Região Sul: Caso professor vs DREAlg: tribunal deverá pronunciar-se ...

1 de 2

Director: José Mateus Moreno Chefe de Redacção: João Vargues

Região Sul > Actualidade > Notícia

Caso professor vs DREAlg: tribunal deverá pronunciar-se dentro de uma semana
O Tribunal Administrativo e Fiscal de Loulé deverá pronunciar-se sobre o processo interposto pelo professor Luís Dantas contra a DREAlg Direcção Regional de Educação do Algarve já na próxima quarta-feira dia 23 de Abril. O Região Sul sabe que o tribunal já notificou a lista A e a Assembleia de Escola para se pronunciarem por escrito sobre o caso. Terão de o fazer até quinta-feira dia 17. E a decisão do tribunal deverá ser conhecida cinco úteis depois. Recorde-se, o professor da escola Poeta António Aleixo em Portimão viu impugnadas as eleições que venceu para o Conselho Executivo, e pôs a DREAlg em tribunal. Luís Dantas, cabeça de lista, venceu as eleições no passado dia 12 de Março. A sua lista (B) arrecadou 121 votos. A lista opositora (A) conseguiu 88 votos. Foi a primeira vez que aquelas eleições foram disputadas por duas listas em 20 anos. A eleição teve uma afluência às urnas de 90% do colégio eleitoral. Votaram cerca de 240 pessoas, entre professores, funcionários, representantes dos encarregados de educação e dos alunos, entre outros. Após a eleição e os trâmites necessários serem assegurados pela Comissão de Apreciação dos Requisitos das Candidaturas da Assembleia de Escola, a DREAlg emitiu um ofício dando conta da impugnação do acto eleitoral. A DREAlg invoca o artigo 19 do decreto de lei 115-A/98, que diz que o candidato, para ser eleito ao Conselho Executivo, precisa ter um curso de gestão e administração de escolas ou ter tido pelo menos um mandato completo de administrativo e gestão num órgão da escola. Por seu turno Luís Dantas invoca quatro mandatos completos no Conselho Pedagógico. Mas a DREAlg, baseando-se na lei, defende que o Conselho Pedagógico não é considerado um órgão de administração e gestão escolar. O professor contrapõe que antes de avançar para a propositura foi aconselhado no âmbito de especialistas do Direito administrativo. “Temos acórdãos de tribunais superiores que dizem que sim: abrem essa possibilidade”, a do professor poder presidir ao Conselho Executivo. Para Luís Dantas a DREAlg “faz uma leitura restritiva da lei”. “O que nos impediu de tomarmos posse, que é uma coisa inédita – a interferência da DREAlg dentro da autonomia das escolas”, realça o responsável. O professor interpôs a acção de impugnação da decisão da DREAlg, na modalidade de contencioso eleitoral, no passado dia 8 de Abril. Director da DREAlg é ex-presidente do Conselho Executivo O director da DREAlg, Luís Correia, até ter tomado posse como tal, era o presidente do Conselho Executivo da referida escola, o que está a causar alguma desconfiança no meio, visto que a lista perdedora contempla os então vice-presidentes de Luís Correia naquele órgão. Segundo Luís Dantas, a outro órgão de comunicação social Luís Correia terá dito que o professor “estava a remeter isto para questões pessoais”, o que Luís Dantas nega mas põe em hipótese. “Na realidade as pessoas da outra lista eram as vice-presidentes dele. Claro está que isto não é uma perspectiva factual pelo que não tenho bases para levar para a questão pessoal. Mas quer se queira quer não, poderá fazer-se essa interpretação”, observa o professor. O Região Sul tentou contactar o director da DREAlg que se predispôs a prestar declarações mas via email. Sobre a questão atrás referida Luís Correia salienta que a decisão tomada fundamentou-se na lei. O responsável reforça que o “cumprimento do princípio da legalidade” e da “igualdade de tratamento em todos os estabelecimentos de ensino” foram “obviamente os únicos princípios que fundamentaram a decisão tomada e qualquer outra interpretação é totalmente injustificada”. Dantas volta a candidatar-se Se a resposta do tribunal for favorável ao argumento de Luís Dantas “ficam criadas as condições para a tomada de posse”, refere o professor, que no entanto lembra que a DREAlg “também pode interpor recurso”. O Região Sul questionou o director da DREAlg sobre se seria interposto recurso na eventualidade da decisão ser favorável a Luís Dantas, mas a questão ficou sem resposta. Por outro lado, se a decisão judicial for desfavorável, Luís Dantas diz que vai voltar a tentar vencer as eleições, porém com alterações na lista, que será encabeçada por alguém com os requisitos exigidos. Entretanto está para ser promulgado a toda a hora o novo diploma de gestão das escolas, e esse novo diploma faz com que os Concelhos Executivos em funções se mantenham para preparar a entrada do novo modelo. “É uma situação ingrata”, comenta Luís Dantas, porque “porque se o diploma sair nestes dias, mantém em funções por mais um ano aquele Conselho Executivo, que é interino, e ainda por cima perdeu as eleições”.

http://www.regiao-sul.pt/print.php?refnoticia=83076

Região Sul: Caso professor vs DREAlg: tribunal deverá pronunciar-se ...

2 de 2

Luís Dantas diz por isso que está na expectativa para ver se resta tempo para que possam avançar com nova lista a essas eventuais eleições, se a decisão do tribunal for desfavorável. O Conselho Executivo engloba três pessoas, um presidente e dois vice-presidentes. Depois do acto eleitoral – em situação de vitória – são convocados mais dois elementos que são os assessores.

João Vargues
18:12 terça-feira, 15 abril 2008

http://www.regiao-sul.pt/print.php?refnoticia=83076