II SEMINÁRIO DE PESQUISA, INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO

DESENVOLVIMENTO REGIONAL: Pesquisa e Intervenção Social
22 a 26 de outubro de 2012
Artigo em fase de publicação pela Revista Científica Eletrônica do
II Seminário Diálogos Multidisciplinares da Faculdade Guarapuava - 2012

PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICOS E SOCIAIS DO MUNICÍPIO DE
PINHÃO - PR.
Sérgio Cristóvão Zarpellon1
Gabriela Nogueira Correia2
Lindamir Camargo de Freitas3

RESUMO: Este estudo apresenta os principais indicadores econômicos e sociais do
município de Pinhão – PR. Os indicadores foram identificados através de uma pesquisa
exploratória, descritiva e bibliográfica e, principalmente, por meio da coleta de dados em
fontes secundárias e pelo levantamento de bibliografia específica. Ainda, os dados foram
organizados e comentados baseando-se nos aspectos gerais do Município, populacionais,
sociais, infraestrutura e econômicos. A utilização dos indicadores identificados podem
potencializar caminhos que levem à realização, no município, de debates, análises, discussões,
outros estudos e, ainda, o município poderá identificar estratégias através de políticas públicas
adequadas para enfrentar os indicadores negativos, preservar e melhorar os indicadores positivos.
Palavras-chave: Indicadores Socioeconômicos. Infraestrutura. População. Pinhão - PR.

1. INTRODUÇÃO
Este estudo tem por finalidade identificar e organizar os principais indicadores
econômicos e sociais de interesse do município de Pinhão, localizado na região centro sul do
estado do Paraná.
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE realizou o último Censo
populacional em 2010 e, em função disso, ocorreu a atualização de vários indicadores
econômicos e sociais, cujo acesso organizado a esses indicadores são importantes para o
conhecimento das instituições, organizações, da sociedade em geral e, principalmente, para a
elaboração de políticas públicas com base em dados e informações atualizadas e confiáveis.
O principal objetivo desta pesquisa foi identificar, nas mais importantes fontes de
informação do país, dados e séries históricas dos principais indicadores econômicos e sociais
do município em tela.
Para isso, realizou-se, no período de julho a setembro de 2012, uma pesquisa
exploratória, descritiva e bibliográfica, através da coleta de dados de fontes secundárias, do
levantamento de bibliografia relacionada ao estudo, consultas a sites, artigos publicados,
livros, revistas, dentre outros (VERGARA, 2007, p. 46-47).

1
2
3

Professor Mestre em Administração na Faculdade Guarapuava, e-mail: sczarpellon@bol.com.br
Acadêmica do 2º período curso de Administração da Faculdade Guarapuava, e-mail: gabrielapho_nogueira@hotmail.com
Acadêmica do 7º período do curso de Administração da Faculdade Guarapuava, e-mail: lindamircamargodefreitas@hotmail.com

2

Foram identificadas séries históricas dos principais indicadores econômicos e sociais
com base nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, do Instituto
Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social - IPARDES e no Índice de
Desenvolvimento Humano – IDH.
Cabe destacar que os indicadores foram organizados e comentados baseando-se nos
aspectos gerais do Município, populacionais, sociais, infraestrutura e econômicos.
Finalmente, após a identificação dos dados e dos principais indicadores, estes foram
organizados para que seja facilitado o acesso às informações pelas entidades, poder público,
empreendedores, instituições de ensino, pesquisadores, estudantes e sociedade, em geral.
Esse estudo, sem esgotar o assunto, poderá ser utilizado pelas instituições públicas,
organizações privadas, empresas, escolas, professores, estudantes e pelos demais interessados,
para as mais variadas discussões sobre a realidade da localidade, para a elaboração de
programas e projetos, entre outras ações, baseadas na realidade dos fatos, dados e informações
colhidas.
O presente artigo foi organizado, inicialmente, por meio de consulta ao referencial
teórico específico, que apresenta conceitos relacionados ao tema. Destacam-se os principais
indicadores econômicos e sociais do município, organizados e comentados e, por fim,
apresenta considerações finais, destacando os limites do estudo, sugestões e possível
contribuição.

2. REFERENCIAL TEÓRICO

O conhecimento dos indicadores econômicos e sociais por parte da localidade, da
região ou do país, é necessário e importante para a construção de políticas públicas que visem
a melhoria de qualidade de vida da população.
Segundo a definição de JANNUZZI (200, p.15),
um indicador social é uma medida em geral quantitativa dotada de significado social
substantivo, usado para substituir, quantificar ou operacionalizar um conceito social
abstrato, de interesse teórico (para pesquisa acadêmica) ou programático (para
formulação de políticas). É um recurso metodológico, empiricamente referido, que
informa algo sobre um aspecto da realidade social ou sobre mudanças que estão se
processando na mesma.

Nesse sentido, esses recursos metodológicos permitem modelar, ou seja, mostrar a
realidade sócio-econômica da sociedade em uma determinada região, ou mesmo em empresas
e servem para uma comparação entre níveis de desenvolvimento.
SANTAGADA (2007, p. 121) descreve que:

3

A investigação no campo dos indicadores sociais, realizada por organismos
governamentais e não-governamentais, tem buscado aprofundar a vinculação dos
indicadores com os princípios que nortearam o seu surgimento, ou seja, servir de
instrumento para o planejamento governamental, bem como superar as análises
estritamente econômicas.

Isso significa que os indicadores econômicos e sociais são considerados um
importante instrumento utilizado para auxiliar o monitoramento das condições de vida e bem
estar da população.
Os autores LOURENÇO e ROMERO (2002, p. 27) fazem as seguintes considerações
sobre indicadores econômicos:
representam essencialmente dados e/ou informações “sinalizadoras” ou
“apontadoras” do comportamento (individual ou integrado) das diferentes variáveis
e fenômenos componentes de um sistema econômico de um país, região ou estado.
Por isso, os IEs são fundamentais tanto para propiciar uma melhor compreensão da
situação presente e o delineamento das tendências de curto prazo da economia,
quanto para subsidiar o processo de tomada de decisões estratégicas dos agentes
públicos (governo) e privados (empresas e consumidores).

Continuamente, as sociedades vêm buscando alternativas para priorizar e resolver
seus principais problemas como, por exemplo, a eliminação da pobreza, diminuição da taxa
de mortalidade infantil, melhoria nos índices educacionais, dentre outros, visando uma melhor
condição de vida para a população.
Em função desses objetivos, cabem às instituições desenvolver políticas públicas
visando criar condições para o surgimento de um ambiente que leve ao desenvolvimento
social, econômico e sustentável.
Para auxiliar nesse desafio, um dos principais indicadores econômicos e sociais é o
Índice de Desenvolvimento Humano – IDH, desenvolvido pelo Programa das Nações Unidas
para o Desenvolvimento – PNUD (2012), que se baseia em três pilares: saúde, educação e
renda.
Conforme o PNUD (2012), numa escala de 0 a 1, quando o IDH de um país ou
região está entre 0 e 0,499 é considerado baixo, quando está entre 0,500 e 0,799 é considerado
médio e quando está entre 0,800 e 1 é considerado alto.
Para LOURENÇO e ROMERO (2002, p. 37), “o índice de desenvolvimento humano
determina o nível de atendimento das necessidades humanas básicas”.
Assim, esse indicador socioeconômico baseia-se na melhoria das condições de vida
da população que, não necessariamente, crescem com a melhoria das condições econômicas,
entre elas a pobreza, o desemprego, a desigualdade, a saúde, a nutrição, a educação e a
moradia.

4

Também, o IBGE (2012) é um dos principais institutos de pesquisa e informação
socioeconômicas do Brasil, e esse instituto realiza, a cada dez anos, o Censo no Brasil e
divulga os mais variados indicadores socioeconômicos, de grande interesse para as políticas
públicas.
Segundo SANTAGADA (2007 apud SILVA, 1989, p. 40) o IBGE através dos
Censos, propicia “importantes subsídios aos órgãos de análise e planejamento econômico
(Contas Nacionais) e dos indicadores sociais”.
No Paraná, há o Ipardes (2012), que é uma instituição de pesquisa vinculada à
Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral - SEPL e sua função é estudar a
realidade econômica e social do Estado para subsidiar a formulação, a execução, o
acompanhamento e a avaliação de políticas públicas.
Ainda, o Ipardes têm como atribuições: realizar pesquisas e estudos, elaborar
projetos e programas, acompanhar a evolução da economia estadual, fornecendo apoio técnico
nas áreas econômica e social para a formulação das políticas estaduais de desenvolvimento.
Conforme o objetivo deste estudo, na sequência, destacam-se os principais
indicadores econômicos do município de Pinhão – PR.

3. INDICADORES ECONÔMICOS E SOCIAIS DO MUNICIPIO DE PINHÃO - PR

Considerando a importância dos indicadores econômicos e sociais, para o
desenvolvimento de políticas públicas, destacam-se os principais indicadores do município.

3.1 Aspectos Gerais do Município
3.1.1 Histórico

Pela Lei Estadual nº 4.823, de 18 de fevereiro de 1964, foi criado o Município de
Pinhão, com território desmembrado do Município de Guarapuava.
O título de Pinhão tem origem nas sementes de araucárias, em função das matas de
pinheirais, outrora muito abundantes na região, sendo sua sede no povoado de Vila Nova,
depois designado simplesmente pelo nome de Pinhão.

5

3.1.2 Aspectos Físicos e Territoriais

Conforme dados do site da Prefeitura de Pinhão (2012) e do Ipardes (2012, p.7), o
município localiza-se na Região Sul do Brasil, centro-sul do Paraná. Possui um clima
moderado, subtropical, úmido e invernos com geadas.
Com uma altitude de 1.041 metros, a temperatura média anual é de 18º, a média
máxima é de 37º e a mínima 5,7º.
A distância da capital do Estado é de 309 km e os seus limites territoriais são: ao
Norte - Guarapuava e Candói, ao Sul - Bituruna e Coronel Domingos Soares, a Leste - Inácio
Martins e Cruz Machado e a Oeste - Foz do Jordão e Reserva do Iguaçu.

3.2 Aspectos Populacionais

3.2.1 Contagem Populacional

O município possuía, em 1970, uma população de 20.413 habitantes e, segundo
dados do Censo Populacional do IBGE, no ano de 2010, a população era de 30.208
habitantes. Em 1995, ocorreu um desmembramento, no município, com a criação do
município de Reserva do Iguaçu, ocorrendo, naturalmente, a diminuição da população,
constatada no Censo de 2000, conforme Tabela 1.
TABELA 1 – Censo Populacional
Censo
Sexo
Total
Populacional
Homens
Mulheres
1970
20.413
10.207
10.206
1980
33.460
17.097
16.363
1991
35.010
18.213
16.797
2000
28.408
14.371
14.037
2010
30.208
15.181
15.027
Evolução no
período
48,0%
1970/2010
FONTE: Ipardes (2012, p. 10) e IBGE (2000, p.329 e 2010)

Localidade
Urbana
Rural
3.144
17.269
12.916
20.544
9.829
14.825
13.734
14.674
15.317
14.891

6

3.2.2 Faixa etária da população em 2010

Em Pinhão, as crianças que possuem entre 0 e 9 anos são 18,4% da população. Por
sua vez, a população adulta, entre 20 e 59 anos, representa 50,4% do total de habitantes e a
população acima de 60 anos totaliza 2.292 pessoas, ou 7,6% de todos os habitantes, conforme
Tabela 2.
TABELA 2 – Faixa Etária da População em 2010
Faixa etária (anos)
Masculino
Menores de 1 ano
261
De 1 a 4
994
De 5 a 9
1.533
De 10 a 14
1.957
De 15 a 19
1.581
De 20 a 24
1.221
De 25 a 29
1.085
De 30 a 34
1.042
De 35 a 39
1.060
De 40 a 44
936
De 45 a 49
861
De 50 a 54
697
De 55 a 59
629
De 60 a 64
485
De 65 a 69
313
De 70 a 74
252
De 75 a 79
150
De 80 anos e mais
124
Total
FONTE: Ipardes (2012, p. 10) e IBGE (2010)

Feminino
252
988
1.524
1.786
1.579
1.177
1.154
1.119
1.056
968
888
728
601
411
317
211
153
115

Total
513
1.982
3.057
3.743
3.160
2.398
2.239
2.161
2.116
1.904
1.749
1.425
1.230
896
630
463
303
239
30.208

% relativa
1,7%
6,6%
10,1%
12,4%
10,5%
7,9%
7,4%
7,2%
7,0%
6,3%
5,8%
4,7%
4,1%
3,0%
2,1%
1,5%
1,0%
0,8%
100,0%

3.3 Aspectos Sociais

Com relação aos aspectos sociais do município, eles foram divididos nos seguintes
temas: IDH, Saúde, Educação e Habitação.

3.3.1 Índice de Desenvolvimento Humano - IDH
3.3.1.1 Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM
O município possui um Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM
considerado médio.

7

No período de 1970 a 2000, o IDH-M passou de 0,351 (numa escala que vai 0,000 a
1,000) para 0,713. Isso representa uma evolução de 103,1%, demonstrando avanços positivos
no desenvolvimento social e econômico da população.
O sub-índice da educação, mesmo evoluindo 96,1% no período, representa o mais
alto dos três sub-índices calculados, conforme Tabela 3.
TABELA 3 – Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDH - M
Ano

Educação

Longevidade

Renda

IDH Médio

1970
1980
1991
2000
Evolução no período
1970/2000

0,414
0,536
0,664
0,812

0,423
0,567
0,618
0,712

0,214
0,562
0,523
0,615

0,351
0,555
0,602
0,713

96,1%

68,3%

187,4%

103,1%

FONTE: Fundação João Pinheiro/IPEA (1996) e PNUD/Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil (2012)

3.3.1.2 Comparativo do Índice de Desenvolvimento Humano

Segundo a classificação da ONU, o município possuía, no ano de 2000,
Desenvolvimento Humano Médio, mas, verifica-se que o IDH – Médio é inferior em relação
ao IDH - Médio do Estado do Paraná e do Brasil.
Por outro lado, a evolução nos últimos 30 anos do IDH Médio do município foi
superior à evolução do IDH – Médio do Estado e do País, conforme Tabela 4.
TABELA 4 – Comparativo do índice de Desenvolvimento Humano Médio
Ano

Pinhão

Paraná

Brasil

1970
1980
1991
2000

0,351
0,555
0,602
0,713

0,440
0,700
0,711
0,787

0,462
0,685
0,696
0,766

Evolução no período
1970/2000

103,1%

78,9%

65,8%

FONTE: Fundação João Pinheiro/IPEA (1996) e PNUD/Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil (2012)

3.3.1.3 Posição do IDH - Médio Municipal – 2000

O município do Pinhão, em relação aos outros 5.506 municípios do Brasil, ocupa a
2.745ª posição e, em relação aos outros 399 municípios do Estado, ocupa a 287ª posição.

8

3.4 Saúde

Alguns indicadores reconhecidos em âmbito nacional e internacional podem
demonstrar a eficácia das políticas públicas na área da Saúde.
3.4.1 Taxa de Mortalidade Infantil – TMI

Em 2010, a taxa de mortalidade infantil no município era de 23,1 óbitos para 1.000
nascidos vivos (até 1 ano de idade). Também, no período de 2000 a 2010, o município
apresentou uma redução na taxa de 47,3%, superando a redução constatada no Estado e no
País, conforme Tabela 5.
TABELA 5 – Taxa de Mortalidade Infantil (1.000 nascidos vivos)
Ano

Pinhão

Paraná

Brasil

2000
43,8
19,6
26,3
2010
23,1
12,1
19,9
Evolução no período
-47,3%
-38,3%
-24,3%
2000/2010
FONTE: Brasil/Ministério da Saúde (2012) e Paraná/Secretaria da Saúde (2010)

3.4.2 Esperança de Vida ao Nascer

A esperança de vida ao nascer em Pinhão cresceu em 5 anos, passando de 62,1 anos
para 67,7 anos na década de 90. No período obteve um crescimento maior do que o
apresentado pelo Estado do Paraná e pelo Brasil, porém, ainda apresenta um esperança de
vida ao nascer menor em relação a essas duas unidades de comparação, conforme Tabela 6.
TABELA 6 – Esperança de Vida ao Nascer da População em anos
Ano

Pinhão

Paraná

Brasil

1991
2000

62,1
67,7

65,7
69,8

64,7
68,6

Evolução no período
1991/2000

9,00%

6,30%

6,00%

FONTE: PNUD/Atlas do Desenvolvimento Humano (2012)

9

3.4.3 Unidades de Saúde no Município em 2012

O município de Pinhão conta com 26 locais destinados ao atendimento de saúde e,
dentre estes, 5 são centros de saúde, 4 consultórios isolados, 1 hospital geral, 14 postos de
saúde, 1 secretaria de saúde e 1 centro de atenção psicossocial, conforme Tabela 7.
TABELA 7 – Unidades de Saúde no Município em 2012
Tipologia de Unidade
Posto de saúde
Centro de saúde/unidade básica
Hospital geral
Consultório isolado
Clinica especializada/ambulatório de especialidade
Secretaria de saúde
Centro de atenção hemoterapia e ou hematológica
Centro de atenção psicossocial
Central de regulação médica das urgências
Total
FONTE: Brasil/Ministério da Saúde (2012)
Nota: dados confirmados pelos autores na Secretaria Municipal de Saúde

Pinhão
14
5
1
4
0
1
0
1
0
26

3.4.4 Leitos Hospitalares

O município não teve aumento ou queda no número de leitos atendidos pelo Sistema
Único de Saúde – SUS, entre os anos de 2005 e 2012, enquanto que no Estado do Paraná o
decréscimo do número de leitos foi de 11,10% e no Brasil foi de 4,3%, no mesmo período,
conforme Tabela 8.
TABELA 8 – Número de Leitos Hospitalares
Ano

Pinhão

Paraná

2005
95
31.903
2012
95
28.364
Evolução no período 20050,0%
-11,10%
2012
FONTE: Brasil/Ministério da Saúde (2012)
Nota: dados confirmados pelos autores na Secretaria Municipal de Saúde

Brasil
543.941
520.474
-4,30%

3.4.5 Número de Leitos Hospitalares por 1.000 Habitantes

Em 2012, o município conta com 3,1 leitos para cada grupo de 1.000 habitantes. No
ano de 2005, essa relação era de 3,4, conforme Tabela 9.

10

TABELA 9 – Número de Leitos Hospitalares por 1.000 Habitantes
Ano

Pinhão

Paraná
3,5
2,7

2005
3,4
2012
3,1
Evolução no período
-22,90%
-5,9%
2005/2012
FONTE: Brasil/Ministério da Saúde (2012)
Nota: dados confirmados pelos autores na Secretaria Municipal de Saúde

Brasil
3,4
2,7
-20,60%

3.4.6 Profissionais na Área de Saúde em 2012

O município do Pinhão tem à disposição, em seu quadro funcional, entre os
profissionais da área de saúde, 10 dentistas, 18 enfermeiros e 13 médicos. A comparação
quantitativa entre os profissionais da área de saúde de Pinhão, do Estado do Paraná e do Brasil
consta na Tabela 10.
TABELA 10 – Número de Profissionais de Saúde em 2012
Profissionais
Pinhão
Paraná
Dentistas
10
7.035
Enfermeiros
18
31.387
Enfermeiros Cursos Superior
8
6.194
Enfermeiros Técnicos e
10
25.193
Elementares
Farmacêutico em Geral
2
2.993
Fisioterapeuta
3
3.627
Médicos
13
15.197
Psicólogo em Geral
4
2.655
Total
50
94.281
FONTE: Brasil/Ministério da Saúde (2012)
Nota: dados confirmados pelos autores na Secretaria Municipal de Saúde

Brasil
89.851
585.723
114.320
471.403
34.000
49.814
284.972
38.643
1.668.726

3.5 Educação

Os indicadores da Educação refletem o nível de desenvolvimento de uma população.

3.5.1 Alunos Matriculados por Dependência Administrativa

O município de Pinhão possuía 8.617 alunos no ensino infantil, ensino fundamental,
médio, educação de jovens adultos e educação especial, no ano de 2004. Por sua vez, no final
do ano de 2011, o número de alunos nestas modalidades de ensino chegava a 8.902,
apresentando um aumento de 3,3% no período. Por outro lado, o município respondia, em
2011, pela educação de 4.279 alunos, ou seja, 48,1% do total de alunos e o governo do Paraná
respondia por outros 47,7%.

11

Por fim, a iniciativa privada respondia por 4,2% do total de alunos, conforme tabela a
11.
TABELA 11 – Alunos Matriculados por Dependência Administrativa em 2010
Ano
…2004
…2010
% relativo em 2010
Evolução no período 2004
- 2010
Ano

Federal
Federal
35.252
52.623
1,70%

Dependência Administrativa - Pinhão
Estado
Município
Particular
3.661
4.824
132
4.250
4.279
373
47,7%
48,1%
4,2%

Total
8.617
8.902
100%

16,1%

3,3%

-11,3%

182,6%

Dependência Administrativa - Paraná
Estado
Município
Particular
1.327.930
1.076.128
520.558
1.381.166
1.014.066
574.854
45,70%
33,50%
19,00%

…2004
…2010
% relativo em 2010
Evolução no período 2004
49,30%
4,00%
-5,80%
- 2010
FONTE: Ipardes (2012) e Brasil/Ministério da Educação (2012)

10,40%

Total
2.959.868
3.022.709
100,00%
2,10%

3.5.2 Distribuição do Número de Alunos por Modalidade de Ensino – 2006

Em 2011, no município, 71,7% dos alunos cursavam o ensino fundamental e 14,6% o
ensino médio. Entre os anos de 2004 e 2011, o número de alunos do município cresceu apenas
em 1,0%, conforme Tabela 12.
TABELA 12 – Distribuição do Número de Alunos por Modalidade de Ensino em 2011
Modalidade
2004
2011
% relativo a 2011
Creche
262
333
3,7%
Pré-Escola
877
403
4,5%
Ensino Fundamental
6.240
6.447
71,7%
Ensino Médio
1.055
1.311
14,6%
Educação Profissional
183
0
0,0%
Educação Especial
0
39
0,4%
Ensino de Jovens e Adultos
269
464
5,2%
Total
8.886
8.977
100%
FONTE: Ipardes (2012, p.12) e Brasil/Ministério da Educação (2012)

Evolução 2004 a 2011
27,1%
-54,0%
3,3%
24,3%
-100%
3.900%
72,5%
1,0%

3.5.3 Número de Estabelecimentos de Ensino e de Docentes no Município

No ano de 2011, Pinhão possuía 62 estabelecimentos de ensino, 631 professores,
sendo que o maior contingente pertencia ao ensino fundamental, com 417 docentes, conforme
Tabela 13.

12

TABELA 13 – Número de Estabelecimento de Ensino e de Docentes em 2011
Estabelecimentos
Estabelecimentos e
Docentes
2011
% relativo a 2011
2011
Creche
8
12,9%
52
Pré-Escolar
12
19,4%
38
Fundamental
36
58,1%
417
Médio
6
9,7%
124
Total
62
100%
631
FONTE: Ipardes (2012, p.12) e Brasil/Ministério da Educação (2012)

Docentes
% relativo a 2011
8,2%
6,0%
66,1%
19,7%
100,00%

3.5.4 Taxa de Aprovação e Reprovação no ensino Fundamental e Médio

No ano de 2011 a taxa de reprovação concentrava-se nas séries finais do ensino
fundamental e no ensino médio, respectivamente, 11,4% e 10,8%, taxas estas inferiores à
média do Estado, conforme Tabela 14.
TABELA 14 – Taxa de Aprovação e Reprovação no ensino médio e fundamental em 2011
Aprovação (%)
Ensino fundamental
Anos
Anos
Total
iniciais
finais
91,1
84,9
88,3
Pinhão
94,0
83,5
88,8
Paraná
FONTE: Ipardes (2012)

Ensino
médio
88,1
81,6

Reprovação (%)
Ensino fundamental
Anos
Anos
Total
iniciais
finais
8,2
11,4
9,7
5,8
12,6
9,2

Ensino
médio
10,8
11,7

3.5.5 Taxa de Abandono no ensino Fundamental e Médio

O ensino fundamental em 2011, nos anos iniciais, possuía a maior taxa de abandono
escolar por nível de ensino, apresentando uma taxa de 3,7%, sendo um pouco inferior a média
do Estado que foi de 3,9%, conforme Tabela 15.
TABELA 15 – Taxa de Abandono no ensino médio e fundamental em 2011

Anos iniciais
0,7
Pinhão
0,2
Paraná
FONTE: Ipardes (2012)
Nota: Taxas calculadas pelo INEP

Abandono (%)
Ensino fundamental
Anos finais
Total
3,7
2,0
3,9
2,0

Ensino médio
1,1
6,7

13

3.5.6 Pessoas de 10 anos ou mais de idade, por nível de instrução

O município possuía 66,6% das pessoas com 10 anos ou mais, sem instrução e com o
ensino fundamental incompleto. Além disso, 16,6% possuíam o ensino fundamental completo
e ensino médio incompleto. Por sua vez, somente 3,6% possuíam nível de instrução superior,
conforme tabela 16.
TABELA 16 – Pessoas de 10 anos ou mais de idade, por nível de instrução em 2010

Total

24.743
Pinhão
% relativa
8.962.586
Paraná
% relativa
FONTE: IBGE (2012)

Pessoas de 10 anos ou mais de idade
Nível de instrução
Fundamental
Sem instrução e
Médio completo
completo e
fundamental
e superior
médio
incompleto
incompleto
incompleto
16.335
4.110
3.398
66,0%
16,6%
13,7%
4.369.062
1.623.215
2.054.939
48,7%
18,1%
22,9%

Superior
completo

Não
determinado

890
3,6%
869.660
9,7%

10
0,04%
45.710
0,5%

3.6 Habitação

3.6.1 Número de Domicílios Permanentes

Pinhão possuía 10.745 domicílios permanentes no ano de 2010, divididos entre a
área urbana e rural do município, apresentando uma taxa de ocupação de 79,9%, conforme a
Tabela 17.
TABELA 17 – Número de domicílios segundo uso e tipo
Domicílios
Urbana
Coletivos
6
Particulares
5.392
Ocupados
4.488
Não Ocupados
904
Total
5.398
FONTE: Ipardes (2012, p.8) e IBGE (2012)

Rural
8
5.339
4.094
1.245
5.347

Total
14
10.731
8.582
2.149
10.745

% relativa
0,1%
79,9%
20,0%
100%

14

4. Infraestrutura

Com relação à infraestrutura do município, para este estudo, foram considerados os
seguintes temas: Energia Elétrica, Abastecimento de Água e Rede de Esgoto, Coleta de Lixo,
Rodovias, Meios de Comunicação e Frota de Veículos.

4.1 Energia Elétrica

4.1.1 Consumidores de Energia Elétrica no Município

O número total de consumidores, em 2011, era de 9.170. Desses, 58,6% pertenciam à
categoria residencial e 33,6% pertenciam à categoria rural, conforme Tabela 18.
TABELA 18 – Número e tipo de consumidores de energia elétrica em 2011
Categorias

Consumo (Mwh)

Consumidores

% relativa

Residencial

6.970

5.374

58,6%

Setor secundário

3.298

81

0,9%

Setor comercial

5.626

462

5,0%

Rural

6.469

3.074

33,5%

Outras classes

2.997

179

2,0%

Total

25.360

9.170

100%

FONTE: Ipardes (2012, p. 21)

4.2 Abastecimento de Água

4.2.1 Indicadores do Município em Abastecimento de Água e atendimento de Esgoto

O número total de unidades abastecidas com água foi de 6.176. Por outro lado,
somente 36,2% das unidades abastecidas com água contavam com atendimento de esgoto,
conforme a Tabela 19.

15

TABELA 19 – Número e tipo de consumidores abastecidos com água e atendidas com esgoto
em 2011
% de unidades atendidas com rede
de esgoto em relação às unidades
abastecidas com água
33,2%

Unidades abastecidas
com água

Unidades atendidas
com rede de esgoto

5.542
409
22

1.842
292
0

Utilidade Pública

85

40

47,1%

Poder Público

118

63

53,4%

6.176

2.237

36,2%

Categorias
Residencial
Comerciais
Industriais

Total

71,4%
0,0%

FONTE: Ipardes (2012, p. 22)

4.3 Lixo

4.3.1 Coleta de Lixo

A coleta de lixo é realizada pela prefeitura municipal, mas como não há dados
disponíveis, segundo estudos do IBGE (2000), estima-se que cada brasileiro produz, em
média, cerca de 0,5 kg de lixo, diariamente.
Nesse caso, calcula-se que a produção mensal de lixo no município de Pinhão é de,
aproximadamente, 453,1 toneladas.

4.4 Rodovias

4.4.1 Rodovias que Cortam o Município

Existe uma rodovia asfaltada, que corta o município, cuja dependência administrativa
é do Governo Estadual, denominada de PR -170. É uma importante via de ligação entre o
Norte e Sul da região sul do Brasil.

4.4.2 Principais Meios de Comunicação

O município de Pinhão conta com uma rádio AM. Também, recebe sinais de Rádios
e Redes de Televisão de outros municípios,por meio de antenas parabólicas e ainda conta com
telefonia fixa, móvel e internet.

16

4.5 Frota de Veículos

No final de 2011, o município possuía 8.225 veículos, sendo 4.993 automóveis,
conforme a Tabela 20.
TABELA 20 – Frota de veículos em 2011
Tipologia

Número

Tipologia

Número

4.993

Motocicleta

1.161

Caminhão trator

47

Ônibus

81

Caminhões

461

Reboques

40

Caminhonetes

838

Semirreboques

62

Camioneta

409

Triciclo

7

Micro Ônibus

33

Utilitário

14

Motoneta

77

Outros tipos

2

Automóveis

Total de veículos
Habitantes por veículo
FONTE: Ipardes (2012, p. 24)

8.225
3,7

5. Aspectos Econômicos

Com relação aos aspectos econômicos do município, para este estudo, foram
considerados os seguintes temas: Produto Interno Bruto - PIB, Empresas do Município,
Emprego e Renda, Dados do Setor Primário e Finanças Públicas.
5.1 Produto Interno Bruto – PIB

O PIB do município, em 2000, era de 306 milhões de reais e, em 2009, alcançou 474
milhões de reais. Nesse período, o aumento do PIB no município foi de 54,9%, no Estado do
Paraná 188,0% e no Brasil 185,4%.
Por sua vez, o PIB per capita do município é inferior à média do PIB per capita do
Estado e um pouco superior ao PIB per capita do Brasil, conforme Tabela 21.

17

TABELA 21 – Produto Interno Bruto (em milhões de reais)
Ano
2000
2004
2009
Evolução no período 2000/2009
PIB per capita em R$ (2000)
PIB per capita em R$ (2009)
Evolução no período 2000/2009
FONTE: Ipardes (2012) e IBGE (2012)

Pinhão
306
478
474
54,9%
10.813
17.000
57,2%

Paraná
65.969
108.699
189.991
188,0%
6.847
17.779
159,7%

Brasil
1.101.255
1.766.621
3.143.000
185,4%
6.430
16.414
155,3%

5.2 Empresas e empregos no Município

Segundo dados do Ipardes existiam, em 2010, no município 506 empresas formais,
com predomínio de atividades do comércio, agricultura e pecuária.
Por sua vez, em 2010, existiam 3.300 empregos formais no município, onde a
administração pública direta e indireta representava o maior contingente de contratados.,
conforme Tabela 22.
TABELA 22 – Número de empresas e empregos no município segundo as atividades
econômicas em 2010
Atividades Econômicas
Indústria de produtos minerais não metálicos
Indústria metalúrgica
Indústria de materiais de transporte
Indústria da madeira e do mobiliário
Indústria do papel, papelão, editorial e gráfica
Indústria química prod. Farmac, veterin., perf., sabões, velas e mat. plast.
Indústria têxtil, do vestuário e artefatos de tecidos
Indústria de produtos alimentícios, de bebida e álcool etílico
Serviços industriais de utilidade pública
Construção civil
Comércio varejista
Comércio atacadista
Instituições de crédito, seguro e de capitalização
Admin. de imóveis,valores mobil., serv. técn. profis., aux. ativ. econ.
Transporte e comunicações
Serviços de alojamento, alim., reparo, manut., rádiodifusão e televisão
Serviços médicos, odontológicos e veterinários
Ensino
Administração pública direta e indireta
Agricultura, silvicultura, criação de animais, extração vegetal e pesca
Total
FONTE: Ipardes (2012, p. 13-14)

Estabelecimentos
2
1
1
15
1
2
1
6
3
11
190
8
5
9
5
35
6
6
6
193
506

Empregos
13
8
1
248
1
14
2
25
18
96
782
48
43
13
19
102
15
12
1.146
694
3.300

18

5.3 Setor Primário

Baseando-se nos dados divulgados pelo Ipardes, os indicadores do setor primário
referem-se à safra de 2010. As informações referem-se aos setores: Lavouras Temporárias e
Lavouras Permanentes, Efetivo do Rebanho e Produtos de Origem Animal.

5.3.1 Lavouras Temporárias e Permanentes

A soja, o milho e o trigo são os principais produtos do município, pois responderam
pelo maior valor de venda, no ano de 2010, representando 78,3% do valor da produção,
conforme a Tabela 23.
TABELA 23 – Área colhida, produção e valor da produção agrícola em 2010
Valor da
produção
em
R$ 1.000

Área
colhida
em
Hectare

Principais
produtos

Quantidade
produzida
em tonelada

Alho

5

25

2

Amendoim
Arroz
Aveia
Batatainglesa
Cana-deaçúcar
Cebola
Cevada
Feijão

1
270
2.270

1
166
681

14.800
100

Principais
produtos

Quantidade
produzida
em tonelada

Valor da
produção
em
R$ 1.000

Área
colhida
(Hectare)

70

343

40

1
120
900

Fumo (em
folha)
Laranja
Mandioca
Milho

56
2.530
105.520

22
595
27.013

4
110
15.300

6.512

490

Pêssego

10

17

4

6

2

Soja

84.420

43.139

26.800

455
22.940
96

455
8.442
240
257.273
100.363
58.583

14
7.400
11

65
46
5
Tomate
21.180
10.590
5.180
Trigo
2.485
2.070
2.200
Uva
Quantidade produzida em tonelada
Totais
Valor da produção em R$ 1.000
Área colhida em Hectare
FONTE: Ipardes (2012, p. 5-6)

5.3.2 Efetivo do Rebanho

O município possuía, em 2010, um efetivo de rebanho de 178.670 cabeças, com
destaque para a criação de aves, bovinos e suínos, conforme a Tabela 24.

19

TABELA 24 – Efetivo de rebanho em 2010
Tipo de rebanho (cabeças)
Galináceos
Suíno
Bovino
Ovino
Caprino
Equino
Bubalino
Muar
Asinino
Total
FONTE: Ipardes (2012, p. 6)

Quantidade
86.700
24.600
52.500
7.900
210
5.330
775
590
65
178.670

5.3.3 Produtos de Origem Animal

O leite, em 2010, foi o mais importante produto de origem animal no município.
Ainda, nesse grupo, destaca-se a produção de ovos de galinha, mel de abelha e lã, conforme a
Tabela 25.
TABELA 25 – Produção de origem animal em 2010
Produtos de Origem Animal

Leite
Mel de abelha
Ovos de galinha
Total
FONTE: Ipardes (2012, p. 6)

Valor (R$
1.000,00)
26
4.366
37
102
4.531

Produção

Unidade

17.300
6.420
7.200
90

Kg
Mil litros
Kg
Mil dúzias

5.4 Finanças Públicas
5.4.1 Resultado Orçamentário – 2000 e 2011

O município de Pinhão, no ano de 2000, realizou uma receita de cerca de 15,9
milhões de reais, contra uma despesa no mesmo período de cerca de 14,3 milhões de reais.
Entre os anos de 2000 e 2011, a receita orçamentária aumentou 195,5% e a despesa
orçamentária aumentou 202,4%, conforme a Tabela 26.

20

TABELA 26 – Resultado da execução orçamentária
Ano

Receita
Orçamentária

Despesa
Orçamentária

2000
15.963.083,17
2011
47.173.446,50
Evolução
195,5%
2000/2011
FONTE: Ipardes (2012)

14.362.431,51
43.433.525,12

Superávit Orçamentário
ou
Déficit Orçamentário
1.600.651,66
3.739.921,38

202,4%

Após a identificação dos principais indicadores econômicos e sociais, na sequência,
destacam-se as considerações finais desta pesquisa.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Neste estudo, procurou-se atingir o objetivo proposto, que foi o de identificar dados e
séries históricas dos principais indicadores econômicos e sociais do município de Pinhão PR.
Assim, foi possível identificar os principais indicadores socioeconômicos baseandose nos aspectos gerais do Município, populacionais, sociais, infraestrutura, e econômicos e,
esses indicadores, foram organizados visando facilitar o acesso às informações pela sociedade
em geral, entidades, poder público, empreendedores, agências de desenvolvimento,
instituições de ensino, pesquisadores, estudantes e demais interessados.
Este estudo, como qualquer pesquisa, não se esgota em si, tendo em vista a função
dos mais variados indicadores econômicos e sociais que podem ser identificados, construídos
ou não, para qualquer local, região ou país.
Pretende-se que este trabalho abra caminhos que levem à realização, no município, de
debates, análises e discussões sobre os dados e indicadores levantados e destacados no estudo.
Dessa forma, o município tem condições de identificar de que maneira pode enfrentar
os indicadores que chamam a atenção pelos aspectos negativos e preservar os indicadores que
também chamam a atenção, porém, pelo aspecto positivo, por meio de políticas públicas
adequadas à realidade demonstrada.
Também, há expectativas de que este estudo leve a outras pesquisas e levantamentos
mais aprofundados e em áreas mais específicas como, por exemplo, saúde, educação, trabalho,
renda, dentre outros.

21

Espera-se ainda que, este estudo, além de identificar e organizar alguns indicadores
econômicos e sociais possa também contribuir para a construção de políticas públicas que levem
o município a um desenvolvimento econômico e social de maneira sustentável.

REFERÊNCIAS BIBIOGRÁFICAS
FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO/IPEA. Índice de Desenvolvimento Humano - IDH Brasil - Municípios: 1970, 1980 e 1991. Fundação João Pinheiro, 1996. 1 CD-ROM.
IBGE. Censo Demográfico 2000: Características da população e dos domicílios. Rio de
Janeiro: IBGE, 2001. 520 p.
JANNUZZI, P. Indicadores sociais no Brasil: conceitos, fontes de dados e aplicações. 2. ed.
Campinas: Alínea Editora, 2003. 141 p.
LOURENÇO, G. M.; ROMERO, M. P. S. Indicadores Econômicos. In: MENDES, J. T. G.
(Org.). Coleção Gestão Empresarial - FAE/Gazeta do Povo: Economia Empresarial.
Curitiba: Gazeta do Povo, 2002. p. 27-41.
SANTAGADA, S. Indicadores Sociais: uma primeira abordagem social e histórica. Revista
Pensamento Plural da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, n. 1, p.113-142,
julho/dezembro 2007.
VERGARA, S. C. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. 8. ed. São Paulo:
Atlas. 2007. 96 p.
SITOGRAFIA

BRASIL. Ministério da Educação - INEP. Disponível em: <
http://www.publicacoes.inep.gov.br/resultados.asp?cat=6&subcat=6>. Acessado em 20 set.
2012. 14:51.
BRASIL. Ministério da Saúde. Disponível em:
<http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=0206&VObj=http://tabnet.datasus.
gov.br/cgi/deftohtm.exe?ibge/cnv/pop>. Acessado em 11 set. 2012. 09:58.
IBGE. Disponível em:
<http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/tabelas_pdf/total_populacao_
parana.pdf>. Acessado em 14 set. 2012. 14:26.
IBGE. Disponível em:
<http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/27032002pnsb.shtm>. Acessado em 15
set. 2012. 13:13.
IBGE. Disponível em:
<http://www.ibge.gov.br/cidadesat/painel/painel.php?codmun=411930#>. Acessado em 18
set. 2012. 13:50
IPARDES. Caderno Estatístico Município de Pinhão - Junho 2012. Disponível em:
<http://www.ipardes.gov.br/cadernos/Montapdf.php?Municipio=85170&btOk=ok>.
Acessado em 10 jul. 2012. 9:50.

22

IPARDES - Base de Dados do Estado – BDEweb. Disponível em:<
http://www.ipardes.pr.gov.br/imp/index.php>. Acessado em 14 set. 2012. 14:20.
PARANÁ (Estado). Secretaria Estadual da Saúde. Disponível em:
<http://www.sesa.pr.gov.br/search.php?skipValidationJS=0&action=results&id=78e1e1db523
897f34d1e2f24b432b298&query=estat%EDstica&andor=OR&mids%5B%5D=2&submit=Pe
squisar>. Acessado em 11 set. 2012. 10:00.
PINHÃO (município). Disponível em:
<http://www.pinhao.pr.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=51&Itemid
=62>. Acessado em 06 set. 2012. 11:12.
PINHÃO (município). Disponível em:
<http://www.pinhao.pr.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=89&Itemid
=57>. Acessado em 07 set. 2012. 17:20.
PNUD. Disponível em:
<http://www.pnud.org.br/IDH/IDH.aspx?indiceAccordion=0&li=li_IDH>. Acessado em 15
de set. 2012. 09:51.