novos convertidos

Introdução:

O que

precisam saber?

Aula 01

A Importância da Freqüência ao Culto

Todos sabem da importância em ser freqüênte na escola, trabalho e até mesmo em cursos extra curriculares. Porém muitas vezes vemos uma inversão das prioridades. A freqüencia ao culto é de suma importância e na comparação com as atividades seculares, tem rendimentos eternos. Discussão: I. O Que FazemOs nO CultO? a. em nome de Jesus (mateus 18:18-20) 1. Fazemos uma ligação entre o material e o espiritual (v. 18) 2. A reunião da igreja dá força aos membros (v. 19) 3. A reunião da igreja é o corpo de Cristo vivo e presente (v. 19) B. em memória de Cristo (1 Coríntios 11:23-26) 1. A igreja deve participar da ceia todos os domingos (At 20:7) 2. A Ceia é mandamento de Jesus (v. 23) 3. Devemos fazer em memória de Jesus (v. 24, 25) 4. Quando participamos da ceia, anunciamos a morte e a volta de Jesus (v. 26) 5. Em que pensar na ceia (v. 27-30) A perseverança na freqüência a ceia do Senhor lembra C. Perseverança (atos 2:41-42) 1. Na freqüência estamos sendo perseverantes 2. É pela perseverança que somos salvos (Mt 10:22; Lc 21:19) 3. A perseverança no culto • Na doutrina dos apóstolos • Na comunhão • No partir do pão • Nas orações II. nãO DevemOs DeIxar De COngregar (Hb 10:24-31) a. estímulo ao amor e boas obras (v. 24) 1. Fazer o bem não é fácil, precisamos de estímulos • “A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a afastará dela” (Pv 2:15). • Fazer o mal é fácil desde criança e ela precisa de estímulo para fazer o bem. Na frequência temos os estímulos e motivos que precisamos para fazer o bem. 2. Amor deve estar em primeiro lugar em nossos relacionamentos • O verdadeiro amor jamais acaba, é o maior dos dons, é o vínculo da paz, é fruto do Espírito Santo e amamos porque Jesus nos amou primeiro (1 Co 13:8, 13; Cl 3:14; Gl 5:22; 1 Jo 4:19) 3. Boas obras devem ser feitas uns aos outros • Através das boas obras aos irmãos nos estimularemos mais e mais ao amor fraternal. Devemos fazer o bem a todos, mas em primeiro lugar aos da família da fé (Gl 6:10). B. Por que não deixar de congregar (v. 25) 1. Não seguir os maus exemplos 2. Quando repetimos, vira costume. Quando vira costume, nos acostumamos. 3. A frequência nos admoesta (Hb 3:13) 4. O dia se aproxima C. O Problema da falta voluntária (v. 26, 27) 1. Faltar é viver deliberadamente em pecado (v. 26) 2. O culto é o último recurso criado por Deus 3. Quem falta voluntariamente não tem mais o que fazer (v. 26) 4. Quem falta deliberadamente se torna adversário de Deus (v. 27) D. O castigo do passado e do presente (v. 28-31) 1. Exemplo do Velho Testamento (v. 28) 2. O que é, na prática, faltar ao culto? (v. 29) 3. O que você acha que merece quem faz isso faltando? • Se no Velho Testamento uma pessoa era morta se desobedecesse a lei, o sábado por exemplo, o que espera quem voluntariamente falta ao culto? Porque faltar, como já vimos, é uma ofensa direta a Deus e um desprezo a tudo o que Ele fez na Cruz através de Cristo. 4. O castigo dos que desprezam a Cristo (v. 30, 31) • Deus não quer nos castigar e sim abençoar. Por isso, primeiro Ele nos amou através de Cristo

novos convertidos

O que

precisam saber?

Aula 01

e nos deu conhecimento pleno da verdade para nos libertarmos do pecado. Uma vez libertos do pecado, temos uma grande responsabilidade de sermos perseverantes na frequência ao culto e a falta voluntária nos torna passíveis de castigo. É justo Deus julgar seus filhos, mas precisamos saber que o castigo será horrível! III. anDanDO na luz (1 Jo 1:5-2:1) a. Deus é luz (v. 5) 1. Deus contrasta com as trevas • Deus enviou Jesus como luz ao mundo e quer que nós sejamos a luz (Jo 3:19; Mt 5:14-16) 2. A luz incomoda quem está nas trevas • Jesus, a luz de Deus no mundo, incomodou ao ponto de lhe tirarem a vida (Jo 3:20) 3. O incomodo é um convite para sair das trevas • O que Jesus fez nos deixa constrangidos e não podemos mais ficar sem fazer nada. Conhecendo Jesus e seu grande amor, precisamos sair do pecado (2 Co 5:14, 15) B. andar na luz (v. 6, 7) 1. Andar na luz no dia-a-dia (1 Jo 2:6) • Não devemos andar ansiosos e nem de conformidade com as tradições religiosas e, sim, com fé. Andar na luz é andar no Espírito para não satisfazer os desejos da carne (Gl 5:16). Andar na luz é seguir Jesus, pois Jesus é luz e quem o segue não anda mais nas trevas (Jo 8:12). 2. Andar na luz é andar uns com os outros (v. 7) • Nas trevas andamos dispersos como quem não tem direção e não sabemos para onde vamos. Jesus é o único e Supremo Pastor e Bispo das nossas almas e nos juntou para andarmos juntos com Ele (Jo 11:52; 1 Pe 2:25). • Precisamos ficar juntos pois é na comunhão que estamos andando na luz. Veja bem o que esta passagem diz: “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado”. • Deus não aceita adoração individual no domingo. Ele quer que estejamos andando na luz juntos. Se nossa vela se enfraquece ou se apaga, o outro nos ajuda e reparte sua luz conosco. • Sozinhos somos fracos e estamos desprotegidos. Juntos somos o corpo de Cristo e contra este ninguém é suficiente. • Quem falta ao culto, está andando nas trevas. O culto é o último recurso para nos purificar. 3. Hemodiálise espiritual (v. 7) • Quem tem os rins doentes, precisa fazer três sessões de hemodiálise semanalmente. Neste processo o sangue é retirado e filtrado. O pecador precisa fazer uma ‘hemodiálise espiritual’ vez por semana. Andando na luz, na manutenção da comunhão com os irmãos, o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado. Quem falta ao culto, volta a ser pior do que o seu estado pecador anterior ao batismo. Escapamos das contaminações do mundo ao conhecer e obedecer Jesus e se somos vencidos pelo pecado e desistimos voltamos ao lamaçal (2 Pe 2:20-22) C. Porque andamos na luz? (v. 8) 1. Porque ainda temos pecados • Uma congregação local estava sendo acusada de hipocrisia e de que escondia pecadores. O pregador respondeu às acusações com a seguinte frase: “Dizem que esta igreja está cheia de pecadores e hipócritas. É mentira! Sempre há lugar para mais um!” • Lugar de pecador é na igreja assim como lugar de doentes é no hospital. Somente na igreja o pecador tem chance de ser salvo por Deus. Deus criou o inferno para Satanás e seus anjos e o desejo para os seres humanos é que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. • A luta contra o pecado é a morte (Hb 12:4). Quem desiste de lutar contra o pecado, morre espiritualmente antes de morrer fisicamente. 2. Porque precisamos andar na verdade • Aquele que diz não ter mais pecados, está se enganando e não está andando na verdade. • Quando chegamos aos domingos e frequentamos a comunhão, estamos reconhecendo que temos cometido pecado. Seremos sempre dependentes de Jesus. Nem depois que morrer seremos independentes de Jesus (Rm 14:7-9) D. Confessar os pecados (v. 9, 10) 1. Na frequência reconhecemos os pecados • Nos cânticos, nas orações, na ceia, coleta e pregação, confessamos que somos pecadores. • Confessamos para quem pode nos purificar. 2. Na confissão Deus perdoa nossos pecados • Confessamos uns aos outros e nos dirigimos em oração ao Pai para que nos perdoe. Quem não reconhece os pecados, não muda.

novos convertidos

O que

precisam saber?

Aula 01

3. Na confissão Deus perdoa nossas injustiças • Você consegue honrar as suas palavras sem nunca falhar? Você consegue pagar todos os seus impostos? Você consegue viver uma semana sem pecar? Ninguém tem nenhuma vantagem. • Todos estamos debaixo do pecado: “Não há justo, nenhum sequer” (Rm 3:9-17). • Vamos ao culto para andarmos na luz e fazermos parte do seu corpo. Assim andamos na luz. • “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Rm 8:1). • Quando estamos em Cristo, não seremos condenados mas por Ele somos absolvidos. e. temos um advogado (2:1) 1. Não pequemos • Deus quer que não pequemos, quer que sejamos santos como Ele é santo. Porém reconhecemos as nossas limitações e dificuldades. 2. Se pecar… • Reconhecemos que somos pecadores e precisamos eternamente a ajuda de Jesus. Por isso, se pecarmos, contratamos Jesus como nosso advogado no batismo para nos defender diante de Deus. Conclusão: a. O culto é de suma importância para a vida de um discípulo de Cristo. É o culto, que começa no primeiro dia da semana mas que não deve ser deixado lá nos bancos da igreja, que tem a função de convidar Deus para as nossas vidas. B. Quem deixa de frequentar a igreja e tomar a ceia todos os domingos, está dizendo que não se importa com a morte, sepultamento e ressurreição de Cristo. Pois somente na ceia é que lembramos a morte, sepultamento e ressurreição de Jesus até que Ele volte. C. Quem não é perseverante na comunhão, está perdendo a salvação aos poucos e nem vai sentir quando se afastar. D. Quem falta voluntariamente está tornando-se adversário de Deus. Você está pronto para lugar contra Deus sem causar dano à sua alma? e. Na frequência ao culto encontramos os estímulos necessários para o amor e as boas obras uns pelos outros. Os discípulos verdadeiros devem ser conhecidos pelo amor que os unem. F. Faltar ao culto deliberadamente é o pior pecado que cometemos, pois o culto é o último recurso para nos manter salvos e puros perante Deus. g. Faltar ao culto é pisotear os pés de Jesus, considerar sem valor o sangue de Jesus da aliança que nos santificou e é insultar o Espírito da graça (Hb 10:29). No Velho Testamento era punido de morte quem não guardava o sábado. Que castigo você acha que merece quem pratica estas coisas contra Deus faltando ao culto? Para escapar do castigo de Deus, não falte e volte sempre quando errar. Deus aceita o seu arrependimento. Ele valoriza a misericórdia e não o castigo. H. No culto andamos na luz quando mantemos comunhão uns com os outros. Confessamos os nossos pecados e somos purificados pelo sangue de Jesus. I. Uma pessoa que já foi batizada ainda peca, e quando pecar, deve pedir perdão a Deus e no culto terá purificação pelo sangue de Jesus. Quem não frequenta aos cultos, está acumulando pecados novamente.