01/10/13

Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu?

Política

Economia

Blogs

Tablets/Celular

Anuncie

Assine a Revista

Home
Camaradas
Cine Morena
Rolé
Cyberia
Vintage
Okupa
Home

Qual era a onda da Libelu?

Me enterrem com os trotskistas
na cova comum dos idealistas
onde jazem aqueles
que o poder não corrompeu
me enterrem com meu coração
na beira do rio
socialistamorena.cartacapital.com.br/qual-era-a-onda-da-libelu/

1/13

foi o responsável por levar muitos companheiros de tendência para a Folha. acomodados”. num primeiro momento. Lembra o apelido carinhoso de uma moça. afirmava Cleusa. “Não conheço nenhum militante do Liberdade e Luta que tenha aderido ao PDS. Por que havia tantos jornalistas na Libelu? Ao que tudo indica. Talvez você não saiba. como o blogueiro da Veja Reinaldo Azevedo (que também trabalhou na Folha na fase Libelu) e o sociólogo e colunista do Estadão Demétrio Magnoli. fez campanha pelas Diretas Já. que foi secretário de redação e ombudsman do jornal. ainda durante a ditadura militar. a Folha. assim como o também ex-ministro Antonio Palocci e Clara Ant. apelidada “Pituca” no movimento estudantil. E fui trazendo os melhores jornalistas que conhecia. como Palocci e Clara. uma parte dos ex-Libelu acabaria descambando para a direita mais feroz. preferiria morrer sem juízo. Mas. Gostei mais dos anarquistas. Cleusa Turra. o Conti (que estava confinado na Câmara dos Vereadores como setorista e eu trouxe para a Ilustrada e o Folhetim). “Fui o primeiro Libelu contratado para começar a renovação do jornal.” Paulo Moreira Leite. hoje diretora do núcleo de revistas da Folha. Eram bons. socialistamorena. mas estava cercada por ex-militantes do braço estudantil da OSI (Organização Socialista Internacionalista). já nasceu fazendo a crítica ao stalinismo. simplesmente deixaram a militância de esquerda. E não deu outra. Outros ainda. fez campanha de apoio ao sindicato Solidariedade na Polônia. no jornalismo. haveria uma regressão econômica. vejo um ex-Libelu –à esquerda. mas gostava da ‘disciplina’ dos trotskistas. onde trabalhei muitos anos. que foi redator-chefe da Veja. Caio Túlio Costa. a Cleusa Turra. na Bahia. ao contrário do que previa Cleusa.Paulo. que tinha. em 1981. para qualquer lado para onde olho. ficaram no entorno de Lula na Articulação. Trotskista. de “cururus”) ou anarquista. O ex-ministro Luiz Gushiken. Com o nascimento do PT. foram da Libelu. se não conheci nenhum na faculdade. Liberdade e Luta: Libelu. Alguns foram integrar a corrente O Trabalho com Sokol. entre outros. nas trincheiras partidárias ou em uma atividade sem nenhuma relação com a política. eu nem sabia. dirigiu a Época e hoje está na revista IstoÉ.br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 2/13 . porque a ECA (Escola de Comunicação e Artes) da USP estava tomada por eles. À frente da Folha em sua renovação. o Zé Américo.” Em março de 1982. quando o movimento estudantil começava a renascer no Brasil. ex-militantes do MR-8 e da Refazendo. Nesta época. a quem a Libelu era vinculada. aos 23 anos. sem uma revolução política na União Soviética. depois. mais tarde. Matinas Suzuki. chegou a dar entrevista para as páginas amarelas da Veja como militante do PT e da Libelu eleita presidente do DCE da USP. havia também. de certa forma. Curioso é que. a Renata Rangel. foi da Libelu. ocupando postos importantes na redação. embora. um poema concreto. talvez até por isso. muito bons. Na Folha de S. Laura Capriglione. assessora de Lula. conta Caio Túlio. uma corrente à frente de seu tempo. também foi Libelu e se mantém progressista. Otavio Frias Filho empregou muitos militantes de esquerda no jornal. o Bernardo Ajzenberg.cartacapital. não me lembro de todos… Cada um foi trazendo outros. Apoiava os esforços de democratização do socialismo no Leste europeu. Muita gente. Ele era simpatizante da Vento Novo. Para a liberdade e luta) O nome é simpático. que tinha como um de seus dirigentes Luis Favre. uma corrente (de centro) que havia na São Francisco”. que apoiara o golpe militar. só havia duas opções: ser do PCdoB (Viração. um perfil muito menos conservador do que hoje. a OSI. a corruptela de “libelo”. Primeiro por retomar o slogan “Abaixo a Ditadura” antes de todo mundo. Na minha época de estudante. em 1979. A corrente de inspiração trotskista seduziria centenas de jovens em meados da década de 1970. “O Otavio não era simpatizante da Libelu. mas pode haver um Libelu a seu lado neste momento. a quem chamávamos. através da restauração do capitalismo. em 1979. é outro ex-Libelu. por criticar o autoritarismo e as barbaridades dos regimes comunistas muitos anos antes da queda do muro de Berlim ou da Perestroika. Eu não alcancei a Libelu. o Matinas. a palavra amor em alemão. que deixou a militância ao sair da faculdade. Não existe nenhuma lei segundo a qual os jovens devam ser contestadores e os velhos. morto no dia 14 de setembro. o Rodrigo Naves. tenham acusado o metalúrgico Lula de ser “pelego”. muitos dos seus quadros migraram para o partido. “Se tivesse que escolher entre ter uma cabeça como a do governador Paulo Maluf e não ter cabeça nenhuma. mas também à direita. Além dos ex-Libelu. e outros.01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? onde o joelho ferido tocou a pedra da paixão (Paulo Leminski. A Libelu foi. Markus Sokol. como os jornalistas citados. Caio Túlio. mais de uma década depois. o Ricardo Melo. hoje em dia. candidato à presidência na atual sucessão à direção nacional do PT. Sua visão era de que. eram mais divertidos e não proibiam a maconha. lutando pelos meus direitos. no início da década de 1980. denunciou a invasão da Checoslováquia pelas tropas do Pacto de Varsóvia e. Mario Sérgio Conti e o crítico de gastronomia Josimar Melo.com.

Na tentativa de criticar o culto à personalidade. ex-vereador do PT-RS e ex-Libelu. Leon. num ambiente de nenhum moralismo.” “Eu sempre brinco e digo que isto é ‘calúnia’ dos adversários. As festas eram nas casas ou repúblicas das mesmas pessoas”. Mas muita gente continuava ‘dando uns pegas’ em baseado. de Mario Monicelli. eram pouquíssimos os que usavam drogas. ao Livro Vermelho.br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 3/13 . “Os Libelu eram muito severos em relação a Mao. num dos retratos do realismo socialista da época. porque os militantes eram jovens. o que era muito frequente naquela época. “A Libelu era um curioso e original amálgama político-comportamental.Paulo em 1997.com. com uma sacada divertida: “Branca. foi a proliferação daquele impassível retrato que incubou o desmedido’. “Droga era considerada ‘oficialmente’ alienante. conta Caio Túlio Costa. Nunca vi nem ouvi falar de outras drogas na época. ao culto à personalidade. Evidentemente que ninguém entendeu o espírito crítico atrás da foto e do poema. em que o trotskismo convivia com o rock. Todos eram muito liberais quanto aos costumes. Até sem usar. a OSI/Libelu não estimulava o preconceito contra o rock. com o fuminho e com as meninas do pós-queima-dos-sutiãs”. e a edição esgotou. Mas essa concepção festiva não encontra unanimidade entre outros ex-Libelu. em primeiro lugar. ao contrário das demais tendências de esquerda do período. os militantes da tendência não toleravam o culto à personalidade em figuras como o líder chinês Mao Tsé-Tung. aos assassinatos etcétera e tal”. claro. Mutantes e mesmo sucessos estrangeiros. Leon”. muitas vezes a polícia enxertava drogas para uma prisão.” “As festas eram boas. e que havia uma certa liberação no que tange à maconha. Leon. Em homenagem a. o povo em reverência. Sobre os costumes. muitos. As pessoas estavam sempre muito juntas. Entre a liderança. As festas da Refazendo eram tão boas quanto às da Libelu. Branca. diz Adeli Sell. Adversária do dirigismo cultural e de qualquer coisa que pudesse lembrar o chamado realismo socialista. mas muitos. “Isso é lenda. fizemos uma edição do (jornal) Avesso cuja capa era o Mao. grandão. defensores da livre orientação sexual”. Não acredito que a Libelu fosse mais ou menos tolerante do que as outras correntes. Havia respeito e luta pela igualdade de gênero. O pessoal gostava de MPB e ouvia muita Rita Lee. Trotski. “Mas teve um caso engraçado. Havia espaço para Cartola e socialistamorena.01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? Apesar de trotskistas. à revolução cultural. fazendo política quase que 24 horas por dia! Eram poucos os que saíam para ‘a noite’. Contrariamente a todos os nossos intentos. Havia festas mais fechadas. porque usando drogas era mais fácil ‘cair’. todos nos considerávamos feministas. éramos o grupo mais avançado. É difundidíssima a versão de que as festinhas da Libelu eram as mais animadas do movimento estudantil e com as garotas mais bonitas. no entanto. em geral a maconha. Branca. a usavam. mas longe do que o mito criou. sempre para arrecadar fundos para o grupo. na Libelu. conta Caio Túlio. Não havia Aids. os maoístas fizeram da capa pôster de parede…” O hino da Libelu era uma versão da canção entoada no filme O Incrível Exército de Brancaleone. escreveu Matinas Suzuki na Folha de S.cartacapital. e inserimos uns versos de Neruda para distanciar o leitor: ‘Só o espanto era invisível. ao autoritarismo. sim. a restrição era por conta da repressão. abaixo. “A gente não tinha uma visão moralista do uso das drogas. Hormônios em altíssima voltagem. Fazíamos grandes festas públicas. onde sempre havia alguém que usava droga.

Muitos quadros do PSDB que fizeram a privatização de estatais no governo de Fernando Henrique Cardoso vieram da Ação Popular e do PCB. também ex-Folha e ex-Libelu. Não se brincava com isso. esse é um fato. mas o que em realidade acontecia é que elas tinham destaque na disputa política estudantil. Mas ela não era simpatizante. O país se democratizou. da primavera de Praga. o PT se consolidou. à liberalidade de costumes. Quanto às garotas. É sua razão de ser. o que lastimo profundamente. Encontrei muitos deles acompanhando e despedindo-se do nosso querido Luiz Gushiken. quando eu já não era mais militante. E as garotas eram lindas mesmo. era na base da Libelu. A visão era de que a consciência se forma por uma compreensão racional da política e da história.com. acreditavam numas teses culturais como a do nacional e popular. As drogas também eram consideradas portas de contato com a polícia e criminalidade. Deve ter mais alguns. Só nas festas da Libelu tocava Stones e outras bandas de rock. Foi o primeiro lugar onde eu vi homem cumprimentar homem com selinho. o que deveria ser evitado a qualquer custo. ainda mais no período militar”. e a Libelu era das poucas que se identificava com ambos os processos. como sei do caso do comentarista da Band. Você encontra antigos militantes da ALN de Marighella entre pessoas que são anti-petistas 24 horas por dia. Não vejo nada de muito especial nisso. em termos gerais. Certa vez. o mais notável no caso da Libelu é que uma grande parte de seus quadros participaram e participam ainda hoje da CUT e do PT. outros fundaram o PCO.” “As festas eram ótimas. pelo contrário. na realidade. também. esse tipo de bobagem de viés realistasocialista. eles não mudaram. sim. A rigor. “Nunca se aceitou a noção da contracultura de que as drogas poderiam auxiliar na formação da consciência das pessoas. foi em bloco para a direita e hoje se dedica a combater o PT.cartacapital.br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 4/13 . lembra Luis Favre. não. Os principais dirigentes da OSI ajudaram a fundar o PT e quem continuou em sua atividade política na vida adulta continua neste partido. Ao mesmo tempo. Pergunto aos ex-militantes algo que me deixa particularmente curiosa: como é que alguns membros da vanguardista Libelu foram parar na direita mais reacionária? Paulo Moreira Leite: – Acho que em anos recentes os grupos conservadores recrutaram militantes em todas as correntes da esquerda brasileira. pois condenava não só o capitalismo. a começar pela queda do Muro de Berlim e tudo o que ela representou. Alguns ex-Libelu chamam a atenção porque eram todos jovens trotskistas. Baby Consuelo. Pelo que vejo aqui e dos que encontro espalhados pelo país. Mas não só. O PPS. não me assusto com isso. diz Favre. é peremptório: “As festas eram as melhores mesmo. e se transformaram em pessoas bastante conservadoras. ou melhor. Possivelmente por causa de seus laços com a ditadura. Luis Favre: – Em todas as organizações juvenis encontramos casos de indivíduos que evoluíram para o extremo oposto de suas primeiras convicções. de extrema-esquerda. particularmente em escolas como a ECA e a FAU. particularmente os cururus (PC do B). Apareceram questões e desafios diferentes para todo mundo. Cobrou cachê”. aqui em Porto Alegre tem um aguerrido militante que foi para posições bem à direita.01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? Paulinho da Viola. “Diziam que as mulheres eram mais bonitas. Não foi a regra. Alguns casos você pode explicar pelos confortos que o conservadorismo pode proporcionar. conta um ex-militante que prefere se manter na clandestinidade até hoje. e as pessoas não implicavam nada com Caetano e Gil. A organização teve uma divisão importante na década de 1980. O jornalista Alex Antunes. E nós da ECA ainda metemos o punk e pós-punk na parada. de esquerda. E muitos dos que se afastaram da atividade militante ou política continuam do mesmo lado. mas a maioria dos que conheço está no PT. Mas. Mas em outras organizações eram abominadas e seus militantes tinham vida de monastério”. naturalmente. militando ativamente. veja bem. a maconha não era nada tolerada e teve até dirigente expulso por ser flagrado puxando fumo. onde as coisas aconteciam. nossos conservadores nunca tiveram meios de formar seus próprios quadros civis para atuar numa democracia. a juventude vivia sob o impacto do maio de 68 na França. que era o antigo Partido Comunista. em fase pré-pentecostal. Adeli Sell: – Bem. Ocorreram mudanças muito importantes no mundo. Antes. Mas de resto não sei se foram para a direita. pois foram estes quatro ou cinco militantes que foram fundamentais para a minha entrada na Libelu e minha formação política. promove as pessoas. como acontecia naquela época de enfrentamentos como o da ‘tanga do Gabeira’. que foram militantes na juventude. seguiram outra perspectiva na vida e se tornaram intelectuais orgânicos de grupos conservadores. Alguns foram para o PSOL.” Sobre as drogas. Acho que esses fenômenos fazem parte do movimento normal da vida. foi a estrela de um dos shows promovidos pela Libelu. dos ideais que abraçaram na juventude. Não tinha essa abertura estética em nenhuma outra tendência. muito auto-suficientes e estilosas hippinhas“. como aquele sinistro sistema pretensamente ‘socialista’. Ele dá prestígio. a maioria continua com posições avançadas. Caio Túlio Costa: – Não foram só integrantes da Libelu que mudaram de posição radicalmente na vida. mas todos ingressaram no PT. continuam extremistas… socialistamorena. “a condenação era muito estrita na corrente trotskista. Nunca pensei que alegria e compromisso social fossem incompatíveis. Mas é certo que alguns quadros. Segundo ele. Por uma questão simples: o povo das outras tendências.

Acontece com a OSI ou outras organizaçãos. a vida pode ter tomado outro rumo e muitos amigos de antes até se mostraram uma decepção. luta política. de que está mexendo na roda da história. em 1979. como o Markus Sokol ou o Julio Turra. faz parte de sua memória para sempre. Ninguém passa impunemente por isso. tem a nítida sensação. Mudamos muito.01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? (cartaz da campanha da Libelu à União Estadual de Estudantes. de outras origens. sem mudar de lado. Tanto é assim que pretendemos ainda neste ano fazer a grande festa da Libelu. construir uma central sindical e um dos maiores partidos de esquerda do mundo. Dedica as melhores horas de seu dia e possivelmente alguns dos melhores anos de sua vida para construir uma sociedade diferente. Luis: – Uma parte importante da Libelu conseguiu superar suas limitações. certamente. Paulo: – A militância politica é uma experiência única na existência. com outra história. em parte desconectado da realidade. muitas e muitas identificações. Estes serão sempre Libelus autênticos. sua estreiteza ideológica. Os projetos podem ter dado errado. mas aquele momento foi maravilhoso. Gushiken. Com a morte do Gushiken.cartacapital. assembleias estudantis. por exemplo. uma solidariedade. achamos que devemos nos encontrar e festejar o que fizemos. seu sectarismo e intelectualismo. Os livros que você lê. grupos de estudo. correta ou não. Ter contribuído um pouquinho no que essa central sindical e esse partido aportou ao progresso social do Brasil. A formação política rigorosa (muita leitura. já é fonte de satisfação para os que participamos dessa “nossa” história. carinho. ou alguns dos líderes de então. A tendência perdeu) Uma vez Libelu sempre Libelu? Há algo da corrente que permanece nos ex-militantes até hoje? Caio: – Em alguns. alinhamento internacional. um profundo companheirismo.com. socialistamorena. mas você aprendeu ali algumas verdades que vão te acompanhar pelo resto da vida. reuniões intermináveis. para. todos impactados com a grande perda. ceticismo em relação às instituições “burguesas”) deixa marcas profundas. Hoje você pode até achar que estava sonhando. Você entra em contato com forças absolutas. junto a outros militantes. os filmes que assiste e até seu trabalho como cidadão comum têm outro sentido.br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 5/13 . Adeli: – Tem uma liga.

Responder 2 respostas · ativo 6 dias atrás socialistamorena. principalmente. de quem fui aluno no tempo em que ele era ainda de esquerda.br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 6/13 . o Demétrio Magnoli.com. exLibelu.6 mil Enviar 15 Posts Relacionados Uma viagem à Venezuela de Chávez O direito à preguiça Comentários (73) Logar Classificar por: Data Classificação Última Atividade Guilherme Caldas · 1 semana atrás +7 Texto excelente. Teria sido muito bom ouvir os ex-Libelus que hoje em dia são reaças como o Reinaldo Azevedo e. movimento estudantil.01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? Este post é uma homenagem do blog a Luiz Gushiken (1950-2013). PT. 73 Comente Tw eetar Curtir 120 2. homem de esquerda honrado e bacana a quem a imprensa brasileira deve um pedido de desculpas por tê-lo acusado durante anos injustamente.cartacapital. RIP Gushi Publicado em 24 de setembro de 2013 Por Cynara Menezes Em Blog @cynaramenezes TAGs: Libelu. socialismo.

Ha... Em muitas escolas a turma da Convergência era maior do que a Libelu. Grande companheiro. ha..] Via Blog Socialista Morena – Qual era a onda da Libelu? [. um sub-braço para o movimento secundarista.. entre muitos. Gostei e muito. Claro que continuo no PT até os dias de hoje... Seu grande representante aqui em Minas é o Júlio Pires.. o problema é o poder dominá-lo foi o que aconteceu com ele e mais alguns que não precisamos citar os nomes. acabo de votar não gostei por engano. Responder 1 resposta · ativo 6 dias atrás jardel Lopes · 1 semana atrás +2 Muito interessante este pequeno bate-papo. tinhamos de formar uma juventude revolucionária.Kafu-Magui-Ciça-Nenem. Ele é um grande exemplo do que aconteceu com os porcos quando assumiram opoder na REVOLUÇÂO DOS BICHOS O problema não élutar pelo poder .cartacapital.. ha. mas se fosse entraria rapidamente na tendência enquanto estivesse entrando e saindo dela. Beto.. Fiquei relembraNDO MEUS TEMPOS de Minas gerais..br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 7/13 . que andou trabalhando uns bons tempos na Prefeitura de Belo Horizonte. Responder Sandra · 1 semana atrás +4 Excelente texto! Não sabia nada sobre esse movimento estudantil! Lamentável os estudantes de hoje se mobilizarem em causa alheia e desconhecerem o sentido político que caminha o país! Responder 1 resposta · ativo 6 dias atrás dukrai 95p · 1 semana atrás +12 e os bléquis blóqui achando que são radicais rs Responder Luiz Teatini · 1 semana atrás +1 Faltou falar do povo da UnB.com.... senti falta de uma referência à facção. mas a esquerda adora uma cisma.e varios outros. tinhamos que ser esquerdizantes..01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? beto borges · 1 semana atrás +9 Merda. Ribeiro · 1 semana atrás -14 Diziam que as minas da Libelu conquistavam na cama os "militantes" desejados pela tendencia. e nenhuma linha para a Convergência Socialista? A Convergência também era trotsk ista. Nunca fui assediado sexualmente por nenhuma mina da Libelu. também era da OSI. Responder 1 resposta · ativo 6 dias atrás Wadilson · 1 semana atrás +5 Puxa... Responder Memória: Qual era a onda da Libelu? | Milton Alves [. Paulo Francis. A turma da Libelu era exatamente o descrito acima. A Convergência tinha ainda O Alicerce..] socialistamorena. IV Internacional e tals. Responder 1 resposta · ativo 6 dias atrás mauricio · 1 semana atrás -11 Gushik en!! só quem conheceu pode falar. também foi trotsk ista. Responder 2 respostas · ativo 4 dias atrás Fábio de O.

br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 8/13 . as teses que a Libelu defendia quase sempre eram as melhores e mais bem colocadas.comandado por Favre . seu post me trouxe ótimas lembranças.] Qual era a onda da Libelu? | C O O LTURA [. Responder 1 resposta · ativo 5 dias atrás Célio Turino · 1 semana atrás +5 Parabéns pelo belo texto. e a homenagem merecida ao Gushik en. mas pelo jeito não é bem assim.. Responder +1 socialistamorena.. entrego o ouro: o "nome de guerra do Paulo Moreira Leite. deveria entrar para a memória da publicidade nacional (em tempo: eu não fui da Libelu. viraram a casaca ou era gente infiltrada no movimento estudantil pela ditadura? Isso é bem plausível. Usp e de ter jogado muita bolinha de gude nos cavalos do Erasmo Dias.. fui da LIBELU nos anos 80.. ah. [.. do movimento secundarista. Mais do que nunca fica claro nos dias atuais o tamanho do crime político que representou essa dissolução. com a frase "nem todos os gatos são pardos". Geraldo Vandré e Chico prá cantar e ficavam discutindo política. ou CUBs).. Responder Bacellar · 1 semana atrás +2 Muito bacana para situar a comunistaiada da nova geração no cenário real dos anos de chumbo. boa época....978 e nunca militei na Libelú e sim no movimento popular e sindical (metalúrgicos de São Paulo e SBC)..com a dissolução de parte da organização dentro do PT. ótimas lembranças. Para a liberdade e luta) O nome é. Aliás. Responder Stefan Mantu · 1 semana atrás +1 Iniciei minha militância na OSI em 1..] Gustavo · 6 dias atrás -12 Bairrismo. e ter algumas discordâncias. Viva a IV Internacional !!! Responder 1 resposta · ativo 10 horas atrás silvio · 1 semana atrás +4 caramba. era "Janjão". valeu SM! Responder Jair Pedrosa · 6 dias atrás +3 Orgulho de ter feito parte desta história..01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? Flavio de Lima · 1 semana atrás +6 Muito bonito esse texto. Responder Qual era a onda da Libelu? | EVS NOTÍCIA.com. das festas na Puc. Alias. Nos anos oitenta eu militava na já eliminada esquerda católica (pastoral universitaria. e apesar de não ter entrado.. O bom do texto é que eu tinha ideia que a maioria da Libelu teria virado a casaca pra direita.cartacapital. era Caminhando.. nas suas "festas". pela Anistia Ampla geral e irrestrita.cartacapital.br Partilhar [. Os camaradas da corrente O Trabalho e da Esquerda Marxista (correntes do PT) felizmente nos mantivémos organizados. Esses ai que "viraram" na verdade devem é ter pedido baixa do serviço. da retomada dos Grêmios Livres. de inspiração maoista . tente encontrar o "gatinho azul". Ah. fizemos uma camiseta com este gato para irmos ao Congresso de Reestruturação da UBES. Militei junto com Gushik en e me decepcionei quando foi dado um verdadeiro golpe na organização . um cartaz da chapa da LIbelu para as eleições da UEE-SP. Tive contato com o pessoal da Libelu no movimento estudantil. Passado trotsquista sempre rendeu excelentes remunerações em função da qualidade da formação política dos militantes. as festas da Libelú eram sensacionais porque eram realmente festas onde se dançava e namorava prá valer.com... parcialidade e puxa-saquismo elevado à máxima potência. eliminada pelo polonês. mas o que tinha (tem?) de infiltração e arapongagem na esquerda brasileira é uma enormidade.] Me enterrem com os trotskistas na cova comum dos idealistas onde jazem aqueles que o poder não corrompeu me enterrem com meu coração na beira do rio onde o joelho ferido tocou a pedra da paixão (Paulo Leminski..rs). apesar de parecer teoria da conspiração.. Em reverência a Gushik en. Os estalinistas colocavam.] on socialistamorena.. [.

abril. Responder +1 Aldo Della Monica · 6 dias atrás Ao afirmar que a mudança de extrema esquerda para extrema direita é algo compreensivo (o radical de esquerda seria o mesmo que radical de direita.com. Assinar Nada Enviar Comentário Twitter socialistamorena. o conservadorismo moral e dos constumes da esquerda tradicional.e as da LIBELU eram ótimas.disputavamos palmo a palmo os espaços e corações.movimento sindical e ia nas festas-depois da militancia. ou logar: Nome Email Website (opcional) Mostrar junto aos seus comentários. era questionar o stalinismo. linke para ele aqui. As discussões entre nós eram interrminaveis.br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 9/13 . Não mostrado publicamente. um estudo pormenorizado acerca das transformações das organziações políticas de esquerda no Brasil.br/blog/reinaldo/tag/pco/ Responder 2 respostas · ativo 6 dias atrás +2 Rita Teixeira · 6 dias atrás Ser trotsk ista era ser a vanguarda da esquerda. Responder +4 czajka1976 0p · 6 dias atrás Falta. Se você tem um website. Parabéns pelo texto. mas outro vetores que indiquem uma complexifcação dos fenômenos político-ideológicos no Brasil durante e depois da ditadura militar. ambos radicais ) certamente não está levando em conta a infra estrutura sócio econômica que sustenta este ou aquele sistema. que ficaram retados quando decidimos acabar com o DA na EBC por considerar que deveríamos trabalhar sem alguém "dirigindo" e enfiaram um monte de gente na "Escolinha".01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? Emmanuel · 6 dias atrás Quando você diz que o Reinaldo Azevedo foi da Libelu está se baseando na realidade ou no que diz o wik ipedia? Eu pergunto isso porque o próprio Reinaldo Azevedo diz que pertenceu ao Convergência Socialista: http://veja. Responder 1 2 3 Next » Postar um novo comentário Digite o texto aqui! Comentar como Visitante.cartacapital. há poucos dias eu estava lembrando dos "cururus". O artigo de Cynara aponta para essa necessidade: entender as mudanças de posição não simplesmente pelo signo da cooptação. É simplesmente ficar se equilibrando em cima do muro. Responder +3 jorge oliveira · 6 dias atrás Eu era da Liga Operaria-PST-Convergencia Socialista. justificando a virada de casaca. o realismo socialista.com. Responder 0 Wellington. quando não havia mais ninguém do grupo que entrou na EBC entre os anos de 79.claro. para recriá-lo. de fato. até de São Paulo. da EBC · 6 dias atrás Cynara. 80 e 81. Só conseguiram muito tempo depois. posto que.

Saiba mais. Boas histórias. humor.258 comment(s) Protestar contra tudo é o mesmo que protestar contra nada .br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 10/13 .166 comment(s) Duas versões delirantes da direita burra sobre os médicos cubanos e uma suspeita . bons personagens.147 comment(s) Qual era a onda da Libelu? socialistamorena. uma neurose a ser catalogada pela psicanálise .01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? Facebook Google Plus Feed Email Busca Buscar Powered by WP Bannerize Sobre o blog Socialista Morena Cynara Menezes @cynaramenezes Este é um blog de ideias e notícias com viés esquerdista. cinema.com. Boa comida. Mas também de literatura. música. viagens. E utopiapolitik.468 comment(s) Os 20 centavos e a indignação da esquerda com o abandono de bandeiras pelo PT . Alguma memória. HQ.240 comment(s) O ódio insano a Lula. Populares Recentes Tags A volta do filho (de papai) pródigo ou a parábola do roqueiro burguês .cartacapital.

com. mas só durante a juventude socialistamorena. ser reaça não tem nada a ver com classe social Não. porque ser reaça define na hora de receber a herança Sim. estúpido! América Latina arte ativismo Brasil capitalismo cinema comunismo corrupção Cotas crise Cuba cultura darcy ribeiro direita ditadura documentário drogas eleições enquete Espanha esquerda esquerdismo EUA FHC Fidel fotografia História HQ humor jornalismo literatura Lula maconha manifestações mensalão mídia música negritude política PT socialismo Venezuela vida ética índios Camaradas Chiquinhahttp://www.br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 11/13 .chiqsland.com Cynara Menezes Fabiana Moraes Haroldo Ceravolo João Paulo Martins Liliane Machado Monique Prada Rosane Pavam Victor Farinelli É possível ser filhinho de papai e não ser reaça? Sim. todo filhinho de papai é reaça Sim.cartacapital. mas é a exceção que confirma a regra Sim.01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? Famílias amputadas Post de aniversário: quatro versões de Eleanor Rigby dos Beatles Os atletas de Jah Por que prender Zé Dirceu não vai mudar o Brasil. tem muita gente pobre que é reaça Não. Ou: é o financiamento público de campanha.

com. kk @cynaramenezeso perfil da @MTVBrasil foi hackeado ou é assim mesmo? Rolé socialistamorena.com Powered by WP Bannerize Enquanto isso no Twitter.cartacapital.br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 12/13 ..01/10/13 Vote Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? View Results Polldaddy. @cynaramenezesRT @vendaval_: @cynaramenezes É assim mesmo! Estão chutando o pau da barraca..

com.br/qual-era-a-onda-da-libelu/ 13/13 . Desenvolvido por Magnesio socialistamorena.cartacapital.01/10/13 Socialista Morena » Qual era a onda da Libelu? Socialista Morena.Todos os Direitos Reservados.