CONCEITO E PROBLEMAS FUNDAMENTAIS

DE DIREITO
A Justiça, a Segurança e o Estado

A justiça liga-se a determinados elementos lógicos: • • • Proporcionalidade. O Direito ao possibilitar a realização pessoal e social do Homem alcançará a Justiça. Alteralidade.Justiça: é um princípio de ordenação social. visa regular as relações entre os cidadãos. . Igualdade.

.Pode. 2. 3.Por vezes utilização a designação “segurança” como referência à “paz”.Segurança Este conceito pode ser utlizado em vários sentidos: 1. ser utilizado o conceito de “segurança” como “certeza jurídica”. ainda.Pode também significar “segurança perante o Estado”.

governar a sua vida e orientar a sua conduta. no conhecimento prévio com que cada sujeito pode contar para. Sem este conceito a vida seria uma contínua surpresa e a estabilidade não existiria.Que se traduz. com base em expectativas firmes. tudo seria precário. .

• O princípio da ignotantia iuris non excusat ( artigo 6º do Código Civil). não deixando margem a ambiguidades de interpretação. • Princípio da não retroactividade da lei. • A norma que fixa a maioridade. . • A prescrição.Para este conceito contribuem: Leis formadas em termos claros e precisos. • A usucapião. • O caso julgado.

e a um grande esforço de precisão dos conceitos utilizados pela lei. Para este conhecimento ser mais cuidadoso e efetivo. a dogmática jurídica procede a uma sistematização das normas.A certeza jurídica pede que a regra de direito seja uma norma de caráter geral formulada com uma revisão suficiente para que os seus destinatários a possam conhecer antes de agir. .

Estes sacrifícios são prejudiciais para o Direito. . em certos casos.Relação entre a Justiça e a Segurança Normalmente os dois valores “caminham” juntos. Mas.Sacrificar a segurança para satisfazer a justiça. pode ser necessário: .Prescindir da justiça em prol da segurança. .

. uma ordem justa. se oferecer uma solução exigida pela própria justiça ou se com ela se harmonizar. A ordem jurídica é. a segurança só se pode aceitar se for justa. que visa através da concretização das suas disposições legais garantir a segurança.Pelo que. por natureza.

ESTADO É definido como uma comunidade territorial. constituída por governantes e governados. Logo. Estado corresponde a uma sociedade que se fixou num determinado território e se organizou politicamente em termos autónomos e soberanos. politicamente independente. .

. . .Função legislativa. . .Função administrativa. .Função política.ELEMENTOS: .Função jurisdicional. FUNÇÕES: .Poder político.Povo.Território.

cabendo antes àquele legitimar e limitar este último. 1. B) Mas. 2. por considerar como principal elemento do Estado o poder político.RELAÇÃO ENTRE O ESTADO E O DIREITO A) Existe uma corrente que identifica direito e Estado. 3. na verdade. O Estado deve obediência ao direito e está. o direito não se confunde com o Estado. O Estado é sujeito de direitos e obrigações. Quando o Estado dentro dos seus poderes cria normas jurídicas deve respeitar os princípios normativos. também. limitado pelo direito que cria. .

Ergue-se o Estado de Direito: • O ordenamento jurídico é um todo hierarquicamente estruturado. e tem na lei a sua fonte mais importante. • A ação administrativa é suscetível de recurso gracioso e contencioso. de forma a garantir a obediência à Constituição Política. . de forma a tutelar os direitos dos administrados. • Os direitos humanos fundamentais são consagrados e protegidos (direitos subjetivos públicos). • A legislação é jurisdicionalmente controlada.

SERÁ TODO O DIREITO ESTADUAL? O Direito moderno é. de produção legislativa. o direito transcende o Estado e traduz-se na manifestação da cultura de um povo. na sua maioria. . MAS. Direito de fonte não estadual. competindo ao Estado uma predominância na aplicação das normas e na resolução de litígios. fundamentalmente. a três níveis: a) b) c) Direito Internacional Direito das comunidades primitivas. O problema coloca-se.

Há uma corrente que nega o caráter jurídico ao Direito Internacional. consideramos que o direito internacional é um verdadeiro direito e não perde essa natureza pelo facto de não ser reconhecido por certo Estado. ou mesmo ser por ele hostilizado.A) Direito Internacional: conjunto de normas que regula as relações entre os Estados ou entre os Estados e outras entidades soberanas. . É um direito supraestadual que provém de um organismo externo que se sobrepõe aos órgãos de soberania de um país. por faltar um poder organizado e pela ausência de coercibilidade das suas normas. No entanto.

defesa e imposição das necessidades vitais. existem normas jurídicas. paz interna. e de uma organização sancionatória detalhada. se nas comunidades não dotadas de um poder efetivo. . Mesmo nestas comunidades existem normas particularmente obrigatórias para garantir a subsistência do grupo.B) O direito das comunidades primitivas: Surge o problema de perceber.

e a vontade legislativa dos seus órgãos. culturais. 1. Manifestando-se em: Princípios normativos. recreativas e profissionais. 4. 3. . Normas de associações desportivas.C) Direito de fonte não estadual: Casos em que o direito transcende o Estado. Normas de Direito Canónico. Costume. 2.