You are on page 1of 40

Cirurgia Parendodôntica

Sinônimos




Cirurgia Endodôntica
Cirurgia do periápice
Cirurgia periradicular
Cirurgia periapical
Cirurgia parendodôntica

DEFINIÇÃO
“Indicada, quando o clínico é incapaz de atingir a área da lesão e remover
os agentes causadores da doença através do canal radicular.”
Ingle, 1985

“É um procedimento que visa resolver complicações decorrentes de um
tratamento endodôntico ou insucesso dele”
Berbert et al. 1974

Indicações
• Anormalidades anatômicas severas
– Dilacerações apicais (IL sup)
– Calcificação intrapulpar
– Impedimento de Instrumentação e Obturação

• Indicações Problemas Iatrogênicos: – Fratura de instrumentos – Obturação inadequada – Corpos estranhos localizados no periápice – Núcleo metálico com obturação deficiente – Coroa bem adaptada. com obturação deficiente – Perfurações radiculares ! • • Fraturas horizontais radiculares no terço apical Cessar processos de reabsorção radicular .

2º e 3º molares inf • Infecção em fase aguda • Bolsas extensas • Oclusão traumática • Reabsorção apical extensa .Contra-indicações • Como primeira escolha • Estado de saúde comprometido • Considerações anatômicas – Proximidades de estruturas nobres (nervos. seio) – Suporte ósseo insuficiente – Ápice inacessível .

Expansão do cisto ⇒ aumento do gradiente osmótico ⇒ ingresso de líquido ! ! ! .ETIOPATOGENIA ! -Ocorrem nos locais onde o epitélio está normalmente presente ⇒ maxilares ! ! .Remanescentes de processos embrionários da odontogênese – bainha epitelial radicular de Hertwig (restos de Malassez)⇒ estímulo (gases e produtos da necrose pulpar)⇒ proliferação epitelial (granuloma)⇒ avascular ⇒ degeneração e necrose central ⇒ cavitação ! ! .

estímulo Centro avascular necrose Proliferação epitelial Epitélio libera para o interior da lesão Restos celulares Produtos do metabolismo celular Proteínas Células inflamatórias H 2O Crescem pela diferença de pressão osmótica .

Cisto Radicular l Inflamatório (necrose pulpar e infecção) l Dente desvitalizado l Proliferação de células epiteliais -granuloma periapical l Evolução para o cisto radicular % Oeste Norte .

Comuns: ASPECTOS RADIOGRÁFICOS ! -Imagem radiolúcida no ápice de um dente desvitalizado .Uniloculares ! .Forma circular ou ovóide .Fina linha radiopaca ! ! 10 .Contorno regular / definido ! .

Cisto Residual ! l Permanece no local de um dente extraído l Achado radiográfico l Atenção no diagnóstico diferencial l Recidivas raras .

Tipos ! • Curetagem Periapical / apicoplastia • Apicectomia • Apicectomia com obturação retrógrada OBS: * O canal necessariamente deverá estar selado o melhor possível. podendo até ser preparado e obturado na mesma sessão da cirurgia .

CURETAGEM Remoção cirúrgica de tecidos da região periapical sem reduzir o comprimento da raiz Lesões com inserção alta Apicoplastia .

seguida da curetagem do tecido patológico periapical. Lesões com inserção baixa .APICECTOMIA Amputação da porção apical do dente.

Tratamento endodôntico muito aquém .RETROBTURAÇÃO Fechamento do extremo radicular via apical.

Superbonder® Guta percha OZE Ionômero de vidro IRM Super EBA (OZE) MTA (cimento agregado mineral trióxido) Infiltração apical Materiais obturadores .• • • • • • • • • Amalgama de prata Cimento N-Ricket Cianocrilato de etila .

• Fácil manipulação e inserção na cavidade. • Proporcionar reparo. • Bem tolerado pelos tecidos periapicais (biocompatível). • Selamento do sistema de canais radiculares.Materiais Retrobturadores Características ideais • Adesão às paredes cavitárias. • Visível radiograficamente. • Atóxico. • Não manchar os tecidos. • Não ser reabsorvível ou afetado pela umidade. • Não ser corrosivo ou eletroquimicamente ativo. .

Exames radiográficos .

Exames radiográficos / Tomografia .

Exames radiográficos Tomografia .

.

Fistulografia .

Curetagem e/ou apicectomia com ou sem obturação retrógrada • Anestesia • Incisão • Descolamento mucoperiostal • Cirurgia propriamente dita – – – – – Osteotomia Curetagem Apicectomia Selamento apical Retroinstrumentação / Obturação retrógrada • Sutura e recomendações • Proservação radiográfica (1.6 meses e 1 ano) .3.

Incisão • • • • • • Seguindo o protocolo de qualquer incisão Facilitar a exposição da loja cirúrgica Facilitar o rebatimento do tecido Diminuir a possibilidade de acidentes Facilitar a reposição do tecido Sempre com suporte ósseo – evitar a deiscência .

.

Retalho em envelope • • • • Sem incisão relaxante Fácil de reposicionar Acesso limitado Dificuldade para distensão • Inserção gengival violada .

Retalho Semi Lunar ou Partsch • Reduz a incisão e tempo de descolamento • Não afeta a inserção gengival • Acesso e visibilidade limitados • Pode não incluir toda a lesão • Deiscência • Reposicionamento dificultado .

Retalho de Wassmund Acima da gengiva inserida Indicada em próteses recém instaladas Evita retração gengival Formato trapezoidal .

Retalho Trapezoidal Ochsenbein & Luebke • • • • Fácil descolamento Boa visibilidade e acesso Fácil reposição Pode abranger tecido muscular • Necessita correto diagnóstico do tamanho da lesão .

Retalho triangular ou Neuman • Facilmente modificado • Facilmente reposicionado • Integridade do suprimento sanguineo • Acesso e visibilidade limitados para raízes longas • Tensão no afastamento • Inserção gengival comprometida .

Retalho Neuman modificado – Novak-Peter • • • • • Máximos acesso e visibilidade Reduz tensão de afastamento Fácil reposicionamento Menor suprimento sanguineo Aumenta tempo de incisão e descolamento • Inserção gengival violada .

Divulsão • • • • • • Oferecer visão suficiente do ápice e acima da lesão Espessura total – descolamento mucoperiostal Apoiar o afastador em tecido ósseo Afastador de Minesota ou Sen-Müller Avaliar fechamento de fístula Conseguir visão total da loja cirúrgica .

Osteotomia e Curetagem • • • • • • • • Com brocas de aço Osso papiráceo ou reabsorvido Pressão manual Alveolótomo Parte convexa da cureta para a raiz Parte côncava para o osso Por todos os lados e sentidos da loja Próximo ao ápice .

Apicectomia • • • • • • • Broca tronco-cônica Alta/ baixa rotação Na altura da lesão Total remoção do fragmento radicular Alisamento: Em toda a extensão da raiz Alisamento com limas .

Apicectomia • Realizada em bisel de 30o ou 45º para vestibular ! – Vantagens: • Facilidade de visualização do extremo apical. . • Requer maior profundidade da cavidade retrógrada. • Acesso direto ao forame. ! – Desvantagens: • Aumento do número de túbulos dentinários expostos (aumenta chance de infiltração apical).

! – Desvantagem: • Dificuldade de acesso e visualização do conduto radicular. ! – Vantagens: • Redução da microinfiltração apical. . • Remoção de menor quantidade de tecido dentário.Apicectomia – Tendência Atual • Ressecção a 90o com o longo eixo dentário.

brunidores . condensadores.Obturação retrógrada • Caixa retentiva com broca de aço esférica/ tronco cônica invertida • Porta amalgama.

menos chance de provocar perfurações radiculares. realização de apicectomia em 90o. menor quantidade de smear layer e detritos. . menor remoção de tecidos ósseo e dentário. paredes cavitárias paralelas ao canal radicular. facilidade de irrigação.Ultra-som • Vantagens do preparo: – – – – – – – acesso direto à raiz.

Sucesso Biológico • Fechamento do ápice • Reinserção do ligamento periodontal • Reparação do osso alveolar .

leucoderma. • Sem alterações clínicas. C. • Encaminhado pelo protesista. • Feita biópsia incisional em 08/10/08. sexo masculino.Enucleação de Cistos periapicais em Maxila + Enxerto Autógeno Associado à Osso Bovino Liofilizado • Paciente L. para avaliação de lesões radiolúcidas em maxila (achado radiográfico). . S. 38 anos.