PRINCÍPIOS DIREITO ADMINISTRATIVO

Exercícios
1- A respeito dos princípios aplicáveis à Administração pública, é correto afirmar
que

A- o princípio da legalidade impede a edição de atos discricionários que pressupõem a
avaliação de conveniência e oportunidade.
B- a supremacia do interesse público sobre o privado autoriza o afastamento do princípio da
legalidade.
C- o princípio da eficiência, introduzido pela Emenda Constitucional nº 19/98, afasta a
necessidade de concurso público para admissões por sociedades de economia mista.
D- o princípio da segurança jurídica impede a Administração de anular os atos que já tenham
produzido efeito contra terceiros.
E- o princípio da moralidade administrativa não se resume a observância dos requisitos legais
para a prática do ato administrativo.

OBS: RESPOSTA E - O princípio da moralidade não se resume a observância da lei, uma
vez que o gestor público, além de agir de acordo com os mandamentos legais (legalidade
estrita), deve verificar, ainda, se o ato praticado não ofende a moral, os bons costumes, os
princípios de justiça e equidade, além da ideia de honestidade.

2 - Na atuação administrativa, não basta a legalidade formal, restrita; é preciso
também a observância de princípios éticos, de lealdade, de boa-fé. A assertiva em
questão refere-se ao princípio da
ABCDE-

Motivação.
Eficiência.
Moralidade.
Proporcionalidade.
Supremacia do interesse público.

OBS: RESPOSTA C - O agente/órgão público deve atuar com probidade, boa-fé,
lealdade seguindo padrões éticos de conduta (Art. 37, caput, CF 88 e Art. 2º caput
parágrafo único, IV, lei 9784/99.

3 - No processo administrativo, assim como nos processos judiciais, também

ABCDE-

vigoram normas sobre impedimento e suspeição das autoridades, de modo que,
caso tais hipóteses ocorram, elas devem ser reconhecidas proporcionando que as
decisões administrativas sejam proferidas de forma imparcial. Trata-se da
observância ao princípio da:
eficiência.
publicidade.
impessoalidade.
razoabilidade.
motivação.

OBS: RESPOSTA C - Impessoal é o que não pertence a uma pessoa em especial
(Caldas Aulete). ou seja que não pode ser voltado especialmente a determinada
pessoa.
Este princípio objetiva a igualdade de tratamento que a administração deve dar à
todos os administrados que se encontrem em idêntica situação jurídica (para que
haja impessoalidade deverá a administração voltar-se exclusivamente para o
interesse público.
4 - A conservação dos equipamentos e a melhoria e expansão dos serviços
públicos referem-se ao princípio da
ABCDE-

modicidade.
atualidade.
cortesia.
impessoalidade.
continuidade.

5 - A Administração pública sujeita-se a princípios previstos na Constituição
Federal de 1988. Dentre eles, o princípio da

A- legalidade, que exige a prática de atos expressamente previstos em lei, não se aplicando
quando se trata de atos discricionários.
B- moralidade, que se sobrepõe aos demais princípios, inclusive ao da legalidade.
C- impessoalidade, que impede a identificação do nome dos servidores nos atos praticados
pela administração.
D- publicidade, que exige, inclusive por meio da publicação em impressos e periódicos, seja
dado conhecimento da atuação da Administração aos interessados e aos administrados
em geral.
E- isonomia, que impede a edição de decisões distintas a respeito de determinado pedido,
independentemente da situação individual de cada requerente.

6 - Determinado servidor público, ao aplicar sanção a seu subordinado, assim o

ABCDE-

fez de forma excessiva e sem levar em conta as circunstâncias da falta disciplinar e
o anterior comportamento do funcionário, isto é, seus antecedentes funcionais. O
fato narrado caracteriza violação ao seguinte princípio da Administração Pública:
razoabilidade.
publicidade.
eficiência.
supremacia do interesse público.
presunção de veracidade.

7 - João obteve a primeira colocação na classificação final de determinado
concurso publico, conforme publicação realizada em jornal de grande circulação.
No entanto, foi nomeado mediante publicação em periódico diverso e de menor
circulação, o que o impossibilitou de tomar as providências necessárias à posse e

supremacia do interesse público.continuidade dos serviços públicos.os Municípios. não é apta a alcançar as finalidades de transparência e de conferir ciência ao nomeado. C. no caput de seu art. D. permitindo que a Administração promova mudanças no regime de execução de serviços para atendimento do interesse público. 37.a Administração é livre para agir na ausência de previsão legislativa. não podendo o contratado pleitear o reequilíbrio econômico-financeiro do contrato por se tratar de evento previsível. 9 . Interpretando-se essa norma em harmonia com os demais dispositivos constitucionais. 8 . com base em previsão legal.o Chefe do Poder Executivo participa do processo legislativo.é cabível a delegação do Congresso Nacional para que o Presidente da República disponha sobre diretrizes orçamentárias. diverso daquele em que os atos oficiais haviam sido até então publicados. visto que dificulta o acesso e a compreensão da informação veiculada. presunção de veracidade. . tendo iniciativa privativa para propor certos projetos de lei. D. que afasta a possibilidade do contratado pleitear o reequilíbrio econômico-financeiro do contrato.indisponibilidade do interesse público. não podendo a Administração pública se furtar a corrigir situação de desigualdade na prestação do serviço público. a observância.A Constituição Federal vigente prevê. não podendo ser feita distinção entre as condições de prestação do serviço a usuários em situação semelhante. do que ao disposto em leis municipais. esta entendeu por bem promover alterações no regime de execução. A convocação de João mediante singelo aviso genérico em jornal de pequena circulação. como aqueles sobre criação de cargos públicos na Administração direta federal. do princípio da legalidade. pela Administração Pública. sem prejuízo de eventual cabimento de reequilíbrio econômico-financeiro em favor do contratado.igualdade dos usuários. A situação narrada evidencia a violação ao seguinte princípio da Administração Pública: improbidade.supremacia do interesse público. Essa conduta da Administração pública encontra fundamento direto no princípio da A. mediante regular contratação com a Administração pública. temse que A. impondo alterações ao contratado para melhorias na esfera jurídica do usuário. C. E. depende de lei.ABCDE- entrada em exercício na função. devem antes atender ao disposto em leis estaduais ou federais.Durante a prestação de serviço público por particular. em qualquer hipótese. B.a extinção de cargos públicos. publicidade. por uma questão de hierarquia. motivação.mutabilidade do regime jurídico. E. B.

. 11 . dando publicidade a todos os seus atos. uma vez que não consta da constituição federal. mas deve ser respeitado nas mesmas condições que os demais. boa-fé.constitucional dirigido à Administração Pública para que seja organizada e dirigida de modo a alcançar os melhores resultados no desempenho de suas funções.10 .A propósito dos princípios que informam a atuação da Administração pública tem-se que o princípio da A. controle sobre as autarquias que instituir. na medida em que esta não encontra guarida expressa no texto constitucional. devendo. de acordo com o caso concreto. moralidade. sem pretender esgotar o conceito. em eventual conflito. permitindo que a decisão da Administração sempre se sobreponha ao interesse do particular. inclusive consórcios públicos. prevalecer o primeiro.constitucional que se presta a exigir a atuação da Administração Pública condizente com a moralidade. Impessoalidade e Publicidade. do qual se retira especificamente a presunção absoluta de legalidade de seus atos.publicidade está implícito na atuação da administração. Com base nestas informações. Moralidade e Impessoalidade.autotutela permite o controle dos atos praticados pelos entes que integram a administração indireta. razão pela qual cabe ao administrador a opção de escolha dentre eles.Um político ou um servidor utiliza sua verba de representação ou cartão ABCDE- corporativo em negócios não previstos à sua condição de pessoa pública ou do exercício profissional.eficiência e o princípio da legalidade podem ser excludentes. entre outros. B. ao princípio da ABCDE- proporcionalidade. Moralidade e Legalidade. D. 37 da Constituição de 1988. Publicidade e Finalidade.constitucional que rege a Administração Pública.infralegal dirigido à Administração Pública para que ela seja gerida de modo impessoal e transparente.Segundo a literalidade do caput do art. os princípios de administração pública atingidos são: Legalidade e Publicidade. para garantia da observância de suas finalidades institucionais.Pode-se. a Administração pública obedecerá. 12 . razoabilidade. C. B. em algum grau e medida. por sobrepor-se a todos os demais. igualdade.tutela permite que a administração pública exerça.supremacia do interesse público e o princípio da legalidade podem ser excludentes. C. E. 13 . E. definir o princípio da eficiência como princípio A.infralegal que positivou a supremacia do interesse público. D.

Refere-se à conduta da administração pública. exige resultados positivos para o serviço público e satisfatório atendimento das necessidades da comunidade e de seus membros. eficiência. B. especialidade. para produzir resultados que satisfaçam as necessidades da população.publicidade não é elemento formativo do ato. e para o administrador público significa deve fazer assim. de maneira rápida.Impessoalidade. D.14 . Refere-se aos atos administrativos de levar ao conhecimento público informações e dados referentes a processos e performance das esferas de governo. publicidade. independentemente de seu nível hierárquico. legitimidade e moralidade. o superior hierárquico impõe aos seus subordinados.Efetividade. tratando de forma indiscriminada cidadãos e usuários de serviços públicos de qualquer esfera de governo.eficiência. . impessoalidade e eficiência. é requisito de eficácia e moralidade. interesse público e discricionariedade.Impessoalidade. E.Os princípios da Administração Pública brasileira foram acrescidos de outro por ocasião de emenda O novo princípio e seu significado para a gestão pública é: constitucional. A. C. viola.lei para o particular significa pode fazer assim. além de desempenhada com legalidade. 17 . 15 . C. precisa e ágil. ao remover determinado Servidor Público. com o objetivo de vingança. D. Refere-se à base da Lei de Responsabilidade Fiscal. interesse público e eficiência. B. que deve agir. dentre outros. impessoalidade. Refere-se à busca de performance maximizada e constante da área pública. que impõe aos governantes e administradores neutralidade em suas ações.Tendo em vista os princípios constitucionais que regem a Administração Pública é INCORRETO afirmar que a A. 16 .O Administrador Público.Eficiência. no sentido de obter resultados com foco nos objetivos e na utilização plena e econômica de recursos humanos e materiais.moral administrativa é o conjunto de regras que.Publicidade. para disciplinar o exercício do poder discricionário da Administração. Refere-se ao tipo de tratamento em que os agentes públicos devem pautar sua ética. sejam atuais ou futuras. o princípio da ABCDE- proporcionalidade.A inexistência do princípio da publicidade nos atos externos da Administração ABCDE- Pública enseja sua anulação por ausência de eficiência e eficácia. valorizando equitativamente os atores sociais e o público em geral.

impessoalidade permite ao administrador público buscar objetivos ainda que sem finalidade pública e no interesse de terceiros. apenas aquilo que as leis expressamente autorizarem ou determinarem.a faculdade de anular os atos administrativos por razões de oportunidade e conveniência. sendo-lhe vedada a imposição de qualquer restrição ou limitação. D. exceto nos atos discricionários.É dever de todo agente público agir em favor do interesse da maioria da população independentemente da lei. atendendo ao interesse público.restrição à esfera de direitos dos administrados. fazer tudo aquilo que a lei não proíbe. observado o prazo decadencial. aquilo que o bom senso e a ética aprovarem. E.o dever de revogar os atos administrativos por vício de ilegalidade. 20 . B.a anulação dos atos administrativos eivados de vício de ilegalidade. agir somente quando expressamente autorizado pela lei. ABCDE- 21 . E.O princípio da legalidade. exceto quando se tratar de poder discricionário. B. D.permissão para a Administração Pública praticar todos os atos que a lei não proíba.E.De acordo com o princípio da legalidade o administrador público pode fazer tudo o que a lei não proibir expressamente.a possibilidade de revogar os atos ilegais que tenham sido praticados no âmbito da Administração. ABCDE- 18 . tudo aquilo que julgar compatível com o interesse público. evitar qualquer ato que não esteja de acordo com seus princípios morais.A autotutela que informa a atuação da Administração Pública compreende A. expressa-se. quando dirigido à Administração Pública. apenas aquilo que as normas sociais considerarem moralmente adequado. visando o bem da comunidade. C.limitação da esfera de atuação da Administração Pública para imposição de restrição aos direitos dos administrados. entre outras hipóteses. . fazer somente aquilo que a lei determina. C.o dever de anular os atos administrativos por razões de oportunidade e conveniência. que dispensa previsão legal. 19 .obrigação de respeitar integralmente os direitos individuais dos administrados.concessão de benefícios a servidores valendo-se como fundamento exclusivamente a analogia. atendendo ao interesse público. retroagindo seus efeitos à data da edição do ato. na A.

22 . E.De acordo com a Constituição Federal.integrantes da Administração Pública direta e indireta e às entidades privadas que recebam recursos ou subvenção pública. 26 . prestadoras de serviço público.de direito público. perfeição e rendimento funcional. excluídas as empresas públicas e sociedades de economia mista que atuam em regime de competição no mercado. B. exceto o princípio da eficiência que é dirigido às entidades da Administração indireta que atuam em regime de competição no mercado.Um dos princípios da Administração Pública exige que a atividade administrativa seja exercida com presteza. exclusivamente. publicidade. independentemente do seu custo. publicidade e eficiência.De acordo com a Constituição Federal. sempre utilizar a tecnologia mais avançada. independentemente da qualidade. D.à Administração direta.integrantes da Administração Pública direta e indireta. unicidade.às entidades integrantes da Administração direta e indireta de qualquer dos Poderes. parcialmente. e à indireta de todos os poderes e às entidades privadas que recebem recursos públicos. exceto às sociedades de economia mista exploradoras de atividade econômica.públicas ou privadas.à Administração direta.de direito público e privado. 23 . independente das demandas individuais dos cidadãos. alcançar o melhor resultado possível no menor tempo e ao menor custo. 24 . impessoalidade.às entidades da Administração direta e indireta. C. ainda que não integrantes da Administração Pública. traduz o princípio da legalidade. autárquica e fundacional. Tais princípios aplicam-se às entidades A. D. C. atender a todos de forma idêntica. constituem princípios aplicáveis à Administração Pública os da legalidade. 25 . sujeitandose as entidades da Administração indireta ao controle externo exercido pelo Tribunal de Contas. impessoalidade.à Administração direta. os princípios da Administração Pública aplicam-se: A. moralidade. B.Para atender ao princípio constitucional básico da eficiência o agente público deve ABCDE- reduzir ao máximo os custos dos serviços públicos. prestar conta das atividades realizadas com clareza e presteza aos órgãos de controle.A ideia de que a Administração tem que tratar todos os administrados sem ABCDE- discriminações. E. independentemente da natureza pública ou privada da entidade. integralmente. exclusivamente. indisponibilidade. A função administrativa .

se tiver certeza de não ferir interesses privados. 30 . exigindo resultados positivos para o serviço público e satisfatório atendimento das necessidades da comunidade e de seus membros. a jurisprudência tende a universalizar-se.o controle de seus próprios atos. C. de acordo com a consciência do cumprimento do dever.o costume não é considerado fonte do Direito Administrativo. 29 . B. depois de consultados seus superiores hierárquicos. eficiência. ordenando. (Hely Lopes Meirelles. a Administração e seus agentes têm de atuar na conformidade de princípios éticos. D. inerente à atuação estatal. E.ABCDE- já não se contenta em ser desempenhada apenas com legalidade. nos termos estabelecidos explicitamente pela lei.tanto a Constituição Federal como a lei em sentido estrito constituem fontes primárias do Direito Administrativo. o agente público só pode agir ABCDE- quando não houver custo elevado para a administração pública. publicidade. ela sempre obriga a Administração Pública.tendo em vista a relevância jurídica da jurisprudência. cada qual com atribuições definidas em lei.embora não influa na elaboração das leis. o próprio Direito Administrativo. 28 .a relação de coordenação e subordinação entre uns órgãos da Administração Pública e outros.No cumprimento estrito do princípio da legalidade.uma das características da jurisprudência é o seu universalismo. O conceito refere-se ao princípio da impessoalidade.No que concerne à Administração Pública. o princípio da especialidade tem por característica A. assim. legalidade. moralidade. Direito Administrativo Brasileiro). B.a descentralização administrativa através da criação de entidades que integram a Administração Indireta. a doutrina exerce papel fundamental apenas nas decisões contenciosas. enquanto a doutrina tende a nacionalizar-se.a fiscalização das atividades dos entes da Administração Indireta.a identificação com o princípio da supremacia do interesse privado.No que concerne às fontes do Direito Administrativo. C. é correto afirmar que: A.. 27 . D. com possibilidade de utilizar-se dos institutos da anulação e revogação dos atos administrativos. E.. (.) Compreendem- .O Jurista Celso Antônio Bandeira de Mello apresenta o seguinte conceito para um dos princípios básicos da Administração Pública: De acordo com ele. ou seja.

moralidade. eficiência e publicidade. razoabilidade. 32 . em síntese. da Constituição Federal. impessoalidade. os chamados princípios da lealdade e boa-fé. publicidade e proporcionalidade. modernidade das técnicas. .São princípios da Administração Pública. significa igualdade entre os usuários dos serviços contratados. o direcionamento da atividade e dos serviços ABCDE- públicos à efetividade do bem comum. publicidade. eficiência. motivação. legalidade. ABCDE- eficiência.A conduta do agente público que se vale da publicidade oficial para realizar promoção pessoal atenta contra os seguintes princípios da Administração Pública: ABCDE- razoabilidade e legalidade. a imparcialidade. expressamente previstos no artigo 37. 33 . Trata-se do princípio da motivação. a neutralidade. eficiência. moralidade e proporcionalidade. finalidade e legalidade. como é evidente. caput. moralidade e impessoalidade. eficiência.ABCDE- se em seu âmbito.Um dos princípios concernentes aos serviços públicos denomina-se princípio da ABCDE- atualidade. moralidade. a participação e aproximação dos serviços públicos da população. bom tratamento para com o público usuário do serviço contratado. a desburocratização e a busca da qualidade são características do princípio da publicidade. impessoalidade e moralidade. razoabilidade no valor atualizado das tarifas exigidas. legalidade. 31 . motivação e eficiência. que. legalidade. razoabilidade e moralidade.No tocante à Administração Pública. melhoria e expansão do serviço. razoabilidade e legalidade. dentre outros. 34 . continuidade na prestação do serviço público. a eficácia.

sua ficha funcional é boa e não desabona sua atuação. são consequências do seguinte princípio. postulou no Judiciário a anulação da pena. causou prejuízo ao fisco na ordem de trinta reais.35 . impessoalidade. inerente ao regime jurídico dos serviços públicos: igualdade dos usuários. a pena de demissão é ato extremo que deve ser efetivado apenas em casos gravíssimos. supremacia do interesse público. generalidade. autotutela.O princípio segundo o qual a Administração Pública Direta fiscaliza as atividades ABCDE- dos entes da Administração Indireta denomina-se: finalidade. O exemplo citado refere-se ao restabelecimento dos princípios.Carlos.Nos contratos administrativos. motivação e moralidade. Tal fato acarretou sua demissão do serviço público. a imposição. continuidade do serviço público. o que foi acolhido pelos seguintes fundamentos: o servidor procurou regularizar o erro. ao preencher incorretamente documento de arrecadação do tesouro. que devem sempre nortear a atuação da Administração Pública: ABCDE- moralidade e impessoalidade. Trata-se do princípio da ABCDE- moralidade. a quantia inferior recolhida é irrisória. .O Jurista Celso Antônio Bandeira de Mello apresenta o seguinte conceito: Este princípio enuncia a ideia de que as competências administrativas só podem ser validamente exercidas na extensão e intensidade correspondentes ao que seja realmente demandado para cumprimento da finalidade de interesse público a que estão atreladas. de ABCDE- prazos rigorosos ao contraente. controle. legalidade. 37 . bem como a inaplicabilidade da exceptio non adimpleti contractuscontra a Administração. proporcionalidade. mutabilidade do regime jurídico. eficiência. modicidade. 38 . legalidade. eficiência e motivação. buscando recolher aos cofres públicos a quantia inferior recolhida. Em razão disso. 36 . probidade e eficiência. pela Administração Pública. auditor fiscal do tesouro nacional. razoabilidade e proporcionalidade.

proporcionalidade. 43 .O princípio da administração pública que tem por fundamento que qualquer atividade de gestão pública deve ser dirigida a todos os cidadãos. legalidade. flexibilidade. segurança jurídica. transparência administrativa. indisponibilidade e finalidade. impessoalidade.Dentre os princípios básicos da Administração. Moralidade. restrições e sanções ABCDE- em medida superior àquelas estritamente necessárias ao atendimento do interesse público. razoabilidade. proporcionalidade. Finalidade. flexibilidade. motivação. da impessoalidade. sob o fundamento de que o ato pertence ao órgão e não ao agente público. eficiência e impessoalidade.O reconhecimento da validade de ato praticado por funcionário irregularmente ABCDE- investido no cargo ou função. 42 . Impessoalidade. participação cidadã. do controle ou tutela. publicidade e eficiência. decorre do princípio da especialidade. 40 . moralidade. subsidiariedade. conforme o artigo 37 da Constituição Federal.Quando se fala em vedação de imposição de obrigações. legalidade e impessoalidade. 41 . publicidade e eficiência. NÃO se inclui o da celeridade da duração do processo.39 . participação cidadã. . moralidade. impessoalidade. impessoalidade. Legalidade. da hierarquia. da moralidade. continuidade. sem a determinação de pessoa ou discriminação de qualquer natureza. impessoalidade. moralidade. obedece aos princípios da ABCDE- ABCDE- legalidade. moralidade. denomina-se ABCDE- Eficiência. participação cidadã. está-se referindo ao princípio da legalidade.A administração pública brasileira.

moralidade. moralidade. autoexecutoriedade.Quando se afirma que o particular pode fazer tudo o que a lei não proíbe e que a Administração só pode fazer o que a lei determina ou autoriza. contradição.44 . vez que é sempre o interesse público que tem que nortear o seu comportamento. obediência. C. a Administração não pode atuar com vistas a prejudicar ou beneficiar pessoas determinadas. 45 .A imposição de que o administrador e os agentes públicos tenham sua atuação pautada pela celeridade. proporcionalidade. E. preservando assim. ela depende de lei. eficiência. a imoralidade administrativa produz efeitos jurídicos porque acarreta a invalidade do ato que pode ser decretada pela própria Administração ou pelo Judiciário.Sobre os princípios básicos da Administração Pública. moralidade. perfeição e rendimento funcional.Embora não se identifique com a legalidade. perfeição técnica e economicidade traduz o dever de ABCD- agir. está em consonância direta com o princípio da ABCDE- indisponibilidade do interesse público. segurança jurídica. reconhecida nas Súmulas 346 e 473 do Supremo Tribunal Federal. 46 . por simples ato administrativo.A capacidade da Administração Pública de poder sanar os seus atos irregulares ou de reexaminá-los à luz da conveniência e oportunidade. para tanto.O princípio da segurança jurídica veda a aplicação retroativa de nova interpretação de lei no âmbito da Administração Pública. estamos diante do princípio da ABCDE- legalidade. . criar obrigações ou impor vedações aos administrados. autotutela. situações já reconhecidas e consolidadas na vigência de orientação anterior. B. conceder direitos de qualquer espécie. é INCORRETO afirmar: A. prestação de contas. a Administração Pública não pode. 47 .O princípio da eficiência alcança apenas os serviços públicos prestados diretamente à coletividade e impõe que a execução de tais serviços seja realizada com presteza.Em observância ao princípio da impessoalidade.Em decorrência do princípio da legalidade. D. pois a lei pode ser imoral e a moral pode ultrapassar o âmbito da lei. obrigatoriedade.

razoabilidade. C.É mencionado expressamente no "caput" do artigo 37 da Constituição Federal de ABCDE- 1988. motivação. aplica sanção administrativa de demissão a servidor que se ausentou do serviço durante o expediente. como um dos princípios básicos da Administração. dentre outros. eficiência. é o princípio da A. sob pena de invalidade jurídica.48 . A. 52 – O princípio que norteia a gestão pública em que. eficácia.é elemento formativo do ato.legalidade. 50 . D. B. qualquer atividade pública deve ser dirigida a todos os cidadãos.Agente público que.é obrigatória apenas para os órgãos a Administração direta. sem a determinação de pessoa ou discriminação de qualquer natureza.A publicidade. B. probidade. C. deve ser observada em todo e qualquer ato administrativo. impessoalidade. supremacia do interesse público. . moralidade. sendo competente e adotando regular processo disciplinar ABCDE- com direito ao contraditório e ampla defesa. infringe. 49 . o princípio da razoabilidade. decorre da observância ao princípio da ABCDE- responsabilidade administrativa. 51 . eficiência. salvo no período eleitoral. o princípio da efetividade. sendo facultativa para as entidades da Administração indireta. impessoalidade. eficiência.A conformação dos atos da Administração Pública aos padrões éticos dominantes na sociedade para a gestão dos bens e interesses públicos. proporcionalidade.impessoalidade. sem autorização do chefe imediato.moralidade.é a divulgação oficial do ato para conhecimento público e início de seus efeitos externos.também pode ser usada para a promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos. sem exceção.

considere: I. C. O administrador público está. eficiência. pode ser feita por decreto. escrita e televisivada atende ao princípio da publicidade.exigência de que todos os atos praticados pelo Poder Executivo contem com prévia autorização legislativa específica. É necessária a divulgação oficial do ato administrativo para conhecimento público e início de seus efeitos externos. 56 - Sobre os princípios básicos da Administração. B. não produzindo.As edições eletrônicas do Diário Oficial da União são meramente informativas. respectivamente.Se a lei não exigir a publicação em órgão oficial. em toda a sua atividade funcional.igualdade. contratos e outros instrumentos jurídicos. E.obrigatoriedade de lei para fixação e aumento de remuneração dos servidores públicos.D. indicando os fatos que ensejam o ato e os preceitos jurídicos que autorizam sua prática. B.obrigatoriedade de lei para criação de cargos. C. inclusive aqueles submetidos ao regime da Consolidação das Leis do Trabalho.obrigatoriedade de edição de lei para disciplinar a organização e o funcionamento da Administração Direta. a publicidade terá sido alcançada com a simples afixação do ato em quadro de editais. Estão enunciados acima. caput.continuidade.não-obrigatoriedade de lei para a criação de órgão público. moralidade. em nenhuma hipótese.NÃO constitui princípio informativo do Direito Administrativo a publicidade. inclusive os normativos.A aplicação do princípio da legalidade. colocado em local de fácil acesso do órgão expedidor. quando vagos. traz como consequência a A. D. que. O administrador público deve justificar sua ação administrativa. 53 . 54 .A publicidade é elemento formativo do administrativo.Sobre o princípio da publicidade.A publicação de atos. pessoalidade. E. os mesmos efeitos que as edições impressas. é correto afirmar: A. sujeito aos mandamentos da lei e às exigências do bem comum. legalidade. pode ser resumida. II. os princípios da . mas não para a sua extinção. III. expresso no artigo 37. da Constituição Federal. D. ABCDE- 55 . E.A veiculação de notícias de atos da Administração pela imprensa falada. quando implicar ou não aumento de despesa.

segurança jurídica. 60 - Sobre os princípios da Administração Pública. sem exceção. Os princípios da eficiência e da impessoalidade. traduz o princípio da supremacia da prevalência do interesse público. O princípio da fundamentação exige que a Administração Pública indique os . 57 . eficiência e finalidade. o atendimento a fins de interesse geral. legalidade e praticidade. salvo autorização em lei. a delegação e a substituição. considere: I. 59 . dentre outros critérios. refere-se ao dever de ABCDE- eficiência. razoabilidade e supremacia do interesse público. legalidade. legalidade e publicidade. eficiência. autotutela. honestidade e boa-fé. A regra estabelecida na Lei no 9. III. veracidade.ABCDE- oficialidade. supremacia do interesse público. legalidade. supremacia do interesse público e veracidade. publicidade. e a necessidade de institutos com a suplência. não estão expressamente previstos na Constituição Federal. de todos os atos praticados pela Administração Pública. supremacia do interesse público e razoabilidade.A regra geral de proibição de greve nos serviços públicos. legalidade. razoabilidade. IV. discricionariedade. previsto na Constituição Federal. de ampla aplicação no Direito Administrativo. O princípio da publicidade. moralidade administrativa. eficiência e razoabilidade.A exigência de que o administrador público. a faculdade de a Administração utilizar equipamentos e instalações de empresa que com ela contrata. são consequências do princípio da: ABCDE- continuidade do serviço público. publicidade. supremacia do bem comum e motivação. exige a ampla divulgação. II. moralidade e autotutela. moralidade. legalidade e motivação. probidade. publicidade. vedada a renúncia total ou parcial de poderes ou competências.São princípios da Administração Pública expressamente previstos na Constituição ABCDE- da República Federativa do Brasil: especialidade.784/99 de que o processo administrativo deve observar. no desempenho de suas atividades. 58 . deve atuar sempre com ética.

O princípio da autotutela significa o controle que a Administração exerce sobre outra pessoa jurídica por ela mesma instituída. sem exceção. previstos em leis esparsas. C. IV. E. B. I. D.A publicidade é elemento formativo do ato e serve para convalidar ato praticado com irregularidade quanto à origem. B.a aplicação retroativa de nova interpretação desfavorável aos interesses do particular encontra respaldo no princípio da segurança jurídica. D. é correto afirmar que: A. B. C. C.Sobre os princípios básicos da Administração Pública. D. O princípio da publicidade é absoluto.o princípio da motivação é exigível apenas nos atos discricionários.Sobre os princípios da Administração Pública.Sobre os princípios básicos da Administração Pública. a Administração pode fazer tudo o que a lei não proíbe. II e III. é correto afirmar: A.O princípio da especialidade é concernente à ideia da centralização administrativa. sem .Por força do princípio da publicidade todo e qualquer ato administrativo.O princípio da continuidade do serviço público é a possibilidade de reeleição dos chefes do poder executivo.o princípio da eficiência sobrepõe-se a todos os demais princípios da Administração. 61 . E. pois. aos quais se sujeita a Administração Pública.Segundo o princípio da legalidade. 62 . no sentido de que todo ato administrativo.Os princípios da segurança jurídica e da supremacia do interesse público não estão expressamente previstos na Constituição Federal. perfeição e rendimento funcional. E.ABCDE- fundamentos de fato e de direito Está correto o que se afirma SOMENTE em de seus atos e decisões.Em razão do princípio da moralidade o administrador público deve exercer as suas atividades administrativas com presteza. ou. outros princípios existem. 37 da Constituição Federal não é taxativo. 63 . III.A respeito dos princípios básicos da Administração. mesmo.os princípios da ampla defesa e do contraditório devem ser observados tanto nos processos administrativos punitivos como nos não punitivos.O art. é correto afirmar: A. deve ser publicado em jornal oficial. não expressamente contemplados no direito objetivo.o princípio da supremacia do interesse público não precisa estar presente no momento da elaboração da lei. II e III. mas apenas quando da sua aplicação em concreto.O princípio da segurança jurídica permite a aplicação retroativa de nova interpretação de norma administrativa. considere: I. 64 . II e IV.

tem liberdade de atuação em matérias que lhes são atribuídas por lei. 65 . ampla defesa e contraditório. no sentido de excluir a promoção pessoal das autoridades ou servidores públicos sobre suas realizações administrativas.impede sua apreciação pelo Poder Judiciário. outro. C. autotutela e continuidade dos serviços públicos.sujeita-se ao controle do Poder Judiciário. O princípio da impessoalidade tem dois sentidos: um relacionado à finalidade. motivação e razoabilidade. IV.torna verdadeiros. 66 . B. I e IV. C. B. E.ABCDE- exceção. 67 . publicidade.permite que a sua legalidade seja questionada. moralidade. proporcionalidade.Indireta fica sujeita a controle dos órgãos de fiscalização do Ministério do Planejamento mesmo que tenham sido criadas por outro Ministério. III e IV. segurança jurídica e finalidade.São princípios da Administração Pública NÃO previstos expressamente na Lei ABCDE- Federal que regula o Processo Administrativo.Direta fiscaliza as atividades das entidades da Administração Indireta a ela vinculadas.O princípio da autotutela significa que a Administração Pública A. legalidade. interesse público e eficiência. III. A necessidade de institutos como a suplência.O princípio da presunção de legalidade dos atos administrativos: A. no sentido de que ao administrador se impõe que só pratique o ato para o seu fim legal. é consequência do princípio da eficiência. . em caráter absoluto. I e III. com a possibilidade de anular os ilegais e revogar os inconvenientes ou inoportunos. embora o ato seja considerado válido até decisão em contrário.exerce o controle sobre seus próprios atos. independentemente de recurso ao Poder Judiciário. os fatos alegados pela Administração como motivos para edição do ato. II e III. a delegação e a substituição para preencher as funções públicas temporariamente vagas. razoabilidade. que pode anular ou revogar os atos administrativos que forem inconvenientes ou inoportunos. É correto o que se afirma APENAS em I e II. D. II. deve ser publicado. Por força do princípio da segurança jurídica não é possível retroagir interpretação de lei a casos já decididos com base em entendimento anterior.

vedada imposição de obrigações. A atuação da Administração Pública deve sempre ser dirigida a todos os administrados em geral.A respeito dos princípios básicos da Administração Pública.consistem no conjunto de proposições que embasa um sistema e lhe garante a validade. aos princípios da ABCDE- eficiência e impessoalidade.ficam restritos àqueles expressamente previstos na Constituição Federal.é incompatível com os demais princípios administrativos e constitui exceção ao regime jurídico de direito público. B. considere: I. II.apresenta princípios aplicáveis apenas à Administração Direta. E.são normas previstas em regulamentos da Presidência da República sobre ética na Administração Pública. 68 .ficam restritos àqueles expressamente previstos na Constituição Federal e nas Constituições Estaduais. sem discriminação de qualquer natureza. legalidade e impessoalidade.Os princípios informativos do Direito Administrativo A. impessoalidade.O artigo 37 da Constituição federal estabelece que a Administração Pública obedecerá aos princípios da “legalidade. Essas afirmações referem-se.contém princípios cuja aplicabilidade depende da edição de legislação complementar. D. 71 .apresenta os princípios ordenados hierarquicamente entre si. publicidade e eficiência”. D.D. 69 . considere: I.consiste em regra de observância facultativa pela Administração Pública.permite ao Poder Judiciário analisar apenas seus aspectos de constitucionalidade. eficiência e legalidade. II. perfeição e rendimento funcional. B. Essa enumeração: A. Conjunto de princípios ou padrões morais que norteiam a conduta dos agentes públicos no exercício de suas funções e a prática dos atos administrativos. não de legalidade. dada a natureza peculiar dos princípios. Adequação entre meios e fins. moralidade. respectivamente. C. restrições e .não esgota os princípios constitucionais da Administração Pública. impessoalidade e legalidade. 70 - Sobre os princípios básicos da Administração. E. C. E. Exigência de que a atividade administrativa seja exercida com presteza. moralidade e eficiência.são regras estabelecidas na legislação para as quais estão previstas sanções de natureza administrativa.

autotutela e disponibilidade. A atuação do órgão público é imputada à pessoa jurídica que ele integra. para que tenham eficácia. eficiência e publicidade. em nome próprio e por sua conta e risco. eficiência. obra ou serviço público. impessoalidade. considere: I.Com relação aos princípios constitucionais da Administração Pública. Órgãos superiores são os originários da Constituição e representativos dos Poderes de Estado. 74 . moralidade. aos princípios da: ABCDE- eficiência e impessoalidade.ABCDE- sanções em medida superior àquelas estritamente necessárias ao atendimento do interesse público. legalidade. continuidade e moralidade. capacidade. III. II. Agentes credenciados são os particulares que recebem a incumbência de executar determinada atividade. legalidade e finalidade. objetividade. considere: I. 75 . indisponibilidade e finalidade. publicidade e eficiência. Os itens I e II referem-se. símbolo ou imagens . 72 . razoabilidade. Está correto o que consta APENAS em I.A exigência de que o serviço público seja eficaz e que atenda plenamente a necessidade para a qual foi criado e a exigência de que os atos administrativos. eficiência e proporcionalidade. impessoalidade. 73 ABCDE- - No que se refere aos órgãos e agentes públicos. A Constituição Federal proíbe expressamente que conste nome. autotutela e finalidade. moralidade e publicidade. impessoalidade e publicidade. capacidade.Os princípios da Administração Pública estabelecidos expressamente na Constituição Federal são ABCDE- eficiência. referem-se. II. II e III. publicidade e eficiência. respectivamente. pessoalidade. sem qualquer subordinação hierárquica ou funcional. aos princípios da finalidade e adequabilidade. razoabilidade. I e II. moralidade e proporcionalidade. I e III. devam ter divulgação oficial. mas o órgão não pode representá-la juridicamente. moralidade. razoabilidade. finalidade e publicidade. eficiência. respectivamente.

programas. Os atos e provimentos administrativos são imputáveis não ao agente que os pratica. respectivamente. II. legalidade e impessoalidade. eficiência e impessoalidade. . hierarquia e finalidade pública. a avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade. eficiência e publicidade. II. obras. moralidade e legalidade. respectivamente. serviços e campanhas dos órgãos públicos.No que tange aos princípios da Administração Pública. aos princípios da impessoalidade e eficiência.ABCDE- que caracterizem promoção pessoal de autoridade ou servidores públicos em publicidade de atos. A Constituição Federal exige. impessoalidade e moralidade. que é o autor institucional do ato. mas ao órgão ou entidade da Administração Pública. As proposições citadas referem-se. Todo agente público deve realizar suas atribuições com presteza. perfeição e rendimento funcional. como condição para a aquisição da estabilidade. aos princípios da ABCDE- impessoalidade e eficiência. razoabilidade e eficiência. considere: I. As afirmações citadas correspondem. 76 . publicidade e moralidade.