Aqui no site do Fundão já existem alguns textos que falam sobre a linguagem Java, seus benefícios, alguns tópicos

mais avançados, etc. Mas nenhum aborda o tema do ponto de vista do programador iniciante que está aprendendo a programar na linguagem. Na sequência de artigos que pretendemos desenvolver agora, realizaremos um estudo da linguagem desde o mais básico, conhecendo aos poucos os recursos da linguagem. Estes textos serão úteis para quem está começando ou para quem gostaria de entender melhor algum assunto específico. Esperamos que gostem! O Primeiro Passo Geralmente, o estudo de uma linguagem começa com o clássico exemplo de Hello World! Para não fugirmos à regra vamos fazer o nosso. Com isso vamos começar a entender a estrutura de um programa Java. Primeiro vamos ao exemplo: class HelloWorld { public static void main(String[] args) { System.out.println("Hello World em Java!!!"); } } Isto é o mínimo que se pode ter de um programa escrito em Java. Vamos agora entender o código: Inicialmente temos a declaração da classe HelloWorld. O nome da classe é o mesmo nome do arquivo. Quando você cria um programa isolado como este, uma das classes no arquivo deve ter o mesmo nome do arquivo (o compilador acusará um erro quando você não fizer isto). Tal classe deve conter um método chamado main() com a assinatura public static void main(String[] args) A palavra public significa que o método está disponível para o "mundo externo". O argumento passado para main() é um array de objetos String. O parâmetro args não será usado neste programa, mas o compilador obriga que ele esteja presente porque ele contém os argumentos passados na linha de comando. A linha seguinte System.out.println("Hello World em Java!!!"); é a que imprimirá na tela a frase "Hello World em Java!!!. É chamado um método da classe System contida em java.lang Vamos alterar o código agora para fazer algo mais, como mostrar a data e hora atuais. Para fazer isso teremos que utilizar classes que trabalham tais informações. Sempre que precisarmos utilizar classes extras na implementação de nossas classes devemos importá-las utilizando a palavra -reservada import. A importação de classes é feita no inicio do arquivo .java. Para importar uma única classe que está contida em um pacote (geralmente as classes estão em pacotes) você deve colocar import nomedopacote.nomedaclasse; Para importar todas as classes de um determinado pacote coloque: import nomedopacote.*; Algo importante para se ter em mente é que, implicitamente, todo arquivo Java importa todas as classes do pacote java.lang. Para saber quais as classes que se encontram neste pacote consulte a documentação online sobre java.lang no site da Sun. Uma dessas classes é a System, que já estamos utilizando. Portanto, para obtermos data e hora devemos alterar o código para:

import java.util.*; class HelloWorld { public static void main(String[] args) { System.out.println("Hello World em Java!!!"); System.out.println("Hoje é " + new Date()); } } Com a importação das classes de java.util.* podemos utilizar a classe Date(). Ela retorna um objeto que representa a data e a hora atuais. Como estamos concatenando o objeto Date com uma string na linha System.out.println("Hoje é " + new Date()); ele será convertido para string e depois será exibido na tela junto com a mensagem "Hoje é. Mas essa conversão não é mágica. Ela é feita através da existência do método toString() na implementação da classe. Mais para frente veremos mais sobre o método toString(). Para saber mais sobre manipulação de datas no Java leia o artigo "Trabalhando com Datas em Java" Por enquanto é isso. No próximo artigo vamos começar conhecer os tipos de dados existentes na linguagem Java. Até lá! Observação: É importante notar que importação de pacotes não é transitiva nem distribui sobre as unidades de compilação de um pacote. Por exemplo, considere a seguinte unidade de compilação: package pacote.numero2; ... import pacote.numero1.*; ... Se nesta unidade for necessário utilizar um objeto de uma classe definida em pacote.numero3, temos que adicionar a declaração: ... import pacote.numero3.*; ... mesmo que pacote.numero3.* tenha sido importado dentro de pacote.numero1.

Observação 2: Outro detalhe a se lembrar é que a importação de todas as classes de um pacote não causa perda de performance no seu programa, já que a JVM apenas carrega as classes para a memória quando elas são instanciadas ou quando algum método ou campo estático é exigido.

Fundamentos da Linguagem Todos os arquivos fontes devem ter a extensão .java. Um arquivo fonte contém, no máximo, uma definição de classe pública no nível mais alto (não interna). Se uma classe pública existe no arquivo fonte, o nome desta classe deve ser também o nome do arquivo. Um arquivo fonte pode conter um número indefinido de classes não públicas. Existem três elementos de alto nível que podem aparecer em um arquivo. Eles são conhecidos como unidades de compilação.
• • •

declaração de pacote; instruções de importação; declaração de classes. importação: específica

Exemplos de import java.awt.Button; // importa import java.awt.*; // importa um pacote; Palavras-Chave e

uma

classe

Identificadores

Java especifica 52 palavras-chave ou palavras-reservadas. As palavras goto e const são reservadas. Embora não tenham significado em Java, não pode ser usadas pelos programadores. Tais palavras não podem ser udadas como identificadores. Identificadores devem começar com uma letra, um sinal de dólar ($) ou um underscore (_). Os caracteres seguintes podem ser letras, dólares, underscores ou dígitos. Os identificadores em Java são sensíveis ao caso.