1

2. ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO E TECNOLOGIA DA PRODUÇÃO 2.1 ORGANIZAÇÃO DA PRODUÇÃO

2

2.1.1 – ESTRUTURA A Estrutura da Administração da Produção é a “organização’ e consiste em reunir os recursos físicos e humanos essenciais à realização das metas”.
Organização nos processos produtivos significa o conjunto de atividades de direção, planejamento e controle que mantêm unida a empresa no sistema. As empresas se constituem em uma das mais complexas e multifacetadas invenções do homem. Quase tudo de que o homem necessita – senão tudo – é feito e produzido em organizações. O homem moderno passa a maior parte de seu tempo e de sua vida dentro das organizações. Elas são constituídas de recursos como pessoas, edifícios, máquinas e equipamentos, dinheiro etc. Sem pessoas as organizações simplesmente não funcionam e a produção é o objetivo fundamental de toda e qualquer organização.

Organização é o processo de juntar (combinar) os recursos produtivos: • Pessoal (mão-de-obra) • Matérias primas • Equipamentos • Capital
A Organização é o fator mais importante da sociedade moderna e nela estão inseridos os recursos humanos, materiais, equipamentos e capital. Fica evidente também o papel dos gerentes de produção na coordenação e na motivação dos empregados para transformar os planos em produção.

O planejamento é a primeira função de administração que é necessário organizar.
Se não tivermos um plano, não poderemos estabelecer objetivos, se não tivermos objetivos, não teremos motivo para organizar. A Administração da produção envolve centenas de decisões, minuto a minuto, durante uma semana de trabalho. Em função disso, é vital que os gerentes de produção tenham um conjunto de princípios gerais que possa orientar a tomada de decisão em direção aos objetivos da organização.

3

2.2 FUNÇÕES BÁSICAS DA PRODUÇÃO

As funções básicas da produção são 4: Planejamento, Organização, Direção e Controle.

Funções Básicas do Administrador da Produção

DEFINIÇÕES: Planejamento Planejar: é determinar antecipadamente os resultados a serem alcançados e os meios pelo qual a empresa poderá alcançá-los. Planejamento: é o processo pelo qual se procura aumentar a eficiência de uma atividade com a finalidade de alcançar num prazo maior ou menor (curto, médio ou longo) um conjunto de metas estabelecidas.

4

Organização Organização: é a construção da estrutura de recursos e operações da empresa. Organização: é criar e dispor sistematicamente as diversas partes de um todo para alcançar determinado objetivo com máxima economia e maior eficiência. Direção Direção: é a função mediante a qual o administrador fará com que seus subordinados executem o que foi planejado. Direção: é a função administrativa de gerir a organização à medida em esta ativamente executa os planos. Controle Controle: é a verificação da execução. Controle: é a avaliação dos resultados, comparando-os com os padrões estabelecidos e corrigindo os desvios que tenham surgidos.

5

2.3 FUNÇÕES DO ADMINISTRADOR DA PRODUÇÃO
A função de “administrador” é a pior profissão do mundo. Porque?

Exemplo do Técnico de Futebol

Em contrapartida: Constitui-se numa das profissões mais importantes do mundo. É também a profissão mais complexa do mundo. E mais difícil de todas as profissões. Ela permite ao administrador no exercício de suas funções, obterem remunerações altamente significativas como resultadas de seus trabalhos e é a única que complementa todas as demais profissões. Qualquer outra profissão requer conhecimentos administrativos para ter sucesso, quando necessitam de uma organização empresarial para a condução de seus negócios.

◙ Exemplo do Diretor Internacional da Volvo. ◙ Exemplo do Gerente Operacional do Hotel Emiliano SP ***** ◙ Anuncio Diretor Industrial - Bahia

6

Diretor Industrial Bahia

Revista Exame
Ao publicarmos este convite ressaltamos, sobretudo, do interesse da empresa que assessoramos, em obter como resultado de nossos trabalhos, um verdadeiro profissional, maduro no seu comportamento gerencial, capaz de desenvolver a condução harmônica e motivadora de toda a fábrica. Isso significa o profundo espírito de equipe para desenvolver pessoas, mas sabedor de sua autoridade, em função dos objetivos da empresa e suas próprias responsabilidades. Estruturalmente, este Diretor terá como subordinados imediatos os gerentes das áreas administrativas, operacional, manutenção, controle de qualidade e engenharia. Em nível superior, se reportará ao Diretor Geral da Empresa e terá como pares os Diretores Comercial e Financeiro. Do ponto de vista técnico desejamos que este executivo tenha formação superior em Engenharia Química, por tratar-se de Companhia do Setor Químico Inorgânico, pertencente a um dos maiores grupos empresariais nacional. Em contrapartida, estamos fundamentalmente interessados no componente básico que é a capacidade gerencial em detrimento do aspecto técnico.

7

Porque a Administração é uma das mais complexas ciências que existe? • Porque ela requer conhecimento e talento. Porque ela lida com pessoas. • Porque pessoas são os seres mais complexos que existem. • Uma pessoa é diferente da outra. • Pessoas pensam e agem diferentes uma das outras. • O que é bom para uma, pode não ser para outra. O que interessa para uma pode não interessar para outra e assim por diante. Pesquisa publicada pela Folha de São Paulo:
O administrador de hoje deve ter uma série de características inerentes e indispensáveis à sua profissão:

1 - Ser visionário; 2 - Saber formular estratégias; 3 - Valorizar os recursos humanos; 4 - Ter capacidade de resolver conflitos; 5 - Ter rapidez nas decisões; 6 - Delegar autoridade aos assessores; 7 - Pensar num plano de sucessão; 8 - Possuir conhecimentos de economia e política internacional; 9 - Motivar constantemente seus funcionários; 10- Curso superior em Administração de Empresas. Portanto para administrar com eficiência é necessário ter conhecimento de Relações Humanas e das Ciências do Comportamento Humano. As Ciências do Comportamento Humano são quatro: 1 - PSICOLOGIA – ciência que estuda as idéias e os sentimentos humanos. 2 - SOCIOLOGIA – ciência que estuda os fenômenos sociais. 3 - POLÍTICA – ciência que estuda o governo dos povos. 4 - ÉTICA - ciência que estuda a moral.

8

Além do conhecimento destas ciências, o administrador precisa de muita habilidade para: • procurar • aperfeiçoar Uma equipe eficiente e de qualidade • manter • utilizar

O administrador da produção trabalha com três elementos fundamentais no processo que são: pessoas, máquinas e materiais.

Com estes elementos surge a seguinte equação: R.H. + Máquinas + Materiais = Produção. Produção = Necessidade de Administração.

TIPOS DE ADMINISTRADORES Segundo Peter Drucker um dos maiores teóricos da Administração de todos os tempos - existem três tipos de administradores: 1° - O que vê as coisas acontecerem (e não toma atitudes). 2° - O que nem vê as coisas acontecerem (o pior tipo de todos). 3º - O que faz as coisas acontecerem (o tipo ideal).

9

O que faz as coisas acontecerem é o tipo ideal de administrador da produção. É um “agente de mudanças” que atua sobre três fatores: - Sobre o passado = Reage ( Faz reflexão sobre o certo e o errado) - Sobre o presente = Influencia (Orienta) - Sobre o futuro = PLANEJA. Sob a ótica destas colocações surgem então dois tipos de Administração:

1 – ADMINISTRAÇÃO POR CRISE:

Administração por Crise.

Neste tipo de Administração (por crise), o administrador planeja pouco e enfrenta as conseqüências da desorganização (ADMINISTRADOR BOMBEIRO).

2 – ADMINISTRAÇÃO PROFISSIONAL:

Administração Profissional

10
Neste tipo de Administração (profissional) a organização flui normalmente fruto do Planejamento.

2.4 FERRAMENTAS DE GESTÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO

Nas atividades de Administrador da Produção: • O administrador faz uso de ferramentas, que são essenciais para o sucesso do seu trabalho. • Estas ferramentas são as mesmas de todo administrador profissional. As técnicas de “Direção” garantem o êxito do processo produtivo. Um eficiente Sistema de Gestão requer: • Capacidade de influenciar pessoas. • Trabalho em equipe. • Conhecer os aspectos básicos dos mecanismos que levam o indivíduo a agir de diferentes formas.

Cada pessoa traz para a organização: • Talento diferente. • Nível de expectativa diferente. • Contribuição diferente. • Problema diferente. O trabalho de direção é um dos mais importantes, pois o sucesso ou fracasso de um empreendimento está na razão direta das pessoas que o conduzem.

11

Ferramentas para melhorar as relações interpessoais entre gerentes e funcionários:

Liderança Comunicação Tomada de Decisão Delegação Motivação Atualização

As seis ferramentas de trabalho para o administrador da produção, julgadas imprescindíveis no processo de produção são: Liderança, Comunicação, Tomada de Decisão, Delegação, Motivação e Atualização. Estas seis ferramentas de gestão, se bem aplicadas, garantem o êxito do processo produtivo. As ferramentas de gestão são inquestionavelmente armas poderosas de Administração, mas não podemos esquecer que da mesma forma que elas contribuem pode também ser uma arma reversa, portanto é fundamental saber usá-la.

12

2.4.1 – FERRAMENTAS DE GESTÃO
1 - LIDERANÇA
Se abrirmos o dicionário na palavra “liderança”, verificaremos que está escrito “chefia, comando, orientação a qualquer tipo de ação, condução ou representação de uma corrente de opinião”. Líder é o indivíduo que influência pessoas para que pensem e hajam de determinada forma na execução de um objetivo pré-fixado.
A liderança é necessária na organização humana e principalmente nas empresas. O administrador precisa conhecer a natureza humana das pessoas que estarão sob seu comando para que ele tenha sucesso ao conduzi-las no objetivo desejado. Liderar é liberar a capacidade criativa e o comprometimento das pessoas ao mesmo tempo em que obtemos confiança e credibilidade em nosso comando, demonstrado pela moral e competência de nossas ações. O líder não é aquele que consegue resultados por meio das pessoas, mas com as pessoas. Para o êxito da liderança é necessário aprender a lidar com as pessoas e saber o que realmente as motiva. A liderança é um dos fatores mais importantes da transformação organizacional. Podemos afirmar que as organizações não são gerenciadas, elas são lideradas por indivíduos apaixonados pela vitória que fomentam culturas de alto desempenho, fixam metas ambiciosas, medem resultados e exigem prestação de contas. São agentes de mudanças, impulsionando as empresas para que vençam com mais rapidez que seus concorrentes. Liderança é um relacionamento recíproco entre aqueles que escolhem liderar e aqueles que decidem segui-los.

A pergunta que todos fazem: A liderança é nata ou adquirida? Os estudiosos dizem que líderes natos são muito raros e que a liderança deve e pode ser aprendida. São atributos imprescindíveis do líder: • Crença em si mesmo (autoconfiança), • Paixão pelo trabalho e o • Amor pelas pessoas.

13

As principais características da liderança são: • • • • Ser aceito, Admirado, Respeitado e Seguido.

A liderança deve assegurar ao líder o controle e a eliminação da: • Ansiedade, • Insegurança e • Arrogância,
O gestor da produção precisa conhecer a natureza humana das pessoas que estarão sob seu comando para que ele tenha sucesso ao conduzi-las ao objetivo desejado.

Partindo da premissa que “líder” é o indivíduo que influencia pessoas para que pensem e hajam de determinada forma na consecução de um objetivo préfixado, três são os requisitos básicos de liderança: 1° REQUISITO BÁSICO – “Domínio e manejo dos métodos de atuação sobre a conduta humana”.
O administrador quando no exercício da liderança, dispõe de instrumentos poderosos que permitem dominar as pessoas, manipulando suas ações e sentimentos, através de métodos impressionantes de controle da mente humana. Estes instrumentos são:

a) - PERSUASÃO – Instrumento normal e predominante.
É o ato de convencimento. Através dele demonstramos que nossas palavras são confiáveis e merecem credibilidade. Pela persuasão os liderados seguem seus líderes.

b) - SUGESTÃO – Instrumento ocasional.
Não devemos a cada momento estar sugerindo como as pessoas devem se comportar. Devemos permitir que elas tenham iniciativas próprias.

c) - COAÇÃO – Instrumento excepcional.
O Administrador no cargo de “chefe”, dispõe de uma arma terrível que é o uso da “coação”, como imposição do medo, para fazer com que seus subordinados executem o que foi determinado. Lembrando que este instrumento é usado somente quando nenhum outro recurso for possível. Antes de vencer procure convencer.

14

2° REQUISITO BÁSICO – “Conhecimento das motivações do comportamento humano”.
Pessoas pensam e agem de forma diferente uma das outras. É isto que as tornam tão complexas. Portanto, é fundamental ao Administrador conhecer as pessoas com quem vai trabalhar para que possa liderá-las. Três são os instrumentos:

a) -

Base Individual - Procure conhecer os subordinados numa base individual: • • • • • • • Personalidade Origem Família Antecedentes Costumes Ideais etc.

b) -

Desejos Típicos – Como agem e pensam. • Procure despertar o desejo • Entusiasmo • Interesse.
Consultar as pessoas sobre os desejos típicos de cada um

c) - Reações e Emoções – Existem três atividades fundamentais de reação do ser humano, que correspondem a três emoções básicas: • 1 - Defesa é uma reação da emoção do medo. • 2 - Ataque é uma reação da emoção do ódio. • 3 - Criação é uma emoção do amor.

3° REQUISITO BÁSICO – “Qualidade de Liderança”.
São aspectos técnicos que influenciam no desempenho da liderança. Apresentamos dez lições para garantir o sucesso no exercício da liderança:

1° - VITÓRIA NAS PRIMEIRAS AÇÕES

15
É muito importante para o líder mostrar vitória logo no início de suas ações, para que seus subordinados confiem no seu comando. Mostre algo concreto. Convença que suas determinações têm fundamento lógico.

2° - HONESTIDADE
Mostre que suas palavras são confiáveis, que seu caráter tem peso.

3° - VISÃO
Enxergue à frente. Tenha senso de direção. Tenha visão de futuro.

4° - CONSENSO NAS AÇÕES
Seja um ótimo colega de equipe. Defenda os valores da vontade coletiva. Apóie as boas idéias oriundas do grupo.

5° - DELEGAÇÃO
Você não pode fazer tudo sozinho. Liderança não é um ato solo. Valorize o “nós”, elimine o “eu”.

6° - FAÇA O QUE DISSE
É fundamental executar o que você disse ou prometeu. As pessoas - primeiro ouvem as palavras e depois observam as ações.

7° - SAIBA DIZER NÃO
É difícil, mas haverá momentos em que você terá de dizer “não”, e esta é uma função do líder.

8° - A HORA DE MUDAR
Se você verificar que não possui em grau razoável um conjunto de qualidades para exercer bem determinada função, é preferível renunciar ou trocar de função, do que ser dispensado por incapaz.

9° - IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA
Todos os segmentos da sociedade precisam de líderes: A nação, a comunidade, as empresas, as escolas, a família, etc.

10° - AVALIAÇÃO DA LIDERANÇA
A liderança é medida através dos liderados. Não adianta você achar que é um líder. Quem dirá se você é um líder ou não, serão seus subordinados.

Quando nascemos, nós recebemos dos nossos pais um nome e sobrenome e isto é o inicio de uma “marca”. Durante toda nossa vida, vamos agregando ações e cada uma destas ações ficará registrada para sempre. Você é uma

“marca”. Você é responsável por esta marca. “O líder é uma marca”. Esta marca poderá ser uma marca poderosa, insignificante ou
desastrosa. A decisão será sua. Lembre-se “líder” não é o que simplesmente manda, mas sim “o que negocia desafios”.

16

Exemplos de líderes:

O maior líder positivo de todos os tempos: Jesus Cristo.

• O maior líder negativo de todos os tempos: Adolpho Hitler.

O Líder Servidor (A inversão da Pirâmide): James C. Hunter – Autor do Livro “O Monge e o Executivo” e “Liderança Servidora”.

Exercício de Liderança
Reunindo um número expressivo de pessoas, solicite que listem individualmente todas as qualidades que considerem importantes para um líder. A seguir reúna as pessoas em grupos para troca de idéias e opiniões. O grupo deverá efetuar uma nova lista, resumindo as dez qualidades mais importantes de liderança. Cada grupo através de um representante apresentará a lista com as dez qualidades esclarecendo os motivos das escolhas. Finalizando abre-se plenário para discussão e conclusão do exercício.

17

2 – COMUNICAÇÃO
A comunicação é o ato de emitir, transmitir ou receber mensagens. Uma comunicação correta garante o sucesso da mensagem. Tecnicamente, diz-se que comunicação é um processo de transferência de significados. A comunicação é uma das mais importantes ferramentas do administrador, pois dela depende o sucesso da mensagem. As comunicações são vitais e imprescindíveis em qualquer forma de vida social, principalmente nas empresas.

18
O Processo de Comunicação

Em todo processo de comunicação, há, de um lado o “emissor”, e do outro o “receptor” da mensagem. Entre o emissor e o receptor existe um canal que é permanentemente bombardeado por barreiras que interferem na comunicação. Num processo de comunicação, o “emissor” seleciona o que vai falar, codifica (torna compreensível – a língua que vai utilizar) e transmite a mensagem.

As barreiras que afetam as comunicações são de ordens psicológicas, sociológicas e técnicas.
O administrador da produção deve ficar atento a estas interferências que podem ser altamente prejudiciais aos resultados do entendimento.

As Barreiras Psicológicas interferem: • Valores • Atitudes • Interesses • Motivação dos subordinados. As Barreiras Sociológicas atuam na: • Cultura
A linguagem que será empregada e as conseqüências nas classes sociais dos nossos subordinados.

As Barreiras Técnicas são: • Todas aquelas provenientes do uso do canal indevido. Exemplo: Eu digo uma coisa e você entende outra.

Exemplos:

CASO: João do Buraco

19

A comunicação e suas conseqüências no processo de gestão: um estudo de caso na construção civil da região dos Campos Gerais.
O caso apresentado neste estudo relata um exemplo clássico de barreira técnica nas comunicações e envolveu um Engenheiro Civil de uma importante empresa do ramo da construção civil da região dos Campos Gerais, centro-sul do Estado do Paraná que, teoricamente, deveria ter o preparo necessário para conduzir e entender pessoas. O objetivo deste estudo de caso é refletir sobre as conseqüências do despreparo de dirigentes de empresas e como a comunicação afeta sobremaneira a administração e prejudica as atividades produtivas no ambiente de trabalho. O estudo analisa também os efeitos de uma má comunicação e a necessidade de um feed back para evitar maiores conseqüências no processo de gestão. Moral da história: Um grave erro de Barreira Técnica “O Engenheiro disse uma coisa e o João entendeu outra”, e quase acontece uma fatalidade. Conclui-se, então, que faltou feed back entre o patrão e o empregado, pois se este mecanismo de retroalimentação tivesse sido usado, o Engenheiro teria averiguado se a mensagem pretendida foi recebida e codificada, conseqüentemente o sucesso da mensagem estaria garantido.

20

◙ Exercício Prático de Comunicação
Em uma sala de aula. Professor escolhe 6 (seis) alunos. 1 (um) permanece na sala e 5 saem. Para o aluno que permanece na sala: 1. Simular uma ordem hierárquica 2. Comunicar a mensagem A Mensagem: O Reitor da Universidade tendo em vista a necessidade de colocar em funcionamento um número maior de salas de aulas, mandou chamar você para que seja feito um levantamento do espaço físico existente na Universidade e nas salas de aulas que possam ser reduzidas em seu tamanho, procedendo às repartições para delas fazer duas salas de aula; Solicitou também um levantamento de todas as carteiras existentes classificando-as em: Carteiras que estão em prefeitas condições de uso.  Carteiras que não estão em condições de uso, ma podem ser recondicionadas.  Carteiras que não estão em condições de uso e não compensam recondicionar, mas pode ser doada a outra instituição.  Carteiras inaproveitáveis que não servem para recondicionar e nem para serem doadas e devem ser inutilizadas.

Que este levantamento seja feito imediatamente e transmitido ao Reitor para que o mesmo tome conhecimento da real situação do espaço físico das salas de aulas da Universidade e da real situação das carteiras. Passar a mensagem de um para outro seguindo a ordem hierárquica estabelecida. O último aluno transmite a mensagem para todos os alunos da sala de aula. Comparar com a mensagem inicial. Avaliar.

21

Animação

Comunicação no Quartel
Exemplo típico de uma estrutura hierárquica pesada. 1. O Coronel dá uma ordem ao Comandante Amanhã às 9:00 horas haverá um eclipse do sol. Como se trata de um fenômeno raro e que não ocorre todos os dias, faça saber aos meus homens que vão ao pátio em traje de campanha, quando lhes darei explicações convenientes. Em caso de chuva não poderemos ver nada, então leve os homens ao ginásio. 2. O Comandante transmite a ordem ao Capitão Por ordem do Sr. Coronel, amanhã às 9:00 horas haverá um eclipse do Sol. Se chover, coisa que não ocorre todos os dias, não se poderá ver o fenômeno ao ar livre. Então em traje de campanha terá lugar ao eclipse no ginásio. 3. Capitão disse ao Tenente Por ordem do Sr. Coronel, amanhã todos os homens em traje de ginásio estarão às 9:00 horas no pátio do quartel, para assistirem à inauguração de um eclipse do Sol. Como este fenômeno não ocorre todos os dias, informe aos homens com a devida antecipação, pois o Sr. Coronel em traje de campanha dará ordens se chover ou não. 4. O Tenente ao Oficial Amanhã às 9:00 horas o Sr. Coronel, em traje de campanha eclipsará o Sol. Se chover quando este fenômeno se apresentar mandará fazer ginástica no pátio sem dar explicações a ninguém. 5. O Oficial ao 2◦ Tenente Amanhã por volta das 9:00 horas terá lugar o eclipse do Coronel em traje de campanha. Como isso não ocorre todos os dias, resguardem os homens no ginásio até que o fenômeno tenha desaparecido. 6. O 2◦ Tenente ao Sargento Amanhã às 9:00 horas o Coronel em traje de ginástica dará explicações de como devem comportar-se os homens em campanha quando ocorrer o eclipse do Sol. Com o isto não ocorre todos os dias, os homens em traje de chuva deverão ir ao ginásio para estudar o raro fenômeno.

22

7. O Sargento ao Cabo Amanhã às 9:00 horas em traje de campanha, todo mundo estará formado no pátio do quartel junto ao ginásio. O Sr. Coronel sem dar explicações a ninguém fará chover até que todo mundo tenha eclipsado. 8. O Cabo aos Soldados Transmito para vocês que amanhã lá pelas 9:00 horas, o Coronel vai trazer ao pátio do ginásio um eclipse em traje de chuva. 9. Os soldados entre si Parece que amanhã às 9:00 horas vão prender o Coronel no ginásio. Isto irá acontecer porque o Coronel estava eclipsando e não queria fazer ginástica nos dias de chuva. Pena que isto não ocorra todos os dias.

23

Ao comunicar devemos examinar a verdadeira finalidade da comunicação: • • • • Obter informações? Iniciar atividades? Modificar atitudes? Estabelecer metas?

Para que tenhamos sucesso, devemos planejar a comunicação. Para assegurar a compreensão, deve-se sempre fazer um feed back ou retro alimentação do processo. Comunicação é coisa séria em qualquer situação de trabalho e, mais ainda, quando determinamos a execução de uma ordem de serviço ou de fabricação e tudo pode dar errado se não for interpretado corretamente.

Exemplo da empresa que mandou um pedido para Recife e o cliente era de Porto Alegre. As comunicações são vitais e imprescindíveis em qualquer forma de vida social, principalmente nas empresas.

24

3 – TOMADA DE DECISÃO Nossos ancestrais, em um passado distante, quando enfrentavam uma situação de perigo, tinham que tomar decisões em instantes, pois o menor vacilo significava a morte. Os que eram mais rápidos em se defender ou eliminar o problema obtiveram mais sucesso e deixaram mais descendentes.
A partir desta premissa, o homem evoluiu e aprendeu primeiro a se defender e somente depois a analisar o problema. Em função disto, costumamos decidir baseado em fatos conhecidos. Assim, os empresários do passado agiam como senhores absolutos da razão ao tomarem decisões. Por muitos anos, as pessoas viveram crendo em mitos ou na falsa sabedoria dos que detinham algum tipo de poder e o efeito sobre a coletividade era muito forte. Hoje, enfrenta-se a mesma necessidade do passado de tomar decisões rápidas, evidentemente com grandes diferenças evolutivas, o mundo é cada vez mais complexo, existe excesso de informações, pressão por desempenho e uma infinidade de alternativas.

Agora, o desafio é dirigir as empresas na

velocidade do pensamento. Não tem como fugir, você decide ou alguém decide por você. Tão
importante quanto tomar decisões é aprender a tomar decisões acertadas.

Razão e intuição são as melhores armas para fazer escolhas.  Decisão é um processo de análise e escolha entre várias alternativas disponíveis do curso de ação.  Se houver somente um caminho, não há nenhuma decisão a tomar, a própria situação determina a decisão.

O medo de errar é a maior dificuldade que os administradores enfrentam. Por isso acham difícil tomar decisão. O que não elimina o risco.

 Problemas ignorados apresentam conseqüências mais sérias.  A “decisão” de “não tomar decisão” é uma alternativa.  “Não tomar decisão” é tão arriscado quanto “tomar decisão”, porque “não tomar decisão é uma decisão, a decisão de não tomar decisão”.

25

Concluímos que não existe saída Tomada de Decisão é responsabilidade do Administrador. PASSOS BÁSICOS EM UMA TOMADA DE DECISÃO: • • • • • • • 1° - Coletar informações e dados. 2° - Analisar o problema. 3° - Procurar alternativas. 4° - Avaliar as conseqüências. 5° - Tomar a decisão. 6° - Transformar a decisão em ação. 7° - Controle.
Fazer uma pesquisa entre os presentes: Em quais dos passos Administrador mais erra?

O que os administradores precisam saber é tomar decisões acertadas, ou seja, ESCOLHER A MELHOR ALTERNATIVA. Os estudiosos afirmam que os administradores mais erram em “procurar alternativas”, isto devido ao bloqueio mental imposto pela rotina diária do trabalho.
Recomendamos aos administradores estes sete passos básicos para uma tomada de decisão acertada. Todos os sete passos são imprescindíveis e podemos assegurar, se for seguido estaremos minimizando os erros de uma tomada de decisão.

►Apresentar texto: Procurar alternativas - Empurre a vaca para o brejo

“Quem decide pode errar Quem não decide já errou”
Herbert Von Karajan

26

4 – DELEGAÇÃO Delegação significa: encarregar, incumbir uma pessoa de resolver problemas ou uma tarefa.
Nos dias atuais, a sobrecarga de tarefas se revela pela tendência de centralização excessiva por parte dos executivos e gerentes de produção. O acumulo de responsabilidades reduz a eficiência, acarretando inevitáveis desequilíbrios emocionais no relacionamento do ambiente de trabalho. As conseqüências provenientes do estresse podem levar os executivos a danos irreversíveis de saúde. O gestor não deve fazer a tarefa que possa ser feita por um dos seus subordinados. A delegação de tarefas e responsabilidades é uma ferramenta vital na organização racional do trabalho e uma necessidade da Administração Moderna. Para delegar tarefas é necessário preparar os subordinados e nossa escolha requer alguém responsável e que seja respeitado pela equipe. O funcionário que recebe a delegação passa a ser responsável, pela tarefa, perante a autoridade delegante, a qual continua responsável perante seus superiores. O delegante sempre será responsável pelas ações dos seus subordinados. Uma competente delegação permite ao gerente do processo produção encontrar tempo para planejar e deter-se nas atividades de maior relevância, conseqüentemente proporcionando maior resultado nas metas e objetivos da produção.

Na delegação, a transmissão de tarefas deve levar em conta alguns requisitos fundamentais no processo de preparo dos subordinados: • Escolha cuidadosamente aqueles que estejam em condições de receber atribuições delegadas. • Prepare os subordinados para o exercício das atribuições (treinamento). • Aumente gradativamente a dose das atribuições, delegando somente aquilo que o subordinado tem capacidade de cumprir (controle). • Não delegue tarefas impossíveis. Tarefas impossíveis desmotivam. • Desenvolva o senso de iniciativa própria. • Só uma pessoa deve ser responsável por uma tarefa. • Lembre-se que toda atribuição tem aspectos delegáveis e indelegáveis. • Você nunca deve delegar a sua própria autoridade, ela é indelegável. • Valorize o bom desempenho do subordinado.

27

Caso: O melhor Tratorista da Fazenda que passou a ser Encarregado de Campo. 5 – MOTIVAÇÃO
A Motivação é uma ferramenta que se reveste de grande importância no processo administrativo. Para compreender o comportamento humano é fundamental o conhecimento da motivação humana.

Motivo é tudo aquilo que impulsiona a pessoa a agir de determinada forma. Motivação é um estado profundo que: • energiza • ativa • move • dirige ou canaliza o comportamento em direção aos objetivos.
Motivação é o motivo para a ação e a partir daí o ser humano busca satisfazer suas necessidades. O homem é um animal permanentemente insatisfeito, lutando sempre para conseguir algo mais que julga imprescindível a sua satisfação. As necessidades humanas são complexas e infinitas, pois sempre estará faltando alguma coisa. No processo produtivo a motivação é uma ferramenta da mais relevante importância porque ela afeta sobremaneira o desempenho funcional e este é a mola propulsora da produção. O empregado não deve ser confundido com os equipamentos de produção de uma empresa. Ele é um ser humano e deve ser tratado como tal. Sua vida não se resume no que faz na empresa. Ele tem outros interesses que não devem ser ignorados pelos administradores. Cuidar desses interesses é, sem dúvida, criar motivações para o trabalhador desempenhar a contento suas obrigações.

No campo da motivação e fazendo foco na empresa produtiva, observamos duas constantes no momento em que nos preocupamos em motivar nossos subordinados: a) – Só podemos motivar alguém a partir do momento em que conhecemos a pessoa que vamos motivar. b) – Ao motivar precisamos olhar o meio ambiente que cerca organização como um todo: superiores e subordinados de hierarquia.
Pessoas são seres complexos, têm desejos, impulsos, instintos, necessidades, vontade e intenção. Este conjunto de fatores está sempre dirigido para um alvo que varia de pessoa para pessoa, mas, de forma intrínseca, o homem busca “felicidade”, que é obtida através da saúde, conforto, bem-estar, realização profissional, reconhecimento pelo trabalho, progresso, dentre outros.

28

Abraham Maslow, psicólogo, consultor norte-americano, estudioso do campo das motivações, criou uma teoria segundo a qual as necessidades humanas estão organizadas e dispostas em níveis, numa hierarquia de importância e influenciação. Essa Hierarquia de Necessidades é representada e visualizada em uma pirâmide em cuja base está as necessidades mais baixas e no topo as mais elevadas. Diz Maslow que as necessidades vão se tornando mais sofisticadas à medida que mudamos de nível. Na hierarquia das necessidades, quer seja membro de uma tribo primitiva, de um grupo de pobres, de uma classe média ou de um grupo privilegiados de milionários, raras vezes estar-se-á inteiramente satisfeito com as coisas essenciais que já se possui. Continuamente, procura-se melhor qualidade e maior variedade, sempre em busca de maior satisfação na vida.

Pirâmide de Maslow – Hierarquia das Necessidades

◙ CASO

- O homem X – da miséria à riqueza

Para interpretar a Pirâmide de Maslow, ilustrar-se-á com uma história de um ser humano vivendo em extrema miséria e sua ascensão tornando-se um grande empresário.

◙ CASO

- O Empresário que fazia festas

Este caso discute sobre a motivação e o despreparo de dirigentes de empresas e como estes fatores influenciam na gestão. Analisam-se os casos de duas organizações familiares do ramo metal-mecânico estabelecidas na Região dos Campos Gerais, Estado do Paraná, cujos fatos ocorreram entre os anos de 1985 e 2004, envolvendo os donos das empresas. Os casos retratam os estilos administrativos, as conseqüências de uma boa e de uma má administração e a necessidade de mudanças na gestão.

29

Empresa 1
Uma tradicional empresa do ramo metalúrgico: Seu dirigente ficou muito rico, tornando-se um grande empresário a partir do nada, fruto de seu esforço pessoal. (O empresário em questão não tem o 2° grau, fato este que não desvaloriza seu sucesso, mas impede de conhecer e estar apto às grandes mudanças que ocorrem nos processos de gestão). Descendente de família humilde e tendo vencido com muitas dificuldades para chegar ao topo, esqueceu-se de seu passado e com o tempo ficou soberbo e prepotente. A empresa não fornecia nenhum benefício interno ou externo aos seus funcionários. O empresário evoluiu num ambiente de restrições econômicas e financeiras e, portanto, adquiriu uma visão austera de fábrica. Manter o empregabilidade e o salário dos funcionários julgava ser um grande benefício. Mesmo assim um dia, ele comentou com a esposa que tinha chegado a hora de fazer alguma coisa pelos seus funcionários e o dote culinário da esposa estava inserido em seus planos. “Fazer um grande jantar uma vez por mês para os seus funcionários”, em homenagem ao seu sucesso e para dar uma retribuição especial aos que tanto têm contribuído com este sucesso.

Empresa 2
Envolve um hábil trabalhador, ex-funcionário da Empresa 1 que ocupava o cargo de gerente de produção, demitiu-se e montou sua própria empresa por não concordar com o sistema de gestão e os procedimentos no trato funcional. O novo empresário sem nenhum recurso emprestou uma máquina dobradeira de chapas de aço “usada”, alguns equipamentos e em um barracão alugado iniciou suas atividades empreendedoras apenas com a habilidade que lhe pertencia. Com muita luta e muito sacrifício, a Empresa 2 é hoje mais progressista que a empresa 1 e seu sucesso, em parte, estão sedimentados na forma de motivar seus funcionários. O novo empreendedor tem um profundo espírito de equipe Valoriza sobremaneira o operário do chão de fábrica e suas ações, está sempre voltada e preocupada com o bem estar dos colaboradores e de seus familiares.

A Empresa 2 tem: • Plano de saúde familiar • Ambulatório médico • Ambulância da própria empresa • Ônibus para transporte dos trabalhadores • Seguro em grupo • Restaurante próprio (muito bem estruturado) • Sala de jogos • Salas de lazer • Fornece cesta básica • Proporciona reuniões e encontros de família • Programa Habitacional da Família Operária: (ponto alto do seu sistema de gestão) é um plano permanente de médio e longo prazo para financiamento da casa própria aos seus funcionários.

30 • • • • • Está permanentemente atento às questões que envolvem o processo de gestão, é dinâmico e tem visão de futuro. Inova em máquinas, equipamentos, processos, tecnologia e relações humanas. Investe em novas instalações Produz produtos focados nas necessidades dos clientes Sempre presente, motivando o trabalhador, procurando saber o que falta e que pode ser feito para melhorar a qualidade de vida dos seus colaboradores.

Conclusão Os casos relatados neste estudo ocorreram num ciclo econômico de aproximadamente de 20 anos. No início dos anos 1990, a Empresa 1 era uma empresa consolidada e a Empresa 2 lutava para vencer. Em 2004, a Empresa 1 tornou-se pré-falente e atravessa uma grande crise financeira e a Empresa 2 um sucesso empresarial.

O que diferencia uma da outra é o estilo de gestão.
A Empresa 1 outrora poderosa é o reverso dos princípios da Administração:
• • • • •

Arcaica Inchada de afetos da família do patriarca na empresa Desmotivada Desenvolve uma má condução nos negócios Altamente resistente às mudanças, afetando crucialmente a organização.

O estudo destes casos no levam a reflexão de como os estilos de gestão e a resistência às mudanças interferem preponderantemente no destino das empresas.

6 – ATUALIZAÇÃO Atualização quer dizer “tornar atual”, “modernizar”, “fatos e acontecimentos da época presente”.

31

De nada adianta termos amplos conhecimento de Administração, se estiver desatualizado. O impacto das mudanças constantes Os novos rumos do desenvolvimento • As novas tecnologias surgem em nossas vidas de maneira espantosa e imprevisível.
• •

Sem atualização, seremos esmagados pela grande máquina das transformações que é a tecnologia. A atualização e a reorganização na vida profissional e empresarial deve ser um processo incessante de “auto-renovação”.
Se não tomarmos providências inteligentes estaremos fadados a uma crise de caráter desagregador pela falta de suficientes conhecimentos que impedem a exploração das possibilidades existentes e a visão de oportunidades que surge com a rápida evolução. As inovações tecnológicas serão permanentes e a grande preocupação é a velocidade das mudanças.

Dois grandes estudiosos da administração afirmam que o mundo de hoje se divide em dois: • Rápidos e Lentos (Alvin Tofler) • Rápidos e Mortos (Tom Peters ) “O que diferencia é a velocidade”

Saber ou acompanhar todas as mudanças e inovações tecnológicas é absolutamente impossível, mas é preciso: • Tomar conhecimento das mais importantes mudanças tecnológicas. • Considerar as mudanças como oportunidades e não como ameaças. • Manter suficientes conhecimentos para desempenhar bem as funções.

32

• Desafiar a rotina ( procurar alternativas). Então surge a pergunta: o que fazer?

Nossa sugestão é:
1° - Pós-Graduação:
Na velocidade com que as coisas acontecem é muito fácil ficar desatualizado. Pouco tempo depois de deixar a Universidade, pode ir pensando em voltar à escola. Acabou a época de o profissional ficar acomodado, faça tudo o que estiver ao seu alcance para fazer uma pós-graduação e se possível estudar fora do país.

2° - Participar:
Participar de cursos, palestras, encontros, seminários, congressos, etc., de tudo aquilo que estivar ligado a nossa área de atuação profissional e o do que for de interesse da empresa.

3° - Visitar:
Outras empresas similares ao nosso ramo de negócios. Não importa o tamanho da empresa. Lembre-se: Sempre haverá alguém fazendo alguma coisa melhor do que nós.

4° - Viajar:
A passeio ou a negócios, excursões técnicas ou turísticas. Viajar e conhecer novos lugares. Conhecer outros povos é cultura, e uma das mais importantes fontes do conhecimento.

5° - Contatos:
O relacionamento com outras pessoas, a troca de idéias e pensamentos é uma fonte riquíssima do saber, sempre estaremos agregando mais informações para o nosso conhecimento. O profissional mudo, que não dá palpite, não faz perguntas ou críticas não tem futuro. Jantares com amigos de outras empresas, reuniões sociais ou profissionais são ótimas oportunidades para saber o que os outros já estão sabendo.

6° - Mudança:
Mudar de área dentro da mesma empresa, mudar de atividade ou até de emprego às vezes é recomendável. Experiência vale mais do que tempo de serviço. Se a empresa está defasada é bom buscar novas alternativas ou cair fora.

7° - Leitura:
Inegavelmente a grande fonte do saber. Devemos permanentemente ler livros, revistas, jornais, publicações. Informações gerais são muito valorizadas.

8◦ - Pesquisa:
A grande fonte do saber. Pesquisar na Internet, Revistas especializadas, periódicos, etc.

9° - Assistir:
Filmes, reportagens, documentários, etc.

33

Enfim, tudo o que agregar conhecimento é de extrema importância para a nossa atualização pessoal e profissional. A atualização profissional do homem, dos produtos, dos processos e da organização no contexto da produção é o núcleo do sucesso empresarial.

O QUE A EMPRESA QUER

O candidato de hoje precisa mais do que o diploma, curso de inglês e informática.

34 

 

  

Acabou a época do profissional dedicado a uma atividade específica. As empresas preferem pessoas polivalentes. O engenheiro precisa ter conhecimentos marketing e o advogado deve entender de finanças. Os melhores empregos vão para aqueles que têm pós-graduação e viveram algum tempo no exterior. Por isso, faça tudo o que estiver ao seu alcance para viajar e principalmente estudar fora do país. Jantares com amigos de outras empresas, conversas no clube e reuniões com a turma do futebol são oportunidades para saber o que os outros estão sabendo. Leia jornais, revistas, internet. Informações gerais são muito valorizadas hoje. É bom saber a quantas andam a economia européia, as mudanças na China e as guerras tribais na África. Na velocidade com que as coisas acontecem é muito rápido ficar desatualizado. Quando concluir a graduação já está na hora de iniciar a Pós-graduação. O profissional mudo, que não dá palpites, não faz perguntas ou críticas é candidato ao bilhete azul. A curiosidade a respeito de outros departamentos de sua empresa é essencial. Mudar de área dentro da mesma empresa é recomendável. Experiência vale mais do que tempo de serviço. Se a empresa está defasada é bom procurar emprego logo numa mais moderna. A atitude perante o trabalho é muito importante, pois as empresas modernas gostam até de um pouco de arrogância no funcionário porque pode ser um sinal de que está em condições de liderar. Pode parecer chocante para o tímido, mas um curso de sapateado ou de mímica ajuda a destravar a língua. Cuide da aparência pessoal. Ninguém contrata um funcionário que use terno cor-de-abóbora. É preciso ter ambição. Quem não tem essa capacidade, corre o risco de encerrar a carreira cuidando de maços de papel velho no arquivo morto da empresa.

Fonte: Revista Exame

2.5 TECNOLOGIA DA PRODUÇÃO
O administrador da produção, necessita ter uma série de recursos, dados e informações indispensáveis para otimizar o processo, melhorar os produtos e garantir o sucesso de sua gestão. O impacto das mudanças

35
constantes, os novos rumos do desenvolvimento e as novas tecnologias surgem em nossas vidas de maneira espantosa e imprevisível. O acesso à informação alterou os estilos de vida dos consumidores e suas expectativas em relação às empresas. A melhoria da qualidade e o aperfeiçoamento dos processos correm muito mais depressa através do fluxo de informação digital. A tecnologia da informação (TI) permitiu criar processos novos para melhorar radicalmente o funcionamento das empresas, obter pleno proveito de todas as capacidades de seus funcionários e dar-lhes a velocidade de resposta de que irão precisar para competir no mundo dos negócios de alta velocidade. Para obter os benefícios da tecnologia os líderes empresariais devem dinamizar e modernizar seus processos e suas organizações.

2.6 O PROCESSO DE ADMINISTRAR A PRODUÇÃO COM TECNOLOGIA - APT
As inúmeras atividades do profissional de Administração formam um sistema composto por diversas unidades entre as quais existem relações. Numa organização formal, a inter-relação envolve funções básicas, padrões de autoridade, subordinação, materiais, processos, produtos e clientes. Embora atualmente a Tecnologia da Informação (TI) tenha disponibilizado os meios necessários às operações do processo decisório, no campo da Administração não há soluções para garantir o êxito em qualquer situação, entretanto não existe nada mais prático que conhecer a teoria para poder fazer adequadamente o que se tem que fazer. Embora a intuição do administrador seja uma qualidade importante, a teoria e a tecnologia são indispensáveis. No processo de gestão, as “idéias” são o princípio de tudo, porque a partir delas são formuladas as “teorias administrativas”. A Organização Produtiva (Empresa) é o núcleo do processo da Administração da Produção. Do núcleo surge à necessidade de envolver as quatro funções básicas do administrador que são “o Planejamento, a Organização, a Direção e o Controle”. A partir daí, o universo se expande e o administrador da produção necessita acompanhar atentamente todas as vertentes que se ramificam das funções básicas, formando os “instrumentos de gestão”, que são os “sistemas” que, por sua vez, se transformam em “mecanismos” (hardware e software) para a elaboração dos planos, acompanhamento, estruturação e comando do processo produtivo.

No diagrama da figura abaixo estão contidas as atividades necessárias para que o administrador da produção exerça com sucesso todas as suas atribuições:

36

37

O Processo de Administrar a Produção com Tecnologia - APT.

38

Estrutura do Processo de APT O diagrama da figura intitulado “O processo de Administrar a Produção com Tecnologia” mostra os diversos elementos que o administrador normalmente conhece e pratica no exercício de suas atividades. O que se pretende é demonstrar de forma clara e objetiva as diversas partes de um todo, para alcançar maior compreensão na teoria e na dinâmica do processo de administrar a produção.


Artigos Publicados: Ferramentas de gestão para melhorar as relações interpessoais entre gerentes e subordinados no processo de produção – ADM 2004.

• A comunicação nas empresas e suas conseqüências no processo de gestão: um estudo de caso na construção civil da região dos Campos Gerais – ADM 2005. • Motivação como fator preponderante no destino das empresas: um estudo de caso no ramo metal-mecânico da região dos Campos Gerais – Revista Publicátio da UEPG – Dez. 2005. • A dinâmica quadridimensional do processo de Gestão da Produção – SIMPEP 2005- UNESP Bauru, SP.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Special offer for students: Only $4.99/month.

Master your semester with Scribd & The New York Times

Cancel anytime.