You are on page 1of 18

CARTILHA DE AGRICULTURA URBANA

Com enfoque agroecológico
COLABORADORES
Texto e pesquisa
Ana Carolina Vinholi - Cientista Social
Luzia Pereira - Irmã Franciscana
Marcos José de Abreu - Eng. Agrônomo
(Cepagro)
Paloma Gallegos - Bióloga
Tratamento de imagens e editoração
eletrônica
Fernando Angeoletto - Jornalista
(Cepagro)

Ilustrações
Eugênio de Faria Neves
Apoio à publicação
Ação Social Arquidiocesana (ASA) e
Ação Social São João Evangelista (Biguaçu)
e Ação Social São Vicente (Itajai)
Pesquisa e fotos
acervo CEPAGRO
Data de Impressão
Outubro de 2009

FOTO DA CAPA
Horta Comunitária no Bairro Espinheiros - Comunidade do Portal (Itajaí, SC)

 CARTILHA DE AGRICULTURA URBANA .

a água. mais apertado. o direito à vida digna. de cuidado e de compromisso com a vida em todas as suas formas e expressões. “muita gente pequena. em muitos lugares pequenos. a praça. Continuamos carregando nossos sonhos. fazendo coisas pequenas. O desafio é recriá-los nesse novo contexto. Continuamos na nossa casa comum. mas a casa é a mesma. Outra provocação é apostar nas redes solidárias. cuidando da natureza e da vida nas diversas expressões. Talvez menor. de distribuir.. é a possibilidade de juntos/as criar espaços e formas para resgatar nossas histórias e sabedoria de vida. Quantos de nós saimos do rural e agora vivemos na cidade. com a natureza. respeito. assumindo atitudes de cuidado. A cidade é o espaço onde é possível organizar a vida de forma coletiva nas coisas públicas.  . O convite é buscar um novo jeito de se relacionar com as pessoas. mudará a face da terra”. falamos de comportamentos. Estamos muito próximos com o que é público: a rua. como diz um provérbio africano. Esta cartilha é a colheita de várias experiências de pessoas e grupos que assumiram uma atitude de cuidado para com as diversas formas de vida. de consumir e organizar a vida no planeta..São as coisas que pertencem a todos/as. Nós humanos. Cada página dela quer provocar em nós um olhar para nossa maneira de nos relacionarmos entre nós e com todas as formas de vida que existem no planeta. A cidade é espaço de oportunidade de troca e convivência com o diferente. com os meios de produção e chama à prática cotidiana do consumo consciente e solidário. Mas qual? A revolução ética. acreditando que. que é a vida urbana. Com enfoque agroecológico que ligam pessoas e grupos que propõem e praticam uma forma solidária de produzir.APRESENTAÇÃO “Comece por você mesmo a mudança que propõe ao mundo” (Gandhi) A TERRA É NOSSA MÃE É preciso cuidar da vida! E para isto precisamos fazer uma revolução. Quando falamos de ética. Mas o espaço é diferente. a terra.. Não mudamos de casa. Somos convidados e convidadas a ter uma atitude de respeito e de contemplação.. Eis o grande convite: respeitar a terra e a vida em toda sua diversidade. não somos os únicos seres vivos que habitam a terra.

que nos sustenta e governa. Irmã Luzia Pereira  CARTILHA DE AGRICULTURA URBANA . que nos vem da Carta da Terra: “que o nosso tempo seja lembrado pelo despertar de uma nova reverência face à vida. meu Senhor. a cultivarmos sempre mais uma atitude de reverência e cuidado.responsabilidade e solidariedade. a exemplo de São Francisco de Assis. Eis também o grande apelo. homem universal e amante da vida. por nossa irmã e mãe Terra. na vivência da irmandade entre nós e com a criação. o planeta terra. Que possamos dizer com ele: “Louvado sejas. intensificação da luta pela justiça e pela paz. Que possamos. sabendo que não temos outra casa para morar coletivamente senão esta. e a celebração alegre da vida”. e produz frutos diversos e coloridas flores e ervas”. pelo compromisso firme de alcançar a sustentabilidade.

...............26 BIBLIOGRAFIA.......................................12 URBANIZAÇÃO / LITORALIZAÇÃO NO BRASIL.........................................................................9 AGRICULTURA NO PERÍODO COLONIAL.............15 AGRICULTURA URBANA...................................................11 “REVOLUÇÃO” VERDE .................3 HISTÓRICO DA AGRICULTURA ..............................................................................................................................7 AGRICULTURA TRADICIONAL DOS INDÍGENAS BRASILEIROS ..................10 PÓS-GUERRA.................SUMÁRIO APRESENTAÇÃO......................................................................................................................................................19 CONTROLE BIOLÓGICO...................................................................................................................................................................................36 Com enfoque agroecológico  ...................................................17 AGROECOLOGIA................................10 REVOLUÇÃO INDUSTRIAL...........

 CARTILHA DE AGRICULTURA URBANA .

HISTÓRICO DA AGRICULTURA Durante milhões de anos. consumiam raízes (mandioca. assim como do esterco animal. Na pré-história. junto com a formação das primeiras aldeias agrícolas. araçá) e praticavam a caça de pequenos animais nas áreas próximas à Mata Atlântica. No Brasil. jabuticaba. frutas (pitanga. o ser humano se alimentou através da caca. cará. Nesse período.. basicamente. o uso do fogo e de algumas ferramentas. Começaram a surgir as primeiras formas de agricultura (domesticação de espécies de vegetais) e pecuária (domesticação de animais). passaram a fazer parte do cotidiano dos aglomerados urbanos. as populações indígenas que viviam no litoral alimentavamse.C. Além disso. taiás). abundantes na costa brasileira. os quais deram origem às cidades. Com enfoque agroecológico  . em torno de 12000 A. da pesca e da coleta de frutos e raízes. antes da chegada dos portugueses. de peixes e crustáceos. Esses restos alimentares deram origem aos fósseis chamados de sambaquis.

água em abundância que favoreceram o sucesso na produção e o enriquecimento dessas nações que exploraram os recursos que durante milhares de anos os índios cuidaram. a partir de 1500. Pois tinham a Terra como uma mãe e um ser vivo. A exploração continuou devastando a floresta para plantar. com muitos países ávidos pelo consumo. com a idéia que tanto quanto riquezas e poderes políticos se concentrem na mão de poucos.  CARTILHA DE AGRICULTURA URBANA . Levaram muitos produtos e trouxeram seus modelos de construção das cidades. observando e conhecendo os ciclos naturais. realizaram a devastação das vegetações litorâneas brasileiras. iniciadas com a exportação do pau-brasil como matéria-prima para tingir tecidos. Os colonizadores encontraram condições ótimas de fertilidade. produzir e extrair: Café Cana Gado Ouro E para onde iam estes produtos? Cruzavam o Oceano com destino à Europa.Os colonizadores europeus. manejaram. Mesmo assim foram mortos e/ou escravizados pelos colonizadores que apenas visavam o lucro.

arcos e flechas amendoim. canoas. retirando dele somente é usado no lugar do Os indígenas nessa o necessário para a sua extrato de tomate época viviam da sobrevivência. estranheza para ambas as partes. a colheita e cuidados observavam e utensílios domésticos em geral. (Fonte: www. A palha era principalmente mandioca. bata-doce e e suas habitações (oca). redes era praticada com sabedoria. da pesca e da maneira. construíam agricultura de milho. porco do mato e capivara. panelas plantio. em momentos de guerras. tendo como e outros objetos.com) pequeno porte como. muito o meio ambiente. As Os índios faziam objetos utilizando duas culturas eram as matérias-primas da CURIOSIDADE: Você muito diferentes e natureza. esse número chegava a grupo. O urucum era muito usado para para o plantio) com rotação das áreas. fazer pinturas no corpo. aproximadamente. O primeiro contato entre índios e cerimônias de enterro e ao estabelecer portugueses em 1500 foi de muita alianças contra um inimigo comum. também e peles de animais serviam para fazer utilizavam a técnica da coivara (derrubada roupas ou enfeites para as cerimônias das de mata e queimada para limpar o solo tribos.AGRICULTURA TRADICIONAL DOS INDÍGENAS BRASILEIROS Antes da chegada dos europeus à As tribos indígenas possuíam uma América. específica para cada território brasileiro. Só em políticas e religiosas. Esta agricultura utilizada para fazer cestos. Para o muito utilizada para fazer potes. Os índios domesticavam animais de suapesquisa. Penas sempre os períodos da lua. O contato entre as tribos acontecia 5 milhões de nativos. o boi e a galinha. feijão. milhões de índios no continente. Desta industrializado? caça. distintos. Não conheciam o cavalo. esteiras. casamentos. Vale lembrar sabia que o URUCUM que índio respeita pertenciam a mundos completamente usado pelos índios. Com enfoque agroecológico  . havia aproximadamente 100 relação baseada em regras sociais. abóbora. A cerâmica também era base o respeito aos ciclos naturais.

assim. começaram a aparecer sinais evidentes de que a agricultura brasileira vivia uma profunda crise.Estas descobertas possibilitaram o progressivo abandono das antigas práticas. abandonando as lavouras atuais quando estas não tivessem mais produtividade satisfatória e indo em busca de novas áreas reiniciando. através da expansão das fronteiras agrícolas. na qual pouco se pensava nas consequências negativas dos manejos agropecuários empregados. Esta fase é chamada de Segunda Revolução Agrícola. incentivando a mecanização da agricultura. levando a uma especialização dos agricultores tanto nas culturas quanto nas criações. REVOLUÇÃO INDUSTRIAL A partir do ano 1890. especialmente no que diz respeito à destruição florestal. Inaugurava-se uma nova fase nos sistemas agropecuários. assim. o ciclo de exploração da fertilidade dos solos. pois. O descobrimento do motor a explosão propiciou a substituição dos animais por caminhões e tratores. sobretudo. Os cientistas que trabalhavam em fábricas de fertilizantes e corantes químicos inventaram os gases de guerra.AGRICULTURA NO PERÍODO COLONIAL A maioria dos grandes proprietários acreditava na exploração extensiva dos sistemas de produção.br) Em meados do século XVIII e no século XIX.planetaorganico. (Fonte: www. melhoramento genético. Esta era a cultura nômade de expropriação do solo brasileiro. CARTILHA DE AGRICULTURA URBANA . Agricultura Convencional ou Agricultura Química. os problemas de escassez crônica de alimentos em solos europeus intensificam-se. máquinas e motores à combustão. as máquinas de guerra seriam mais baratas. levando a uma série de descobertas científicas e tecnológicas: fertilizantes químicos. que se confundiu com a expansão do café pelas serras e vales do interior da província do Rio de Janeiro. Esta crise era atribuída. na qual a forma de conceber 10 e gerenciar a atividade rural passa a ser chamada de Agricultura Industrial (AI). à falta de braços (pelo fim da escravidão) e de capitais. além do atraso técnico e administrativo na condução das lavouras.com. após um crescimento contínuo da grande lavoura de exportação ( cana-deaçucar).

VACINAS . armas químicas.PÓS-GUERRA Inicialmente as tecnologias utilizadas nos campos de batalha (armamentos bélicos. MEDICINA. transferem as tecnologias da guerra para a AGRICULTURA.AUTOMOVEIS . Desta forma.TRATORES . INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA E COMUNICAÇÃO. pensaram: O QUE FAZER COM TUDO ISSO QUE SOBROU? As industrias com o fim da guerra não queriam parar de produzir e lucrar. de forma impositiva: .REMÉDIOS . etc) ao final da guerra. usando os argumentos de alimentar as pessoas mundialmente. resolver os problemas de doenças e gerar trabalho.VENENOS . Produzindo e oferecendo a sociedade.FERTILIZANTES QUIMICOS .BOMBAS COSTAIS Com enfoque agroecológico 11 .

acaricidas.  Uso de adubos de síntese química. Escolas Técnicas e Centros de Pesquisa.“REVOLUÇÃO” VERDE Na década de 60 houve um grande ENTUSIASMO.. a fome acabaria em poucos anos. Universidades.  Modelo Produtivista  Uso intensivo de variedades de alto rendimento.  Contaminação dos agricultores por agrotóxicos  Perda da biodiversidade  Industrialização da agricultura  empobrecimento da agricultura familiar  êxodo rural  crescimento urbano. fungicidas. melhoradas geneticamente sem conhecer as conseqüências do seu uso. variedades melhoradas e maquinário moderno) para os países do TERCEIRO MUNDO. que se esperava. Exemplos: Empresa de Extensão Rural. indústrias CARTILHA DE AGRICULTURA URBANA . Com os aumentos de produção. onde houve (e ainda há) subnutrição e fome. Com um grande aumento de colheitas envolvendo o uso de adubos químicos e venenos nos paises industrializados. 12 CONSEQUÊNCIAS  Exploração excessiva dos recursos naturais  Degradação ambiental dos solos e das águas.)  Irrigação e mecanização  Incentivo as práticas de Monocultura (somente uma cultura)  Facilidade ao crédito para implantação do pacote. Criou-se a expectativa de acabar com a fome mundial em poucos anos.  Utilização intensiva de agrotóxicos (inseticidas.. Através de uma “Revolução Verde” pensou-se em simplesmente transferir a tecnologia desenvolvida (adubo e veneno químicos. CARACTERÍSTICAS  Apoio dos governos para implementação dos pacotes na área de ensino e extensão.

13 . isto é. Com enfoque agroecológico tiveram um efeito negativo na fertilidade do solo. a potência daquilo que o solo produz se reduziu – e ainda se reduzcada vez mais. mas por outro. Por um lado os adubos químicos e o uso dos agrotóxicos aumentaram a produção.O efeito do PACOTE se mostrou como efeito a curto prazo.

de dólares na compra de arroz. e Rio Grande do Sul. Os estados que mais usam compra de agrotóxicos pelos agrotóxicos: São paulo.1999 – agricultores brasileiros As culturas em que mais desembolsaram 2.3 bilhões se aplicam agrotóxicos: soja. Paraná agricultores. batata. feijão. maçã. agrotóxicos café. 2000 – houve um crescimento de 200 mil dólares na citrus e hortaliças. goiaba. milho. algodão. .

colonização e instalações da cidade. sendo as principais a perda de trabalho no setor agropecuário . Esse êxodo rural elevou de forma significativa o número 1872 de pessoas nos centros urbanos. Acompanhado de um modelo europeu de ocupação. População População RURAL URBANA 94% 6% 64% 36% 50% 50% 1990 25% 75% 2001 20% 80% Local: Santa Catarina. destituídos dos meios de sobrevivência na zona rural. Assim. salários e.em conseqüência da modernização técnica do trabalho rural. como Rio de Janeiro. acima de tudo. FONTE: Jornada Paranaense de Recife e Salvador. Atualmente 80% 1960 da população brasileira vive nas cidades. os grandes núcleos ficavam no litoral. resultando numa carência de terras para a maioria dos trabalhadores rurais.URBANIZAÇÃO / LITORALIZAÇÃO NO BRASIL A porta de entrada dos colonizadores foi através do litoral. grande parte dos trabalhadores rurais foram atraídos para as cidades com intuito Ano de trabalhar no mercado industrial que crescia. como o trabalho no campo era duro e a mecanização já provocava perda de postos de trabalho. onde o país começou a industrializar. A migração rural-urbana tem múltiplas causas. melhores condições de vida. Êxodo rural O processo de urbanização brasileiro apoiou-se essencialmente no êxodo rural. com a substituição do homem pela máquina e a estrutura fundiária concentradora. Fonte: IBGE . O país começou a industrializar-se. apesar disso o 1970 Brasil é um país urbano. o Brasil se manteve por tempos com perfil rural até o ano de 1930. com as navegações. embarcações. os migrantes dirigem-se às cidades em busca de empregos. industrial e agrícola. Agroecologia Como foco do Brasil Colônia era a produção de alimentos e manufaturas em beneficio aos colonizadores europeus.

000 pessoas.3 milhões de brasileiros . drenagem e áreas verdes entre outros) e acesso a alimentos livres de agrotóxicos. (fonte: http://educacao. contingente que chegará a 55 milhões de pessoas em 2020. acesso a serviços públicos (saúde. captação d´água. 2) Desemprego 3) Criminalidade 16 4) Favelização (ONU.com.vivem nas 16. educação.Problemas mais comuns da Urbanização CURIOSIDADE: Somente no estado de Santa Catarina.uol.jhtm) 1) A urbanização desordenada. mobilidade urbana (transporte). com um fraco planejamento prévio que assegure qualidade de vida aos habitantes. br/geografia/ult1701u57. revela que 52. 5) Poluição 6) Aumento da produção de lixo CARTILHA DE AGRICULTURA URBANA . de 1996 a 2000 SAÍRAM DA AGRICULTURA cerca de 174.433 favelas cadastradas no país.cerca de 28% da população .

que por falta de trabalho. estimular a terapia ocupacional e estabelecer uma relação sustentável com o meio ambiente. etc. como quintais. terrenos arrendados ou emprestados. de forma segura. compondo as periferias das cidades. frutas. tendo por objetivo melhorar sua alimentação diária. como instrumento pedagógico e até mesmo para geração de renda e segurança alimentar. • Pessoas que vieram para a cidade. etc) A prática da agricultura urbana acontece no espaço urbano. Esses produtos são utilizados para o consumo próprio. doações e/ou comercialização. centros de saúdes. e (re) aproveitam. Quem são os Agricultores e Agricultoras Urbanos/as? • Aquelas pessoas que praticavam agricultura num espaço rural e a cidade cresceu incorporando esta área como urbana. médio e grande porte). Quais as características da Agricultura Urbana? • Produzir seus alimentos na cidade em quintais. terrenos públicos. lotes vagos. de forma eficiente e sustentável. carência ao acesso a alimentação e a renda. resíduos. saberes. áreas institucionais. plantas medicinais. trocas. oriundas principalmente do êxodo rural. etc. • T a m b é m encontramos praticantes de Agricultura Urbana emespaços I n s t i t u c i o n a i s.A R U T L U C I AGR A N A URB O que é agricultura Urbana? Consiste na produção e beneficiamento. os recursos e insumos locais (solo. se ocupam plantando. • Há aqueles que estão envolvidos com as questões ambientais. áreas arrendadas ou emprestadas. ornamentais) e pecuários (animais de pequeno. áreas verdes/vazios urbanos. cultivando ou criando pequenos animais para o consumo da família ou a venda. como escolas. • Utilizar resíduos orgânicos da Com enfoque agroecológico 17 . de produtos agrícolas (hortaliças. Que produzem para suprirem a necessidade de alimentação de crianças e jovens. creches. igrejas. mão de obra. água.

Curitiba. • Melhor aproveitamento dos espaços para produção de alimentos. Gentil. vivências e materiais • Conhecer através de intercâmbios. Belém. Recife. Sr. • No Brasil podemos verificar que existem vários projetos de Agricultura Urbana acontecendo em: Minas Gerais. como movimento • Trabalhar com princípios contra cultura atual 18 NO BRASIL E NO MUNDO • No mundo existem diversas experiências de Agricultura Urbana. outras iniciativas e experiências. e tendo sua produção livre de contaminação de agrotóxico. • Em sua maioria não utilizam insumos químicos e industriais. Rio de Janeiro. que ele mesmo produz ou faz coleta das redondezas. • Produzir alimentos dentro de princípios éticos-sociais do mundo • Criar uma identidade coletiva. Florianópolis. Quais as características do Agricultor(a) Urbano(a? • Alegres. a mais desenvolvida é a experiência Cubana como resposta ao bloqueio econômico. otimistas que acreditam no futuro e que trabalham pela melhora da saúde e alimentação da comunidade • Que gostam de pensar por elas mesmas e são criativas • Aproveitam todos os orçamentos ao alcance das mãos • Promovem valores humanos que fazem uma sociedade melhor • São curiosos e gostam de buscar a verdade • E todas essas são qualidades de pessoas comprometidas com a vida Quais as vantagens de um trabalho articulado em REDE de Agricultura Urbana? • Promover a troca de saberes. em virtude do custo. Agricultor Urbano da comunidade do Portal (Itajaí) CARTILHA DE AGRICULTURA URBANA . entre outros.região. • O que produz serve para a subsistência da família e a comercialização acontece localmente e de forma direta. São Paulo. Rio Grande do Sul.