CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS

2014/2015

Área de Competência: Sociedade, Tecnologia e
Formadora: Maria João Gurito
Ciência
Núcleo Gerador (NG_7): Saberes Fundamentais
Domínio de Referência (DR 3): Saberes, Poderes
Tema: Ciência e Controvérsias Públicas
e Instituições
Competências: Intervir racional e criticamente em questões públicas com base em conhecimentos
Científicos e tecnológicos
Critérios de evidência:
Identificar os processos tecnológicos associados à gravidez e à IVG.
Compreender os prós e os contras das diferentes tecnologias.
Reconhecer a presença crescente da ciência e dos cientistas nessas controvérsias, bem como o uso
recursivo do conhecimento científico por outros atores envolvidos.
Explorar a utilização da ciência pelos poderes em geral, como argumento de validação dos diferentes
pontos de vista.

Segundo a Organização Mundial de Saúde
“A sexualidade é uma energia que nos motiva para encontrar amor, contacto, ternura e intimidade;
integra--se no modo como nos sentimos, movemos, tocamos e somos tocados; é ser-se sensual e ao
mesmo tempo ser-se sexual. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e,
por isso, influencia também a nossa saúde física e mental”.

- Aborto em Portugal –

“A interrupção Voluntária da Gravidez (IVG) é por vezes designada por aborto voluntário, do latim abortus,ou seja, «privação do nascimento». No entanto, a palavra «aborto», em termos científicos, designa o
embrião, ou feto, expulso do ventre materno por ação da interrupção da gravidez. Segundo a Organização
Mundial de Saúde (OMS), só existe tecnicamente um aborto quando o peso do embrião ou feto ultrapassa
quinhentos gramas, ou seja, com cerca de 20-22 semanas.”

Notícia:
http://www.publico.pt/sociedade/noticia/abortos-feitos-ao-abrigo-da-lei-voltaram-a-diminuir-em-2013-1635600

Endereços que pode consultar:
http://www.apf.pt/?area=001&mid=004&sid=006
http://www.youtube.com/watch?v=HNIIUWCK8Ow

1. Elabore um trabalho sobre o tema “Interrupção Voluntária da Gravidez”, que deve abordar os seguintes
tópicos:

Conceito de Interrupção Voluntária da Gravidez;

Métodos de indução de aborto;

Possíveis perigos da realização de um aborto;
1

feito por pessoas nãoqualificadas ou fora de um ambiente hospitalar. As dores também são mais frequentes e pode ocorrer alguma febre e diarreia. usando uma combinação do anti progestativo mifepristone (RU 486) com uma prostaglandina. resulta em aproximadamente 70 mil mortes da mãe e cinco milhões de lesões maternais por ano no mundo. resultando na sua morte. A intervenção decorre no bloco operatório e dura apenas alguns minutos. quando realizado por profissionais capacitados e em boas condições de higiene é um dos procedimentos mais seguros da medicina atual. Se este método falhar.  Aborto Cirúrgico O método consiste na remoção do conteúdo uterino por aspiração e raspagem. provocando-se o fim da gestação. Os perigos da realização de um aborto 2 . a mulher pode ter uma hemorragia mais intensa do que a hemorragia causada por um aborto cirúrgico. o aborto terá de ser completado cirurgicamente.a própria. A RU 486 (Mifepristone) é reconhecida como substância abortiva. O aborto induzido.  Educação para a sexualidade e contraceção – neste ponto deve incluir a exploração de 3 métodos contracetivos e as suas vantagens. e consequente fim da atividade biológica do embrião ou feto. A intervenção pode ser realizada sob método anestésico que melhor se adapte à situação (anestesia local ou geral). de acordo com a informação médica. como o misoprostol. familiares e especialistas. Interrupção Voluntária da Gravidez O que é a Interrupção Voluntária da Gravidez: Um aborto ou interrupção da gravidez é a remoção ou expulsão prematura de um embrião ou feto do útero. Isto pode ocorrer de forma espontânea ou induzida. Após um aborto quimico. de amigos. No entanto. mediante uso de medicamentos ou realização de cirurgias. Estima-se que sejam realizados no mundo 44 milhões de abortos anualmente. pelo que em alguns casos requer uma intervenção cirúrgica para finalizar o processo de expulsão. Métodos de Indução do Aborto:  Aborto Químico: A gravidez pode ser interrompida medicamente. Atua bloqueando o desenvolvimento fetal. Uma breve hospitalização é suficiente numa situação de interrupção da gravidez. sendo pouco menos da metade destes procedimentos realizados de forma insegura. Trata-se de uma hemorragia semelhante a uma menstruação.  Evolução da situação em Portugal. mesmo se praticada sob anestesia geral. o aborto inseguro.  Pareceres e opiniões sobre o tema . Legislação em Portugal.

Com a lei 16/2007. Consequências: . . .O aborto pode provocar complicações placentárias novas (placenta prévia). . provocando esterilidade. . .a artéria do útero.Iso imunização em pacientes Rh negativo. . hoje. se não for possível estancar a hemorragia. . para salvar a vida da mãe e da criança. Nas situações após aborto também as crianças que nascem apos o aborto poderão ter consequências a nível mental e físico.Partos complicados. de forma a combater o aborto inseguro e ilegal.  Após o Aborto As mães podem vir a sofrer consequências durante um período que pode ser curto como para sempre.intervenção para estancar a hemorragia produzida. Aumento do percentual de abortos espontâneos nas pacientes que já abortaram.Aumento da taxa de nascimentos por cesariana (para permitir que o bebê consiga viver mesmo que prematuro). consequentemente. químico ou cirúrgico. personalidades e profissionais de saúde lutaram por mudanças na lei. nomeadamente o pai e familiares próximos. na 20ª ou 30ª semana de gestação Perfuração do útero Acontece quando é usada a colher de raspagem ou o aspirador. a mais grave é a hemorragia. .A realização de um aborto pode trazer várias consequências e problemas durante e apos o aborto não só a nível físico como a psicológico não só para a mãe mas também para os que a rodeiam. .insuficiência do colo uterino. nesses casos.partos prematuros. ser feita por opção da mulher até às 10 semanas. a interrupção da gravidez pode. frequentemente. O útero grávido é muito frágil e fino. Aumento. que poderão provocar necessidade de cesariana ou de histerectomia. na bexiga ou nas trompas. Legislação em Portugal Ao longo de mais de três décadas. do número de gravidez de alto risco. tornando necessária uma cesariana.infecção e obstrução das trompas. Dentre todas as complicações. criando a necessidade de histerectomia (extirpação do útero).O aborto criou novas enfermidades: síndrome de ASHERMAN e complicações tardias.Insuficiência ou incapacidade do colo uterino. é atingida.perigo de lesão no intestino.  Os perigos durante o aborto: Laceração do colo uterino provocada pelo uso de dilatadores que tem como consequências: . muitas organizações. pode ser perfurado sem que o cirurgião se dê conta. Principais disposições legais 3 . que transforma a nova gravidez em gravidez de alto risco. causando infertilidade (em 18 % das pacientes).Danos causados às trompas por possível infecção pós-aborto. . Os perigos variam conforme os tipos de aborto que se faça. E essas consequências são: . favorecendo abortos sucessivos no primeiro e no segundo trimestre (10% das pacientes).

4 . a interrupção da gravidez por opção da mulher pode ser efectuada nas primeiras 10 semanas de gravidez. aí ainda apoio mais a ideia do aborto pois uma criança nascer para ficar sem mãe e possivelmente em algumas situações ficar com um pai revoltado por a criança ter nascido e ser a casa da mãe e esposa. As regras são para se cumprir mas também existem excepções e está é uma delas. incluindo todas as etapas do processo de interrupção da gravidez descritas. As mulheres estrangeiras poderão fazer uma interrupção da gravidez em Portugal? As mulheres imigrantes têm os mesmos direitos de acesso à interrupção da gravidez. independentemente da sua situação legal. Diogo Victória Em relação ao assunto aborto.º do Código Penal em Portugal permite a interrupção da gravidez até às 10 semanas a todas as mulheres grávidas que o solicitem. se um feto é gerado independentemente do como e/ou o porquê. Eu digo SIM ao aborto mas sobre certas condições. O mesmo acontece se a vida da mãe ficar em risco com o nascimento da criança. Quem pode solicitar uma interrupção da gravidez? Apenas a própria mulher poderá fazer o pedido de interrupção da gravidez. algum porquê isso tem no nosso mundo.º 1 do artigo 142. Opinião Pessoal: Na minha opinião o aborto é um tremendo ataque a natureza e um desrespeito pelo o direito á vida que faz parte do Direitos Humanos. sou contra esta prática na medida em que na minha opinião. no destino de cada um. Qualquer prestação de cuidados de saúde está sujeita a confidencialidade e ao segredo profissional. ou sob sua orientação e com o consentimento da mulher. Na minha opinião se os pais não tem condições de ter a criança mais vale assim do que a mesma nascer e crescer num ambiente pobre e sem condições para crescer e desenvolver-se como um cidadão deste mundo. mesmo que depois tenha que ser dado para adopção. salvo no caso de ser psiquicamente incapaz. tento todo o direito á vida. Qual é o prazo legal para a interrupção da gravidez por opção da mulher? Em Portugal. Onde se pode fazer uma interrupção da gravidez? As interrupções da gravidez podem ser efectuadas em estabelecimentos de saúde oficiais ou oficialmente reconhecidos. calculadas a partir da data da última menstruação.A alínea e) do n. Quem pode fazer a interrupção da gravidez? A interrupção da gravidez só pode ser realizada por médico. Aborto e sua legalização foi uma das melhores coisas que podiam ser feitas. isto se deve a minha crença de que só Deus dá a vida. desde que realizado em estabelecimento de saúde oficial ou oficialmente reconhecido. o feto gerado não tem culpa das condições ou/como foi gerado. só Deus tira a vida.

Ainda que não deva servir como método contraceptivo. Considero ainda que a decisão deve ser bem ponderada e. Ferreira Sou a favor do aborto. V. O aborto provocado por terceiros sem consentimento da grávida é punível com dois anos de prisão.Joel V. deve ter essa opção. tal como é feito actualmente. As mulheres que tenham realizado uma interrupção voluntária da gravidez ou tenham tido um aborto espontâneo têm direito a licença por um mínimo de 14 dias e um máximo de 30 dias. ou no caso de tal prática ser habitual. III. Métodos contraceptivos Hoje em dia temos vários métodos contraceptivos ao não dispor e alguns de forma gratuita ou comparticipados pelo estado. Permitida até às dezesseis semanas em caso de violação ou crime sexual (não sendo necessário que haja queixa policial). VII. a mulher deve ter direito à escolha de ser mãe. VI. após análise destas vertentes para gerar uma criança. Sónia Duarte A situação em Portugal Hoje em dia em Portugal é: I. Nas situações permitidas a interrupção voluntária da gravidez pode ser realizada quer em estabelecimentos públicos quer em clínicas particulares devidamente autorizadas. II. A própria mulher grávida que faça uma interrupção voluntária da gravidez ilegal é punível com três anos de prisão O aborto é actualmente isento de taxas moderadoras em Portugal. ter um período de reflecção e ajuda psicológica e social para a tomada de decisão. Permitida em qualquer momento em caso de risco para a grávida ("perigo de morte ou de grave e irreversível lesão para o corpo ou para a saúde física ou psíquica da mulher grávida") ou no caso de fetos inviáveis. Estas penas são aumentadas em caso de "morte ou ofensa à integridade física grave da mulher grávida". IV. Ter um filho acarreta uma grande responsabilidade não só a nível financeiro como a nível emocional pelo que se uma mulher não se sente capaz. 5 . Permitida até às vinte e quatro semanas em caso de malformação do feto. e com três no caso de consentimento da grávida. VIII.

 Preservativo: É um contraceptivo de barreira que pode ser usado durante a relação sexual com o intuito de reduzir a probabilidade de ocorrência de uma gravidez ou de contrair doenças sexualmente transmissíveis. 22 ou 28 dias (dependendo do tipo de pílula). o preservativo masculino tem a vantagem de ser barato e de fácil utilização. A toma deve ser realizada diariamente à mesma hora durante 21. É importante não esquecer nenhuma toma. A pílula contraceptiva é um método diário. já que a sua eficácia não está garantida em caso de esquecimento. 6 . oferecendo ainda protecção acrescida contra doenças sexualmente transmissíveis. Com utilização correcta e em todas as relações sexuais. a taxa de gravidez entre as mulheres cujo parceiro sexual usa preservativo é de 2% por ano para uma utilização perfeita. Impede que o espermatozóide penetre dentro do ovulo. como o VIH. impede a implantação do embrião. com muito poucos efeitos secundários.  O diafragma O diafragma é um dispositivo de borracha com um aro flexível que se introduz na vagina. Enquanto método contraceptivo. com uma eficácia de 99%. funcionando como meio eficaz de contracepção.  Pilula contraceptiva A pilula contraceptiva é o método contraceptivo mais eficaz que existe neste momento. Quando correctamente introduzido previne o contacto do esperma com o colo do útero.