundo a partir do nosso computador. As distâncias hoje são rapidamente percorridas. jogos. namorando outro no Rio de Janeiro pelo chat de voz. até mesmo. Sem sair do lugar. “navegar é preciso”. Podemos estar “teclando” com um amigo em São Paulo. obras de arte. como em filmes de ficção de alguns anos atrás. ao mesmo tempo em que vemos nossa correspondência e ainda bisbilhotamos nossos filhos em casa via uma web câmera acoplada ao micro. Por meio de várias janelas abertas na tela. Nós estaremos cada vez mais conectados à internet. Viramos todos marinheiros? O termo “navegar” nunca foi tão usado como agora para designar movimentar-se dentro da internet. somadas às cidades reais. Neste novo tempo. Os meios de transporte e de comunicação transformaram aos poucos nossa noção de ir e vir a lugares distante ou não. estudar em Brasília e namorar em Roma. uma ”viagem” mais confortável no sentido de acelerar as conexões. novos cuidados com os softwares e projetos de interfaces proporcionarão. costumes. Tudo ficou mais perto e a “viagem” deixou de ser algo distante. seja no campo real ou no virtual.Hipertexto Com o advento das novas tecnologias.indb 21 21 6/6/2007 14:10:58 . nossa compreensão da geografia. conhecemos lugares. Exemplo disso é que a partir de nossas próprias casas podemos comprar livros em Nova Iorque. espaços criados pelas comunidades virtuais para que as pessoas possam se encontrar e existir. transformaram nosso entendimento do que é distância e. músicas. em casa. que de outra forma seria impossível ou custaria muito tempo e dinheiro. Na internet vamos a tantos lugares em tão pouco tempo que demos um nome a esses passeios: navegar. no lazer. como dizia Fernando Pessoa. a cada dia. pessoas. A limitação hoje é com relação à tecnologia disponível que possuímos e não mais com o espaço físico e o tempo. no trabalho. agilizar os downloads. abrir mais rápido as páginas da internet. empresas. Unidade 1 hipertexto. no carro. É possível estar em vários lugares ao mesmo tempo. vão existir cidades virtuais.

Os veículos eletrônicos estão a reconstituir uma tradição oral. de aldeia global de McLuhan. noções básicas e importantes para seguir nesse novo espaço de comunicação. já em 1980. O tempo e o espaço perdem o seu significado. 22 hipertexto. pondo todos os nossos sentidos em jogo.html>. acesso em: 26 de novembro de 2005) Até aqui você estudou sobre o que é virtual e o ciberespaço. Em The Medium is the Message. enquanto a imprensa nos destribalizou. visto que esse clique me pode fazer dar a volta ao mundo. Fornece meios a essas pessoas para comunicarem as suas mensagens ao resto do planeta. a Rede não existia. O que nos afasta da visão linear e seqüencial do paradigma da imprensa. Sem essas explicações seria muito difícil entender os capítulos seguintes nos quais nova linguagem e forma de comunicação estão se concretizando cada vez mais no nosso diaa-dia. Os veículos eletrônicos envolvem-nos a todos. a distância de um simples clique. Quando McLuhan delineou a sua visão em 1967. Seria essa realidade então a realização dos sonhos.indb 22 6/6/2007 14:10:58 . esta traz-nos a sua visão para materialização. Saiba mais sobre o conceito da aldeia global A teoria de McLuhan sobre a aldeia global descreveu o efeito da rádio nos anos 20 ao trazer até nós um contato mais rápido e mais íntimo com os outros do que alguma vez acontecera antes. Aí. McLuhan acreditava que. mais do que qualquer outro media. Não só se encontra aí uma nova visão multisensorial do mundo.Universidade do Sul de Santa Catarina conectando o mundo a todo o mundo. Vamos prosseguir a unidade explorando um pouco mais sobre o que é o hipertexto.pt/homepages/espaco/html/aldeia_global. pois cada site está disponível a todos. no entanto. (Disponível em: <http://www. McLuhan afirma que vivemos numa aldeia global. a mídia eletrônica nos retribalizou.citi. ele declara que essa mídia está a pôr-nos de novo em contato com as emoções tribais de que a imprensa nos tinha divorciado. A Rede providencia uma visão multisensorial da parte do mundo que nela está representada. mas agora também pessoas de qualquer parte deste podem comunicar como se vivessem numa aldeia. um acontecimento simultâneo em que o tempo e o espaço desapareceram.

definia um novo modo de produzir texto permitido pelos avanços tecnológicos. Unidade 1 hipertexto. pois a leitura é feita de interconexões à memória do leitor. os livros eram gigantescos. criado por Ted Nelson em 1965.. Italo Calvino são precursores do hipertexto.Hipertexto SEÇÃO 3 – Afinal.. o que é hipertexto? Era uma vez.indb 23 23 6/6/2007 14:10:58 . que utilizam hipertextos. que são encontrados a toda hora na literatura. A literatura impressa nos oferece diversos exemplos de hipertextos que permitem ao leitor uma leitura não-linear. e ainda eram mantidos acorrentados nas suas bibliotecas devido às dificuldades de reprodução. Quando pensamos em hipertexto lembramos logo de computadores e de internet. Esse termo. Hipertexto diz respeito ao nosso modo de ler e escrever. Autores como James Joyce. notas de rodapé e notas remissivas a outros textos. Jorge Luís Borges. aos índices e ao índex que remetem o leitor para fora da linearidade do texto”. difíceis de serem consultados. tais como: ilustrações. sem contar a falta de interesse de que o conhecimento fosse acessível a todos. As antigas anotações de Leonardo da Vinci (1452-1519) podem ser utilizadas como exemplo de hipertexto. mas essa é uma história antiga e não começa desse jeito. porque sua literatura não se prende a uma ordem linear. Há muitos séculos. Michel Burton. às referências do texto. Lemos (1996) lembra que todo texto escrito é um hipertexto no qual “o leitor se engaja num processo também hipermidiático. Robert Coover. Esses livros já tinham características hipertextuais. assim como diversos outros livros. já que a eles eram acrescentados comentários e interpretações importantes dos seus diversos leitores.

agregando. escrever e conhecer. Acrescentando.27). Veja a seguir algumas definições para hipertexto. Veja na imagem a seguir um exemplo de hipertexto: Na imagem você percebe vários textos e figuras no mesmo plano. por meio das quais os próprios leitores constroem a sua história com base em informações referenciais. A acessibilidade às informações nos dias de hoje estabelece.5 . é o que chamamos de hipertexto. Veja também que eles podem ser representados de diferentes formas. como nos exemplos a seguir. Figura 1. Fonte: www. Observe que no texto existem links em vermelho.com/ arte/ayuda. modificando o texto original e tornandoo um novo texto (LEÃO. armazenar e circular a informação.ed-dolmen. Ao clicar sobre eles. Hipertexto é uma narrativa de múltiplas possibilidades.exemplo de hipertexto. Esses novos meios tecnológicos mudaram completamente nossos conceitos a respeito do que é ler. Os leitores utilizam o hipertexto para traçar os caminhos e o desenvolvimento das ações. novas janelas textuais se abrem. p . agrupado de forma a fazer um outro texto.indb 24 6/6/2007 14:10:58 . 1999. O hipertexto é resultado direto das novas tecnologias no que diz respeito à maneira de registrar. Esse conhecimento que veio de diversas fontes. uma nova época no conhecimento humano.Universidade do Sul de Santa Catarina Os novos meios tecnológicos de manipular e lidar com a informação possibilitaram desenvolver mudanças radicais no conhecimento humano e na sua forma de lidar com ele.htm 24 hipertexto. sem precedentes.

organizadas de forma a permitir uma leitura (ou navegação) nãolinear.webshechos/antigua/Lframe. e à medida que você vai lendo. combinadas com imagens (animadas ou fi xas) e sons. Figura 1. Fonte: <http://www. Veja a imagem a seguir: Figura 1. associativamente (HEIM.Hipertexto Hipertexto também é um modo de interagir com textos diferentes interligando informações intuitivamente.exemplo de hipertexto Fonte: <www. vai formando um outro texto com as informações oriundas de cada um deles. baseada em indexações e associações de idéias e conceitos.html> Unidade 1 hipertexto.com/datos/images/hypertext1. sob a forma de links. 1993). Aqui você tem várias páginas que podem ser de autores diferentes. hipertexto é um conjunto de informações textuais. Os links agem como portas virtuais que abrem caminhos para outras informações.ilhn.7 .gif> Para Bairon (1995).exemplo de hipertexto.indb 25 25 6/6/2007 14:10:58 .6 .

de modo reticular. estende suas conexões em estrela. Os nós podem ser palavras. como em uma corda com nós. cada site é um hipertexto . 26 hipertexto.gif> Como você pôde perceber. seqüências sonoras. imagens. mas cada um deles. Idéia 1 Idéia 1 Idéia 1 Idéia 1 etc. páginas.sapo. uma espécie de texto. e construimos. Os itens de formação não são ligados linearmente.Universidade do Sul de Santa Catarina Para Lévy (1993) o hipertexto é um conjunto de nós ligados por conexões. Nó Y Nó X Nó Q Nó Z Nó B Figura 1. pode-se afirmar que o texto no formato hipertextual permite a concretização do que estudiosos chamaram de texto ilimitado. gráficos. Na internet. ou a maioria. Fonte: <http://trabalhohipermedia.do.8 .clicando em certas palavras acessamos novas informações sobre o mesmo tema. Sendo assim. documentos complexos que podem eles mesmos ser um hipertexto. que vai além desse.indb 26 6/6/2007 14:10:59 . o hipertexto é uma estrutura que está em uma posição superior à do texto. fazendo com que esses se distanciem da linearidade da página e se pareçam mais com uma rede. Ramal (2005) afirma que dentro do hipertexto existem vários links que permitem acessar o caminho para outras janelas. conectando algumas expressões com novos textos. nós mesmos.pt/images/texto_vs_ht2.exemplo de hipertexto.

Unidade 1 hipertexto.indb 27 27 6/6/2007 14:10:59 . fotos e outros elementos encontrados na obra impressa de modo eficaz sem a sensação de que sejam notas. citações. a) Modificação dos hábitos de leitura Diferentemente do texto de um livro convencional. O hipertexto consegue integrar notas.seqüencial. Tem múltiplas entradas e múltiplas formas de prosseguir. palavraschave) incentivam os leitores a se movimentarem de um título a outro de forma não. Um aspecto positivo decorrente do hipertexto é a crescente interdisciplinaridade que se estabelece como demolidora de fronteiras entre as áreas do conhecimento (MARCUSCHI. Segundo Marcuschi (2005) há maior liberdade de navegação pelas informações como se estivéssemos imersos em um continuum de discursos espalhados por imensas redes digitais. o hipertexto não tem uma única ordem de ser lido. fazendo suas próprias conexões (WANDELLI.Hipertexto O texto ilimitado é aquele que se expande para incluir as interpretações do leitor. 2005). citações. subverte os movimentos e redefine as funções dos constituintes textuais clássicos. Veja a seguir. Assim o leitor tem condições de definir interativamente o fluxo de sua leitura a partir de assuntos tratados no texto sem se prender a uma seqüência fi xa ou a tópicos estabelecidos por um autor. Os recursos como os links e elementos paratextuais (sinais. referências. Trata-se de uma forma de estruturação textual que faz do leitor simultaneamente co-autor do texto final. Podemos destacar algumas características inovadoras do hipertexto. bibliografias. imagens. ou seja. 2003). marcas. A leitura pode se dar em muitas ordens.

mas também cria novos textos à medida que mistura informações vindas de diversos autores para formar o seu texto. os direitos de autor como entidade permanente também se tornam mais evanescentes e difíceis de definir” (HEIM apud LANDOW. o que caracteriza o hipertexto como texto essencialmente interativo. acesso em: 25 de novembro de 2005) c) Suspensão da autoria Não significa que o material textual não tenha autoria. (Extraído de: http://www.htm.br/04/04pheine.inventario. 243). quando essa perde o seu posto ou o compartilha. perguntas e sugestões. os links permitem que o leitor tenha acesso a espaços virtuais utilizados para que ele possa interagir com o autor do texto virtual. 28 hipertexto.inventario.br/04/04pheine. ufba.indb 28 6/6/2007 14:10:59 .htm. ufba. acesso em: 25 de novembro de 2005) b) Acessibilidade a novos e diferentes dados Permite o estabelecimento constante de relações entre o texto que está sendo lido e outros textos aos quais ele se remete. (Extraído de: http://www. Entretanto. opiniões. Para Landow as concepções de autoria mantêm uma relação estreita com a forma de tecnologia de informação que prevalece em um dado momento. Ele é uma leitura participativa. p. Da mesma forma. em uma grande rede de relações e formações de sentido dentro da esfera textual. abrindo possibilidades de uma autoria coletiva e quebrando a idéia da “ecriture” como originária de uma só fonte. se modificam também as interpretações culturais de autoria. Baseando-se em Heim completa que: “à medida que se vai desfazendo o modelo de personalidade integrada e individual do autor.Universidade do Sul de Santa Catarina O hipertexto libera o leitor do autor do livro pela facilidade que dá a cada leitor de adicionar. estabelecendo assim uma ampla intertextualidade virtual. alterar ou simplesmente editar um outro texto. críticas. com comentários. 1995. O leitor não apenas agrega conhecimento nessa nova forma de leitura. em que o leitor também é o seu escrevente.

Hipertexto d) Hipertexto e intertextualidade O hipertexto. sendo assim. Esse livro didático é um bom exemplo de intertextualidade. de forma a trazer para o aluno a maior variedade possível de opiniões e estudos sobre o mesmo tema. em sua concepção.cedarnet. o que gera uma indefinida rede de inter-relações textuais.html> Unidade 1 hipertexto. Intertextualidade significa que tudo o que escrevemos está cheio de referências a outros textos e a ecos da nossa tradição cultural. especificamente para a preparação deste material.rede conceitual do hipertexto na tela do computador Fonte: <http://www.c . . todo e qualquer texto é somatório de outros textos.b A .indb 29 29 6/6/2007 14:10:59 .e E C Figura 1.d B .org/provider/style/hipertext. tem uma natureza associativa de pensamentos o que na literatura equivale ao conceito de intertextualidade.9 . visto que tudo que foi elaborado provém de leituras de diversos autores.

Nessa teia de relações preestabelecidas. Essa teia que se forma é uma espécie de labirinto. Nesses caminhos são estabelecidas associações determinadas por relações de semelhança entre temas e assuntos diferentes.Universidade do Sul de Santa Catarina e) O labirinto hipertextual O conceito de labirinto é bastante utilizado quando falamos de hipertexto. No hipertexto existem caminhos diferentes para se iniciar a leitura. 2002).indb 30 6/6/2007 14:10:59 . E não pára por aí. dentro de uma lógica temática.10 .rede conceitual do hipertexto em ambiente multijanelas Fonte: <http://www. Utilizarse de textos de diversos autores para formar o seu. Nó A Ligação B Ligação C Ligação D Nó Ligação Nó E Nó Nó Figura 1.cedarnet. de forma seqüencial.org/provider/style/hipertext. Buscar dados e informações dos mais diversos lugares sem sair de casa. cabe ao navegador/leitor o papel ativo na interpretação e construção de sentidos (LEÃO. Cada um desses caminhos se prolonga por meio de um número variável de páginas organizadas. Tudo isso é uma grande mudança na forma de se adquirir e trabalhar com o conhecimento. 30 hipertexto. Na próxima unidade você verá como trabalhar ainda mais com tudo isso.html> Ler no computador no lugar de um livro.

Espero que o conteúdo dessa unidade tenha contribuído para que você se situe nesse novo universo e a partir desses pontos conhecidos partirmos para vôos mais altos.Hipertexto Síntese Nesta primeira unidade você viu um pouco sobre o que é ser virtual e como funciona o ciberespaço. Mercado esse rico em criatividade.indb 31 31 6/6/2007 14:10:59 . Atividades de auto-avaliação 1) A seguir você vai encontrar duas fotos. Imagem 1 Imagem 2 Unidade 1 hipertexto. que sonhava com um mundo todo interligado e sem fronteiras. Conheceu também a teoria de aldeia global de McLuhan. e aprofundou seus conhecimentos de hipertextos iniciados na disciplina de Comunicação Visual. Estudou o quanto de virtual a nossa vida tem nos dias de hoje e as vantagens disso. interatividade e possibilidades a serem ainda exploradas. Tudo isso ajudou a criar um novo mercado de trabalho – o Webdesigner. Ambas representam um exemplo clássico de intertextualidade.

Universidade do Sul de Santa Catarina Com relação à imagem 1. considere o slogan: “Mon Bijou deixa sua roupa uma perfeita obra-prima”. a) Quem o ator está imitando/identificando? b) Por que é uma obra-prima? c) Qual o objetivo dessa identificação no anúncio? Com relação à imagem 2.indb 32 6/6/2007 14:11:00 . d) A que a Cruz de Malta remete? 32 hipertexto. responda as questões que seguem.

As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. 1995. Unidade 1 hipertexto.  . 1999. São Paulo: Editora 34.Hipertexto e) Que time usa a Cruz de Malta? f) Essa frase remete a que ditado? g) Qual o objetivo do enunciado? Saiba mais  LÉVY. Cibercultura.1996. O que é virtual? São Paulo: Editora 34. P.indb 33 33 6/6/2007 14:11:00 . São Paulo: Editora 34.  .

indb 34 6/6/2007 14:11:00 .hipertexto.

Seção 2 Interface e interatividade.UNIDADE 2 Conteúdo hipertextual na internet 2 Objetivo de aprendizagem  Identificar as características de um conteúdo hipertextual na internet. Seções de estudo Seção 1 Tecnologias intelectuais e novos paradigmas. hipertexto. Seção 3 Hipermídia.indb 35 6/6/2007 14:11:00 . Seção 4 Lexias e links.

br/>. Muitas dessas problemáticas estão relacionadas às novas linguagens oriundas dessa tecnologia que está ajudando a criar uma nova cultura e modificando as formas de produção e apropriação dos saberes. crenças e visões de mundo semelhantes. 2005) Extraído de : <www. Encontra-se na educação uma mudança significativa na concepção do conhecimento. uma nova visão de mundo como um todo integrado e não como uma simples somatória de partes isoladas. SEÇÃO 1 – Tecnologias intelectuais e novos paradigmas Estamos vivendo nos últimos dez anos profundas mudanças científicas e tecnológicas que alteraram não apenas questões práticas para nossa vida cotidiana. ALDRIGH. uma profunda transformação nas mudanças de pensamento e valores se apresenta. Com isso. 36 hipertexto. Nesta unidade. pois o importante agora é enfatizar o contexto e o diálogo. com.Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de conversa Na unidade anterior você estudou conceitos como virtual e ciberespaço que o ajudaram a se situar em relação aos assuntos que serão tratados em toda a disciplina. ampliando os horizontes e compartilhando valores. Acesso em: 01/12/2005) Esse novo mundo da comunicação permite a expansão de uma consciência grupal. (GARÇÃO. Você também pôde iniciar seus estudos em relação ao hipertexto que é tão importante na linguagem utilizada na internet.indb 36 6/6/2007 14:11:00 . você vai se aprofundar um pouco mais nas características que contribuem para tornar essa linguagem tão instigante. estamos falando de uma troca de mensagens com uma rede que se estende em todas as direções. Nesse sentido.mackenzie. como também trouxeram novas problemáticas.

. 59) Atualização e aprendizagem constantes A primeira modificação que percebemos com o advento e a utilização das novas tecnologias é a velocidade que os saberes e o conhecimento surgem e se renovam. além da automação em nossas casas e locais de trabalho. A quantidade de informações a que estamos expostos e a competitividade e dinamicidade do mercado atual de trabalho não nos deixam parar.. acredita que . foi-se esse tempo! Atualmente estudar é uma necessidade e exigência constantes. Em nenhuma outra época as competências adquiridas durante uma trajetória profissional tornaram-se obsoletas no final de uma carreira quanto nesta (LÉVY. competitividade e mudanças (LITTO. então eles a exorcizam em máquinas para poder jogar e rir com elas. Você lembra que em um tempo não muito distante as pessoas estudavam. Unidade 2 hipertexto. A única forma de não ficarmos por fora do que está ocorrendo neste novo mundo é por meio da aprendizagem constante. no íntimo. se formavam em uma faculdade e passavam o resto da vida trabalhando em uma mesma função sem ter de retornar ao banco escolar? Pois é. O sociólogo francês Jean Baudrillard.indb 37 37 6/6/2007 14:11:00 . O desenvolvimento tecnológico e o computador nos trouxeram. Confiar essa inteligência a máquinas libera-nos de toda a pretensão ao saber. (BAUDRILLARD.Hipertexto É neste momento que o uso das ferramentas e do potencial tecnológico tem que fazer parte das nossas habilidades se quisermos fazer parte deste futuro. descrêem da própria inteligência ou porque sucumbem ao peso de uma inteligência monstruosa e inútil.os homens criam máquinas inteligentes é porque. tanto pessoal como da empresa. 1992. novos padrões de complexidade. como confiar o poder a homens políticos nos dá a possibilidade de rir de qualquer pretensão ao poder.. 1999). p. 1996). considerado hoje um dos maiores críticos das novas tecnologias..

a imaginação (simulações). empresas. Tais tecnologias intelectuais favorecem novas formas de acesso à informação. knowbots. concerne à nova natureza do trabalho. economias. indústrias nacionais deverão deixar de existir. hipertextos.Universidade do Sul de Santa Catarina Nada será como antes Estamos vivendo uma Era de transformações. Você se lembra do sonho de Mc Luhan visto na unidade anterior? Toda e qualquer reflexão séria sobre o devir [prognóstico] dos sistemas de educação e formação na cybercultura deve apoiar-se numa análise prévia da mutação contemporânea da relação com o saber. nem à indução a partir da experiência. Surgem seguidamente suposições de uma sociedade mundial. A segunda constatação. 1992).indb 38 6/6/2007 14:11:00 . novos estilos de raciocínio e conhecimento. ou. Grandes mudanças ocorrerão tanto na nossa vida como na política e na economia. que não pertence nem à dedução lógica. Produtos. 2005) 38 hipertexto. a percepção (sensores digitais. tais como a simulação. globalização é a ordem do dia (REICH. ou ainda. simplesmente. aos mesmos modelos de consumo e a uma massificação cultural (RECUERO. os raciocínios (inteligência artificial. exteriorizam e alteram muitas funções cognitivas humanas: a memória (bancos de dados. como: navegação hipertextual. modelização de fenômenos complexos). agentes de software. Vivemos uma Era na qual tudo converge e os limites vão desaparecendo. telepresença. A esse respeito. (LEVY. caça de informações através de motores de procura. 2005). cujas conseqüências levariam a processos de unificação e adaptação. fortemente ligada à primeira. tecnologias. fichários digitais [numéricos] de todas as ordens). realidades virtuais). na qual a parte de transação de conhecimentos não pára de crescer. a primeira constatação envolve a velocidade do surgimento e da renovação dos saberes e do know-how. exploração contextual por mapas dinâmicos de dados. de uma economia mundial. uma verdadeira industrialização da experiência de pensamento. A terceira constatação: o ciberespaço suporta tecnologias intelectuais que ampliam.

Cada parte dessa rede é. novos estilos de raciocínio e de conhecimento.indb 39 39 6/6/2007 14:11:00 . cada vez mais. multiplica-se e transformase. 1996. pagar mensalidades da escola. e. p. A web mudou nossa vida A World Wide Web (www) foi rapidamente adotada pelos usuários da internet. organizada pela noção de prérequisitos e convergindo até saberes superiores.Hipertexto Resumindo: Estudar e aprender são. Hoje. que abre novos postos de trabalho até então desconhecidos. estruturada por níveis. Ao invés de uma educação representada por escalas lineares e paralelas. 159). que se reorganizam conforme os objetivos ou contextos e nos quais cada um ocupa uma posição singular e evolutiva” (LEVY. uma parte do estoque e um ponto de vista original sobre o referido estoque (LEVY. O advento da web em nossas vidas não mudou apenas a forma de aprender e obter informações. em fluxos. um pacote de informação e um instrumento de navegação. podemos fazer compras do supermercado pela internet. ao mesmo tempo. A web não pára de crescer: aumenta. não-lineares. 2005). prefere-se na atualidade “a imagem de espaços de conhecimentos emergentes. contínuos. Unidade 2 hipertexto. transformando-se em um dos principais eixos de desenvolvimento do ciberespaço. hoje. programas de conversação transformaram as relações e deram outro sentido ao “estar perto”. sem parar. namorar. trabalhar pela internet. aumentando assim o potencial de inteligência da coletividade.. Salas de bate papo. comprar passagem de avião. hoje é possível compartilhar os conhecimentos adquiridos com um grande número de indivíduos.. As invenções tecnológicas têm facilitado novas formas de acesso à informação. site de encontro. dois conceitos diferentes. fazer reserva de hotel para as férias. estudar. abertos. Além disso. mas também a forma de vermos o mundo. as pessoas e nos relacionarmos com elas. conhecer gente.

Universidade do Sul de Santa Catarina

A web mudou nosso jeito de ler o mundo
As notícias foram um dos carros-chefe da internet desde o seu
início. A necessidade de se manter informado unida à capacidade
de serviço em tempo real e ao caráter multimídia que a informática
dá à rede mundial de computadores foram pontos cruciais para o
desenvolvimento de uma nova forma de se fazer jornalismo.
Hoje, há muita facilidade para se acompanhar tanto fatos históricos
mundiais, como a guerra contra terroristas em várias partes do
planeta, quanto notícias mais corriqueiras, como a rodada de gols do
campeonato brasileiro do final de semana passado.
Basta um clique para que uma página se abra mostrando ao usuário
reportagens contextualizadas, galerias de fotos completas, vídeos,
fóruns e até mesmo o sistema de notícias minuto a minuto, serviço
esse criado pela equipe de notícias do portal Terra durante os ataques
terroristas aos Estados Unidos em 2001.
Durante os protestos sociais contra o G-8, o Banco Mundial, o FMI e
a globalização ocorridos em Seattle, nos Estados Unidos, em 1999,
e em Gênova, na Itália, em 2001, foram muitos os sites a publicarem
informações sobre os conflitos. Eram jovens manifestantes que,
munidos com máquinas fotográficas, denunciavam a truculência
policial e fatos que grandes veículos não publicavam. Com isso, foram
criados diversos centros de mídia independente, que mantêm uma
rede mundial de informações.
(Fonte: <tecnologia.terra.com.br/internet10anos>, acesso em: 01.12.2005)

Ficar por dentro do que está acontecendo no mundo ainda é
o assunto de maior interesse na internet. Ciências e música
agradam também, e muito, a dois terços dos usuários, enquanto
os demais assuntos dividem um pouco mais o interesse do
público. No entanto, há diferença de preferência de acordo com
sexo, idade ou nível de escolaridade quando se analisa esses
assuntos. Grande parte das pessoas que têm internet busca
informações do que está acontecendo por meio da consulta a
jornais on-line. A maioria das músicas que ouvimos hoje no carro,
no celular ou em casa é capturada da internet.

40

hipertexto.indb 40

6/6/2007 14:11:01

Hipertexto

Saiba mais
Entre no site de um dos jornais on-line disponíveis e
se conecte com o que acontece no mundo:
<http://www.folha.uol.com.br/>;
<http://oglobo.globo.com/online/default.asp>;
<http://jbonline.terra.com.br/>.

Pudemos perceber que nosso modelo de vida mudou muito.
Novos padrões de comportamento, de atitude e de comunicação
estão surgindo apoiados nas tecnologias que invadem o nosso
dia-a-dia. Esses padrões estão alicerçados na interatividade do
homem com a máquina e na sua forma de se relacionar com esta.

SEÇÃO 2 – Interface e interatividade
No início do século XX estudiosos já se preocupavam com a
relação homem-máquina, dando início ao que chamamos hoje
de interfaces e interatividade, mas foi na internet que isso ficou
mais forte.
A internet revolucionou a comunicação humana já que por meio
do computador o homem se relaciona com outras pessoas. E não
foram só os usuários que se interessaram pela internet, as grandes
empresas perceberam aí um forte canal para chegar aos seus
clientes, e, conseqüentemente, os clientes à empresa.
A necessidade de velocidade, tecnologia e comunicação imediata
fez das máquinas uma grande amiga do homem, afinal, muitas
pessoas são mais sociáveis sentadas em frente a um teclado do
que na vida real. Com a internet, um simples clicar no mouse traz
todo o conteúdo que se deseja, permitindo escolher como ser e
agir, sem culpas ou preconceitos.

Unidade 2

hipertexto.indb 41

41

6/6/2007 14:11:01

Universidade do Sul de Santa Catarina

O que é interatividade?
A interatividade é o diálogo entre o homem e a máquina, por
meio de uma zona de contato chamada interfaces gráficas em
tempo real, com o objetivo de cada vez mais aperfeiçoar esse
ponto de encontro, visando principalmente o contato direto com
a informação (LEVY, 1993).
Para conseguir interatividade devemos buscar diversas formas
de se trabalhar um texto, permitindo que o emissor consiga
transmitir a mensagem para o receptor, de maneira a possibilitar
que o leitor entenda adequadamente a mensagem. Segundo
Rokeby (1997), a interatividade só se define no momento em que
a obra reflete de volta para o nós as conseqüências de nossas
ações e decisões.

Veja o exemplo a seguir para ficar mais claro!
Você, por certo, já ouviu falar de interatividade.
Lembra do programa da TV Globo Você decide, que
tinha uma história que você decidia qual o final que
achava mais adequado? Pois bem, já era um início
de interatividade, pois permitia a participação do
telespectador no final da história. Dessa forma você
podia se comunicar por meio da máquina e decidir os
caminhos que queria percorrer.

A interatividade pode ser: 

reativa – é aquela que segue determinadas regras
existentes no programa por meio de padrões
preestabelecidos de interatividade. A comunicação
na verdade é simbólica e pouco criativa. Exemplo:
videogame; 

mútua – possibilita uma comunicação com trocas reais
de forma criativa e aberta. Nela a influência e a as
interferências influentes agem conjuntamente. Exemplo:
chat, formulários de compra, jogos, call center, etc.

42

hipertexto.indb 42

6/6/2007 14:11:01

Hipertexto

Algumas características vão marcar a interatividade entre os
usuários e as mídias digitais: 

feedback imediato, ou seja, cada ação do usuário
corresponde a uma reação praticamente simultânea da
máquina; 

os sistemas informatizados são concebidos de modo a
prever o número mais alto possível de perguntas e as
múltiplas combinações de respostas para que o usuário
tenha a impressão de estar interagindo de forma análoga
ao diálogo interpessoal e não perceba que a interação
se dá dentro de um número limitado de possibilidades
oferecidas pelo equipamento; 

capacidade de interagir de forma individualizada, em
oposição aos meios massivos tradicionais; 

possibilidade de manipulação do conteúdo da
informação.

O que é interface gráfica?
A interface gráfica é o meio pelo qual se dá o processo de
interatividade. Segundo Bairon (1995) a interface teria por
vocação “traduzir, articular espaços, colocar em comunicação
duas realidades diferentes”. Assim, a interatividade seria uma
espécie de “conversação” entre o homem e a técnica, por meio das
interfaces.
Quando Bill Gates estava criando o sistema de
arquivos Windows (janelas) utilizou elementos
simples e acessíveis. Abra qualquer arquivo do sistema
Windows e você reconhecerá o que deve fazer,
mesmo que esteja numa língua desconhecida.

Unidade 2

hipertexto.indb 43

43

6/6/2007 14:11:01

Universidade do Sul de Santa Catarina

Figura 2.2 - sistema de arquivos windows

Olhando o exemplo você percebe o desenho de pequenas pastas
tipo arquivo suspenso que em um arquivo real serviriam para
guardar documentos.
Viu como foi fácil?
Assim funciona todo o sistema Windows, utilizando elementos
gráficos que você reconheceria em qualquer lugar para lhe indicar
o que fazer.

Usabilidade, palavrinha difícil...
O diálogo entre o homem e a máquina se torna mais fácil ou
mais difícil dependendo da forma com que se dá o acesso ao
uso de diferentes interfaces. Esse acesso pode ser facilitado ou
não pela linguagem utilizada. É dessa forma que se define a
usabilidade de uma interface.

/www.usabilidoido.com.br/

Usabilidade é sinônimo de facilidade de uso. Se
um produto é fácil de usar, o usuário tem maior
produtividade, aprende mais rápido a usar, memoriza
as operações e comete menos erros. (OLIVERIO, 2005)

44

hipertexto.indb 44

6/6/2007 14:11:01

Hipertexto

Já que estamos falando sobre usabilidade, vamos visitar o site da
Gol (www.voegol.com.br) e experimentar fazer uma compra de
passagem aérea.

Figura 2.3 - página principal do site <www.voegol.com.br>

Um site com boa usabilidade deve prever as ações e os
pensamentos do usuário, permitindo que, de forma simples e
coerente, ele siga uma linha de raciocínio lógico. É essencial que
o usuário possa utilizar os serviços do site de forma prazerosa
e que chegue ao seu destino sem ficar confuso ou desistir de
procurar informações.
O grande desafio da usabilidade é oferecer, em tempo
real, para milhões de usuários de diferentes perfis
culturais e de diferentes experiências, interfaces que
sejam agradáveis de ver e de usar.

Boa usabilidade significa, então, facilitar a nossa vida. Imaginar
quais caminhos o usuário pode querer tomar, baseado no ponto
em que ele está em uma determinada pesquisa de informação.

Unidade 2

hipertexto.indb 45

45

6/6/2007 14:11:01

A interface de um ambiente deve ter como preocupação a experiência do usuário com o objetivo de permitir uma boa usabilidade. definir com clareza qual a mensagem a ser transmitida para que essa seja a base do seu trabalho de criação.org> hipermídia é .. (COOPER. afetam diretamente o usuário e podem fazer com que as pessoas deixem de consultá-lo e procurem outro site mais acessível. e sim a fusão desses meios a partir de elementos não-lineares. SEÇÃO 3 – Hipermídia Podemos encontrar na internet diversas conceituações e definições para hipermídia. Interfaces com ambientes flexíveis de estrutura não-linear de design são ideais para usuários experientes.indb 46 6/6/2007 14:11:02 . com sua própria gramática. Traduzida erroneamente como mero suporte. não é a mera reunião dos meios existentes. Sites muito lentos. Uma página de site deve ser desenvolvida com a utilização de elementos gráficos que ajudem a transmitir.. pois é muito difícil determinar exatamente os tópicos que atrairão a sua atenção e em que hierarquia. quando se cria um site.wikipedia. a mensagem desejada. com problemas técnicos e difíceis de navegar. diferentemente de multimídia. se colocar de novo vai ficar repetitivo.a união dos conceitos de não-linearidade (nãolinear). Para o site <pt. Hipermídia. hipertexto.Universidade do Sul de Santa Catarina Sites demorados para carregar e cujos downloads são demorados fazem a maioria das pessoas perderem a paciência. e sim como uma linguagem com características próprias. hipermídia não se configura só como meio de transmissão de mensagens. 46 hipertexto. 1995) É fundamental. de forma clara e inequívoca. interface e multimídia em uma só linguagem.

sinopse. Para melhor trabalhar com a hipermídia é necessário conhecer suas principais características. Unidade 2 hipertexto.html> ela é o somatório das propriedades do hipertexto com as propriedades da multimídia. etc. som. Vamos a elas:  possibilidade de fundir textos. buscar qualquer tipo de informação em qualquer lugar do mundo. gráficos. visto que ela é a combinação dos elementos gráficos que determinam o efeito que se quer provocar no usuário. utilizando ligações de hipertextos para permitir o acesso para outro documento. estudar a distância. de forma constante. visitar um museu. fazer compras.Hipertexto No site <www. tanto para quem escreve como para quem lê. por meio do computador você pode ver vídeos. textos e vídeos. imagem em movimento. participar de chats.  profusão e riqueza de informações.com.  entrelaçamento das narrativas. namorar. Já para <www.br/diciona. entre diversos documentos ou nós de uma rede.html> é a mídia que inclui gráficos. O termo hipermídia descreve as aplicações de multimídia interativas e não-seqüenciais que possuem hiperlinks entre diversos elementos como textos. sons.  possibilita estabelecer conexões entre as diversas mídias. acompanhar programas de TV e de rádio. conversar com amigos.intergate. ou ainda. sons e vídeos.  o leitor se vê. ler as últimas notícias no jornal de sua preferência. sons.br/suporte/glossario/glossario_g_h/glossario_g_h.htm> são documentos que contêm imagens. vídeos e animações.indb 47 47 6/6/2007 14:11:02 .com. ilustrações.info/gloss/gloss-h. No site <www. Atualmente.  permite maior interatividade.aisa. criando uma nova forma de organização da escrita (hipertexto). diante do inesperado e é instigado a se perguntar.

) A caminhada entre textos gera um novo texto.exemplo de lexia (Fonte: <royby. de uma página a outra. Afinal. Figura 2. e o leitor opera a passagem de um espaço textual a outro. ele abandona um território conhecido e penetra um outro. (LEÃO.com/hyper_ essay/images/5. modelado pelo leitor. de um fragmento a outro. que é o ponto que está dentro de um texto ou site antes de seguir um link. o que é lexia? Os blocos de informações têm o nome de lexia ou nó. por meio do desdobramento do espaço textual no qual as lexias e os links têm um papel importante. 90. Veja a representação de uma lexia na imagem a seguir.4 .Universidade do Sul de Santa Catarina SEÇÃO 4 – Lexias e links Quando um texto se apresenta em uma justaposição de textos que se encaixam uns nos outros.indb 48 6/6/2007 14:11:02 . p.gif> 48 hipertexto.

sons.5.yahoo. Ela sempre abre um novo espaço. disponível em: <http:// geocities. br/ciberliteratura/tese/>. cada ligação destes com outro bloco de informações são o que chamamos de link. levam o leitor a um ponto previamente programado pelo autor. Adair de Aguiar Neitzel.12. Entretanto. uma lexia pode ser formada por diferentes elementos além do texto. links são vínculos eletrônicos que ligam elementos e permitem ao usuário viajar de site em site segundo as trilhas do seu pensamento (JOHNSON. 2005). tal qual uma “janela” da qual se pode ver conexões com outros textos. exemplos. Em geral eles são do tipo direcional.com. Características e diferenças das lexias A imagem anterior mostra um exemplo de lexia formada basicamente por textos. vídeos.indb 49 49 6/6/2007 14:11:02 . 1997). Características e diferenças dos links São os links que permitem a realização de associações semânticas. repetindo para gravar melhor. os diversos “quadradinhos”. Além disso. ícones. como imagens. na qual é possível iniciar a leitura de qualquer ponto. Cada lexia revela uma porta pela qual o leitor pode entrar e conhecer outras informações (NEITZEL. ou seja. etc. Veja a seguir algumas características dos links. na página 50. A viagem do leitor se faz pelas lexias ou nós que formam a malha textual que é o hipertexto. Então. os links Unidade 2 hipertexto. As lexias passam a ter vida própria ao se libertarem da ordem linear e impõe um tipo de construção textual sintética. STEVEN.2005. a seguir. O relacionamento entre uma lexia e outra só é possível através da utilização dos links.Hipertexto Uma lexia é responsável pela peregrinação do leitor. comentários mais aprofundados sobre os temas. Se cada lexia é um bloco de informações. acesso em: 01. etc. já que é responsável pela peregrinação do leitor no conteúdo. Veja na figura 2.

isto é. Placas Geo. páginas da www que propiciam a interligação direta com um ponto específico de interesse no site anterior (LEÃO. O hipertexto é uma ferramenta para o escritor e.html>. em parte. Os hiperlinks são um tipo de ferramenta. conjuntivos. quando abrem janelas na mesma página por meio do clique ou pelo deslizar do mouse em áreas sensíveis. visto que permite ao escritor ou a grupos de autores conectar dados entre si. o hipertexto é uma estrutura. 2001). Essa ferramenta possibilita o aumento do potencial de conexões. pelo leitor que escolhe as ligações de sua preferência. composta por blocos de informação interligados e que permite ao usuário diferentes trajetos para a leitura. Acesso em: 01/12/05. ao mesmo tempo. em geral textual.rede conceitual de hiperlinks Fonte: <www. que levam o usuário a outro ponto do sistema. HOME PAGE A TERRA Geo.br/~hans/mh/fio. tornando a navegação mais complexa e rica.5 .org/pessoa/fp98/main. Externa Geo. Externa Erosão Sedimentação Sismos A LUA Geo.unicamp. uma espécie de menu de links.indb 50 6/6/2007 14:11:02 . Dessa forma o hipertexto é em parte criado pelo autor que o organiza e. Hipertexto para ser ligado ao final desse primeiro parágrafo Disponível em: <http://www. anotar textos já existentes e criar notas que remetam 50 hipertexto.Universidade do Sul de Santa Catarina podem ser disjuntivos. um meio para o leitor. Sísmica Figura 2. Interna Atmosfera Vulcões Tecl.estudar. Interna Atmosfera Act. conectando os dados e informações que mais lhe interessam. criar trajetos em um conjunto de material afim.html> Saiba mais sobre hipertexto Conforme você já estudou na unidade anterior.

O computador recupera para o leitor um espaço no qual ele tem chance de dialogar com o escritor e cria entre eles uma relação interativa.2005).. p..html> mh/fio. que permite ao leitor escolher e que se lê melhor em uma tela interativa.) entre documentos de diferentes autores de forma a relacioná-los e acessá-los rapidamente. A noção de autoria. 15)..html>. o estabelecimento de tais ligações e. “Os recursos tecnológicos hoje disponíveis facultam..) anotando seus escritos junto a escritos de outros autores e estabelecendo links (.2005).. no sentido em que ele traça o seu caminho. Hoje é possível a ação do leitor. 1999).unicamp.br/~hans/ berners_lee. 1995). 1995. se trata de uma série de blocos de textos conectados entre si por links.html>.unicamp.Hipertexto tanto a dados bibliográficos como ao corpo do texto em questão. se altera nesta nova época. numa experiência hipertextual. De acordo com a noção popular. Já o leitor pode navegar pelos textos anotados. referidos e conectados de forma ordenada (no sentido de que se ligam a um objetivo) mesmo que não-seqüencial (LANDOW. cada vez mais.br/~hans/mh/fio.estudar. “ (Fonte: <http://www. por meio da visualização das associações e dos comentários que elabora..indb 51 51 6/6/2007 14:11:02 .. se torna mais e mais concreta “ (FIGUEIREDO.12./ people-tim_ <http://www. já que esse permite ao leitor interferir sobre o texto que lê (Fonte: Fonte: <www. a intervenção do leitor. SEGUE Unidade 2 hipertexto. Devemos entender por ‘escritura não-seqüencial’ um texto que bifurca. acesso em: 01. com um mínimo de conhecimentos técnicos. acesso em: 01.org/. “.12.. escolhendo a sua própria aventura e interagindo com a história. que formam diferentes trajetos para o usuário (LANDOW.os hipertextos transferem parte do poder do escritor para o leitor pela possibilidade e habilidade que este último passa a ter de escolher livremente seus trajetos de leitura (. que tornava aquele que escreve possuidor de um produto para ser reproduzido e lido.

unicamp. tal como o meio eletrônico lhe possibilita.br/~hans/mh/fio.12. acesso em: 01.html>. p. de maneira não-linear servem para destacar a importância do leitor na “escrita” de um texto. “A reflexão sobre o hipertexto recoloca também em debate a questão da propriedade intelectual.indb 52 6/6/2007 14:11:03 . 52 hipertexto. 243).unicamp. acesso em: 01.html>.12. simplesmente por meio de sua reorganização enfatizando diferentes pontos que podem. preocupados em que se cumpram as leis que punem as cópias nãoautorizadas. 243) as concepções de autoria mantêm uma relação estreita com a forma de tecnologia de informação que prevalece em um dado momento. os direitos de autor como entidade permanente também se tornam mais evanescentes e difíceis de definir” (HEIM apud LANDOW. 1995. Ao elaborar seu trajeto de leitura. p. “(Fonte: <http://www. Para Landow (1995. (Fonte: <http://www. De um lado se situam autores. completa que: “à medida que se vai desfazendo o modelo de personalidade integrada e individual do autor. “Cada leitura não muda fisicamente as palavras. mas reescreve o texto.br/~hans/mh/fio.2005) Sob essa ótica também é possível entender melhor a atribuição de uma nova autoria ao leitor do hipertexto. alterar seu significado.br/~hans/mh/fio.Universidade do Sul de Santa Catarina As possibilidades de se traçar padrões pessoais de leitura.um sentido pessoal que poderíamos até denominar como “leitura-escritura” (Fonte: <http:// www. de forma sutil. de moverse de forma aleatória. o leitor/usuário constrói um novo sentido ao texto proposto . Baseando-se em Heim. Do outro todos os leitores usuários reproduzindo “bits” sem citar fontes.2005).12. bem como desenvolvedores de software zelosos de seus direitos.2005).unicamp. entretanto quando essa perde o seu posto ou o compartilha se modificam também as interpretações culturais de autoria. o texto eletrônico e as leis de direitos autorais estão na rota de colisão em muitos pontos e parece que as soluções para o problema estão longe de ser encontradas. acesso em: 01. editores e distribuidores de livro.html>. Aliás.

Também pôde conhecer os principais conceitos de internet como interface. da imagem. liks e hiperlinks e por fim viu o papel do leitor neste novo processo. Viu o que são e para que servem as lexias. Você estudou um pouco sobre hipermídia e suas particularidades. Atividades de auto-avaliação 1) Que mudanças as novas tecnologias trouxeram para a nossa vida? Unidade 2 hipertexto.Hipertexto Síntese Nesta unidade você pôde estudar um pouco sobre as mudanças que a internet e a www trouxeram à nossa vida e ao mundo.indb 53 53 6/6/2007 14:11:03 . da importância que isso tem no nosso dia-a-dia e na forma que nos comunicamos e interagimos com as pessoas. usabilidade. interatividade. Na próxima unidade você será inserido no mundo da palavra.

 BARBERO. n.  . M. maio. 1999. Esse é um exemplo de interatividade? Saiba mais Se você quer aprender mais sobre hipertexto e tecnologia virtual consulte o site <http://www. Comunicação & Educação.  CARDOSO. J.br/03/pierrelevy. n. SP: Autores Associados. Multimídia. 15. p. S.htm>. Comunicação plural: alteridade e sociabilidade. 62-80. São Paulo. C.indb 54 6/6/2007 14:11:03 . Campinas. comunicação e cultura. br/museu/sala/> 54 hipertexto.rabisco. São Paulo: Global. maio/ago. L. Sujeito.com. 1997. 1997.  BELLONI. PALACIOS.. A.9. 1995.  BAIRON. Comunicação & Educação. 39-48.ufba. <http://www.facom. Introdução à cibercultura./ago. M. Educação a distância.. São Paulo. LEMOS. M. 1999.Universidade do Sul de Santa Catarina 2) O programa Big Brother Brasil permitia que o telespectador votasse todas as semanas para tirar ou não uma pessoa da casa. Entrevista concedida à Roseli Fígaro e Maria Aparecida Baccega. p.

A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço.html>  LÉVY. O que é o virtual? São Paulo: Ed. p. <http://www.portoweb. Aula virtual: a simulação como recurso pedagógico na internet.br/PierreLevy/nossomos. 1998. n. J. v. maio/ago. A. M.  . 1998. M. 1996.com. Comunicação & Educação.com. Educação e cibercultura. Educação na internet.  LEMOS. 1998.br/ciberpesquisa/palacios/aula/index. São Paulo: Ed. Anjos interativos e retribalização do mundo. jan. 1998.moderna. 35-40. Unidade 2 hipertexto. São Paulo. Internet no ensino.1.br/escola/prof/art22. A sociedade em rede. São Paulo. 34.html>  LÉVY. <http://www. Televisão e educação. 14. .  MORGADO. Tecnologias intelectuais e modos de conhecer: nós somos o texto. <http://www. Comunicação & Educação. 1999. 6. <http://www.br/PierreLevy/aemergen.html>  MORÁN./abr.br/PierreLevy/aemergen>  . P. Cibercultura.Hipertexto  CASTELLS. 17-26.facom. 16 mai. São Paulo: Paz e Terra. FERRÉS.htm>  PALACIOS. Sobre interatividade e interface digitais.  . 1999. A emergência do cyberspace e as mutações culturais. <http://www. Pierre. Porto Alegre: Artes Médicas.portoweb. 1996. 16 maio 1998. sociedade e cultura.com. p. 34. J.htm> .br/ciberpesquisa/lemos/interac.portoweb.ufba.com. A era da informação: economia. São Paulo: Loyola. 1999.indb 55 55 6/6/2007 14:11:03 . n. L.ufba. O lugar do hipertexto na aprendizagem: alguns princípios para a sua concepção.facom. <http://www. M.  1996.

Impactos e efeitos da internet sobre a comunidade acadêmica: quatro dificuldades e um possível consenso.br/ciberpesquisa/palacios/ impactos.html>.ufba.facom. <http://www. 56 hipertexto.indb 56 6/6/2007 14:11:03 .Universidade do Sul de Santa Catarina .

hipertexto.indb 57 6/6/2007 14:11:03 .UNIDADE 3 Comunicação e linguagem 3 Objetivos de aprendizagem  Entender como realizar uma boa comunicação seja ela verbal ou não-verbal. Seção 2 Linguagem. Seção 3 Linguagem verbal e não-verbal. Seções de estudo Seção 1 Processo de comunicação.  Compreender as diferenças e as características da comunicação verbal e não-verbal para estabelecer uma comunicação mais eficaz.

não será entendido.unb. o código é a condição necessária.2005) Código é o meio pelo qual a mensagem enviada por um emissor (E) a um receptor (R) pode ser entendida. uma visão mais adequada de como estabelecer uma boa comunicação com seus públicos. (. não comunicará. ou seja. para que haja uma interação comunicativa eficaz. disponível em: <http://www.. SEÇÃO 1  Processo de comunicação A comunicação envolve pelo menos duas pessoas. 58 hipertexto. Universidade de Brasília.) ele é a única garantia para a eficácia de qualquer interação comunicativa. No processo de comunicação. aquela que fala (chamada emissor) e aquela a quem se fala (chamada receptor).. é preciso que ela seja materializada por algum código. embora não suficiente. a partir de agora. precisamos conhecer muito bem esse “outro” e seu universo para que a mensagem esteja adequada ao conhecimento do receptor. (Departamento de línguas estrangeiras e tradução. Sem o código. mas não podemos transmitir uma mensagem de forma abstrata. pois não haverá nada de comum entre ele e R. para que a M enviada por E a R seja efetivamente recebida e entendida. acesso em: 20. o emissor não poderá formular (codificar) sua mensagem.br/il/let/crioul/contato06. Pensando nas características e dificuldades da comunicação e da linguagem é que vamos trabalhar.Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de conversa Comunicar algo a alguém é uma das coisas mais difíceis que existe.indb 58 6/6/2007 14:11:03 . o que é transmitido entre dois participantes é o significado.12. Para realizar uma boa comunicação não basta a intenção de passar uma mensagem para outro. mesmo que E creia que está formulando uma mensagem (codificando). Na ausência de algum código comum E e R. o que implica que tampouco haverá entendimento (decodificação) por parte do receptor.htm>. Em suma.

Os índios americanos se comunicavam por sinais de fumaça para vencer as distâncias. Na selva africana fazia-se soar os tambores para se comunicar a distância. fumaça e bandeiras. Para que a comunicação realmente aconteça precisamos conhecer as mesmas coisas. Segundo Solom (2002). por um sistema compartilhado. na linguagem escrita. isto é. como hoje nós utilizamos o telefone. por exemplo. A expressão “tá ligado” até um tempo atrás era uma pergunta sobre a situação de um determinado equipamento. hoje. são três os elementos de comunicação:  codificar – transformar em um código conhecido a intenção da comunicação ou elaborar um sistema de signos. Unidade 3 hipertexto.  decodificar – decifrar a mensagem. Comunicação é todo o processo de transmissão e de troca de mensagens entre seres humanos. por ondas de som. é termo corrente da linguagem dos jovens. a mensagem deve ser transmitida por uma espécie de canal (na conversação. no entanto. fazermos parte do mesmo grupo.Hipertexto O código pode ser constituído de palavras e sinais. termos o mesmo referencial. O emissor e o receptor devem estar em contato um com o outro. A comunicação é entendida como a transmissão de estímulos – completa ou parcialmente –. O homem moderno criou o telégrafo muitos anos depois para fazer a mesma coisa. operação que depende do repertório (conjunto estruturado de informação) de cada pessoa.indb 59 59 6/6/2007 14:11:04 . por letras no papel) para que ela efetivamente aconteça.  feedback – corresponde à informação que o emissor consegue obter e pela qual sabe se a sua mensagem foi captada pelo receptor.

Os ruídos (dificuldades em estabelecer uma na comunicação) podem ser vários. o estudo da linguagem é imprescindível. mas ela também pode ter variações quando utilizada por diferentes estratos sociais. Seu amigo pode não ter ligado a secretária. etários ou profissionais. vamos recordá-los. mas o nome que as pessoas de cada uma dessas regiões utiliza para designá-la é diferente. Você telefona para um amigo e ele não está. Se você não tiver um retorno desse amigo dizendo que recebeu seu recado. pode não ter ouvido seu recado. então você deixa recado na secretária eletrônica. Devido à importância que alguns temas têm para a nossa disciplina no que se refere à linguagem publicitária e jornalística. pode não ter entendido o que você falou.indb 60 6/6/2007 14:11:04 . Você já estudou muitos dos conceitos na disciplina de Leitura e Produção Textual. SEÇÃO 2 – Linguagem Para que possamos nos comunicar com eficiência e adequação. A fruta é a mesma. Língua e linguagem A língua é uma das bases em que a nossa identidade como povo se constrói.Universidade do Sul de Santa Catarina A comunicação só se realiza efetivamente quando esses três elementos estão presentes. A bergamota do gaúcho e a mexerica do paulista. A comunicação se efetuou? Não. Quando temos um grande conhecimento sobre determinado tema falamos com palavras que demonstram nossa segurança e conhecimento. 60 hipertexto. o processo de comunicação não foi efetuado. Vamos ver como isso fica na prática.

Polissemia Um mesmo signo pode apresentar significados diversos. a imagem mental e abstrata) e o significante (aspecto concreto. Unidade 3 hipertexto. Significante e significado Uma palavra tem duas polaridades: o significado (aspecto conceitual. A linguagem. portanto.Hipertexto A língua é social e essencial. ao qual temos que nos submeter. mas quando você vê um desenho como este você tem o significado. Ela é que possibilita um contrato entre uma coletividade – a linguagem. conforme o contexto em que o empregamos.indb 61 61 6/6/2007 14:11:04 . A essa pluralidade de significados dá-se o nome de polissemia. se quisermos nos comunicar. Assim. deixa de ser um instrumento para a expressão de representações individuais e se torna um campo de interações significantes. O significado de uma palavra não é somente aquele dado no dicionário. gráfico. todas as palavras são signos. a palavra adquire sentidos diferentes quando inserida em novos contextos. Quando você lê a palavra borboleta (as letras formando a palavra é o significante). a imagem acústica). desde que apresentem essas duas faces.

 pode ser uma afecção sebácea. 62 hipertexto. referindo-se a uma realidade concreta ou imaginária. É a palavra empregada na sua significação usual. referencial. valemo-nos do significado da palavra para expressar nossas idéias. precisamos utilizar uma linguagem denotativa. literal. Essa linguagem é aquela cujo significado real encontramos no dicionário.  pode ser também os pregos específicos utilizados nas ferraduras de animais. Quando escrevemos. Um vocabulário bem escolhido transmite mais adequadamente a mensagem que queremos.indb 62 6/6/2007 14:11:04 .” A frase significa que as massas de água do mar desviaram o barco do caminho que ele pretendia fazer. tipo espineta. comum no rosto de adolescentes.  pode ser uma especiaria que colocamos em doces. Denotação e conotação Se quisermos ser objetivos no que redigimos.  pode ser um tipo de calo que aparece na sola dos pés.  pode ser um instrumento musical. “A corrente marítima não manteve o barco na rota. portanto.Universidade do Sul de Santa Catarina Observe os diferentes significados que pode ter a palavra CRAVO  pode ser uma flor.

” (Rocha LIMA) Unidade 3 hipertexto. Chico BUARQUE) Note que nas duas frases anteriores as palavras “barco” e “corrente” foram empregadas com significados diferentes.Hipertexto Já a conotação nos ajuda a evocarmos idéias por meio do filtro da nossa emoção. “corrente” é uma metáfora de resistência e “barco” significa mudança de rumo... da nossa subjetividade. Figuras de linguagem São recursos que utilizamos quando queremos apresentar uma idéia por palavras ou construções incomuns. As figuras de linguagem mais freqüentes são listadas a seguir. O uso de figuras de linguagem é um dos recursos empregados para valorizar o texto.. ele morreu desconhecido e só. Anáfora Chamamos de anáfora quando há repetição intencional de palavras no início de um período. frase ou verso. conferindo originalidade. “. emotividade ou poeticidade ao discurso. grande no infortúnio. “Grande no pensamento.indb 63 63 6/6/2007 14:11:04 . tornando a linguagem mais expressiva. Na segunda frase.. A gente vai contra a corrente Até não poder resistir Na volta do barco é que sente. grande na ação. grande na glória.” (Roda viva. que corresponde a uma transferência do significado usual para um sentido figurado.

Caetano VELOSO) Paradoxo Paradoxo não é apenas a aproximação de palavras de sentido oposto. mansidão. redundância de significado. isto é.” (Amor é fogo que arde sem se ver. É uma verdade dita de forma a parecer mentira. “Onde queres prazer sou o que dói E onde queres tortura. mas de idéias que se contradizem. “Amor é fogo que arde sem se ver ferida que dói e não se sente um contentamento descontente dor que desatina sem doer. revolução.indb 64 6/6/2007 14:11:04 . Onde queres um lar. E onde queres bandido sou herói” (O quereres.Universidade do Sul de Santa Catarina Pleonasmo É quando há repetição da mesma idéia. “descer para baixo” “entrar para dentro” “monopólio exclusivo” “repetir de novo” Antítese Utilizamos quando há aproximação de palavras ou expressões de sentidos opostos. Luís de CAMÕES) 64 hipertexto.

a fim de proporcionar uma imagem emocionante e de impacto. pela entonação. 1931) Unidade 3 hipertexto. e sugere-se pelo contexto. bem tratada. burra como uma porta: um amor.” (Moça linda bem tratada.Hipertexto Eufemismo Quando empregamos uma palavra ou expressão para atenuar uma verdade tida como penosa.indb 65 65 6/6/2007 14:11:05 . três séculos de família. Mário de ANDRADE. o contrário do que as palavras ou orações parecem exprimir. desagradável ou chocante. “Ele abotoou o paletó de madeira” “Virou presunto” “Passou desta para melhor” Todas essas expressões poderiam ser substituídas por: “ele morreu”. Hipérbole Quando há exagero de uma idéia. “Rios te correrão dos olhos. “Moça linda. se chorares!” (A alvorada do amor. pela contradição de termos. Olavo BILAC) Ironia Quando a intenção é depreciativa ou sarcástica.

sentimento...” (Carlos Drummond de ANDRADE) “Minhas sensações são um barco de quilha pro ar.” (Raul BOPP) “Um frio inteligente (.” (Fernando PESSOA) 66 hipertexto. (referindo-se ao jogador Edmundo) Metáfora Quando um termo substitui outro termo por meio de uma relação de semelhança resultante da subjetividade de quem a cria.” (Clarice LISPECTOR) Perífrase Quando criamos palavras para expressar algum objeto..) percorria o jardim. indivíduo ou situação que não se quer nomear. fala. “O tempo é uma cadeira ao sol. (Florianópolis) O rei dos animais mantém todos no seu lugar.indb 66 6/6/2007 14:11:05 . A metáfora também pode ser entendida como uma comparação... e nada mais. os rios vão carregando as queixas do caminho.. (referindo-se ao leão) O animal jogou muito hoje. Ilha da Magia. características próprias dos seres humanos a seres inanimados ou imaginários. um codinome. ação. acidente geográfico. Seria a mesma coisa que um apelido.Universidade do Sul de Santa Catarina Prosopopéia Quando se atribui movimento. “.

Ele é um bom garfo (ele come muito). relação. proximidade. havendo entre ambas graus de semelhança. Ah! Ah! Ah! (gargalhada). Sou alérgico a cigarro (à fumaça de cigarro). “dente de alho” “céu da boca” “barriga da perna” Onomatopéia Quando com uma palavra ou um conjunto de palavras imitamos um ruído ou um som. Uffa (cansaço). Uau! (alegria). sem nenhuma novidade. ou implicação mútua. Aaargh (nojo). já que se tornou um hábito lingüístico. Catacrese A catacrese é um tipo de metáfora. de sentido.indb 67 67 6/6/2007 14:11:05 .Hipertexto Metonímia Quando há substituição de uma palavra por outra. Tomei um legitimo scotch (o uísque da escócia). Unidade 3 hipertexto.

somos sensíveis a variações que realizamos no texto. temos que garantir que não haja ruídos ou dificuldades nessa comunicação. “ruído” pode ser toda e qualquer coisa que interfere na comunicação e a prejudica. revelando muito da sensibilidade de quem produz o texto e da forma como cada indivíduo encara as suas experiências no mundo. etários ou profissionais. 68 hipertexto. Texto/palavra é uma unidade estruturada e comunica um significado. Linguagem verbal A linguagem verbal é caracterizada pelo uso de palavras. Como você já viu. vamos a partir de agora detalhar melhor os aspectos que influenciam a nossa linguagem e conseqüentemente o entendimento dessa. Para que essas diferenças fiquem claras. desconhecidas e novas. Essa comunicação que se passa entre os participantes durante o processo de comunicação chama-se texto. de assunto ou de situação (contexto) de comunicação. seja ao mudar de interlocutor.Universidade do Sul de Santa Catarina O uso das figuras de linguagem é uma forma de expressar experiências diferentes. SEÇÃO 3 – Linguagem verbal e não-verbal Para entender a linguagem temos que lembrar que a língua é um dos pilares em que se assenta a nossa identidade como povo. como seres falantes. Todos nós. e também revela variações ao ser adotada pelos diferentes estratos sociais.indb 68 6/6/2007 14:11:05 . Para que a comunicação seja efetuada com sucesso.

como: expressar emoções. a linguagem pode cumprir várias funções na comunicação. As funções da linguagem podem ser classificadas. O significado das palavras não está nelas mesmas.indb 69 69 6/6/2007 14:11:05 . ou seja. contar histórias e assim por diante. no repertório de cada um. uma manchete de jornal com os seguintes dizeres: a inflação do ano foi de 9%. envolver ou persuadir o receptor. segundo o lingüista russo Roman Jakobson. informar sobre fatos. por exemplo. ao interlocutor. apelo ou súplica. chamamento. influenciar atos e pensamentos. o qual permite decifrar e interpretar as palavras. em seis tipos. A língua portuguesa. dados da realidade de forma direta e objetiva. é rica em significados diferentes para a mesma palavra e isso pode causar um entendimento entendimento ambíguo de determinada mensagem. não utilizada por determinado público etc. Unidade 3 hipertexto. Freqüentemente a mensagem se organiza em forma de ordem. ou gírias. 2) Função conotativa ou apelativa A função conotativa diz respeito à intenção do emissor da mensagem em influenciar. Além da pluralidade de sentidos da palavra. mas nas pessoas. 1) Função referencial ou denotativa A função referencial é a mais comum das funções da linguagem e está centrada na informação. As dificuldades de comunicação também ocorrem quando as palavras têm graus distintos de abstração e variedade de sentido. uso de uma língua. estabelecer uma conversa com os amigos. Por exemplo. sem ambigüidades.Hipertexto Exemplos de ruídos: desconhecimento do público ao qual a mensagem se dirige. Na função referencial a intenção do emissor é a de transmitir. utilização de palavras fora de contexto.

antes de mais nada. Observe a “fala” de um rapaz ao encontrar seus amigos: “Gente! Fui aprovado no vestibular!” 70 hipertexto. Diz o texto: “Muita gente não sabe usar celular.indb 70 6/6/2007 14:11:05 . como o cinema. Freqüentemente sua intenção é expressar seus sentimentos e emoções. fazendo com que o texto resultante seja subjetivo.” A função apelativa está presente. é preciso. na frase “Beba Coca-Cola” sempre veiculada nos outdoors e embalagens do produto: “Beba Coca-Cola”. a seus sonhos e desejos. Depois você acessa a caixa postal e pega a mensagem. como se fosse uma conversa a dois. Guarde-o na mochila. por exemplo. das emoções e do temperamento do emissor. 3) Função emotiva ou expressiva A função emotiva diz respeito à intenção do emissor do texto em posicionar-se em relação ao tema de que está tratando.  Desligue o celular durante as aulas – ou em lugares públicos. utilizar exemplos e argumentos significativos em relação à sua classe social.Universidade do Sul de Santa Catarina Para tentar persuadir o destinatário. Fica feio. um espelho do ânimo. à sua formação cultural. falar a língua dele. Para exemplificar a função conotativa vamos utilizar o manual de boas maneiras do uso do celular elaborado por uma instituição. Dá para escutá-lo do mesmo jeito. Veja o que você não deve fazer com ele:  Não ande com o celular pendurado na calça. Cada leitor deve ter a sensação de que o texto foi escrito especialmente para ele.

hum. 5) Função fática ou de contato Nesse caso a linguagem é utilizada para testar o funcionamento do canal e manter o contato entre o emissor e o receptor. quer na combinação delas.Hipertexto 4) Função metalingüística Quando a preocupação do emissor está voltada para o próprio código utilizado. que conta a trajetória do diretor e ator Charles Chaplin. quando um texto faz referência ou explica outro texto.. temos a função metalingüística. ela se preocupa mais com o canal do que com o diálogo. quer na organização sintática da frase. É o que ocorre. Unidade 3 hipertexto.htm> Para entender melhor vamos nos lembrar que em uma conversa telefônica é comum expressões. É a linguagem (cinema) falando de cinema. quando um filme tem por tema o próprio cinema... uma peça de teatro tem por tema o teatro. cidadeinternet..” “ Hum .br/ filmes/chaplin/chaplin. o código é o tema da mensagem ou o código é utilizado para explicar o próprio código. ou seja. Essa função se evidencia mais nas conversas telefônicas e. por exemplo.indb 71 71 6/6/2007 14:11:05 .. Fonte: Foto extraída de <http://adorocinema... Sempre que a linguagem falar da própria linguagem.com.. quer na escolha.sei. como as dos exemplos abaixo: “ Está me ouvindo?” “ Sim.” 6) Função poética Quando a intenção do emissor do texto está voltada para a própria mensagem. para uma arrumação especial das palavras. temos metalinguagem. Para exemplificar podemos lembrar o filme Chaplin. mas ao mesmo tempo faz um perfil do cinema e do mundo do cinema dos anos 20 muito realista. dizemos que a função da linguagem é poética. naturalmente.

tanto bate até que fura”. o verbo cohaerere. vulcanizadas. veja o exemplo abaixo: “Vozes veladas. vivas. Os provérbios são. como todo bom poeta. ou seja. elementos e idéias. frases em contraste com uma ligação formal que as explicam e conexão lógica.” A linguagem deve ainda ser coesa e coerente. nexo interno nos textos. volúpias dos violões.indb 72 6/6/2007 14:11:06 . Coerência aponta para ligação ou harmonia entre situações. constituindo bons exemplos da função poética da linguagem: “Água mole em pedra dura. se utilizava da sonoridade das palavras para colocar ainda mais poesia nos seus versos. veludosas vozes. ritmadas. resultando os significados em algo semelhante. de fácil memorização. Coesão pode ser definida como a ligação de natureza gramatical ou lexical entre os elementos de uma frase ou de um texto. estabelecendo relações para fora do núcleo. mas é incoerente. frases bem arrumadas. Já Cruz e Souza (1861-1898). 72 hipertexto. vozes veladas. podendo apresentar um conteúdo explícito (aquilo que efetivamente se diz) e implícito (o que se deduz do conteúdo do que foi dito ou mencionado). coesão volta-se para si mesmo. material dos signos. muitas vezes baseado no conhecimento partilhado entre os usuários de uma língua: é correto gramaticalmente dizer que o açúcar é salgado. vãs. Coesa e coerente procedem ambos da mesma raiz latina. vagam nos velhos vórtices velozes dos ventos. sendo a união íntima das partes de um todo. e coerência como o conjunto de relações que une o significado de sentenças ao mundo exterior.Universidade do Sul de Santa Catarina A função poética coloca em evidência o lado palpável. em geral.

pois testemunha a ausência de um pensamento lógico naquele que escreve: é mais grave do que desvio de grafia ou de sintaxe. isto é. para isso vamos estudar agora a linguagem não-verbal. aproveitando o que cada uma tem de bom. (PERROTTI) A diferença mais importante entre imagem (comunicação nãoverbal) e texto (comunicação verbal) é que o texto refere-se a um tempo definido.2006 A utilização de imagem e texto em uma mensagem. e as imagens. 2006) Bom. mesclar as duas linguagens pode ser essencial. proporciona um elo de ligação entre a imagem e a situação espacial e temporal de forma muito mais esclarecedora do que os meios puramente visuais permitiriam estabelecer.metodista. somos capazes de nos fazer entender por gestos.2006. acesso em: 07.br/ ~edpaes/coesao_. Por isso para quem vai trabalhar com web designer ela se torna tão importante. br/comunicacao/jornal/>.metodista.htm>. São comuns os textos desconexos lingüisticamente ou desconectados da realidade. por desenhos. br/comunicacao/jornal/ acessowww. ao contrário. mas também uma relação recíproca entre o texto e a imagem na qual cada um contribui com sua parte para o conjunto da mensagem. por expressões faciais.ufrj.01. sem coesão nem coerência.indb 73 73 6/6/2007 14:11:06 . As imagens não têm apenas a função de ancorar o texto. seja ela pessoal ou profissional.) Linguagem não-verbal A linguagem não-verbal é feita de gestos. Mas será que só isso é suficiente? Será que outros elementos não podem ajudar ou reforçar nossa comunicação? Podem sim.Hipertexto Trazendo para a prática da escrita essas noções. <www. ou seja. Quando estamos em outro país. de sinais e de outros componentes que não são a palavra. (Para ler sobre o assunto consulte o site: <http:// intervox. Unidade 3 hipertexto. (CARVALHO. observamos que esse é o maior problema da língua escrita hoje. Considera-se hoje o problema maior nos textos escolares. diferente daquele em que fomos criados.01.nce. são atemporais. corrigindo redações e lendo muitos textos por força da profissão. acesso em: 08. tudo isso nos mostrou que devemos ter cuidado ao escrevermos um texto se efetivamente queremos fazer com que as pessoas entendam nossa mensagem. Para que a nossa comunicação seja mais eficaz possível.

seja quando têm uma relação de redundância (repetição). Para você que vai trabalhar com criação de sites é importante entender como o olho enxerga uma imagem. tema já tratado pela disciplina de Comunicação Visual. Assim como é possível fazermos a leitura do texto. 74 hipertexto. os olhares. também é possível fazer a “leitura de uma imagem”. A imagem escolhida deve estar em sintonia com a do texto. porém tem a vantagem de poder comunicar mais coisas de imediato e simultaneamente. reforçando a idéia central. As pessoas não se comunicam apenas por palavras.Universidade do Sul de Santa Catarina A imagem é menos explícita que o texto verbal. ambos têm que concorrer para a mesma mensagem. Quando você for utilizar uma foto ou imagem como mensagem ou para reforçar seu texto. os gestos. os movimentos faciais e corporais. explicação. complementaridade ou mesmo quando são aparentemente contraditórios. a entonação são também importantes: são os elementos não-verbais da comunicação. Os significados de determinados gestos e comportamentos variam muito de uma cultura para outra e de época para época. leve em conta que os sinais nãoverbais têm as funções específicas de regular e encadear as interações sociais e de expressar emoções e atitudes interpessoais. Essa leitura acontece quando o olhar se move do canto superior esquerdo para o canto inferior direto da página. A comunicação verbal é plenamente voluntária. Além do texto e das imagens. e essa diagonal constitui uma dimensão muito importante quando queremos chamar a atenção para algum detalhe.indb 74 6/6/2007 14:11:06 . o comportamento não-verbal pode ser uma reação involuntária ou um ato comunicativo propositado.

Desviar os olhos quando o emissor fala é uma atitude que tanto pode transmitir a idéia de submissão como a de desinteresse.  as relações interpessoais – serão menos tensas se a pessoa fornecer aos outros a sua projeção particular e se os outros respeitarem essa projeção. maquiagem.  a postura e movimentos do corpo – os movimentos corporais podem fornecer pistas mais seguras do que a expressão facial para se detectar determinados estados emocionais. Um olhar fi xo pode ser entendido como prova de interesse.11. gestos. apetrechos pessoais. etc. postura. mas noutro contexto pode significar ameaça.  a aparência de uma pessoa – reflete normalmente o tipo de imagem que ela gostaria de passar..indb 75 <http://www. Unidade 3 hipertexto.  os movimentos da cabeça – tendem a reforçar e sincronizar a emissão de mensagens. escolha aquela que for mais adequada à mensagem. mas muitas pessoas tentam inibir a expressão emocional.com. Uma voz calma geralmente transmite mensagens mais claras do que uma voz agitada. acesso em: 10. Por vezes os rostos transmitem espontaneamente os sentimentos. velocidade e ritmo da voz) revelam-se importantes no processo de comunicação. provocação. modo de falar. penteado.Hipertexto Na escolha de uma foto ou ilustração leve em consideração:  a expressão facial – não é fácil avaliar as emoções de alguém apenas a partir da sua expressão fisionômica.2005 75 6/6/2007 14:11:06 .html>. as pessoas criam uma projeção de como são e de como gostariam de ser tratadas.  o movimento dos olhos – desempenha um papel muito importante na comunicação. Por meio do vestuário.  os comportamentos não-verbais da voz – a entonação (qualidade.br/ virtua/comverbn-verb.salves.

Universidade do Sul de Santa Catarina Síntese Nesta unidade você estudou o processo de comunicação que envolve pelo menos duas pessoas. b) ( ) se atribui movimento. fala sentimento. de outros aspectos que não sejam a palavra. 1. Também tivemos a oportunidade de relembrar língua e linguagem para podermos nos aprofundar na linguagem verbal e na não-verbal. d) ( ) há repetição intencional de palavras no início de um período. aquela que fala (chamada emissor) e aquela a quem se fala (chamada receptor).indb 76 6/6/2007 14:11:06 . ação. frase ou verso. Texto/ palavra é uma unidade estruturada e comunica um significado. Essa comunicação que se passa entre os participantes durante o processo de comunicação chama-se texto. a fim de proporcionar uma imagem emocionante e de impacto. Atividades de auto-avaliação Escolha a alternativa correta. indivíduo ou situação que não se quer nomear. c) ( ) criamos palavras para expressar algum objeto. e) ( ) há exagero de uma idéia. de símbolos. Estudamos que linguagem verbal é caracterizada pelo uso de palavras. características próprias dos seres humanos a seres inanimados ou imaginários. mas que para a comunicação realmente acontecer é necessário receber um retorno (recall) do receptor. E a linguagem não-verbal é aquela feita de gestos. Anáfora é a figura de linguagem na qual: a) ( ) há repetição da mesma idéia. acidente geográfico. 76 hipertexto.

São Paulo: Ática. MOTTA-ROTH. 2003. E. ed. d) ( ) Uso de gíria. 3. G. (Org. Saiba mais  CITELLI. 2002. e) ( ) Todas as respostas estão corretas. Bauru: EDUSC. Vi. b) ( ) Erros ortográficos. c) ( ) Tudo aquilo que afeta a transmissão de informação.) Gêneros textuais e práticas discursivas: subsídios para o ensino da linguagem. 1993.  KOCH. A. I. São Paulo: Cortez.  MEURER. Linguagem e persuasão. D. 2.  ORLANDI.Hipertexto 2 . Campinas: Pontes. P. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. J. Unidade 3 hipertexto. 15. e aum.indb 77 77 6/6/2007 14:11:06 . O que são ruídos ou dificuldades de comunicação? a) ( ) São barulhos na linha do telefone. 1987. ed. Argumentação e linguagem. v. rev. ed.

indb 78 6/6/2007 14:11:07 .hipertexto.

Seção 4 A massificação da informação e a interação dos meios de comunicação. Seções de estudo Seção 1 A linguagem própria da internet.UNIDADE 4 Linguagem na internet 4 Objetivos de aprendizagem  Compreender a linguagem utilizada na internet. Seção 2 As novas tecnologias e os modos de produção e leitura de um texto.indb 79 6/6/2007 14:11:07 .  Saber especificar as formas de redação para internet com a finalidade de propiciar uma boa leitura e entendimento. Seção 5 O discurso do hipertexto. Seção 3 Redação de texto na web. hipertexto.

de forma adequada. um texto de Mário Persona que aborda sobre a importância de se conhecer o público e a linguagem que esse 80 hipertexto. Isso sem falarmos das conversas nos chats. vamos passar para uma linguagem mais específica que é a utilizada pela internet. Quando a comunicação é feita pelo computador. O computador nos permite reconfigurar todo um texto bastando para isso um clique na barra de ferramentas.indb 80 6/6/2007 14:11:07 . os recursos que facilitam essa comunicação. ao mesmo tempo o hipertexto liberta o leitor para seguir sua leitura no ritmo e caminho que escolher. entre pessoas e empresas. mais do que nunca. O importante hoje. via máquina ou não. escrita. já que esse meio utiliza a linguagem dos meios de comunicação de massa e do hipertexto. Depois de termos visto como a comunicação e a linguagem são importantes para um bom entendimento entre as pessoas. SEÇÃO 1 – A linguagem própria da internet Para que a mensagem seja passada de forma eficiente é fundamental que o profissional que irá trabalhar a comunicação saiba utilizar. as questões de linguagem se tornam ainda mais importantes. de forma que todas falem a mesma língua. é procurar achar formas de entendimento entre as pessoas. imagem. por exemplo. som. a seguir. que exigem novas formas de produção e comportam novas formas de leitura.Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de conversa Toda forma de comunicação passa por algum tipo de linguagem. em que os usuários se distanciam cada vez mais da linguagem culta para uma nova linguagem em que as abreviaturas. Leia. A linguagem utilizada na internet tem suas próprias características e estilo objetivando tornar a comunicação mais eficiente. Escrever para a internet nos leva a repensar a linguagem falada e a linguagem escrita e a considerar outros modos de construção. a iconografia e os emotions são parte vital desse processo.

as mulheres não escolhiam tanto. É a esse público que dirigimos nossa mensagem de forma a facilitar o entendimento e a compreensão da linguagem. Cada ser humano é diferente. Vivemos em um país onde se “dobra a esquina”.indb 81 81 6/6/2007 14:11:07 . quando a pergunta é “E agora. Deveria ser a abreviatura de “SACar o que deseja o consumidor”. O famoso SAC. Para evitar sua repulsa. era praxe estampar na embalagem apenas a foto do conteúdo. Unidade 4 hipertexto. “No-va”. graças ao elevado índice de analfabetismo. E por “pois não”. que vemos nas embalagens. em uma época e lugar onde. Uma barbaridade. Todos iriam querer o número um. “Jogamos verde para colher maduro”. os vidrinhos foram rotulados com a foto de um bebê gorducho. que esse acaba achando que o cliente saberá decifrá-lo. Orgulhosos. deveria ser mais do que “Serviço de Atendimento ao Consumidor”. É importante identificar as diferenças nos clientes. O problema com a comunicação é que um produto pode se tornar tão óbvio para o fabricante. E o que ouvimos não é o que escutamos. como aconteceu com os compradores de uma marca de termômetro retal cujo slogan era “Testados um a um”. podia ser interpretado como um carro que não sai do lugar. estamos dizendo “não”. Cada um de nós. Somos tradutores. Se fosse. Traduzir é hoje uma habilidade valiosa em qualquer empresa. saímos “com o rabo entre as pernas” e ainda “douramos a pílula”. prever seus pensamentos. ficamos “num mato sem cachorro”.Hipertexto público fala ou entende. Para não errar como errou uma empresa americana ao vender seus alimentos para bebês na África. ficamos “a ver navios” em Minas Gerais. E ninguém sabe se responde. O que falamos não é o que dizemos. Entender o cliente é essencial. Como em outros lugares. Ou a rejeição dos compradores do “Chevy Nova” nos países de língua espanhola. José?”. vertemos. Mas o óbvio nem sempre é garantia de sucesso. Porque é preciso conhecer os clientes. alguém já teria lançado a comida para gatos com sabor de rato. Quando dizemos “pois sim!”. “Lemos nas entrelinhas”. Traduzimos. Contrariando a geografia. Se os homens fossem todos iguais. entendase “sim”. colocar-se no lugar deles. E o lápis número 2 não seria o mais vendido. trasladamos e interpretamos. em espanhol.

nem conheça programação”. que não seja da área de sistemas. Após um breve silêncio. empresa de Supplier Relationship Management (SRM). por debutar cedo demais no baile dos serviços de internet. 82 hipertexto.topnegocios. Antigamente nossos clientes não conseguiam entender o que fazíamos. Porque o importante não é desatar e explicar tudo o que a empresa ou o produto é. Depois de muita discussão. Alexandre. zero à esquerda em internet”. comunidade de relacionamentos e negócios. poderia levar alguém a nos confundir com o Inter de Limeira.Universidade do Sul de Santa Catarina Nossa empresa passou por problemas de comunicação.asp?tabori g=novanoticia&id=78738. Nem tínhamos a popularização do ebusiness a nosso favor. Isso foi até decidirmos mudar radicalmente nossa comunicação. Saber demais pode atrapalhar. todos na sala olharam para mim. Para quem não é farmacêutico ler. campeão paulista de 86.br/site/noticias/noticias. A comunicação na área de produtos e serviços de internet pode se transformar em um verdadeiro “nó górdio”. o Grande. e transformar a comunicação em receita com letra de médico. editor da WideBiz. As apresentações que nossos analistas de sistemas faziam para gerentes e diretores de empresas eram verdadeiras aulas de sânscrito para os menos acostumados. além de consultor e palestrante). Chegar de forma rápida e eficiente aos resultados. ou “application service provider”. mas apenas aquilo que o cliente espera que seja. (Mario Persona é diretor de comunicação da Widesoft. alguém ignorante de pai e mãe em informática. A partir daquele dia me tornei o palestrante e articulista oficial da empresa. desfez o nó com um único golpe de espada.com. ainda que use métodos insólitos. Dizer que éramos “uma empresa de internet em Limeira”. É o que o tradutor deve fazer.indb 82 6/6/2007 14:11:07 . fornecedores e clientes para compra e venda entre empresas” não tinham inventado a sigla “B2B”. Fonte: http://www. Todos captaram a mensagem. cujo oráculo garantia a posse da Ásia para quem conseguisse desatá-lo. Para aquilo que nossos catálogos descreviam como “terceirização de sistemas via internet” ainda não existia a sigla ASP. o presidente da empresa definiu o rumo a tomar com algo mais ou menos assim: “Precisamos de alguém para dar palestras e escrever textos em linguagem acessível. Ninguém sabia de que se tratava. A tradução para o que dizia era: “Precisamos de uma verdadeira anta em tecnologia. E para o que descrevíamos como “integração de empresas.

a todo e qualquer momento. Nesse novo tipo de texto incorporamos elementos de navegação. Unidade 4 hipertexto. é possível. mudando. de forma divertida.Hipertexto O autor. reajustando o texto que estamos elaborando conforme nossa conveniência e interesse. que incorpora textos escritos e orais. interferir no resultado esperado na nossa comunicação. o hipertexto. Quando estamos lendo no papel não existe a possibilidade de alterar o que está escrito na página. consegue nesse texto nos mostrar como alguns detalhes podem mudar toda uma mensagem e. A não-linearidade e multilinearidade do hipertexto nos liberta para ler como e onde quisermos passando e mudando de assunto de acordo com a nossa vontade e o nosso interesse. Você lembra quando tratamos na Unidade 2 sobre links e lexias? Retomemos então aqueles conceitos para entender o que ocorre quando precisamos buscar outras informações com a finalidade de complementar nossos conhecimentos. permitindo que naveguemos por temas e lugares diferentes. mudarmos tudo. de forma gradativa. não só o suporte da escrita. como também o perfil lingüístico dessa escrita. como os links. que nos ajudam a localizar trechos escritos de nosso interesse de uma forma muito mais eficiente do que a do texto escrito em um papel. mas real. SEÇÃO 2 – As novas tecnologias e os modos de produção e leitura de um texto Você já viu na primeira unidade que a internet e o computador permitem a viabilização e a existência de um novo tipo de texto. Já no computador. além de variados recursos audiovisuais: tais como a fotografia. As mudanças na forma de se fazer ou elaborar um texto ocorreram devido a uma série de inovações tecnológicas que foram sendo agregadas. conseqüentemente.indb 83 83 6/6/2007 14:11:07 . o som e o vídeo. fazendo um ir e vir sobre o texto em busca de informações.

fee. publicado pela revista Época.” (RICARTE.unicamp. Disponível em: <http://revistaepoca. tchau Flw Professora Psora Moleque Mulek Adivinha Advinha Firmeza Fmz Absurdo Bsurdo Aqui Aki Beleza Blz Bonito Bunitim Então Intaum Cara Kra Casa Ksa Não Naum Valeu Vlw 84 hipertexto. Falou. “Dadas essas condições o texto eletrônico não se constrói mais de uma forma linear e seqüencial.00. Observe o dicionário do internauta.6993.globo. Criou-se uma linguagem especifica nos chats com o objetivo de agilizar as conversas e facilitar o entendimento Essa linguagem é composta de emotions. mas sim de uma forma multilinear e multiseqüencial.Universidade do Sul de Santa Catarina O hipertexto aumenta nossas possibilidades porque permite que se incorpore notas e comentários feitos por outros autores de uma forma mais simples e ágil.dca.indb 84 6/6/2007 14:11:07 . com/Epoca/0. acesso em: 17 de dezembro de 2005.) Os chats mudaram a nossa forma de conhecer e conversar com as pessoas. Disponível em: <http://www.html>. como o texto impresso. abreviaturas e substituição de letras. em tempo real.EPT384160-1664.html> Dicionário do internauta Algumas grafias usadas nas conversas virtuais entre os adolescentes que visitam salas de bate-papo e blogs. nos mais diversos e distantes lugares.br/projects/sapiens/Reports/rf2000/node31.

Hipertexto Bairon (1995.indb 85 (<http://meiradarocha. por intermédio do computador.2005) 85 6/6/2007 14:11:08 . Isso faz com que a profissão de web designer se torne ainda mais importante visto que ele será o tradutor e mediador dessa linguagem para os usuários desse sistema. Cada vez mais o homem está dependente da comunicação via computador no seu dia-a-dia. p. Isso está mudando e aos poucos busca-se aproveitar os recursos e gerenciar as limitações do meio. Por muito tempo os sites foram alimentados apenas com conteúdo reaproveitado de outras mídias. Unidade 4 hipertexto. A tecnologia espelha com clareza as relações que se criam nos dias de hoje.  seja sucinto. o que não necessariamente pode ser ruim.pl/edio_na_web>. que possa ser aplicado em qualquer tipo de mídia. comerciais ou profissionais. sejam afetivas. mas o século do homem que interage com ela”.  escreva sempre pensando em facilitar a leitura e a compreensão. desde que ele tenha um texto bom.12. SEÇÃO 3 – Redação de texto na web O aprendizado da redação de textos na web vem ocupando cada vez mais a mente dos profissionais da área de web designer. Quando escrevemos temos a tendência a trazer para o texto nossos hábitos e vícios adquiridos quando escrevíamos para papel. abaixo apresento algumas características mais marcantes na elaboração de textos na web e que você deve levar em consideração na hora de elaborar um texto:  o foco deve ser no conteúdo e nos títulos. 66) afirma que “O século XXI não será a continuidade do século do homem espectador da tecnologia.  o conteúdo deve ser apresentado de forma mais atraente possível. br/index. escreva apenas o mais importante de uma idéia. Para que você possa produzir os seus textos de forma mais adequada. acesso em: 17.jor.

 use intertítulo dividindo textos longos. facilitando o encontro do produto com o mercado consumidor. chama a atenção por utilizar cores fortes e chamativas.havaianas. separe por assunto.indb 86 6/6/2007 14:11:08 .Universidade do Sul de Santa Catarina  use blocos de texto curtos. além de proporcionar ao leitor muitas informações interessantes. Esse site mostra muito bem como trabalhar com essas características ao objetivar um bom relacionamento entre empresa e cliente. e sempre com um fundo musical que modifica de acordo com a página aberta. Dê uma olhada na sugestão abaixo. subtítulos e listas com os temas das outras páginas. com. Possibilita que você escolha modelos. Experimente! Figura 1: página inicial do site das “Sandálias Havaianas”. disponível em três línguas.  use parágrafos curtos. cores e encontre onde comprar. O site é fácil de navegar. Entre no site da Sandálias Havaianas <www.br> você vai se surpreender com a ousadia das ilustrações. 86 hipertexto.

indb 87 87 6/6/2007 14:11:08 . fique atento para detalhes que podem comprometer seu trabalho.  isso quer dizer que as pessoas ainda se sentem desconfortáveis. Dê uma olhada no site <www.nl> ele é bem simples. não gosta de fazer rolar a tela.. desacostumadas.thevillage. já conhece hipertexto e interatividade. som. por isso temos que levar em consideração que:  a leitura no computador é 25% mais lenta do que se estivesse lendo no papel. Muitas pessoas têm certa resistência ao novo. Dê uma passadinha lá e confira! Unidade 4 hipertexto. há pouco texto.  procure escrever apenas 50% do que você acharia o texto ideal. segundo alguns estudos.Hipertexto Agora você já sabe quais as regras básicas para a construção de um texto na internet. Tanto o computador como a leitura que se faz via tela é algo muito novo nas nossas vidas. por isso não escreva muito.  a maioria das pessoas. movimento ajudam a criar interesse no internauta.. Ao escrever não esqueça. mas ao mesmo tempo é moderno. Imagens que se alternam a cada assunto.

tem pressa. Pois rimas ocultas estimulam os neurônios. Chame-o de você. leve-o para viajar junto. Seu leitor pensará que sua mensagem é de concepção familiar. Se funciona? Pergunte à saliva. evita polemizar. E quem hoje lê. Por uma senda tão dourada quanto a calda de ameixas que. rápida e barata. seja simples. Que não se quer abortar. Arrebate seu leitor da mesmice letárgica do vocabulário cotidiano.indb 88 6/6/2007 14:11:08 . Mas não se esqueça do relevante. preguiçosa. Familiarizado. e seu leitor é seu tutor. porém amada. Uma intrusa.Universidade do Sul de Santa Catarina Mario Persona apresenta um texto interessante para quem for escrever para a internet: Receita para manjar de escrever Existe uma receita para se escrever na web? Sim. para evitar o fastio nauseabundo. Crie o suspense da próxima colherada. E o fertilize com uma mensagem que crie empatia. existe. que invada o cérebro de seu leitor em busca do óvulo comum das emoções humanas. Conhecimento. Crie um texto seminal. Abuse do corriqueiro e deixe os tecnicismos para terceiros. De dar água na boca. Manjar do assunto é condição de consistência para seu manjar. Termine um parágrafo com um desafio que o leve ao próximo. Seja sincero. Escreva como quem prepara um manjar dos deuses. A receita é simples. usa trocadilhos. Que exale um leve aroma de erudição e desperte um apetite mental de novas descobertas. A gostosa crônica. que se lê com o paladar. Mas adoça a vida de quem prova. Se faltar. desliza por seu manjar. graciosas sinapses em infindas células. Quer escrever assim? Então comece untando a fôrma com metáforas cômicas. Para quem lê com pressa na tela. Diversifique seus temas. geral e irrestrita. uma séria conversa fiada. Nem mesmo em um só leitor. é um manjar das letras. parágrafos breves. Mostre que não sabe tudo. Escrever assim é como fazer manjar. Pois o aprender é uma experiência conjunta. Algeme o leitor ao seu compasso. Escreva para anistiar os gostos de forma ampla. você brinca com as palavras. sobra o buraco da fôrma. para 88 hipertexto. O humor é o atalho mais curto para o cérebro. e traz no nome a fama de iguaria indescritível. São qual libélulas. E sirva acompanhado do néctar da paixão. frases curtas. “pero no mucho”. Linguagem informal. mas não poetizar. Irresistível. ousando alfinetar nele uma palavra pouco usual. pois não há dois leitores iguais.

desde que mantidas na íntegra as referências acima) Unidade 4 hipertexto. E começou a ditar: “Um litro de leite. Mas dona Isaura pensou que o assunto era o seu manjar.indb 89 89 6/6/2007 14:11:08 . revista ou boletim.. esbanje charme. Era escrever ou esquecer. Mas crie disseminadores para sua mensagem. tenha cadência. A justificativa. mas não do fim.. Que a multipliquem. Sul de Portugal. senti derreter na boca o delicioso manjar branco de dona Isaura. comentei. costumam atribuir a ele. Aconteceu comigo em uma casa-portuguesa-com-certeza. dos que lhe são íntimos. oito colheres de açúcar. Veja em: <www. Seja dinâmico. Voltei ao Brasil com uma agenda de compromissos resolvidos e uma receita de manjar a resolver. “Delicioso!”. Esta crônica faz parte dos temas apresentados em suas palestras. escritor e palestrante. Sentado à imaculada mesa de uma cozinha cirurgicamente limpa.com. (Esta crônica de Mario Persona pode ser publicada gratuitamente como colaboração em seu site. jornal. Para que o aroma de seu manjar chegue a quem chegar. Na falta de um autor. é que o raio que caiu em sua pipa fez Ben dizer tanta coisa. emoldurada em rua de amendoeiras em Loulé. Use a internet. Abuse dos verbos no presente para grudar sua atenção na ação. Lembrava-me de algo que iria discutir na reunião em Lisboa no outro dia. se me faltava a mão de dona Isaura para transformá-la em manjar. sacando do bolso caneta e agenda. De nada adiantaria tentar a receita. O que nunca tentei. Para não desapontá-la. Não perturbe seu leitor com o inesperado inoportuno de uma intrusão bandida. que pode ter dito aquilo também.mariopersona. Sem machucar a língua. pai das frases órfãs. Ouse romper com regras gramaticais. Branca. Mas evite Benjamin Franklin. Mario Persona é consultor. derrame uma citação de adorno. Algo tão delicioso.Hipertexto não parar de ler. anotei mecanicamente. enquanto me esquecia do compromisso. que leve você a acreditar que todos irão pedir a receita.”. De vez em quando. Abuse do meio.br>.

 Chame-o de você.  Termine cada parágrafo de forma que o leitor continue interessado na leitura do seu texto. As pessoas notam esses erros com facilidade. mas para reforçar vamos relembrar alguns itens anunciados pelo autor.  Utilizar humor sempre que for possível.Universidade do Sul de Santa Catarina De acordo com o texto de Mario Persona.  Utilize sinônimo para evitar repetir palavras num mesmo parágrafo.  Textos curtos para serem lidos rápido.  Linguagem informal com frases curtas e parágrafos breves.  Escreva para todos os gostos diversificando os temas. Leia em voz alta para si mesmo para ver se tem sentido para você.  Conhecer o assunto que você vai falar para dar consistência à mensagem. leve-o para viajar junto.  Corrija os erros de grafia. Elimine palavras e orações supérfluas. Um pequeno erro pode mudar o sentido da frase. você deve ter percebido que é preciso ter um estilo adequado para escrever na internet. gramática e de coerência verbal. Edição de textos Antes de colocarmos o texto na internet temos que dar uma revisão geral e final para ajustarmos todas as “pontas”.  Revise sempre seu texto.indb 90 6/6/2007 14:11:08 . 90 hipertexto. Abaixo uma lista de aspectos que você deve levar em conta na edição do seu texto.  Busque empatia e identificação do leitor com o tema do seu texto.  Cuidado especial com pontuação.

indb 91 91 6/6/2007 14:11:09 . Elas servem apenas para exemplificar ou reforçar seu argumento principal.  Utilize linguagem objetiva. Em geral as pessoas não acham confortável ler na tela e por isso não têm muita paciência para lerem um texto todo. Diferencie os links com ajuda de cores e formatos diversificados para não deixar o leitor confuso. são erros comuns. promovendo alterações nos modos de ler. Nos suportes virtuais. 79% delas. descrever e analisar. estruture textos que possam ser divididos em até três níveis de títulos (por exemplo: 1 título e 2 subtítulos). verbo utilizado em tempo incorreto. A leitura é um exemplo disso.  Utilize recursos de destaque. texto conciso e layout de fácil leitura. Para que possamos administrar bem esse novo aspecto. ela se transforma e adquire novas estruturas. Na maioria das vezes as pessoas. a seguir. Por isso. deixando as complementares de lado.  Erros com relação à grafia. ofereça sempre que possível uma versão separada para impressão. Uma vez que as pessoas percorrem rapidamente o texto. e por tema. A leitura é um dos principais usos das páginas na web. de ênfase. Unidade 4 hipertexto. coloco algumas dicas que devemos levar em consideração.Hipertexto  Atenha-se a idéias básicas. tais como o uso de cores para chamar atenção do usuário. passam os olhos e escolhem palavras e temas de seu interesse pulando assuntos que lhe parecem menos interessantes.  Cuidado para que a cor de fundo não ofusque ou apague o texto e os destaques. significados e ações. plurais faltando o s.  Os textos devem ter um tamanho de fonte suficientemente grande para serem legíveis. Fique atento! Dicas na elaboração do seu texto visando facilitar a leitura Com uso do computador tanto nossos hábitos como comportamentos estão em franca mudança.

Universidade do Sul de Santa Catarina  Tempo é um bem precioso. o texto mais importante. antes que ele desista do seu site.  Use orações de estrutura simples.  Facilite a vida do seu usuário. O leitor deve poder identificar do que se trata a página. agilidade e interação. Não floreie e não coloque palavras difíceis ou complexas no meio do texto. com rapidez.  Um texto curto não significa não ter profundidade. rapidez. Colocação de temas e assuntos na página de um site Para potencializar as vantagens da internet tais como: quantidade e diversidade de informações.  Cuidado com o uso de aspectos de humor.  A primeira frase no texto é a mais importante. devemos desenvolver produtos que levem em consideração esses aspectos.  Um texto longo deve ser dividido em blocos de informações específicas e coerentes.  Informações complementares podem ser relegadas a páginas secundárias. 92 hipertexto. O leitor pode não perceber que é uma brincadeira. Poupe o tempo do seu leitor.indb 92 6/6/2007 14:11:09 . visto que muitos lêem apenas essa frase para terem uma idéia do assunto.  Apresente. cada um de um determinado assunto. Tenha por princípio permitir que o leitor selecione apenas o que for de seu interesse para impressão ou para download. Divida as informações em vários módulos que devem estar ligados ao texto por links. Evite trocadilhos. Informações muito específicas podem ser colocadas em um link. primeiro. As dicas abaixo vão ajudá-lo a fazer um mapeamento mais adequado da informação em um site.

conheça todas as possibilidades de interação com o público que o site oferece e de quebra monte o tênis dos seus sonhos.  Os usuários fazem sua opção de leitura a partir da seleção de opções visíveis. páginas curtas e mantenha os links mais importantes bem visíveis.com> e veja como um site pode ter idéias e design arrojado. Aproveite. Entre no site <http://nikeid. Construa.nike. Unidade 4 hipertexto. entre. fazendo com que o leitor não precise rolar a tela. ele deve ter lido as informações mais importantes.Hipertexto  Numa página da internet o leitor deve poder parar quando e onde quiser. escolhendo cores e acessórios. Figura 2: página inicial do site Nikeid. Além de conhecer os produtos o site permite que você monte um tênis personalizado. mas assim mesmo. portanto.indb 93 93 6/6/2007 14:11:09 .

Os títulos das páginas devem lembrar slogans de outdoor. pois títulos muito longos dificultam o entendimento do leitor. O título deve ser suficientemente claro para dar uma idéia do conteúdo aos usuários interessados.determinada marca de cerveja no Brasil para se diferenciar de outras apela para o argumento que ela cai bem até quando está passando na garganta das pessoas. é bom – a frase visa dar ênfase ao nome da empresa como símbolo de garantia de qualidade. por isso o título do site deve ajudar a encontrá-lo ou o assunto que o usuário busca. A cerveja que desce redondo . Severino (Revista Isto É. 94 hipertexto. Bye. Os títulos devem ser facilmente entendidos e lidos. Use títulos diferentes para páginas com conteúdos diferentes. estava na hora dele sair. Veja a seguir. É importante então que o título tenha palavras que permitam que o tema. de 14.Universidade do Sul de Santa Catarina Como encontrar o melhor título para a página web As pessoas que utilizam a net em geral procuram muito os mecanismos de busca para navegar. pois elas podem conduzir o leitor a um entendimento incorreto do assunto. Se é Bayer. Que ela se ajusta bem ao gosto do público.09. Um título inadequado causa perda de tempo na leitura e na navegação.2005) – foi a forma da revista mostrar que depois de todos os problemas e situações enfrentadas pelo então presidente da Câmara dos Deputados. Bye. assunto ou site seja encontrado com facilidade quando na busca de informação.indb 94 6/6/2007 14:11:09 . cuidado com as figuras de linguagem. alguns exemplos de slogans conhecidos que podem dar uma idéia de como uma frase curta pode dar “uma alma” diferente a um site ou título. O ideal é usar títulos com duas até seis palavras. Ainda em relação ao título.

 o título deve ser um resumo do conteúdo da forma mais sintética possível. sem nada que possa provocar mal-entendidos. torna-se mais breve e fácil a leitura.  não coloque artigos indefinidos no título – o. 28.  a primeira palavra do título deve ser a mais importante e conter informações suficientes que ajudem o leitor a fazer a busca do assunto de seu interesse.indb 95 95 6/6/2007 14:11:09 .2005) – na reportagem sobre a responsabilidade de governantes em relação às vitimas de catástrofes naturais. Assim. um.  evite que os títulos iniciem com a mesma palavra para que o leitor possa diferenciar um título do outro com mais facilidade. A fúria de Rita (Isto É. a. em 2005. Rita é o furacão de 265 km por hora que causou estragos no Texas. Unidade 4 hipertexto. Portanto.09. no USA.Hipertexto Bush paga o pato (Revista Isto É.09. Busque uma palavra que coloque o site em lugar privilegiado considerando a organização dos sites e a possibilidade de resposta de busca por ordem alfabética. dessa forma. para escrever um bom título devemos levar em conta:  o título tem de ser autônomo e fazer sentido mesmo quando não apresenta o conteúdo.2005) – Rita poderia ser uma mulher furiosa que aprontou alguma? Rita pagou imposto mais do que devia? Ou Rita perdeu o emprego? Não. o presidente americano foi responsabilizado pela pouca presteza no atendimento. de 14.  a linguagem deve ser simples.

Os elementos gráficos (cores. entretanto. em algumas linhas. que chame a atenção do leitor se não for fácil enxergá-lo devido à cor da letra ou do fundo. centralizar ou justificar o texto à direita para se obter um efeito especial. movimentos ou efeitos que girem. No caso da utilização do texto com a fonte em cor branca. Para isso fazemos algumas recomendações. Fontes pequenas devem ser utilizadas em rodapés ou itens menos importantes. colaboram para a facilitação da leitura de um texto. por exemplo.  Freqüentemente. na capacidade de enxergar e reconhecer as palavras no site. Quando se faz a mescla cromática.  A legibilidade da página é dificultada se o fundo é escuro e o texto é preto. o texto rosa sobre o fundo verde. uma combinação não recomendada é. tais como as fontes de tamanho 12 a 14. e muito. pois nesse caso. a falta de contraste inviabiliza a leitura. sobre o fundo negro.  Ao construir a página web prefira fundos de cores lisas ou padrões muito delicados e sutis. apaguem e “dancem” com o texto dificultam a leitura.  Utilize cores que façam contraste entre o título e o fundo. 96 hipertexto.indb 96 6/6/2007 14:11:09 . é mais fácil ler uma página quando o texto encontra-se justificado à esquerda.  Fontes de tamanho razoável. tipo e tamanho de letra) podem interferir. dentro das regras. Pode-se.Universidade do Sul de Santa Catarina Legibilidade do texto De nada adiante termos um texto excelente. Um bom índice de legibilidade é o texto preto sobre o fundo branco. O texto deve ficar imóvel. considere que o leitor pode ficar confuso e a leitura pode se tornar mais lenta.

na construção de parágrafos. As noções básicas da comunicação firmadas na existência da teoria de um emissor-mensagem-receptor. 1995). à precisão lexical (refere-se ao significado semelhante ao do dicionário). a cada momento.br>. trilhar caminhos diferentes à sua escolha e participar do processo informacional de forma mais efetiva. na composição semântica (texto com início. com relação à objetividade das informações. Unidade 4 hipertexto. meio e fim) deverão ser revistas em face a ruptura da linearidade (BAIRON.com. mas apresenta um design moderno e elegante.Hipertexto Dê uma olhada no site: <www.indb 97 97 6/6/2007 14:11:10 .almapbbdo. SEÇÃO 4 – A massificação da informação e a interação dos meios de comunicação Devido à ruptura da linearidade provocada pelas novas tecnologias da escrita é possível ao usuário da internet. Figura 3: página inicial do site Almapbbdo. Ele é simples.

filmes. pois graças ao acesso à informática. 98 hipertexto.75). pois nunca mais “haverá a possibilidade de dominação por quem quer que seja. 1995. p. sons e textos.Universidade do Sul de Santa Catarina O momento atual é de socialização tecnológica. as massas ganharam uma certa autonomia. Novidades como o computador. já que permite ao leitor construir seu próprio caminho na leitura. no ato de nomear as coisas do mundo”(BAIRON. 1995. o hipertexto é aquele em que o leitor interage com o discurso. é uma estrutura aberta. O hipertexto. um mero espectador. graças à mistura e às possibilidades fornecidas pelas linguagens tecnológicas. Novos caminhos se abriram para a linguagem e a comunicação em função das possibilidades permitidas pelas novas tecnologias.72). Se antes a massa era apenas agente passivo. e que possibilita o máximo de interpretações. assim como as novas tecnologias de comunicação provocaram tantos novos caminhos teóricos de comunicação” (BAIRON.indb 98 6/6/2007 14:11:10 . p. de múltiplo sentido. sem meio e fim que nos remete a uma cadeia de outras associações. sem começo. SEÇÃO 5 – O discurso do hipertexto Como você estudou na Unidade 1. hoje ela é agente participativo e interativo do processo. portanto. Essa possibilidade infindável de caminhos é que proporciona uma espécie de bricolagem de imagens. o monitor (TV) e o telefone (modem) têm possibilitado a todos nós novos instrumentos de comunicação nos quais tudo pode ser transformado ou mesclado. músicas e ruídos. que hoje passam pelo processo contínuo de interação entre os meios de comunicação “Nunca a interação dos meios de comunicação deveu tanto à tecnologia quanto neste final de século.

Vejamos mais de perto cada um deles. de que a rede de significações que constitui o conhecimento está em permanente transformação. 2) Princípio de heterogeneidade Os nós e conexões de uma rede hipertextual são heterogêneos. etc. Na memória serão encontradas imagens. ANDRADE.. caso se trate de um tratado internacional pode repercutir na vida de milhões de pessoas (na escala da macrorede social). quando analisado. ou seja. suficientemente vivenciada por todos os que lidam diariamente com informações. 1) Princípio de metamorfose Conforme Lévy.indb 99 99 6/6/2007 14:11:10 . qualquer nó ou conexão. sons palavras. Unidade 4 hipertexto. a rede hipertextual está em constante construção e renegociação. O princípio de metamorfose explicita a idéia. pode revelar-se como sendo composto por toda uma rede. apud CORREIA. há efeitos que podem propagar-se de uma escala a outra: a interpretação de uma vírgula em um texto (elemento de uma microrede de documentos). artefatos. etc. e assim por diante indefinidamente. forças naturais de todos os tamanhos. Lévy (1993) chama atenção para a diversidade das conexões que podem ser estabelecidas entre dois temas ou objetos. Ao sublinhar a heterogeneidade na composição dos nós/significados. O processo sociotécnico colocará em jogo pessoas. mas essa estabilidade é em si mesma fruto de um trabalho. com todos os tipos de associações que pudermos imaginar.Hipertexto Para Pierre Lévy (1993. diversas sensações. Em algumas circunstâncias críticas. 3) Princípio de multiplicidade e de encaixe das escalas O hipertexto se organiza de modo fractal. 1997) existem seis princípios fundamentais que caracterizam o hipertexto. ao longo da escala dos graus de precisão. grupos. Ela pode permanecer estável durante certo tempo. e as conexões serão lógicas afetivas. modelos.

ou melhor. o que também pode significar que não existe fora: interior e exterior não são nitidamente determinados. O princípio de exterioridade pretende caracterizar a permanente abertura da rede hipertextual e do conhecimento em construção. finas linhas brancas esboçando por instante um mapa qualquer com detalhes delicados. não existe dentro. 5) Princípio de topologia Ou seja. apenas com finalidades operacionais. Na visão de Lévy. Um espaço de representações. Neles. excitação de elementos terminais (captadores). trazendo ao redor de si uma ramificação infinita de pequenas raízes. O acentrismo é uma característica 100 hipertexto. saltando de um nó a outro. 6) Princípio de mobilidade dos centros A rede não tem centro. por vizinhança. de caminhos. nem motor interno. e depois correndo para desenhar mais à frente outras paisagens do sentido.indb 100 6/6/2007 14:11:10 . tudo funciona por proximidade. só existe fora. Tudo que se desloca deve utilizar-se da rede hipertextual tal como ela se encontra. ela é o espaço. mas um espaço vital no qual se estreitam e se multiplicam as conexões biológicas que entretecem o conhecimento. Para Lévy: a rede não está no espaço. estabelecendo-se. sua composição e sua recomposição permanente dependem de um exterior indeterminado: adição de novos elementos. rizomas. conexões com outras redes. realçando o significado da expressão “ecologia cognitiva” criada por Lévy.Universidade do Sul de Santa Catarina 4) Princípio de exterioridade A rede não possui unidade orgânica. O que está em foco no princípio de topologia é a idéia de proximidade entre significações. possui permanentemente diversos centros que são como pontas luminosas perpetuamente móveis. as mensagens poderiam circular livremente. tópica e momentaneamente. Não há espaço universal homogêneo no qual haja forças de ligação e separação. ou então será obrigado a modificá-la. fronteiras móveis. Seu crescimento e sua diminuição. o curso dos acontecimentos é uma questão de topologia. etc.

tais como: quantidade e diversidade de informações. sendo esse um fator decisivo e. ao mesmo tempo. Escrever para internet nos leva a repensar a linguagem falada e a linguagem escrita e a considerar outros modos de construção. de escrever e analisar. que nos suportes virtuais a leitura se transforma e adquire novas estruturas. agilidade e interação.indb 101 101 6/6/2007 14:11:10 . Você aprendeu que existem novas regras e orientações para escrever para a internet. Relembrando: utilizando os recursos hipertextuais os usuários se movimentam por documentos e assuntos. as regras de elaboração de textos. rapidez. desenhando um percurso que hora pode ser fácil hora pode ser muito complicado. significados e ações. Síntese Para compreender a linguagem utilizada pela internet e especificar suas formas de redação com a finalidade de propiciar uma boa leitura e entendimento você estudou que para que a mensagem seja passada de forma eficiente é fundamental saber utilizar os recursos que facilitam essa comunicação.Hipertexto especialmente relevante da rede hipertextual. que pode ser imediatamente transferida para a constituição do conhecimento em sentido amplo. Aprendeu também a potencializar as vantagens da internet. promovendo alterações nos modos de ler. títulos e legibilidade do texto. e os princípios que regem o hipertexto Unidade 4 hipertexto. Quando escrevemos temos a tendência a trazer para o texto nossos hábitos e vícios adquiridos quando escrevíamos no papel. do uso e da atualização do hiperdocumento. facilitador da criação. Isso porque cada nó pode conter em si toda uma rede A estrutura de um hipertexto determina e descreve o sistema de ligações ou relacionamentos entre os nós ou unidades de informação.

102 hipertexto. 1. d) ( ) Fontes pequenas devem ser utilizadas em rodapés ou itens menos importantes.indb 102 6/6/2007 14:11:10 . subtítulos e listas com os temas das outras páginas. a) ( ) Utilizar cores que façam contraste entre o título e o fundo. movimentos ou efeitos que girem. 2. O que você deve levar em consideração na hora de elaborar um texto? a) ( ) O foco deve ser no conteúdo e nos títulos que devem ser apresentados de forma mais atraente possível. b) ( ) As cores não fazem diferença o importante é o tamanho e tipo da letra. apaguem e “dancem” com o texto facilitam a leitura. Assinale as alternativas para que um texto seja legível. e) ( ) É mais fácil ler uma página quando o texto encontra-se centralizado ou justificado à direita. separe por assunto. explique bem sua idéia para que todo possam entender e não fiquem dúvidas. c) ( ) O texto não deve ficar imóvel. b) ( ) O foco é apenas o conteúdo. d) ( ) Não se preocupe com o tamanho do texto. e) ( ) Use parágrafos curtos.Universidade do Sul de Santa Catarina Atividades de auto-avaliação Assinale as alternativas corretas. c) ( ) Escrever apenas o mais importante de uma idéia pensando em facilitar a leitura e a compreensão.

Leitura e escrita na web linguagem em (dis)curso. C.  WOLTON. S. tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Goiânia: Ed. 2004. C. S. 1997. 5. D.  PINHO NETO.Hipertexto Saiba mais  BARBOSA. n. 2003. Porto Alegre: Artes e Ofícios. 1. Internet e depois? uma teoria crítica das novas mídias. UFG. Tubarão . Unidade 4 hipertexto. 153183. N. PELLANDA. E. ed. Ciberespaço: um hipertexto com Pierre Lévy. Porto Alegre: Sulina. A. v. A.  PELLANDA.  LEMOS. sociabilidade e consumo. Porto Alegre: Sulina. A. Internet. S. Cibercultura. J.  TURKLE. jan. 2. p.indb 103 103 6/6/2007 14:11:10 .. 2001. L. 2004. Lisboa: Relógio d’Água. A vida no Ecrã: a identidade na era da internet./jun. de.

indb 104 6/6/2007 14:11:11 .hipertexto.

 Ensinar os princípios fundamentais da propaganda na web e dotar o aluno de conhecimentos técnicos para o desenvolvimento da criação de uma peça de publicidade on-line. hipertexto. em especial. Seção 2 Publicidade on-line. Seções de estudo Seção 1 Reorganizando e orientando a mídia. Seção 3 Comercialização on-line.UNIDADE 5 Técnicas de textos publicitários e jornalísticos para web 5 Objetivos de aprendizagem  Conhecer e estudar a publicidade e. a publicidade on-line.indb 105 6/6/2007 14:11:11 .

já que a internet tem sido vista como um meio mais ágil e barato de fazer publicidade. SEÇÃO 1 – Reorganizando e orientando a mídia Em unidades anteriores pudemos perceber que houve diversas mudanças nas nossas vidas ligadas ao advento do computador e da internet. Para que você entenda melhor é necessário perceber que grandes empresas estão reorganizando seus investimentos em propaganda e reduzindo as suas verbas nas chamadas mídias tradicionais (TV aberta. Na internet os anúncios ainda lutam para chamar a atenção do leitor que tem a tendência a descartá-los com facilidade. Entre essas mudanças podemos citar a economia de tempo e a redução de custos. tanto de produção quanto de estoques. jornal.Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de conversa A propaganda é uma atividade muito cara e utilizada por empresas que precisam vender seus produtos. Agora vamos estudar um pouco mais a fundo a internet como mídia e a comunicação publicitária como ferramenta dessa mídia. por isso a importância para um web designer de encontrar uma solução eficiente para uma nova e poderosa mídia.indb 106 6/6/2007 14:11:11 . rádio. Negócios na internet Grandes mudanças nas relações entre empresas e clientes têm sido realizadas graças ao comércio eletrônico na web. e as empresas para acompanhar o mercado consumidor precisam acompanhar essas tendências. revista). Os anunciantes exigem cada vez mais peças criativas e apropriadas ao que querem vender. 106 hipertexto. O motivo é a mudança do que o público-alvo quer. Novas formas de nos comunicarmos e uma nova linguagem foram criadas para efetivar essa comunicação.

vídeo.8 bilhão de reais. (MAIA. Unidade 5 hipertexto. Instituto de Pesquisa e Marketing on-line. rádio. procura o produto na internet para a tomada de decisão e formação de opinião tanto em relação a preços. a previsão de vendas. Com base nesses dados você pode perceber a importância que a internet vem tendo na vida das pessoas e das empresas. receber e-mails pelo rádio do carro. é de 30% a mais do que no ano de 2004. mais possibilidades de crescimento profissional. Novas mídias Navegar na internet por meio do televisor. Em estudos feitos pelo E-bit. 2005). pela web. É mais do que provável que no futuro teremos um equipamento que unirá as funções do televisor.indb 107 107 6/6/2007 14:11:11 . dos quais 13. Para você como profissional na área de web designer significa mais mercado de trabalho. computador. a TV fechada. Suas vendas virtuais somaram 1. outras mídias se mesclam com ela. o total de usuários de internet no mundo inteiro alcançou aproximadamente 1 bilhão de pessoas e as vendas pela rede 5 trilhões de dólares. Para as empresas significa uma nova oportunidade de atingir mais e melhor um público qualificado. a internet alcançou 21 milhões de usuários.4 milhões eram usuários domésticos ativos. o que significa um aumento de 47% nas vendas em relação ao ano de 2003. ver fi lmes no computador. Mas a nova mídia não é composta apenas de internet. e ainda poderá monitorar os eletrodomésticos de sua casa. como os celulares. Esse desempenho foi cinco vezes superior à expansão do varejo convencional. quanto a marcas. ainda que não faça compras on-line. O consumidor atual. etc. celular. No Brasil. Para 2005. em 2004. não é mais fi lme de ficção científica. SIMÕES.Hipertexto Empresários de todos os portes têm sido atraídos para a internet apostando que vale a pena ampliar seus negócios pela rede. lançamentos e novidades. CD. mas realidade. Cada vez mais é preciso adequar nossa mensagem ao meio que vamos utilizar para que ela chegue de forma correta ao nosso público e isso aos poucos está acontecendo na internet.

Isso tudo tem feito com que a televisão aberta.  DVDs que permitem a escolha de local.  canais ou programas de compra por telefone. blogs.indb 108 6/6/2007 14:11:11 . e as novidades cada dia maiores em relação à telefonia celular. Essas mudanças de comportamento se devem às novas características dessas mídias. filmes ou outros programas para serem vistos na TV e pagar pela transmissão privada desse programa em suas casas mais tarde. SEÇÃO 2 – Publicidade on-line A comunicação publicitária está sendo alterada com a difusão da internet e com o crescimento no número de usuários.  CD ROM e internet que além da navegação permitem a criação de home pages. exigindo dos profissionais novas formas de divulgação de seus clientes e na exposição de produtos ou serviços. “ (Fonte: <http://pt.2005). O evento é mostrado ao mesmo tempo para todos os que compraram.com. acesso em 21.Universidade do Sul de Santa Catarina A televisão digital. chats. tenha perdido sensivelmente seus lucros além da sua hegemonia. 108 hipertexto. mas têm reagido estimulando a compra por meio das mais diversas promoções. DVD e a internet. conferências virtuais. As rádios já transmitem via internet.12.12.org/>. acesso em: 22. tais como: “Pay-per-view é o nome dado a um sistema no qual os que assistem a televisão podem telefonar ou usar o controle remoto e comprar eventos. O crescimento de novas mídias como a TV a cabo. Pay-per-view traduzido significa ‘pague-para-ver’. permitirá que você escolha as imagens que quer ver em cada canal e ainda fazer compras ao mesmo tempo.wikipedia.profissaomestre. estremeceram as bases da área de atuação da TV aberta. por exemplo. fotologs. etc.  maior interatividade na utilização do sistema pay per view. TV independente. hora e tipo de programação. detentora da maior audiência na mídia.brsmu/>. envio de e-mails. Os jornais também têm perdido muitos leitores. e vão mais além: qualquer um pode transmitir também para o mundo todo (JÚLIO CLEBSCH.2005)  oferecimento de um grande número de canais. <http:/www.

Para obtenção do cliente fiel. 2000). a internet leva vantagem na disputa com a mídia tradicional pela verba dos anunciantes. e ainda ter monitoramento pós-venda que somente a internet oferece. sem limite de tempo e espaço. visto que é possível a realização de uma campanha de comunicação com um custo muito mais baixo. saber quem nos visitou. se o usuário veio por meio de um banner colocado na página de um provedor. 365 dias por ano. É importante salientar que. produtos e serviços. etc. as vantagens da publicidade sobre sistemas de informação.. Como a internet permite que a qualquer hora do dia ou da noite milhares de pessoas estejam conectadas. 24 horas por dia. são:  segmentação – é a possibilidade do anunciante de focar seus usuários.  flexibilidade e entrega da mensagem – na web. a avaliação dos recursos mais solicitados é fundamental. marcas. o anúncio é entregue em tempo real.Hipertexto Dessa maneira. Características da publicidade on-line Na internet a publicidade precisou desenvolver características que respeitassem a linguagem e explorassem seu potencial de comunicação. para a publicidade é vital aproveitar esse mercado. Unidade 5 hipertexto. dia ou o browser específico. Segundo Chleba. 2000). quando entrevistados. apud CANESSO. Possibilita testes constantes de resultado e redirecionamento no meio de uma campanha. 7 dias por semana. É possível saber quantas vezes uma página é clicada. Zeff e Aronson (1999.  monitoramento – é o controle sobre o retorno de cada inserção de mídia e a identificação do modo que os usuários interagem com as empresas.indb 109 109 6/6/2007 14:11:11 . bem como direcionar qualquer mensagem programando hora. os internautas afirmaram que a publicidade online é considerada menos intrusiva que a da TV ou mala direta (CASTRO. No mercado existem muitos softwares para mensuração de recall (resposta) à peça publicitária.

 riqueza de formato – as anúncios web podem utilizar mais efetivamente a interação entre texto. Além disso. 110 hipertexto. Prospects são possíveis clientes de uma empresa. A web é a única mídia que permite combinar o poder da comunicação de massa de emitir uma mensagem e alcançar grande audiência com as possibilidades de interação e feedback da comunicação interpessoal. Com tudo isso fica cada vez mais importante saber utilizá-la de forma correta para divulgar o produto da nossa empresa ou de nosso cliente. Jogos.  custo – anúncios on-line às vezes são mais baratos que os veiculados em outros meios. podem ser atualizados a qualquer momento com custo mínimo. sons e vídeos já não se limita a quem possui gráficas. que também contam com maior possibilidade de atrair os prospects para uma marca ou produto. A possibilidade de formação de banco de dados com os participantes de uma ação promocional é uma das grandes vantagens dos anunciantes. o jornal e a revista para a web. promoções no teste de produtos e na decisão de compra.indb 110 6/6/2007 14:11:11 . entretenimento e promoções podem ser facilmente combinados nos anúncios. em geral fazem parte de uma lista. elementos gráficos e animação. Unindo vantagens de vários tipos de mídia. visto a riqueza de possibilidades que permite. áudio. muitas vezes.Universidade do Sul de Santa Catarina  interatividade – permite a participação imediata do usuário em pesquisas. o rádio. classificados por interesses comuns. imagens. até mesmo nos profissionais que com ela trabalham. a internet tem dado um “baile” nos demais veículos e.  a convergência das mídias também deve ser considerada – o poder de comunicar palavras. Hoje sabemos que o baixo custo e grande alcance estão levando a televisão. emissoras de televisão ou de rádio.

mas se você estiver planejando ter clientes que retornem. pois podem dificultar a navegação e o carregamento das páginas. Unidade 5 hipertexto. A maioria dos sites de sucesso na web muda constantemente. da variedade de sua linha. é uma experiência favorável.Hipertexto Site na ótica da publicidade Para que um site chame a atenção do consumidor. Cada pessoa que passar pode ou não dar uma olhada na sua vitrine. Fique atento e busque prender a atenção do seu usuário criando sempre a expectativa de novidades e atrativos constantes. Se as pessoas apenas consultarem a primeira página do site e forem embora. Lembre-se disso na hora de planejar o seu. buscando sempre novas formas de atrair o seu público. do seu atendimento e pagamento facilitado. Experiências agradáveis e prazerosas encorajam as pessoas a comprar. mas para entrar na loja dependerá do grau de atrações e interesses que você coloca nela. Estimule novas visitas com a possibilidade de adquirir outros produtos por meio de promoções. Um site profissional e bem organizado. significa que a atração do seu site foi nula. Pense na sua primeira página como se fosse a vitrine de uma loja em uma rua de comércio intenso. estimulante e atualizado. Talvez a sua linha de produto não permita isso. é necessário evitar o uso de muitos recursos gráficos. que facilita aos clientes encontrarem os produtos que desejam sem ter que se esforçar muito. Importante: fique atento aos detalhes ergonômicos para a construção de seu site (você deve ter estudado na disciplina Comunicação Visual na Web). o seu site precisa parecer vivo. Não há nada mais cansativo e chato do que esperar por muito tempo o site ser carregado.indb 111 111 6/6/2007 14:11:12 .

profundidade. na tonalidade mais clara.com. (Pesquise em: <http://www.br/studioart/index. Ela apresenta diferentes soluções para diferentes tipos de clientes que podem lhe ajudar a ter sugestões e referências para seus trabalhos profissionais.  Roxo – Pode parecer misterioso. visite a página do Studioart.  Laranja – cor quente produz sensação de aconchego. transmite calma. saciedade e intimidade.  Branca – representa pureza e é mais legível aos usuários.  Marrom – cor sóbria e sólida. o uso correto influi e pode ser o diferencial na comunicação do site de uma empresa. e limpeza. nobre ou divertido. na tonalidade mais escura. Ela é uma das muitas empresas que trabalham hoje com soluções de comunicação na internet para seus clientes.  Amarelo – cor alegre e vivaz. mas pode passar sobriedade quando combinada com outras cores.studioart. os mais claros sugerem energização e força.Universidade do Sul de Santa Catarina Saiba mais Como sugestão. serenidade e profundidade. imponente e chamativa. Seus tons mais escuros sugerem sobriedade e poder.indb 112 6/6/2007 14:11:12 . dependendo das suas combinações.asp>.  Rosa – cor feminina e sugere doçura.) Cores As cores se relacionam diretamente aos sentimentos e à percepção humana e. por isso.  Cinza – transmite sensação de algo impuro e indeciso.  Verde – cor da natureza.  Azul – a cor mais usada em sites por transmitir sensação de tranqüilidade.  Vermelho – cor quente. muito usada para destaques de alguns elementos no layout. presente em 99% dos websites. simplicidade e intimidade. 112 hipertexto. combina muito bem com o branco.  Preto – cor elegante e eterna.

2006. os recursos para gerar feedback e a coleta de dados sobre os visitantes. o chamariz que aumenta e mantém um tráfego elevado. acesso em: 20.ico-cosmeticos.com. como número de telefone. de fax e e-mail. Unidade 5 hipertexto.  dar respostas às dúvidas dos clientes e informações adicionais solicitadas em linguagem simples e clara e no máximo em 24 horas. tais como: a temática das páginas.  oferecer serviços de bate-papo para o cliente tirar dúvidas sobre o produto. que contempla essas características: Figura 1: página inicial do site ICO Cosméticos.01. as técnicas de design que permitam induzir os visitantes a navegar para determinadas páginas. a lógica e ordenação desse conteúdo. Fonte: <http://www.br/>. Veja a página inicial da ICO Cosméticos. lembrando que o cliente virtual não tem hora para ser atendido.indb 113 113 6/6/2007 14:11:12 .Hipertexto Site-mídia É um conjunto de critérios mercadológicos que deve conferir ao website algumas características importantes. Para que um site tenha uma boa comunicação com seu público ele deve:  fornecer várias opções ao visitante para entrar em contato com a empresa.

Não é verdade. investir em banners e links patrocinados. é mais fácil praticar a venda casada. 114 hipertexto. A mensagem publicitária cria e exibe um mundo perfeito e ideal. oferecer um produto adicional àquele já escolhido pelo visitante. Talvez você pense que estamos nos repetindo. Figura 1: página inicial do site do Instituto Albert Einstein. mas que não se limita ao mundo dos sonhos. Fonte: <http://www. A linguagem do dia-a-dia. que também é usada na linguagem publicitária. 2000). No varejo on-line. com um preço especial.com. não é por si só suficiente para criar os efeitos de persuasão que a linguagem publicitária exige. indicando o que deve ser usado e comprado pelo consumidor (CARVALHO.institutoalberteinstein.  marcar presença nos shoppings virtuais.  buscar visibilidade máxima nos sites de busca e anunciar no mundo virtual.br/>. acesso em: 20/01/2006 Linguagem publicitária Você já estudou sobre a linguagem e suas variações na disciplina de Leitura e Produção textual.Universidade do Sul de Santa Catarina  criar promoções periodicamente e cumprir o que promete.indb 114 6/6/2007 14:11:12 . ou seja. já que busca conciliar o princípio do prazer com o da realidade. que esse assunto já foi estudado.

modismos e até gírias. 2001. se vale da argumentação e da persuasão aliadas à definição do público-alvo. mesmo como de pano de fundo. sempre na busca dessa intimidade. portanto. Este efeito através de adjetivos e advérbios tem uma função apelativa na linguagem uma vez que é usada para convencer e chamar a atenção dos outros. causando impacto e permitindo leituras para além do que foi dito. ela requer uma linguagem própria cujas características devem contemplar algumas particularidades:  o discurso publicitário. Deve ser. em geral. para convencer o cliente. informal. simples. será melhor a argumentação dos fatos e características de um produto/serviço. coloquial. a persuasão aliada à emoção. persuadir.  a retórica publicitária. tem pouco tempo e pouco espaço para veicular uma mensagem. Unidade 5 hipertexto. convencendo o consumidor de sua eficiência. incitar à ação. Aos racionais. incisivas e carregadas de sentido. 25) A publicidade de produto mais agressiva tem por objetivo convencer.Hipertexto Somos constantemente atraídos pelo apelo das mensagens. Em geral. Características para texto publicitário Para ser persuasiva. a linguagem publicitária deve buscar intimidade com o público a que se destina. A linguagem publicitária é uma mistura de imagens com palavras que querem vender um produto.indb 115 115 6/6/2007 14:11:12 . Nesse sentido. Na linguagem publicitária aproveitamos os neologismos. p. registro fiel dos anseios e desejos da sociedade do nosso tempo. A publicidade utiliza mensagens curtas. já aos emotivos. O receptor é tratado por “você”. Em geral os textos das mensagens publicitárias utilizam muitos adjetivos e advérbios para valorizar as características do produto fazendo com que se encaixe nas necessidades do consumidor. pessoal. esses argumentos são os que predominam. “(GIANGRANDE. que exige capacidade crítica e intelectual para perceber as artimanhas desse discurso e desmontá-lo. aliciar. Escapar de tão sedutor exercício discursivo é algo difícil.

e textos longos. Se necessário reveja a Unidade 3.indb 116 6/6/2007 14:11:12 . tais como:  afagar o ego do leitor. desenvolvendo o encadeamento de argumentos e persuasões. 15). BLECHER.Universidade do Sul de Santa Catarina O texto publicitário deve começar atraindo a atenção. qualificação. 1997. 116 hipertexto. Quanto ao conteúdo. quase todos psicológicos.  buscar a sua simpatia. 25). a incitação.  fazê-lo crer que sua adesão ao apelo o torna superior em status. o discurso lança mão de uma série de artifícios de persuasão. Dicas para criar uma marca Uma marca é um produto ou serviço ao qual foram dadas uma identidade. pouco comunicativos fazem o leitor perder a atenção. que “abarca a totalidade das percepções. um nome e valor adicional de uma imagem de marca. p. experiências e sentimentos associados com o produto” (RANDAZZO. Randazzo nos diz que a “marca é constituída a partir de uma mitologia latente de um produto”. A imagem é desenvolvida pela propaganda ou em todas as outras comunicações associadas ao produto. etc. crenças. pois as condições em que ele é lido são lentas. deixando o melhor por último. O discurso deve ser tão curto quanto para permitir a natureza do que se veicula.  fazê-lo identificar-se com o apelo. Para o fim. 1997. deixa-se o apelo. maçudos. incluindo a sua embalagem (MARTINS. As figuras de linguagem e a polissemia são muito utilizadas no texto publicitário.  envolvê-lo emocionalmente. p.

 Use tipografia discreta e pronúncia simples. A marca é um nome que. Marca registrada é uma marca ou parte de uma marca à qual é dada proteção legal. 14) E para que precisamos de uma marca? A marca serve para deixar uma imagem do produto/serviço na mente do consumidor. símbolo ou desenho. de preferência utilize uma palavra de poucas sílabas. um sinal. deve passar a imagem do produto.  Na ortografia não deixe margem a dúvidas quanto à sua pronúncia. Unidade 5 hipertexto. porque é capaz de apropriação exclusiva. Ao criar uma marca. se refere ao produto. Nome da marca é aquela parte da marca que pode ser pronunciada. sexo e classe socioeconômica. seu uso. a cultura daquele grupo. que pretende identificar os bens e serviços de um vendedor ou grupo de vendedores e diferenciá-los daqueles dos concorrentes. Você também deve levar em consideração o produto: suas características.  Seja curto. ou uma combinação dos mesmos.  Não repita fonemas. e esse “nome” tem de ser memorizável e deve evocar qualidades que se deseja associar ao produto. 1996. suas vantagens. ou seja. p. mas pode ser também da empresa. em geral. Fonemas iguais dificultam o entendimento da palavra para quem está ouvindo. Por exemplo. Poucas pessoas reconheceriam imediatamente Edson Arantes do Nascimento. o valor que você quer agregar a ele para que seja comprado mais facilmente. (AMA apud PINHO.indb 117 117 6/6/2007 14:11:13 . Garrincha é a mesma coisa? Você lembra do nome dele? Para criar uma marca além das informações abaixo você tem que levar em consideração o público a que se destina o produto. um termo. idade. como você é conhecido no trabalho ou na escola? Pelo nome? Sobrenome? Apelido? Pelé é uma marca.Hipertexto A marca pode ser um nome. ou pronunciável.

Um slogan deve expressar. Esta marca deriva do seu próprio nome International Business Machines. o tipo de fonte utilizado nas letras é suave e simples. Alguns chamam de xérox outros de xeróx. fácil das pessoas pronunciarem e não deixa dúvidas de como falar o nome da marca. Também se utiliza das características acima. Dicas para criar um slogan Slogan é uma frase fácil de se reter na memória para que uma pessoa. é curto. Juntos eles passam a imagem da marca Natura. É uma marca tão conhecida que virou sinônimo de impressão reprográfica. Com o azul mostra sobriedade. em poucas palavras.Universidade do Sul de Santa Catarina Analisemos alguns exemplos de marcas conhecidas: O nome não repete os fonemas. A marca passa uma imagem de modernidade e seriedade no trato de seus negócios. 118 hipertexto. A cor forte ajuda a ressaltar a marca em termos de visibilidade e passa a idéia de modernidade. um argumento de vendas fundamental. o que remete à primeira impressora que usava tinta não-líquida. mas como foi criada num país estrangeiro para nós cria dificuldades na pronúncia. mas mesclado com branco mostra também suavidade. mas nem por isso para nós brasileiros ela é perfeita. produtos que tratam bem você e a natureza. empresa ou produto não seja esquecido pelo público. A palavra xérox significa seco. A marca segue as mesmas regras acima. remete a uma folha no outono. O logotipo também é discreto.indb 118 6/6/2007 14:11:13 .

simpático. pois o longo dificulta a memorização dele todo.  Descrever o produto. ou serviço. repete.Hipertexto Um bom slogan deve possuir determinadas características. Aspirador de pó Arno – Faz em poucos minutos o trabalho de muitas horas. também ajuda. também ajuda. de fi xar na cabeça do público. prende e realça. com sinceridade. pois não basta anunciar. de preferência. Canetas Parker – A caneta mais desejada do mundo.indb 119 119 6/6/2007 14:11:13 . Kibon – uma das boas coisas da vida. Quem bebe Grapette.  Para ajudar na memorização o slogan pode ter uma certa cadência e rima. Soutiens DeMillus – Ergue.  Deve ser fácil de decorar.  Ser agradável. quando for possível. Unidade 5 hipertexto. tem que identificar o produto ou serviço que se está anunciando. Fígado bom com Belaton. Bromil – O amigo do peito. portanto deve ser.  Personalidade. curto.

quem o toma forte fica.  C&A – Abuse e use. mas Diamante Negro é melhor. Se você clicar nos modelos de site eles abrem páginas principais.indb 120 6/6/2007 14:11:13 .com. Leite Moça – Nada é bom por acaso.  Provérbios. máximas.htm > 120 hipertexto. Relógios Technos – Tudo é uma questão de tempo. Exemplos de palavras de ordem:  Cigarro Charm – O importante é ter Charme. Exemplos de máximas e ditados:  Lacta – Viver é bom. ditados e palavras de ordem são outros recursos que podem ajudar na construção de um slogan (IASBECK. 2002). Visite o site a seguir e observe o cuidado com que trata os slogans da empresa ou o produto dentro do próprio site. Brasso. é um braço para limpar metais. Fortifica quem o toma.Universidade do Sul de Santa Catarina  Utilizar de trocadilhos ajuda a gravar a mensagem.br/webdesign.  Diners – Viver bem não tem limites.gabrieloliveira. Bem interessante! <http://www. Desodorante AXE – A primeira Impressão é a que fica.

Fonte: <www. no início. cometeram o erro de tomar a internet como mais um meio de comunicação sem levar em conta suas características (interatividade. 24 horas por dia e capacidade de fornecer informações). Técnicas publicitárias na internet Muitos publicitários e marketeiros. animados ou interativos. a mensagem pode ficar disponível 7 dias na semana.  Ter frases afirmativas ou interrogativas.indb 121 121 6/6/2007 14:11:13 .com. Neste item vamos estudar as técnicas mais utilizadas na internet até o momento. não funcionaram no novo mundo da internet. acesso em: junho de 2002.br>.  Não ter chavões. Unidade 5 hipertexto. Os banners podem ser estáticos. não-limitação de tempo e espaço.Hipertexto Recomendações para títulos de texto  Predomínio de palavras lexicais. Profissionais consideram esse o maior benefício dos banners. o browser leva ao endereço virtual do anunciante. termos técnicos ou hipérboles.  Não transparecer demagogia.abap. Quando ele é clicado pelo internauta. conhecidas e provadas. Funciona por meio de imagens e conteúdo publicitário posicionado geralmente no topo da página do site. Inicialmente esses profissionais simplesmente adotaram as técnicas que já tinham sido consagradas como eficazes na mídia antiga.  Usar formas de tratamento pessoais. essas técnicas. entretanto. Banners O banner é o veículo predominante na propaganda da internet.

podendo ser diferenciados com som ou jogos para chamar a atenção do internauta e estimular o “clique”.br>.org.indb 122 6/6/2007 14:11:13 . os formatos mais comuns de banners são:  full-banner – com formato de 468 por 60 pixels. Esse é provavelmente o formato mais conhecido. gerando maior número de respostas que os banners estáticos. pois possuem mais quadros (frames). É o caso de preencher um formulário on-line ou responder a uma pergunta no site. Disponível em: <http:// www.  half-banner – com formato de 234 por 60 pixels. 122 hipertexto. Sendo assim. por exemplo. esse tipo de banner parece entediante e ultrapassado diante das inovações existentes. veiculam mais informações e impacto visual.banners horizontais e verticais. Esse tem metade do tamanho do full banner.  banner vertical – com formato de 125 por 240 pixels. Atualmente. Figura 3 .Universidade do Sul de Santa Catarina O banner estático é composto de imagens fi xas e foi o primeiro tipo a ser utilizado na internet. Os banners animados remetem à ação. Existem diversos tipos e tamanhos de banners. Os banners interativos envolvem o internauta em uma interação direta. Segundo a Associação de Mídia Interativa (AMI).ami.

 botão C – medindo 88 por 31 pixels.indb 123 123 6/6/2007 14:11:14 .Hipertexto Além desses. ultrapassando até mesmo a comunicação telefônica. Seus formatos padrões mais comuns variam entre:  botão A – medindo 125 por 90 pixels. O envio dessas mensagens pode criar a antipatia do cliente pela empresa que se utiliza dessa prática. O envio de mensagens utilizando banco de dados de e-mails nãosolicitado generalizou-se e está cada vez maior. p. 77) “é uma mensagem publicitária enviada por e-mail para clientes em potencial”. o que caracteriza o chamado spam. Figura 4: banners botões Mala direta eletrônica (e-mail) A mala direta eletrônica para Chleba (apud MENEZES. chamados de botões ou bottons. o e-mail tem se mostrado um veículo que gera um número muito maior de respostas que a correspondência convencional.  botão B – medindo 125 por 60 pixels. podem “carregar” arquivos digitais que são transferidos ao destinatário da mesma maneira como se estivéssemos lhe entregando em mãos um disquete. Por ser de uso tão fácil. Os e-mails. 1999). podendo ainda ser copiadas e alteradas (VENETIANER. 2003. além de mensagens escritas. As respostas também são fáceis e rápidas. Unidade 5 hipertexto. há os banners pequenos.

124 hipertexto. Esse programa permite o envio de um newsletter gratuito de conteúdo de um site. Só podem participar aqueles que estiverem fazendo seu cadastro na Manager Online pela primeira vez e não estiverem reativando sua assinatura. dentro da política de permissão (na qual o internauta pode se cadastrar em uma lista ou pedir informações de determinado produto ou serviço). ou mesmo se traduzir em audiência para o site. podendo cancelar o recebimento a qualquer momento de forma automática. Streaming media Streaming media é o nome genérico da transmissão de mídias (como áudio e vídeo) para o buffer local de um computador cliente na internet. Para deixar de receber informações da Manager.Universidade do Sul de Santa Catarina Uma forma de evitar esse tipo de invasão é dar opções ao consumidor para receber ou não uma mala direta. Pode-se também.indb 124 6/6/2007 14:11:14 . Figura 5: Exemplo de site que visa o usuário se cadastrar em uma lista. Você poderá incluir seu currículo por até 7 dias gratuitos a partir da sua data de cadastro. que a partir daí permite uma relação que poderá ser desdobrar em compra e venda. Área de memória do computador reservada para determinados programas. o que delega uma certa confiança ao mesmo. criar um programa de filiação dos produtos e serviços. por favor clique aqui. sem a necessidade de intervenção de funcionários da empresa.

Isso por si só já é uma grande vantagem. Eles aparecem em bolsas de anúncios. Unidade 5 hipertexto. uma indicação para o homepage do site. já que na mídia on-line há múltiplas possibilidades de consulta e de relacionamento com o cliente. Vamos a elas. sem ter que esperar até que o arquivo inteiro seja “baixado” ou carregado no computador do usuário para depois visualizá-lo ou escutá-lo (MENEZES.Hipertexto Esse processo permite ouvir ou assistir conteúdos instantaneamente. Existem diversas outras formas de fazer propaganda on-line. Vantagens e desvantagens de anunciar on-line A diferença básica entre publicidade on-line e off-line está na interação. 2003). Anúncios classificados São semelhantes aos de jornal. além da publicidade ser dirigida ao indivíduo. As propagandas nas emissoras de rádio on-line estão apenas começando e TVs on-line logo virão também. ou ainda. 2003). Pode exibir uma promoção. Mas existem outras para que você possa pesar os prós e contras. que vão desde anúncios em grupos de discussão. vê o anúncio. ou parte dela. a anúncios em quiosques de computador. Anúncios pop-under Aparecem por baixo da janela do navegador que se está utilizando. anuncia um produto ou serviço (MENEZES. se parecem com anúncios de jornal ou revista. jornais on-line e portais.indb 125 125 6/6/2007 14:11:14 . Anúncios padronizados São maiores e mais perceptíveis que os banners. Intersticial ou splash screen É uma página web inicial. Quando o usuário fecha a janela ativa. utilizada para prender a atenção do usuário por um curto espaço de tempo. Seguem um tamanho padrão e caso o cliente desejar aumentá-los pagará uma taxa adicional.

Universidade do Sul de Santa Catarina Com relação ao banner uma das desvantagens é o alto custo desse tipo de anúncio. portanto. 2004. KING. A taxa média de clicagem nos anúncios hoje é menor que 1%. Faça as contas e veja o custo x benefício. cada vez que uma participante exibir o banner de outra.indb 126 6/6/2007 14:11:14 . Isso significa que a diferença e a novidade podem levar o consumidor a clicar ou não. mas isso não é muito fácil. mas também significa que mais gente o viu. Se o problema for custos. KING. seu próprio banner é exibido no site de outra participante” (TURBAN. “Empresas dispostas a exibir banners alheios inscrevemse. pois você precisa localizar um site que gere quantidade suficiente de tráfego de qualidade. você pode baratear o do banner com uma alternativa bastante usada hoje que é adotar o sistema de permuta. quanto mais cliques. isto é. 138). Quando o banner está inserido em sites de grande visitação ele pode sair caro devido ao número de clicagens. Alternativas para minimizar desvantagens nos custos Empresas que exibem banners alheios e recebem um crédito. Em geral as empresa que comercializam espaços publicitários cobram por cliques. logo acima da barra de rolagem. mais caro fica seu anúncio. geram taxa de clicagem 228% mais altas que os colocados no topo da página. recebe um crédito. Pode valer a pena. 126 hipertexto. A taxa de clicagem para anúncios centrados na página e aqueles localizados a um terço de distância da parte inferior é 77% maior do que a dos colocados no alto da página. O limite de informações permitido dentro do pequeno espaço publicitário exige do profissional grande criatividade ao conceber uma mensagem. apud TURBAN. p. quanto você vai pagar dividido pelo número de pessoas que verão seu anúncio. Após ela ter ‘acumulado’ créditos suficientes. Seja criativo. 2004). local em que usualmente está posicionado o anúncio (DOYLE et al. As bolsas de banners são mercados nos quais as empresas podem negociar ou permutar a colocação de banners uma nos sites das outras. Uma curiosidade é que anúncios colocados no canto inferior direito da tela. 1997.

o esforço de venda pelo meio digital deve oferecer pelo menos uma das vantagens a seguir:  preço menor. Unidade 5 hipertexto. potencializando o efeito da mensagem publicitária.  oferecer interatividade imediata. por uma infra-estrutura pública largamente compartilhada em todo mundo. podemos dizer que realizar comunicação mercadológica na internet é considerado uma evolução no marketing convencional por várias razões:  atingir camadas formadoras e multiplicadoras de opinião.  serviços diferenciados. se bem criada e produzida. diminuindo a necessidade de estoques e possibilitando preços mais competitivos.indb 127 127 6/6/2007 14:11:15 .  maior divertimento.  ser uma mídia com custo absoluto e relativo muito baixo. utilizando uma infra-estrutura de baixo custo para promover seus produtos e serviços para o mundo todo sem necessitar de uma rede de distribuição. A internet permite às pequenas e médias empresas agirem como se fossem grandes empresas. Assim.  gratificação imediata (entrega rápida).Hipertexto SEÇÃO 3 – Comercialização on-line Aos olhos do consumidor. o que geralmente é caro. mas que oferece alto índice de retorno sobre o investimento em comunicação.  maior sortimento de produtos.  maior conveniência.  reduzir custos e aumentar a agilidade com relação a fornecedores.  fácil acesso às informações completas dos seus produtos e/ou serviços.

os sites que apresentam um número maior de visitantes são os de empregos e financeiros. entre os adultos com mais de 25 anos. CDs de música. sobretudo. mais desenvolverão sua chance de vendas on-line. vestuário e calçados.e-commerce. Tanto a empresa como o consumidor precisam se adaptar a um novo processo que requer. livros. são os que gratificam pelo prazer da posse ou por oferecerem oportunidades de lazer e entretenimento. cinemas e vinhos. e o melhor caminho é introduzir um processo digital paralelo ao tradicional para que se habituem à linguagem digital e se utilizem dela com naturalidade. Para os 128 hipertexto. uma mudança de atitudes. Tudo depende de seu ambiente de negócio e das características de seus produtos. com exceção de software e hardware. flores. equipamentos para recreação. entradas para concertos e teatros. por exemplo. são poucas as empresas que oferecem links para outros sites ou oferecem qualquer tipo de conteúdo interativo.Universidade do Sul de Santa Catarina Mercado on-line A maior parte das empresas que tem sites não utiliza essa mídia interativa de forma adequada.org. tais como: viagens turísticas. Perfil do consumidor Segundo dados da pesquisas realizadas no mundo todo e disponibilizadas no site <www. vídeos. Nem todas as categorias de produtos ou serviços são indicadas para trabalhar com o marketing digital. como um jogo ou diagnóstico.indb 128 6/6/2007 14:11:15 . Após a análise de diversos sites. Venetianer (1999) afirma que os produtos que mais vendem na internet. Quanto mais cedo as empresas aprenderem a nova linguagem do marketing. jóias. Cada empresa deverá estudar suas estratégias e adotar as mais indicadas. Apesar de fornecerem informações sobre seus produtos/ serviços e colocarem seus e-mail. deixando muito a desejar.br>.

finanças. Com relação ao tempo de uso. superando os usuários norte-americanos. Os internautas acessam sites e portais de conteúdos diversos. os usuários ficam mais tempo conectados. houve um aumento de 85% no tempo on-line. tais como entretenimento. a maior procura. Houve aumento na inclusão digital das pessoas pelas facilidades de se ter um equipamento apropriado por um baixo custo. comércio e até para procurar empregos. no último trimestre de 2005. Com relação ao tipo de conexão.indb 129 129 6/6/2007 14:11:15 . o que equivale a 3.Hipertexto jovens de 18 a 24 anos.4% dos usuários em escritórios ficam conectados mais de uma hora por dia. Unidade 5 hipertexto. Os dados indicam que 78% dos internautas brasileiros avaliam a internet nacional como ótima/ boa. indicando que há uma mudança no hábito. notícias. com consumo cada vez maior dos serviços on-line. O IBOPE/NetRatings classifica esses tipos de sites em categorias. As ocasiões mais procuradas foram o Dia das Mães. foi de sites que permitem o envio de mensagens de texto da web para o celular. A maioria dos usuários de internet (53%) é do sexo masculino. 23. ao tempo de conexão. Os blogs e fotologs também foram responsáveis pelo aumento do tempo de navegação com um crescimento 14. com um acesso mais amplo às linhas telefônicas e a uma tarifa reduzida. Usuários brasileiros que possuem acesso em suas residências navegam em média 13h 51min cada um. No ano de 2004 constatou-se que. o Dia dos Pais e o Natal. os usuários que possuem acesso por banda larga também aumentaram em 60%. com idade entre 24 e 49 anos e com alto nível de escolaridade. de 2002 a 2005.5 milhões de pessoas.6%. Os serviços de e-commerce foram utilizados por 44% dos internautas ativos no mês de maio de 2003. isto é. entre os adultos e as pessoas da terceira idade. No e-Banking somos o segundo país em termos de percentual de usuários que freqüentam sites financeiros a partir do domicílio.

completando assim as informações citadas.com. tem como renda familiar de R$ 1.ebit.br/empresa) Comentário: podemos perceber que a maioria.00 a R$ 5.br/empresa) 130 hipertexto. portanto 54% das pessoas que fazem compras pela internet. 32% mais 22%.000.indb 130 6/6/2007 14:11:15 . o perfil de compras do internauta brasileiro.quantidade de negócios realizados na internet por renda familiar Fonte: Grupo de pesquisas E-bit (www. com mais clareza.ebit. eles mostram.com.Universidade do Sul de Santa Catarina Observe os gráficos abaixo.000.00. Gráfico 2 . Gráfico 1 .quantidade de negócios realizados na internet por idade Fonte: Grupo de pesquisas E-bit (www.

com.ebit.br/empresa) Unidade 5 hipertexto. 37% são pessoas de 35 a 49 anos e 34%. Gráfico 4 .br/empresa) Comentário: pelos dados também podemos perceber que o público que mais compra pela internet é o que tem curso superior. pessoas de 25 a 34 anos. Gráfico 3 .Hipertexto Comentário: nesse gráfico.quantidade de negócios realizados na internet por escolaridade Fonte: Grupo de pesquisas E-bit (www.com. por ordem de utilização os que têm pós–graduação (20%). superior incompleto (24%) e superior completo (35%). podemos perceber pelos dados que o público da internet que mais compra não é formado por jovens.quantidade de negócios realizados na internet por sexo Fonte: Grupo de pesquisas E-bit (www. ou seja.indb 131 131 6/6/2007 14:11:15 .ebit.

As pesquisas nos mostram o crescimento das mulheres e dos mais velhos como público e com poder aquisitivo expressivo. reduzindo as suas verbas na TV aberta. No âmbito da publicidade on-line você estudou as vantagens da publicidade sobre sistemas de informação (segmentação. e riqueza de formatos). flexibilidade e entrega de mensagem e interatividade.Universidade do Sul de Santa Catarina Com base nas pesquisas. rádio. os profissionais que trabalham com a internet podem definir suas estratégias de ação de forma a atingir melhor o perfil desses usuários. Esses empresários têm sido constantemente atraídos para a internet apostando que vale a pena ampliar seus negócios pela rede. fique atendo ao perfil dos consumidores. revista. jornal. Para você que escolheu esse caminho – web designer – as portas estão abertas. TV independente.indb 132 6/6/2007 14:11:16 . 132 hipertexto. A banda larga. DVD e internet estremeceram as bases na área de atuação da TV aberta e que os jornais também têm perdido muitos leitores. Síntese Para alcançar novos objetivos você precisou conhecer as mudanças que grandes empresas estão fazendo para reorganizar seus investimentos em propaganda. são potencialmente bons compradores. Você estudou que o crescimento de novas mídias como a TV a cabo. monitoramento. os passos que levam ao seu futuro estão aqui. devido à concorrência também está se tornando mais procurada. o que vem a permitir o melhor uso de efeitos na divulgação de nossas mensagens. ou seja. convergência das mídias. Fique atento às mudanças tecnológicas. Outro fator importante é a popularização da internet com os custos de aquisição de equipamentos e de acesso mais baixos. custo.

indb 133 133 6/6/2007 14:11:16 . vendendo o seu produto/serviço da forma mais adequada. Todas essas informações vão lhe ajudar a dialogar melhor com o cliente do seu site. Falando em site. de forma a obter o melhor resultado para seu site.Hipertexto Você também aprendeu como as cores funcionam em termos de efeitos e influência no comportamento do consumidor. slogan e discurso publicitário. vantagens e desvantagens em relação a outras mídias e o perfil do público consumidor. Com esse mesmo objetivo vimos e estudamos alguns casos de marca. Nas técnicas publicitárias estudamos os diversos tipos de comunicação publicitária on-line. conhecemos regras básicas para que esse tenha uma boa comunicação com seus públicos. Atividades de auto-avaliação 1) Quais são as chamadas mídias tradicionais? 2) Quais são então as novas mídias? Unidade 5 hipertexto.

indb 134 6/6/2007 14:11:16 .Universidade do Sul de Santa Catarina 3) O que é monitoramento na publicidade on-line? 4) O que é necessário para que um site chame a atenção do consumidor? 134 hipertexto.

e essas variáveis influenciarão no recebimento efetivo da mensagem.htm>.com. Fonte: <www. Por exemplo: se você não recebe uma confirmação de recebimento. Uma característica marcante da mídia de comunicação de massa é a possibilidade de envio da mensagem para uma audiência.Hipertexto Saiba mais Sobre a comunicação A comunicação interpessoal é um processo de comunicação entre uma pessoa e outra com possibilidades de interação e feedback entre elas.br/ comunicacao. O custo-benefício é medido pela quantidade de público real que a mensagem atingiu.) de maneira a atingir um grande número de pessoas. jornal. classes sociais e idade.marketeam. Na comunicação de massa não existe feedback e interação.11. etc. um número grande de pessoas com um bom índice de custo-benefício.2005 A comunicação de massa é quando um emissor transmite uma mensagem por um meio (TV. O feedback acontece quando uma pessoa recebe uma mensagem de outra e retorna com outra mensagem e é importante porque só assim sabemos que a comunicação efetivamente aconteceu. você vai ficar sempre em dúvida se a pessoa recebeu ou não sua mensagem. entretanto.indb 135 135 6/6/2007 14:11:16 . isso não garante que a mensagem chegue de forma integral. Significa dizer que a mensagem pode ser enviada para um maior número de pessoas por um baixo custo. um comercial de TV. acesso em: 05. rádio. dirigido ao público infantil de 10 anos. apesar de ser exibido em um dos programas de maior SEGUE Unidade 5 hipertexto. ao ser divulgado durante o Jornal Nacional da TV Globo. A mensagem é a mesma. ao enviar um e-mail. É possível escolher o meio/veículo mais adequado a determinado público ou mensagem. mas atingirá pessoas com graus diferentes de instrução.

2003. Rio de Janeiro: Campus. A arte dos slogans – as técnicas de construção de efeito no texto publicitário. J. Redação Publicitária – a prática na prática. muitos emissores e muitos receptores interagem entre si e com o meio. freqüentemente. Se você quiser aprofundar o estudo. Brasília: Upis. Quando chamamos um veículo de comunicação de mídia de massa. consulte os seguintes livros:  CARRASCOZA.  CASTRO.  MARTINS. nas novelas das 20h da Rede Globo a emissora utiliza alta qualidade técnica e cênica para transmitir temas de gosto e preocupação popular a fim de alcançar um público maior independente de sexo. significa que esses são produtos de informação e de entretenimento produzidos e padronizados para serem distribuídos a grandes públicos por meio de canais distintos. B.. resultando em um feedback em tempo real que produz alto nível de interatividade. L. Á de. São Paulo: Atlas. da mensagem é cada vez mais participativo o que obriga o emissor a buscar estratégias para segmentar e individualizar a mensagem a partir das transformações tecnológicas. Dessa forma. idade ou grau de instrução. Nos dias atuais. 136 hipertexto. o custo-benefício será muito alto. a comunicação na web assume um novo modelo na forma da comunicação: é uma comunicação de muitos para muitos. ARONSON. Esse tipo de comunicação caracteriza o modelo interpessoal de comunicação. é provável que muito poucas crianças estejam assistindo ao programa. São Paulo: Editora futura. 2000.Universidade do Sul de Santa Catarina audiência do país.  IASBECK. Rio de Janeiro: Qualitymark. 2004. Razão e sensibilidade no texto publicitário. Propaganda e mídia digital: a web como a grande mídia do presente. atingirá efetivamente seu público-alvo? Se pensarmos em crianças de 10 anos. Nesse tipo de comunicação. Nesse tipo de comunicação o receptor.  ZEFF. L. R. 2000. A. ou destinatário. Observe que. 2000. Publicidade na internet. C. Zeca.indb 136 6/6/2007 14:11:16 .

UNIDADE 6 Jornalismo on-line 6 Objetivos de aprendizagem  Compreender o mercado de trabalho do jornalismo on-line. Seção 3 Escrevendo para a web. Seção 4 Tipos de conteúdos on-line.  Entender e conhecer as regras para a elaboração de um texto jornalístico na web. hipertexto. Seção 5 Etapas da produção on-line. Seção 2 Linguagem do jornalismo on-line. Seções de estudo Seção 1 Dados e características do jornalismo on-line.indb 137 6/6/2007 14:11:16 .

já que o texto mantém-se como o principal suporte da informação.indb 138 6/6/2007 14:11:16 .2005 As primeiras versões de jornais eletrônicos eram bastante simples em termos de design. trata-se muitas vezes de suporte. da interatividade e da multimídia. em tempo real. a digitalização da imagem e outros avanços. Fonte: http://www.ourofinoonline.Universidade do Sul de Santa Catarina Para início de conversa Falar de jornalismo on-line implica. Estar na internet não significa que se faça jornalismo on-line. limitando-se a transpor o conteúdo da edição impressa para a versão on-line. Por desconhecimento e inexperiência. falar da internet e das transformações que a tecnologia provocou e provoca no jornalismo. pois possibilita a transmissão de dados e informações via satélite. Nesse momento a internet é o meio de comunicação que mais torna visível a convergência da mídia visto que possibilita aos jornais a incorporação de recursos antes exclusivos do rádio e da televisão. cada vez mais. com. A maior parte dos jornais não traz textos escritos para essa nova mídia. não apropriados ao novo meio. Pesquisas indicam que a maior parte dos internautas não lê os jornais na rede porque os textos são longos. obviamente. os editores. da existência de um banco de dados. jornalistas e diagramadores exploravam muito pouco os recursos do hipertexto. sem modificar a sua essência. Essa nova forma de fazer jornalismo pode ser bastante lucrativa e por isso os proprietários das empresas jornalísticas estão investindo.11.br/materias/fotos_abril04/ jornalismo.jpg. SEÇÃO 1 – Dados e características do jornalismo on-line Para o setor jornalístico brasileiro a internet representa um mercado em crescimento. 138 hipertexto. na produção de publicações digitais para a web. acesso em 05.

E pesquisa realizada pelo Ibope eRatings revelou que o número de leitores de jornal on-line. 2004). Então.Hipertexto Colocar uma versão na internet da mesma notícia que sai no jornal de circulação nacional não significa fazer jornalismo on-line. Unidade 6 hipertexto.000 em junho de 2002. por parte dos jornalistas. conseqüentemente. isto é. como:  acrescentar a mídia à notícia assim que ela chega na editora. (BLUE BUSB. os usuários dedicam 5 horas por semana para a leitura de jornais. vídeos e outros recursos. por meio do celular.indb 139 139 6/6/2007 14:11:17 .226. Outro dado relevante para aceitação do jornal on-line seria.000 leitores em junho 2001. agilidade de colocar a informação na net o mais rápido possível. com fotos. que a televisão e o jornal tradicional não serão capazes de acompanhar. etc. refletissem os interesses e valores dos leitores. estimado em 1. pela impossibilidade de uma programação instantânea. um conhecimento melhor do seu público. em média. Horas que poderiam ser aumentadas se as ferramentas fossem melhor utilizadas e fosse maior o conhecimento do interesse do público. jornal. indica que a web é vista como a mais informativa das mídias – 37% de indicação em relação aos outros veículos – e a que dá ao usuário maior controle sobre o meio e as informações – 49% em relação a TV. rádio. também realizada nos Estados Unidos. subiu para 2. desenvolvendo um nicho próprio. Pesquisas da entidade European Internet Advertising Association indicam que. Outra pesquisa. e da agilidade em colocá-las na web. o caminho da aceitação e expansão parece passar pela exploração da possibilidade de agregar e colher informações oriundas de outras fontes.  a abertura para o material de cunho jornalístico vindo do próprio público para que esse possa delinear a notícia. O verdadeiro jornalismo on-line deve oferecer outras possibilidades.854. Isso faria com que as matérias e reportagens. agora pelo InsightExpress.

há. Um fato importante com base nos resultados desses estudos e pesquisas é que os jornais na rede têm conquistado cada vez mais o respeito e a atenção dos leitores em função da rapidez na colocação das matérias na web e da ausência de custos. pois dessa forma o usuário pode verificar informações diversas e em veículos concorrentes. mesmo sem sua solicitação c) Devido à liberdade de navegação. por outro lado. aguardando que o usuário acesse essas informações e dados na ordem e no momento desejado. os usuários que não possuem essas vantagens por não terem o devido acesso. Se o diferencial da internet como jornal on-line está diretamente ligado ao fato de poder cobrir um acontecimento com vídeo. 140 hipertexto. Esse percentual justifica-se em função de que o leitor do veículo impresso não realiza nenhuma tarefa para chegar ao final da reportagem. a internet é chamada de mídia pull. b) Como possui uma estrutura não-linear. ao passo que o leitor on-line precisa clicar e escolher o que quer ler (apud FERRARI. devemos lembrar que ela tem certas características bem peculiares. a estrutura de websites e as chamadas das notícias devem apresentar apelos visuais que conquistem a atenção dos leitores. que a mensagem é “empurrada”(mídia push). som.Universidade do Sul de Santa Catarina Estudos realizados pelo Instituto Poynter mostrou que 75% dos artigos on-line são lidos na íntegra. ao contrário da TV e do rádio. Um obstáculo à utilização de recursos multimídia (áudio e vídeo) é a qualidade da conexão da rede da maioria dos usuários. percentual superior ao dos jornais impressos. no momento em que acontece. vai diretamente ao receptor. que significa que ela que deve “puxar” o interesse e a atenção do usuário. 2003). Para que possamos entender melhor essa mídia.indb 140 6/6/2007 14:11:17 . a) A internet é um meio que depende do receptor já que as informações são apenas disponibilizadas. Mas nem tudo são flores. isso é.

inserindo inclusive publicidade. O jornalismo on-line não pode ser definido apenas como o trabalho de produzir ou colocar reportagens na internet. pois ele compreende todos os noticiários. Mas novidades estão sempre surgindo nesse meio tão voraz. um sistema de maladireta em que as notícias são enviadas aos leitores. (Fonte: <http://www. fóruns. Desta forma. oferecem informações variadas. especialmente da mídia impressa.webjornalismo. uma vez que. as inovações tecnológicas e o novo perfil de leitor devemos refletir sobre o papel do jornal on-line e do jornalista. Para receber o newsletter. São sites jornalísticos que apenas reproduzem o conteúdo de outras mídias.) Unidade 6 hipertexto.cjb. em lugar de esperar que eles as procurem. o usuário só precisa cadastrar seu e-mail no site de notícias. que têm sido um recurso bem-sucedido para atrair e manter seus visitantes. o webjornal enviará por correio eletrônico um pacote de notícias selecionadas que parecem adequadas ao perfil do leitor. para que o usuário leitor faça parte do processo jornalístico. é a ele que se destina o conteúdo editorial. em última análise.indb 141 141 6/6/2007 14:11:17 . há duas modalidades de produção jornalística na internet. adaptando seu formato para a rede. É importante lembrar que os sites brasileiros mais visitados oferecem mais do que apenas notícias. 2005. A segunda é a transposição de conteúdo jornalístico.Hipertexto d) A interatividade do meio pode e deve ser explorada pelo uso de e-mails. Está se popularizando a utilização do newsletter. adaptada ao formato da e para a internet. Atualmente.net>. chats e newsletters. Levando em consideração as características do meio. A primeira delas é a produção especificamente on-line. divulgada em tempo real. sites e produtos jornalísticos que nasceram diretamente na web. especificando quais assuntos são de seu interesse.

indb 142 6/6/2007 14:11:17 . O grande desafio do momento é criar um outro tipo de publicação. também passa por reformulação (ALZAMORA. inédita e ainda assim. Ele 142 hipertexto. interessante. Com isso. Para Outing (1998) o jornalismo on-line reúne funções do jornalismo impresso e audiovisual. é um meio de informação. demonstrando que a eficiência não estava nos efeitos e nas cores. O desafio e diferencial dos sites noticiosos deverá ser o de produzir. interativos e multimídias. objetivos e fáceis de navegar. Ao contrário dos meios de comunicação já conhecidos. podemos perceber que houve mudanças nos sites. A mídia mudou. A tecnologia com sua constante evolução tem oferecido recursos que permitiram veículos comunicativos mais criativos. chats. com links para outros sites.Universidade do Sul de Santa Catarina SEÇÃO 2 – Linguagem do jornalismo on-line Sempre que surge uma nova tecnologia na área das comunicações. Desde os primeiros textos do jornalismo on-line até o momento. imagens e sons a milhões de outros. a internet possibilita a seus usuários o poder de transmitir palavras. 2005). Esse é o caso da linguagem do jornalismo on-line que ainda está sendo esboçada e testada com relação aos erros e acertos da prática. o aprendizado da linguagem a ser utilizada é um desafio para quem trabalha com a comunicação. as pessoas mudaram e é preciso estar atendo a isso. A linguagem a ser utilizada no jornalismo on-line deve levar em consideração que a internet é mais do que um meio de comunicação. mas em criar um ambiente agradável e interativo. como mediador no processo de comunicação de massa. um conteúdo que possa ser enriquecido com a participação do leitor. cada vez mais. vídeo. mapas interativos. o que caracteriza uma convergência de habilidades em um mesmo profissional. fóruns. a noção de mídia. documentos que dêem suporte ao que foi dito. áudio. com outra linguagem. Eles estão mais enxutos. entretenimento e lazer.

 escreva e edite tendo em mente leitores internacionais. e conseqüentemente novas regras estão sendo aplicadas. Unidade 6 hipertexto. os textos devem ser bem curtos. (Fonte: <www.  divida parágrafos longos em listas de itens destacados.. “usar”. Segundo Crawford Kilian (1999) em seu livro Writing for the Web as regras básicas são:  seja sucinto e preciso – como os leitores da web tendem a “passar os olhos” pelos textos. acesso em: 10.01. no lugar de “fazer uso de”. evite enfeitar muito o texto com palavras desnecessárias. porém.meiradarocha.  reduza floreios – isto é.  atenção no uso de metáforas – devem ser elaboradas para que sejam de fácil compreensão para o público. Mas isso está mudando e os estudiosos e profissionais estão discutindo a melhor maneira de se fazer jornalismo on-line aproveitando seus recursos e limitações.2005) SEÇÃO 3 – Escrevendo para a web A internet é um meio de comunicação tão novo que seu estilo de redação foi sendo desenvolvido à medida que era necessário para se fazer um determinado trabalho.indb 143 143 6/6/2007 14:11:17 .  use verbos fortes – escreva “decidir” em vez de “tomar decisão”.Hipertexto lembra que o texto verbal ainda é a forma mais apropriada à web. que apenas enfeitam mas não acrescentam nada.  mantenha os parágrafos e sentenças curtos – tenha no máximo 75 palavras no parágrafo.br>.  use sempre a voz ativa.jor. e a leitura na tela do computador é 25% mais lenta que no papel. combinado com fotografia e imagens em vídeo. rebuscadas. etc.

Minimalismo: cada um dos itens deve ter um bom motivo para permanecer no site. mesmo no tamanho reduzido do monitor.indb 144 6/6/2007 14:11:18 .meiradarocha. possibilitando ao usuário uma estrutura editorial semelhante à publicação impressa. Para melhor explorar as possibilidades da web. é aconselhável que os jornalistas busquem histórias que possam ser contadas de uma forma melhor na internet do que em outras mídias. Os princípios do texto na web Tenha claro que os leitores querem encontrar a informação facilmente. 144 hipertexto. Deve conter uma manchete em destaque. 1999) Coerência: cada trecho deve ter um sentido para o leitor de forma a entender o sistema de navegação. No caso do uso de fotos preste muita atenção. a) Orientação Forneça dicas de navegação para que a movimentação pelas páginas não seja um problema. Para isso. Algumas fotos possuem pouca riqueza de detalhes. alguns resumos das matérias mais importantes e os links para os respectivos textos.2005). As divisões das seções de temas/assuntos também devem seguir um padrão similar às publicações tradicionais. ao elaborar um site tenha em mente alguns cuidados (Fonte: <www.jor.br>.Universidade do Sul de Santa Catarina  imprima o texto para corrigi-lo. A página de abertura dos noticiosos on-line funciona como uma primeira página do jornal impresso. Essas dicas devem seguir as regras de minimalismo e coerência. e os vídeos ficam mais visíveis se o fundo for plano e as imagens estiverem mais próximas. Forneça também conhecimento prévio sobre o conteúdo desse site. acesso em: 10.01. (KILIAN. o que permite que possam ser enxergadas nitidamente.  a atualização dos temas e assuntos deve ser constante.

claro e direto possível. Ele deve ser o mais simples. Se você entende o que os seus leitores querem e consegue antecipar as necessidades deles. Coloque-se no lugar do leitor: se você fosse um estranho chegando no seu site. seu site será bem-sucedido e seus leitores retornarão. apud ROCHA. Killian (1999. 2005) as características fundamentais para que a informação seja recebida da melhor forma possível são:  clareza – o texto deve ser compreensível à primeira vista. c) Ação Uma das características mais marcantes da internet – a interatividade – tem um papel imprescindível.Hipertexto b) Informação Segundo Kilian (1999.  correção – a correção está relacionada com a clareza do texto. pois escrever corretamente auxilia os leitores a entenderem com mais facilidade a mensagem. Seus leitores estão lhe fazendo um favor visitando seu site.indb 145 145 6/6/2007 14:11:18 . com boa gramática e palavras escritas sem erros. como se sentiria ao perceber que o criador se esforçou especialmente em facilitar as coisas para você?” Unidade 6 hipertexto. Um site deve ter um emprego acurado da língua. 2005) afirma que “os leitores têm seus próprios propósitos para irem até o seu site e você está lá para servir a esses propósitos. você deve a eles uma experiência compensadora. apud Rocha. Quem elabora um site deve ter em mente qual ação que deseja provocar no leitor quando ele compreende o conteúdo.

terra. a) Conteúdo estático Se refere a qualquer informação que não esteja sujeita à mudança.jbonline. Observe o conteúdo do site <www. 2003). Referese ao expediente do jornal on-line ou à política de privacidade adotada pelo site.Universidade do Sul de Santa Catarina SEÇÃO 4 – Tipos de conteúdos on-line No jornalismo on-line você pode encontrar diferentes tipos de conteúdo (WARD apud PINHO. Paulo de Frotin.br>.2005: EQUIPE JB ONLINE EDITOR DO JB ONLINE WEBMASTER Alexandre Fontoura (interino) Anibal Freitas EDITORA DA AGÊNCIA JB Ione Luques SUBEDITOR DO JB ONLINE Alexandre Fontoura Fabricio Yuri Vitorino (interino) REPÓRTERES Valéria Vianna Leonardo Filipo Fernanda Rocha Fabricio Yuri Vitorino Giselle Saporito Laura Rodrigues Andréa de Freitas Machado Marcelo Pizzi (estagiário) Juliana Lanzarini (estagiária) REDATORES Maria Célia Fraga Márcia Arbache Fernando Taylor Joaquim Ferreira Webdesigners Marcia Almeida Marcio Estanislau (estagiário) COMERCIAL DO JB ONLINE E AGÊNCIA JB COORDENADORA COMERCIAL DO JB ONLINE Marcia Vancellote ASSISTENTE COMERCIAL DO JB ONLINE Eliane Loss Telefoto Aparecida Alves Vanderlei Gomes Wilson Assis TECNOLOGIA Ricardo Land ATENDIMENTO AO ASSINANTE DO JORNAL DO BRASIL Rio: (21) 2323-1000 Brasília: (61) 313-5888 Assine já JB Online Endereço: Av.01. capturado em 10.Rio Comprido Rio de Janeiro . 568/ Fundos .RJ . ou possa sofrer uma atualização esporádica e eventual.indb 146 6/6/2007 14:11:18 .CEP 20261-243 146 hipertexto.

01.2005: Confira São Gonçalo x Flu e mais 3 jogos MUNDO Ariel Sharon permanecerá em coma induzido por mais um dia BRASIL Brasileiros vão ao Haiti para investigação da morte de general VESTIBULAR Ao vivo: acompanhe agora correção online da Fuvest • Confira o gabarito da Ufrgs ÚLTIM A S NOTICIA S • Ao vivo: as principais notícias minuto a minuto • Homem que tentou matar papa será libertado • Love Parade deixa 30 feridos e 25 detidos no Chile • Mulher é morta a facadas pelo namorado em MS • Justiça decreta prisão de seis por ataque a ônibus Unidade 6 hipertexto.br>. Observe o conteúdo do site <www.Hipertexto b) Conteúdo dinâmico Está presente na seção de “últimas notícias”. essas notícias são atualizadas quase minuto a minuto no site e também nos links e nas referências disponibilizadas para os usuários.indb 147 147 6/6/2007 14:11:18 . capturado em 08.com.terra.

Agora que você já sabe identificar cada tipo de conteúdo você vai precisar aprender como organizar seu trabalho para produzir um bom material de cunho jornalístico on-line. passamos para a fase seguinte. terra. levando em consideração a estrutura do site e o 148 hipertexto. está marcado pelas atividades de fóruns e salas de bate-papo. Essas informações podem vir de outros textos e publicações ou de entrevistas.  Organização da informação: Não basta termos dados e informações.com.br).Universidade do Sul de Santa Catarina c) Conteúdo funcional É indicado principalmente por menus e barras de navegação que possibilitam escolher as notícias e assuntos de mais interesse. d) Conteúdo interativo Estimula a interação com os usuários. É o caso dos menus que encontramos em sites como o da Terra (www. precisamos disponibilizá-las de forma lógica. Após termos os dados na mão. Faz parte dela o levantamento das informações para que se tenha subsídios para elaborar um texto.  Pesquisa: é a primeira das fases. SEÇÃO 5 – Etapas da produção on-line Para produzir um material jornalístico de qualidade são vários os aspectos que você deve levar em consideração (PINHO apud SOUZA FILHO).indb 148 6/6/2007 14:11:18 .

Seus leitores. selecione as imagens que serão anexadas aos textos. Leia e releia pelo menos uma vez seu texto. Isso pode significar escolher ângulos mais adequados para dar ênfase. seu site é perda de tempo. Em retorno. Se você escuta os leitores e responde adaptando seu conteúdo. vamos escolher qual a linguagem mais adequada ao nosso público para o entendimento da nossa mensagem e aí sim. mas evitando que os elementos visuais prejudiquem a sua navegabilidade. decidirão o que o seu site realmente significa e o valor que ele tem. por exemplo. ver quais os aspectos que chamariam mais atenção e quais são as informações desnecessárias. você está sendo interativo. redigir nosso texto com as informações em linguagem clara e concisa. estará engajado em uma conversação. (KILLIAN.indb 149 149 6/6/2007 14:11:19 . ele não tem valor até que os leitores cheguem.  Redação: se temos em mãos os fatos e sabemos quais os aspectos que são mais relevantes para serem mencionados. verificando se é possível substituir parte desses por elementos visuais. inserindo as imagens que acompanham os textos.Hipertexto que o nosso público quer. 17) Unidade 6 hipertexto. não você. com textos curtos e títulos chamativos. e antes que você perceba. construam seus significados e ajam baseados em suas informações (presumindo que você possibilite que eles ajam). Se você não escuta e não se adapta. Não importa o que você coloca no seu site.  Edição e revisão: após a elaboração de um texto devemos sempre verificar se existem erros. você deve responder ao que seus leitores disserem. p. Se possível. 1999. efetuando possíveis cortes para deixá-los enxutos.  Webdesign: por último vem a etapa de formatar o texto para adequá-lo ao layout do site.

Universidade do Sul de Santa Catarina Síntese Nesta unidade você teve a oportunidade de conhecer e entender as mudanças no mercado jornalístico com o advento da web. Atividades de auto-avaliação 1) Entre as regras de Killian para elaboração de um bom texto jornalístico quais as que estão diretamente ligadas à preocupação com o entendimento da mensagem? 2) Quais são as etapas de produção de um material jornalístico? 150 hipertexto. de identificar as características do jornalismo que é feito na web. conhecer e aprender as regras que nos ajudam a escrever um bom texto. além de sistematizar seu trabalho para obter um melhor retorno.indb 150 6/6/2007 14:11:19 .

2005.indb 151 151 6/6/2007 14:11:19 . Linguagem jornalística. 7. Jornalismo digital. Jornalismo na internet: planejamento e produção da informação on-line. 1999. São Paulo: Ática. São Paulo: Contexto.  PINHO.  ______ . São Paulo: Summus. São Paulo: Ed. ed. 2002. 2003. 2003. B. B.Hipertexto Saiba mais  FERRARI. Fundação Perseu Abramo. ed. Estrutura da notícia. J. N.  LAGE. Jornalismo na era virtual: ensaio sobre o colapso da razão ética. São Paulo: Ática. 5. Unidade 6 hipertexto.  KUCINSKI. P.

hipertexto.indb 152 6/6/2007 14:11:19 .

as portas estão abertas. Para acompanhar essas mudanças se faz necessário estar sempre “ligado” nos avanços tecnológicos e nas mudanças comportamentais e sociais que desses avanços advêm. de trabalhar. Sucesso e sorte! hipertexto. e quem sabe até antecipar as que ainda vão acontecer na sua vida a partir do surgimento da internet. de ler. Estude mais. Para você que escolheu a profissão de web designer. os meios e as pessoas.indb 153 6/6/2007 14:11:19 . especialize-se. Com seu trabalho você poderá promover uma maior interação entre o meio e o homem. Com o seu trabalho você poderá facilitar o acesso das pessoas à informação e ao conhecimento. que veio pra ficar.Para concluir o estudo Na conclusão desta disciplina você pôde constatar uma série de mudanças que ocorreram. Mudaram os hábitos de escrever. já que se enquadra melhor na nossa forma de viver hoje. Dessas mudanças surgiu uma nova linguagem – o hipertexto. Com os conhecimentos adquiridos você está se preparando para ser o elo de ligação entre as linguagens. complemente seus conhecimentos. atualizese. de estudar. Esta disciplina é só um começo. de se aproximar das pessoas. com menor esforço e custo.

indb 154 6/6/2007 14:11:19 .hipertexto.

pucsp. Ana Cristina Lima Santos.9. Escola: espaço para a produção de conhecimento. BAUDRILLARD. São Paulo. Nelson. Maria Luiza. ALZAMORA.2006. set.16. Tubarão . Comunicação & Educação. Comunicação plural: alteridade e sociabilidade.1). 153-183.www. Linguagem em (dis)curso. multimídia e globalização. maio/ago. v./jun.62-80.01. 1999. 1999. Campinas. 1999. BAIRON.39-48. n. 15. CASTELLS. p. jan. acesso em 10. 1997.1999. São Paulo. p. São Paulo. Campinas: Papirus. Entrevista concedida à Roseli Fígaro e Maria Aparecida Baccega./abr. 1999 hipertexto. n. Jesús Martín./dez. Sujeito. Educação a distância. BARBOSA. Comunicação & Educação. Roberto.Leitura e Escrita na Web. 1. . v. 1992 BELLONI. Comunicação & Educação. p. Multimídia. 5. 29-35. Jean. p. APARICI.br. São Paulo. Geane Carvalho. comunicação e cultura. Lynn Rosalina Gama. Sérgio. Da sedução. BARBERO. 1995./ago. São Paulo: Paz e Terra. n. n. sociedade e cultura. SP: Autores Associados.Sugestões bibliográficas ALVES. n. A sociedade em rede (A era da informação: economia.14. jan. São Paulo: Global. Ensino.indb 155 6/6/2007 14:11:19 . 2004. Manuel. maio. Comunicação & Educação. PRETTO.

brsmu/. Álvaro de. Democracia no território digital. Rio de Janeiro. 2000. 1999. jan. Elizabeth: Construindo Firewalls para a Internet. Rio de Janeiro: Qualitymark./abr. 2004. FERRARI. ed.14. Razão e sensibilidade no texto publicitário. 2003 FERRÉS. Vancouver: Self Counsel Press. Jornalismo digital. Propaganda e mídia digital: a web como a grande mídia do presente.com. Pollyana. 15. FIGUEIREDO. Luiz Carlos. São Paulo: Contexto. Ética e Sociedade: Conar. New York: Oxford. Júlio. ed. CARVALHO. 2000. Publicidade: a linguagem da sedução. ICECE’99 International Conference on Engineering and Computer Education.Memex. Porto Alegre: Artes Médicas. KILIAN. 156 hipertexto. Crawford . Writing for the Web.indb 156 6/6/2007 14:11:19 . Vera. 2003 COOPER. p.2005 CITELLI.Universidade do Sul de Santa Catarina CASTRO. 1996. Editora: Campus. Adilson. http:/www. São Paulo: Ática. 2000. 1999. GIAGRANDE.profissaomestre. 2ª edição. Antonio et al. HEIM. Joan. João Anzanello. Consumidor e publicidade. Dezembro 2000.27-32. CARRASCOZA. Simon Zwicky. n. 1999. Rio de Janeiro. acesso em 21. Nelly de. A arte dos slogans – as técnicas de construção de efeito no texto publicitário. CLEBSCH. 3. Brasília: Upis. Fábio. São Paulo. Linguagem e persuasão. DUARTE.12. Televisão e educação. São Paulo: Ática. Comunicação & Educação. Michael. 11-14 de agosto de 1999. São Paulo: Editora futura.1993 IASBECK. The Metaphysics of Virtual Reality. Towards a Web-based .

LAGE. . 7. amplified ed. Hipertexto: La Convergencia de la Teoría Crítica Contemporánea y la Tecnología. Baltimore: Johns Hopkins University Press. 2005. Anhembi Morumbi. 34. 34.indb 157 6/6/2007 14:11:20 . Porto Alegre: Sulina. 2. 1993/1995. 3. .. Pierre. Barcelona: Ediciones Paidós. Lucia. ed. São Paulo: Ed. 2001 LÉVY. São Paulo: Ed.Hipertexto KOCH. Bernardo. George. São Paulo: Cortez. Tradução de Patrick Ducher. KUCINSKI. 1993. tecnologia e vida social na cultura contemporânea. George P. . Fundação Perseu Abramo. São Paulo: Ática. Cibercultura. . Estrutura da notícia. LANDOW. 1999 . ed. São Paulo: Loyola. 1998. Jornalismo na era virtual: ensaio sobre o colapso da razão ética. Nilson. O que é o virtual? São Paulo: Ed. 5. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Cibercultura. ed. Hypertext. O labirinto da hipermídia: arquitetura e navegação no ciberespaço. 157 hipertexto. (1995) LANDOW. Baltimore: The Johns Hopkins University Press. 2002. the covergence of contemporary critical theory and technology. Hypertext 2. São Paulo: Ed. Rev. 34. ed. Ingedore Grunfeld Villaça. ed. São Paulo: Ática. Argumentação e linguagem. . 2. A estética do labirinto. 1992. São Paulo: Iluminuras. São Paulo: Ed. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. 1999. Linguagem jornalística. 2002.0: the convergence of contemporary critical theory and technology. 1996. 2004 LEÃO. c1997 .

Universidade do Sul de Santa Catarina

. Tecnologias intelectuais e modos de conhecer:
nós somos o texto. 16 mai. 1998.
LITTO, M. F. Repensando a Educação Em função de
Mudanças Sociais e Tecnológicas recentes. In: OLIVEIRA, B.
V. (Org). Informática em psicopedagogia. São Paulo: SENAC,
1996.
MARTINS, Francisco Menezes, SILVA, Juremir Machado
(org.) Para navegar no século XXI. Porto Alegre: Sulina/
Edipurcs, 1999.
MARTINS, José Roberto; BLECHER, Nelson. O império das
marcas. 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Negócio, 1997.
MARTINS, Jorge S. Redação publicitária: teoria e prática. 2.
ed. São Paulo: Atlas, 1997.
MARTINS, Zeca. Redação Publicitária – a prática na prática.
São Paulo: Atlas, 2003.
MENEZES, Hilton. Comércio eletrônico: para pequenas
empresas. Florianópolis: Visual Books, 2003.
MEURER, José Luiz; MOTTA-ROTH, Désirée (Org.)
Gêneros textuais e práticas discursivas: subsídios para o
ensino da linguagem. Bauru: EDUSC, 2002.
MORÁN, José Manuel. Internet no ensino. Comunicação &
Educação, São Paulo, n.14, p.17-26, jan./abr. 1999.
NICOLA, Floriani e Ernani. Lingua, literatura e rpdodução
textual. Scipione: São Paulo: 2002.
NIELSEN, Jakob. Projetando Websites. Rio de Janeiro:
Campus, 2000.
ORLANDI, Eni Pulcinelli. A linguagem e seu funcionamento:
as formas do discurso. 2. ed. rev. e aum. Campinas: Pontes,
1987.
OUTING, Steve. O jornalismo do futuro exigirá velocidade
e coração forte. Ponto Futuro (edição especial de “Meio &
Mensagem”), maio, 1998.

158

hipertexto.indb 158

6/6/2007 14:11:20

Hipertexto

PALACIOS, Marcos. Educação na Internet. Comunicação &
Educação, São Paulo, n.6, p.35-40, maio/ago. 1996.
PARENTE, André. O virtual e o hipertextual. Rio de Janeiro:
Pazulin, 1999.
PELLANDA, Nize; PELLANDA, Eduardo Campos.
Ciberespaço: um hipertexto com Pierre Lévy. Porto Alegre:
Artes e Ofícios, 2000.
PINHO, J. B. Jornalismo na internet: planejamento e
produção da informação on-line. São Paulo: Summus, 2003.
. Comunicação em marketing: princípios da
comunicação mercadológica. Campinas: Papirus, 2000.1996
. Publicidade e vendas na Internet: técnicas e
estratégias. São Paulo: Summus. 2000.
PINHO NETO, Júlio Afonso Sá de. Internet, sociabilidade e
consumo. Goiânia: Ed. UFG, 2001.
RAMAL, Andrea Cecilia. Educação na Cibercultura:
hipertextualidade, leitura, escrita e aprendizagem. Porto
alegre: Artmed, 2002./2005.
RANDAZZO, Sal. A criação de mitos na publicidade: como
os publicitários usam o poder do mito e do simbolismo para
criar marcas de sucesso. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.
REICH, Robert. The Work of Nations. New York, 1992.
ROKEBY, David. Espelhos transformadores. São Paulo.
Unesp, 1997.
TURBAN,Efraim; KING., David. Estratégia e gestão. São
Paulo: Prentice Hall, 2004.
TURKLE, Sherry. A vida no Ecrã: a identidade na era da
internet. Lisboa: Relógio d’Água, 1997.
ZEFF, Robbin Lee; ARONSON, Brad. Publicidade na
Internet. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

159

hipertexto.indb 159

6/6/2007 14:11:20

Universidade do Sul de Santa Catarina

VENETIANER, Tom. Como vender seu peixe na internete:
um guia pratico de marketing e comercio eletrônicos. 3. ed. Rio
de Janeiro: Campus, 1999.
WANDELLI, Raquel. Leituras do Hipertexto:viagem ao
dicionário Kazar. Fpolis: Editora da UFSC, 2003.
WOLTON, Dominique. Internet e depois?: uma teoria crítica
das novas mídias. Porto Alegre: Sulina, 2003.

Acesse também os sites: 

CANESSO, Natacha. A publicidade e a nova mídia.
2000. Disponível em: <www.facom.ufba.br/gente/publicidade>,
acesso em 20.10.2005. 

CARDOSO, Cláudio, LEMOS, André, PALACIOS,
Marcos. Introdução à cibercultura. 1997. Disponível
em: <http://www.facom.ufba.br/museu/sala/>. 

GARÇÃO, João; ALDRIGH, Tânia. O futuro e a
psicologia na web. Disponível em: <www.mackenzie.com.br>,
acesso em 01/12/2005. 

LEMOS, André. Andar, Clicar e Escrever
Hipertextos. Disponível em: <http://www.facom.ufba.br/
hipertexto/andre.html>, 09/02/1999. Acesso em: 10.08.2005. 

LEMOS, André. Anjos interativos e retribalização
do mundo. Sobre interatividade e interface digitais.
Disponível em: <http://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/lemos/interac.
html>, 1999. Acesso em 10.08.2005. 

LÉVY, Pierre. Educação e cibercultura. 1998.
Disponível em: <http://www.portoweb.com.br/PierreLevy/aemergen.
html>. 

LÉVY, Pierre. A emergência do cyberspace e as
mutações culturais. 16 maio 1998. Disponível em:
<http://www.portoweb.com.br/PierreLevy/aemergen>.

160

hipertexto.indb 160

6/6/2007 14:11:20

 NEITZEL.ufrj. Impactos e efeitos da internet sobre a comunidade acadêmica: quatro dificuldades e um possível consenso.yahoo. Figuras de Linguagem.ebit.html  www.html  www.aisa.htm  www. Acesso em 23.htm>.htm  www.br/ciberpesquisa/palacios/aula/index.unicamp. 1998. Acesso em: <http://www.pt/homepages/espaco/html/aldeia_global.moderna.jor.ufba.php?codautor=750>. Radames.bocc.2005. Disponível em: <http:// www.br/ciberpesquisa/palacios/impactos.2005. Tecendo um hipertexto.com  www.indb 161 6/6/2007 14:11:20 .  PALACIOS.com.br/index. Lina. Aula virtual: a simulação como recurso pedagógico na Internet.mariopersona. Redes sociais na Internet: Considerações iniciais (2004).  www.br/~edpaes/coesao_.facom.br  http://meiradarocha. Disponível em: <http://www.htm>.nom.com.  RECUERO.manosso.radames.html  www.ubi.citi.Hipertexto  MANOSSO.com. Adair de Aguiar.br>.bluebus.ufba.intergate.12.br/projects/sapiens/Reports/rf2000/node31.pl/edio_na_web 161 hipertexto. Disponível em: <http://www. Marcos.facom. Disponível em: <www.br/ciberliteratura/tese/> Acesso em 01.fee. Marcos.05.br/diciona. acesso em 20 de agosto de 2005.dca. br/escola/prof/art22. intervox.br/suporte/glossario/glossario_g_h/glossario_g_h. Raquel da Cunha.  PALACIOS.inventario.com. Disponível em: <http://geocities.html>.br/04/04pheine.html  www.br/empresa  www.  MORGADO.com. ufba.com. O lugar do hipertexto na aprendizagem: alguns princípios para a sua concepção set.nce.pt/_esp/autor.

html#espaco  www.metodista.wikipedia.usabilidoido.unb.indb 162 6/6/2007 14:11:20 .org  www.unicamp.br/il/let/crioul/contato06. pdf  www.com.info/gloss/gloss-h. pt.salves.br/~hans/mh/autor.rnp.unicamp.html  www.webjornalismo.br/virtua/comverbn-verb.sinopse.cl/facultades/filosofia/Editorial/libros/discurso_cambio/17Marcus.uchile.Universidade do Sul de Santa Catarina  www.cjb.htm  www.br/  www.com.br/_arquivo/gt/2003/video_digital  www.br/comunicacao/jornal/acesso  www.html  www.net 162 hipertexto.htm  www.br/~hans/mh/fio.

editoras. hipertexto. veículos. nas quais ministra aulas e orienta alunos em trabalhos finais de conclusão na linha de pesquisa de linguagem publicitária e marketing. Professora da Unisul nos cursos de Publicidade. na Unisul na área de Ciências da Linguagem e Tecnologia da Informação. Com especialização em Administração de Empresas de Publicidade e Relações Públicas (PUCRGS) é mestranda. É professora autora e tutora com formação obtida no curso da Unisul Virtual. Como profissional liberal presta consultoria a empresas nas áreas de marketing. etc. Turismo e Gastronomia sempre em disciplinas voltadas à área da comunicação e da pesquisa. em fase de defesa da dissertação.indb 163 6/6/2007 14:11:21 . Criadora e coordenadora do Curso Seqüencial em Eventos – Planejamento.Sobre a professora conteudista Karla Grillo é relações públicas e publicitária atuando nesse meio há 28 anos. Jornalismo. Organização e Comunicação. também na Unisul. nos mais diversos cargos de chefia em agências de propaganda. o qual nasceu após detectar via pesquisas a necessidade de profissionalização no setor e o grande mercado existente e em crescimento.

indb 164 6/6/2007 14:11:21 .hipertexto.

mas no Brasil e em relação a times ela lembra. hipertexto.Respostas e comentários das atividades de auto-avaliação Unidade 1 1a) Quem o ator está imitando/identificando? Resposta: Mona Lisa. 1e) Que time usa a Cruz de Malta? Resposta: a Cruz de Malta pode lembrar muitas coisas. 1d) O que a Cruz de Malta remete? Resposta: a Cruz de Malta nos remete a Portugal e às velas das Caravelas que cruzavam os mares. obra mais conhecida e imitada no mundo inteiro.indb 165 6/6/2007 14:11:21 . apesar de que a cruz que eles usassem na verdade fosse a bandeira da ordem militar de Cristo. 1c) Qual o objetivo dessa identificação no anúncio? Resposta: quanto mais o leitor tem facilidade de se identificar ou reconhecer o assunto tratado. o time do Vasco da Gama. mais facilmente ele entenderá a brincadeiras da mensagem publicitária e mais facilmente se lembrará dela. para quem entende de futebol. Obra de Leonardo da Vinci do ano de 1507. 1b) Por que é uma obra-prima? Resposta: porque está fazendo uma analogia com o quadro de Da Vinci que é uma obra-prima reconhecida e agregando esse valor ao amaciante como em toda linguagem publicitária. 1f) Essa frase remete a que ditado? Resposta: existe um ditado popular que diz que por trás de todo grande homem há uma grande mulher.

2) O programa Big Brother Brasil permitia que o telespectador votasse todas as semanas para tirar ou não uma pessoa da casa. Unidade 3 1) Alternativas corretas: D 2) Alternativas corretas: E Unidade 4 3) Alternativas corretas: A. C. ajudasse a definir quem ficaria mais perto ou não da obtenção do prêmio estipulado por meio da sua escolha.indb 166 6/6/2007 14:11:21 . facilidade em buscar dados em lugares distantes e diferentes e por fim agilidade na obtenção de informações e comunicação. auxílio na criação. depois chamar atenção de pessoas que entendem de futebol e com o ditado ajudá-las a memorizar a mensagem passada – por trás de um grande time tem um grande treinador. Esse é um exemplo de interatividade? Resposta: sim. Vasco da Gama. mudança de valores. E 4) Alternativas corretas: A. modificação nas formas de produção e apropriação dos saberes. uma verdadeira aldeia global. serve como exemplo porque permitia que o telespectador direcionasse a opinião de outros telespectadores e. Unidade 2 1) Que mudanças as novas tecnologias trouxeram para a nossa vida? Resposta: novas linguagens. D 166 hipertexto.Universidade do Sul de Santa Catarina 1g) Qual o objetivo do enunciado? Resposta: primeiro identificar o time. ao mesmo tempo.

por isso também a voz ativa. evitar palavras e frases complicadas e rebuscadas. 167 hipertexto. No mercado existem muitos softwares para mensuração de recall (resposta) à peça publicitária.indb 167 6/6/2007 14:11:21 . criar situações que sejam experiências agradáveis e prazerosas encorajando a compra. pois podem dificultar a navegação e o carregamento das páginas. telefone celular. o DVD e a internet. e muito cuidado com metáforas. do seu atendimento e pagamento facilitado. É possível saber quantas vezes uma página é clicada. etc. 4) O que é necessário para que um site chame a atenção do consumidor? Resposta: evitar o uso de muitos recursos gráficos. saber quem nos visitou.. da variedade de sua linha. jornal. TV independente. 3) O que é monitoramento na publicidade on-line? Resposta: é o controle sobre o retorno de cada inserção de mídia e a identificação do modo que os usuários interagem com as empresas. pois elas podem não fazer parte do repertório de entendimento do leitor. que facilite aos clientes encontrarem os produtos que desejam e estimular novas visitas por meio de promoções. a TV a cabo. rádio.Hipertexto Unidade 5 1) Quais são as chamadas mídias tradicionais? Resposta: TV aberta. produtos e serviços. 2) Quais são então as novas mídias? Resposta: televisão digital. Unidade 6 1) Entre as regras de Killian para elaboração de um bom texto jornalístico quais as que estão diretamente ligadas à preocupação com o entendimento da mensagem? Resposta: ser sucinto e preciso para que as pessoas possam ler com calma. marcas. e ainda. revista. se o usuário veio por meio de um banner colocado na página de um provedor. utilizar verbos que tenham força e comando. monitoramento pós-venda que somente a internet oferece.

que é a seleção do enfoque e do apelo a ser utilizado. que é a fase de formatação do texto e das fotos de forma a tornar agradável e de fácil acesso ao leitor. que é o levantamento das informações. além da seleção de imagens.indb 168 6/6/2007 14:11:21 . web design. Na redação nossa preocupação deve ser o entendimento da mensagem.Universidade do Sul de Santa Catarina 2) Quais são as etapas de produção de um material jornalístico? Resposta: a pesquisa. 168 hipertexto. Por último. e a organização. na edição e revisão seria a correção e adequação do texto.

hipertexto.indb 169 6/6/2007 14:11:21 .

hipertexto.indb 170 6/6/2007 14:11:21 .