You are on page 1of 2

LIBERDADE PROCLAMADA

Lucas 1,1-4; 4,14-21
Muitos tentaram escrever a história dos fatos ocorridos entre nós, assim como nos
transmitiram aqueles que, desde o início, foram testemunhas oculares e, depois, se
tornaram ministros da palavra. Diante disso, decidi também eu, caríssimo Teófilo, redigir
para ti um relato ordenado, depois de ter investigado tudo cuidadosamente desde as
origens, para que conheças a solidez dos ensinamentos que recebeste.
Jesus voltou para a Galiléia, com a força do Espírito, e sua fama se espalhou por toda a
região. Ele ensinava nas sinagogas deles, e todos o elogiavam. Foi então a Nazaré, onde se
tinha criado. Conforme seu costume, no dia de sábado, foi à sinagoga e levantou-se para
fazer a leitura. Deram-lhe o livro do profeta Isaías. Abrindo o livro, encontrou o lugar
onde está escrito: “O Espírito do Senhor está sobre mim, pois ele me consagrou com a
unção, para anunciar a Boa Nova aos pobres: enviou-me para proclamar a libertação aos
presos e, aos cegos, a recuperação da vista; para dar liberdade aos oprimidos e proclamar
um ano de graça da parte do Senhor”. Depois, fechou o livro, entregou-o ao ajudante e
sentou-se. Os olhos de todos, na sinagoga, estavam fixos nele. Então, começou a dizer-lhes:
“Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir.”

LECTIO – leitura
Dois “pedaços” do Evangelho de Lucas são apresentados juntos neste domingo. O
primeiro serve de introdução ao segundo. No início do seu “trabalho literário”, Lucas faz
questão de mostrar a qualidade e confiabilidade de suas informações. Em primeiro lugar,
baseia-se em testemunhas oculares dos eventos e, em segundo lugar, ele mesmo fez uma
extensa pesquisa. O texto é dirigido a Teófilo, que significa “amigo de Deus”. Estamos na
década de 80 quando, desaparecidas já as “testemunhas oculares” de Cristo, o cristianismo
começa a defrontar-se com uma série de heresias e de desvios, que colocam em causa a
identidade cristã. Assim, é importante, recordar aos cristãos suas raízes e a solidez dessa
doutrina recebida de Jesus, através do testemunho legítimo que é a tradição transmitida
pelos apóstolos.
Já no segundo “pedaço” do evangelho temos a visita de Jesus à sinagoga de Nazaré. O
texto lido por Jesus é tirado do profeta Isaías, mas Jesus parece escolher alguns versículos
específicos, para os ler à comunidade ali reunida. O centro do relato está na proclamação
de um texto do Trito-Isaías (Isaías 61,1-2) que descreve como é que o Messias concretizará a
sua missão.
Jesus explica o significado dessas palavras. Ele anuncia que a profecia de Isaías, escrita há
centenas de anos, tornou-se realidade hoje! A implicação é que o próprio Jesus é o
cumprimento destas palavras. Jesus vem com a boa notícia para os pobres, proclamar a
liberdade aos cativos, a vista aos cegos e a liberdade aos oprimidos. Não somos
informados se Jesus está falando literalmente ou metaforicamente aqui.
Mas como é que esta comunidade se sentiu quando Jesus falou naquele sábado? O que
terá acontecido em seus corações e mentes? Será que as palavras de Jesus faziam algum
sentido?
Embora este evento tivesse acontecido há dois mil anos, a verdade é que a Palavra de
Deus é eterna. Assim, a leitura das Escrituras nunca deve ser apenas um mero evento
cultural, mas sempre que as Escrituras são proclamadas elas estão vivas, ativas e sempre
cheias de energia.
Lucas anuncia também, neste texto programático, o caminho futuro da Igreja e as
condições da sua fidelidade a Cristo. A comunidade cristã toma consciência, através deste
texto, de que a sua missão é a mesma de Cristo e consiste em levar a “boa notícia” da
libertação aos mais pobres, débeis e marginalizados do mundo. Ungida pelo Espírito para
levar a cabo esta missão, a Igreja cumpre o seguimento de Jesus.

MEDITATIO – meditação
+ O que acha que as pessoas ao ouvirem Jesus teriam entendido quando disse: "Esta
passagem da Escritura tornou-se realidade hoje”?
+ Estes versículos de Isaías são bons para resumir o ministério de Jesus na terra? De que
maneira Jesus cumpriu essa profecia?
+ Preocupa-o a libertação daqueles que são escravos de tantas realidades? O que pode
fazer, de concreto, para continuar no meio deles a missão libertadora de Cristo?

ORATIO – oração
Ore para que todos em sua comunidade desempenhem sua missão da melhor maneira,
afim que a comunidade “viva” saudavelmente, como Paulo descreve em 1 Coríntios 12,
12-30. Reze pela sua “missão” neste processo. Peça a Deus para lhe mostrar o caminho que
você deve seguir no serviço à sua comunidade e à humanidade.

CONTEMPLATIO – contemplação
Reflita sobre Neemias 8,10: “A alegria que o Senhor lhe dará, o fará forte”. Sinta a força de
Deus revestindo a sua fraqueza, tornando-o cheio da força do próprio Deus.

MISSIO - missão
O missionário é a pessoa revestida do Espírito que se sente enviada a anunciar esta Boa
Nova de Jesus a todos, de modo especial, aos pobres, oprimidos, prisioneiros... A oferecer a
nova e verdadeira liberdade oferecida por Jesus. No batismo você recebeu esse Espírito,
mas será que está fazendo a sua parte no anúncio da Boa Nova?

Pe. Patrick Silva, imc - Centro Missionário José Allamano © 2010
www.imconsolata.org.br // info@imconsolata.org.br