Ementas

1º período

Disciplina:

ANATOMIA HUMANA

Formação:

Básica
Série/Período: 1º
Carga Horária: 72 h/a
Descrição de todos os sistemas orgânicos, envolvendo o sistema esquelético, sistema
articular, sistema muscular, sistema circulatório, sistema digestório, sistema urinário,
sistema genital feminino e masculino, sistema endócrino e sistema nervoso,
compondo todas as unidades corporais do ser humano, demonstrando ao aluno, dentro
do processo ensino-aprendizagem a construção gradativa do conhecimento anatômico,
sendo este, base para suas competências e habilidades na profissão.

Ementa:

-2012-36S200

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
- BEAR M.F, COMMORS B.W, Paradiso M.A: Neurociência, Porto Alegre Artmed,
2002

-DANGELO, José Geraldo; FATTINI, Carlo Américo. Anatomia básica
dos sistemas orgânicos com descrição dos ossos, junturas, músculos,
vasos e nervos. São Paulo: Atheneu, 2000. 493p.
-Gardner, Ernest. Anatomia: estudo regional do corpo humano. 4. ed. Rio
de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988
-ROHEN, J. W; YOKOCHI, C. Anatomia humana. 4. ed. São Paulo:
Manole, 1998. 486 p
Bibliografia

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

-HANSEN, John T.; LAMBERT, David R.; NETTER, Frank H.; OPPIDO,
Terezinha (Trad.). Anatomia clínica de Netter. Porto Alegre, RS: Artmed,
2007. 688 p.
-DANGELO, José Geraldo; FATTINI, Carlo Americo. Anatomia humana
básica. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2005. 184 p.
-Putz Renate; Pabst Reinhard Sobotta: atlas de anatomia humana. 21. ed.
Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000. 2 v
-HERLIHY, Barbara. Anatomia e fisiologia humana do corpo humano
saudável e enfermo. São Paulo: Guanabara Koogan, 2002. 569 p.
-DÂNGELO, José Geraldo; FATTINI, Carlo AMérico. Anatomia básica
dos sistemas orgânicos. Rio de Janeiro: São Paulo: Atheneu, 1998. 494 p.

Disciplina:

EPISTEMOLOGIA DA PSICOLOGIA

Formação:

Básica

72 h/a
Série/Período:
Carga Horária:
O campo da teoria do conhecimento e as formas de investigação do psiquismo. As
matrizes epistemológicas e suas influências nas diferentes escolas da Psicologia.

Ementa:

Bibliografia

2012-36S200

As vertentes filosóficas que deram origem à constituição formal da ciência
psicológica. A interdisciplinaridade da ciência psicológica.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
CAPARRÓS, Antonio. História da psicologia. Lisboa, Plátano Edições Técnicas,
1999.
- FADIMAN, J.; FRAGER, R. Teorias da personalidade. Trad. brasileira de Camila
Pedral Sampaio & Sybil Safdié. São Paulo, editora Harbra, 1986.
- JAMES, W. As variedades da experiência religiosa. Trad. brasileira de Octavio
Mendes Cajado. São Paulo, Cultrix, 1995.
- JAPIASSU, H. Questões epistemológicas. Rio de Janeiro: Imago, 1981.
- KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. Trad. brasileira
de Beatriz Vianna Boeira & Nelson Boeira. 3. ed. S.P., Ed.
Perspectiva, 1994. (Col. Debates, n. 115).
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
- CAMPOS, Raymundo. História geral: idades moderna e contemporânea. 4. ed.
S. P.: Atual editora, 1981.
LALANDE, André. Vocabulário técnico e crítico da filosofia. S.P.: Martins
Fontes, 1999.

Disciplina:

GENÉTICA

2012-36S200

Período:

Básica
36 h/a
Série/Período: 1º
Carga Horária:
Relacionar
estrutura
de
função
do
material
genético
com
processos
de
replicação,
Ementa:
transcrição e tradução. Estuda princípios básicos da hereditariedade: 1ª e 2ª Leis de
Mendel; Determinação do sexo e herança ligada ao sexo; Base cromossômica da
hereditariedade; Mitose e Meiose; Mutações; Tecnologia do DNA recombinante e
terapia gênica.
Bibliografia BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
BURNES, G.W.E.;Bottino, P.J. Genética, Ed. Guanabara Koogan, 6a ed, 1991.
FUTUYMA, D. Biologia Evolutiva. Sociedade Brasileira de Genética, 1993
BORGES-OSÓRIO, M.R.; ROBINSON, W.M. Genética humana. Artmed, 2002.
GRIFFITHS, A.J.F.; MILLER, J.H.; SUZUKI, D.T.; LEWONTIN, R.C.; GELBART,
W.M. Introdução à Genética, Editora Guanabara Koogan, 2002.
Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
GARDNER, E.J.; SNUSTAD, D.P. Genética, Ed.Guanabara Koogan, 7a ed, 1986.
MOTTA, P.A. Genética humana aplicada a Psicologia e toda a área biomédica. Ed.
Guanabara Koogan, 2a ed, 2005.
NUSSBAUM, R.L.; MCINNES, R.R.; WILLARD, H.F. Thompson & Thompson,
Genética médica, Editora Guanabara Koogan, 6a ed 2002.
OTTO, P.G.; OTTO, P.A.; FROTA-PESSOA, O. Genética humana e clínica. Ed.
Roca, 1998.

2010. Antonio Carlos. Técnicas de Pesquisa: Planejamento e Execução de Pesquisas. A pesquisa e sua contribuição para a construção de conhecimento científico. In: XXVI ENEGEP – Fortaleza (CE): 9 a 11 de Outubro de 2006. MAIA. Metodologia Científica.: Atlas. 1996. Ana Cláudia Fernandes. Amado Luiz e BERVIAN. Pedro Alcino. RUIZ. In: Psicologia: Teoria e Pesquisa. Elaboração. . João Álvaro. qualitativa e a utilização da pesquisa-ação nos estudos organizacionais. UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ. tipos de conhecimento e a função da metodologia científica na produção do conhecimento. As normas de apresentação de trabalhos acadêmicos e de uma pesquisa científica.Universidade Estadual de Maringá (DCS/UEM). análise e interpretação de dados. 22 n. Rosane Tolentino – A importância da disciplina de metodologia científica no desenvolvimento de produções acadêmicas de qualidade no nível superior. 201-210. pp. Vol.P. Metodologia Científica: Guia para eficiência nos estudos. 2002. P.: MAKRON Books. Normas Técnicas: elaboração e apresentação de trabalho acadêmico-científico. MAI-AGO 2006. UTP– Curitiba: UTP. P. Os instrumentos de registro do trabalho de investigação científica.P.: Atlas. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: CERVO. Eva Maria. Hartmut.revista acadêmica multidisciplinar nº 14 DEZ 07 / JAN-MAR 08. Abordagem quantitativa. 1996. S.Disciplina: METODOLOGIA CIENTÍFICA Formação: Básica 1º Série/Período Carga Horária: 36 h/a Abordagem descritiva e comparativa sobre o conceito de conhecimento. S. In: Revista Urutágua . 2006. Pesquisa Qualitativa Versus Pesquisa Quantitativa: Esta É a Questão? Universidade de Brasília. Amostragens e Técnicas de Pesquisa. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: GÜNTHER. Departamento de ciências sociais . 2. ERENCE. S. A ética como princípio fundamental da pesquisa. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. S. MARCONI. As fases de um trabalho de pesquisa. Marina de Andrade e LAKATOS. GIL.: Atlas.

(1999) S. F. . S. Compreensão do contexto que fundamenta as ações na saúde brasileira e mundial. Cérebro e Comportamento. Porto Alegre: Artmed. HEATHERTON. pensamento e linguagem. sentimentos e emoções. inteligência e aprendizagem.. Sistema Único de Saúde – SUS – como instrumento de promoção de saúde da população brasileira. raciocínio. Determinantes sociais que interferem na saúde dos brasileiros. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . (2009) São Paulo: Cengage Bibliografia - BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: Bock.P. . percepção e atenção. T.STERNBERG. M. memória. motivação.: Saraiva: Disciplina: PROJETO INTERDISCIPLINAR I – 2012-36S200 Formação: Básica Ementa: Série/Período: 1º Carga Horária: 36 h/a Entendimento da relação entre os conceitos de Promoção Humana e de Promoção de Saúde que conduzem a ação e atuação dos profissionais da área da saúde.Gazzaniga. Psicologia Cognitiva. A psicologia como prática: campos de aplicação e relações interdisciplinares. R.isciplina: PROCESSOS PSICOLÓGICOS BASICOS Formação: Básica 1º Série/Período: Carga Horária: 72 h/a A abordagem clássica da estrutura dos processos psicológicos básicos: sensação. A Psicologias: Uma introdução ao estudo da Psicologia. (2005) Ciência Psicológica: Mente.

& SENA.n° 8080 de 19/09/90 . & CORDEIRO. -REVISTA SAÚDE E SOCIEDADE – Integralidade. 2003. -REVISTA SAÚDE E SOCIEDADE – Transdisciplinaridade e Saúde. 2005.BIBLIOGRAFIA BÁSICA: - Bibliografia Projeto Pedagógico Institucional da UTP Projeto Pedagógico do Curso Diretrizes Curriculares do Curso Declaração de Alma Ata (6-12/09/1978 – Alma Ata – URSS) Carta de Ottawa (11/1986 – Ottawa – Canadá) Carta de Adelaide (5-9/04/1988 – Adelaide – Austrália) Declaração de Sudsvall (09-15/06/1991 – Sundsvall – Suécia) Carta de Bogotá (09-12/11/1992 – Bogotá –Colômbia) Declaração de Jacarta (21. São Paulo. 2004.Portaria n° 399 do Ministério da Saúde de 22/02/06 Cartilha dos SUS . H. Vol 13 n° 13 – set/dez 2004 Faculdade de Saúde Pública da USP e Associação Paulista de Saúde Pública. F. & CORDONI. L. C. & FEUERWERKER.Lei da Participação da Comunidade na Gestão do SUS – n° 8142 de 28/12/90 Programa Nacional de Promoção de Saúde – disponível site do MS . 2004.25/07/ 1997 – Jacarta – Indonésia) Rede de Megapaíses para Promoção da Saúde (1998 – Suíça) Declaração do México (05-09/06/2000 – Cidade do México – México) Conferência Latino Americana de Promoção de Saúde e Educação para a Saúde. R. Vol 14 n° 03 – set/dez 2005 Faculdade de Saúde Pública da USP e Associação Paulista de Saúde Pública. J. R. R. J. São Paulo. Humanização e Cuidado em Saúde. V. . Humanização e Inclusão. M. L. J. 25 N° 2 Maio/Ago RJ. Revista Brasileira de Educação Médica. -CECCIM. R. Mudança na Graduação das profissões de saúde sob o eixo da integralidade. Pobreza e Saúde Pública.Direitos dos Usuários – 07/12/06.1998 . São Paulo. & CAMPOS. Caminhos para aproximar a Formação de Profissionais de Saúde das Necessidades da Atenção Básica. Cadernos de Saúde Pública 20(5) Set/Out RJ.Lei Orgânica da Saúde . 2001. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: -CAMPOS.Carta de Bangkok (11/08/05 – Bangkok – Tailândia) .Conferência Internacional de Saúde para o Desenvolvimento (2007 – Buenos Aires) . Saúde Bucal. B. & FERREIRA. L. B. -REVISTA SAÚDE E SOCIEDADE – Fome. & FEUERWERKER.Constituição Brasileira . Vol 12 n° 01 – jan/jun 2003 Faculdade de Saúde Pública da USP e Associação Paulista de Saúde Pública. E. (2002 – São Paulo) .

D. A. Infância e sociedade.A. O primeiro ano de vida.. 1978. O processo de separação e individuação. R. Manual de Psicopatologia da infância de Ajuriaguerra Artmed. Análise das funções cognitivas. A. O nascimento da inteligência na criança. 1999. . . Psiquiatria infantil operativa. do senso e da criatividade como forma de gerar habilidade profissional adicional. Fases neonatal e infantil do desenvolvimento humano..P.A.Disciplina: PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL Formação: Básica 1º Série/Período: Carga Horária: 72 h/a História e conceituação da psicologia do desenvolvimento infantil. Seis estudos de Psicologia.1998. . P. J. ArtMed. Ementa: Bibliografia O estudante deverá consultar as referências bibliográficas de acordo com a orientação do professor responsável pela atividade e da demanda gerada ao longo do desenvolvimento das atividades acadêmicas complementares do Curso de Psicologia. S.: Atheneu. S.: Zahar.2013 Disciplina: ATIVIDADES COMPLEMENTARES I Formação: Básica 1º Série/Período: Carga Horária: 18 h/a Realização de atividades extra classe para possibilitar o exercício do pensamento.SOIFER. sociais.P..: Atheneu. P.ABERASTURY. L. 1984. 1993.ERIKSON. cognitivas e psicodinâmicas.. A formação social da mente. Contatos com as questões do desenvolvimento infantil na prática. S. Distúrbios neuróticos da criança.P. Zahar. M.04. 1990.. Ementa: Bibliografia 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . Conceitos e teorias do desenvolvimento: biológicas. P. GESELL. da reflexão.A.P. R. Martins Fontes 1987. 1992. AMATRUDA. Psicanálise da criança. 1997.PIAGET.S..PIAGET.VIGOTSKI. .MARCELLI. Atualizado em 04. . J. .1992. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . Diagnóstico do desenvolvimento. E. .J.S.. S. ArtMéd. R. 1995. H.GRUNSPUN. Porto Alegre. . motoras e psíquicas no desenvolvimento da criança.MALHER. . Martins Fontes. A estrutura familiar e suas implicações no desenvolvimento humano.C.J.: Forense. S. R.SPITZ.

intencionalidade e adequação à situação de comunicação. narrativos e dissertativos. Uso da norma culta da língua portuguesa na redação de textos descritivos.2º PERÍODO Disciplina: ATIVIDADES COMPLEMENTARES II Formação: Básica 2º Série/Período: Carga Horária: 18 h/a Realização de atividades extra classe para possibilitar o exercício do pensamento. parágrafos e partes do texto e a relação do texto com o contexto externo (coerência). Ementa: Bibliografia O estudante deverá consultar as referências bibliográficas de acordo com a orientação do professor responsável pela atividade e da demanda gerada ao longo do desenvolvimento das atividades acadêmicas complementares do Curso de Psicologia. análise e interpretação de textos. Ementa: EAD 2012-36S200 . Suporte textual. do senso e da criatividade como forma de gerar habilidade profissional adicional. A conexão (coesão) entre termos. Leitura. Os diferentes tipos e gênero textuais. Disciplina: COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO Formação: Básica 36 h/a Série/Período: 2º Carga Horária: Fatores e elementos que interferem na constituição da textualidade. suas estruturas e formas de organização. da reflexão.

Curitiba. Disponível em: <http://www. João Bosco. Víctor César da Silva. 2009. Angela Helena.BIBLIOGRAFIA BÁSICA: ANDRADE.com. UNEGUNDES. 2008. 3ª ed. 1999.com. João Bosco. 1998. Neumar Carta.html>. PR: Juruá. Reforma ortográfica 2009: conforme acordo ortográfico de língua portuguesa de 1990.algosobre. 2. .com. Acesso em 22 jan. ANDRADE. Petrópolis: Vozes. Disponível em: <http://www. Português Instrumental. 2000. Carolina.br/redacao/narracao-com-exemplos. FARACO. 2009. Carlos Alberto. WINTER. 1998. Eraldo. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: CUNEGUNDES. TOMASI.: Atlas. RODRIGUES. Algo Sobre Vestibular (online). Comunicação em língua portuguesa: para os cursos de jornalismo. Economia e Administração. NUNES. Maria Margarida de. Carolina. Em dia com a língua portuguesa 1. Prática de Texto – língua portuguesa para nossos estudantes. Dissertação. Descrição (com exemplos). Narração (com exemplos).algosobre. Acesso Bibliografia em: 24 jan. Para os Cursos de Contabilidade. Comunicação empresarial. Acesso em 23 jan. 2009. letras.br/redacao/dissertacao. Português para Redação e Interpretação. MEDEIROS. S.html>. Paulo Sérgio.P. Cristóvão. TEZZA. HENRIQUES. Antonio.: Atlas. P. TOMASI. Maria Margarida de. Algo Sobre Vestibular (online). ed.2009. João Bosco. Disponível em: <http://www. São Paulo: Atlas. . propaganda.br/redacao/descricao-com-exemplos. Blumenau: Edifurb. S. 2010.algosobre.html>. S. 6. Redação Técnica. São Paulo: Atlas. Língua portuguesa: noções básicas para cursos superiores. MEDEIROS. MEDEIROS. João Bosco. Curitiba: CBTBrasil Multimídia. ed. Algo Sobre Vestibular (online). 6ª ed. 2009. ZATTI. MEDEIROS. 2ª ed.P. 3ª ed.: Atlas. 2010. Eraldo.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: .V.: Martins Fontes.GARCIA-ROZA. Estudos dos conceitos articulados ao método psicanalítico e à ética da Psicanálise. 2002. XXI. & LUNA. Dicionário de Psicanálise. Zahar. 2012.C. Temas clássicos da Psicologia sob a Ótica da Análise do Comportamento. da técnica e da investigação científica no campo da Psicanálise. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: -HUBNER. 2004. Disciplina: FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE Formação: Básica Série/Período: 2º Carga Horária: 36 h/a Fundamentos históricos da Psicanálise freudiana. Zahar. 1997. S. 2000. M. 1979. XIV.M.Z. Até onde o que você sabe sobre o behaviorismo é verdadeiro? Respondendo as principais críticas direcionadas ao behaviorismo de Skinner. L. Comportamento e a interação entre organismo e ambiente. São Paulo: Editora Roca. S.GARCIA-ROZA. Santo André. Companhia das letras. Vol. Ciência e Comportamento Humano. . Análise do Comportamento.Disciplina: FUNDAMENTOS DA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Formação: Básica 2º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Histórico da análise do comportamento. L. Pressupostos da teoria. investigações históricas. XCII.Determinismo psíquico. 1998. A Metapsicologia Freudiana.NASIO. E. conceituais e aplicadas. O Prazer em Ler Freud. Ementa: Bibliografia 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . Obras Completas. . Zahar. E. .ROUDINESCO. J. E. 2010. B. -SKINNER. . . F. S. 1998. Acaso e Repetição.FREUD.B. S. Imago. 1999. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: -COSTA. Sobre a ética e psicanálise . Por que a Psicanálise? Zahar. Conceitos psicanalíticos fundamentais.M. SP: ESETec.KEHL. Pressupostos teóricos do Ementa: 2012-36S200 behaviorismo radical e da Análise Experimental do Comportamento. II.P. XXII. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. & MOREIRA. 1997. . D. III.ROUDINESCO. N. -TOURINHO.P.R. Zahar. M.

HALL. Fisiologia humana e mecanismo das doenças . John E.6. Arthur C. 2008 Bibliografia 2012-36S200 Série/Período: 2º Carga Horária: 36 h/a BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . Angelo B.:Guanabara Koogan. S. Fisiologia aplicada à Psicologia: R.: Lemos Editorial. HALL.ed. S.GRAEFF. M. Fisiologia das emoções. Tratado de fisiologia médica. 1998. ligação do mesmo com o funcionamento corporal.P. 101p .. 9.1975. F. S. 639p. Guanabara Koogan. sistema nervosoanatomia.GUYTON.: Sarvier.Dílson Silva. Rio de Janeiro: Atheneu.MACHADO. .MARINO JUNIOR. 1983.1997. S.Disciplina: NEUROFISIOLOGIA Formação: Básica Ementa: Estudo sobre as bases da estrutura e do funcionamento do sistema nervoso. Neurobiologia das doenças mentais. J. John E. Neuroanatomia. Ed. 1. . BIBLIOGRAFIA BÁSICA: .1014p . Célia MARTINS.ROSE. Alfa-Omega.Arthur C. Raul.ed.GUYTON.P. R. 292p -CORTEZ.P. . Rio de Janeiro:Guanabara Koogan.J. 1999. O cérebro consciente. et al.: Ed.

Mikail. 2007. Rio de Janeiro: Elsevier. CABALLO. . Santos Editora: 2000. 2005. de BIBLIOGRAFIA BÁSICA: CHIAVENATO. O Processo Civilizador: uma história dos costumes. Vicente. Rio de Janeiro: Zahar. Agostinho. Diferenciação entre conceitos de Habilidades sociais e treinamentos comportamentos sociais.Disciplina: Formação: Ementa: Bibliografia RELACIONAMENTO INTERPESSOAL E EQUIPES DE TRABALHO 2012-36S200 Básica 2º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Conceitos básicos de Relacionamento Interpessoal. ELIAS. 5 ed. BAKHTIN. ed. São Paulo: Martins Fontes. 2. Relações humanas: psicologia das relações interpessoais. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: COMTE-SPONVILLE. Idalberto. 2006. São Paulo. São Paulo: Atlas. André. Norbert. 2005 MINICUCCI. Estética da criação verbal. Treinamento de habilidades Sociais. Gestão de pessoas. O pequeno tratado das grandes virtudes.

Momentos de estagio prático. HUTT. F. Vozes. Ensinando a observação: uma introdução. S. M. FAGUNDES. Observação naturalística do comportamento. (1992). dirigida e controlada. S. A. Pais Presentes. 1982. e MATOS. C. S. Observação direta e medida do comportamento. A. Petrópolis.P. I. f. 1999. S. (2003). EDUSP. M. Edicon.Atlas. P. (2004). definição e registro de comportamento. 1974. P. Comportamento social: relações interpessoais. Métodos de Pesquisa em Ciências do Comportamento. Técnicas de observação: fenômenos psicológicos observáveis e observação livre. Danna e Matos. Gomide. M. P.P. Ed. Observação cursiva. Pais Ausentes: Regras e Limites. Ed. definição e registro do comportamento. Edicon. P.Fagundes. . M. S. Edicon. J. S. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: Cozby.Disciplina: TÉCNICAS DE OBSERVAÇÃO EM PSICOLOGIA Formação: Básica 2º Série/Período: Carga Horária: 72 h/a O comportamento humano e suas características em diferentes situações sociais.J. descrição. Discussão de aspectos éticos. Observação de comportamento selecionado. Descrição. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: Danna. P.J. A.

Maria Sara de Lima. M.A Dinâmica do Trabalho de Grupo. Agenda 21 – Mundial.Disciplina: TEORIAS E TÉCNICAS DE DINÂMICA DE GRUPO Formação: Básica 2º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Fundamentos teóricos em dinâmica de grupo.& Da SILVA NETO. J. P. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: LEWIN. Dinâmica e funcionamento de grupos. Dinâmica de Grupos Aspectos Teóricos e Práticos. Especificidades de intervenção em diferentes tipos de grupos. K. P.: Qualitymark. DIAS.A: ARTMED.2001.A: ArtMed. P. Técnicas de dinâmica de grupo. Wilfred R.D.ACESSANDO A ERA DA GRUPALIDADE. São Paulo: Cultrix. Como Trabalhamos em Grupos. RJ: Imago. LUIZ CARLOS. S.D. Disciplina: PROJETO INTERDISCIPLINAR II –2012-36S200 Formação: Básica 2º Série/Período: Carga Horária: 36 Determinantes sociais da Saúde e desigualdades sociais no Brasil. R. Políticas de Educação Ambiental.1967.1997. OSÓRIO. Dinâmica de Grupos – Pesquisa e Teoria. 2012.. Ementa: . GRUPOS: TEORIAS E PRÁTICAS .L. E Osório. Problemas de Dinâmica de Grupo.: EPU. Petrópolis. CASTILHO. 2000. & ZANDER. A . As 8 formas de mudar o mundo. Zimerman. Vozes. A . Nacional e Local.P. 1970 CARTWRIGHT. Experiências com Grupos.C. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: BION.

-OLIVEIRA. justiça e cultura nas organizações: nos estudos psicossociais.. DF: Senado Federal.br/upload/tiny_mce/4o_relatorio_acompanhamento_ odm_. Ministério da Saúde. OLIVEIRA. Acolhimento nas práticas de produção de saúde / Ministério da Saúde. ISBN 857811043-9. Curitiba: IPARDES. -Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. 9(3):739-744. França: UNESP. Tuiuti: Ciência e Cultura. 2004. – (Série B.org/pdf/csc/v9n3/a19v09n3. Cidadania e globalização: a política externa brasileira e as ONGS. Agenda 21. : il. 4 v -ZORZAL. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo. 2009. Textos Básicos de Saúde). 1999.utp. Brasília. Rio de Janeiro 1992.org. Cidadania. Diponível em: http://www.Seplan. Ana Roberta Pati (Org. p. Agenda 21. 2006. color. DF: Ministério da Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização.. DF: Instituto Rio Branco. 188 p. 316 p. DF: MMA.34/35 . DF: Senado Federal. PASCOM. Brasília. 1998. Ênio J. 2002 http://www. Miguel Darcy de. Secretaria de Atenção à Saúde. Sinésio.br/tuiuticienciaecultura/FACET/FACET%203435/PDF/art_7. Secretaria do Planejamento do Estado de Pernambuco . atitudes e práticas na população brasileira de 15 a 54 anos.125-144. Secretaria de Atenção à Saúde. 176 p -CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O MEIO AMBIENTE. . Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização.gov. Brasília. . 2002.pdf -Zancan. 1996. 260 p. set. Fábio Márcio Bisi. Agenda 21. Áurea de Fátima.BIBLIOGRAFIA BÁSICA: -BRASIL. -MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. 1992.scielosp. Agenda 21: o caso do Brasil. PR . 2004.pdf -Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – Relatório Nacional de Acompanhamento – Brasília: Ipea. Brasília. ed.sustentável: subsídios técnicos para construção da agenda 21 Bibliografia do município de Franca e Região. 101 p -Brasil. -JARA. Brasília. Cidadania: o remédio para as doenças culturais brasileiras. Curitiba.odmbrasil. 184p. 1998.p df . 40 p -CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Mirlene Maria Matias. -AGENDA 21 . – Brasília: Editora do Ministério da Saúde. L & Adesse A. 1998. Disponível em: http://www. Agenda 21 para a cidade de Curitiba. Secretaria Nacional de Biodiversidade e Florestas. 2001. Pesquisa de conhecimento.). Carlos Júlio. – 2.saude. n. DF: Instituto Americano de Cooperação para a Agricultura. 391 p -RESENDE. A sustentabilidade do desenvolvimento local.pdf BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: -SIQUEIRA. Disponível em: http://bvsms. perguntas e respostas. 143 p. 240 p. GOMIDE JÚNIOR. Brasília.br/bvs/publicacoes/acolhimento_praticas_producao_saude./out.: il. 1996. Ciência & Saúde Coletiva. 2001. Informe sobre a Cooperação Brasil-Canadá em Promoção da Saúde. 44 p. São Paulo: Summus. 2010.

S. Aprendizagem: comportamento. Formação: Disciplina: ATIVIDADES COMPLEMENTARES III Formação: Básica 3º Série/Período: Carga Horária: 18 h/a Realização de atividades extra classe para possibilitar o exercício do pensamento. W. . & LUNDIN. E.3º PERÍODO Disciplina: ANÁLISE EXPERIMENTAL DO COMPORTAMENTO 2012-36S200 Básica 3º Série/Período: Carga Horária: 72 h/a A história da Psicologia Experimental. A ciência e o método experimental. G.: Herder. . da reflexão. 1998. Manual de laboratório de psicologia experimental.F. Ementa: O estudante deverá consultar as referências bibliográficas de acordo com a orientação Bibliografia do professor responsável pela atividade e da demanda gerada ao longo do desenvolvimento das atividades acadêmicas complementares do Curso de Psicologia. B. B. R. Personalidade – uma análise do comportamento. Condicionamento reflexo e operante.1977.A. linguagem e cognição.P. L. R.P. Ciência e Comportamento Humano. Os princípios do comportamento dentro do pensamento Ementa: científico a partir de estágio prático.C. . WEBER. . Análise do comportamento. 1999. G. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . & STEBBINS. do senso e da criatividade como forma de gerar habilidade profissional adicional. C.GOMIDE.GEIS. S.CATANIA.: Art Med. L.HOLLAND. F.LUNDIN. J.SKINNER.W. São Paulo: EPU. São Paulo: EDUSP. .P. 1998. & . BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . Bibliografia Curitiba: UFPR. P.: Martins Fontes. Os princípios do Behaviorismo. A. W. 1975.

2007. FARMACOLOGIA básica e clínica... Maria Lúcia dos Santos. 3. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: Bibliografia PAGE. 606 p. ed. Thomas N. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Farmacologia humana: da molecular à clínica. 552 p. Disciplina: FARMACOLOGIA Formação: Básica 3º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Estudo teórico sobre os fundamentos básicos. 904 p. Porto Alegre. Vias de administração de fármacos. São Paulo: Manole. (Apontamentos Saúde ) PINTO. BRODY. correlatos e cosméticos. MINNEMAN. PHILIPPI. 1998. ed. Telma Mary. KANEKO. 1997. São Paulo: Senac. ed. Clive P. 2004. Terezinha de Jesus Andreoli. RANG. Keneth P. 854 p TOZER. 2007. Farmacologia. B. ROWLAND. farmacodinâmica. Porto Alegre. A Farmacovigilância de medicamentos e insumos voltados para terapia farmacológica. HOWLAND. Mitsuko Taba. ed. Rio de Janeiro: McGraw-Hill. Malcolm. Humphrey P. LARNER. Evanisa Maria. 11. 12. Farmacologia ilustrada. A pesquisa clínica de novos fármacos. Interações medicamentosas. 2003. 1821 p. Mary J.. termos e definições em farmacologia clínica. DESTRUTI.. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. MYCEK. Farmacologia de Sistemas. RS: Artmed Editora. Ana Beatriz C. ed. enfatizando respostas inflamatórias e alérgicas. RS: Artmed Editora. Theodore M. Rio de Janeiro: Elsevier Brasil. Controle biológico de qualidade de produtos farmacêuticos. Introdução à farmacocinética e à farmacodinâmica: as bases quantitativas da terapia farmacológica. Joseph. 2007. Farmacologia integrada. 1999. ARONE. 325 p. Cálculos e conceitos em farmacologia. Mediadores químicos e neurotransmissores do Sistema nervoso autônomo e central. ed. 834 p. São Paulo: Atheneu. 2009. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: GOODMAN & Gilman: as bases farmacológicas da terapêutica. 2. ed. 5. Farmacocinética. . 124 p. 2. 6. OHARA. Richard D. 336 p.

N. Vozes. São Paulo/SP.ed. Introdução à História da Filosofia. no trabalho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. dos primórdios à contemporaneidade. nas relações político-sociais. Vol I. 2003. na pesquisa científica e na consciência sobre a natureza e meio-ambiente. Ética e Cidadania: caminhos da Filosofia: elementos para o ensino de Filosofia. Campinas/SP. . Grau e de graduação. Ed. Ética. M M C. Martins Fontes. Ática. São Paulo/SP. 7ª. III. Ética ambiental. 2006. Ed. S. e DELL'ANNA. J. Um olhar sobre ética e cidadania. Ética dos maiores mestres através da história. M. São Paulo/SP. -GALLO. Bibliografia -CHAUÍ. Instituto Presbiteriano Mackenzie. Ed. 1998. Seaf. Campinas/SP. -NALINI. A. Convite à Filosofia. 2ª. M. Ética e Direitos Humanos. 1998. O. 26. Rio de Janeiro/RJ. M. IV. Curso de Filosofia: para professores e alunos dos cursos de 2º.1997. Brasiliense.Disciplina: FILOSOFIA E ETICA Formação: Básica Série/Período 3º Carga Horária: 36 h/a Períodos filosóficos na história do pensamento humano. II. Teoria axiológica dos valores. 1994. relações entre Ética e Moral. R. -ABBAGNANO. Ed. Papirus. 2000. -DELI LIBERAL. 2002. destacando temas axiológicos recorrentes. 2ª. -VÁZQUEZ. 2ª. Ética e cidadania na vida cotidiana. 2005. A. PEGORARO. Petrópolis/RJ. São Paulo/SP. S. Ementa: EAD 2012-36S200 -CHAUÍ. J. Dicionário de Filosofia. -REZENDE. (Org). Millennium Editora.

método e pesquisas. Rollo. 1989. Corey Gerald F. HISTÓRIA DA PSICOLOGIA MODERNA. 1986. Petrópolis.Disciplina: FUNDAMENTOS FENOMENOLÓGICOS EXISTENCIAIS 2012-36S200 Formação: Ementa: Básica Série/Período 3º Carga Horária: 36 h/a Compreensão dos fundamentos teóricos e metodológicos das abordagens fenomenológicas existenciais.. S. Adriano. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. in WWW. RS.1993. Maria Alves e Holanda. E. 10 ed. Paludo S. Yolanda Cintrão.scielo. Complemen Porto Alegre. PSICOLOGIA EXISTENCIAL. TERAPIA VIVENCIAL: UMA ABORDAGEM EXISTENCIAL EM PSICOTERAPIA. RJ: EDITORA VOZES. Erthal Tereza Cristina. & Koller S. TÉCNICAS DE ACONSELHAMENTO E PSICOTERAPIA. São Paulo: Pioneira. “PSICOLOGIA POSITIVA: UMA NOVA ABORDAGEM PARA ANTIGAS Bibliografia QUESTÕES” . D. 1980. Schultz. Bibliografia Bibliografia Básica Schultz. May. 2007. PSICOLOGIA E FENOMENOLOGIA: Reflexões e perspectivas. P.. PSICOLOGIA FENOMENOLÓGICA: Fundamentos. 1992 Bruns.br/paideia tar . Porto Alegre: Globo. Forghieri. Campinas: EDITORA ALÍNEA. São Paulo: Cultrix. Rio de Janeiro: CAMPUS.

Estela Pereira Batista. 190p. São Paulo: Edições Paulinas. Agir comunicativo e Planejamento Social – uma crítica ao enfoque estratégico. Carla Daniel. Christian de Paul de. Ministério da Educação e Cultura. projeto e relatório. 35 p. p. -BRASIL. 1999. Universitária. Políticas de educação das relações étnico-raciais e cultura afro-brasileira e indígena. 6) -VANZIN. 2007. José Roque. M. 144 p. Monica Rabello de. publicações e trabalhos científicos. MARCONI. Maria Elena da Silva. J. -PESSINI. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz. (Série banco de dados .P. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: -BRIGHENTI. Os grandes dilemas éticos. Porto Alegre: RM & L grafica. reflexões. RIVERA. -HERNANDES. Irma. José Vitor. pesquisa bibliográfica. S. 1999. 322 p. -RUDIO. ed. SARTOR.: Atlas. Rio de Janeiro: USU Ed. Diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. F. 152 p -LAKATOS. Eva Maria. Marina de Andrade. R. Franz Víctor. Bioética: visão multidimensional. Curitiba. 28. M. C. Petrópolis: Vozes.: Cortez 114 p. ANERY.5 . 147 p. -SILVA. 8. tendências.111-124. Rio Grande do Sul:Editora Vozes. Isabel. da Metodologias Participativas para os Trabalhos de Promoção de Saúde e Cidadania. São Paulo: Edições Loyola. Leocir. 214 p. U. VALLS./jun.: Iátria. Arlete Spencer. Ementa: Bibliografia 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: -CZERESNIA. S. PR.3º PERÍODO Disciplina: PROJETO INTERDISCIPLINAR III Formação: Básica Série/Período 3º Carga Horária: 36 h/a Bioética e Saúde. Problemas atuais de bioética. 2002. São Paulo: Editora Vetor. 1995. v. (Coleção Foccus ) BARBERO. Revista Científica FAP. Bioética: perspectivas e desafios. Metodologia para um Processo de Planejamento Participativo. Franz Victor. Educação e sociedade indígena. Metodologias Participativas – vivências de Rodas de Conversa.d.: guia de metodologias de pesquisa para programas sociais. 'Artes indígenas': diversidade e relações com a história da arte brasileira. Metodologia da pesquisa em saúde: fundamentos para o desenvolvimento de pesquisa em saúde. Pesquisando. Petrópolis: Vozes. 1995. DF: MEC/SEPPIR. 581 p. 2004.P. 2000. . São Leopoldo. 144 p -RIZZINI. Da Ética à Bioética. s. D. ed. STORI. ed. -JUNGES. RS: Unisinos. S. 30. A. 4. L. CASTRO. & FREITAS. -SILVA. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 2010. C. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz. A. ed. 1998. 2009. jan. Introdução ao projeto de pesquisa científica.. Promoção da Saúde – conceitos. Brasília. P. -RUDIO. 1988. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos. 2010. Norberto. 2002. BARCHIFONTAINE.

Porto Alegre: Artes Médicas. Inteligência Emocional. . O examinador qualificado. Porto Alegre: Artmed.. 2000. D.BAQUERO. 1996. Bibliografia Disciplina: PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO DO ADOLESCENTE 2012-36S200 . Psicodiagnóstico. G. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . Testes Psicométricos.MINICUCCI. Lós Tests. A. Testagem Psicológica.AZEKELY. 1968. A. . Loyola. 1988 .GOLEMAN. & Colaboradores. Orientação Profissional. 7 ed. Editora Vetor. 1996. Buenos Aires: Kapwlusz. São Paulo: Ed.A. São Paulo. Rapport e Anamnese.Disciplina: TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA 2012-36S200 Formação: Ementa: Básica Série/Período 3º Carga Horária: 72 h/a Histórico dos testes psicológicos. URBINA. . I. 1986. II e III. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . Elaboração de Laudos Psicológicos Vol.CUNHA J.ANASTASI. Testes psicométricos e projetivos. B. Rio de Janeiro: Objetiva. S.

Formação:

Ementa:

Básica

Série/Período:
Carga Horária: 72 h/a
Adolescência: Concepções e características. Organização das funções psíquicas,
sociais e cognitivas. A estrutura familiar e suas implicações na adolescência. Crise
normal da adolescência e suas manifestações na contemporaneidade. Contato com as
questões da adolescência na prática. Contato com as questões da adolescência nos
estágios práticos visando exercitar também a travessia de diferentes dimensões que
compõem a exterioridade.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

- ABERASTURY, A. & KNOBEL, M. Adolescência Normal. Porto Alegre: Artes
Médicas. 1992.
- RASSIALJ.J. O adolescente e o psicanalista. Rio de Janeiro: Cia.de Freud, 1999.
- CHASSAING, J.R. (org.). Mais tarde é agora: ensaios sobre a adolescência. Salvador:

Bibliografia Álgama,1997.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
- NASIO JD- Introdução a obra de Winnicott, Rio de Janeiro,Jorge Zahar,1995
- WINNICOTT,D.W-Da pedriatra a psicanalise, Rio de Janeiro,Imago,2000

4º Período

Disciplina:

ANALISE INSTITUCIONAL

2012-36S200

Formação:

Básica
Série/Período 4º
Carga Horária: 36 h/a
Conhecer os aportes teóricos e técnicos produzidos a partir do movimento
institucionalista e sua articulação no campo das práticas em diferentes contextos e

Ementa:

organizações. Principais vertentes em análise institucional. Analisar contextos sociais e
posicionar-se criticamente.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ARDOINO, J. e LOURAU, R. As pedagogias institucionais. S. P. Rima, 2003.
ALTOÉ, Sonia (org) René Lourau- analista em tempo integral. S. P. Hucitec, 2004.
BAREMBLITT, G. Compêndio de analise institucional e outras correntes: teoria e
prática. Belo Horizonte. Ed Instituto Felix Guattari, 2002.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

Bibliografia BAREMBLITT, G. (org) O inconsciente institucional. Petrópolis: Vozes, 1984.
GUIRADO, M. Psicologia Institucional. S. P. EPU, 1986.
KAES, R. Et al. A instituição e as instituições. S. P. Casa do psicólogo, 1991.

Disciplina:

ATIVIDADES COMPLEMENTARES IV

Formação:
Ementa:

Bibliografia

Disciplina:
Formação:
Ementa:

Básica

Série/Período:
Carga Horária: 18 h/a
Realização de atividades extra classe para possibilitar o exercício do pensamento, da
reflexão, do senso e da criatividade como forma de gerar habilidade profissional
adicional.
O estudante deverá consultar as referências bibliográficas de acordo com a orientação
do professor responsável pela atividade e da demanda gerada ao longo do
desenvolvimento das atividades acadêmicas complementares do Curso de Psicologia.

CULTURA E SOCIEDADE 2012-36S200
Básica
Série/Período 4º

Carga Horária: 36 h/a

Analise de temas da atualidade a partir de uma abordagem historicamente construída e
contextualizada, a fim de favorecer a compreensão crítica dos aspectos sociais, econômicos
e políticos da sociedade, fundamentais para a construção e exercício da cidadania.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

Bibliografia

CAMBI, Franco. História da pedagogia. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1999.
CARMO, Paulo Sérgio do. A ideologia do trabalho. São Paulo: Editora Moderna, 1992.
FERRO, M. A manipulação da história no ensino e nos meios de comunicação; a história dos
dominados em todo o mundo. São Paulo: IBASA, 1983.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
FONSECA, S. G. Caminhos da historia ensinada. Campinas, SP: Papirus, 1995.
LE GOFF, Jacques. A civilização do ocidente medieval. Bauru, SP: Edusc, 2005.
LIBÂNEO, J.C. Didática. São Paulo: Cortez, 1990.
VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins, 1998

Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: Bear. Porto Alegre: Artes Médicas. (1997). M. Neuropsicologia das Funções Executivas. Ementa: BIBLIOGRAFIA BÁSICA: Gazzaniga. Cérebro e Comportamento. R. (2000). R. (2005) Ciência Psicológica: Mente.. Sacks. A. F. Fundametnos de Neuropsicologia. M. Stenberg. A. (2002).Disciplina: NEUROPSICOLOGIA 2012-36S200 Formação: Básica 4º 36 h/a Série/Período: Carga Horária: Teoria do Sistema Funcional. Neuropsicologia da Atenção. Porto Alegre: Artimed. M. Psicologia cognitiva. Rio de Janeiro: IMAGO. W. Neuropsicologia da Cognição e Memória. & Paradiso. O. 4º PERÍODO . Neurociências: desenvolvendo o sistema nervoso. Porto Alegre: Artmed.: Connors. F. (1981) São Paulo: Edusp. B. HEATHERTON. Luria. Sensação e Percepção. O homem que confundiu sua mulher com um chapéu. T. S.

br/portal/saf/arquivos/view/Pol%C3%ADtica_ Nacional_de_Pr%C3%A1ticas_Integrativas_e_Complementares_(P NPIC). 1ª edição. Pierre. TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS. Medicina ChinesaL: guia ilustrado. 2010. 147 p (Série B. DF: Ministério da Saúde.gov. Secretaria de Atenção à Saúde. SECRETARIA DE CIÊNCIA. . 60 p.PNPIC-SUS /Ministério da Saúde. (Série B. soluções ou produção de conhecimento que reflita sua aprendizagem. Textos básicos de saúde ) BRASIL. 91 p ERGIL.(Série B. 1990. Síntese do conhecimento construído. A fitoterapia no SUS e o programa de pesquisas de plantas medicinais da central de medicamentos. Práticas complementares integrativas no cuidado à saúde humana e sua relevância para a atuação e autonomia do Psicológo. SECRETARIA DE CIÊNCIA. no Japão e na Índia. Política nacional de plantas medicinais e fitoterápicos. Brasília. Departamento de Atenção Básica. 2006.mda. . MINISTÉRIO DA SAÚDE. ERGIL. TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS. 2006. expressa através de reflexões sobre as ações. Textos Básicos de Saúde).Disciplina: PROJETO INTERDISCIPLINAR IV Formação: Básica Ementa: Situações de ensino baseadas nas competências e habilidades do acadêmico.pdf BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: BRASIL. BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Série/Período 2012-36S200 4º Carga Horária: 36 h/a BIBLIOGRAFIA BÁSICA: HUARD. 2006. Disponível em: http://www. 2006. Porto Alegre: Artmed. Secretaria de Atenção à Saúde. Textos básicos de saúde ) Bibliografia Brasil. 317 p. DF: Ministério da Saúde. utilizando tema base – Noções de Práticas Integrativas e Complementares. DF: Ministério da Saúde. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília.Brasília :Ministério da Saúde. . Desenvolvimento e criação de ações. Política nacional de práticas integrativas e complementares no SUS: atitude de ampliação de acesso. 416p. Marnae C. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS . Kevin V. Brasília.92 p. Cuidados e técnicas do corpo: na China. MINISTÉRIO DA SAÚDE. São Paulo: Summus.

. As Medicinas alternativas: mito. Angelika. 1990. 351 p. São Paulo: Cultrix. 1996. STEVELING. OLIVEIRA. medicina herbal. A prática da medicina chinesa: tratamento de doenças com acupuntura e ervas chinesas. 1991. Hans P. HAMMES. Vicki (Fotografia). São Paulo: Brasiliense. .. Marcus Vinícius. OVERMAN. Mensal. SP: Manole. Giovanni. Paulo Luiz. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 270 p YU-LIAN. Atlas gráfico de acupunctura: um manual ilustrado dos pontos de acupunctura. Cura pela medicina naturista: tratado de medicina natural. OGAL. Jayme. Atlas colorido de acupuntura: pontos sistêmicos. Fernanda (Trad.Alemanha: H. 443p HECKER. 185 p MACIOCIA.). LANDMANN. Elmar. Hans-Ulrich.. Michael. Jaime. SCOLNIK. 1989. 2. GIANNINI. PEUKER. FERREIRA. STÖR. Massoterapia clínica: integrando anatomia e tratamento. 2008. Ullmann. pontos auriculares e pontos gatilho. KOLSTER. Barueri. Marburg. Wolfram. 2007. 2007. Bernard C. Rio de Janeiro: Guanabara. São Paulo Associação de Medicina Tradicional Chinesa do Brasil. ed. James H. 2. 77 p.2005-. Maria de Lourdes.). HENNEMANN. 932 p.CHA'AN TAO. ed.. ISSN 1808-9135 CLAY. CHUN-YAN. O Que é acupuntura. FARBER. embuste ou ciência? homeopatia. . Telma Lúcia de Azevedo (Trad. Chen. 376 p. F. Editora Spring. São Paulo: Roca. acupu. Lian.

E. Trajetórias individuais e socioculturais. São Paulo: Editora Gente. Disfunções sexuais e psicoterapia. Porto Alegre: Artes Médicas. (org). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. A. Belo Horizonte: Autêntica. 1998. Rio de Janeiro: Sextante. Identidade de gênero e papel de gênero. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: ROBBINS. Tratamento clínico das inadequações sexuais. Porto Alegre: Artes Médicas. Ementa: BILBIOGRAFA BÁSICA: BEE. H. A nova terapia do sexo. O estranho gozo do próximo. 2004. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. Construcionismo e essencialismo. Conceitos fundamentais da psicanálise. 1996 WEEKS. 1999. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: Bibliografia CAVALCANTI. O ciclo vital.. NERI.COSTA. In: LOURO. Ética e Psicanálise. 2001. biológicos. P. Psicanálise e desenvolvimento: O humano ao longo de sua existência . sociais e culturais da idade adulta a partir de vivências práticas. WILNER. Maturidade e velhice. P. J. O ciclo de vida completo. H. Disciplina: PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO DO ADULTO 2012-36S200 Formação: Básica Série/Período 4º Carga Horária: 72 h/a Concepções teóricas sobre o desenvolvimento na vida adulta.H. A. Conceitos do campo construcionista. 1997. . G. 1977. crise dos 25: como lidar com os desafios da transição para a vida adulta.S. Psicanálise e Ciência. 1996. O corpo e a sexualidade. Os 11 sexos – as múltiplas faces da sexualidade humana. São Paulo: Roca. R. A. Doença e Sintoma: quando a doença vira sintoma. Campinas: Papirus. KAPLAN. Os 11 sexos. Ementa: BIBLIOGRAFIA BÁSICA: .desde antes do nascimento até a morte. 1994.Disciplina: PSICOLOGIA DA SEXUALIDADE 2012-36S200 Formação: Básica 4º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Histórico da Sexualidade no Brasil. O malestar atual e os novos sintomas. Aspectos psicológicos. ERIKSON. Orientação afetivo sexual e papel afetivo sexual. R. L. Fisiologia e resposta sexual. JULIEN.

A articulação entre a prática da Psicologia Escolar e os Ementa: fundamentos teóricos e filosóficos que a embasam.Disciplina: PSICOLOGIA ESCOLAR E EDUCACIONAL 2012-36S200 Formação: Básica 4º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a A contribuição da Psicologia Escolar na direção de um efetivo processo de democratização educacional. Síntese dos elementos específicos da área e das contribuições da Psicologia em geral .

E.). 1997. 6. M. D. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: ibliografia -ANTUNES. SP: Autores Associados. M. Campinas.). Campinas. Psicologia e educação: contribuições para a atuação profissional. D. A. SP: Autores Associados. V. Erro e fracasso na escola. MOYSÉS. B. 2002. (Orgs. São Paulo. São Paulo. E. L. -BOCK. Goiânia: Ed. p. SP: Casa do Psicólogo. TANAMACHI. M. A. Psicologia e educação no Brasil: um olhar histórico-crítico.BIBLIOGRAFIA BÁSICA: COLLARES. 2003. São Paulo. Psicologia e educação no Brasil: uma história contada pela revista brasileira de estudos pedagógicos. M. M. 1999. -MEIRA.. In: ROCHA. São Paulo. L. H. Psicologia Escolar: pensamento crítico e práticas profissionais. 2000. M. P. A. São Paulo. Psicologia Escolar: práticas críticas. revista. ed. 139-168. E. onze teses sobre educação e política (Coleção polêmicas do nosso tempo. E. 2010. TANAMACHI. SP: Casa do Psicólogo. UFG. ed.. SP: Cortez. 1990.).. J. G. A atuação do psicólogo como expressão do pensamento crítico em psicologia e educação. -GEBRIM. M. R. SAVIANI. As influências do Barão de Münchhausen na Psicologia da Educação. São Paulo.. A.5). (Org. __________. 2009. ANTUNES. Aventuras do barão de Münchhausen na psicologia. SOUZA. B. M.. R. . Psicologia e Educação: desafios teórico-práticos. E.). S. (Orgs. A. M. M. ed. M. -SAVIANI. E. -MACHADO. SP: Conselho Regional de Psicologia de São Paulo. 41. 1997. B. ANTUNES. S. 2. TANAMACHI. (Orgs. E. L. (Orgs. curvatura da vara. Avaliação e fracasso: a produção coletiva da queixa escolar. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. SOUZA. M. 1999. M.. 11-62. 2000. 2008. In: ROCHA. P. M. C. M. M. -_____________. 32. M. Campinas: Autores Associados. R. -MEIRA. São Paulo. v. A. -CUNHA. M. SP: T. onze teses sobre educação e política. Preconceitos no cotidiano escolar – ensino e medicalização. p. São Paulo. B. Escola e democracia: teorias da educação.). Psicologia e Educação: desafios teórico-práticos. In: MEIRA. M.. História das idéias pedagógicas no Brasil. Queiroz. ed. A. SP: Autores Associados. 2008 (Cadernos temáticos CRP SP 6). M. SP: Casa do Psicólogo.. Escola e democracia: teorias da educação. A.). R. SP: Casa do Psicólogo. Psicologia Escolar: teorias críticas. SP: 1996. In: AQUINO. ___________. (Org. In: MEIRA. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo. M. M. SP: Summus. -PATTO. A. curvatura da vara. Campinas. R.

.Disciplina: TECNICAS PROJETIVAS DE AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA 2012-36S200 Formação: Básica Série/Período 4º Carga Horária: 72 h/a Entrevista inicial e para testes. P.. 7 ed. S. L. e BELLAK S. N. Ed. Mestre Jou. & Colaboradores. P. MINICUCCI. G. Ementa: BIBLIOGRAFIA BÁSICA: .P. Medidas preventivas e seleção de instrumentos. técnicas e testes projetivos: aplicação. Ed. URBINA. Porto Alegre: Artmed. (manual e pranchas).OCAMPO.PASQUALI. Mestre Jou. Técnicas de Exame Psicológico – TEP. . II e III. A. S. M. F. elaboração do material recolhido e entrevista de devolução.P. S.Vetor. 2000. S. 1988. . 1973.RETONDO.. A. Testagem Psicológica. .CAT (Teste de A percepção Infantil): BELLAK.L. Aspectos adaptativos e patológicos da personalidade.. L. 1981.. I. M. O processo psicodiagnóstico e as técnicas projetivas. 2000. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: -TAT (Teste de A percepção Temática): Manual e pranchas.ANASTASI.. Casa do Psicólogo / Conselho Federal de Psicologia.S. Manual Prático de Avaliação do HTP (Casa – Árvore – Pessoa) e Família – S. . São Paulo. Elaboração de Laudos Psicológicos Vol. Casa do Psicólogo. 2001. Ed. S.

Distribuições discretas. Medidas de dispersão. Introdução à probabilidade. Noções elementares de amostragem. Distribuição de freqüência. Decisão estatística.5º Período Disciplina: ATIVIDADES COMPLEMENTARES V Formação: Básica 5º Série/Período: Carga Horária: 18 h/a Realização de atividades extra classe para possibilitar o exercício do pensamento. Distribuição contínua. Tabela e gráficos. Disciplina: ESTATISTICA Formação: Básica 5º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Conceitos fundamentais. Regressão e correlação. Ementa: 2012-36S200 . Variáveis aleatórias e unidimensionais. Estimativa estatística. Ementa: Bibliografia O estudante deverá consultar as referências bibliográficas de acordo com a orientação do professor responsável pela atividade e da demanda gerada ao longo do desenvolvimento das atividades acadêmicas complementares do Curso de Psicologia. do senso e da criatividade como forma de gerar habilidade profissional adicional. Medidas de posição. da reflexão.

James F. 2000. 352 p. . São Paulo: Makron Books. 2008. Sidia M. São Paulo. Wilton de O.BIBLIOGRAFIA BÁSICA: CALLEGARI-JACQUES. Dr. MORETTIN. STEPHAN. Disponível em: http://www. Jeffrey. 2002 MORETTIN. Douglas. A ciência e as ciências. 2002. 2 v JEKEL.pdf BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . Apostila de Estatística. A construção da ciência. Estatística: teoria e aplicações usando microsoft Excel em português. Pedro A. Ribeirão Preto-SP: Revista Brasileira de Genética. 4. UNESP. São PAulo: Saraiva. 158 p . 5ª Ed. Ulysses. David M. Estatística básica: inferência. ed. 2003 BUSSAB. Bernardo. David. SOUZA. Gilles-Gaston.GRANGER. . Bibliografia VIEIRA. 2000. São Paulo. Ulysses Doria. 1994. ed.br/sistemas/professores/celso/arquivos/Apostila%20Estatí stica%20Psicologia%20Vol%201%202007. São Paulo: Saraiva. EDUSP. 245 p. 5. Sônia. 812 p. CLARK. . Teresa Cristina Padilha de. Celso Eduardo Tuna. BERENSON. 1997. 1999 Prof.lo. Estatística aplicada. RS: Artmed. Vol. 4ª Ed. Bioestatística: princípios e aplicações. ed. Introdução À Bioestatística. Mark l. Introdução a bioestatística: para simples mortais. 1999. DOWNING. São Paulo: Negócio. São Paulo: Negócio Editora. 1996. 1. Introdução a bioestatística. Epidemiologia. 1999. 2. DORIA FILHO. biestatística e medicina preventiva. LEVINE.FOUREZ. Porto Alegre. FILHO. BEIGURLMAN. Porto Alegre: Artes Médicas Sul. Curso Prático de Bioestatística. Rio de Janeiro: LTC. Gérard. Rio de Janeiro: Elsevier. Estatística básica.unisal. Luiz Gonzaga.

Adagmar. expressa através de reflexões sobre as ações. 2ª Ed. .Sistema da gestão. Marsileni.pdf NBR16001 Responsabilidade social .Disciplina: PROJETO INTERDISCIPLINAR V 2012-36S200 Formação: Básica Série/Período 5º Carga Horária: 36 h/a Situações de ensino baseadas nas competências e habilidades do acadêmico com os temas gestão em biomedicina e laboratório clínico. José Wander.pdf BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: REICHE. 20ª edição.pdf NBR ISO 9004 Sistemas de gestão da qualidade .br/Erratas/09000%20-%20errata. 408 p.pdf NBRISO9000 Sistemas de gestão da qualidade . (Coleção Progestores – Para entender a gestão do SUS. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Fundamentos e técnicas de administração financeira. 1995.Diretrizes para melhorias de desempenho01/12/2000.br/Erratas/09004%20-%20errata1. Leda.com/2009/12/iso19011. Desenvolvimento e criação de produtos. 360p.files. soluções ou produção de conhecimento que reflita sua aprendizagem. .gov. Brasil. Paraná: EDUEL. Brasília : CONASS. 116 p. Ementa: BIBLIOGRAFIA BÁSICA: HARMENING. 5) Disponível em: http://www. São Paulo: Atlas.Fundamentos e vocabulário http://www. 2009. Roberto. Abordagem Interdisciplinar em Análises Clínicas.org.saude. Edna Maria Vissoci.br/corde/arquivos/ABNT/nbr16001.br/resources/gestor/destaques/colecao_progest ores/livro5.pdf Bibliografia NBRISO19011 Diretrizes para auditorias de sistema de gestão da qualidade e/ou ambiental http://qualidadeonline.gov. 2009. Gestão do Trabalho na Saúde / Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Síntese do conhecimento construído. BREGANÓ. TESSER. Egídio.abnt. BRAGA. ANDRIOLO.mj.wordpress. http://portal. São Paulo: LMP. Denise M. Administração de laboratórios: princípios e processos.abnt. http://www. 1ª Ed. 487p. MEZZAROBA.sp. 2007.org. PELISSON.

Casa do psicólogo. 1955. Y Teorias psicogenéticas em discussão. 560 p MOURA.M. S. ArtMed. ALMEIDA. Ementa: Bibliografia 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: COLL. 332 p. Psicologia escolar: ética e competências na formação e atuação profissional. S. C. 296 p. 1995. PALACIOS. BERWICK. Boas práticas de laboratório: aplicações em estudos de campo e de laboratório. S. 256 p. Casa do psicólogo. 1996. Warren. 2002. ANTUNES. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia.F. Jane. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: MEIRA. FISCHER. Vigotski e Wallon. 1997. Gestão contemporânea: a ciência e a arte de ser dirigente. Alfredo. São Paulo: Makron Books. M. ed. 9. 199 p. 2004. São Paulo: Publifolha. Piaget. Camacari: Cepes. P. Mudança de paradigmas e o princípio da inclusão e intervenção de inclusão da deficiência escolar e social. Vivência em estágios práticos. 2003. V3. GARNER. A. S. A relação deficiência e normalidade. 178 p. P. Qualidade simplesmente total: uma abordagem simples e prática da gestão da qualidade. S. Luciano Raizer. seu significado social. LA TAILLE. Donald M. Rio de Janeiro: Record. Psicologia escolar: práticas críticas. Melhorando a qualidade dos serviços médicos hospitalares e da saúde. Blanton. (Coletânea HSMManagement) MOTA. 2003. P.BENNIS. Laboratório: análises clínicas. GODFREY. Paulo Roberto. Campinas: Aliena. ROESSNER. Rio de Janeiro: Guanabara. M. Liderança e gestão de pessoas. P. 1990. Rio de Janeiro: Qualitymark. . 1998. Desenvolvimento Psicológico e educação. Willa Y. PATTO. Disciplina: PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM E INCLUSÃO Formação: Básica Série/Período 5º Carga Horária: 72 h/a Papel e função do psicólogo nas questões que envolvem o processo ensinoaprendizagem.

Benedetti. Bibliografia e . MORIN. saúde subjetividade. V. 1992. Necessidades psicológicas do indivíduo e da família frente à hospitalização. São Paulo: Cengage Learning.L. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: Bruscato.C.Summus.. Repensar a reforma.N. Angerami-Camon. RIOS. Wanderbroocke. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. S.R. Atuação do psicólogo junto a diferentes especialidades médicas e equipes de saúde. Porto Alegre: Artmed. Lopes. A cabeça bem. R. Straub. 2005.S. (org) (2011) Psicologia da saúde: um novo significado para a prática clínica.feita.. São Paulo: Casa do Psicólogo. reformar o pensamento. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: Mercer. A. (2004) A prática da psicologia hospitalar na Santa Casa de São Paulo: novas páginas em uma antiga história. Edgar. W. Compreender e Ensinar – Por uma docência da melhor qualidade. Terezinha. C. Especificidades da prática psicológica em hospital. São Paulo: Casa do Psicólogo.A. (2005) Psicologia da Saúde..(orgs) (2011) Hospital.R.A. W. 2005 Disciplina: PSICOLOGIA DA SAÚDE 2012-36S200 Formação: Ementa: Básica Série/Período 5º Carga Horária: 36 h/a História da psicologia da saúde. Níveis de atenção em saúde. São Paulo: Cortez.

S. PAULA INEZ CUNHA e PINHEIRO. Organizações e trabalhos no Brasil. Pesquisas na área. ROCHA. DE 13 DE JULHO DE 1990. Áreas de atuação da Psicologia Forense (Resolução CFP 02/2001). Editora Revista dos Tribunais. Bastos. A. Visão crítica sobre o mundo do trabalho. DIAS. Comportamento Moral: uma proposta para o desenvolvimento das virtudes. Porto Alegre. P. ano 26. 2006. São Paulo: Makron Books. M.Y. . GOMIDE.Disciplina: PSICOLOGIA DO TRABALHO Formação: Básica Série/Período 5º Carga Horária: 36 h/a Compreender a Psicologia do Trabalho. Papel do psicólogo do trabalho.A. S. Coleção Comissões. POA. 2002 . Curitiba. .FREITAS.P. pag 646-659. Cultura Organizacional: Formação.e outros Gestão Empresarial de Taylor aos nossos dias.SPECTOR.1998. Parricídio. A Redução da Maioridade Penal: Questões Teóricas e Empíricas. A. E. Inserção da Psicologia Forense no mundo e no Brasil. Incesto e Alienação Parental: realidades que a justiça insiste em não ver. MARINA PIRES. Prentice Hall. 2002. gestões organizacionais durante o século XX e inicio do século XXI. Revista Ciência e Profissão. PAULA INEZ CUNHA. Disciplina: PSICOLOGIA FORENSE Formação: Básica Série/Período 5º Carga Horária: 36 h/a Histórico e definição da Psicologia Forense. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. J. Psicologia nas Organizações – São Paulo – Ed.ROBBINS.P. PAULA INEZ CUNHA. Editora Juruá. Maria Ester de. JOSÉ DALTOÉ.ZANELLI. J. . Pioneira . ROPELATO. Borges Andrade. compreensão do funcionamento da cultura e principais teorias sobre motivação humana. Petrópolis. Tipologias e Impacto. S. Manual de Elaboração de documentos escritos pelo psicólogo (Resolução CFP 07/2003). Ementa: BIBLIOGRAFIA BÁSICA: Bibliografia 2012-36S200 CEZAR. ANE. Depoimento sem Dano: Uma alternativa para inquirir crianças e adolescentes nos processos judiciais. 2006. -ARAÚJO. São Paulo: Gente. 4. Em Os vários olhares do direito da criança e do adolescente. RAPHAELA e MACHADO. Psicoterapia Analítico Comportamental com .FERREIRA.Questões éticas. 96 págs. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . 1991. Psicologia. LEI 8069.P. 2006 GOMIDE. MARIA BERENICE. Livraria do Advogado Editora. 2010. Ementa: 2012-36S200 Bibliografia BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . compreensão do funcionamento da cultura organizacional. GOMIDE.B. Curitiba. 2007. Comportamento Organizacional. vol 6. GIOVANA VELOSO MUNHOZ DA. PAULA INEZ CUNHA. 1999. 2007. Inventário de Estilos Parentais: Manual de Aplicação. GOMIDE. OAB-Seção do Paraná. no. Editora Vozes. Tonim (orgs). Saraiva. e sua postura ética – política. Caldas e M. C. DÉBORA. Lideranças e poder nas organizações. Coach: um parceiro para o seu sucesso. Apuração e Interpretação.

PADOVANI. 117-123. (2000). São Paulo. Da concepção linear à prática sistêmica e a visão clínica. Fundamentos e aspectos conceituais e históricos da construção relacional humana e da pertinência da visão sistêmica. Especificação do exame do estado mental e sua aplicação. (1999) Anorexia e Bulimia. Depressão no ciclo da vida. 2006. ALEX e WILLIAMS. .DALGALARRONDO P. 2009. Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais. Almeida OP. Vetor Editora. Fobia e Obsessões. Proposta de intervenção com adolescentes em conflito com a lei: Um estudo de caso. ROVINSKY. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BASICA: .GENTIL V. Porto Alegre-Artmed. 2008.CORDAS. Adolescentes em conflito com a lei: Uma revisão dos fatores de risco para a conduta infracional. LUCIA CAVALCANTE DE ALBUQUERQUE. O que são? Como ajudar?. . 2005. Fenomenologia e psicodinâmica. Artmed.OMS. Classificação de transtornos mentais e de comportamento da CID/10. Pânico. 81-95. . Fráguas Rmiguel E. Bibliografia . POAArtmed. (1). SERAFIM. 2005. Disciplina: PSICOTERAPIA RELACIONAL SISTÊMICA Formação: Básica Série/Período 5º Carga Horária: 36 h/a Os enfoques aos aspectos relacionais do indivíduo com o sistema. Lotufo-Neto F. (1). LUCIA CAVALCANTE DE ALBUQUERQUE. Psicologia Jurídica: Perspectivas teóricas e processos de intervenção.OMS. Psicologia: Teoria e Prática. Sistema de educação Continuada. POAArtmed. SONIA E CRUZ. SÉRGIO PAULO (ORGS). Editora Vetor.LAFER B. Classificação de transtornos mentais e de comportamento da CID/10.Adolescentes Infratores de Alto-risco. Temas em Psiquiatria Forense e Psicologia Jurídica II. Definição das grandes síndromes mentais com levantamento de seus sinais e sintomas para a compreensão do diagnóstico nosológico. Disciplina: PSICOPATOLOGIA Formação: Básica Série/Período 5º Carga Horária: 72 h/a Estudo dos transtornos mentais infantis e de adultos segundo o enfoque da clínica psicopatológica tradicional aliado às classificações diagnósticas atuais (CID/10 e DSM IV). DANIEL MARTINS DE e RIGONATTI. ARTMED. 9. RICARDO E WILLIAMS. 1993.POA. Tese de Doutorado: Universidade de São Paulo. ROBERTO. Ementa: 2012-36S200 . BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: GALLO. BILIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . BARROS. EDUSP1994. Produção do conhecimento diagnóstico em Psicopatologia de Adultos e de Crianças a partir de estágio prático. Interação em Psicologia. 2000. 7. ANTONIO DE PÁDUA. 1993. TA.

Grupos. Conceitos e métodos de atuação da terapia relacional sistêmica. D.V. São Paulo: Cultrix. Psicodrama. São Paulo:Cultrrix. . Psicoterapia Psicodramática. D.. O Ponto de Mutação. 1980. 1996 CARTER B.SATIR. Terapia Relacional Sistêmica: Famílias. 1977.MORENO. J. M. V. Rio de Janeiro: Francisco Alves. princípios e fundamentos da visão sistêmica. escola. Petrópolis: Vozes. Terapia do grupo familiar.BUSTOS. & colaboradores. . WATZLAWICK.A visão de sistemas: histórico. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . 1999.L. M. CAPRA. São Paulo: Brasiliense. ROSSET.. L. Indivíduos. 1995 _______. Porto Alegre: Artes Médicas. 2008. enfoques. São Paulo: Cultrix. . JACKSON. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: Bibliografia BERTALANFFY. As mudanças no ciclo de vida familiar: uma estrutura para terapia familiar. P. 1993. 1993. Casais. Curitiba: Sol. MACGOLDRICK. F. Pragmática da comunicação humana. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. Teoria Geral de Sistemas. São Paulo: Cultrix. S.

1995. 1999. 1985 .6º Período Disciplina: DEONTOLOGIA E ETICA 2012-36S200 Formação: Ementa: Básica Série/Período 6. Ética é justiça.º Carga Horária: 36 h/a Transmissão e discussão do código de ética do psicólogo. Petrópolis. p. Rio de Janeiro. 1993. vol IV. Obras Completas de Sigmund Freud. Zahar. Um caminho para a Ementa: Bibliografia 2012-36S200 escola e educação. In: Os Pensadores. Rio de Janeiro. – Zahar editores – Rio de Janeiro – 1981. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . Rio de Janeiro. Fritz. 1996. Editora Relume Dumará. Norbert. . -SIGMUND. P. Paulo. A ética da diferença. Rio de Janeiro. Bibliografia Disciplina: GESTALT TERAPIA Formação: Básica Série/Período 6º Carga Horária: 36 h/a Estudo do ser humano e da dinâmica de suas relações sob o enfoque existencial fenomenológico da gestalt terapia BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . Rio de Janeiro. 2000.SIGMUND. Ética a Nicômano. Obras Completas de Sigmund Freud. F. Rio de Janeiro.RODRIGUES. V. Zahar. . Ética. . um ensaio sobre a consciência do mal. 1997. Mais além do princípio do prazer. A. A abordagem gestaltica e testemunha ocular da terapia. .225-320. O processo civilizador. Karlheinz.RINALDI. Delta. 1973. um debate entre psicanálise e antropologia. O mal-estar na civilização. Alain. . O.8. Summus editorial – S. Christophe.PERLS.75-171. .BADIOU.ELIAS.PEGORARO.245-436. 1995.DEJOURS.ARISTÓTELES. A banalização da injustiça social. P. Adolfo Sanchez. -VAZQUEZ. Olaf. Conceitos filosóficos e psicológicos que sustentam o corpo teórico da ética. Fundação Getúlio Vargas. Axel e Scherpp. Civilização Brasileira. Imago. Abril Cultural. F. Gestalt-pedagogia. 1998.BUROW. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . A conscientização deontológica. Doris. São Paulo. XXI. Hugo Introdução a Gestalt Terapia conversando sob os princípios . Rio de Janeiro. Vozes. Ética.

Metodologia para um Processo de Planejamento Participativo. ECO. Disciplina: Formação: Ementa: Bibliografia PESQUISA EM PSICOLOGIA 2012-36S200 Básica 6º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Levantamento de tema de pesquisa. 1988.gestalticos – Ed. São Paulo: Atlas. Vozes – São Paulo 2002 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . n. Definição. S. S. Brasília. Porto Alegre: Artmed. 2003. Planejamento Participativo na Escola Cidadã. Normas técnicas: elaboração e apresentação de trabalho acadêmico-científico. Luiz H. Pesquisa de campo. Como se faz uma tese. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: COZBY. HULLEY.C.) Delineando a Pesquisa Clínica: uma abordagem epidemiológica. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: AEC do BRASIL. 1995 . João Bosco G.GINGER. Métodos de Pesquisa em Ciências do Comportamento. Elaboração de instrumentos de pesquisa. P. BRIGHENTI. Revista de Educação AEC. Paixão de Aprender II.método e criatividade. (org.S. 1995. Hipóteses e questão de pesquisa. M. . Sua estruturação a partir da problematização do processo de trabalho e sua capacidade de dar acolhimento e cuidado às várias dimensões e necessidades em saúde das pessoas. AEC. 1994. por meio de Projeto Participativo. Levantamento bibliográfico.B. e ANE. In: SILVA. dos coletivos e das populações. Petrópolis: Vozes. 1990.GINGER. RJ: Vozes.C. 75. e AZEVEDO. Petrópolis. et al (org. Gestalt Terapia uma terapia do contato – Summus editorial – São Paulo. 2003. Planejamento: Educando para a participação. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: MINAYO. pré teste e coleta de dados. H. Agenor. Disciplina: PROJETO INTERDISCIPLINAR VI Formação: Ementa: Básica Série/Período 2012-36S200 6º Carga Horária: 36 h/a Situações de ensino baseadas nas competências e habilidades do acadêmico com os temas de psicologia em interface com a interdisciplinaridade Transformação das práticas profissionais e da própria organização do trabalho. PINTO. UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ.) Pesquisa Social: teoria. José C. elaboração e qualificação de projeto de pesquisa. São Paulo: Paulinas. A arte do contato – Summus editorial – São Paulo 2007.S. 2006. Curitiba: UTP. São Paulo: Editora Perspectiva. 1977.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: RIVERA.P. Francisco Javier U. Rio de Janeiro: FIOCRUZ. F.NETO. A. . (org. 2001. Processo Psicodiagnóstico e as Técnicas Projetivas. 1995.CHAMAT. S. URIBE RIVERA. M. Porto Alegre: Artmed.S.P: Vetor. Técnicas de Diagnóstico Psicopedagógico. S.OCAMPO.R. E. . Agir Comunicativo e Planejamento Social (uma crítica ao enfoque estratégico).GRASSANO. Indicadores Psicopatológicos nas Técnicas Projetivas. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . 2003. J. 2002. .: Casa do Psicólogo.A. 2004.S. Curitiba: UFPR. Mario e MATUS. fundamentos e etapas do Psicodiagnóstico. Métodos de exploração e diagnóstico em Psicologia Clínica. 2000. L.J.CUNHA. São Paulo: Martins Fontes. S. 1989 Bibliografia Disciplina: PSICODIAGNÓSTICO 2012-36S200 Formação: Ementa: Básica Série/Período 6º Carga Horária: 36 h/a Conceitos.: Martins Fontes.BENJAMIN. Como escrever o relatório de um paciente. Carlos.J. N.P. Planejamento e Programação em Saúde: um enfoque estratégico. TESTA. São Paulo: Cortez. Psicodiagnóstico. A Entrevista de Ajuda. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . Prática de entrevista diagnóstica.L. 5ed. . .). 1999.

Repensando a pesquisa participante. G. CODO.. CARLOS. Psicologia social comunitária: da solidariedade à autonomia. Dinamismos da psique inconsciente.A. 1998. J. M. São Paulo: Brasiliense. Sílvia T. A psicologia comunitária e os movimentos de saúde mental. Petrópolis. São Paulo. . Petrópolis. PEREIRA. . M. Petrópolis. Bibliografia . 1998. .). Pressupostos da psicologia social latino-americana.. T. C. 1988. RJ: Vozes. projeto e intervenção. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . . Maria Margarida (orgs. Diferentes orientações teóricas.. Cultrix.SAMUELS. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: .JACQUES. São Paulo. . FREITAS.) Psicólogo brasileiro: práticas emergentes e desafios para a formação.SOUZA.ULSON. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . GUARESCHI.Disciplina: PSICOLOGIA ANALÍTICA Formação: Básica Ementa: Compreender o panorama geral da Psicologia Analítica. Cultrix.. Ática.G.CAMPOS. O Inconsciente.). Bibliografia Série/Período 2012-36S200 6º Carga Horária: 36 h/a BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: .JUNG C. Obras Completas. 1988. Rosemary (coord. 1996. P. São Paulo: Casa do Psicólogo. A Busca do Símbolo. Regina Helena de Freitas (org. Psicólogo na comunidade: diagnóstico. Psicologia Social: o homem em movimento.M..N.BRANDÃO. Wanderley (orgs.G. São Paulo.A. FONSECA.ACHCAR. M. Imago.G. Rio de Janeiro. Vozes.). S. A experiência Junguiana. Lídio. Disciplina: PSICOLOGIA COMUNITÁRIA E DA SAÚDE 2012-36S200 Formação: Ementa: Básica Série/Período 6º Carga Horária: 72 h/a História da psicologia na comunidade. 1995. Maria de Fátima Quintal de.. A. 1999. Binômio saúde . RJ: Vozes. Psicologia social contemporânea: livro-texto. 1988.G. São Paulo: Brasiliense.(org. O Método Junguiano.HALL. Dicionário Crítico de Análise. 1994. 1990. BERNARDES. . Análise Junguiana. . São Paulo: Casa do Psicólogo.LANE. E.).C. Psicologia: reflexões (im) pertinentes.WHITMONT.R. STREY.doença. Práticas em estágio.M. 1984.

Eugenio Vilaça. proporcionando conhecimento sobre o Sistema Nacional de Saúde. O campo de ação do Psicólogo em saúde coletiva. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR . O nascimento da Medicina Social. Conceito de saúde coletiva e desenvolvimento de noções de cidadania e Planejamento em Saúde. História da Saúde Pública no Brasil.fiocruz. 1997. Paulo Henrique Battaglin.) Distrito Sanitário: o processo social de mudança das práticas sanitárias do Sistema Único de Saúde.NOB – SUS 01/96: Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde/SUS. 1999.MACHADO.FOUCAULT. . Brasília: Ministério da Saúde. Realidade sanitária brasileira como proposta de transformação da realidade social. C. Disponível em: <http://bvsarouca. . Michel. Ementa: Bibliografia 2012-36S200 . Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas.MENDES. São Paulo: Cortez.1998.BERTOLLI FILHO.cict.Disciplina: SAÚDE COLETIVA Formação: Básica 6º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Desenvolvimento e conhecimento de atitudes com fundamentação teórica nos Programas de Saúde com ênfase na prevenção da saúde. Sanitarista Biblioteca Virtual Sérgio Arouca.Reforma sanitária. 2006. Rio de Janeiro: Graal. UNICAMP Campinas.STARFIELD. serviços e tecnologia. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde. 2002. (Org. .BEGOSSI.ed. Contribuição para a compreensão e crítica da medicina preventiva. Tese de Doutorado. Brasília. As Políticas de saúde no Brasil nos anos 80: a conformação da reforma sanitária e a construção da hegemonia do projeto liberal. . LEANDRO José Augusto. da profissão e do profissional.html>. levando em conta o contexto da Responsabilidade Social do Estado. Políticas e Programas de Saúde Pública que desenvolvem ações na proteção. . E. São Paulo – Rio de Janeiro: HucitecAbrasco. 1972. Alpina. Fiocruz. Saúde Coletiva: um campo em construção. identificando as necessidades da população.AROUCA. Meio ambiente desenvolvimento sustentável e políticas públicas. MICHALISZYN. através dos Programas de Saúde existentes no Ministério da Saúde. contribuindo para a formação da consciência sanitária e conseguindo avaliar o estado de saúde da população. Mario Sergio (Org. Coleção História em movimento.Acesso em: 14 jul 2007.MENDES. . 2002. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . Bárbara. 1975.br/sanitarista05. O dilema preventivista. 71p . 4. promoção e reabilitação. In: Microfísica do Poder. 1997. In: . Antônio Sérgio da Silva.) . V. Curitiba: Editora IBPEX. São Paulo: Ática.

Editora: Ática. da reflexão. Relatório Nacional Brasileiro: Cúpula de Roma. Ministério das Relações Exteriores. Objetivos do desenvolvimento do milênio: relatório nacional de acompanhamento. em Defesa do SUS e de Gestão. Brasília/DF. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Volume 4. Secretaria de Atenção à Saúde. Volume II. Ementa: Bibliografia O estudante deverá consultar as referências bibliográficas de acordo com a orientação do professor responsável pela atividade e da demanda gerada ao longo do desenvolvimento das atividades acadêmicas complementares do Curso de Psicologia. 2006. Desenvolvimento e conhecimento de atitudes com fundamentação teórica sobre as políticas públicas. Brasil. História da Saúde Pública no Brasil.Disciplina: ATIVIDADES COMPLEMENTARES VI Formação: Básica 6º 18 h/a Série/Período: Carga Horária: Realização de atividades extra classe para possibilitar o exercício do pensamento. 65. Departamento de Regulação. Cláudio. Brasil. Série Pactos pela Saúde. (Série A. n. Ministério da Saúde. POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO BÁSICA. Departamento de Apoio à Descentralização. DIRETRIZES PARA A PROGRAMAÇÃO PACTUADA E INTEGRADA DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE. 1996. 2006. C. Diretrizes operacionais dos Pactos pela Vida. As três esferas de governo e a construção do SUS: uma revisão. BRASIL. Controle social. Brasília: IPEA/IBGE. Brasil. Ementa: BIBLIOGRAFIA BÁSICA ALMEIDA. Brasília. set. Avaliação E Controle – DRAC. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR Bibliografia Brasil. Normas e Manuais Técnicos). 2006. p 207-20. Ministério da Saúde. Ministério da Saúde. Coordenação de Programação da Assistência Brasília/DF. São Paulo. 2003. 2004. vol. BRASIL. Saúde em Debate. Coordenação-Geral de Apoio à Gestão Descentralizada.27. Normas e Manuais Técnicos)./dez. do senso e da criatividade como forma de gerar habilidade profissional adicional. Disciplina: PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS Formação: Básica 6º 36 h/a Série/Período: Carga Horária: Processo de construção e análise das Políticas Públicas no Brasil em diferentes contextos relevantes a formação de psicólogo. Rio de Janeiro. – Brasília/DF. . BERTOLLI FILHO. (Série A. 2006.

Autopoiese: a organização do vivo. da reflexão.P. O processo de aconselhamento.Vitória Ed.P..VARELA. Psicoterapia e consulta psicológica.7º Período Disciplina: ACONSELHAMENTO PSICOLÓGICO Formação: Básica 7º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Histórico e evolução do aconselhamento. ROGERS. São Paulo: Martins Fontes. do senso e da criatividade como forma de gerar habilidade profissional adicional.R. R. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: - MATURANA. Conceitos da práxis da Abordagem Centrada na Pessoa..C. John K et al.1997. Métodos do aconselhamento. . H.MATURANA. 1988. Belo Horizonte: Crescer. Biografia de Carl Rogers e conceitos filosóficos e teóricos da Abordagem Centrada na Pessoa. _____ Emoções e linguagem na educação e na política. Ementa: Bibliografia O estudante deverá consultar as referências bibliográficas de acordo com a orientação do professor responsável pela atividade e da demanda gerada ao longo do desenvolvimento das atividades acadêmicas complementares do Curso de Psicologia. Belo Horizonte: Editora UFMG.1999. 1994 . F. De máquinas e seres vivos.C. A fenomenologia. EISEMBERG.. . Porto Alegre: Artes Médicas.1997. 1993. H. 1979. A ontologia da realidade.. Belo Horizonte: Editora UFMG. Lisboa: Moraes Editores. MIRANDA. Construindo a relação de ajuda. J.M. Abordagem centrada na pessoa. R. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: .C. MAGRO.WOOD.PATTERSON. MIRANDA. Fundação Ceciliano Abel de Almeida. Disciplina: ATIVIDADES COMPLEMENTARES VII Formação: Básica 7º Série/Período: Carga Horária: 18 h/a Realização de atividades extra classe para possibilitar o exercício do pensamento.

1994. Revista de Educação AEC. José C. TESTA. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: RIVERA. (org. Agenor. Disciplina: PROJETO INTERDISCIPLINAR VII 2012-36S200 Formação: Ementa: Básica Série/Período 7º Carga Horária: 36 h/a Situações de ensino baseadas nas competências e habilidades do acadêmico com os temas de psicologia em interface com a interdisciplinaridade Transformação das práticas profissionais e da própria organização do trabalho. Oficina do empreendedor. ed. Metodologia para um Processo de Planejamento Participativo. Planejamento e . Rio de Janeiro: Elsevier. Petrópolis: Vozes.ZOGHLIN. Francisco Javier U. 1995. In: SILVA.Disciplina: GESTÃO DE PESSOAS Formação: Básica 7º 36 h/a Série/Período: Carga Horária: Empreendedorismo. dos coletivos e das populações.DOLABELA. Carlos. Sua estruturação a partir da problematização do processo de trabalho e sua capacidade de dar acolhimento e cuidado às várias dimensões e necessidades em saúde das pessoas. José Carlos Assis. ed. Empreendedorismo: transformando idéias em negócios. 1909. AEC. Peter Ferdinand. Inovação e Criatividade. 75. 2. São Paulo: Makron Books. 2006. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: AEC do BRASIL. Brasília. São Paulo: Cultura. Agentes incentivadores do Empreendedorismo.J. Rio de Janeiro: FIOCRUZ. 2000. Agir Comunicativo e Planejamento Social (uma crítica ao enfoque estratégico). Francisco Antonio Pereira. 1990. 1995. Planejamento Participativo na Escola Cidadã. Cultura Empreendedora. 378 p. F. Características e Oportunidades. 1988. URIBE RIVERA. De executivo a empreendedor. Paixão de Aprender II.DORNELAS. Administração do Crescimento da Empresa. . BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: FIALHO. 2005. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: Bibliografia . 2. São Paulo: Paulinas. Luiz H. (Biblioteca pioneira de administração e negócios). c1998. e AZEVEDO. Empreendedorismo na era do conhecimento. . Mario e MATUS. Desenvolvimento de Atitudes Empreendedoras. Florianopolis: Visual Books. n. Planejamento: Educando para a participação. por meio de Projeto Participativo. São Paulo: Pioneira. Inovação e espírito empreendedor (entrepreneurship): prática e princípios. DRUCKER. Gilbert G. Importância do Plano de Negócio. BRIGHENTI. João Bosco G. Fernando. PINTO.).

S. tele.WESCHLER. Como escrever o relatório de um paciente. GUZZO. e KARP.. São Paulo: Casa do Psicólogo. Curitiba: UFPR. . . . São Paulo :Casa do Psicólogo. São Paulo: Agora. L. Objetivos e Operacionalização do processo psicodiagnóstico. transferência.M. teoria de papéis. 2004. criatividade.S. seu terapeuta e seu paciente.J.S. Indicadores Psicopatológicos nas Técnicas Projetivas. D. P. 1989 Bibliografia Disciplina: PSICODIAGNÓSTICO APLICADO Formação: Básica 7º 72 h/a Série/Período: Carga Horária: Pratica de Psicodiagnóstico Clinico. 1988. A.NETO.CHAMAT. e ALMEIDA. 1999..C.BENJAMIN.R.M. 2001. Técnicas de Diagnóstico Psicopedagógico. HOLMES. GONÇALVES.Moreno. Psicoterapia psicodramática. São Paulo: Agora. São Paulo: Cortez. . R. E. J.L. Técnicas Psicodramáticas. R.L. WOLFF. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: BUSTOS. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: Bibliografia . 1979. . 1999. matriz da identidade e sociometria.R. São Paulo : Martins Fontes. A Entrevista de Ajuda.) Avaliação Psicológica: Perspectiva Internacional. Processo Psicodiagnóstico e as Técnicas Projetivas. Psicodrama Bipessoal: sua técnica.P. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: CUKIER.M.Programação em Saúde: um enfoque estratégico. S. Lições de psicodrama: introdução ao pensamento de J. São Paulo: Martins Fontes. (org. São Paulo: Agora. São Paulo: Editora Brasiliense. W. N. M.GRASSANO. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . C. 1992. 1992.S.L. Fundamentos teóricos: espontaneidade. 2003. M. (org) Psicodrama:inspiração e técnica. Disciplina: PSICODRAMA 2012-36S200 Formação: Ementa Básica 7º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Histórico do Psicodrama.OCAMPO.: Vetor. 2002.

Rio de Janeiro: Elsevier. As pessoas na organização. Avaliação de desempenho.L. Comportamento Organizacional. Desenvolvimento Interpessoal – Rio de Janeiro Ed. 1992. MORENO. Psicologia do encontro: J. Elementos de Comportamento Organizacional. 1992. M. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . Gestão de pessoas: Cargos e Salários. .LUCENA. seleção e acompanhamento de Pessoas. S. P. Psicologia nas Organizações. E. São Paulo.Moreno. .V. F. Teoria Geral dos Sistemas – Petrópolis: Ed. Gente. Psicodrama.BOWDITCH. São Paulo: Saraiva. com diagnósticos e propostas de intervenção no contexto do trabalho permeado pela ética nas relações. Vozes – 1993. Livros técnicos e científicos – 2001 Bibliografia .SPECTOR. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos. Artmed. Recrutamento e Seleção e Saúde do Trabalhador.MOSCOVICI. São Paulo: Cultrix.CHIAVENATTO. Contato com as questões da psicologia do trabalho na prática. et al.L. 2002. C.ROBBINS. 2008. Saúde do trabalhador. J.SIQUEIRA. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . São Paulo: Ed. et al. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil. Medidas do Comportamento Organizacional: Ferramentas de Diagnóstico e de Gestão – Porto Alegre: Ed. Gestão de Pessoas. D. S. J.G.M. P. 1996. 2004 BERTALANFFY. Recrutamento.MARTIN. A . . 1977. . Pioneira. 2002 . 1999. I. Bibliografia Disciplina: PSICOLOGIA DO TRABALHO APLICADA Formação: Básica 7º Série/Período: Carga Horária: 72 h/a Teoria Geral de Sistemas. E.LIMONGI-FRANÇA. L. São Paulo: Agora. . M.

Herculano. Analise Institucional no Brasil.SP: Alínea. SOLE. S. CampinasSP: Alínea.BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: . Desenvolvimento psicológico e educação. . Albertina Mitjáns (org) Psicologia escolar compromisso social.DELPRETTE. Campinas. Porto Alegre: Art Méd. Eulália (et al) Intervenção educativa e diagnóstico. Campinas-SP: Alínea. Rosa dos Tempos.Cesar. . Vol. Campinas-SP: Alínea. et.P. Ação preventiva no cotidiano escolar. Rio de Janeiro 2002. Intervenção em psicologia escolar e educacional. . 2000. Psicologia escolar: LDB e educação hoje. Carlos. .KANKHAY. al. Porto Alegre: Artmed. II e III. formação e prática. 2008. Formação em psicologia escolar. Psicologia escolar: pesquisa..Disciplina: PSICOLOGIA ESCOLAR E EDUCACIONAL APLICADA Formação: Básica 7º 72 h/a Série/Período: Carga Horária: Caracterização e diagnóstico da instituição educacional. -CAMPOS. Porto Alegre: Artmed. O assessoramento psicopedagógico: uma perspectiva profissional e construtivista. Temas emergentes em psicologia escolar e educacional.MONERO. Isabel. Problemas psicossociais no âmbito educacional. MARTINEZ. Contatos com as questões da psicologia escolar na prática.COLL.BASSEDAS. Solange. . -WECHSLER. 2002. Ementa: Bibliografia 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: . 2007.1996.. -GUZZO. 2005. Inclusão escolar. 1996. Psicologia Escolar e Educacional Saúde e Qualidade de Vida – São Paulo Alínea -2001.A . Z. Raquel.

Entrevista clínica comportamental. do senso e da criatividade como forma de gerar habilidade profissional adicional. (orgs) Terapia comportamental e cognitivocomportamental. E. Ementa: Bibliografia O estudante deverá consultar as referências bibliográficas de acordo com a orientação do professor responsável pela atividade e da demanda gerada ao longo do desenvolvimento das atividades acadêmicas complementares do Curso de Psicologia.8º Período Disciplina: ATIVIDADES COMPLEMENTARES VIII Formação: Básica 8º 18 h/a Série/Período: Carga Horária: Realização de atividades extra classe para possibilitar o exercício do pensamento. Edicon. Porto Alegre.F. M. Campinas.1995. Terapia comportamental com base na análise do comportamento. Editorial Psy. São Paulo. Técnicas cognitivas. Ementa: Bibliografia 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: RANGÉ. Psicologia clínica comportamental: a inserção da entrevista com adultos e crianças. C. GONGORA. Disciplina: CLINICA COGNITIVA COMPORTAMENTAL Formação: Básica 8º 36 h/a Série/Período: Carga Horária: Pressupostos da terapia comportamental. São Paulo: Roca. da reflexão. Técnicas comportamentais. H. B.. SILVARES.A. 2004. Estudo de casos clínicos.M. 2001. Diferenças entre os pressupostos de TC e TCC. e GUILHARDI.) Psicoterapias Cognitivo Comportamentais: um diálogo com a psiquiatria. Práticas clínicas.N. Diagnóstico comportamental. (org) Terapia Comportamental e Cognitiva. . - BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: RANGÉ. Artes Médicas. 1998. Terapia cognitivo-comportamental. B. ABREU. (ORG.

A ontologia da realidade. São Paulo: Martins Fontes. A.MATURANA. Abordagem centrada na pessoa.Construções em análise. Fins de análise.P. EPU Editora da Universidade de São Paulo.H. H. .R.ROGERS. Disciplina: CLINICA PSICANALÍTICA Formação: Básica 8º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Entrevistas preliminares em psicanálise. 1999. John K et al.MORATO. Belo Horizonte: Editora UFMG.P. . & ROSENBERG.Vitória Ed. R. 1994 .1999. Ementa: 2012-36S200 BIBLIOGRAFIA BÁSICA: - MIRANDA..A interpretação clínica. Belo Horizonte: Crescer. _____ Emoções e linguagem na educação e na política. (org.São Paulo Ed.WOOD. A pessoa como centro.R. Ementa: 2012-36S200 . relação terapêutica. O processo de aconselhamento. o processo de alta e a técnica da resposta reflexo na Abordagem Centrada na Pessoa. 1988.C. L..Disciplina: ACONSELHAMENTO CLINICO Formação: Básica 8º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Abordagem Centrada na Pessoa. Construindo a relação de ajuda. 1977 Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: .M. MAGRO.. os atributos e qualidades do terapeuta.1997. Fundação Ceciliano Abel de Almeida. Manejo da transferência. A primeira entrevista. C. São Paulo: Casa do Psicólogo. MIRANDA. Belo Horizonte: Editora UFMG. A terapia: o processo terapêutico e a prática clínica.PATTERSON. Regra fundamental. . Fenômenos da resistência.) Aconselhamento psicológico centrado na pessoa: novos desafios.C. EISEMBERG. Psicodiagnóstico. 1993.

M. Princípios de marketing. Rio de Janeiro. KELLER. . DARCI. 1990. G. Rio de Janeiro. KOTLER. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Administração de marketing. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: -JULIEN. Marketing de relacionamento. Vendas. S. Fundamentos de Marketing. Estudo e desenvolvimento do composto de marketing. O Seminário. São Paulo: Pearson Prentice Hall. David. 1996. Comportamento do consumidor. Posicionamento. 2001. São Paulo: FGV. 12ª edição. 2008.KAUFMANN. Livro 11. . Zahar. Segmentação. Marca. Estratégias de diferenciação. Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise.Bibliografia BIBLIOGRAFIA BÁSICA: -FREUD. ARMSTRONG. Disciplina: MARKETING EAD 2012-36S200 Formação: Ementa Básica 8º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Fundamentos da administração de marketing. Plano de marketing. Rio de Janeiro. Marketing de Experiência. São Paulo: Atlas. -QUINET. Neurose e Perversão. Cia de Freud. 12ª edição. Criatividade e inovação. Inteligência de marketing. Imago. Basta. Ambiente externo de marketing. Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. São Paulo: Pearson Prentice Hall. 2001. Imagem e Reputação. 1998. 2003. 2003. Porto Alegre: Bookman. P . Administração estratégica de Mercado. P. K. 2000. -LACAN. P. P Psicose. Administração de Marketing. . Zahar. Organização e gestão de uma estrutura de marketing.O legado de Freud e Lacan. Conceitos e evolução do pensamento em marketing. 2006. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: AAKER. COBRA. A As 4 mais 1 condições para a análise. Zahar. Marketing Social. J. Dicionário Enciclopédico de psicanálise. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: KOTLER.

Marketing Básico. 2011. SANDHUSEN. (org). QUADROS. 2006. BIBLIOGRAFIA BÁSICA Língua Brasileira de Sinais. André Torres. URDAM. 3a edição. 96 a 99. PEREIRA. culturais e comunicacionais e suas implicações na interação com surdos. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR Língua Brasileira de Sinais-Libras: . Richard L. p. Disciplina: OPTATIVA Formação: Ementa Básica 2012-36S200 Série/Período: 8º Carga Horária: 36 h/a Disciplina eletiva. Acessibilidade e tecnologias.Bibliografia KOTLER. Editora Parábola: 2009. (Org. elencada pelo colegiado de curso no semestre. 2011. Porto Alegre: Artmed. R. Caracterização do indivíduo surdo e sua relação no contexto social. Philip. 2000. L. São Paulo: Saraiva. Libras? Que língua é essa? São Paulo. Maria Cristina da Cunha. Conceitos básicos e prática comunicacional em LIBRAS.M.B.) Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. & KARNOPP. Gestão do composto de Marketing. 2004. São Paulo: Futura. Libras: conhecimento além dos sinais. Aspectos históricos. URDAM. Língua Brasileira de Sinais Libras: Contextualização da Língua Brasileira de Sinais.Libras: GESSER. Marketing para o Século XXI. São Paulo: Atlas. Flávio Torres. 59 a 65. P. São Paulo: Pearson Prentice Hall. Audrei.

2001.319. Ministério da Educação. M. P. Programa Nacional de Apoio à Educação de Surdos . 10. Ministério da Educação e Cultura. L. Secretaria de Educação Especial. Curitiba: UTP.. MARCHESE. BRASIL. Lei n. E. MARCHESE. M. E. Abordagens grupais em fonoaudiologia: contextos e aplicações.). Lei n. Decreto 5. de 22 de dezembro de 2005. 2012. SEESP. e VIDAL.436. GUARINELLO. Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngüe – Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS. MARCHESE. F. I e II). 6 a 11. MASSI.BRASIL. Ana Paula. p. (vol. BERBERIAN. D. Curitiba: UTP. 2007. Dione E. SANTANA. A comunicação em libras: sinais e expressões. RAPHAEL. Ministério da Educação. São Paulo: EDUSP.626. Estruturas e comunicação em Libras.Brasília: MEC . BRASIL. O tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais e língua portuguesa. MEC. Ministério da Educação. D. Ana Paula. L. 216 p. 12. 7 à13. de 1 de setembro de 2010. V. São Paulo: Plexus. 2012. Giselle (Org. Secretaria de Educação Especial.27 a 33. CAPOVILLA. p. de 24 de abril de 2002. 2004. Ana Cristina. Curitiba: UTP.. Língua Brasileira de Sinais – Libras: Os parâmetros da Libras. VIDAL. . 2012. Maria Letizia e VIDAL.

dos coletivos e das populações. 75. PINTO. AEC. Agir Comunicativo e Planejamento Social (uma crítica ao enfoque estratégico). Revista de Educação AEC. por meio de Projeto Participativo. In: SILVA.). URIBE RIVERA. Francisco Javier U.J. (org. BRIGHENTI. João Bosco G. José C. São Paulo: Cortez. Sua estruturação a partir da problematização do processo de trabalho e sua capacidade de dar acolhimento e cuidado às várias dimensões e necessidades em saúde das pessoas. 1995. Planejamento Participativo na Escola Cidadã. Petrópolis: Vozes.Disciplina: PROJETO INTERDISCIPLINAR VIII 2012-36S200 Formação: Ementa: Básica 8º Série/Período Carga Horária: 36 h/a Situações de ensino baseadas nas competências e habilidades do acadêmico com os temas de psicologia em interface com a interdisciplinaridade Transformação das práticas profissionais e da própria organização do trabalho. F. 1989 Bibliografia . 1988. e AZEVEDO. Planejamento: Educando para a participação. Mario e MATUS. Agenor. Planejamento e Programação em Saúde: um enfoque estratégico. São Paulo: Paulinas. Brasília. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: AEC do BRASIL. 1990. Carlos. Luiz H. n. TESTA. Metodologia para um Processo de Planejamento Participativo. Rio de Janeiro: FIOCRUZ. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: RIVERA. 1995. Paixão de Aprender II.

: Summus. O mundo agente traça. (2002) nº12. Desenvolvimento e Psicanálise. RJ: Universitária. 2001. Aprendizagem de intervenções de diagnóstico e tratamento na infância. BIBLIOGRAFIA BÁSICA Arendt.Disciplina: PSICOTERAPIA INFANTIL 2012-36S200 Formação: Ementa Básica 8º Série/Período: Carga Horária: 72 h/a Sobre a prática psicoterápica com crianças.(1994) significados da infância. considerações psicanalíticas acerca do desenho infantil. LTC. Agalma. (1990). H A condição humana. R. V. ANO VII. & Bumberry. PA . M. ArtMed. Claude. sob múltiplas perspectivas teóricas. .Momentos de estágios práticos no trabalho clínico com a criança. considerações psicanalíticas acerca do desenho infantil. W. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR O ato de desenhar. Ângela [org]. In: TEIXEIRA. Dançando com a família: uma abordagem simbólico-experiencial. Estilos da clínica. 21-29. A (1991) A inteligência aprisionada. Agalma. dinâmica familiar e o papel da escola durante o desenvolvimento infantil. Porto Alegre: Artes Médicas. Fernandes. O mundo agente traça. Desenhos que falam. P (1981) História social da criança e da família. Brasilia: MEC/SEF. Alfredo. JERUSALINSKI. Revista sobre a infância e seus problemas. (1980).. Cap 01. Arroyo. S. DORGEVILLE. Oaklander.1ºsem. envolvendo a compreensão integrada das etapas evolutivas. Ariès. P. p. Whitaker. G. Roland In: TEIXEIRA.J. Ângela [org].M. Psicanálise e Desenvolvimento Infantil. (1988) P A: ArtMed. CHEMAMA.A.Descobrindo crianças: abordagem gestáltica com crianças e adolescentes. C.

Petrópolis. Curitiba: UTP. UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ. ECO.) Delineando a Pesquisa Clínica: uma abordagem epidemiológica. Porto Alegre: Artmed. Normas técnicas: elaboração e apresentação de trabalho acadêmico-científico. P.B. RJ: Vozes. Bibliografia BOBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: MINAYO. São Paulo: Editora Perspectiva. et al (org. 1994. M. 2003. Disciplina: ATIVIDADES COMPLEMENTARES IX Formação: Básica 9º 36 h/a Série/Período: Carga Horária: Realização de atividades extra classe para possibilitar o exercício do pensamento. Métodos de Pesquisa em Ciências do Comportamento. H. 2003.S.S. Ementa: Bibliografia O estudante deverá consultar as referências bibliográficas de acordo com a orientação do professor responsável pela atividade e da demanda gerada ao longo do desenvolvimento das atividades acadêmicas complementares do Curso de Psicologia. São Paulo: Atlas. 1977. Como se faz uma tese.C. do senso e da criatividade como forma de gerar habilidade profissional adicional. método e criatividade. .Disciplina: Formação: Ementa: TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 2012-36S200 Básica 8º Série/Período: Carga Horária: 180 h/a Verificação e ajuste do relatório de pesquisa para apresentação no Seminário de Pesquisa do Curso de Psicologia. HULLEY. da reflexão. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: COZBY.) Pesquisa Social: teoria. (org. 2006.C.

(Série Saúde & Cidadania). 2005. Fernando. NOGAS. Agentes incentivadores do Empreendedorismo. São Paulo : Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE SÃO PAULO SEBRAE . O segredo de Luísa. n. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: CHÉR. Disponível em: http://bvsms. v. Curitiba: Lobo Franco. São Paulo: TV Cultura. Douglas Gerson Braga. 275 p. Oficina do empreendedor. 2005. 147 p. Controladoria: gestão. Empreendedorismo: transformando idéias em negócios. Rogério. 1999. Curitiba: Ipê Amarelo.saude. [S. planejamento e aplicação. Francisco Antonio Pereira. Luiz (Ed. Florianópolis: Visual Books. Importância do Plano de Negócio. ed. Bibliografia - Malik. FIALHO. São Paulo: Cultura Editores Associados. DOLABELA.). Empreendedorismo na veia: um aprendizado constante. 1. . 110 P. 2008. Administração do Crescimento da Empresa. . Características e Oportunidades.Disciplina: EMPREENDEDORISMO EAD 2012-36S200 Formação: Ementa Básica 9º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Empreendedorismo. 2005. (Empreendedores do Paraná) . Criando uma cultura empreendedora no Brasil.].l. 1998. 2000. Rio de Janeiro: Elsevier. 2004. colaboração de David Braga Junior.SP. Rio de Janeiro: Elsevier. Empreendedores do ensino superior: a história e as idéias dos grandes nomes da educação particular brasileira. Luiz Costa (Org. Inovação e Criatividade. Empreendedorismo na era do conhecimento. Gestão de Recursos Humanos. ed. José Carlos da Silva e Julio Cesar Macedo Amorim. 2. PEREIRA JUNIOR. Fernando. 2008. Cultura Empreendedora. volume 9 / Ana Maria Malik . 2006. 2.]: [s.gov. 130 p. José Carlos Assis. 10 anos de monitoramento da sobrevivência e mortalidade de empresas. Desenvolvimento de Atitudes Empreendedoras. Claudio. Benedito Julio de. 110 p. 312 p. . São Paulo: Segmento.). DORNELAS. 114 p DOLABELA.pdf . Empreendedores do Paraná: norte. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: SOUZA. . MANFREDINI. 2004. São Paulo: SEBRAE-SP. Ana Maria.br/bvs/publicacoes/saude_cidadania_volume09.

Psicologia do trabalho. do senso e da criatividade como forma de gerar habilidade profissional adicional. Bibliografia O estudante deverá consultar as referências bibliográficas de acordo com a orientação do professor responsável pela atividade e da demanda gerada ao longo do desenvolvimento das atividades acadêmicas complementares do Curso de Psicologia. Psicologia Clínica e Psicologia comunitária e da saúde. Psicologia do trabalho. da reflexão. No 9° período através do núcleo de aprofundamento das ênfases. o aluno tem a possibilidade de integrar nos estágios das práticas profissionais (Psicologia escolar e educacional. Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO II Formação: Básica 10º 300 h/a Série/Período: Carga Horária: Atividade de estágio prático obrigatório em quatro áreas: Psicologia escolar e educacional. Psicologia Clínica e Psicologia comunitária e da saúde. Psicologia do trabalho. Psicologia Clínica e Psicologia comunitária e da saúde) os conhecimentos que garantem a concentração no domínio daquela ênfase que escolheu. Ementa: 2012-36S200 . Ementa: 2012-36S200 Disciplina: NÚCLEO DE APROFUNDAMENTO DE ÊNFASES I 2012-36S200 Formação: Ementa Básica 9º Série/Período: Carga Horária: 72 h/a O aluno terá que optar por uma das 02 ênfases para o 9º e 10º período. São elas: Promoção e prevenção em saúde. As atividades complementares a partir do 5° período são direcionadas a essas ênfases do curso. ATIVIDADES COMPLEMENTARES X isciplina: Formação: Ementa: Básica 10º 18 h/a Série/Período: Carga Horária: Realização de atividades extra classe para possibilitar o exercício do pensamento. Processos investigativos institucionais e clínicos No decorrer de todo o curso são ministradas disciplinas que contemplam as ênfases do curso.Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO I Formação: Básica 9º 300 h/a Série/Período: Carga Horária: Atividade de estágio prático obrigatório em quatro áreas: Psicologia escolar e educacional.

O desenvolvimento de produtos sustentáveis: os requisitos ambientais dos produtos industriais.Editora Atlas.C. SACHS.A. 2ª ed. São Paulo. J. Garamond.K. 2008. Organizações Inovadoras: Estudos e Casos Brasileiros. Porto Alegre: Bookman.004. C. Rio de Janeiro: Ed. 2. BARBIERI. SIMANTOB. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: BARBIERI. A empresa sustentável: o verdadeiro sucesso é o lucro com responsabilidade social e ambiental.C.. J. TIDD. 2007.C. Porto Alegre: Artmed Editora.C. Rio de Janeiro: FGV Editora. A. propostas e instrumentos relacionados com os processos de inovação por meio de uma abordagem fundamentada em uma nova consciência decorrente dos ideais e objetivos do desenvolvimento sustentável. ALVARES.. Aspectos fundamentais das estratégias de apropriação e transferência de conhecimentos. Bibliografia BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: MANZINI. VEZZOLI. A. 2004. J. .. do Setor Produtivo e das Instituições de Ensino e Pesquisa e Organizações da Sociedade Civil no processo de promoção das inovações.).T. (Org. sustentável e sustentado. E. Gestão da inovação. 2002. J. Tecnologia e Sociedade sob diferentes perspectivas. . Relações entre Ciência. destacando o papel do Estado. Gestão de idéias para inovação contínua. BESSANT. J. Rio de Janeiro.. BARBIERI.. Entendimento da importância da inovação para o sucesso de qualquer tipo de organização. São Paulo: Edusp. J. I. 2009.Disciplina: GESTÃO SUSTENTÁVEL EAD 2012-36S200 Formação: Ementa Básica 10º Série/Período: Carga Horária: 36 h/a Fornecer subsídios e discutir conceitos. SAVITZ. 2007. Desenvolvimento includente. PAVITT. M.. CAJAZEIRA.. Organizações Inovadoras Sustentáveis: uma reflexão sobre o futuro das organizações.E. Campus.

Psicologia Clínica e Psicologia comunitária e da saúde) os conhecimentos que garantem a concentração no domínio daquela ênfase que escolheu.Disciplina: NÚCLEO DE APROFUNDAMENTO DE ÊNFASES II 2012-36S200 Formação: Ementa Básica 10º Série/Período: Carga Horária: 72 h/a O aluno terá que optar por uma das 02 ênfases para o 9º e 10º período. As atividades complementares a partir do 5° período são direcionadas a essas ênfases do curso. São elas: Promoção e prevenção em saúde. . o aluno tem a possibilidade de integrar nos estágios das práticas profissionais (Psicologia escolar e educacional. Psicologia do trabalho. Processos investigativos institucionais e clínicos No decorrer de todo o curso são ministradas disciplinas que contemplam as ênfases do curso. No 10° período através do núcleo de aprofundamento das ênfases.