You are on page 1of 4

ARTIGOS ESPECIAIS / SPECIAL ARTICLES

A expressão dos demônios de Morin Maria do Socorro Veloso de Albuquerque 1

Kátia Rejane de Medeiros 2


Karla Luna 3
Sabrina Ribeiro de Almeida 4
The expression of the demons of Morin Eronildo Felisberto 5
1 Departamento de Medicina Social. Universidade Federal de
Pernambuco. Av. Moraes Rego, s. n. Recife PE, Brasil.
CEP: 50. 670-420. E-mail: soveloso@oi.com.br
2 Centro Pesquisas Aggeu Magalhães Fundação Oswaldo Cruz.
Recife, PE, Brasil.
3 Universidade Estadual da Paraíba. João Pessoa, PB, Brasil.
4 Laboratório de Virologia e Terapia Experimental. Centro de
Pesquisas Aggeu Magalhães. Fundação Oswaldo Cruz. Recife, PE,
Brasil.
5 Instituto Materno Infantil Prof. Fernando Figueira-IMIP. Recife,
PE, Brasil.

Abstract Resumo
This paper aims to promote a dialogue with the O objetivo deste texto é promover um diálogo com
Edgar Morin's intellectual autobiography, with the a autobiografia intelectual de Edgar Morin, com os três
three greatest relevant subjects in his work "My temas de maior relevância na sua obra "Meus
demons": the epistemology, the ethics and the politics; demônios": a epistemologia, a ética e a política; e
and to enhance the importance of the complex thought destacar a importância do pensamento complexo no
in the process of producing health. The continuous processo de produzir saúde. A postura de indagação
investigating attitude makes Morin reflect on the provi- contínua faz Morin refletir sobre a provisoriedade das
sionment of the "truths" and "conclusions". Mainly that "verdades" e "conclusões". Sobretudo, que o conheci-
the knowledge is never total, but multidimensional. The mento nunca é total, mas multidimensional. Propõe-se
knowledge is proposed to be constructed which re-links, a construir um conhecimento que religa, que é
which is unaccomplished and unaccomplishable. It inacabado e inacabável. Trabalha com o conceito de
works with the concept of auto-ethics, the urgency of auto-ética, com a urgência de "constituição" de uma
"constitution" of a humanitarian identity, a planetary identidade humanitária, de uma consciência planetária,
conscience, the native land idea. In the politics it desig- da idéia de terra pátria. Na política assinala a necessi-
nates the necessity of a conscience of resistance among dade de uma consciência de resistência entre os
men, in all the times and areas, the mental, ideological, homens, em todos os tempos e áreas, a forças mentais,
cultural and historical forces that can rouse errors and ideológicas, culturais e históricas que possam suscitar
thus it strengthens the belief in the imperious necessity erros e desta forma reforça a crença na necessidade
to rethink the politics. The logic of the complex thought imperiosa de repensar a política. A lógica do pensa-
of Morin has illuminated many of the arguments in the mento complexo de Morin tem iluminado muitas das
health field, since in that the phenomena that involve discussões no campo da saúde, uma vez que nesse
the health and illness process presents multiple dimen- campo os fenômenos envolvendo o processo saúde e
sions, what makes us reflect on the complexity of the doença apresentam múltiplas dimensões, o que nos faz
concept of health necessities. refletir sobre a complexidade do conceito de necessi-
Key words Thinking, Health, Knowledge dades de saúde.
Palavras-chave Pensamento, Saúde, Conhecimento

Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 7 (4): 503-506, out. / dez., 2007 503
Albuquerque MSV et al.

A autobiografia intelectual de Edgar Morin1 é apre- Na busca de seus próprios demônios, Morin clas-
sentada em "Meus demônios" como um entrelaço de sifica sua vida em três reorganizações genéticas. A
sua vida profissional e pessoal - sua própria vida - primeira, sob forte influência hegeliana e marxista,
uma vez que para Morin a vida intelectual é insepa- concentra-se na perspectiva da integração das
rável da vida de experiências. Uma vida em verdades isoladas, das contradições e o desejo de
constante movimento, cheia de antagonismos e ultrapassá-las. Na segunda reorganização seu
recomeços, entrecortada por ciclos de travessias de espírito é tomado pela idéia de revolução e retoma o
desertos e oásis. conceito de totalidade. Um conhecimento não mais
Morin se intitula onívoro cultural ao descrever total, mas multidimensional, contrapondo-se ao
seus demônios culturais. A família ensinou-lhe o pensamento unidimensional. A racionalidade do
Mediterrâneo, o gosto pelo azeite, pela berinjela e conhecimento não elimina ou supera as contradi-
outros. O pai se encarregou de transmitir-lhe uma ções, mas admite sua irredutibilidade. Na terceira
cultura de cançonetas, de café-concerto, de operetas reorganização o autor considera que faz uma
e nenhuma tradição ou um saber, normas e crenças. revolução radical por dentro de si. A complexidade
A mãe lhe ensinou o gosto pelas óperas italianas. No suplanta a totalidade, evidenciado pelo tetragrama
entanto, a mais importante lição que aprendeu na dialógico: ordem/desordem/interações/organizações.
família foi aos nove anos: a morte da mãe. O resto Morin liga a cultura humanística à cultura cientí-
ele aprendeu por si. Viveu sua infância com uma fica ao inferir que a cultura é policultura, não acumu-
verdade secreta e uma identidade incerta. Na lativa, mas auto-organizadora. Ele acredita que a
adolescência foi um cinéfilo voraz e leitor faminto. natureza do homem é 100% biológica e 100%
Seja por acaso (ou por sorte) encontrou os livros que cultural respaldado em seu modus vivendi: homem
lhe falaram, perturbaram-no, transformaram-no e o biológico necessitado de alimento, água, vento,
formaram. Pelo romance e pelo livro Morin chegou terra; homem cultural faminto por cinema, livros,
ao mundo. Percorreu o caminho do autodidata, histórias, prazeres, derrotas, guerras, agruras,
movido por necessidades profundas. perdão.
Nas dez sessões que compõem o livro, veri- Embora vários temas sejam retratados em "Meus
ficam-se aspectos recorrentes do perfil e mesmo da demônios", três deles recebem maior destaque: a
história do autor, em especial a sua postura de inda- epistemologia, a ética e a política.
gação contínua, que o leva a "verdades" e Morin tem uma disposição de confrontar teorias
"conclusões" temporárias. Essa posição inquieta de e idéias sem preconceitos. O autor se propõe a
Morin se refletiu numa produção dinâmica e atenta construir um conhecimento que religa, que chega ao
aos fenômenos de seu tempo, e, especialmente conhecimento da ignorância, que é inacabado e
sempre aberta ao diálogo, ou seja, capaz de incor- inacabável. Assim, ao assumir a contradição ele
porar a complexidade de fatos e elementos do mundo assumiu também o pensamento complexo, uma
contemporâneo. teoria e racionalidade abertas.
Assim, a obra de Morin espelha a imagem de um Como um homem sintonizado com o seu tempo,
intelectual inquieto, intrigado, cético e ao mesmo Morin também reflete sobre o papel da ética nas
tempo crente, capaz de se indignar frente ao sociedades a partir da própria experiência. Neste
conjunto de situações ricamente historiadas nas sentido, introduz um conceito que, para ele, é emer-
múltiplas dimensões abordadas, sejam elas políticas, gente em dadas circunstâncias históricas e culturais -
sociais e culturais, com as quais teve de conviver. o conceito de auto-ética - que tem como valores
As respostas, e mesmo a compreensão dos fatos fundantes a fé, o amor, a compaixão, a fraternidade,
apresentados por Morin, revelam uma outra carac- o perdão e a redenção.
terística que lhe é inerente, sua convivência pacífica, Morin adverte que tal como o pensamento
contudo não passiva com a contradição. Ele mesmo complexo tem em seu cerne a contradição, a auto-
admite que é do choque de idéias contrárias que ética também não escapa dela. Compreende que há
resultou cada um de seus livros e que a contradição nos homens uma multipersonalidade que pode
tem para ele simultaneamente um caráter existencial revelar contradições e dessa forma, toma consciência
e intelectual. Em Hegel, o autor descobriu que a da complexidade e dos desvios humanos. Assim,
contradição estava no fundamento do ser, sendo falsa além da preocupação autocrítica da ética para si, o
toda a idéia fechada, cristalizada, abstrata, separada autor introduz a necessidade de uma moral da
da totalidade de que faz parte. Identificou que a compreensão.
totalidade estava sempre em movimento, sempre Tolerância, perdão e redenção fundem-se criando
inacabada, em marcha ininterrupta. uma noção de ética da compreensão que impõem a

504 Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 7 (4): 503-506, out. / dez., 2007
A expressão dos demônios de Morin

necessidade de argumentação e refutação em necessidade, justificada por Marx, de articular os


oposição a lançar-se maldição sob os fatos ou indiví- saberes disciplinares uns aos outros. O homem e a
duos da sociedade. morte levaram-me a integrar as construções de pensa-
Dessa lista de valores universais, o autor sugere mentos antropológicos, além de Marx, Freud, Ferencz,
a urgência de "constituição" de uma identidade Jung, Rank, Bataille e Bolk; e depois, a aventura de
humanitária, de uma consciência planetária, da idéia Arguments me fez interar Adorno, Horkheimere e
de terra pátria. Marcuse. Assim, pude encarar tanto o homem e
A política esteve sempre presente em sua vida, sociedade de forma multidimensional. (Morin: 2003:
desde a adolescência. Nos anos 30 vivenciou a crise 257).1
que abalou as economias capitalistas das democra- Merece reflexão a negação de Morin da
cias, a ascensão de Hitler ao poder e a transformação dimensão ontológica do homem, sobretudo de seu
do bolchevismo em stalinismo. Inserido nesse caráter genérico. Tal como Marx, acredita que o
cenário, Morin pôde perceber todas as contradições trabalho é a atividade vital do homem, uma vez que
que permearam o pensamento da esquerda e direita. seu caráter genérico é expresso como trabalhador,
Meus primeiros passos nas idéias políticas fazem-se diferenciando a espécie humana dos outros animais
no seio destas contradições. (Morin (1993: 52).1 durante o processo capitalista de alienação do
Na política assinala a necessidade de uma trabalho. Conforme salienta o filósofo húngaro
consciência de resistência entre os homens, em todos Mészáros, 4 em Marx, 5 o trabalho constitui uma
os tempos e áreas, a forças mentais, ideológicas, dimensão ontologicamente essencial da existência
culturais e históricas que possam suscitar erros e humana, uma necessidade da qual ele jamais pode
dessa forma reforça a crença na necessidade impe- prescindir e que deve, portanto, acompanhá-lo ao
riosa de repensar a política. longo de toda a sua história.
Morin chegou a aderir ao comunismo, mas [...] a vida produtiva, entretanto, é a vida genérica. É a
diante da contradição entre as exigências éticas ine- vida criando vida. No tipo de atividade vital está todo
rentes à esperança revolucionária de emancipação e o caráter de uma espécie, o seu caráter genérico; e a
o sistema que negava essa exigência sob o regime atividade livre, consciente, constitui o caráter genérico
stalinista, rompe com o partido comunista, mas não do homem. (Marx, 2003: 116).5
com o marxismo. Embora não deixe isto explícito A vivacidade e a atualidade de Morin encantam.
em "Meus demônios", o autor não reduz o marxismo Ele não se deixa desanimar. Mesmo em sua lúcida
ao dogmatismo stalinista. Inspira-se nas idéias de visão sobre as relações sociais no capitalismo e sobre
Pascal,1 mesmo no período que o marxismo oficial, o fracasso das experiências socialistas, o autor
stalinista, fechava os olhos para as obras de mestres salienta a capacidade e o desejo de transformação que
como Eckhardt, Nicolau de Cusa e Blaise Pascal. lhes são peculiares. Para ele nós não estamos no fim
Assim, Morin recupera os escritos de Pascal, sobre- da história, pois o capitalismo continuará produzindo
tudo na discussão que se refere às relações entre o em nós aspirações socialistas não mais espelhadas na
todo e as partes: experiência soviética, de negação total do sujeito, e a
[...] sendo todas as coisas causadas e causantes, degradação do eco-sistema continuará fortalecendo
ajudadas e ajudantes, mediatas e imediatas, e todas se movimentos de proteção ao meio ambiente.
mantendo por um laço natural e insensível que liga as Morin não deixou de ser caminhante, sua vida
mais afastadas e as mais diferentes, tenho como continuou errante, impulsionado por suas aspirações
impossível conhecer as partes sem conhecer o todo, múltiplas e antagônicas - tão intensas e extensas em
assim como conhecer o todo sem conhecer particular- seu ser. Viveu sempre de recomeços.
mente as partes. (Pascal: 1999: 72). A contradição e a atitude dialógica de Morin
Morin acredita que o marxismo é abertura, e não diante de sua caminhada, permitem ao leitor
fechamento, e o considera uma verdadeira ciência conhecer a história de vida do autor e compreender a
multidimensional que articula as ciências naturais às produção dele no campo das ciências, assim como a
humanas. Desta forma, não "colocou no lixo" gênese do pensamento complexo.
nenhuma escola de pensamento. Durante os escritos A lógica do pensamento complexo de Morin tem
de "Meus demônios" Morin teve um insight sobre o iluminado muita das discussões no campo da saúde,
que possibilitou a elaboração do livro "O método" uma vez que nesse campo os fenômenos que
[...]. porque pode operar uma junção e uma aliança de envolvem o processo saúde e doença apresentam
suas duas culturas: "uma primeira cultura, de meus múltiplas dimensões. Esse fato nos conduz neces-
estudos, de minha curiosidade pela "humanidade" e de sariamente ao conceito complexo de necessidades de
minha obra nas ciências humanas, alimentou minha saúde, conforme Cecílio, 6 que utilizando a

Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 7 (4): 503-506, out. / dez., 2007 505
Albuquerque MSV et al.

taxomonia definida por Stotz,7 postula que as neces- um serviço; necessidade de cada pessoa ter graus
sidades de saúde passam por ter "boas condições de crescentes de autonomia - informação e educação em
vida" - a maneira como se vive se traduz em dife- saúde é apenas parte do processo de construção da
rentes necessidades de saúde. Necessidade de acesso autonomia de cada pessoa.
e de consumir tecnologia de saúde capaz de melhorar No campo da saúde, no qual os fenômenos que
e prolongar a vida, necessidade não só estabelecida envolvem o processo saúde-doença apresentam
pelos técnicos, mas também pelas pessoas, com suas múltiplas dimensões com outras políticas públicas, e
necessidades reais; necessidades como criação de mesmo na forma como a sociedade se desenvolve e
vínculos entre usuários e equipe profissional - organiza o setor, o pensamento complexo revela-se
vínculo entendido como o estabelecimento de uma como uma abordagem importante na compreensão
relação contínua no tempo, pessoal e intransferível, desses fenômenos em suas múltiplas dimensões, reli-
encontro de subjetividades e não apenas adscrição a gando-os, juntando-os.

Referências

1. Morin E. Meus demônios. São Paulo: Bertrand Brasil; 1993. 6. Cecílio LCO. As necessidades de saúde como conceito
2. Konder L. A dialética e o marxismo. Rev Trab Necessário. estruturante na luta pela integralidade e equidade na atenção
2003; Ano 1 (1). em saúde. In: Pinheiro R, Mattos R. Araújo, organizadores.
Os sentidos da integralidade na atenção e no cuidado à
3. Pascal B. Pensamentos. São Paulo: Nova Cultural; 1999.
saúde. Rio de Janeiro: UERJ; 2001. p. 113-26.
4. Mèszáros I. A teoria da alienação em Marx. São Paulo:
7. Stotz EM. Necessidade de saúde: mediações de um conceito
Boitempo; 2006.
(contribuição das Ciências Sociais para a fundamentação
5. Marx K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: teórico-metodológica de conceitos operacionais da área de
Martin Claret; 2003. planejamento em saúde) [tese doutorado]. Rio de Janeiro:
Escola Nacional de Saúde Pública; 1991.

Recebido em 14 de maio de 2007


Versão final apresentada em 4 de setembro de 2007
Aprovado em 25 de setembro de 2007

506 Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 7 (4): 503-506, out. / dez., 2007