You are on page 1of 23

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA

Laboratório de Circuitos Elétricos 1
Material Teórico e Roteiros

Prof.: Adélio José de Morais
Prof.: Carlos Eduardo Tavares

SUMÁRIO

1) Teoremas de Thèvenin e da da Superposição de Efeitos .................................................... 04
2) Teoremas da Máxima Transferência de Potência e da Reciprocidade de Efeitos .............. 07
3) Características dos Indutores e Capacitores ........................................................................ 10
4) Comportamento de Circuitos RLC Série em Regime Permanente Senoidal ...................... 14
5) Comportamento de Circuitos RLC Paralelo em Regime Permanente Senoidal ................. 17
6) Comportamento de Circuitos de 1ª Ordem ......................................................................... 19

2

pdf .5% da nota) 2 – Sumário (2. 3 . Cada relatório deverá conter obrigatoriamente os itens abaixo. .1 – Material Utilizado (10% da nota) 3.Os relatórios devem seguir o padrão de formatação/apresentação e conteúdo segundo instruções estabelecidas no arquivo: “Estrutura_dos_Relatorios_e_das_Listas_de_Exercicios.Avaliação dos Relatórios Nos roteiros de laboratório encontra-se o procedimento detalhado para elaboração dos relatórios das aulas práticas.O relatório de cada aula prática deverá ser entregue na aula prática subseqüente.A nota final dos relatórios será obtida através de uma média aritmética dos relatórios. . sendo a nota máxima igual a 50 pts.Somente os alunos presentes nas aulas práticas terão direito a pontuar nos respectivos relatórios. sendo avaliados de acordo com a porcentagem especificada: 1 – Capa (2.5% da nota) 3 – Parte Experimental: 3.2 – Procedimento Experimental (30% da nota) 4 – Simulação (exceto aulas 1 e 2)* (45% da nota) 5 – Conclusão (5% da nota) 6 – Referências Bibliográficas (5% da nota) *Para aulas 1 e 2 os 45% estarão distribuídos nos demais itens OBSERVAÇÕES: .

1. TEOREMA DE THÈVENIN  Montagem do circuito original Medidas:  Circuito entre os terminais A e B do resistor de Medida de  : As fontes de tensão são colocadas em curto-circuito Obs.AULA 1 : Teoremas de Thèvenin e da Superposição de Efeitos 1.: Ajustando-se para facilitar a visualização: Medida:  Circuito equivalente de Thèvenin Calcule: 4 .

TEOREMA DA SUPERPOSIÇÃO DE EFEITOS  Montagem do circuito original Medidas:  Anula-se o efeito da fonte de tensão Medidas:  Anula-se o efeito da fonte de tensão Medidas:  Verificação dos resultados: IDENTIFICAÇÃO DOS VALORES DE RESISTÊNCIAS Nos resistores de quatro faixas a leitura procede-se de acordo com a figura abaixo: 5 .1.2.

2Ω. e da corrente no Figura 1 – Esquema de montagem para verificação do Teorema da Superposição b) Coloque a fonte de tensão em curto-circuito e efetue as medidas de e no resistor de 2. OBJETIVO: Verificar experimentalmente a validade dos Teoremas de Thévenin e Máxima Transferência de Potência na análise de circuitos elétricos.ROTEIRO: 1ª AULA PRÁTICA TEOREMAS DE THÈVENIN E DA SUPERPOSIÇÃO DE EFEITOS 1.2Ω. e da corrente no Figura 1 – Esquema de montagem para verificação do Teorema de Thèvenin b) Retire o resistor de 2.2Ω. PARTE PRÁTICA: 2.2Ω e faça a leitura de entre os termina A e B em circuito aberto. 2. 6 . c) Recoloque a fonte de tensão no circuito e coloque a fonte de tensão em curto-circuito e efetue as medidas de e no resistor de 2. 2.1. c) Coloque as fontes de tensão e em curto-circuito e efetue a medida de entre os terminais A e B com o auxílio de um multímetro.2Ω. Teorema de Thèvenin a) Montar o circuito da figura 1 e efetuar as medidas da queda de tensão resistor de 2. Teorema da Superposição de Efeitos a) Montar o circuito da figura 1 e efetuar as medidas da queda de tensão resistor de 2.2.2Ω. Verifique os resultados com as leituras efetuadas no item (a). d) Verifique as relações de superposição: e . d) Monte o circuito equivalente de Thèvenin e meça a queda de tensão e a corrente no resistor de 2.

1.AULA 2 : Teoremas da Máxima Transferência de Potência e da Reciprocidade de Efeitos 2.2. TEOREMA DA RECIPROCIDADE DE EFEITOS  Montagem do circuito original Medidas: Verificação: 7 . TEOREMA DA MÁXIMA TRANSFERÊNCIA DE POTÊNCIA  Montagem do circuito: Substituindo (ii) em (i): Faz-se:  Medidas a serem feitas: 2.

 Desloca-se a fonte para o ramo do resistor de 150 Ω: Medidas: Verificação:  Desloca-se a fonte para o ramo do resistor de 220 Ω: Medidas: Verificação: ROTEIRO: 2ª AULA PRÁTICA TEOREMAS DA MÁXIMA TRANSFERÊNCIA DE POTÊNCIA E DA RECIPROCIDADE DE EFEITOS 1. 2. OBJETIVO: Verificar experimentalmente a validade dos Teoremas da Superposição e da Reciprocidade de Efeitos na análise de circuitos elétricos. PARTE PRÁTICA: 2.1Teorema da Máxima Transferência de Potência 8 .

f) Desloque a fonte de tensão para o ramo do resistor de 220Ω. onde circula medidas dos novos valores de corrente . e .a) Montar o circuito da figura 2. Teorema da Reciprocidade de Efeitos d) Montar o circuito da figura 2 e efetuar as medidas das correntes . c) Repita o item (b) para dois valores de R menores e dois maiores que 56 Ω e preencha a tabela abaixo. Tabela 1 – Medições e parâmetros do ensaio da máxima transferência de potência 2. e efetue as . onde circula medidas dos novos valores de corrente . Figura 2 – Esquema de montagem para verificação da máxima potência b) Ajuste o valor de R em 56Ω e efetue as medidas de V e I. e . e . g) Verifique as relações de reciprocidade: e . em que R é uma resistência variável.2. e efetue as 9 . Figura 2 – Esquema de montagem para verificação do Teorema da Reciprocidade e) Desloque a fonte de tensão para o ramo do resistor de 150Ω. .

AULA 3 : Características dos Indutores e Capacitores 3.2. RELAÇÃO TENSÃO X CORRENTE EM INDUTORES  Montagem do circuito ∫  Sinal Senoidal na entrada ∫  Sinal Retangular na entrada ∫ { { 10 .

3. RELAÇÃO TENSÃO X CORRENTE EM CAPACITORES  Montagem do circuito ∫  Sinal Senoidal na entrada ⁄ 11 . Sinal Triangular na entrada ∫ { { 3.

 Sinal Retangular na entrada { {  Sinal Triangular na entrada { { 12 .

d) Repita o item (c) para o sinal retangular e triangular ajustados no gerador de função. c) Aplique um sinal senoidal em . b) Ajuste o gerador de função para uma freqüência de 1000Hz e amplitude de 3V. PARTE PRÁTICA: 2. Indutores Figura 1 – Ensaio com indutor a) Montar o circuito da figura 1. Capacitores Figura 2 – Ensaio com capacitor a) Montar o circuito da figura 1. Meça as amplitudes dos sinais. 13 . Ligue o canal 1 do osciloscópio para visualizar a forma de onda da tensão no indutor e o canal 2 para visualizar a tensão no resistor .1. b) Ajuste o gerador de função para uma freqüência de 1000Hz e amplitude de 3V. c) Aplique um sinal senoidal em . Ligue o canal 1 do osciloscópio para visualizar a forma de onda da tensão no capacitor e o canal 2 para visualizar a tensão no resistor . 2.ROTEIRO: 3ª AULA PRÁTICA CARACTERÍSTICAS DOS INDUTORES E CAPACITORES 1. 2.2. d) Repita o item (c) para o sinal retangular e triangular ajustados no gerador de função. Meça as amplitudes dos sinais. OBJETIVO: Verificar experimentalmente as relações existentes entre tensão e corrente em indutores e capacitores para diversos tipos de alimentação de circuitos.

AULA 4 : Comportamento de Circuitos RLC Série em Regime Permanente Senoidal ̇ ̇ { ̇ ̇ ̇ ̇ Ressonância Série: ̇ ̇ ̇ ̇ { { ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ Diagrama fasorial do circuito RLC série considerando ̇ na referência: ̇ ̇ ̇ √  Medidas a serem feitas: ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ 14 .

Montar o circuito da figura 1. OBJETIVO: Verificar experimentalmente as características de circuitos RLC série quando excitados por uma fonte de tensão senoidal em regime permanente. com .Sequência de medições no osciloscópio para uma mesma freqüência: ̇ { { 3{ ̇ ̇ { ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ Medida do ângulo de fase: ROTEIRO: 4ª AULA PRÁTICA COMPORTAMENTO DE CIRCUITOS RLC SÉRIE EM REGIME PERMANENTE SENOIDAL 1. PARTE PRÁTICA: a. 2. Figura 1 – Circuito de ensaio RLC série 15 .

g. i. Mantendo B comum. f.7 e 2.b. c. ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ Tabela 1 – Medidas de tensão na forma fasorial para o circuito RLC série em função da freqüência 16 . 2. Conecte o capacitor entre os pontos B e C do circuito e o indutor entre C e D. onde B é o ponto comum. efetue a medida de ̇ (entre B e C) no canal 2.6. Alimentar o circuito com o gerador de função ajustado para fornecer uma tensão senoidal com e . repetindo os passos 2. Observar a necessidade de inversão da onda no canal 2. Variar a freqüência da tensão senoidal fornecida pelo gerador de função entre os valores da tabela 1. efetuar a medida de ̇ (entre B e D) no canal 2. 2.8 para cada ajuste de freqüência. ̇ d. 2. considerando a corrente ̇ na referência (Ângulo de fase = 0º).5. Efetue a medida de ̇ (entre A e D) no canal 2. Observar a relação de fase entre ̇ e ̇ . Anote os fasores (valores eficazes e ângulos de fase) na tabela 1. h.4. Calcular a freqüência de ressonância RLC série: √ . Efetuar a medida de (entre A e B) no canal 1 do osciloscópio e de ̇ (entre B e C) no canal 2. e.

AULA 5 : Comportamento de Circuitos RLC Paralelo em Regime Permanente Senoidal { ̇ ̇ ̇ ̇ { Ressonância paralela: ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ Diagrama fasorial do circuito RLC paralelo considerando ̇ na referência: ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ √  Medidas a serem feitas: ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ 700 Seqüência de medições no osciloscópio para uma mesma freqüência: { ̇ ̇ { ̇ ̇ 3{ ̇ ̇ 17 .

̇ d) Efetuar a medida de (entre B e E) no canal 1 do osciloscópio e de ̇ (entre B e C) no canal 2. 2. 2. Observar a necessidade de inversão da onda nos canais 1 e 2. h) Variar a freqüência da tensão senoidal fornecida pelo gerador de função entre os valores da tabela 1.7 para cada ajuste de freqüência. considerando a tensão ̇ na referência (Ângulo de fase = 0º). efetuar a medida de ̇ (entre B e D) no canal 2. OBJETIVO: Verificar experimentalmente as características de circuitos RLC paralelos quando excitados por uma fonte de tensão senoidal em regime permanente. c) Alimentar o circuito com o gerador de função ajustado para fornecer uma tensão senoidal com e . onde B é o ponto comum.6 e 2. Observar a relação entre ̇ . f) Mantendo B comum. g) Efetue a medida de ̇ (entre A e B) no canal 2. Figura 1 – Circuito de ensaio RLC paralelo b) Calcular a freqüência de ressonância RLC paralela: √ . 2. com .5.ROTEIRO: 5ª AULA PRÁTICA COMPORTAMENTO DE CIRCUITOS RLC PARALELO EM REGIME PERMANENTE SENOIDAL 1. ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ ̇ 700 Tabela 1 – Medidas de tensão na forma fasorial para o circuito RLC paralelo em função da freqüência 18 . PARTE PRÁTICA: a) Montar o circuito da figura 1. ̇ e ̇ .4. e) Anote os fasores (valores eficazes e ângulos de fase) na tabela 1. repetindo os passos 2.

ajustamos para uma onda quadrada e ʋ (t) 3V t (seg) Lei de Kirchhoff das tensões: -3V T ʋC(t) 3V Constante de tempo : t (seg) -3V ʋR(t) 6V t (seg) -6V 19 .1.AULA 6 : Comportamento de Circuitos Transitórios de 1ª Ordem Equação diferencial e solução geral dos circuitos transitórios de 1ª ordem: { 6. Circuito RC: i (t) X ʋR(t) R ʋ (t) Z ʋC(t) C Y Sendo e .

2.6. ajustamos para uma onda quadrada e ʋ (t) 3V t (seg) Lei de Kirchhoff das tensões: -3V T=1/f ʋL (t) 6V Constante de tempo : t (seg) -6V ʋR(t) 3V t (seg) -3V 20 . Circuito RL: i (t) X ʋR(t) R ʋ (t) Z ʋL(t) L Y Sendo e .

367x(0) Dados: i(t) ʋ (t) 21 .367 X(0) t Ƭ 2Ƭ 3Ƭ 4Ƭ X X(0) Para .367 X(0) t Ƭ t x(t) 0 0.367 X(0) x(0) 0. temos: (valor da tensão no instante ) 0. Medida da constante de tempo : X X(0) 0.

Circuito RL a) Montar o circuito da figura 2. f) Anote os valores iniciais e finais da tensão em cada semiciclo e meça também a constante de tempo. onde X é o ponto comum.1. c) Efetuar a medida de (entre X e Y) no canal 1 do osciloscópio e de (entre X e Z) no canal 2. 2. d) Anote os valores iniciais e finais da tensão em cada semiciclo e meça também a constante de tempo. e) Efetuar a medida de (entre X e Y) no canal 1 do osciloscópio e de (entre Z e Y) no canal 2.ROTEIRO: 6ª AULA PRÁTICA COMPORTAMENTO DE CIRCUITOS TRANSITÓRIOS DE 1ª ORDEM 1. PARTE PRÁTICA: 2.2. onde Y é o ponto comum. com . 2. Figura 1 – Circuito de ensaio RC b) Alimentar o circuito com o gerador de função ajustado para fornecer uma tensão quadrada com e . OBJETIVO: Verificar experimentalmente as respostas de circuitos transitórios de primeira ordem quando excitados por uma tensão degrau. Circuito RC a) Montar o circuito da figura 1. com . Figura 2 – Circuito de ensaio RL 22 .

e) Efetuar a medida de (entre X e Y) no canal 1 do osciloscópio e de (entre Z e Y) no canal 2.b) Alimentar o circuito com o gerador de função ajustado para fornecer uma tensão quadrada com e . c) Efetuar a medida de (entre X e Y) no canal 1 do osciloscópio e de (entre X e Z) no canal 2. onde X é o ponto comum. 23 . onde Y é o ponto comum. f) Anote os valores iniciais e finais da tensão em cada semiciclo e meça também a constante de tempo. d) Anote os valores iniciais e finais da tensão em cada semiciclo e meça também a constante de tempo.