You are on page 1of 15

1

SEMINÁRIO TEOLÓGICO HERDEIROS DE CRISTO
CURSO BACHAREL EM TEOLOGIA
HISTÓRIA DAS RELIGIÕES

EM BUSCA DA ESPIRITUALIDADE

Rosângela Lima da Silva Araujo

Monografia apresentado como exigência
para a conclusão do módulo História das
Religiões.
Professor: Pr. Norberto Fonseca da Silva.

Recife – PE
2014

2 EM BUSCA DA ESPIRITUALIDADE Recife – PE 2014 .

................ BIBLIOGRÁFIA .. O CRISTIANISMO. CRENÇAS PRIMITIVAS..................................................1 As Principais religiões do Mundo....... 07 2................................................ 12 3..........2 O IBGE e a Religião........................................................... 05 2....................................... 11 2.3 INDICE 1........................................ 15 ...................

22. Ainda assim. exercendo o importante papel de ajudar o ser humano a organizar a vida. . quer por obras de misericórdia e justiça. a compreender seu lugar no mundo e a buscar significado e propósito para a existência. Desde os primórdios. pretende-se destacar os aspectos que fazem com que no atual cenário o materialismo nunca esteve tão presente na sociedade quanto nos dias atuais. no cristianismo quando se fala sobre missão muitas vezes a ênfase recai no ativismo. na busca da espiritualidade é uma condição peculiar da natureza humana.4 RESUMO Espiritualidade tem sido um tema muito em evidência nos últimos tempos. alienada das demais experiências de vida. Mediante o estudo realizado que passou inicialmente por uma revisão bibliográfica.37. Considero espiritualidade e missão o que nos diz nas escrituras sagradas em Mt. a religião tem se mostrado um elemento tão necessário da experiência humana quanto à linguagem. pressupõe-se uma experiência humana exclusiva no campo religioso e subjetivo da fé.39 “ Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”. Ao realizar este trabalho. mais de três quartos da população mundial se reconhece como seguidor de algum tipo de credo religioso. procurar-se-á demonstrar que sempre que se fala de espiritualidade. como serviço. prestado ao próximo quer pela proclamação do evangelho. Por outro lado.

Quando as sociedades se tornavam mais complexas. Ao longo . estações.5 1. reforçar hierarquias criar um sentido de identidade coletiva. cada vez mais. quando partilhadas por membros de uma comunidade. conforme evidenciado nas pinturas das cavernas. a religião serviu como forma de compreender os fenômenos naturais e exercer influência sobre eles. Abrangendo elementos espirituais. rituais e tabus. desde a Pré-história até os dias atuais. os sistemas de crenças acompanharam essa evolução. habitado por divindade e criaturas místicas. pessoas e sociais. criação. como ferramentas políticas. ajudaram a consolidar grupos sociais. Assuntos como tempo. A religião atendia a grande parte das necessidades dos primeiros povos. morte. No período Paleolítico e em grande parte da história humana. Oferecendo modelos para organizar a vida por meios de ritos. vida após a morte e a estrutura de cosmos estavam sujeitos a explicações religiosas que evocavam deuses controladores eu em plano da realidade fora do âmbito visível. Poderia a religião. nos costumes funerários de nossos ancestrais distantes e na contínua busca por um objeto espiritual na vida. além de servir como base a compreensão de seu lugar no mundo. é um fenômeno que apareceu em todas as culturas. portanto. CRENÇAS PRIMITIVAS Não existe uma definição simples de religião que expresse todas as suas dimensões. A religião era um modo de se comunicar com esses deuses por meio de rituais e rezas. e a religião passa a ser usada. vida. e essas práticas. ser explicada como um meio artefato social? Muitos afirmariam que é muito mais que isso.

das civilizações clássicas. suas cerimônias e sua cosmologia se tornaram cada vez mais sofisticadas. narrativas milenares permanecem . numa era mais materialista do que nunca. a religião é uma parte necessária da existência humana. As religiões das primeiras sociedades são evidenciadas por seus marco histórico e por sua relíquias. como a floresta amazônica na América do Sul. Com a evolução das primeiras religiões. tão importante para a vida quanto à própria linguagem. Além disso. as pessoas desafiaram posições contrárias á sua fé. posteriormente. algumas tribos isoladas em lugares remotos. seus credos são vistos com certos desprezo hoje em dia. Pelo que se vê. crêem na união entre a natureza e o espírito. Seja como experiência pessoal a consciência interna do divino ou forma de encontrar significado e sentido na vida e servir como ponto de partida para qualquer empreendimento. considerados “mitologia”. ainda praticam religiões aparentemente inalteradas há milênios. Os praticantes dessas religiões ancestrais. sofrendo perseguição e morte para defender o direito de cultuar seu(s) deus(es). As religiões primitivas dos povos nômades e seminômades da Pré-História deram lugar às religiões das civilizações antigas e. a religião parece ser fundamental tanto ao nível pessoal quanto no social.6 dos séculos. vinculado o individuo a seu meio. mas muitos elementos dessas tradições presentes nos credos atuais. E até hoje. de um modo geral. mais de três quartos da população mundial admite possuir algum tipo de credo religioso. as ilhas indonésias e parte da África.

o Filho e o Espírito Santo. Esse foi o título dado a Jesus por um grupo de judeus que o consideraram o Messias – o salvador profetizado no Tanach. Os cristãos dão muita importância à história da crucificação. posterior às alianças do Antigo Testamento entre Deus e o povo Judeu.C no Evangelho (palavra que significa „ boa-nova”) e nas epístolas (ou cartas) do Novo Testamento. ressuscitando para salvar aqueles que acreditam nele e ascendendo aos céus para governar o mundo ao de Deus Pai. morreu e foi sepultado. desde seu início na Judéia romana até atingir o status de religião com o maior número de seguidores no . O conceito da Trindade um único Deus que existe em três formas distintas – o Pai. Os cristãos acreditam que a chegada de Jesus na terra anuncia uma “nova aliança” ou Novo Testamento com Deus. Jesus sofreu. mas tenha a vida eterna”.7 2. As principais crenças do cristianismo baseiam-se na vida e nos ensinamentos de Jesus. Só Jesus pode salvar alguém. para que todo o que nele crer não pereça. O CRISTIANISMO O nome “Cristianismo” vem do grego Khristós. Implícita nessa crença que Jesus Cristo é o filho de Deus que se tornou humano e ele se tornou o único meio de salvação. ressurreição e ascensão de Jesus. salvar do que? Do poder e da influencia do pecado que é a morte eterna. a Bíblia hebraica – e o filho de Deus em forma humana. Da perseguição à adoção. e o que diz em João 3:16 "Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito. registrados por seus seguidores durante o século d. uma tradução da palavra hebraica para “messias” ou “ o ungido”. Qual o meio da salvação? A fé em Jesus Cristo conforme esta escrito na Bíblia que o livro sagrado para o cristão.

Idéias filosóficas e cientificas eram vistas como heréticas e até o grande Tomás de Aquino foi condenado. convertido ao cristianismo que integrou idéias filosóficas gregas à doutrina. . Gradualmente. o poder na Europa passou para as mãos dos papas. Sua influência espalhou-se rapidamente. divergência na Igreja quanto à autoridade papal – o Grande Cisma – dividiu o cristianismo em duas ramificações. empreendeu as Cruzadas para expulsar os muçulmanos da Terra Santa e reconquistar Jerusalém. a Igreja Católica Romana Ocidental e a Igreja Ortodoxa Oriental. após o Concílio de Nicéia. O poder da Igreja católica manteve sua influência na Europa e seu dogma dominou o aprendizado e a cultura durante toda a Idade Média. o cristianismo passou a ser tolerado pelos líderes romanos e. no qual se institui um credo cristão universal. primeiro pelo pensamento aristotélico em relação à teologia cristã. O cristianismo moldou a cultura de grande parte da civilização ocidental. nos séculos XII e XIII.C. Os primeiros cristãos foram perseguidos tanto por autoridades judaicas quanto pelo Império Romano e muitos foram mortos. Somente séculos após sua morte é que sua visão foi adotada como dogma oficial do catolicismo. No século XI. o cristianismo tornou-se uma força poderosa na vida política e cultural da Europa e do Oriente Médio. produzindo pensadores como Agostinho de Hipona. Com o declínio e a queda do Império Romano. A partir desse momento. quem eram considerados os sucessores naturais dos apóstolos e dos primeiros bispos.8 mundo. O cristianismo também enfrentou um desafio relativo ao Império Islâmico a partir do século VII e. foi adotado como religião oficial do Império Romano em 380d.

e a Reforma Protestante foi desencadeada pela publicação das 95 teses de Martinho Lutero em 1517. Deus permaneceu. principalmente a Sociedade de Jesus. Mas. anglicanos e anabatistas. Novas escolas de pensamento fervilharam no século XVII. No meio do século XVI. que permitia às nações modernas tratar as igrejas como sociedades voluntárias. Nada era mais poderoso do que a razão. a Reforma havia arruinado a unidade tradicional da Europa ocidental e legado o pluralismo religioso aos tempos modernos. A igreja de Roma resistiu a esse ataque com a tradição. Em seu lugar. no final. Então. Holanda e Alemanha. Perguntava-se: “Quem precisa de Deus?” O homem consegue viver por si só. Travou batalhas na França.9 A renascença dos séculos XIV e XV trouxe um novo desafio para a autoridade da Igreja o humanismo e o início de uma Era Dourada cientifica. mas muitos outros abraçaram a causa. O Protestantismo começou a garantir força no norte da Europa. mas como uma questão de escolha pessoal. Os cristãos não podiam mais apelar para a força do exército para suprimir tais heresias. Enviou novas ondas missionárias à Ásia. surgiu o conceito denominacional de igreja. mas essas idéias se espalharam até que o secularismo tomasse conta da vida pública das sociedades ocidentais. A Reforma veio com furor. O período denominado de período reformador é caracterizado pela movimentação de protestantes: luteranos. Os cristãos manifestaram suas objeções. Ela reuniu novas tropas. muitos deles . Martinho Lutero tocou a trombeta. África e América Latina. reformados. a cristandade escorregou para o passado. A retomada do interesse no ensino clássico incitou criticas à Igreja Católica. abrindo caminho para novas ramificações cristãs. separadas do Estado.

os evangélicos buscaram restaurar Deus na vida pública. O nazismo exaltava o Estado. Dos baluartes de Roma. as denominações lutaram devido a teologias liberais e ortodoxas. Nesses tempos conturbados. um papado defensivo lançou uma carga de mísseis orientados contra os inimigos modernos da fé católica. e o Grande Avivamento. Apesar de todos os esforços dos cristãos. encontraram novos caminhos para recobrar a unidade perdida. em nosso próprio tempo: Como os cristãos podem exercer influência moral em sociedades pluralistas e totalitárias. Os cristãos foram deixados com um problema que reconhecemos hoje. pregação e oração. as nações modernas travaram duas batalhas globais numa tentativa de estabelecer a supremacia dessas duas novas divindades. metodistas. Dos avivamentos evangélicos surgiram novos esforços para levar o evangelho de Cristo para terras distantes e inúmeros ministros de serviços sociais na Europa industrializada e na América do Norte.10 voltaram-se para a conduta dos apóstolos. uma guerra fria de coexistência se estabeleceu nas nações anteriormente cristãs. A era do progresso viu cristãos de todo tipo travar uma batalha corajosa contra o avanço do secularismo. O resultado foi uma série de avivamentos evangélicos: principalmente os pietistas. o comunismo louvava o partido. e demonstraram fome de novas experiências apostólicas. Depois da Segunda Guerra Mundial. e a democracia americana reverenciava o indivíduo e seus direitos. Pela pregação e conversões pessoais. quando novos deuses surgiram pedindo a lealdade do homem secular. Supostamente iluminadas. lentamente os cristãos foram retirados da vida pública no mundo ocidental. Quando nenhuma delas prevaleceu. surgiram no Terceiro . nas quais as colocações cristãs sobre a realidade não mais prevalecem? A profundidade do problema ficou evidente na era das ideologias.

formando ramificações denominadas de: • Catolicismo: representa as pessoas que seguem a Igreja Católica Apostólica Romana. segundo os registros históricos.2 bilhões de adeptos no mundo . As principais igrejas são a Católica Ortodoxa e Ortodoxa Russa. E nenhuma outra pessoa.11 Mundo lideranças vigorosas de novos cristãos. • Ortodoxo: é uma religião cristã oriunda de uma separação que aconteceu na Igreja Católica Romana no século XI e que se dispersou no oriente. Será que os missionários das nações neopagãs da Europa e América do Norte conseguiram garantir uma participação no futuro à África e América Latina ao levar-lhes o evangelho? Só o futuro dirá. 2. Mas os cristãos podem ter esperanças porque a fé sempre vai além das circunstâncias terrenas. Atualmente existem inúmeras religiões sendo praticadas no mundo. influenciou mais pessoas sob as mais diversas condições por tanto tempo do que Jesus Cristo.1 As Principais religiões do Mundo. O surgimento dessa ramificação cristã está ligado à Reforma Protestante. que possui como autoridade máxima o papa. Essa religião é monoteísta (adora apenas um deus). Dentro do cristianismo ocorrem divisões. No mundo são contabilizados cerca de um bilhão de católicos. • Protestantes: emergiu a partir de divergências de opiniões dentro da Igreja Católica no século XVI. segundo a crença de seus seguidores.essas pessoas são consideradas cristãs. Martinho Lutero foi quem liderou a revolta contra a venda de perdão por parte do clero. as principais são: Cristianismo: possui aproximadamente 2. Sua confiança reside em uma pessoa. além de ser . veio para trazer a salvação para o homem. Esse nome advém de Jesus Cristo que. que ofereciam esperanças de um novo tempo para a antiga fé.

É uma religião monoteísta.2%.2%.12 contrário aos dogmas praticados pela Igreja Católica. somente um líder espiritual. Islamismo: é uma religião monoteísta que surgiu no século VII. livro que guarda textos. O Brasil ainda é a maior nação católica do mundo. representam 86. Surgiu na Índia. Dentro do budismo não existe hierarquia. até porque não há um deus. na Ásia. doutrinas religiosas baseadas nas escrituras sagradas do Vedas. como a impossibilidade de engano por parte do papa e também a adoração a santos. atualmente possui cerca de um bilhão de adeptos no mundo e é a que mais cresce. um encolhimento de 12.6% católicos e 22. seu principal líder. seu patriarca é Abraão. Hinduísmo: é uma religião praticada fundamentalmente na Ásia. O islamismo é difundido especialmente na Ásia e na África. a Igreja teve uma redução da ordem de 1. Judaísmo: teve início na Palestina. na última década. Os dados são da nova etapa de divulgação do Censo de 2010. No mundo existem cerca de 400 mil seguidores. O livro sagrado é o Corão. 64. do Instituto Brasileiro .08% os cristãos sendo estes. possui um conjunto de preceitos. Atualmente são aproximadamente 14 milhões de seguidores no mundo. sobretudo.2 O IBGE e a Religião Mesmo com o crescimento de outras religiões. foi criada por Maomé.C.C.7 milhão de fieis. um príncipe chamado Sidarta Gautama. louvores e rituais. que é o Buda. ainda no século XVII a. porém existem muitos seguidores em países como a Inglaterra e a Espanha. no século VI a. hinos. mas. Budismo: é uma religião criada por Buda. o cristianismo continua sendo a doutrina com mais adeptos no mundo todo. O IBGE divulgou os dados do Censo de 2010 sobre a religião (ou a não religião) declarada dos brasileiros. 2.

mudanças assim só ocorreram em conseqüência de guerras e revoluções. O aumento desse segmento foi puxado pelos pentecostais. Se em 1970 havia 91. diz José Eustáquio Diniz. A população que se deslocou era. Mantida essa tendência. se mantiveram protestantes. os pentecostais atuaram como assistencialismo. Nas periferias. Nesses locais. Os Estados Unidos. A tendência de redução dos católicos e de expansão das correntes evangélicas era algo esperado. em 2010 essa fatia passou para 64. Mas pela primeira vez o Censo detecta uma queda em números absolutos.2%. nesses quarenta anos saltaram de 5. Quem mais cresce são os evangélicos. que. Os números mostram uma redução acentuada de poder da Igreja Católica no país nas últimas décadas: a mudança foi lenta entre 1872 e 1970. quando a retração foi de 22%. em no máximo 30 anos católicos e evangélicos estarão empatados em tamanho na população.9% de participação no total da população ao longo de quase um século.13 de Geografia e Estatística (IBGE). sobretudo. na ausência do estado e da Igreja Católica. Antes do levantamento de 2010. e tornou-se acelerada nos últimos 20 anos.2% da população para 22. A Rússia teve revolução e permaneceu ortodoxa. a revolução é silenciosa”. de pobres que se instalaram nas periferias das regiões metropolitanas. os evangélicos construíram igrejas no vácuo da estrutura católica. Entre os países grandes. que se disseminaram pelo país.8% de brasileiros católicos.6%. o quadro era apenas de crescimento de católicos em ritmo cada vez menor. “O impacto dessa mudança é grande para a Igreja Católica. demógrafo da Escola Nacional de Estatísticas. com perda de 7. “Houve uma mudança na distribuição espacial das pessoas. No Brasil. guias espirituais e como figuras centrais do . mesmo com a Guerra Civil.

14 .

OLIVEIRA. BIBLIOGRÁFIA http://gper.br/noticias/e25a9e6973825e74a807eefe8ccfde45.História do Cristianismo ( Das Origens a Justiniano ) . Rio de Janeiro: Juerp. Zaqueu Moreira de.15 3. SILVA. 2004. Ambrogio . Recife:STBNB Edições. DONINI.com. Educação Batista – Análise históricas de sua implantação no Brasil .pdf acessado em 01 de dezembro de 2014. História do Cristianismo em Esboço. 2 edição revista e aumentada. Cleni da. 2005.