A EVOLUÇÃO DOS NÚMEROS COMPLEXOS

Fernando José Mendes Beleza
Prof. Wilson Santos
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI
Matemática (MAD0203) – Seminário da Prática III

RESUMO
Os números complexos possuem uma grande diversidade em aplicações servindo
como base para as áreas das ciências exatas, sendo um assunto pouco trabalhado na
disciplina de matemática, principalmente no ensino de nível médio. Por isso, o
conhecimento da história e conceitos dos números complexos pode auxiliar
significativamente na sua utilização em aplicações na área de física, por exemplo,
assim como na compreensão de fatos de cotidianos. Assim, esse artigo tem o objetivo de
mostrar o desenvolvimento histórico, exemplificar a utilização dos números complexos,
tais como fractais, na engenharia elétrica com a demonstração da aplicação em
análise de circuitos AC, aerodinâmica e geometria.
Palavras chave: números complexos, história, aplicação.

INTRODUÇÃO
Os números complexos, bastante utilizados em ramos da ciência e engenharia,
são considerados como uma grande ferramenta para resolver diversos problemas. No
entanto, existe um distanciamento entre a forma com que este conteúdo e desenvolvido
em sala de aula e sua aplicabilidade. Quando abordado em sala de aula o conteúdo
Números Complexos, através dos livros didáticos publicados antes de 2010, são
encontradas situações nada acolhedoras no campo ensino aprendizagem, pois o tema
abordado traz um benefício apenas para o olhar do aluno, que seria a possibilidade de
extração de raízes quadráticas negativas. Em paralelo, percebe-se que na formação do
Professor de Matemática do Ensino Médio faltam subsídios de aplicações práticas ou
relacionadas ao cotidiano.
Entretanto, percebe-se que as aplicações dos números complexos não ocorrem
de forma direta, mas sim aliada a outras disciplinas, como exemplo em Física ou nas
Engenharias que os utiliza para o Estudo e Aplicação das correntes alternadas.

2006). Levou-se uma grande caminhada na História da humanidade para chegar à concepção de conjuntos Reais (conjunto dos números Naturais. Segundo Garbi (2006. no caso. XVIII. Diophanto (200-284 aprox.172X + 336 = 0. conjunto dos números Racionais e conjunto dos números Irracionais). em 1531. apesar de ter sido feita a partir do séc. a > 0. escreveu.). os números positivos. o resultado foi publicado na Ars Magna (A Grande Arte). I dC) no livro Stereometrica. dada a incompreensão e o desconhecimento destes números. quebrando a promessa e juramentos feitos a Tartaglia. p. em suas memórias ter descoberto uma regra para resolver equações de terceiro grau. conjunto dos números Inteiros. foi mencionada levemente por outros matemáticos anteriores à data. quando confrontadas com esta questão responde que surgiram para resolver as equações de 2º grau da forma X2 + a = 0. O primeiro matemático de que se tem conhecimento de se ter deparado com um problema que envolvia números complexos foi Héron de Alexandria (séc. pode-se afirmar que os números complexos surgiram primeiramente para demonstrar medidas de grandeza. Bhaskara (1114-1185 aprox.) reconhecia que a equação X2 – 45X = 250 era satisfeita por dois valores x = 5 e x = -5 mas. que devido a um defeito na fala foi apelidado de Tartaglia (gago em italiano). tais matemáticos abandonaram o seu estudo.HISTÓRIA DOS NÚMEROS COMPLEXOS De acordo com (AMORIM. . No entanto. trabalhava com coeficientes negativos. dizia que não considerava a segunda pois as pessoas não "apreciavam" raízes negativas.) ao resolver um problema deparou-se com a equação 24X2 . Nicolo Fontana. não viu necessidade de dar sentido à raiz quadrada -167. abandonou o seu cálculo.121). de que não revelaria a fórmula. Por volta do ano 275 dC. etc. esta ideia está errada! A abordagem aprofundada aos números complexos. por Girolamo Cardano (1501-1576). Como concluiu que não tinha soluções reais. No entanto. A maioria das pessoas. Este pretendia resolver raiz quadrada -63 mas como não havia o domínio atual sobre estes números. um dos indianos que mais perto chegou das ideias da álgebra moderna (conhecia a regra "menos por menos dá mais".

RESULTADOS E DISCUSSÃO O objetivo deste trabalho é apresentar o desenvolvimento histórico dos números complexos desde o surgimento das quantidades “sofisticadas”. Os números complexos apareceram sim. efetivamente. Wessel e principalmente Argand. é que foi aceite. para a representação de a raiz quadrada de -1. só após o seu uso por Gauss (1777-1855) em 1801. esta representação ficou. Este trabalho foi levado ao esquecimento. geometricamente os números complexos. no contexto dos problemas de resolução das equações cúbicas através de radicais. estabelecendo uma correspondência bijetiva entre estes e os pontos do plano. quando publicado em francês por Jean Argand (1768-1822) ganhou o devido respeito. até as tentativas de representação geométrica destas quantidades. A expressão número complexo foi introduzida em 1832. pela primeira vez. Mas. foi criado por Leonard Euler mas.A partir disto é possível derrubar a ideia errada de que os números complexos surgiram com as equações do segundo grau.O símbolo i. por Raffaelle (1526-1572) numa obra de nome Algebra. indevidamente. por Gauss. Observaremos como importantes resultados no desenvolvimento da matemática durante os três séculos que nossa análise percorre forneceram maneiras originais de se conceber esses números antes que ganhassem a estrutura que conhecemos hoje. o dinamarquês Caspar Wessel (1745-1818) representou. . MATERIAL E MÉTODOS Este trabalho é fruto de muitas pesquisas e a principal ferramenta utilizada na elaboração deste paper foi o uso da Internet que basicamente aonde procede toda referência. Em 1629. nas obras de Cardano e Bombelli. Buée. foram preciso cerca de 25 anos para este tema ser de novo considerado. Por este motivo. Um grande passo no estudo dos números complexos foi a sua representação visual. a partir das equações de terceiro grau. Em 1797. o símbolo a raiz quadrada de -1 quando enuncia as relações entre raízes e coeficientes de uma equação. Albert Girard (1595-1632) utiliza. ligada ao nome de Argand. talvez por ter sido publicado em dinamarquês e só por volta de 1806. nos trabalhos de matemáticos como Wallis.

2011. Novo Olhar Matemática. 2006. .fc.CONSIDERAÇÕES FINAIS Quando propusemos um trabalho sobre a história dos números complexos. Mas com a história temos condições de oferecer respostas às muitas questões que surgem durante o processo de aprendizagem. Matemática: Ciência.pt/docentes/opombo/seminario/euler/complexoshistoria. logo seria pertinente que nós recriássemos o modo de ensinar a fim de proporcionar aos alunos a experiência de conviver e de compreender como a matemática estudada nos dias de hoje foi produzida por descobertas ao longo de séculos. observando a linguagem utilizada na época e os “problemas” que contribuíram com o desenvolvimento da matemática e consequentemente destas quantidades ditas “sofisticadas”.educ. RIBEIRO. Editora UnB: Brasília.ul. O acesso à história dos números complexos nos remete inevitavelmente a uma reflexão sobre a metodologia utilizada em sala de aula. Jodette Guilherme. Linguagem e Tecnologia. REFERÊNCIAS http://www. SOUZA. Joamir Roberto de. 2010. “impossíveis”. Trigonometria e números complexos. visamos resgatar o ambiente que proporcionou seu surgimento. Jackson. Pesquisar os números complexos à luz da história da matemática faz com que compreendamos que um dos grandes problemas no ensino é o fato de que a ordem de exposição não condiz com a ordem da invenção. “inexplicáveis” ou “imaginárias”. Seria impossível apresentar a matemática na ordem histórica em que ela foi desenvolvida. Editora FTD: São Paulo. Editora Scipione: São Paulo.htm AMORIM.