You are on page 1of 10

O CÁLCULO DE ÁREA POR MEIO DE LIMITE DE FUNÇÃO

:
ANÁLISE DE UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA
Paulo César Oliveira
Universidade Federal de São Carlos, Campus Sorocaba, Brasil
pauloolliver@ig.com.br

Ivan Messias Mendes
Vilenilson Bezerra Gadelha
Douglas Augusto Macena Carvalho
Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio, Instituto de Engenharia, Arquitetura e
Design, Brasil
ivanmendes1500@gmail.com.br, vilenilsongadelha@yahoo.com.br,
douglas.eng09@hotmail.com

RESUMO
O trabalho em questão focaliza o processo
de aprendizagem de alguns acadêmicos
envolvidos com uma sequência didática
sobre o cálculo de uma área delimitada pela
curva, o eixo x e um respectivo intervalo. O
problema

de

pesquisa

envolveu

as

representações matemáticas mobilizadas na
resolução da atividade, com o auxílio do
software winplot. Mostramos que apesar do
conceito de integral ainda não ter sido
objeto matemático de estudo destes alunos,
foi possível determinar o cálculo da área
com base na apropriação do conceito de
limite de função.
Palavras chaves: winplot; matemática; cálculo.

ABSTRACT
The work in question focuses on the
process

of

learning

some

academics

involved with teaching a series on the
calculation of a area bounded by the curve,
the x-axis and a corresponding range. The
research problem involved the mathematical

Nessa categoria de software é necessário pagar a licença. 1 Introdução Este texto é parte de um episódio de sala de aula envolvendo a parceria entre o professor- pesquisador. um espaço dedicado às discussões inerentes ao processo de aprendizagem nos mais diversos componentes curriculares. O Projeto Pedagógico do Curso em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Engenharia. no caso o Winplot. A partir daí foi proposto na disciplina de Metodologia da Pesquisa Científica. para ajudar no entendimento da metáfora. A partir de estudos bibliográficos sobre as dificuldades conceituais frequentemente associadas à aprendizagem dos conteúdos de Cálculo Diferencial e Integral. mathematics. ambas as disciplinas sob a responsabilidade do primeiro autor. a elaboração de um artigo envolvendo a temática do ensino de Cálculo e suas relações no curso de Engenharia. calculus. como alternativa para uma aprendizagem significativa. As vantagens desta categoria de aplicativo são: benefício da liberdade de executar os programas para quaisquer fins.Ciclo Básico.2 representations mobilized the resolution of activity. está pautado pela aquisição de competências e habilidades para aplicar conhecimentos matemáticos. O desenvolvimento do episódio ocorreu com uma turma de 2º semestre de um Curso de Engenharia . sob o parecer publicado em 25/2/2002 no Diário Oficial da União. científicos. três acadêmicos e a relação dos mesmos com a representação semiótica do saber matemático. o qual reserva em cada uma das suas reuniões anuais. tecnológicos e instrumentais à Engenharia. os autores desenvolveram uma aplicação em um software proprietário. liberdade de estudar como funcionam os . esses alunos mostraram interesse pelo uso de metáforas em sua pesquisa. envolvendo conteúdos propostos para Metodologia da Pesquisa Científica e Cálculo I. no caso o MAPLE. Ciente de que o estímulo à atividade de pesquisa é relevante na formação acadêmica. with the help of software winplot. Show that although the concept of integral has not yet been mathematical object study of these students was determined to calculate the area based on the concept of ownership limit function. Tendo por base o trabalho de Barros e Meloni (2006) escolhemos uma de suas atividades cuja aplicação da metáfora deu-se com o cálculo da área limitada entre a curva e o eixo “x” e reelaboramos o seu enunciado na forma de uma sequência didática. No referido trabalho. Keywords: winplot. Para contribuir na estruturação da sequência didática optamos pelo uso de um software livre. disponibilizamos para esses alunos artigos das últimas edições do Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia (COBENGE). A atividade de pesquisa foi desenvolvida numa perspectiva interdisciplinar.

Esse filósofo e psicólogo de formação. mas também para organizar informações a respeito do objeto representado. . saber fazer (elaboração de procedimentos e estratégias) e saber atuar (situações envolvendo atitudes e valores). bem como a necessidade de analisar as transformações desses registros. Os sistemas semióticos são importantes não somente como um sistema de comunicação. No decorrer do desenvolvimento da sequência didática os registros escritos foram relevantes para ajudar a responder que representações matemáticas relativas ao conceito de área de uma curva foram mobilizadas pelos acadêmicos? 2 Os registros de representação semiótica A semiótica. Segundo o autor: A originalidade da atividade matemática está na mobilização simultânea de ao menos dois registros de representação ao mesmo tempo. Duval (2003) destaca as relações entre os sistemas semióticos. particularmente. As transformações dos registros de representação semiótica podem ser classificadas em dois tipos: os tratamentos e as conversões de registro. enquanto campo de pesquisa multidisciplinar. 2008). examinando os fenômenos em seu significado e sentido. Certamente. Como exemplo. As conversões de registros são transformações de representações em que se alteram a forma de apresentar o conteúdo. cujos registros de representação semiótica mostram a importância da linguagem no desenvolvimento das aprendizagens intelectuais. Uma equação de reta pode ser representada na forma algébrica y = ax + b. Para este trabalho a relação entre ciência e linguagem é pautada no referencial teórico de Raymond Duval (2003). explica que o sistema no qual podemos representar um objeto matemático denomina sistema ou registro semiótico. podemos citar que no cálculo de um limite de função construímos diversas equivalências para encontrarmos o seu valor. busca investigar as linguagens existentes. segundo os domínios ou as fases de pesquisa. sendo muitos destes específicos de cada objeto. Em termos de estudo. mas deve existir sempre a possibilidade de passar de um registro a outro (DUVAL. em uma resolução de problemas um registro pode aparecer explicitamente privilegiado. com a e b sendo números reais. p. Os tratamentos constituem transformações estritamente internas ao registro. conservando a referência ao mesmo objeto. na matemática.3 programas e adaptá-los às nossas necessidades e liberdade de redistribuir cópias para ajudar outros que precisam (Ramos. 2003.13-14). O pressuposto teórico básico é que a mobilização de saberes por um indivíduo é uma atividade de representação. Apoiados na perspectiva de Zabala (1999) concebemos a elaboração da sequência didática deste artigo com o propósito de uma aprendizagem cuja relação do sujeito com os conteúdos levou em conta o saber explicar (construção gradual de conceitos). ou na possibilidade de trocar a todo o momento de registro de representação.

Também permite ao aluno um melhor desenvolvimento na construção de gráficos. pelo professor Richard Parris e que pode ser obtido livremente para todos os sistemas operacionais no site http://math. Na investigação em causa. pautada no estudo de caso.edu/rparris/winplot. a partir da sequência didática. boa definição gráfica e saber se os valores das coordenadas cartesianas estão cruzando os pontos de maneira correta. em decorrência da presença cada vez maior de computadores nas escolas. produção e análise das informações.exeter. Transpor barreiras e despertar o interesse de aluno. procurou-se avaliar as representações matemáticas mobilizadas pelos alunos e relativas ao conceito de área por meio de limite de função. que mandava espiões para semear discórdia nos países a serem conquistados. A idéia básica desta abordagem é a seguinte: um problema difícil é por vezes divisível num conjunto de problemas cuja resolução é relativamente fácil. 2007) como uma atividade de ensino cuja finalidade para uma pesquisa é o seu processo experimental. no caso. em seguida resolver estas . A perspectiva qualitativa pressupõe uma produção descritiva de informações em função do interesse do pesquisador na compreensão do significado que os participantes atribuem às suas experiências (Ponte. 3 A utilização do software livre winplot: O winplot é um programa matemático que foi criado em 1985. 2006). investir em pesquisa e buscar novas metodologias na educação matemática significa sensibilizar professores e alunos da importância da participação ativa no processo de transformação que atinge a escola. ou seja. enfraquecendoos. aplicação. o gráfico cartesiano.4 Podemos converter este registro. Para tanto.html. podemos primeiramente dividir o problema em subproblemas (menores). O estudo de caso é adequado em situações cuja compreensão de um determinado fenômeno leva em conta o contexto em que está inserido (Ponte. clareza. representando a equação no registro figural geométrico. visualização. 2006). A construção da sequência didática deu-se a partir da metáfora descrita a seguir: a metáfora dividir para conquistar é baseada numa tática de guerra do imperador romano Júlio César. Neste sentido. O programa tem como objetivo introduzir o uso de conceitos matemáticos e as suas ferramentas básicas computacionais para fazer gráficos de visualização em 2D e 3D de maneira simples e intuitiva. onde obtém uma melhor precisão. utilizamos dois instrumentos para a constituição do repertório de informações para análise: imagens geradas pelo software winplot e registros escritos da resolução dos itens solicitados na sequência didática. o conjunto de etapas delineadas pela elaboração. 4 Delineamento metodológico A metodologia de investigação empregada foi qualitativa. Concebemos sequência didática (Almouloud.

Produção e análise de informações Para a análise da produção de informações interessa-nos os registros escritos elaborados tanto com o auxílio de caneta e papel (protocolos) quanto à imagem gerada no software gráfico. contemplou possibilidades de conversão e tratamento no uso de registros de representação semiótica como gráficos e expressões algébricas (DUVAL.5 novas instâncias e. 4. 2006. 2]. MELONI. Determine o valor da área entre a curva e o eixo “x”. ou seja. 2]: a) Utilize o Winplot para calcular a área entre a curva e o eixo “x”. d) Se continuarmos dividindo a atividade original em subproblemas. o que podemos afirmar sobre o valor da referida área.5. Através da utilização do winplot foi gerado o valor 9 unidades de área.741) A apresentação do enunciado. Figura 1: Tela do Winplot para cálculo de área . dividir para alcançar o todo (conquistar o todo). 2]. 2] de forma que cada retângulo tenha largura igual a 0. a seguir. Selecione “Visualizar” para ver os retângulos construídos ao longo dos subintervalos.1 Atividade: Metáfora dividir para CONQUISTAR 2 Em termos matemáticos considere f(x) = -x +4 definida no intervalo [-1. b) A partir desta representação gráfica fracione o intervalo [-1.25 a partir da fração do intervalo [-1. (BARROS. p. à medida que os retângulos ficam com cada vez mais estreitos em sua largura? 5. intercalar os resultados desses subproblemas para achar a solução do problema principal. finalmente. Determine o valor da área entre a curva e o eixo “x”. bem como a visualização de 24 sub-intervalos no item a. c) Agora utilize retângulos com largura igual a 0. A seguir apresentamos a figura 1 relativa ao valor da área compreendida entre a curva f(x) 2 = -x +4 e o eixo x. definido no intervalo [-1. 2003).

6 Para os itens b e c a estratégia de resolução foi desenvolvida em duas etapas. foi calculado os 2 valores correspondentes às imagens (altura de cada retângulo) na função f(x) = -x +4.2]. A primeira levou em conta o cálculo feito “a mão”. Especificamente. 4) A soma das áreas representou o valor aproximado para a referida integral. 3) Para cada retângulo estabeleceu-se o valor correspondente à área. apresentamos o protocolo de resolução (figura 2) e a respectiva imagem gerada pelo software (figura 3). os quais estão descritos a seguir: 1) Considerou a largura proposta para cada conjunto de retângulos e verificou a quantidade deles no intervalo [-1. 2] em sub-intervalos de dimensão igual a 0. em relação ao item b. buscou-se sistematizar os passos desenvolvidos na primeira etapa no winplot.5: Figura 2: Cálculo aproximado da área a partir de seis subintervalos Figura 3: Tela do winplot com cálculo aproximado de área . 2) Identificado os valores de “x” como extremos das bases dos retângulos. tendo em vista a partição do intervalo [-1. Já na segunda etapa.

005. Em relação ao item c. 2] em sub-intervalos de dimensão igual a 0.25 gerou o dobro de retângulos. O protocolo de resolução está na figura 4 e a respectiva imagem gerada pelo software na figura 5: Figura 4: Cálculo aproximado da área a partir de doze subintervalos Figura 5: Tela do winplot com cálculo aproximado de área a partir de 12 subintervalos . a partição do intervalo [-1. de 6 para 12. ou seja.7 Ao compararmos a figura 2 e 3 observamos uma convergência no valor aproximado da área em questão. com uma diferença de 0.

cujo cálculo da área é simples.8 Ao compararmos a figura 4 e 5 observamos uma convergência no valor aproximado da área em questão.741) para uma estratégia de partição do intervalo [-1. 2]. um dos acadêmicos expõe: à medida que os sub-intervalos (retângulos) ficam cada vez mais estreitos. conforme podemos ver nas figuras a seguir. No gráfico.5 Figura 6b: apresentação de subintervalos iguais a 0. por um lado. com uma diferença de 0.62. o limite da área tende a 9. ou seja. consequentemente em maior número. preenchem melhor o espaço entre (-1) e 2.125. Figura 6a: apresentação de subintervalos iguais a 0.00375. eliminando as sobras à direita do eixo y ou faltas das áreas à esquerda do mesmo eixo. possibilitou aos acadêmicos. No decorrer das etapas de resolução a utilização de retângulos com base cada vez mais estreita e.5 em sua soma obtivemos 9. quanto mais subdivididos estes retângulos estiverem. cada vez mais estreitos. .2] com o auxílio do software winplot. p. Na continuidade do processo de partição do intervalo [-1. isto ocorre devido que os retângulos. em relação à curva. ou seja. No decorrer da resolução da sequência didática os acadêmicos transitaram da metáfora proposta por Barros e Meloni (2006. “um problema difícil é por vezes divisível num conjunto de problemas cuja resolução é relativamente fácil” para uma área delimitada por uma curva pode ser preenchida por um conjunto de retângulos. se com os retângulos subdivididos com intervalos de 0. a soma será um resultado cada vez mais próximo de 9.25 Figura 6c: apresentação de subintervalos iguais a 0.

2003. Na perspectiva de Duval (2003). Nas diversas figuras descritas houve tanto a articulação de registros de representação semiótica interno a um mesmo tipo de registro (tratamento). 2]. 2007.. Acesso em: 31 out. Em termos de tratamento tanto as diferentes representações gráficas nas figuras 1. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO/CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR. Silvia D.. o processo de partição de cada retângulo reduzindo o valor da sua nova base à metade do valor anterior permitiu a compreensão de que o cálculo da área de uma figura não-convencional pode ser expresso algebricamente como um limite de função. 6. pelo limite de uma função. 2009. DUVAL. 6b e 6c. quanto entre registros (conversão). tivemos a generalização do cálculo de uma área delimitada pela curva. Seção 1. Cálculo Diferencial e Integral: do algebrismo às representações múltiplas. p17. as figuras 2 e 4. numa perspectiva geométrica. a aprendizagem intuitiva do conceito de integral como limite de função. Conclusão Este artigo aponta para uma linha metodológica de aprendizagem conceitual em Cálculo Diferencial e Integral onde o saber fazer dos acadêmicos manifestou-se na mobilização de representações matemáticas de natureza numérica e geométrica por meio de registros escritos. combinadas com a utilização do winplot. Diário Oficial da União. no caso. 3.. Caxambú. 2002. o eixo x e o intervalo [-1. O saber atuar exigiu dos acadêmicos a tomada de decisão na relação entre as representações matemáticas escritas e as representações gráficas provenientes da utilização do winplot.11-33 GUIMARÃES. Caxambú. expresso algebricamente. Fundamentos da Didática da Matemática. 16p. R.br/emanped/paginas/conteudo_producoes/docs_25/calculo. Referências bibliográficas ALMOULOUD. 25/02/02.ufrrj. C. SP: Papirus. quanto às representações em tabelas. Paraná: Editora UFPR. 25. In: MACHADO. Anais. o eixo x e um intervalo do mesmo. Por outro lado. Como resultado. Com relação aos registros de representação semiótica na modalidade de conversão temos os pares de figuras que associam tabelas e gráficos como formas de representação para a construção intuitiva do conceito de integral. Disponível em: <http://www. no caso. esta transição entre modalidades de registros é fundamental para uma aprendizagem significativa. 6a. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED. (org. O saber explicar foi gradualmente construído á medida que a resolução da sequência didática proporcionou aos acadêmicos uma relação com o saber manifestada por registros de representação semiótica. Registros de representações semióticas e funcionamento cognitivo da compreensão matemática. Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Engenharia. A. S.9 visualizar o processo de otimização do preenchimento do espaço delimitado pela curva.pdf>. O. p.) Aprendizagem em matemática: registros de representação semiótica.A. Campinas. 5. L. .

2. BARROS. Acesso em: 27 out. Belo Horizonte.M.net/lca19. RAMOS. H...175-187. 34.dyndns. Barreiras. Análise da aprendizagem conceitual de derivada através das respostas dos alunos que cursaram a disciplina de Cálculo I.pdf>. L...P. p. 2006. mai. Acesso em: 31 out. E. PONTE. In: FÓRUM BAIANO DAS LICENCIATURAS EM MATEMÁTICA: (re)definindo os rumos para a formação de professores de Matemática na Bahia.C. Porto Alegre: ARTMED. SAUER.Z. In: ENCONTRO BRASILEIRO DE ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA. relatos.. 2009. Acesso em: 20 set. Disponível em: <http://www. SOARES.10 MOMETTI. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA. Belo Horizonte: Faculdade de educação – UFMG. 1999. 10p. Disponível em: <http://linemas. 2009. Barreiras: Sociedade Brasileira de Educação Matemática Regional Bahia.br/ebrapem/completos/10-02...105-132. Um novo olhar sobre a aprendizagem de matemática para a engenharia. 2ª ed. J. et al. Disponível em: <http://www.org/livre>. 2008. A. S.L. Bolema. Porto Alegre: EDIPUCRS.S.B.A.M. MELONI. Passo Fundo: Editora da Universidade de Passo Fundo. Disponível em: <http://www. Rio Claro.nilsonmachado. Disponível em: <http://www.M.sbemba.pdf>. 2004. . Anais. 2009.html>.br/anais_do_forum/Comu_cientificas/CC18.25. n. A.P..(org). Anais. Acesso em: 31 ot. SOUZA. Como trabalhar os conteúdos procedimentais em aula. In: CURY. REZENDE. O ensino de Cálculo: dificuldades de natureza epistemológica. p. L. W. (org). J. propostas..ufmg. Estudos de caso em educação matemática. pp. 2009. Passo Fundo. O Infinito e as Metáforas no Ensino de Cálculo.com.pdf>. Usando o Winplot. 10.. 2006.19. Acesso em: 31 out. R. Disciplinas matemáticas em cursos superiores: reflexões. Anais.G.mat.. 2009.ufpb. 2006.2008. ZABALA. S.br/~sergio/winplot/winplot. PEIXOTO. O processo de ensino e aprendizagem de cálculo diferencial e integral por meio de metáforas e recursos multimídia.L. 2006. Porquê software livre? Portugal.733-746. v.fae.