You are on page 1of 30

1.

Introdução

1º Semestre - 2014
Prof. Luís Laranjeira

Elevação Natural
Prof. Luís Laranjeira

Parte 1
1.

Introdução

2.

Fatores que influenciam na produção por surgência

3.

Mecanismos de Produção dos Reservatórios

4.

Análise Nodal (Convenção de Pressões)

Prof. Luís Laranjeira

Em outras palavras a pressão disponível no reservatório é suficiente para vencer as perdas de pressão do sistema produtivo (pressão requerida). Introdução Os poços que produzem petróleo por elevação natural são também conhecidos como “poços surgentes”. Isto ocorre quando a pressão estática do reservatório é suficientemente elevada de forma que os fluidos alcançam livremente a superfície. sem necessidade de suplementação de energia. Luís Laranjeira . PD > PR Prof.1.

A cada uma dessas etapas é possível associar uma parcela de perda de pressão. Luís Laranjeira . Prof. o fluido produzido pelo reservatório percorre várias etapas até chegar ao tanque de armazenagem.Em um sistema produtivo.

Exemplo de atribuição de parcelas de perda de pressão às diversas etapas de fluxo. Luís Laranjeira . Prof.

Luís Laranjeira Tanques de Armazenagem .Fronteira de Drenagem do Reservatório Fundo do Poço (canhoneados) ANC/ANM e Choke Separador Diagrama de Perdas de Carga Prof.

Características dos equipamentos utilizados no sistema de produção (coluna de produção. BSW. Luís Laranjeira .Adequado controle da produção dos poços através de testes Periódicos. . .2. restrições). Prof.Dano causado à formação produtora durante a perfuração. . etc.).Índice de produtividade do poço. . . °API. acidificação). .Mecanismo de produção do reservatório.Aplicação de técnicas de estimulação (fraturamento. .Adequado isolamento das zonas de água e gás adjacentes à zona de óleo.Propriedade dos fluidos (RGL. Fatores que influenciam na produção por surgência: . μ. linha de produção.

Luís Laranjeira .2 Influxo de água. 3. 3.3.3 Capa de gás ou segregação. O conhecimento destes mecanismos auxiliará na definição do método de elevação artificial a ser aplicado após o período de surgência.1 Gás em solução ou volumétrico. Mecanismos de Produção dos Reservatórios Existem basicamente três mecanismos de produção que caracterizam o comportamento dos poços durante o período produtivo. Prof. que poderão ocorrer de forma isolada ou em conjunto. 3.

1 Gás em solução ou volumétrico: Ocorre quando a pressão estática do reservatório é superior à pressão de bolha (ou saturação). Prof. existindo apenas a fase líquida (o gás produzido deve-se apenas ao gás que sai de solução do óleo ao longo da coluna de produção). toda a energia disponível para a produção se encontra armazenada da própria zona do óleo.3. Em um reservatório com essas características. Luís Laranjeira . como não existe a possibilidade de interferência do ambiente externo.

inicia-se a liberação de gás dentro do reservatório.À medida que os fluidos vão sendo produzidos ocorre o declínio de pressão e. Luís Laranjeira . Prof. a partir do momento em que a pressão do reservatório atinge a pressão de saturação.

Quanto mais a pressão cai. mais o gás se expande e mais líquido é deslocado. O processo só não é perfeito. vai a energia do reservatório. porque o gás acaba sendo produzido e com ele. Luís Laranjeira . Índice de recuperação típico: 20% Prof.A produção é o resultado da expansão do gás que inicialmente estava dissolvido e que vai saindo da solução.

O aqüífero age provendo energia de pressão para os fluidos produzidos e normalmente o declínio de pressão é bastante suave.3. Luís Laranjeira . que invade a zona de hidrocarbonetos. Prof. À medida que os fluidos são produzidos há uma redução de pressão no aqüífero provocando uma redução do volume poroso e expansão da água.2 Influxo de água Ocorre quando há presença de um aqüífero atuante no reservatório.

começando pelos poços localizados nas partes mais baixas da estrutura Índice de recuperação típico: 30 a 40% (podendo chegar a até 75%).A vazão de produção deve ser limitada de forma a evitar a formação de cones de água (fingering). que prejudicam a produtividade e o fator de recuperação. Luís Laranjeira . A RAO cresce continuamente. Prof.

3 Capa de gás ou segregação Caracteriza-se por possuir uma capa de gás em equilíbrio com a fase óleo. A principal fonte de energia para produção dos fluidos é resultante da expansão da capa de gás. Luís Laranjeira . Prof.3.

o que esgotaria o mecanismo de recuperação do óleo. Luís Laranjeira . O gás que sai de solução do óleo no reservatório migra para se juntar ao gás da capa. Índice de recuperação típico: 20 a 30% Prof.As vazões dos poços devem ser limitadas de forma a não permitir que se formem cones de gás. deslocando a interface gás-óleo para baixo.

Luís Laranjeira . é válida a citação de outros 3 mecanismos de produção: • Mecanismo de expansão da rocha e líquido • Mecanismo de Segregação Gravitacional • Mecanismo combinado Prof.Outros Mecanismos Embora não tenham muita relevância produtiva.

Luís Laranjeira .Expansão dos grãos da rocha. óleo. água conata e a rocha são os únicos materiais presentes. Com o declínio da pressão do reservatório.Compactação da formação. A compressibilidade da rocha-reservatório é resultado de dois fatores: . a rocha e os fluidos expandem devido as suas compressibilidades individuais. Prof. . o reservatório é chamado de reservatório de óleo subsaturado. Em pressões acima da pressão de bolha.Mecanismo de expansão da rocha e líquido Quando o reservatório de óleo inicialmente se encontra a uma pressão maior que a pressão de bolha.

o óleo e a água serão forçados a sair do espaço poroso para o fundo do poço. e ambos tendem a reduzir o volume poroso através da redução da porosidade. Luís Laranjeira .Esses fatores são resultados do decréscimo da pressão no fluido dentro do espaço poroso. Índice de recuperação típico: 3 a 5% Prof. Este mecanismo é considerado o menos eficiente e normalmente resulta em uma recuperação de óleo representada por uma pequena percentagem do volume total de óleo no reservatório. Como a expansão dos fluidos e a redução do volume poroso ocorrem com o decréscimo da pressão do reservatório. o reservatório experimentará um declínio rápido de pressão. Como líquido e rocha são levemente compressíveis.

Prof. mas um agente responsável pela melhoria do desempenho de outros mecanismos.Mecanismo de Segregação Gravitacional O efeito da gravidade não é um mecanismo de produção de reservatórios propriamente dito. Luís Laranjeira . A gravidade faz com que ocorra a segregação de fluidos. eles tendem a se arranjar dentro do meio poroso de acordo com as suas densidades. isto é.

onde o gás. uma parte do gás que sai de solução pode fluir para a porção mais alta da estrutura. Com a atuação da gravidade sobre os fluidos. por exemplo. provocando o aparecimento do que se convencionou chamar de capa de gás secundária.A segregação gravitacional pode melhorar. é produzido juntamente com o óleo. Prof. Luís Laranjeira . deslocando o óleo para fora do meio poroso. em vez de se expandir dentro do reservatório. o mecanismo de gás em solução.

causando então o aparecimento de gás livre na zona de óleo. em algum tempo de sua vida produtiva poderá ter essa pressão reduzida para valores inferiores à sua pressão de bolha. Mesmo um reservatório cujo mecanismo proporciona uma boa manutenção de pressão. É importante lembrar que mais cedo ou mais tarde todo reservatório recebe alguma contribuição do mecanismo de gás em solução. Prof. nessa situação se diz que a produção é o resultado de um mecanismo combinado. Luís Laranjeira .Mecanismo combinado Um reservatório de petróleo pode produzir devido aos efeitos de mais de um mecanismo.

Gás em solução ou volumétrico. 2. Segregação gravitacional.Eficiência dos mecanismos de produção em termos de fator de recuperação 1. Luís Laranjeira . 4. Influxo de agua. Prof. Mecanismo de expansão da rocha e líquido. 5. Capa de gás. 3.

Luís Laranjeira . Análise Nodal (Convenção de Pressões) Consiste na subdivisão de um sistema de produção em partes.4. nas quais as equações gerais de balanço são aplicadas a cada uma das partes. individualmente. Prof. A ligação entre as partes permite que se caminhe ao longo do sistema de produção e que se determine em cada ponto do mesmo a relação entre a pressão e a vazão de fluidos. Para cada nó do sistema é possível traçar duas curvas de pressão em função da vazão: uma de pressão disponível e a outra de pressão requerida ou necessária.

4 e 2).4. 6 e 3). Luís Laranjeira . Prof. .Origem e destino dos fluidos (8 e 1).Mudança de modelo matemático que representa o gradiente de pressão (7. .Restrições (quedas de pressão localizadas) (5.1 Nós de um Sistema Produtivo .

Prof. São determinadas utilizando-se correlações (simuladores). diminuindo-se as perdas de pressão verificadas no deslocamento do fluido até atingir o “nó” escolhido.A curva de pressão disponível é determinada a partir da pressão do reservatório. deslocando-se sempre no “mesmo sentido do fluxo”. Luís Laranjeira .

Luís Laranjeira .Curva de pressão disponível Prof.

deslocando-se sempre no “sentido contrário ao fluxo”. São determinadas utilizando-se correlações (simuladores).A curva de pressão requerida ou necessária é determinada a partir da pressão do separador (considerada constante). somando-se as perdas de pressão que ocorreriam até chegar ao “nó” escolhido. caso houvesse fluxo. Luís Laranjeira . Prof.

Curva de pressão requerida Prof. Luís Laranjeira .

MALAVÉ. THOMAS. José Eduardo et al. DOURADO. Nereu Carlos Milani de 4. Robson. ∆∆∆ Prof.Autores consultados: 1. Luís Laranjeira . Sergio. 3. 2. ROSSI.