You are on page 1of 12

Universidade Federal de Campina Grande

Centro de Engenharia Elétrica e Informática
Unidade Acadêmica de Engenharia Elétrica
Professor: LUIS REYES ROSALES MONTERO

LABORATÔRIO DE MÁQUINAS
GUIA DO EXPERIMENTO

Máquina de indução

Aluno:_________________________

TURMA:_____________

Campina grande,_____ de__________________ 201_

medido ao longo da periferia do entreferro. temos te equação para fmm: Fr ( . 120º elétricos no espaço e. t )  A onda descrita pela equação final acima é uma função senoidal do ângulo espacial .b e c temos: Fa  Fa ( pico ) cos  Fb  Fb ( pico ) cos    120º  Fc  Fc ( pico ) cos    240º  A Força Magnetomotriz resultante no ponto  é: Fr ( )  Fa  Fb  Fc Mas as amplitudes de fmm variam com o tempo de acordo com as variações das correntes. Para as fases a. O ângulo t provê a rotação da onda inteira ao redor do entreferro à velocidade angular constante . Introdução A análise preliminar para se entender o funcionamento de uma máquina elétrica trifásica deve ser começada pela compreensão do campo magnético girante. isto é. t )  Fmáx cos    t  2 Fr ( . para qualquer instante t. O funcionamento de uma máquina de indução se dá devido à forma como estão distantes os enrolamentos das fases entre si. Assim com a origem do tempo arbitrariamente tomada no instante em que a corrente de a é um máximo positivo.Máquina de Indução 2 1. Para as correntes temos: ia  I m cos t ib  I m cos(t  120º ) ic  I m cos(t  240º ) Fixando a origem para o ângulo  . t )  Fmáx cos    cos  t   Fmáx cos    120º  cos  t  120º   Fmáx cos    240º  cos  t  240º  1 1 1 Fmáx cos    t   Fmáx cos    t   Fmáx cos    t  2 2 2 3 Fr ( . . no eixo da fase a por exemplo. temos: Fa ( pico )  Fa ( máx ) cos  t  Fb ( pico )  Fb ( máx ) cos  t  120º  Fc ( pico )  Fc ( máx ) cos  t  240º  Como as três correntes são equilibradas. Ela tem uma amplitude constante e um ângulo de fase espacial que é uma função linear do tempo.Guia de Laboratôrio . tem a mesma amplitude também estão defasadas em 120º. (produzido pelo fluxo de correntes no enrolamento polifásico de uma máquina CA Corrente Alternada). as correntes que alimentam estas bobinas são equilibradas. todas as 3 fases contribuem com a fmm (Força Magnetomotriz) do entreferro em qualquer  .

De fato o valor de pico de F s(Fmax. para um sistema bifásico. Um motor monofásico apresenta a estrutura de base dada na Fig. Nesta forma não há conjugado motor de partida. teremos que Fr  2 Fmáx cos  t   Fmáx cos  t  .Máquina de Indução 3 Portanto. 2 Abaixo segue o esquema das ligações das bobinas do estator para se obter um estator trifásico ligado em estrela para dois e quatros pólos. também pulsante.Guia de Laboratôrio . Fig. pois Fs.1 Os motores de indução monofásicos são utilizados em aplicações de potência inferior aquelas dos motores trifásicos de uma ordem de frações de um cavalo. encontra-se alinhado na mesma direção segundo o eixo da bobina do rotor.3.4a.Cos(wst)cos). . campo do estator é um campo pulsante estacionário: (Fs = Fmax.coswst) está sempre alinhado na direção do eixo da bobina do estator e o valor de pico do campo do rotor. podemos concluir que como Fr  Fa  Fb .

A justificativa deste procedimento encontra-se no fato de se obter uma estrutura de estator próxima a de uma máquina bifásica (bobinas estatóricas defasadas no espaço de 90 elétricos. Para a obtenção da corrente adiantada da bobina auxiliar pode-se utilizar um capacitor em série com esta bobina (Fig. . Levantar os parâmetros da máquina de indução a partir das medidas obtidas experimentalmente dos ensaios de circuito aberto e curto circuito. um método bastante comum baseia-se na utilização de uma bobina auxiliar colocada no estator. alimentadas por duas correntes equilibradas do tipo: Imcos(wst) e Imsen(wst) que origina um campo girante do estator). 1. em quadratura com a bobina monofásica original. Objetivos Estudar as características de funcionamento da máquina de indução como gerador e motor.Estruturas Equivalentes básicas de um Motor de Indução monofásico Entretanto pode-se mostrar (pela decomposição de Fs em dois campos girantes de sentidos opostos e de valor de pico Fmax/2) que se o motor é posto em marcha por um artifício qualquer. 2.2b). Existem vários métodos para a partida de um motor de indução monofásico.2 .Máquina de Indução 4 Fig.1. por onde deve circular uma corrente adiantada (mais próxima de 90 possível) em relação aquela da primeira bobina. tem origem um conjugado resultante no sentido do movimento do rotor (o torque proporcionado pelo campo girante no sentido do movimento supera o torque correspondente ao campo girante de sentido contrário). estudar a dinâmica de funcionamento e os diferentes tipos de motores de indução.Guia de Laboratôrio .

Máquina de Indução 5 3 Equipamentos e Instrumentos Utilizados o 1 Máquina assíncrona trifásica 4 pólos com rotor bobinado o 2 varivolt. o 3 multímetros. Determinação dos parâmetros da máquina assíncrona funcionando como Motor . o fios e cabos. o 1 máquina CC com excitação serie e independente. o 1 medidor de rotações. o 2 fonte CC.Guia de Laboratôrio . 4. o 2 watímetros. o 1 painel de cargas (lâmpadas).

43 Medida diretamente com o multímetro (Estator) IFn (A) Rfn () Vr(V) (Rotor) Ir(A) 4. Coloque os dados referenciados na teabela1.0 X 3.28 Rr () X 1.R e s i s t ê n c i a d o s e n r o l a m e n t o s .Máquina de Indução 6 Figura 2 – Fonte de corrente contínua para medição das resistências dos enrolamentos. Tab e l a 1 .8 . e fase-fase no rotor. Figura 3 – Diagrama elétrico para ensaio do motor de indução em vazio e de rotor bloqueado. Realize os ensaio de rotor em vazio e rotor bloqueado e preencha as tabelas 2 e 3 Tabela 2 – Ensaio em Vazio Método dos wattímetros e multímetros W1 (w) W 2 (W) I (A) Vnom (V) 27*20 -(17*20) 4. Obtenha os dados de resistência dos enrolamentos utilizando um multímetro. A modo de comparação dos resultados obtenha por 3 métodos a resistência.06 220 75. faz-se necessário o ensaio de circuito aberto (motor em vazio) e o ensaio de curto circuito (rotor bloqueado).8 71 Tabela 4 – Ensaio em Vazio com rotor em aberto W1 (w) W 2 (W) I (A) V (V) Vrotor (V) 25*20 -(21*20) 4.1 Para determinar os parâmetros por fase do circuito equivalente da máquina assíncrona. A partir de da aplicação de um sinal de tensão ao enrolamento do estator fase-neutro e fase-fase.Guia de Laboratôrio . Compare e comente os resultados obtidos por multímetro e os obtidas diretamente da lei de Ohm e dos ensaios de circuito aberto e curto circuito. Ligação do estator em delta VFn (V) Ligação do rotor estrela Medida sobre uma fase 6.04 220 Tabela 3 – Ensaio com o rotor bloqueado Método dos wattímetros e multímetros W1 (w) W 2 (W) I cc(nom) (A) V cc(V) 92*5 -(28*5) 8.24 X X 10 X 3 3.41 Medida entre fases 9.

63  X ca  83.Teste de Circuito Aberto Rs Xs R2’ ’ X2’ Vprim Circuito Equivalente da Máquina de Indução .15  I ca 2.88 2 Xs Rs Vprim X2’ Rf R2’ Xm Circuito equivalente da Máquina de Indução .Teste de Curto-Circuito - . seguindo o exemplo abaixo.54 Pca  Rca  Pca 126.67   Rca  19.Guia de Laboratôrio .Máquina de Indução 7 Baseado nos ensaios de circuito aberto e de curto-circuito determine os valores dos parâmetros da máquina de indução. Teste de circuito aberto : V 379 Vca  camed   Vca  218.67W 3 3 V 218.15  2   19.54 A Wcatotal 380   Pca  126.82 Z ca  ca   Z ca  86.54  2 2 X ca  Z ca  Rca   86.63  2 2 I ca  2.82V 3 3 I ca  Icamed  I ca  2.

Ensaio da máquina de indução operando como transformador Para determinar os parâmetros por fase do circuito equivalente da máquina assíncrona de uma forma mais precisa.635  2 2 Xcc 83. 5.96  R 2 '  21.Guia de Laboratôrio . 27   X s  41.77  1. faz-se necessário o ensaio de circuito do rotor em aberto (motor funcionando como transformador retire as ligações entre os terminais X.1 – Diagrama elétrico para ensaio do motor de indução com rotor bobinado. Compare os resultados das medições de potencia com o ensaio de circuito aberto (motor em vazio) para determinar perdas mecânicas envolvidas no eixo do motor.635  X m  42. ventilação e perdas nas resistências dos enrolamentos a partir dos ensaios de circuito aberto e o rotor em aberto.1) para determinar as perdas elétricas e magnéticas e a relação de transformação das bobinas do estator e rotor.1 Ensaio da máquina de indução invertida operando como Gerador de Frequência variável .998R f  31534.829   R f  78.88  41. 27 X2 '    X 2 '  41.635  2 2 R s  R smed  R s  1.589  0   R f  78. Y e Z conforme figura 3.96  Xs  R 2 '  R cc  R s  23. Figura 3.169  Obtenha as perdas no ferro e as perdas devido ao atrito.81 X m  X ca  X s  83.169  2 R f  100.Máquina de Indução 8 Cálculo dos parâmetros : Xcc 83. 5. 245  2 R ca  R s  R f Xm 2 2 2   R ca  R s  R f  X m R f   R ca  R s  X m  0 2 2 R f  Xm  R f  22.

L2 E L3 e ligue nos terminais X. observe que para fazer um gerador de frequência de 120 Hz.1 e alimente o motor de indução pelo rotor. obtenha as potências (pelo método dos dois wattímetros) e meça a velocidade utilizando um tacômetro digital. seria necessário levar o motor cc à velocidade de 1800 rpm para um motor de 4 polos. A partir destas medições calcule o escorregamento S. 6 Ensaio com carga do motor de indução Neste ensaio com carga é utilizada uma máquina síncrona funcionando como gerador com o eixo acoplado ao motor de indução e ligue a um conjunto de cargas resistivas (lâmpadas de várias potências).Y e Z e ajuste a tensão até a tensão nominal do estator. mantendo a tensão terminal constante através do sistema de excitação. o conjugado. Inicialmente pôs-se o motor de indução a girar a máquina síncrona em vazio (sem alimentar nenhuma carga) e obtenha as medidas das correntes em uma das fases. o rendimento. a potencia útil. Finalmente acione o rotor do motor de indução como um motor CC com excitação independente.Y e Z conforme figura 3. Esse esquema representa um gerador síncrono onde a força motora para girar o rotor é proveniente do eixo do motor de indução. Em seguida adicione seqüencialmente as cargas ao gerador síncrono. retire as ligações entre os terminais X. a potência aparente (VA). retirado os cabos ligados a os terminais L1. e o fator de potencia.Máquina de Indução 9 Para que a máquina de Indução funcione como transformador elevador ou Gerador de Frequência. a potência reativa (var).Guia de Laboratôrio . Varivolt Maquina de indução Varivolt Maquina Síncrona (gerador) Ponte retificadora Utilizando as seguintes equações preencha a tabela 6: Wm(rps) = Wm(rpm)/60 Quadro de cargas Setas vermelhas ligações elétrica Setas pretas ligações mecânicas . a velocidade em rpm. Preencha as medições na tabela 6. a potencia ativa total de entrada.

6.3 4.1 3.Imed Q = [(S)² . .4 2.7 2.Máquina de Indução 10 We(rad/s) = Wm(rps)*2 S= [(Ws – Wm)/Ws] Pag = Wtot – 3Rs(Imed)² Pútil = (1 – S)Pag Cútil = Pútil/We(rad/s) F. Trace as curvas das grandezas do motor de indução com carga da tabela 6 em relação a velocidade.2 W1 (W) -(12*20) -(6*20) -(2*20) 2*20 8*20 13*20 18*20 22*20 27*20 32*20 37*20 W2 (W) 32*20 38*20 42*20 48*20 52*20 59*20 65*20 71*20 79*20 86*20 94*20 Wentra (W) Tabela 6 – Ensaio com carga Vel. Verifique a corrente e o fator de potencia do motor de indução e a corrente com e sim banco de capacitor.6 2.6 5. e insira um banco de capacitores para corrigir o fator de potência do motor de indução.(P)²]½ Tabela 6 – Valores experimentais e calculados para o ensaio com carga Imed (A) 2. Pag P útil C útil S (rpm) (W) (W) (N.1 Ensaio do motor de indução com carga e com correção do fator de potencia Neste ensaio aproveite a montagem do ensaio 6.85 3.P = Wtot/(380.6 3.Imed) S = (3)½.Guia de Laboratôrio .380.m) (VA) 1780 1770 1761 1752 1743 1734 1725 1716 1705 1695 1684 P (W) Q (var) N (%) F.P *as células não preenchidas serão calculadas de acordo com as equações acima.3 3.9 4.

Esse esquema representa um gerador assíncrono onde a força motora para girar o rotor é proveniente do eixo do motor de CC. mantendo a velocidade constante através do motor CC. logo ligue o gerador a um conjunto de cargas resistivas (lâmpadas de várias potências) aumentando a velocidade do motor CC a medida que da carga e diminua a medida que retira carga.92 utilizando a potencia reativa do motor com carga na velocidade nominal (1705). veja tabela 6. Inicialmente pôs-se o gerador de indução um capacitor entre as fases ou um conjunto de 3 capacitores. logo coloque a girar a máquina CC acima da velocidade síncrona e obtenha as medidas das correntes em uma das fases.Guia de Laboratôrio . 7 Ensaio do gerador de indução Neste ensaio é utilizada uma máquina CC funcionando como motor série com o eixo acoplado ao gerador de indução. note que o gerador deve começar a gerar tensão. obtenha as potências e meça a velocidade utilizando um tacômetro digital. Em seguida adicione seqüencialmente as cargas ao gerador assíncrono. coloque medidores de tensão e corrente na saída do gerador e ligue o banco de capacitores previamente carregados aos terminais do Gerador. ajuste a velocidade do motor CC para que a tensão de saída seja 220V. Comente o experimento. assim que a velocidade da máquina Série atinja 20% acima da velocidade síncrona do Gerador Assíncrono.Máquina de Indução 11 o Apresente o calculo do valor ótimo da potencia reativa do banco de capacitor do motor de indução para um fator de potencia de 0. Setas vermelhas ligações elétrica Setas pretas ligações mecânicas Varivolt Maquina CC (turbina eólica) Ponte retificadora Maquina de indução Quadro de cargas Capacitores de excitação .

1989. 10 Conclusões Apresente as suas considerações finais sobre o experimento. Verificar que o motor atinja uma velocidade razoável (valor típico de 75% de Ws). Alexander. Partida do Motor de Indução Monofásico com capacitor de partida Neste ensaio o motor de indução monofásico será acionado por um varivolt cuja corrente será monitorada por um amperímetro CA. 11 – BIBLIOGRAFIA [1] SEN. New York. Máquinas Elétricas.Máquina de Indução 12 8. variando a tensão observe o descolamento horizontal do motor linear montado sobre um cano de cobre. 9 Motor de Indução Linear Neste ensaio utiliza-se um motor de indução linear alimentado por um varivolts trifásico. John Wiley & Sons. 1ª ed. Principles of Electric Machines and Power Electronics. A. McGraw-Hill. neste momento escute que uma chave centrífuga seja desligada. a qual desconecta o conjunto bobina auxiliar de partida com capacitor. E.Guia de Laboratôrio . [3] CHAPMAN. S. 1975. [2] FITZGERALD. Charles & KUSKO.. New York. note que o motor passa a funcionar com uma só bobina e a corrente do motor baixa seu valor. & KINGSLEY Jr. Electric Machinery Fundamentals. . McGraw-Hill do Brasil Ltda. C. invertendo as fases observe a inversão do sentido de deslocamento do motor linear. P. J.