Universidade Federal de Lavras

Laboratório de Física III
Prática 6 – Circuito RLC sob Corrente Alternada

Professor: Ulisses Leitão

Integrantes:
Charles Aguiar
Diego Carvalho
Otávio Mota
Gustavo Carvalho

LAVRAS – MG
2014

I – INTRODUÇÃO TEÓRICA
1. Impedância ( ) em Resistores, Capacitores e Indutores:
Impedância elétrica é a resistência (oposição) que um circuito apresenta à
passagem de uma corrente elétrica, quando é aplicada uma tensão alternada.
A unidade de impedância é o Ohm ( ) e é matematicamente definida como o
número complexo dado pela razão entre a tensão e a corrente num circuito de
corrente alternada (CA). Impedância possui amplitude, fase e módulo. Em
circuitos de corrente contínua (CC), a impedância corresponde à resistência; já
na corrente alternada (CA) a impedância é função da resistência, capacitância
e indutância.
Primeiramente, consideremos um circuito alimentado por uma fonte de
tensão alternada, de sinal senoidal cuja amplitude é
e tem frequência
angular , dada pela equação:

Assim, a corrente alternada nesse circuito é dada por:

Onde é a amplitude (corrente de pico). A impedância, , em dispositivos
elétricos em circuitos CA é dada através da seguinte equação:

Onde:

A unidade de

é Ohms ( ).

a. Impedância no resistor:
A impedância num resistor é equivalente à resistência deste dispositivo, ou
seja, independente do circuito de corrente contínua (CC) ou alternada (CA),
resistores sempre vão apresentar impedância igual à resistência (e esta, como
já se estudou, é dada pela divisão entre a diferença de potencial nos extremos
do resistor e a corrente que passa por ele (
):

o capacitor se descarrega ou se carrega e isso se dá com uma frequência (a mesma frequência da tensão alternada). a cada troca de sentido da tensão. aferindo-lhe. é a tensão no capacitor. na condição estacionária não passa corrente pelo capacitor. ele passa a representar uma abertura no circuito. Impedância no capacitor: Em circuitos CC. vêm: Aplicando na equação da impedância. (que é a parte imaginária da impedância no capacitor). Deste modo. obtemos: Racionalizando: Onde é a unidade numérica imaginária. é a capacitância do capacitor e é a impedância do capacitor quando este é atravessado por uma CA de frequência .b. Esta reatância varia de acordo com a frequência do sinal AC: Onde: Além disso. Porém. portanto. considerando a carga como a integral da corrente no tempo e a tensão no capacitor como o quociente entre carga e capacitância. em circuitos CA. a corrente flui através do capacitor. certa resistência que é representada pela reatância capacitiva. quando um capacitor se carrega completamente. . ou seja. é a carga do capacitor.

o que torna impossível a passagem de corrente pelo capacitor. Para frequências baixas (se aproximando de um circuito CC). atravessado por uma Analisando (3). num circuito CA. considerando que a tensão no indutor é dada pelo produto da indutância pela derivada da corrente no tempo no indutor. temos: Aplicando na equação da impedância. Impedância no indutor: Num circuito CC. Porém. obtemos: Onde é a impedância de um indutor de indutância CA de frequência . não ocorre autoindutância e nenhuma resistência é criada para se opor a alguma variação de fluxo magnético. o sentido da corrente varia continuamente dentro do indutor o que levará a uma autoindutância e a existência de uma resistência devido às variações do campo criado por esta corrente (Lei de Lenz). Em circuitos CC. c. quanto maior a frequência do sinal. Já em circuitos AC.Analisando (2) vemos que a reatância (impedimento à corrente) no capacitor é inversamente proporcional à frequência do sinal AC que o alimenta. Porém. dada por: Onde: Além disso. Essa resistência é representada pela reatância indutiva. a oposição à passagem da corrente é baixa. (parte imaginária da impedância indutiva). Para frequências muito baixas. de acordo com a Lei de Lenz. o capacitor oferece muita resistência à passagem de correntes. a altas frequências. mais fácil a corrente passa pelo capacitor (menos resistência é oferecida). um indutor ideal não oferece resistência. . isto é. as variações da corrente são mais significativas e a reatância é alta. o indutor apresenta comportamento como já descrito. pois o campo magnético em seu interior não varia (já que a corrente é contínua) e. a frequência é nula. vemos que a reatância indutiva é proporcional à frequência do sinal.

Filtros: a. de filtros passa baixa é dada por: Onde: Portanto. circuitos com maior capacitância oferecem maior .2. Tal frequência é dada por: Onde: A quantidade de amplitude do sinal que é reduzida num filtro passa-baixa depende das propriedades do circuito. Tudo dependerá se o circuito apresentar maior capacitância (circuito capacitivo) ou maior indutância (circuito indutivo). um sinal será impedido se tiver frequência menor que a frequência de corte e terá sua passagem facilitada se tiver frequência acima da frequência de corte. As frequências são “bloqueadas” de acordo com seus valores. Filtros PASSA-BAIXA: Filtros passa-baixa constituem uma série de circuitos que permitem com facilidade (baixa impedância) a passagem de correntes alternadas de baixas frequências. São utilizados para bloquear frequências baixas (e indesejáveis) de sinais complexos enquanto permite a passagem de frequências mais altas. de acordo com as equações (2) e (3). Filtros PASSA-ALTA: Filtros passa-alta são circuitos que permitem com facilidade (baixa impedância) a passagem de correntes alternadas de alta frequência. b. . A frequência de corte. Isso porque. Estes filtros também são caracterizados por reduzir a amplitude de frequências maiores que uma dada frequência de corte de filtros passabaixa. Portanto podemos concluir se um circuito de CA é filtro passa-baixa ou passaalta. tais como a resistência e a indutância total.

para frequências diferentes a impedância oferecida varia (os indutores e capacitores oferecem uma resistência à passagem da corrente alternada que varia de acordo com a frequência angular do sinal). a única impedância oferecida é a dor resistor). Podemos desenvolver uma expressão para o pico de corrente. a resposta a uma dada faixa de frequência não é constante. as respostas do capacitor e do indutor se cancelam.impedância a sinais de baixas frequências. isto é: Quando é a frequência do sinal. ou seja. . é a resposta do capacitor que predomina. caracteriza-se um circuito passa-alta. a frequência na qual a impedância oferecida pelo indutor é igual à impedância oferecida pelo capacitor. (amplitude de corrente AC) que percorre o circuito da Figura 01. a ação do indutor é predominante no circuito. fazendo com que o circuito seja puramente resistivo (ou seja. ou seja. Caso contrário. Já circuitos com maior indutância oferecem maior impedância a sinais de alta frequência. Quando a frequência do sinal é relativamente baixa. caracterizando-se um filtro passa-baixa. Dependência do circuito RLC com a frequência: Considere o seguinte circuito RLC de corrente alternada abaixo: Fig 01: Circuito RLC sob corrente alternada Neste circuito. para frequências altas. Basta notar que: . 3. Pode-se definir como frequência de ressonância. .

tem-se: De (07) obtemos que: Que é a amplitude da corrente pico a pico que passa pelo circuito RLC da figura 01.Onde: Para este caso temos que: (considerando-se que o cálculo da impedância equivalente obedece às leis do cálculo de resistência equivalente) Portanto. da definição de módulo de um número complexo. .

Separou-se um par capacitor-indutor para determinar a impedância (reatância). Discutir o gráfico impedância versus frequência para cada um dos dispositivos citados anteriormente. ajustou-se o medidor LCR para aplica-las ao dispositivo. f. 1 Indutor de 0. As medições foram feitas no medidor LCR e obteve-se: Com frequências pré-determinadas. Medidor LCR (capacímetro). possibilitando a leitura das impedâncias oferecidas. Construir gráficos que relacionam a voltagem de saída (resposta) com a frequência aplicada ao circuito. h. e. 1 Multímetro Amprobe 34XR – A Fios de ligação para a Protoboard 4 – PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS E RESULTADOS (PARTE I) 1.2 – OBJETIVOS Analisar a impedância de indutores e capacitores em função da frequência do sinal que recebem. 1 Capacitor de 355. j.812 mH. b. 1 Indutor de 0. Gerador de funções (sinais) BK Precision 4003 A. 1 Resistor de 118. d. Verificar a resposta de circuitos RL. Os resultados estão dispostos na tabela 01: . Matriz de Contatos (protoboard).7 Ω. c.5 nF. de cada um dos componentes a diferentes frequências. RC e RLC para sinais de alta e baixa frequência (tensão alternada). .803 mH. i. g. 3 – MATERIAIS UTLIZADOS a.4 nF. 1 Capacitor de 10. k. Avaliar numericamente os tempos característicos para um conjunto de indutores. capacitores e resistores. Osciloscópio Tektronix TDS1001B.

000 Ω 4. A seguir produziu-se um gráfico para os dados resultados na tabela 01.526 Ω 3. o processo foi o mesmo. 3.060 Ω 45. gerando o Gráfico 02: . 2.Impedância oferecida por cada um dos dispositivos Frequência Indutor: Capacitor: 100 Hz 11.625 Ω 448.472 x 103 Ω 120 Hz 11. 01: Impedância oferecida por capacitor e indutor a diferentes frequências.4 Ω 10 kHz 52.712 x 103 Ω 1 kHz 12.520 Ω 4. ou seja.19 Ω 100 kHz 501. Gráfico 01: Frequência versus impedância para o indutor. construiu-se o gráfico impedância no indutor versus frequência apresentado em Gráfico 01.387Ω Tab. Para o capacitor.

os circuitos descritos na figura 2: Fig 2: Circuitos utilizados na parte II. na matriz de contatos. . (PARTE II) 1. Montaram-se.Gráfico 02: Frequência versus impedância para o capacitor.

b.7 Ω Capacitor 10 nF 10. Espaçou-se cada frequência por intervalor logarítmicos (ou seja.. Os resultados são mostrados em Gráfico 3 e Gráfico 4. para os circuitos mostrados na Figura 2. A seguir. 4.). 02: Dispositivos utilizados no experimento II.8 mH 0. O mesmo procedimento foi feito para o circuito 05 (RL). Avaliou-se o tempo característico de cada um dos circuitos representados na figura 2. construíram-se gráficos que relacionam frequência do sinal aplicado (no eixo x) e voltagem pico a pico de saída (eixo y) – medida pelo osciloscópio. O procedimento adotado foi: a. fez-se aquisições para frequências dentro desta sub faixa. . 2.5 nF Indutor 0. o tempo característico é dado por: E para o circuito 05 (circuito RL) o tempo característico é dado por: 3. 20 Hz. 80 Hz. 160 Hz. A tabela 03 mostra os resultados para o circuito RC.. 10 Hz. Para o circuito 04 (circuito RC). Com os dados das tabelas 03 e 04. ajustou-se o osciloscópio para medir as tensões (pico a pico) de saída quando a fonte de tensão alternada produzia sinais na faixa de 10 Hz até 1 MHz (sinais senoidais).803 mH Tab. Nas sub faixas de frequências nas quais houve maior variação da voltagem pico a pico lida pelo osciloscópio. A aquisição de dados foi feita de forma cuidadosa devido à extensa faixa de frequências a serem medidas.Os dispositivos utilizados são descritos na tabela 02: Dispositivo Medida Nominal Medida Real Resistor 120 Ω 118. 5. A tabela de resultados é mostrada na tabela 04. 40 Hz. 6.

3 1.065 0. 3: Frequência versus Voltagem pico a pico para o circuito 04.01 0.000 16.004 0.022 0. Gráfico.Frequência (Hz) 10 20 40 80 120 240 480 960 2.000 4. 03: Aquisição Voltagem em função da frequência para circuito 04.000 100.856 1.5 1.68 1.000 48.000 32.14 1.008 0.76 1.012 0.000 24.000 8.72 1.000 150.8 Tab.48 0.036 0.000 200.000 64.64 1.000 Voltagem (V) 0.014 0.000 80.128 0. .246 0.

000 0.000 0.58 5.000 1.Frequência (Hz) Voltagem (V) 10 1.000 0.172 960.38 70.26 90.380 440.56 20.000 1.480 360.760 240.20 100.000 0.000 1.312 560.080 Tab.120.000 0.000 0.280 1.120 1.000 0.44 60.600 320.660 280.58 160 1.58 320 1. 04: Aquisição Voltagem em função da frequência para circuito 05.000 0.240 1.480 1.000 0.100 1.000 1.98 150.000 1.000 1.000 0.132 1.06 130.58 20 1.000 1.00 140.58 1.000 1.58 80 1.000 0.000 0.52 41.000 0.824 200.460 400.000 1.48 50. .280.32 82.000 0.56 10.54 30.58 640 1.16 110.340 480.94 160.000 0.240 800.000 1.58 40 1.000 0.000 1.560 1.10 120.58 2.000 0.260 640.

4: Frequência versus Voltagem pico a pico para o circuito 05. os circuitos descritos na figura 3: Fig 3: Circuitos utilizados na parte III.Gráfico. (PARTE III) 1. na matriz de contatos. Montaram-se. .

000 1.235 1.82 300.492 450.92 48.000 1.000 0. Ajustou-se o gerador sinais para uma onda senoidal na faixa de 1KHz a 1 MHz.572 400.38 750.000 1.000 1.000 1.4 28.96 80. os valores das frequências que o gerador operou foram ajustados em valores logarítmicos e gráficos foram gerados com os resultados obtidos.000 0.000 0.2 24.000.14 .72 110. 2. Novamente.48 150.62 128.000 1.000 0.9 90.000 1.000 0.000 1. As tabelas 05 e 06 mostram os valores das tensões de saída para uma dada frequência.000 0.000 2.936 240.00 56.74 16.Os dispositivos utilizados nesta parte do experimento foram os mesmo dispositivos da parte II.04 64.26 180. com a amplitude fixada.000 0.000 0.436 512.000 0.072 2.04 20.136 4.02 72.000 1.000 0.76 40.000 0.832 256.000 0.000 1. E os gráficos 5 e 6 mostram as curvas para o experimento: Frequência (Hz) Voltagem (V) 1.652 350.8 100.000 1.08 210.56 32.272 8.000 2.000 0. fez-se a aquisição de dados pelo osciloscópio dos valores das tensões de saída (pico a pico).000 0.000 2.000 1.000 1. Assim.000 1.000 0.54 12.

000 1.000 0.000 2.20 48.50 80.000 1.000 2. 05: Aquisição Voltagem em função da frequência para circuito 01.37 56.000 2.68 40.000 0.000.92 130.04 500.000 1. 06: Aquisição Voltagem em função da frequência para circuito 02.000 1.000 0.28 75. .00 70.78 100.00 16.96 150.00 4.000 2.00 250.86 110.64 90.000 1.000 2.000 2.000 1.92 52.000 1.000 2.000 1.000 1.000 1.00 12.50 44. 5: Frequência versus Voltagem pico a pico para o circuito 01.000 1.96 20.00 8.000 0.80 65. Gráfico.28 60.000 1.88 32.Tab.04 Tab.44 Frequência (Hz) Voltagem (V) 54.04 1.000 2.000 2. Frequência (Hz) Voltagem (V) 1.92 28.000 1.000 1.000 0.78 36.50 62.92 24.000 0.000 1.00 2.000 1.

Gráfico. a impedância no indutor é dada por: Logo. vemos que a impedância é uma função linear na frequência do sinal recebido pelo indutor e. portanto. . Porém. 6: Frequência versus Voltagem pico a pico para o circuito 02. 5 – ANÁLISES DOS RESULTADOS E DISCUSSÕES (PARTE 1) De acordo com a previsão teórica. o gráfico é uma reta. para frequências baixas (da ordem de 100 Hz) o indutor se desvia do comportamento previsto pela relação teórica: Impedância (Ω) Frequência (Hz) Gráfico 7: Desvio do comportamento teórico da indutância no indutor.

ou seja. . o gráfico de é da forma de uma de uma hipérbole. são grandezas inversamente proporcionais. ou seja. o indutor pode ser aproximado como ideal. em uma faixa de pequenas frequências (frequências relativamente pequenas). a impedância oferecida para uma corrente alternada de frequência é dada por: A partir desta equação. a impedância do indutor não é desprezível e aumenta linearmente com a frequência do sinal. Por outro lado. a impedância oferecida por ele é desprezível. no qual se tem corrente que pouco varia. a impedância se mantém aproximadamente constante ou varia muito pouco em relação à corrente. para baixas frequências a variação da corrente no indutor é pequena e. Deste modo. à medida que a frequência varia. como mostra o gráfico 8: Impedância (Ω) Frequência (Hz) Gráfico 8: Impedância no capacitor é inversamente proporcional à .Isso se deve ao fato de que. Para um capacitor de capacitância . Este caso. tem-se que a impedância do capacitor decai com o aumento da frequência angular. para uma faixa de frequências mais altas.

Isso implica que corrente de baixa frequência terá passagem facilitada pelo indutor. o que torna o circuito um filtro passa-baixa. a impedância do capacitor é alta. 2. à medida que a frequência do sinal aumenta. se comporta como um filtro passa-alta. o que permite afirmar que: 1. Deste modo. Sendo assim. Para frequências baixas. a impedância oferecida por ele é sempre a mesma. Porém. Portanto para frequências altas ou baixas. Isso permite afirmar que: 1. Circuito 04 (RC): Ao analisar os dados de aquisição para as voltagens de saída em função da frequência e o gráfico 3. 2. filtrado e apenas uma pequena parcela do sinal passará pelo indutor. a impedância do indutor é proporcional à frequência do sinal (ver equação 5). a impedância do resistor é ignorada. Por outro lado. Para frequências baixas. pois devido à baixa impedância do capacitor. A análise pode ser feita para cada circuito separadamente: a. boa parte desta corrente de alta frequência terá facilidade de passagem. estas frequências serão praticamente atenuadas pelo capacitor. Análise dos gráficos: a. Para frequências altas. Logo. à medida que a frequência aumenta neste circuito. Para frequências altas. a impedância do indutor é baixa. uma baixa porcentagem do valor de pico de corrente de baixa frequência passará pelo capacitor e o restante será filtrada. como discutido anteriormente. a impedância do capacitor é baixa. Por motivos análogos ao da análise anterior. variaram-se as frequências dos sinais emitidos a cada um. o circuito permite maior passagem . o circuito se comporta como um filtro passa-alta.(PARTE II) Após montar os circuitos. em sua maioria. Circuito 04: Este circuito é composto por um resistor e por um capacitor. tem-se que. ou seja. O circuito 04. a impedância do indutor é alta. b. um sinal de alta frequência será. a impedância do capacitor é inversamente proporcional à frequência do sinal (ver equação 3). ou seja. Circuito 05: Este circuito é composto por um resistor e um indutor. que não depende da frequência do sinal recebido. a voltagem de saída (resposta) também aumenta. O resistor oferece impedância constante (ver equação 1).

b. Ao analisar o gráfico 4. . definida como a frequência aplicada ao circuito que faz com que a impedância capacitiva seja igual à indutiva: Para um sinal de frequência igual à ( ). a tensão de saída permanece constante à medida que a frequência aumenta. isto é. pois a impedância oferecida por ele é proporcional à frequência recebida (quanto maior a frequência. Como discutido anteriormente. a voltagem de saída . Assim. Circuito 05 (RL): No gráfico 4. para este caso.de corrente por ele (filtra menos sinal). Porém. Considere a frequência de ressonância. as impedâncias do capacitor e do indutor se cancelam e a única resistência que o circuito oferece é devido ao resistor . maior a impedância). para frequências da ordem de 1 MHz. maior será também a parcela de sinal (de alta frequência) filtrada no circuito e menor será a voltagem de saída. Para um sinal de frequência menor que ( ) tem-se que a frequência recebida é suficientemente baixa para que a impedância capacitiva seja considerada e o circuito comporta-se como um filtro passa-baixa. A análise se dá de duas maneiras: a. à medida que a frequência do sinal aumenta ( crescente) a voltagem de saída (pico a pico) diminui de maneira acentuada. Circuito 01 (RLC em série): Ao analisar o gráfico 5. percebe-se que esta aumenta até certo valor de frequência e em seguida torna-se decrescente. este aumento se dá até um valor limite. o sinal tem facilidade de passar pelo circuito. que é justamente o valor da voltagem pico que é gerada pelo gerador de funções menos a queda de tensão devido ao resistor. a voltagem de saída é praticamente nula. Ora. sendo que. temse que. de modo que a voltagem pico de saída aumenta também. temos o comportamento da voltagem de saída (resposta) para um circuito RL no qual foram aplicados sinais de diferentes frequências. se quão maior a frequência do sinal maior a impedância oferecida. pois a impedância oferecida é baixa. (PARTE III) Após a aquisição de dados de ambos os circuitos (RLC em série e paralelo). construíram-se os gráficos 5 e 6 para modelar a situação. Ao atingir este pico. que descreve a voltagem de saída (pico a pico) em função da frequência aplicada ao circuito RC em série. o circuito RL comporta-se como um filtro passa-baixa.

Gama de frequências onde o circuito RLC em série oferece impedância indutiva significativa. b.aumenta para valores de que sejam menores que circuito RLC em série atuar como um filtro passa-baixa. Circuito 02 (RLC em paralelo): Semelhante ao circuito RLC em série. este circuito depende da frequência do sinal que recebe para definir seu comportamento como filtro passa-alta ou passa-baixa. é exemplificada esta fronteira de frequências: Gama de frequências onde o circuito RLC em série comporta-se como um filtro passa baixa. quando o sinal tem uma frequência maior que ( ). Abaixo. fazendo com que a voltagem de saída diminua à medida que a frequência cresce. cresce. que permitam o Por outro lado. afirma-se que a voltagem de saída primeiro decresce e depois de certo valor de frequência. Ao analisar o gráfico 6. que define qual comportamento será predominante a certa frequência. Seja a frequência do sinal recebido e a frequência de ressonância. sua frequência é relativamente grande (alta) para que o circuito RLC em série ofereça impedância indutiva significativa (maior que a capacitiva) e filtre o sinal. . Tem-se de analisar os seguintes casos: .

3. Abaixo. 2. pois a passagem é facilitada pelo capacitor. pois parte do sinal é atenuado pelo indutor. essa frequência vale: . esquematiza-se a fronteira de frequência: Gama de frequências onde o circuito RLC em paralelo oferece alta impedância indutiva. : A frequência do sinal é menor que a frequência de ressonância e o circuito comporta-se como predominantemente indutivo. : A frequência do sinal é maior que a frequência de ressonância e o circuito comporta-se como um filtro passa-alta (predominantemente capacitivo). oferecendo uma alta impedância a sinais de alta frequência. o circuito está em ressonância e apenas o resistor oferece impedância à passagem de corrente no circuito. ao analisar os dois esquemas acima apresentados. Isso faz com que a voltagem de saída (pico) cresça. É importante notar que. : Neste caso. oferecendo uma baixa impedância ao sinal de frequência baixa. Gama de frequências onde o circuito RLC em paralelo comporta-se como um filtro passa alta. conclui-se que a frequência de ressonância para os dois circuitos (04 e 05) é a mesma e vale . No presente experimento. o que significa que os circuitos RLC em série e em paralelo mudam de comportamento no mesmo valor de frequência dos sinais transmitidos a ele. Isso faz com que a voltagem de saída (pico) decresça.1.

Raymond SERWAY. indutores e resistores (circuitos RLC) podem apresentar quando submetidos uma corrente alternada. Foi possível observar a dependência da tensão no resistor em relação a frequência.wikipedia. Observou-se que o ponto em que as curvas dos circuitos RC e RL se cruzam coincide com o ponto máximo do circuito RLC em série e com o ponto mínimo do Circuito RLC em paralelo. 3. Rio de Janeiro.pdf Acesso em: 28/01/14 http://pt. Vol.ed da LTC Editora. e que as curvas dos quatro circuitos analisados possuem uma relação entre si. ed.6 – CONCLUSÕES Através destes experimentos realizados em sala de aula pudemos analisar os diferentes comportamentos que circuitos montados com capacitores.. 1996 http://www.org/wiki/Filtro_passa-baixo Acesso em: 25/01/14 http://pt. FISICA.1999).Paul TIPLER . Vol 2 . 2a. – 2000 (ou Vol 2. .br/~alekoe/CIR/2012-2/Exp07-FiltoPassaAltaPassaBaixa-20122. ponto esse identificado como ponto em que a frequência é igual a frequência de ressonância. 3a. 4a. LTC.Guanabara Dois.org/wiki/Filtro_passa-altas Acesso em: 25/01/14 .pucpr.wikipedia. edição – Ed. 7 – BIBLIOGRAFIA FÍSICA. Obtivemos então resultados que apresentam boa concordância com a previsão teórica para circuitos RLC.ppgia.