RESUMO FEUDALISMO

O feudalismo teve origem com a queda do Império Romano, com as invasões
bárbaras.
São características do feudalismo: preservação da religião católica, agricultura de
subsistência, poder descentralizado. Servos, clero e nobres formavam a sociedade
feudal.
Os servos não eram escravos, mas estavam ligados a terra do seu senhor feudal.
Havia no feudalismo o Sistema Rotativo de Plantio: existia a troca de produto a
ser plantado a cada safra e sempre um pedaço de terra ficava em repouso.
No feudalismo a sociedade estava dividida em classes: clero, nobres e servos.
As grandes propriedades de terras que pertenciam aos nobres eram chamadas de
feudos.
Os senhores feudais tinham que dar proteção aos servos que pagavam com
produtos por ela e por tudo o que usavam no feudo.
Os feudos produziam tudo o que precisavam, eram então auto-suficientes, com
isso o comércio e as cidades praticamente desapareceram.
A Igreja Católica era também proprietária de feudos e explorava os servos.
Ensinava que nada no mundo podia ser mudado, essa era a vontade de Deus.
Na Idade Média ocorreram muitas revoltas servis.
A vida dos servos era muito difícil e eles obedeciam aos nobres porque tinham
medo de serem punidos.
Os nobres não trabalhavam, viviam muito bem em seus castelos, boa comida,
festas, viagem e caçadas.
O feudo era formado por castelos, casas dos servos, uma igreja, plantações,
criação de animais, pastagem e florestas.
Suserano era um nobre que cedia parte de suas terras a outro nobre que se tornava
seu vassalo e lhe devia ser fiel.
Com o feudalismo as pessoas abandonaram as cidades e foram morar nos feudos.
Chamamos esse processo de ruralização.
Os monges católicos preservaram a cultura dos gregos e romanos através da cópia
de suas obras.
CARACTERIZAÇÃO DO FEUDALISMO
Descentralização política: Em geral o rei era uma figura decorativa, pois quem
efetivamente mandava no feudo era o senhor feudal (barão, conde, marquês, duque);
Economia Agrária: As relações sociais de produção desenvolveram-se em torno da
terra, porque repousavam sobre uma economia predominantemente agrícola;
Visão religiosa (teocêntrica): A mentalidade do homem medieval era marcada por
grande sentimento religioso. Deus era a medida de todas as coisas.
Regime de servidão: Os camponeses, em sua maioria servos, estavam proibidos de
abandonar os feudos; usavam a terra e pagavam taxas aos senhores feudais;
Ruralização da sociedade: As cidades se despovoaram. A vida rural era predominante;
Vínculos pessoais: O servo estava sujeito a um senhor feudal que, por sua vez, seria
vassalo de um outro senhor feudal superior. Por último, estava o monarca;
Supremacia de uma classe de guerreiros especializados: a partir do século X, ou
um pouco mais tarde, os cavaleiros obtiveram hegemonia militar e, portanto, social.
A SOCIEDADE FEUDAL SE DIVIDIA EM TRÊS ORDENS PRINCIPAIS:
NOBRES, MEMBROS DO CLERO E SERVOS:

O novo pensamento renascentista fez com que as críticas a todas essas questões fossem . Primeiramente. as atividades favoritas da nobreza eram a caça e os torneios esportivos. cargos eclesiásticos. b) Cleros: (Oratores. A insatisfação para com a Igreja não se restringia ao rei e à burguesia. corrupção e uma série de práticas que contradiziam com o que era pregado pela própria igreja. etc. o próprio povo estava descontente com o distanciamento da organização religiosa aos princípios primordiais. (desvios do clero católico) e por fim o desrespeito ao CELIBATO. tais como a SIMONIA (INDULGÊNCIAS). não podemos deixar de ressaltar que determinados fatores econômicos e políticos foram essenciais para que o mesmo se tornasse algo bastante significativo. Os reis também não estavam nada satisfeitos. prosperidade material. Início do SÉCULO XV a expansão marítima e comercial européia. palavra latina que significa “rezadores”) – ordem dos membros da Igreja Católica. a peste negra (CRISE PRODUTIVA) e uma série de conflitos. a grande fome. Em tempos de paz. marcado pela emergência do novo mundo e pela transformação no seio da igreja católica. venda de favores divinos. palavra latina que significa “trabalhadores”) – compreendendo a maioria da população camponesa. como a guerra dos cem anos que foi travada entre a França e Inglaterra. praticava o mesmo por meio da venda das indulgências. um apego muito grande a bens materiais e o NEPOTISMO. desde o SÉCULO XIV a Europa passar por grandes transformações e marcado por uma série de crises. bens espirituais. REFORMA PROTESTANTE Uma das principais transições da idade média pra idade moderna é também a REFORMA. uma vez que condenava abertamente a retenção de lucros e a cobrança de juros. como bispos. coisas sagradas. c) Servos: (Laboratores. Vale ressaltar que a Igreja. objetos ungidos. que se dedicavam basicamente às atividades militares. abades e cardeais. o renascimento transformava a mentalidade ocidental.. já que a Igreja interferira por diversas vezes em questões essencialmente políticas. embora condenasse a acumulação de riquezas. os servos realizavam os trabalhos necessários à subsistência da sociedade. Portugal e Espanha são a pioneira nesse processo. Surge o Renascimento Cultural e Comercial (Burguesia / Burgos = cidades). França e Alemanha. perdões. a burguesia. evidenciando o MATERIALISMO. que serviam de treino para a guerra. isto é. a crise produtiva. neste século o CATOLICISMO deixa de ser a única expressão de fé cristã. destacando-se os dirigentes superiores. O próprio CLERO se corrompe e começa a praticar atos ilícitos. palavra latina que significa “guerreiros”) – ordem dos detentores de terra. a venda do perdão. SÉCULO XVI. e muito. seguidas por Inglaterra.a) Nobres: (Bellatores. bençãos. Embora tal movimento seja de caráter religioso. Entende-se como Reforma Protestante o movimento de caráter religioso iniciado no século XVI que colocou em xeque a conduta e as crenças da Igreja Católica. a Igreja Católica estava desagradando.

podemos citar a crença na Bíblia como única fonte de fé e a permissão de seu livre exame. principalmente a venda das indulgências. Como os ideais protestantes foram muito difundidos por meio de livros. fato decisivo para o sucesso do movimento. Lutero escreveu 95 teses contra os princípios católicos e as pendurou na porta da igreja onde era pregador. considerado o pai do Movimento Protestante. por exemplo. Hungria e Áustria. a Igreja proibiu seus fiéis de terem contato com tais obras. tribunal que julgava e punia os indivíduos acusados de heresia. Ásia e África. o mesmo tinha o fim de fortalecer a autoridade do Papa e reafirmar as crenças e dogmas da Igreja Católica. a salvação só podia ser obtida única e exclusivamente pela fé em Deus e não por obras. Além disso. a condenação do culto a imagens. A Reforma Protestante se espalhou por toda a Europa. como França. A reação da Igreja Católica em virtude de todos esses acontecimentos foi o que chamamos de Contra-Reforma. a Igreja Católica passou a conviver com uma clara ameaça ao seu poder e soberania. Embora a Contra-Reforma não tenha cessado o avanço do protestantismo pela Europa. Outro acontecimento bastante importante foi o Concílio de Trento. CONTRARREFORMA Após a eclosão da Reforma Protestante. a Igreja Católica organizou a chamada Contra-Reforma.inevitáveis. conhecido como Index Libro Rum Prohibitorum. Como resposta ao movimento protestante. por exemplo. Iniciado em 1545. Na Inglaterra. Uma das principais medidas da Igreja foi a criação da Companhia de Jesus. toda a Inglaterra e a maior parte da Alemanha já haviam sido convertidas aos ideais do protestantismo. foi capaz de reduzi-lo. foi retomada a Inquisição. principalmente em países como Itália. organizando um índice de livros proibidos. Além disso. Indignado com diversas práticas da organização religiosa. As idéias de Lutero agradaram muito a burguesia. Segundo ele. o desentendimento entre o rei Henrique XVIII e o papa resultou na criação da Igreja Anglicana. Um dos primeiros a contestar a Igreja foi o monge alemão Martinho Lutero. ou muito menos. uma ordem religiosa que formava missionários (jesuítas) destinados a difundir o catolicismo pelas colônias da América. Espanha e Portugal. a influência da Igreja estava em notório declínio na maior parte dos países europeus. . entre outras. Entre outras características do protestantismo. pelo dinheiro. De fato.