You are on page 1of 42

Manual Operacional do Sistema DOF

MÓDULO INTERNO

ÍNDICE

1.Introdução..............................................................................................................................2
2.Cadastramento e Habilitação de Servidor Interno ou Externo........................................3
3.Atribuição de Perfil de Acesso a Servidor Cadastrado......................................................5
4.Bloqueio e Liberação de Usuário.........................................................................................7
5.Alteração de Perfil ou Suspensão de Acesso do Servidor Cadastrado.............................9
6.Cadastramento de Autorização de Exploração................................................................11
7.Homologação de Autorização de Exploração...................................................................15
8.Homologação de Pátio........................................................................................................16
9.Estorno, Suspensão, Entrega Forçada e Extensão de Prazo do DOF............................18
10.Ajuste Administrativo ou Judicial de Itens de Autorização de Exploração ou Pátio. 22
11.Homologação de Licença de Importação........................................................................25
12.Cadastramento de Saldo Inicial de Reposição Florestal...............................................28
13.Consulta de Origens (Autorização de Exploração e Pátio)...........................................30
14.Consulta de Ofertas Emitidas e Recebidas.....................................................................33
15.Consulta de DOFs Emitidos e Recebidos........................................................................35
16.Consulta de Saldo de Reposição Florestal......................................................................37
17.Consulta de Destinação Final de Produto.......................................................................38
18.Consulta de Declaração Inicial........................................................................................41

1. Introdução
O Documento de Origem Florestal - DOF é um sistema desenvolvido pelo IBAMA e
responsável pelo controle eletrônico do transporte de produtos florestais no país. Foi
2

implantado em setembro de 2006. O DOF é, ainda, o sistema integrador de informações sobre
o transporte realizado por alguns Estados que possuem sistema próprio de controle.
A Interface Interna do Sistema DOF destina-se à realização de consultas e operações
básicas, pertinentes exclusivamente ao âmbito interno do IBAMA ou do Órgão Estadual de
Meio Ambiente (OEMA).
Tais operações se referem ao monitoramento e controle das atividades desenvolvidas
pelas pessoas físicas e jurídicas usuárias do Documento de Origem Florestal – DOF, nos
termos da legislação em vigor.
O acesso ao Módulo Interno do Sistema DOF é permitido apenas a servidor do
IBAMA ou OEMA previamente cadastrado, com perfil específico, que define o nível de
acesso operacional ao servidor conferido, assim como a Unidade do IBAMA de exercício de
suas atividades.
Por se tratar de sistema on-line, via web, para realizar as operações a seguir se faz
necessária conexão com a Internet. Recomendamos o uso do navegador gratuito Mozilla
Firefox.
2. Cadastramento e Habilitação de Servidor Interno ou Externo
a) Para cadastrar usuário externo, seguir os mesmos passos citados
MEMO/CIRC/CGREF Nº 007, de 20/09/2006, disponibilizado no Sistema DOF.

no

b) Após feito o Cadastro Técnico Federal, o funcionário externo estará apto a ser
cadastrado no Sistema DOF.
c) O Gerente já habilitado deve entrar no Sistema DOF e selecionar na barra de menus a
opção “Administração” (Figura 1);

Figura 1 – Registro de funcionário externo.

3

d) Clicar na opção “Registro de Funcionário Externo” e, na tela que se abrirá,
selecionar a “Unidade” em que o servidor está lotado. Digitar o CPF do servidor e
clicar em pesquisar (Figura 2);

Figura 2 – Registro de funcionário externo.

e) Atribuir como senha os seis primeiros dígitos do CPF do usuário e clicar em
“Gravar” (Figura 3);

Figura 3 – Registro de funcionário externo.

f) Na tela aparecerá a mensagem “Funcionário registrado com sucesso!” (Figura 4);

4

com a utilização do seu CPF e a mesma senha utilizada na rede interna do IBAMA (Figura 5). em Brasília-DF.ibama.ibama. Atribuição de Perfil de Acesso a Servidor Cadastrado a) Para cadastrar servidor. por padrão. é os seis primeiros dígitos do CPF. cada servidor cadastrado terá habilitação para cadastrar os servidores que atuarão sob o seu nível de responsabilidade e supervisão.DOF (http://ibamanet. j) A partir desse ponto. h) Para cadastrar o perfil do funcionário externo.br a fim de alterar sua senha inicial que. o usuário já cadastrado deve acessar o endereço do Módulo Interno .Figur a 4 – Registro de funcionário externo.br/dof). i) Cadastro de Funcionário Interno: o cadastro no perfil de Gerente Estadual será realizado pelo Gestor do Sistema na Sede do IBAMA. g) Pedir para que o funcionário acesse o site http://Ibamanet.gov. 5 . 3.gov. fazendo o seu login. seguir os mesmos passos do cadastro de funcionário interno.

b) Em seguida. clicar na lupa de pesquisa da ficha “Cadastro de Usuário” e lançar o CPF ou o nome do servidor na tela de pesquisa que se abre. “CONSULTAR PESSOA” (Figura 6).“Usuários IBAMA/Convênios”. no menu “Administração” .Figura 5 – Página inicial do Módulo Interno do DOF. c) Ao clicar no número do seu CPF (em azul). 6 . os dados do servidor serão importados para a tela “Cadastro de Usuário”. Figura 6 – Consulta de usuário cadastrado. Figura 7 – Consulta de usuário cadastrado. que aparecerá na tela “Registros Encontrados” (Figura 7).

sem possibilidade de qualquer outra operação no Sistema. 4.Gerente de Unidade: gerencia o Sistema dentro de sua jurisdição com as mesmas possibilidades atribuídas ao Gerente Estadual. . com amplo poder de consulta. clicar no botão “Gravar”. além de poder supervisionar perfis hierarquicamente iguais ou inferiores. produção de relatórios. . Uma vez cadastrado. sendo que os perfis e suas respectivas funções são as seguintes: . Cada perfil específico define o nível de acesso operacional ao Sistema.d) Selecionar o perfil de acesso a ser conferido ao servidor e a unidade do IBAMA ou OEMA onde desenvolverá suas atividades (Figura 8). homologações e bloqueios e desbloqueios de usuários externos. . e) Após serem definidos e perfil e a unidade do servidor. Bloqueio e Liberação de Usuário 7 . mas não se permite realizar homologações. Figura 8 – Consulta de usuário cadastrado. . podendo supervisionar todos os demais perfis. o servidor pode acessar o sistema com a utilização do seu CPF e da mesma senha utilizada na rede interna do IBAMA. faz alguns tipos de consultas e gera relatórios a partir dessas consultas.Gerente Federal: gerencia o Sistema como um todo.Gerente Estadual: gerencia o Sistema no estado de sua jurisdição e pode realizar todas as operações dos perfis inferiores.Operador: realiza operações de cadastramento de autorização de exploração ou guias estaduais. exceto cadastrar perfis superiores. f) Quando o usuário cadastrado não conseguir acesso a determinado menu do sistema.Consulta: acesso apenas a alguns tipos de consultas e geração de relatórios. significa que o seu perfil não tem habilitação para realizar o procedimento ou operação relativa àquele menu.

a) Para realizar bloqueio ou liberação de usuário. b) Discriminar o motivo do bloqueio. 8 . selecionar. no menu “Administração”. todas as operações serão inibidas. a opção correspondente. Para desbloquear. Não é possível o bloqueio apenas de origem (pátio ou autorização de exploração). c) O bloqueio é feito em nível de usuário. Figura 9 – Bloqueio/liberação de usuário. seguir os mesmos passos e telas do bloqueio. ou seja. digitar o CPF/CNPJ e clicar no botão de pesquisa (Figura 9). d) O bloqueio inibirá o Certificado de regularidade no Cadastro Técnico Federal. digitar a senha do servidor e clicar em “Bloquear operações” (Figura 10). Figura 10 – Bloqueio de usuário externo.

9 . c) Abrir o cadastro do servidor desejado.“Usuários IBAMA/Convênios” e.5. clicando em “Selecionar” (Figura 12). é atribuído ao servidor um perfil de acesso. Figura 12 – Alteração de perfil de acesso de servidor do IBAMA ou OEMA. Selecionar a unidade do IBAMA ou OEMA e clicar no botão “Listar” (Figura 11). b) Para alterar o perfil de acesso. entrar no menu “Administração” . Alteração de Perfil ou Suspensão de Acesso do Servidor Cadastrado a) Ao ser cadastrado. definir o novo perfil a ser conferido e clicar no botão “Gravar” para salvar a alteração (Figura 13). Figura 11 – Alteração de perfil de acesso de servidor do IBAMA ou OEMA. clicar na guia “Lista Usuários”. sendo que a alteração desse perfil ou a suspensão do acesso pode ser realizada apenas por servidor cadastrado em perfil de acesso superior. na tela “Módulo de Segurança”. Seguir os mesmos passos e telas para alterar perfil de usuário externo.

definir novamente o perfil do usuário e sua unidade e atribuir a opção “Não” à “Situação Atual”. antes de clicar no botão ‘Listar’. seguir os passos constantes do item ‘b’ mas. Na próxima tela que se abrirá. f) Para reverter a suspensão de acesso. g) Seguir os mesmos passos e telas para alterar perfil de usuário externo (Figura 14).Figura 13 – Alteração de perfil de acesso de servidor do IBAMA ou OEMA. em “Situação Atual (Acesso ao Sistema)”. e) Clicar no botão “Gravar” para confirmar a operação. realizar os passos constantes do item ‘b’. abrir o cadastro do servidor. e. selecionar “Sim” para suspender o acesso do servidor ao sistema. Clicar no botão “Gravar” para confirmar a operação. d) Para suspender o acesso do usuário. selecionar a opção “Sim” ao lado de “Cancelado”. 1 .

c) Para cadastrar essas autorizações. o usuário deve acessar o Sistema DOF e entrar no menu “Cadastrar” – “Autorização de Exploração” (Figura 15). e clicar no botão de pesquisa ao lado para buscar o nome do mesmo no CTF (Figura 16). que já deverá estar previamente registrado no Cadastro Técnico Federal. assim como as emitidas pelos Estados e Municípios que utilizem o Sistema DOF. 6. Na ficha “Autorização de Exploração”. b) As autorizações de exploração florestal emitidas pelo IBAMA deverão ser cadastradas diretamente no Sistema DOF.Figura 14 – Alteração de perfil de acesso de usuário externo. Figura 15 – Cadastramento de autorização de exploração. 11 . Cadastramento de Autorização de Exploração a) As autorizações de exploração florestal emitidas pelo IBAMA ou OEMA serão automaticamente disponibilizadas no Sistema DOF para emissão de oferta e DOF. lançar o CPF/CNPJ do detentor da autorização.

Em seguida. em seguida.). número do processo no órgão emissor (caso não seja o IBAMA) e o número do protocolo no IBAMA. d) Na mesma ficha serão lançados os dados referentes à autorização: número original fornecido pelo órgão emissor. f) Selecionar o órgão emissor da autorização e. lançar as datas de emissão e de validade. selecionar o tipo da autorização (desmatamento. e) Em seguida. supressão de vegetação etc. 1 . marcar o respectivo item. incluindo a descrição do acesso a esse local. Figura 17 – Cadastramento de autorização de exploração.Figura 16 . os dados referentes ao local da exploração. Se for o caso de utilização de matéria-prima.Cadastramento de autorização de exploração. utilizando o calendário disponibilizado pelo sistema ou digitando-as diretamente (Figura 17).

o sistema não aciona a função de pesquisa para taxonomia. serão relacionados na lista “Itens”. depois de lançadas matéria-prima e volumetria. Figura 18 – Cadastramento de autorização de exploração. localizado na coluna “Operação”.g) Entrar na ficha “Itens”. i) Para a matéria-prima que não admite definição de espécie específica. Acionar o botão “Pesquisar” e selecionar o nome científico (em azul) na tabela “REGISTROS ENCONTRADOS” (Figura 19). para conferência. com o lançamento da volumetria autorizada e dos nomes popular e científico da espécie. j) Para pesquisar espécie. basta clicar no ícone de lixeira. para lançar os itens autorizados (Figura 18). Figura 19 – Consulta de espécie para cadastramento de autorização de exploração. clicar na lupa de pesquisa e digitar o nome científico ou popular constante da autorização. Se for necessário excluir. k) Na medida em que os itens são incluídos. 1 . são lançadas apenas a matéria-prima e a volumetria autorizada. Nesse caso. Para concluir. ainda na tela de “Cadastramento de Autex”. na frente do item a ser excluído (Figura 20). clicar no botão “Adicionar Item”. como lenha e carvão vegetal. h) Cada item será cadastrado a partir da seleção da matéria-prima.

digitar a senha e clicar no botão “Gravar” (Figura 21). Portanto.Figura 20 – Inclusão/exclusão de itens em autorização de exploração. aparecerá uma mensagem de confirmação informando o número gerado pelo Sistema DOF (Figura 22). o Sistema fornece uma nova numeração para seu controle. 1 . é necessário entrar na ficha “Gravar”. m) Se a operação for realizada com sucesso. Figura 21 – Confirmação de inclusão/exclusão de itens em autorização de exploração. após a inclusão de todos os itens. mesmo registrando o número original da autorização. Figura 22 – Confirmação de inclusão/exclusão de itens em autorização de exploração. l) Para salvar o cadastro da autorização.

O servidor deverá então retornar à ficha “Autorização de Exploração” para corrigir o erro existente e repetir a operação de gravação. Figura 23 – Homologação de autorização de exploração. aparecerá mensagem de erro. a autorização de exploração deve ser homologada por usuário com perfil de acesso de Gerente Estadual ou Gerente de Unidade. d) Os dados da autorização selecionada aparecerão.n) Caso a operação não seja realizada. 7. nas fichas “Autorização de Exploração” e “Itens” (Figura 24). o usuário deve acessar o menu “Cadastrar” – “Homologar Autex” e selecionar a autorização a ser homologada em “Autorizações Lançadas” (Figura 23). b) Somente após a homologação a autorização estará disponível no Sistema DOF para que o seu detentor possa emitir oferta ou DOF. para checagem e conferência. Homologação de Autorização de Exploração a) Após ser cadastrada no Sistema DOF. c) Para homologar autorização cadastrada. 1 .

8. digitar a senha de acesso e clicar no botão “Homologar” ou “Cancelar”. 1 .0.0. ou a mensagem: “AUTEX-0000. conforme o caso (Figura 25). Somente os pátios nos pontos de exportação devem ser homologados.0000. Homologação de Pátio a) A função “Homologar Pátio” aplica-se aos pátios não informados na declaração inicial do DOF.Figura 24 – Verificação de informações e itens referentes a uma autorização de exploração. que deverão ser criados pelos usuários e homologados pela unidade do IBAMA ou OEMA em que o pátio está sob jurisdição para que possam ser utilizados no Sistema. b) Digitar CPF ou CNPJ da empresa que queira homologar o pátio e clicar em pesquisar (Figura 26). e) Após a conferência dos dados constantes das fichas “Autorização de Exploração” e “Itens”. f) Se a operação for realizada com sucesso aparecerá a mensagem “AUTEX 0000. entrar na ficha “Homologar/Cancelar”. conforme o caso. Figura 25 – Homologação de autorização de exploração.0000.00000 cancelada com sucesso”.00000 homologada com sucesso”.

1 . d) Especificar o motivo da operação. Figura 27 – Homologação de pátio. c) Selecionar o pátio a ser homologado (Figura 27). digitar a senha do servidor e clicar no botão “Homologar Autorização” (Figura 28).Figura 26 – Homologação de pátio.

Entrega Forçada e Extensão de Prazo do DOF a) O cancelamento de um DOF pode ser processado pelo respectivo emitente em até duas horas. Estorno. de 1 . contadas a partir do início da validade. Figura 29 – Homologação de pátio. Suspensão.Figura 28 – Homologação de pátio..) homologado com sucesso” (Figura 29). Os requisitos para a aceitação de um pedido de cancelamento de DOF encontram-se descritos no MEMO/CIRC/CGREF Nº 010. 9. Vencido esse prazo.. e) Aparecerá a mensagem “PÁTIO (. o cancelamento ou estorno poderá ser processado apenas no Módulo Interno por servidor do IBAMA ou OEMA devidamente habilitado.

b) Selecionar o número do DOF a ser estornado (Figura 31). 1 .25 de setembro de 2006. c) Discriminar o motivo da operação. enviado aos Superintendentes do IBAMA e Gerentes Executivos. Cumpridas as exigências. Figura 31 – Estorno de DOF. Figura 30 – Tela para estorno. pode-se proceder o cancelamento inserindo CPF/CNPJ do usuário cujo DOF será estornado (Figura 30). digitar a senha do servidor e selecionar opção “Estornar” (Figura 32). suspensão e entrega forçada de DOF no Módulo Interno.

Figura 32 – Descrição dos motivos para estorno de DOF. É recomendado que seja exigida documentação do destinatário acusando o extravio da carga. e) A suspensão de um DOF deverá ser feita nos casos em que a carga não for entregue ao destinatário. Figura 33 – Confirmação de estorno de DOF. f) O DOF suspenso poderá ser estornado ou ter entrega forçada no Módulo Interno. como um boletim de ocorrência policial. 2 . O saldo do DOF suspenso não será estornado para a origem nem creditado no destino enquanto o caso estiver sob investigação. d) Aparecerá a mensagem “DOF estornado com sucesso” (Figura 33).

observando o disposto na Instrução Normativa nº 112.g) A opção de forçar entrega de DOF será utilizada quando o código de barras do documento estiver ilegível. É recomendado que esta opção seja realizada somente a partir de solicitação e justificativa do interessado. em seu artigo 14. por escrito. seguir os mesmos procedimentos descritos para a operação de estorno. ou em caso de extravio do documento. Para forçar a entrega de um DOF.N. de 21 de agosto de 2006. por escrito. O saldo do DOF será automaticamente creditado para o destino. parágrafo 4º (modificado pela I. Preencher o campo CPF/CNPJ do destinatário e clicar no botão de pesquisa (Figura 34). j) Na guia “Detalhes” são exibidas todas as informações do DOF (Figura 35). h) A função de estender validade de DOF aplica-se nos casos em que. Figura 34 – Extensão de validade de DOF. impossibilitando o destinatário de acusar o recebimento. o prazo do documento expirará durante o percurso da origem até o destino. 2 . i) Selecionar o número do DOF e clicar em “Estender Validade”. 134/2006). Recomenda-se que sejam exigidas solicitação e justificativa do interessado. por alguma razão.

para ajustes de itens de autorização ou pátio decorrentes de conclusão de processo administrativo ou judicial. selecionar a opção “Ajuste Administrativo/Judicial” (Figura 37). b) Para realizar ajuste o usuário deve entrar no menu “Cadastrar”. digitar a senha do servidor e selecionar opção “Alterar” (Figura 36). 10. pesquisar o CPF ou CNPJ do interessado através o ícone em formato de lupa. o motivo da operação. e.Figura 35 – Verificação de dados de um DOF para extensão de validade. apenas no Módulo Interno. Figura 36 – Extensão de validade de DOF. na tela que se abre 2 .Ajuste Administrativo ou Judicial de Itens de Autorização de Exploração ou Pátio a) O sistema DOF admite a inclusão. selecioná-lo. k) Discriminar a nova data de validade do DOF.

“Ajuste Administrativo/Judicial de Origem/Pátio”. e lançar no campo “Ajuste” o valor da volumetria correspondente ao débito ou crédito a ser procedido no item. c) Uma vez aberta a origem desejada (Autex ou Pátio). Figura 38 – Seleção de origem para ajuste de itens. 2 . d) Para debitar um item (diminuir a volumetria) ou creditar (aumentar a volumetria). selecionar o “Tipo de ajuste” – “Debitar” ou “Creditar”. clicar na ficha “Itens”. selecionar o “Tipo de ajuste” e debitar ou creditar uma volumetria de matéria-prima selecionada (Figura 39). Figura 37 – Ajuste de itens em uma autorização de exploração ou pátio. selecionar em “Origem” a autorização ou o pátio que se deseja alterar (Figura 38). em função de decisão do processo administrativo ou judicial. selecionar a “Matéria-Prima” do item a ser ajustado.

Figura 41 – Consulta de espécie para ajuste de item. ainda. g) Observar. para conferência. devendo ser selecionado aquele que melhor represente a designação adotada na região (Figura 41).Figura 39 – Débito de itens em um ajuste administrativo ou judicial. e o saldo ajustado. para que a apropriação do item a ser alterado seja correta (Figura 40). e) Pesquisar e selecionar a espécie do item. e clicar no botão “Adicionar item”. com o saldo anterior ao ajuste constando na coluna “Saldo Atual”. h) Ao clicar no botão “Adicionar item”. Figura 40 – Consulta de espécie para ajuste de item. na coluna “Saldo novo” (Figura 42). que o mesmo nome científico pode se referir a vários nomes populares diferentes. 2 . quando a matéria-prima admitir espécie definida. o item ajustado aparece na relação “Itens”. f) Considerando que o sistema trabalha com o nome científico. a pesquisa de espécie deve ser feita digitando-se o gênero ou o nome popular e selecionando-se o nome científico completo. com absoluta exatidão. se o procedimento for realizado com sucesso.

aparecerá a mensagem “Operação de Ajuste Realizada com sucesso”. clicando-se no ícone de lixeira. o mesmo deve ser excluído. Figura 43 – Conclusão do ajuste administrativo ou judicial. estiver correto. incluindo sempre o número de processo administrativo e/ou judicial (Figura 43). com a devida correção. localizado no cruzamento da linha do item com a coluna “OPERAÇÃO”. No campo “Observações”. clicar na ficha “Gravar”.Figura 42 – Ajuste de itens em uma autorização de exploração ou pátio. Se a operação for realizada com sucesso. i) Se o lançamento do item contiver erro.Homologação de Licença de Importação 2 . j) Se o lançamento do item. uma vez conferido. lançar todas as informações relativas ao item ou itens ajustados. 11. k) Digitar a senha e clicar no botão “Gravar”. providenciando-se uma nova inclusão.

c) Selecionar a Licença de Importação a ser homologada (Figura 51). o usuário devidamente cadastrado no Sistema DOF deverá registrar os dados da Licença de Importação no pátio cadastrado em seu nome na área alfandegária do Município de Importação. 2 . b) Clicar no menu “Cadastrar” e selecionar “Homologar Licença de Importação” (Figura 50). Após o cadastramento dos dados da LI.a) Para cadastrar uma Licença de Importação. Figura 45 – Homologação de licença de importação. Figura 44 – Homologação de licença de importação. o usuário deverá apresentar ao IBAMA cópia do respectivo documento para homologação.

Figura 47 – Homologação de licença de importação. e) Digitar a senha do servidor e clicar no botão “Homologar LI” (Figura 53). f) Aparecerá tela com a mensagem “LI homologada com sucesso” (Figura 54). Figura 46 – Homologação de documento de licença de importação.d) Clicar na guia “Homologar/Cancelar” (Figura 52). 2 .

a partir da data de sua implantação. deve ser utilizado como ferramenta de controle da reposição florestal obrigatória para a pessoa física ou jurídica usuária de recursos florestais. representa o resultado histórico do controle mantido sob a responsabilidade da unidade do IBAMA ou OEMA e da concessão de crédito de reposição florestal devidamente caracterizado em processo administrativo próprio. deve ser lançada no sistema a posição (devedora ou credora) do saldo apurado no dia anterior ao da implantação do Sistema DOF. 12. portanto.Cadastramento de Saldo Inicial de Reposição Florestal a) O Sistema DOF.Figura 48 – Confirmação da homologação de licença de importação. o usuário do sistema deve acessar o menu “Reposição Florestal” – “Cadastro de Saldo Inicial Reposição” (Figura 55). c) O saldo a ser lançado. 2 . d) Para realizar a operação de cadastro de reposição florestal. b) Para que esse controle tenha início.

Figura 49 – Cadastro de saldo inicial de reposição florestal. f) Selecionar a “Unidade de Medida” e o “Tipo” (“Crédito”. Figura 50 – Cadastro de saldo inicial de reposição florestal. 2 . “Débito” ou “Definir Saldo Novo”). informar o “Saldo Autorizado” e o “Número do Processo” e detalhar o processo no campo “Observação” (Figura 57). e) Digitar o CPF/CNPJ do interessado e clicar no botão de pesquisa (Figura 56).

h) Aparecerá a mensagem “Registro Gravado com sucesso”. g) Digitar a senha do servidor e clicar no botão “Gravar” (Figura 58).Figura 51 – Cadastro de saldo inicial de reposição florestal.Consulta de Origens (Autorização de Exploração e Pátio) a) Para consultar qualquer documento de origem ou pátio cadastrado no Sistema DOF. 13. Figura 52 – Cadastro de saldo inicial de reposição florestal. o usuário deve acessar o menu “Consultas” – “Origens” (Figura 59) e fazer a pesquisa 3 .

o documento de origem ou o pátio desejado na relação disponível (Figura 61). b) Após clicar no botão “Pesquisar”. Em seguida. Figura 53 – Consulta de origens. em “Origem”. Na tela que se abrirá. Figura 54 – Consulta de origens. clicando na lupa de pesquisa e lançando o CPF/CNPJ ou o nome na tela “Consultar Pessoa” (Figura 60). clicar em “Consultar”. serão preenchidos os campos da tela inicial de consulta com os dados da pessoa física ou jurídica. A “Data Final” é preenchida automaticamente pelo sistema que considera 45 dias o prazo máximo de abrangência da consulta.da pessoa interessada. selecionar. Delimitar o período de abrangência da pesquisa em “Data inicial” através do calendário disponível ou digitando a data. 3 .

Se houver necessidade de ordenamento dos itens segundo outro critério (produto. 3 . nome popular. saldo ou unidade). espécie.Figura 55 – Consulta de origens. basta clicar no título da coluna correspondente e. para mudar a ordem da relação de crescente para decrescente. clicar uma segunda vez no mesmo título de coluna. c) Os itens com movimentação no período selecionado aparecem relacionados por ordem de inclusão (Figura 62). Figura 56 – Consulta de origens.

lançar outra “Data Inicial”. Figura 57 – Consulta de origens. f) Para consultar outro documento ou pátio da mesma pessoa. para retornar à relação principal. clicar no ícone “X” estilizado no canto inferior direito. na forma descrita anteriormente.Consulta de Ofertas Emitidas e Recebidas a) Para consultar ofertas emitidas e recebidas por determinada pessoa. clicar no botão “Gerar PDF”. Serão listadas tanto as ofertas emitidas para terceiros (saída do pátio) como as ofertas recebidas (entrada no pátio). sendo que. e) Para gerar um relatório em formato Adobe Acrobat (“pdf”). que pode ser impresso ou salvo em seu computador. acessar o menu “Consultas” – “Ofertas”. o pátio de destino da oferta (Figura 64). para oferta emitida. 14. b) Selecionar. clicar no botão “Voltar” (Figura 63). e no mesmo período. o documento ou o pátio de origem da oferta e. neste caso. basta selecionar o documento ou pátio desejado. para oferta recebida.d) Para detalhar as operações realizadas em um item. o pátio da pessoa consultada é o destino da oferta. e para mudar o período. Caso seja necessário migrar os dados para uma planilha eletrônica em formato Excel. no campo “Origens”. 3 . no campo “Origem/Destino da Oferta”. pesquisar o CPF/CNPJ do interessado. clicar no ícone em formato de página na coluna “OPERAÇÃO” e.

serão listadas todas as ofertas emitidas com origem no documento em questão. clicar no respectivo ícone em formato de página. Figura 59 – Consulta de ofertas emitidas e recebidas por documento de origem (autorização de exploração). c) Em seguida. constando da relação o tipo da oferta (recebida ou emitida). especificar o período de abrangência da consulta. seguindo os passos descritos anteriormente. e) Para visualizar detalhes da oferta. na coluna “OPERAÇÃO”. d) Na consulta de documento de origem. o nome do destinatário e a última operação realizada com a oferta (Figura 65). e as ofertas recebidas (em que o referido pátio será o destino da oferta). clicar no botão “Voltar”. serão listadas as ofertas emitidas (com origem no pátio selecionado).Figura 58 – Consulta de ofertas emitidas e recebidas. com o mesmo detalhamento exibido na consulta de documento de origem (Figura 66). Esta operação também tem prazo de abrangência máximo de 45 dias. Para retornar à relação. 3 . f) Na consulta de pátio.

Para retornar à relação. ou seja. em “Origem”. pesquisar o CPF/CNPJ ou nome do interessado. acessar o menu “Consultas” – “DOF”. determinar o período de abrangência da consulta (máximo de 45 dias) e clicar em “Enviar” (Figura 67). clicar no ícone de página respectivo. e apropriar os dados na tela principal. 3 . g) Para visualizar detalhes da oferta.Figura 60 – Consulta de ofertas emitidas e recebidas por pátio. b) Selecionar o documento de origem ou o pátio a ser pesquisado. os procedimentos são os mesmos utilizados nos itens anteriores.Consulta de DOFs Emitidos e Recebidos a) Para consultar um DOF emitido ou recebido. 15. clicar no botão “Voltar”. na coluna “OPERAÇÃO”.

clicar no botão “Voltar”. 3 . clicar no ícone de página respectivo. na coluna “OPERAÇÃO”. c) Para a consulta de documento de origem. Para retornar à relação. na coluna “OPERAÇÃO”. serão listados os DOFs emitidos com saída da origem em questão (Figura 68). serão listados tanto os DOFs de saída do pátio como os de entrada. e) Para a consulta de pátio. Para retornar à relação. clicar no ícone de página respectivo.Figura 61 – Consulta de DOFs emitidos e recebidos. clicar no botão “Voltar”. d) Para visualizar detalhes do DOF. Figura 62 – Consulta de DOFs emitidos e recebidos. f) Para visualizar detalhes do DOF.

b) Selecionar a unidade de medida e o período da transação e clicar no botão “Consultar” (Figura 70). É possível gerar um relatório em formato Adobe Acrobat (“pdf”) para impressão. Figura 63 – Consulta de saldo de reposição florestal. ou seja. Figura 64 – Consulta de saldo de reposição florestal. acessando o menu “Consultas” – “Reposição”. e apropriar os dados na tela principal (Figura 69). pesquisar o CPF/CNPJ ou o nome do interessado. bastando para isso clicar no botão “Gerar PDF”. clicando no ícone “X” estilizado no canto inferior direito. os parâmetros são os mesmos utilizados nos itens anteriores.Consulta de Saldo de Reposição Florestal a) Para consultar Saldo de Reposição Florestal. ou migrar os dados para uma planilha eletrônica em formato Excel. c) Aparecerá tela informando o valor da operação e o saldo atual (Figura 71). 3 .16.

b) Clicar na lupa de pesquisa (Figura 73).Figura 65 – Consulta de saldo de reposição florestal. 17.Consulta de Destinação Final de Produto a) Para consultar Destinação Final do Produto. clicar em “Consultas” – “Destinação” (Figura 72). 3 . Figura 66 – Consulta de destinação de produto.

3 . c) Digitar o CPF ou CNPJ e clicar no botão “Pesquisar” (Figura 74).Figura 67 – Consulta de destinação de produto. Figura 68 – Consulta de destinação de produto. d) Clicar no botão “Consultar” (Figura 75).

4 . f) Aparecerá na tela dos dados da consulta feita (Figura 77). Figura 70 – Consulta de destinação de produto. e) Selecionar o pátio e o período da consulta (máximo de 45 dias) e clicar no botão “Consultar” (Figura 76). seguir procedimentos descritos no item “c” do capítulo 18. Para gerar arquivo para impressão no formato “pdf” ou planilha de Excel.Figura 69 – Consulta de destinação de produto.

Figura 71 – Consulta de destinação de produto. Figura 72 – Consulta de declaração inicial. 4 . b) Selecionar a UF. o município e o período (máximo de 45 dias) a ser consultado e clicar em “Consultar” (Figura 79). selecionar “Consultas” – “Declaração inicial” (Figura 78). 18.Consulta de Declaração Inicial a) Para consultar a declaração inicial da empresa.

para gerar arquivo no formato “pdf” ou planilha de Excel. clicar no ícone da coluna “Operação” e. Figura 74 – Consulta de declaração inicial. seguir procedimentos descritos no item “c” do capítulo 18.Figura 73 – Consulta de declaração inicial. 4 . Para exibir detalhes da consulta. c) Aparecerá na tela todas as empresas que fizeram declaração no período indicado (Figura 80).