You are on page 1of 14

Sistema Solar: continuação

Introdução
• Como o Sol acumula 99,866% da massa do Sistema Solar, é fácil
compreender porque ele exerce influência gravitacional tão grande
sobre os planetas, asteróides e cometas;
• O tamanho aparente do Sistema Solar é dado pela órbita de plutão, o
qual dista 5,5 horas-luz (40UA);
• A distância média de separação entre as estrelas na nossa região da ViaLáctea é de 5 anos-luz. Logo, se há um sistema de planetas em torno
destas estrelas, ele dista em média 5 anos luz. Comparando, seria como
um vilarejo de 1km de raio, na Terra do Fogo (Chile), e outro, também
de 1km de raio, no Alaska (EUA).
• A massa de todos os planetas corresponde a 0,134% da massa do
sistema solar.
Propriedades físicas mais relevantes dos planetas:

Onde M é a massa, R o raio, ρ é a densidade média, A é o Albedo Visual, Ps o
período sideral de rotação e K é o fator de momento de inércia (vide estrutura
interna). Albedo Visual é a razão da luz solar refletida em todas as direções e a
luz solar incidente.

Este equilíbrio de forças é o Equilíbrio Hidrostático. dividindo a massa pelo volume temos a densidade média da Terra. que também o é. ou para parar de girar (análogo da massa. ou de . Se a parte central for mais densa. Terra e Marte) são constituídos principalmente de rochas e metais. Esta é contrabalançada pela pressão que a matéria faz sobre si mesma (devida a estrutura atômica. CO2).4. K<0. • Para uma esfera uniforme. He. em que a matéria se encontra na forma de um plasma.Estrutura interna: Densidade média: • A massa da Terra é calculada a partir do raio. por exemplo). existe a força gravitacional que puxa toda a matéria para o centro. Momento de Inércia: • Indica. Urano e Netuno) são constituídos basicamente de substâncias leves (H2. • Já para os outros planetas. Equilíbrio Hidrostático: • Num planeta. a resistência (inércia) de um corpo para entrar em rotação. • Diferentemente das estrelas.4. Saturno. • É medido a partir da velocidade de rotação dos planetas e do achatamento dos pólos de cada um. • Não há dados suficientes sobre Plutão. usa-se a 3a Lei de Kepler para seus satélites. • Planetas Jovianos possuem menor momento de Inércia que planetas telúricos. Vênus. • No caso de Vênus e Mercúrio (sem satélites). • Os planetas de baixa densidade (Jovianos: Júpiter. NH3. • Planetas de maior densidade (Telúricos: Mercúrio.4. usa-se a perturbação que estes causam no movimento de asteróides e cometas. K=0. de modo geral. Assim. Todos os planetas possuem K<0. O que indica uma maior concentração de matéria no centro dos planetas Jovianos. que é conhecido. no caso da translação). nos planetas a matéria está ou na forma de gás. e da aceleração gravitacional na superfície.

Superfície • A medição do Albedo permite o estudo da superfície de um Planeta. toda a matéria se encontra fluida. • Planetas com Albedo superior a 0. • Já a Terra é modelada a partir de estudos sismológicos. a matéria menos densa (feldspato. . por ser gasoso predominantemente. permite uma boa modelização. • A matéria sólida somente escoa sob pressão de 1000atm. somente corpos celestes de centenas de quilômetros de raio possuem a forma esférica. de modo que as partes mais densas fluem para o interior e as menos fluem para a superfície. Assim. • Júpiter.líquido ou de sólido. • Durante a formação de um planeta. b) Planeta Telúrico. quando houve o esfriamento e a solidificação.73 possuem densas atmosferas. compostos mais pesados somente foram para a superfície do planeta após erupções vulcânicas ou choque com outros corpos celestes. Assim. o que complica severamente a formulação de um modelo para a pressão. por exemplo) ficou na superfície. de modo que suas superfícies não podem ser vistas. Assim. a) Planeta Joviano.

como é o caso da Terra. Atividade Geológica: • Ocorrem devido ao processo convectivo que se mantém no interior dos planetas. como é o caso da Lua. e não na Lua. ao contrário do que foi dito até aqui. quanto maior o raio. Assim. Trata-se de uma força diferencial. chamado de Força de maré. . a qual tende a deformar o corpo celeste. e provocar movimentos em toda a sua estrutura. que atua sobre estes satélites. maior o tempo de resfriamento.Lua: as partes mais claras correspondem a superfície mais antiga. as quais podem depender da energia luminosa recebida. Saturno e Urano possuem uma intensa atividade geológica. o que favorece os eventos sísmicos na Terra. • Possui assimetrias. o aquecimento de seu interior. temos: Terra. principal Io. pois é composta por feldspato. causando. inclusive. lua de Júpiter. em que a face voltada para a Terra possui crosta de 60km e a face oposta mais de 100km de crosta. • Em ordem decrescente de atividade geológica. Os mares (escuros) são a parte mais recente. formados por atividade geológica ou impacto de asteróides. Vênus e Marte. algumas luas de Júpiter. Ou dependem da existência de água. a Lua possui uma litosfera (camada rígida mais externa) com uma extensão bem maior que a da Terra. • Porém. Assim. Isto se deve a um outro fenômeno. • O tempo de resfriamento é proporcional a razão entre o volume e a superfície.

Temos a amostra de dois grandes vulcões. a formação de canais. Erosão: • É um processo da alteração do relevo que pode resultar da ação da atmosfera ou hidrosfera. que jorram larva a 500km de altura. estimar o momentum e o ângulo de incidência do objeto que ali colidiu.Lua Io. E em Vênus ela é mínima. inclusive. • É possível. a qual é estável à convecção. um grama tem 31 vezes maior energia que um grama de TNT. é porque existe uma atividade geológica intensa. a partir da geometria da cratera. A velocidade relativa é da ordem de 16km/s. Crateras: • A energia de impacto entre um planeta e um asteróide é imensa. possui os mais variados tipos de erosão. Se não há crateras. ou da sublimação. devida a densa atmosfera. . • Não ocorre em Mercúrio ou na Lua. Apresentando grandes tempestades de areia e. • Marte. assim como a Terra. Nesta velocidade. de Júpiter. • A presença ou a ausência de crateras permite estimar a forma com a qual se dá a atividade geológica do terreno. Exames geológicos indicam a idade da cratera.

Logo. Visualizando que. átomos menores adquirem mais velocidade que átomos mais pesados (o que é chamado de velocidade térmica).2km de diametro. 200m de profundidade (atual) e 2700 anos. • Sir James Jeans propôs em 1916 o modelo de formação de uma atmosfera. • A existência de uma atmosfera depende da intensidade da força gravitacional gerada pelo planeta. simplesmente não há atmosfera. do que atmosfera. vemos que para um átomo escapar (e. com 1. • Os planetas Jovianos não possuem superfície que separe a atmosfera do interior destes planetas. . por conseguinte. ou ela é muito pequena. para se diluir uma atmosfera). é necessário que a velocidade térmica seja maior que a velocidade de escape. planetas menores somente preservam em sua atmosfera moléculas e átomos mais pesados. Atmosfera Retenção e Perda: • Vênus. Marte e Terra são os planetas telúricos que possuem atmosfera. Se ela for pequena. e que a velocidade de escape depende da massa do planeta. Neles.Cratera no Arizona (EUA). a uma nítida delimitação do que é superfície. para uma mesma temperatura.

É o objetivo da missão CASSINI. provém da nebulosa primordial do sistema solar. É possível que ele possua oceanos de metano. • A falta de H20 na atmosfera de Vênus se deve a fotodissociação da molécula. Ar. acredita-se que isto se deve a atividade vulcânica. Nela encontramos N2. isto é. • A vida também é responsável por grandes alterações na atmosfera. inclusive havendo precipitação do mesmo. CH4 e H2. que deixará cair uma sonda em sua atmosfera para averiguar os fenômenos que nela ocorre. como ocorre com a H2O da Terra.Composição química: • Os planetas telúricos possuem maior abundância de elementos pesados. na forma de gelo. Já em Marte. • Secundária: provém de alterações químicas ao longo do tempo. além de possuírem alto teor de oxigênio combinado ou livre na atmosfera. . na qual até hoje vulcões expelem grande quantidade de gases para a atmosfera. • Titã (maior satélite de Saturno) é um único satélite com atmosfera significativa. nas camadas polares e no subsolo e também devida à perda atmosférica. Atmosfera primitiva e secundária: • Primitiva: é resultante da época de formação do planeta. a concentração. Este é o caso da Terra.

no sentido retrógrado. A diferença decorre principalmente das variações de composição química e do processo de aquecimento e resfriamento.Estrutura da Atmosfera: • A diferença de temperatura entre as camadas cria movimento convectivos. • Na termosfera. Acompanhando o movimento de nuvens sulfúricas. diurno e sazonal). de modo a uniformizar a temperatura. No caso da Terra. É nela que ocorrem os fenômenos meteorológicos. No caso da troposfera. percebese que a atmosfera se move 60 vezes mais rápido que o planeta. e acima. a atmosfera tende a se estratificar conforme o peso molecular dos componentes. a atmosfera gira um pouco mais lento que o resto do planeta. • A atmosfera venusiana gira com cerca de 360km/h. a base é mais quente que o topo. . então o calor é levado para cima via convecção e difusão de fótons infravermelhos. Circulação Atmosférica: • Atmosferas possuem em diferentes graus os fenômeno de circulação: massas gasosas circulam como resultado do aquecimento diferencial (latitudinal. • As atmosferas dos outros planetas possuem estrutura similar a da atmosfera terrestre.

A diferença de velocidade entre as faixas cria turbilhões. o campo se deve ao dínamo decorrente do movimento do magma. segundo análise das rochas lunares. e inclusive. • A Lua. Magnetosfera planetárias: • Mercúrio. partículas cósmicas. O eixo magnético não coincide com o eixo de rotação. como é o caso da grande mancha vermelha. não há diferença significativa de temperatura entre o equador e os pólos. Como na figura abaixo. . • Já o campo de mercúrio é um mistério. Júpiter e Saturno possuem campo magnético. sendo as camadas mais avermelhadas formadas por flocos de fósforo e algumas moléculas orgânicas. ferro derretido. • No caso da Terra. Terra. são defletidas por este campo. teve um campo magnético duas vezes mais intenso que o da Terra. ou do vento solar. Também ocorre devi ao dínamo que existe em seu interior.• Em Júpiter. pode-se ver que é bem estratificada. no seu interior. varia sua posição e orientação com o tempo. e se precipitam na atmosfera na forma de auroras polares. Assim. • Júpiter possui um campo 20000 vezes maior que o da Terra.

surgindo a hipótese de existir algum tipo de forma de vida. .9 milhões de km • Diâmetro equatorial: 4. rachaduras e planícies. o céu é sempre negro porque Mercúrio praticamente não tem atmosfera que seja suficiente para causar a dispersão da luz. cerca de 14 vezes a cada 100 anos. no entanto. pois nunca pode ser visto num céu totalmente escuro e sua posição varia muito de um dia para outro.880 km • Massa: 0.7 dias • Translação: 87. • Mercúrio é o planeta de mais difícil identificação a olho nu.78 m/s² • Densidade: 5600 kg/m³ • Rotação: 58. • É o planeta mais próximo do Sol e o segundo menor do sistema solar • O Sol parece duas vezes e meia maior em Mercúrio do que na Terra.0558 massa terrestre • Gravidade: 3. Essas áreas poderiam concentrar vapor de água ou gás carbônico no estado de gelo. apresentando pequenas quantidades de hidrogênio e hélio Crateras raiadas em mercúrio • Planeta repleto de crateras de milhões de anos pois a falta de vento e de água deixaram as marcas intactas. • Superfície constituída de uma camada delgada de silicatos rochosos com uma grande quantidade de ferro e níquel.97 dias • Satélites conhecidos: nenhum • Temperatura: -170 / +350 (°C) • Globo sem atmosfera.Planetas Mercúrio: •Distância média do Sol: 57. • O planeta passa entre o Sol e a Terra somente em raras ocasiões. • Aparência semelhante à da Lua também pelos penhascos. • Certas regiões do planeta encontram-se em desníveis enormes que sempre estão na sombra.

mas a missão não verificou a presença de atmosfera. • A sonda está agora em órbita solar. quando o combustível dos aceleradores da sonda se esgotou. Um campo magnético fraco foi detectado. sendo a primeira a usar tal recurso. os cientistas usaram os painéis solares como velas para fazer correções do percurso.24/Mar/1975 • Mariner 10 foi a primeira missão enviada a dois planetas (Mercúrio/Vênus). . sofrendo um impulso gravitacional para Mercúrio.Missões para Mercúrio 3/Nov/1973 . • A Mariner 10 foi a primeira sonda a ter um sistema de imagem. Ela sobrevoou Vênus em 5/Fev/1974. • Esta nave foi também a primeira a usar o vento solar como um meio de locomoção.

Vênus: •Distância média do Sol: 108 milhões de km • Diâmetro equatorial: 12. as que não chegaram a Vênus agora orbitam em torno do sol e a maioria das que atingiram Vênus. agora em órbita solar • Pioneer Venus 1 (20/Mai/1978 .bem sucedida.utilizou Vênus como impulso gravitacional para Júpiter • Magalhães (4/Mai/1989 . agora em órbita solar • Mariner 10 (3/Nov/1973 . agora em órbita solar • Galileo (18/Out/1989) . agora em órbita solar • Mariner 5 (14/Jun/1967 . mapeou 99% da superfície através de radar • A missão Venera foi composta de 16 sondas. foram destruídas pela pressão atmosférica poucos minutos depois da chegada. sendo a primeira lançada em 12/Fev/1961 e a última em 7/Jun/1983.Nov/1967) . queimou na atmosfera antes do tempo previsto • Vega 1 (15/Dez/1984) . .bem sucedida.bem sucedida.bem sucedida. perda de contato • Pioneer Venus 2 (8/Ago/1978) . Das sondas enviadas.bem sucedida. Apenas a Venera 9 se encontra agora em órbita de Vênus.60 m/s² • Densidade: 5200 kg/m³ • Rotação: -243 dias • Translação: 225 dias • Satélites conhecidos: nenhum • Temperatura: -33 / +480 (°C) • Principal componente da atmosfera: gás carbônico Missões para Vênus • Mariner 2 (27/Ago/1962 .24/Mar/1975) .mal sucedida.815 massa terrestre • Gravidade: 8.bem sucedida.1994) .bem sucedida. agora em órbita solar • Vega 2 (21/Dez/1984) . perda de comunicação. agora em órbita solar • Zond 1 (2/Abr/1964) .3/Jan/1963) .100 km • Massa: 0.bem sucedida.1992) .

e entre o equador e os pólos são eliminadas pela circulação. diferenças de temperatura entre os hemisférios iluminado e escuro nem chegam a se estabelecer. • Esta elevada temperatura. • Pequenas crateras com menos de 2 quilômetros são praticamente inexistentes graças à pesada atmosfera venusiana. • A temperatura na superfície de Vênus é de aproximadamente 482° C.• A sua cor amarelada se deve a gotículas de ácido sulfúrico que ficam nas camadas mais altas. • Vênus é brilhante devido a sua densa atmosfera que reflete 76% da luz solar (o maior índice do Sistema Solar). • A luz do Sol passa pela atmosfera e aquece a superfície do planeta. • Variações sazonais são mínimas. • O calor é irradiado mas fica aprisionado pela densa atmosfera que não permite a sua fuga para o espaço – Efeito Estufa • Isto torna Vênus mais quente que Mercúrio. • A Venera 7 foi a primeira sonda a aterrissar com sucesso na superfície de outro planeta. muito ásperas. já que a órbita é sensivelmente circular e o eixo de rotação é quase perpendicular ao plano orbital. • Na troposfera de Vênus (< 100km). O e S. suficiente para derreter o chumbo. com uma superfície formada por: • 65% de vastas planícies onduladas. a pressão atmosférica é 92 vezes a da Terra ao nível do mar. • Na superfície.• A Venera 4 foi a primeira sonda a ser colocada diretamente dentro da atmosfera e que retornou dados atmosféricos. que protege o planeta . Vênus é um planeta bastante esférico. • 5% de terras elevadas. Atmosfera de Vênus • Constituída por nuvens de CO2 com traços de N. o que ocasiona chuva ácida. • 30% de regiões baixas e escuras preenchidas com lavas sem marcas de crateras. deve-se principalmente a um rápido efeito estufa originado pela pesada atmosfera de dióxido de carbono. Superfície Dada a lenta rotação.

deve-se à menor rotação. preservando crateras e fragmentos formados no passado. apesar dos tamanhos similares. . ausência de satélite e de água na crosta.do bombardeamento de meteoros menores. • Especula-se que a menor atividade geológica de Vênus em relação à Terra. Imagem da superfície de Vênus obtida por radar a bordo da sonda Magalhães.