You are on page 1of 10

COMO INVESTIR EM OBRIGAÇÕES

Cada vez mais os portugueses se preocupam com o seu dinheiro, e por isso devem
estar sempre bem informados sobre as formas de aplicação das suas poupanças.
Existe um leque bastante vasto de produtos financeiros onde o poderão fazer, tais
como certificados de aforro, depósitos a prazo, PPR/E, acções, obrigações, etc.
Uma das formas mais rentáveis de aplicação das poupanças e não muito arriscada
é o investimento em obrigações.

O que é uma obrigação?
Uma obrigação é um título de crédito representativo de um empréstimo e, como
tal, confere ao seu titular o direito de receber juros.
Investir em obrigações é, em termos simples, quase a mesma coisa que emprestar
dinheiro a alguém. Só que, neste caso, esse alguém pode ser uma empresa, uma
instituição (nacional ou estrangeira) ou até o próprio Estado.
Para os particulares, as obrigações podem ser muito úteis, já que contribuem
bastante para a diversificação das aplicações. O facto de alguns aspectos
importantes, como o prazo e, na maioria dos casos, o rendimento, já serem
conhecidos à partida, é uma das suas principais vantagens.
Como comprar?
Quem estiver interessado na aquisição de obrigações dispõe de duas alternativas: o
mercado primário e o secundário.
* Mercado primário: Apesar de algumas emissões ainda se destinarem ao público
em geral, este mercado está, cada vez mais, vocacionado para investidores
institucionais, como os fundos de investimento ou os fundos de pensões.
* Mercado secundário: A Bolsa é o mercado secundário mais adequado para
comprar e vender obrigações. As transacções são efectuadas com maior facilidade e
os preços de compra e venda são muito mais transparentes. As ordens para
transaccionar obrigações em Bolsa têm de ser transmitidas através de uma
corretora ou de um banco.
Contudo, em termos práticos, levantam-se alguns problemas:
* Para diversificar é necessário dispor de montantes elevados, caso contrário não é
possível diluir os custos;
* Para investir directamente é preciso ter um certo nível de conhecimentos e
informação;
* O mercado de obrigações português é bastante incipiente e não oferece muita
escolha.
Por estes motivos, as aplicações em obrigações devem, sobretudo, ser feitas
através de fundos de investimento.
Qual o investimento? E o rendimento?
O montante mínimo para investir em obrigações é normalmente de 10 mil euros e o

V. O que é o valor de mercado de uma acção? É o valor a que as acções são transaccionadas em mercados de Bolsa. independentemente da entidade que as emita. mesmo para o pequeno investidor. no sobe e desce (normal) dos mercados accionistas. a qualidade da gestão e as perspectivas do mercado onde se inserem. O que são acções? As acções representam parcelas de capital de uma empresa. Relativamente às mais-valias. Mas também se pode ganhar bastante no curto prazo. Se o mercado for eficiente. A cotação das obrigações pode variar em função do risco percebido do emitente e da evolução das taxas de juro. Gestão financeira. o qual tem o direito de receber uma parte dos lucros da empresa. não é necessário declarar esses rendimentos ao Fisco. analisar as suas contas. o que terá impacto caso se queira vender antes da maturidade (data em que o capital em dívida é pago aos investidores). N. O que fazer antes de investir? Qualquer consumidor pode aproveitar boas oportunidades de investimento sem ter conhecimentos profundos do mercado. A longo prazo. informar-se bem sobre as empresas cotadas em Bolsa. os eventuais ganhos obtidos na venda das obrigações não têm de ser declarados e estão isentos de IRS. Sancho I. Há custos com o fisco? Os rendimentos gerados pelas obrigações estão sujeitos a uma taxa de retenção na fonte de 20%. e manter o risco sob controlo. Poupança e Investimento COMO INVESTIR EM ACÇÕES Qualquer pessoa pode investir em acções. Trabalho realizado pelos alunos do curso EFA. por exemplo. o negócio das acções é rentável. Como essa taxa é liberatória. Precisa de algum tempo para pesquisar e. Basta ter algum dinheiro e paciência. Uma possibilidade é. o valor de mercado de uma acção corresponde à melhor avaliação da própria empresa.º de acções que possui. proporcional ao n. O valor de mercado de uma acção corresponde às expectativas dos investidores relativamente à evolução futura da empresa que a acção representa. É fácil aceder aos relatórios . constituída sob a forma de sociedade anónima. TAG2 Escola Secundária D. O englobamento apenas é interessante para quem tenha a declarar rendimentos muito reduzidos. antes de tomar uma decisão. conferindo ao seu titular a qualidade de accionista. num dado momento preciso.horizonte mínimo de investimento são três anos. Famalicão Publicada por EMFC em 08:44 Etiquetas: Financiamento.

Uma aplicação é arriscada quando o seu valor pode sofrer alterações. Gestão financeira. a rentabilidade e a liquidez. o rendimento pode ser pré-estabelecido. Noutras aplicações o rendimento não é garantido à partida. Comparando. Risco A segurança de uma aplicação financeira está ligada à noção de risco. a carteira de um investidor deve ser diversificada. Famalicão Publicada por EMFC em 08:03 Etiquetas: Financiamento. fundos de investimento. se estiver atento. Sancho I. das obrigações e dos certificados de aforro. Liquidez Por liquidez entende-se a possibilidade de. . Como comprar? Não pode negociar directamente na Bolsa. É preciso acompanhar as notícias sobre as empresas e respectivos títulos. para comprar e vender acções tem de contratar um intermediário financeiro.. pois estão dependentes da procura. com uma taxa fixa ou variável. A segurança da aplicação traduzse na possibilidade de o investidor vir a recuperar. tanto para mais como para menos. Em qualquer caso. maior será a liquidez. obrigações. como é o caso das acções. como é o caso dos depósitos a prazo. Em algumas aplicações. N. verifique o preçário em vigor. TAG2 Escola Secundária D. autorizado pela CMVM.. V. Como a maioria dos bancos também já faz serviço de corretagem. Trabalho realizado pelos alunos do Curso EFA. Estes produtos distinguem-se entre si em função de indicadores como o risco. Quanto maior for a rapidez na conversão de um título em dinheiro. 5 DE MARÇO DE 2010 PRODUTOS FINANCEIROS As instituições financeiras disponibilizam variados produtos financeiros onde os investidores poderão aplicar as poupanças realizadas: acções. em jornais e no sítio da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). a totalidade do dinheiro aplicado. entre outros. no momento certo. bem como a sua evolução e desempenho. Um depósito a prazo pode ficar imediatamente disponível enquanto as acções podem não ser vendidas de um dia para o outro. alguns investidores preferem continuar a trabalhar com o banco onde já são clientes. Assim. A lista das entidades habilitadas em Portugal está disponível no seu sítio. durante cerca de 5 anos. apostando em diferentes sectores e mercados. O investimento deve ser feito a longo prazo. a qualquer momento. Os mercados mudam constantemente e. Como minimizar o risco? Para minimizar o risco. Mas cuidado: alargá-la demasiado torna a sua gestão cara e difícil. pode fazer bons negócios. Rentabilidade Este é o principal objectivo de quem aplica as suas poupanças.publicados. em que o rendimento depende do mercado e dos resultados das empresas. Poupança e Investimento SEXTA-FEIRA. pelo menos. por exemplo. mas a sua interpretação não está ao alcance de todos. certificados de aforro e depósitos a prazo. se poder reaver o dinheiro aplicado. comprando ou vendendo acções. de um momento para o outro.

Com um carácter sentencioso. Nos dias de hoje. administradores. é um livro de estratégias de guerra. as estratégias de Sun Tzu deixaram de actuar apenas na esfera militar. o livro é lido e as suas estratégias adoptadas por economistas. Sun Tzu assume a figura de um general cujas principais qualidades são o segredo. de Sun Tzu.Publicada por EMFC em 12:53 Etiquetas: Financiamento. . passando a actuar também numa guerra diferente mas igualmente arriscada: a guerra dos negócios. investidores e por todos os que querem vencer num mundo cada vez mais competitivo. a dissimulação e a surpresa. Assim. Apesar da antiguidade da obra (cerca de 2500 anos) ela continua actual. 23 DE FEVEREIRO DE 2010 A ARTE DA GUERRA E AS ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS "A Arte da Guerra". Poupança e Investimento TERÇA-FEIRA. Gestão financeira.

Principais rácios financeiros Solvabilidade total . o nível de endividamento. significa que a empresa tem dificuldades de tesouraria.expressa a participação dos capitais alheios no financiamento da empresa. significa uma excessiva dependência de capitais alheios. representa um bom grau de autonomia financeira. Um valor superior a 1. Um valor inferior a 1.expressa a capacidade da empresa satisfazer as suas dívidas a curto prazo com os activos circulantes. sem contar com as existências.expressa a participação do capital próprio no financiamento da empresa. à medida que se vão vencendo. Liquidez reduzida . ou seja.historiageral. Um valor maior ou igual a 1/3. significa que a empresa está impossibilitada de satisfazer todos os seus compromissos com meios próprios.Apontar indícios / detectar anomalias. Autonomia financeira .expressa a capacidade da empresa para satisfazer os compromissos com terceiros. . significa que o valor do património é suficiente para cobrir todas as dívidas da empresa. Um valor superior a 1. Dependência financeira . significa que a empresa pode utilizar activos líquidos para pagar as dívidas a curto prazo.Quantificar factos / características da empresa. Rácio de autonomia + Rácio de dependência = 1 Liquidez geral .net/a_arte_da_guerra. Gestão financeira.Pode ler o livro em: http://www. . Planeamento SEXTA-FEIRA.expressa a capacidade da empresa satisfazer as suas obrigações a curto prazo com os activos circulantes.Fazer comparações no tempo e no espaço. Os rácios são uma razão ou quociente entre duas grandezas e permitem: . 30 DE MAIO DE 2008 RÁCIOS ECONÓMICO-FINANCEIROS A análise de rácios ou indicadores é uma das técnicas mais utilizadas em análise financeira. Um valor inferior a 1. . Um valor inferior a 1/3.pdf Publicada por EMFC em 15:54 Etiquetas: Gestão comercial / Marketing.

Mostra o lucro obtido Rotação do activo total . Principais rácios económicos Rendibilidade do capital próprio . apenas com as disponibilidades. ou seja.9 e 1. com elevados custos para a empresa.relaciona o lucro obtido num determinado exercício com o activo total da empresa. significa que existem stocks "mortos".1.relaciona o lucro obtido num determinado exercício com o valor das vendas da empresa. Se houver uma diferença muito grande entre a liquidez geral e a liquidez reduzida. Um valor superior a 0.Consideram-se bons os valores entre 0. Rendibilidade do activo total . pela empresa por cada unidade monetária de vendas. Rendibilidade das vendas . Liquidez imediata -expressa a capacidade da empresa satisfazer as suas dívidas a curto prazo. a rendibilidade do investimento realizado.9 poderá ser demasiado elevado e significar uma má aplicação dos fundos de tesouraria. Equação fundamental da rendibilidade Mede o grau de eficácia na . podendo compará-la com outras remunerações oferecidas no mercado de capitais. utilização dos activos.relaciona o lucro obtido num determinado exercício com o capital próprio da empresa.relaciona o valor das vendas com o activo total da empresa. Mostra o lucro obtido pela empresa por cada unidade monetária investida. Permite ao accionista avaliar a taxa de retorno do capital que investiu.

que permite o aumento das aplicações de fundos sem recurso a capitais alheios e sem causar pressões na tesouraria. .corresponde a um conjunto de meios libertos pela actividade da empresa.Outros rácios económicos Publicada por EMFC em 12:50 0 comentários Etiquetas: Financiamento. 6 DE ABRIL DE 2008 ALGUNS CONCEITOS (3) Cash-Flow Significa "fluxo de liquidez" e pode ser entendido sob duas perspectivas: . .Conceito estático . Calcula-se a partir da Demonstração de Resultados: Autofinanciamento É o conjunto de meios libertos pela actividade empresarial. Gestão financeira DOMINGO.Conceito dinâmico .corresponde a um fluxo contínuo de caixa (entradas e saídas de dinheiro). sendo por essa razão um meio privilegiado de financiamento.

Fundo de maneio .é uma margem de segurança financeira.agrega as contas do Balanço contabilístico numa perspectiva financeira. Para que a empresa tenha uma situação financeira estável. caso contrário a empresa terá dificuldade em satisfazer os seus compromissos. 10 DE MARÇO DE 2008 ALGUNS CONCEITOS (2) Balanço funcional . constituída por elementos patrimoniais que se transformam facilmente em disponibilidades. . o valor do Activo circulante deve ser superior ao valor do Exigível a curto prazo. Gestão financeira SEGUNDA-FEIRA. segundo as aplicações e as origens de fundos.Relação entre Cash-Flow e Autofinanciamento Publicada por EMFC em 11:51 0 comentários Etiquetas: Financiamento.

Exigível a curto prazo ou Fundo de maneio = Capitais permanentes . Gestão financeira QUINTA-FEIRA.Passivo (obrigações) = Capital próprio (valor do património) Balanço (óptica de gestão) . Activo realizável .bens de investimento (financeiros. Activo circulante . Disponibilidades). 21 DE FEVEREIRO DE 2008 ALGUNS CONCEITOS Balanço (óptica patrimonial) . Activo (bens e direitos) . Activo fixo + Activo circulante = Financiamento + Passivo de curto prazo Activo fixo . pelo menos. Dívidas de terceiros a curto prazo.Os recursos utilizados para financiar um activo devem manter-se à disposição da empresa por um período.Fundo de maneio = Activo Circulante .Activo fixo Regra do equilíbrio financeiro mínimo . igual à duração desse activo. tangíveis e intangíveis) que permanecem na empresa por um período superior a um ano (Imobilizado) e Dívidas de terceiros a médio e longo prazo. Então: Activos a mais de 1 ano => devem ser financiados por capitais permanentes Activos até 1 ano => devem ser financiados por dívidas até um ano Publicada por EMFC em 11:49 0 comentários Etiquetas: Contabilidade.pode ser convertido em dinheiro (Existências e Dívidas de .representa a situação patrimonial da empresa em termos da sua composição e valor.bens associados ao funcionamento e exploração da empresa e que nela permanecem por um período inferior a um ano (Existências.evidencia as aplicações de fundos (investimentos) e as origens de fundos (fontes de financiamento).

.obrigações que a empresa tem de solver num período superior a um ano (Passivo de médio e longo prazo). Capital próprio . Títulos negociáveis de curto prazo). Exigível de médio e longo prazo . Depósitos bancários. Financiamento .meios financeiros que pertencem aos proprietários da empresa. Capital alheio .meios financeiros de que a empresa pode dispor (Capital próprio e Dívidas a terceiros a médio e longo prazo). Activo disponível .dinheiro e outros meios de pagamento (Caixa.obrigações que a empresa tem de solver num período inferior a um ano (Passivo de curto prazo). Exigível de curto prazo .terceiros).meios financeiros postos à disposição da empresa por terceiros (Passivo).