You are on page 1of 15

1

ESTUDO BIBLIOMÉTRICO SOBRE ORÇAMENTO NOS CONGRESSOS
BRASILEIROS DE 2005 A 2009

Geovanne Dias de Moura
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da
Universidade Regional de Blumenau – FURB
Rua Antônio da Veiga, 140. Victor Konder. Blumenau – SC
Telefone: (47) 33210938
Email: gdmoura@al.furb.br
Lara Fabiana Dallabona
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da
Universidade Regional de Blumenau – FURB
Rua Antônio da Veiga, 140. Victor Konder. Blumenau – SC
Telefone: (47) 33210938
Email: ldallabona@al.furb.br
Carlos Eduardo Facin Lavarda
Doutor em Contabilidade pela Universitat de Valência-Espanha
Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da
Universidade Regional de Blumenau – FURB
Rua Antônio da Veiga, 140. Victor Konder. Blumenau – SC
Telefone: (47) 33210938
Email: clavarda@furb.br

RESUMO
O objetivo deste artigo é descrever o perfil bibliométrico dos artigos publicados sobre o tema
orçamento nos Congressos USP de Controladoria e Contabilidade, ENANPAD, Congresso
ANPCONT e Congresso Brasileiro de Custos, no período de 2005 a 2009. A metodologia
utilizada na pesquisa configura–se como descritiva, conduzido através de levantamento
bibliográfico com abordagem bibliométrica e análise de dados quantitativa. Conclui-se que
houve aumento de 106% nos artigos relacionados ao tema no período analisado de 2005 a
2009, sendo que o Congresso Brasileiro de Custos apresentou 61 artigos publicados nessa
área do total de 116 analisados; somente o ano de 2009 apresentou um percentual de 30% de
publicações relacionadas ao tema no período. A publicação relacionada à temática do
orçamento privado destacou-se com 68 artigos publicados no período. Quanto à quantidade de
autores por obras, a maior parte dos artigos foi elaborada por 2 autores, sendo que 66% são do
gênero masculino. Analisando a distribuição geográfica dos autores, a região Sudeste se
destaca com 50% de autoria dos artigos publicados. As referências bibliográficas que se
destacam são de origem nacional, onde há uma grande predominância de livros utilizados
como referência nos artigos publicados, apresentando 50,5%, seguindo de periódicos 35,42%;
observou-se que 55% das referências utilizadas são obras cuja edição está entre os anos de
2001 a 2010.
Palavras-Chave: Orçamento. Congressos. Bibliometria.

resumem-se em: livros. aborda a metodologia utilizada para o desenvolvimento da pesquisa e. Neste contexto. Schlindwein e Pasqual (2007). a ferramenta de gestão mais utilizada nas organizações e sua relevância tem alimentado esforços de investigação significativos na publicação internacional. no período de 2005 a 2009. c) quantidade de autores por obra.2 1 INTRODUÇÃO A produção do conhecimento não é um processo que pode ser verificado isoladamente. execução e controle orçamentário. e) distribuição geográfica dos autores. b) divisão por área temática. anais. (2004). espera-se contribuir com o aumento do conhecimento na área. Já. g) tipo de referências bibliográficas. sem ela. os meios formais. Sakata e Carastan (1999). f) origem das referências. iniciando com a introdução. pois é uma construção coletiva da comunidade científica. Ao final. ENANPAD. conforme identificado no exame da literatura. é feita a descrição e a análise dos dados. Na área de conhecimento de Ciências Contábeis. Theóphilo e Iudícibus (2005). que resultou em 116 artigos para a análise. A pesquisa justifica-se tendo em vista a ausência de um estudo sobre os artigos publicados nos congressos brasileiros. observa-se o levantamento de estudos sobre a produção científica em Riccio. apresentam-se as considerações finais do estudo. no título. atas de congressos. relatórios. Martins e Silva (2005). complementando ou contestando contribuições anteriormente dadas ao estudo do tema. enfatizando o orçamento nas organizações. d) gênero dos autores. Cardoso et al. Silva. Por outro lado. . De acordo com Theóphilo e Iudícibus (2005) vem crescendo constantemente a produção científica em contabilidade nos últimos anos. apresenta a fundamentação teórica do estudo. Após. Davilla e Woutersb (2005) afirmam que o orçamento é provavelmente. os estudos bibliométricos e a apresentação de pesquisas anteriores identificadas sobre o tema. A pesquisa classifica-se como descritiva conduzida através de levantamento bibliográfico e abordagem quantitativa. O objetivo deste artigo é descrever o perfil bibliométrico dos artigos publicados sobre o tema orçamento nos Congressos USP de Controladoria e Contabilidade. Leite Filho (2006). busca identificar os trabalhos que contemplam: a) quantidade de trabalhos aprovados nos Congressos. Cardoso. Oliveira (2002) afirma a comunicação é um elemento indispensável para a atividade científica. Como objetivos específicos. Pinto e Filho (2009) Callado e Almeida (2005). Corroborando com esse pensamento temos Martins (2002) também alegando que os estudos sobre produção científica aumentam cada vez mais no Brasil. Congresso ANPCONT e Congresso Brasileiro de Custos. entre outros. periódicos. incentivando a realização de novas pesquisas sobre os diferentes aspectos organizacionais envolvidos ao redor do planejamento. Em seguida. O presente artigo está estruturado em cinco seções. não existiria ciência e não se poderiam somar os esforços individuais dos membros das comunidades científicas. Assim. a partir dos trabalhos selecionados. O levantamento de dados teve como direcionador a seleção de artigos que apresentem o termo orçamento. Pereira e Guerreiro (2004). teses. Entretanto. Beuren. (2008) realizaram um estudo sobre a temática orçamento nas teses e dissertações dos Programas de Pós-graduação strico sensu em Ciências Contábeis no Brasil e verificaram que o tema é pouco investigado entre a produção científica destes programas. no resumo ou nas palavraschave. uma vez que. pelos quais se processa a comunicação científica. somente Leite et al. dissertações. no qual cada nova investigação se insere.

. Por meio dela. pois estabelece um compromisso entre gestores e a estratégia deliberada pelas organizações Portanto. A Lei de Lotka. tais como Atkinson et al. controlado e monitorado com eficácia. na Contabilidade Gerencial. 2. comunicações a congressos e literatura não comercial tinham sido produzidos tentando criticar. as publicações em uma data precisa. deve detalhar as aquisições e o uso de recursos financeiros ou de outra natureza durante o período a ser orçado. Urbizagástegui (2002) comenta que desde 1926 até dezembro de 2000. Para Frezatti (2008). orientado por objetivos. Por meios bibliométricos. o orçamento possui enorme relevância. foi objeto de ampla produção científica. Segundo Abernethy e Brownell (1999). Datar e Foster (2004). quando elaborado de forma participativa e responsável. 1974). após a sua divulgação. Horngren.3 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 2. bem como suas aplicações em tempos recentes (ARAÚJO. Frezatti (2008). para auxiliar no processo decisório e implementar a estratégia. O desenvolvimento da bibliometria está centrado em três leis principais: A lei de produtividade científica de autores de Lotka. e analisar os processos de geração. revistas. Hansen. 2008). publicações por um autor ou por uma instituição ou difundidos por um periódico científico. por exemplo. e se fundamenta na premissa básica de que “alguns pesquisadores publicam muito e muitos publicam pouco” (VOOS. entre outros objetivos (KOBASHI e SANTOS. propagação e uso da literatura científica. o orçamento é a expressão quantitativa de um plano para períodos futuros. a literatura vem demonstrando que o orçamento tem sido utilizado para controlar o uso dos recursos disponíveis. pode-se pretender conhecer todos os autores que trabalharam em determinado assunto. identificar a quantidade de trabalhos sobre um determinado assunto. a lei de dispersão de periódicos de Bradford e a lei de freqüência de palavras de Zipf. procura-se agrupar e caracterizar dados para comparar e confrontar os elementos das referências bibliográficas de documentos que representem as publicações. o orçamento compreende um instrumento indispensável de planejamento e controle das metas. capítulos de livros. 2006). (2000). replicar e/ou reformular esta lei bibliométrica. Segundo Saes (2000).2 Bibliometria Kobashi e Santos (2008) apresentam que a bibliometria é uma metodologia de avaliação de trabalhos científicos que apresentam as mesmas particularidades. para avaliar o desempenho de suas atividades. A verificação e análise dos indicadores bibliométricos permite quantificar a produção técnica e científica. Também mostram que a elaboração do orçamento pode trazer benefícios para as organizações. crescimento e distribuição da bibliografia científica (livros.1 Orçamento Para vários autores. Garrison e Noreen (2001) completam. os indicadores bibliométricos são empregados para analisar o tamanho. entre artigos. dizendo que o orçamento. Sundem e Stratton (2004). Garrison e Noreen (2001). está relacionada com a produtividade de autores. Para Frezatti (2008) o orçamento compreende um instrumento de grande valia para as organizações. mais de 200 trabalhos. Dessa forma. pode-se. monografias. A lei de Lotka. patentes e outros). sendo comumente utilizado pelos gestores como ferramenta de coordenação e comunicação de planos e estratégias organizacionais. Otley e Van der Stede (2003) ressaltam que o orçamento é a principal ferramenta do sistema de controle de quase todas as entidades. Horngren.

entrevistas estruturadas. na seleção dos 32 trabalhos específicos de custos. setor público (13%) e Agrícola (10%) são as três áreas empresariais mais pesquisadas. Do total de trabalhos analisados. embora a contabilidade financeira represente 18% do total. estão descritos alguns trabalhos que analisaram questões bibliográficas. onde foi analisado um total de 386 textos. A partir daí. que apresentaram 5 trabalhos cada no período em análise. a filiação acadêmica dos autores e o tipo de bibliografia que foi consultada. observação não estruturada) evidenciam o caráter empírico dos artigos (57%). Bancos (28%). uma mesma palavra vai ser usada muitas vezes e as palavras mais usadas indicam o assunto do documento. ou seja. A forma mais utilizada de parceria (53.3 Pesquisas Anteriores A seguir. O estudo inclui todas as dissertações de Mestrado e teses de Doutorado geradas em programas oficiais de Pós-Graduação stricto sensu em contabilidade. embora se apresente grande volume de trabalhos fundamentados apenas em análise de textos (16%) e modelos e aplicações (27%). 50% dos 32. os segmentos da área de custos estudados. Riccio. 2006) 2. seguido pelo Rio de Janeiro com 22%. ficando estável até 1991 e. com o mesmo número de artigos que o núcleo (ARAÚJO. tratam do Sistema ABC e suas aplicações. e 23% é voltado para uma área empresarial específica. 21%. Os resultados revelam que. contagem de palavras em largas amostragens. Zipf formulou o princípio do menor esforço. indica uma tendência a redução. Pernambuco com 19% e Minas Gerais com 9%. pelo contrário. A apresentação de trabalhos de autoria individual correspondeu a somente 21. Foram pesquisados os temas abordados. As instituições líderes em produção são a UFRJ e a UFPE. que existe uma economia do uso de palavras nos textos e desta forma elas não vão se dispersar.9% dos trabalhos de custos apresentados. as características e a evolução dos textos acadêmicos de contabilidade produzidos nas Universidades Brasileiras entre 1962 e 1999. e de 1997 a 1999 reduziu-se para 13%. 77%. O estudo consistiu na revisão de 170 trabalhos aceitos na temática e. depois. Quanto à área empresarial. 2006) A Lei de freqüência de palavras de Zipf descreve a relação entre palavras num determinado texto extremamente grande e a ordem de série destas palavras. passando de 40 trabalhos submetidos em 1998.4 A Lei de Bradford está relacionada à dispersão de periódicos sobre um tema específico. mas não esteve acima dos 4%. Sakata e Carastan (1999) analisaram a distribuição. análise de dados e observação. Do total de referências bibliográficas . O Estado de São Paulo publicou 29% de todos os artigos. ou seja. Os métodos de coleta (entrevistas e questionários enviados. A Contabilidade Gerencial é a temática predominante. A educação na contabilidade teve um pico entre 1988 e 1990 e vem caindo progressivamente desde então. mas muito produtivos. sem testes empíricos. pode-se distinguir um núcleo pequeno de periódicos mais proximamente ligados ao tema. desde então. para 191 trabalhos submetidos em 2003. a maioria foi produzida entre 1985 e 1990. Os resultados evidenciaram um crescimento quantitativo da temática de contabilidade. (ARAÚJO. fazendo levantamentos da produção científica na área de contabilidade. e um grupo maior de periódicos e pouco produtivos. análise de textos e aplicação para validação.1%) correspondeu a trabalhos apresentados com dois autores. Cardoso. os métodos de pesquisa adotados. assim ao se classificar os periódicos em ordem decrescente de publicação de artigos sobre um determinado tema. Pereira e Guerreiro (2004) analisaram um perfil da pesquisa em custos no âmbito da temática de contabilidade e controle gerencial do ENANPAD desde a sua inauguração como área autônoma em 1998 até 2003. A Contabilidade internacional vem crescendo desde 1988. entrevistas.

Os resultados também demonstraram que o número de autores com uma única publicação é maior do que o indicado pela literatura. foram identificados 60 artigos como sendo de contabilidade. O terceiro tema mais abordado é o de contabilidade e mercados de capital. que representa 16. seguida da referência a periódicos. os segmentos econômicos pesquisados e a classificação da bibliografia. Cardoso et al. os métodos de coleta de dados utilizados. o que representa 2.44% das citações.4% desse total. O tema contabilidade gerencial. com 18. A FEA/USP apresentou o maior número de artigos com 12. representando 44% do total publicado em todo o país.7% do total e os artigos de contabilidade pública representam 8. Martins e Silva (2005) levantaram e analisaram a plataforma teórica utilizada pelos autores dos textos aprovados e divulgados nos terceiro e quarto Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. a área temática de cada artigo. Ao se investigar a bibliografia utilizada nos artigos. cada um com 5 artigos.037 artigos publicados nas revistas no período pesquisado. a sua localização geográfica. os pesquisadores responsáveis pelas publicações. juntamente com contabilidade de custos e orçamento. apresenta-se em destaque a referência a livros. Callado e Almeida (2005) pretenderam dar uma contribuição analítica sobre o perfil da produção acadêmica no âmbito do Congresso Brasileiro de Custos. envolvendo 3. as instituições por eles representadas.5 citadas.95% do total.3% da produção analisada. Aparece em segundo lugar a região Sul. no site do Congresso. que.3% (17 artigos) são explicativos. Quanto à abordagem 41. realizados em 2003 e 2004. 18.3% (11 artigos) são exploratórios. nas revistas nacionais classificadas com conceito A pela CAPES.34% das publicações. Concluíram que as bibliografias dos artigos revelam uma postura conservadora onde os autores dos trabalhos concentram suas referências particularmente em livros que . a quantidade de trabalhos publicados foi sempre crescente.45% dos 58 artigos publicados referem-se aos modelos de mensuração e gestão de custos no setor primário. Analisaram 58 trabalhos publicados e apresentaram o histórico de publicações. A UFRPE obteve 10. Foi ainda observado que os dados dos artigos apresentados foram coletados através de pesquisas bibliográficas em 55% dos casos e em 33% das pesquisas foi utilizada a pesquisa de campo. compreendendo desde o primeiro evento realizado em 1994 até o décimo. Do total de 2. com 23% das publicações. e a região Nordeste em terceiro lugar. realizado em 2003.7% (25 artigos) são descritivos.795 referências.02% do total. Entre 1994 e 1999. A região Sudeste possui a maior produção acadêmica. registradas e categorizadas as referências bibliográficas de 221 textos. conclui-se que os livros aparecem em maior quantidade representando 57. com 20% dos artigos apresentados. com 21 e 20 respectivamente.7% (4 artigos) e causal 5% (3 artigos). Foram levantadas. com 8 e 9 artigos respectivamente. com média de 17 referências por texto. Os trabalhos de forma individual se encontram um pouco abaixo daqueles feitos através de parceria e dentre os pesquisadores se sobressaem os professores Antônio André Cunha Callado da UFRPE e Francisco Isidoro Pereira da UFRR.3% do total. 28. iniciando com um trabalho somente e chegando até 12 trabalhos por ano. a temática e a produtividade dos autores das publicações científicas em contabilidade no período de 1990 a 2003. enquanto artigos publicados em periódicos representaram 14. tendo como grandes pontos de produção os anos de 1997 e 2001. correspondem a 53. A análise por periódico revela que a RAE e a RAUSP são as duas revistas com o maior número de artigos publicados. teórico 6. as características metodológicas. O número médio de publicações de contabilidade é de 4. com 64.3 artigos por ano. (2004) fizeram uma análise da distribuição. O Estado de São Paulo destacase em primeiro lugar com mais artigos publicados.8%.07% do total das publicações da área. a evolução. 53.

Foram pesquisados dois anais de congresso. que é publicada pela USP. sendo que os 1. na média. 10% do total. 1. observou-se que 74. Na Revista de Contabilidade e Finanças. respectivamente.8%. aproximadamente 1.567 livros nacionais referenciados. igualmente para cada área temática. Tributário. De um total de 1. corresponderam a 26. Tal situação foi também verificada no Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. juntos.6 representam 52% do total. as abordagens da controladoria estudados.46%. 9. No Enanpad as áreas temáticas Gestão Organizacional e Governança Corporativa foram os principais temas tratados com 36% e 29%. Controle Gerencial e Funções do Controller obtiveram um percentual de 7%. cada obra foi citada. a produtividade científica dos autores em anais de congressos e periódicos na área de Contabilidade no Brasil. Capital Intelectual. representando 1. ignoram publicações de anais de congressos que representam apenas 3% do total e.69%. Para o 4o Congresso os resultados são próximos: média de 8. traçaram um perfil da pesquisa em controladoria nos trabalhos publicados em anais do EnANPAD e do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. Leite Filho (2006) analisou sob o ponto de vista da teoria bibliométrica.3% do total da produção acadêmica nos referidos anais de congressos e periódicos. em média. onde 30. a maioria da produção veiculada na área (39. os métodos de pesquisas adotados. as áreas de Avaliação de Desempenho. em média cada obra foi citada.92% do total dos trabalhos selecionados e analisados. sendo que os 936 registros de livros foram obtidos a partir de 636 obras.4% dos autores neste veículo está relacionada com instituições que participaram com um por cento ou menos do total da autoria.7% são de autores da própria instituição. mais da metade declararam vinculação acadêmica com a USP. para as obras sobre Teoria da Contabilidade de Sérgio de Iudícibus e dos autores Hendricksen e Breda. respectivamente. No Congresso USP de Controladoria e Contabilidade 38. no período de 2001 a 2006. percentual este maior do que se comparado com os demais veículos de publicação investigados. referenciam citações vindas de endereços eletrônicos. se comparada aos demais veículos estudados. Resultado que também causou preocupação foi quanto a baixa proporção de consulta a dissertações (3%) e teses (3%).041 registros de livros foram obtidos a partir de 686 obras.5 vezes. com 32. aproximadamente. Foram categorizados 15 autores que. As duas áreas temáticas menos pesquisadas foram Capital Intelectual e Tributário com apenas 1 trabalho em cada área. evidenciando uma extraordinária diversidade de livros consultados.7 livros por texto. ocasionalmente. em média. indícios de uma distribuição mais homogênea na autoria. a filiação dos pesquisadores e a bibliografia consultada e referenciada nos 439 trabalhos encontrados. Beuren. Revista Contabilidade e Finanças de 1989 a 2004 e UnB Contábil de 1998 a 2004.5%) referiuse a trabalhos de um autor. Schlindwein e Pasqual (2007). ENANPAD (Área: CCG-Contabilidade e Controle Gerencial) de 1997 a 2004 e o Congresso USP de Controladoria e Contabilidade do período 2001 a 2004 e dois periódicos. Verificou-se uma predominância de autores do sexo masculino com uma média geral de participação de 70. Observou-se no congresso EnAnpad. No 3o Congresso USP os autores referenciaram. Quanto ao perfil dos autores.5% da produção são de autores vinculados à USP e no periódico UnB Contábil. obtiveram-se 24 e 41 menções. O artigo demonstrou os temas abordados. isto é. 43. em seguinda. Destes autores.3 livros nacionais e internacionais por texto. trataram da temática Controle Gerencial. foi Gestão Organizacional. Em seguida. raramente consultam periódicos que representam 24% do total.2% das publicações são de autores com alguma vinculação com a UnB. revelando que. .5 vezes. verificou-se que. 34.

Leite et al. onde se buscou categorizar a análise da bibliografia referenciada nos artigos publicados. Silva. No Congresso USP de Controladoria e Contabilidade os resultados demonstram que a USP aprovou 16 dos 52 trabalhos sobre controladoria nos seis anos de Congresso. Os resultados revelam que o tema orçamento é pouco investigado entre a produção científica mais expressiva em instituições de ensino superior. Quanto às teses. A análise foi feita a partir do ano da primeira publicação do periódico até o ano de 2006. Para avaliação foram incluidos artigos publicados em revistas especializadas. Revista Universo Contábil. O Estado do Rio de Janeiro aparece em sexto lugar com um percentual de 3. Revista Contabilidade & Finanças. a maioria dos trabalhos são realizados por dois autores (36. Como resultado final constataram que 55.27% da produção científica. Theóphilo e Iudícibus (2005) desenvolveram uma crítica de natureza epistemológica com foco na produção científica em Contabilidade no Brasil no período de 1994 a 2003. as outras 11 tratam de orçamento público. o que demonstra a preocupação ou necessidade de as universidades constatarem como as empresas fazem o orçamento na prática. Contudo. das 112 encontradas. sendo que 16 enfocam especificamente o orçamento empresarial. ambos com 21%. mais precisamente voltado a casos únicos. apenas 27 dissertações abordam o tema orçamento. Revista Contemporânea de Contabilidade. com um percentual de 5. a concentração de trabalhos aprovados de Controladoria ainda é maior no Estado de São Paulo. No EnANPAD a maioria dos trabalhos possui um ou três autores por artigo (36% em ambos). A pesquisa foi dividida por periódicos. o que revela a existência de um amplo espaço para pesquisas sobre Controladoria no Brasil.62% e os Estados do Rio Grande do Sul. No Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. em terceiro lugar. apenas 1 aborda o orçamento na área pública. Revista Base – Unisinos. Pinto e Filho (2009) selecionaram artigos publicados onde constavam o termo controladoria em 17 periódicos editados nos Programas de Mestrado em Ciências Contábeis recomendados pela CAPES.62% do total de trabalhos aprovados. EnANPAD e Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. sendo a amostra composta por 8 programas que disponibilizam o acesso aos periódicos por meio eletrônico. estava a UNISINOS em primeiro lugar com 21% do total. Verificou-se que.77%.4% das referências utilizadas nos artigos pesquisados são de origem internacional e 45% de origem nacional. Ao analisar ainda os tipos de bibliografias utilizadas pelos autores nos trabalhos aprovados em ambos os eventos.85%. Rio Grande do Norte com 14% e Minas Gerais com 7%. e teses e dissertações defendidas nos programas de pós-graduação stricto sensu.7 Em número de trabalhos de controladoria publicados no EnANPAD. trabalhos dos anais de encontros científicos. No Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. Revista Brasileira de Gestão de Negócios. representando 1. UnB Contábil. seguido pelo Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. do total de 1. verificando as referências analisadas até o ano de 2000 e após o ano de 2000. seguido por Santa Catarina com 9. observou-se que os livros são as referências mais utilizadas (52%). (2008) buscaram contribuir para o conhecimento da produção científica sobre a temática de orçamento nos Programas de Pós-graduação stricto sensu em Ciências Contábeis. o Estado de São Paulo ficou em primeiro lugar. Os programas são: Revista de Contabilidade Vista & Revista. um percentual de 30. BBR – Brazilian Business Review. Brasília e Pernambuco.77% para cada região. A abordagem mais freqüente das pesquisas é o estudo da aplicação dos orçamentos.257 dissertações. Com 34. as teses e dissertações nacionais passaram a ser mais referenciadas nos últimos anos (8%).54%). O Estado de São Paulo publicou 37% dos trabalhos aprovados de Controladoria no ENANPAD. .

Pela análise desenvolvida. 9% outras abordagens e 27% prejudicado. metodológica e técnica. onde. correspondendo a 59% do total de trabalhos. 70) afirma que a abordagem quantitativa caracteriza-se pelo emprego de quantificação tanto nas modalidades de coleta de informações. registrá-los. a pesquisa é bibliográfica. Gil (1999) assevera que este tipo de procedimento tem como direcionador a idéia de pautar seu desenvolvimento sobre material bibliográfico já elaborado. O universo pesquisado neste trabalho refere-se aos trabalhos apresentados na área temática Orçamento no Congresso USP de Controladoria e Contabilidade. com emprego de referencial epistemológico próprio e uso da técnica de análise de conteúdo. no título. único periódico nacional avaliado com ‘Conceito A’ na última avaliação. no resumo ou nas palavras-chave do documento. realizada em 2004 e 34 trabalhos do Congresso “Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração – ENANPAD” avaliado com conceito A. generalizada. . EnANPAD. verifica-se que a postura teórica positiva é mais freqüente. que resultou em 116 artigos para a análise. Andrade (2002) destaca que a pesquisa descritiva preocupa-se em observar os fatos. Os dados foram subdivididos por períodos de tempo. De acordo com Cervo e Bervian (1983. 4% empirista. a pesquisa bibliográfica explica um problema a partir da análise de referenciais teóricos publicados em documentos. Com relação aos procedimentos. atingindo 64% do total. 3% fenomenológica hermenêutica. teórica. na concepção de Gil (1999). O período pesquisado foi de 2005 a 2009. p. onde. Quanto à abordagem do problema. 26 artigos do periódico “Revista Contabilidade e Finanças”. Em 68% dos trabalhos amostrados não são feitas referências a estudos anteriores sobre o mesmo tema/assunto abordado. principalmente livros e artigos científicos. os estudos teóricos constituíam maioria. 12% com abordagem sistêmica. representando 75% do total de trabalhos. verifica-se a dificuldade revelada por parte dos trabalhos no emprego dos instrumentais metodológicos.8 Foram analisados 238 trabalhos. classificá-los e interpretá-los. além da constatação. a postura normativa é adotada em 25% dos trabalhos e outros 16% foram excluídos dessa análise. p. Congresso ANPCONT e Congresso Brasileiro de Custos. Os trabalhos foram examinados em vista de dimensões epistemológica. a pesquisa é quantitativa. 45% dos estudos da amostra foram classificados na abordagem positivista. Considerado o período total de tempo analisado (1994-2003). a proporção de trabalhos teórico-empíricos passou a ser maior do que a de estudos teóricos. todos os eventos qualificados pela CAPES como A1 ano base 2007. onde o pesquisador não interfere neles. mas mesmo nessa segunda fase ainda é superior a 50%. Richardson (1999. Já no período de 1999 e 2003. tem como principal objetivo descrever características de determinada população ou fenômeno. O levantamento de dados para esta pesquisa teve como direcionador a seleção de artigos que apresentem o termo orçamento. Os resultados da análise e a discussão crítica desenvolvidas atestam que no intervalo de 1994 a 1998. 3 METODOLOGIA A pesquisa realizada classifica-se quanto aos objetivos como descritiva. Com relação às abordagens metodológicas. 55). Esse percentual diminuiu bastante do primeiro para o segundo subperíodo. quanto no tratamento delas por meio de técnicas estatísticas. analisá-los. sendo 178 teses e dissertações dos programas de pósgraduação stricto sensu em Contabilidade recomendados pela CAPES. da pouca utilização de diversas alternativas metodológicas disponíveis. sendo o primeiro sub-período (1994-1998) e o segundo sub-período de (1999-2003).

Os dados revelam que prevalece a produção dos artigos relacionados ao orçamento privado. Seguindo o EnANPAD que publicou 27 artigos nessa área temática sobre orçamento. distribuição geográfica. orçamento privado e orçamento em organizações com ambas as características (público/privado). Custos 61 53% EnANPAD 27 23% Congresso USP 24 21% 116 100% TOTAL GERAL Fonte: dados da pesquisa Conforme pode ser observado na tabela 1. anualmente EVENTOS ANPCONT Congresso Bras. o Congresso Brasileiro de Custos apresenta o maior índice de publicações relacionadas ao tema orçamento. relacionados ao tema orçamento e que contemplam a análise dessa pesquisa. d) gêneros dos autores.Artigos aprovados nos Congressos no período de 2005 a 2009 EVENTOS PUBLICAÇÃO % ANPCONT 4 3% Congresso Bras. f) origem das referências. Congresso USP no período de 2005 a 2009. b) divisão por área temática. Custos ENANPAD Congresso USP TOTAL GERAL TOTAL EM % 2005 2006 2007 6 5 6 17 15% 10 15 6 5 26 22% 4 14 12% 2008 2 16 5 1 24 21% 2009 2 14 11 8 35 30% Fonte: dados da pesquisa Os dados da tabela 3 demonstram a produção científica relacionada às áreas temáticas: orçamento público. Tabela 2 – Quantidade de artigos publicados. Tabela 1 . 4 APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS A apresentação e análise dos dados é descrita da seguinte forma: a) quantidade de trabalhos aprovados nos Congressos. A tabela 1 apresenta a quantidade de artigos publicados no Congresso ANPCONT. análise das referências utilizadas. gênero dos autores. Congresso Brasileiro de Custos. com 61 artigos publicados. ENANPAD. número de autores por publicações. 24 trabalhos publicados no Congresso USP e apenas 4 trabalhos publicados no Congresso ANPCONT. .9 Os resultados evidenciam a temática dos artigos. Percebe-se que houve um crescimento de 106% nas publicações relacionadas ao tema orçamento. quanto à origem e tipo. g) tipo de referências h) referências encontradas por períodos por ano de publicação. c) quantidade de autores por obra. onde o ano de 2009 apresentou 30% de artigos publicados no período. Observa-se que o Congresso ANPCONT teve seu início apenas no ano de 2007. e) distribuição geográfica dos autores. A tabela 2 apresenta a quantidade de artigos publicados nos Congressos dos anos de 2005 a 2009.

Cabe destacar que no Congresso Brasileiro de Custos. ou seja. Custos EnANPAD Congresso USP TOTAL GERAL ORÇAMENTO PÚBLICO 3 19 14 8 44 ORÇAMENTO PRIVADO 1 41 13 13 68 PÚBLICO/PRIVADO 1 3 4 Fonte: dados da pesquisa Do total de artigos encontrados.93% estão relacionados a orçamento público e apenas 3. Bras. Custos 46 EnANPAD 50 Congresso USP 222 TOTAL GERAL TOTAL EM % 66% Fonte: dados da pesquisa Feminino 78 18 18 114 34% Com relação ao gênero dos autores. que contempla a maior quantidade de artigos publicados sobre orçamento público. que apresenta 61 trabalhos. apenas 9 são os artigos produzidos por um autor e os outros 107 artigos são produzidos em co-autoria. em relação ao tema analisado. Outro destaque é a apresentação dos dados do Congresso ANPCONT. onde todos os autores são do sexo masculino. sendo que 36.21% envolvem dois autores.62% são relacionados a orçamento privado. . Já o Congresso Brasileiro de Custos. predomina artigos relacionados à área temática orçamento privado.Quantidade de autores por obra EVENTO ANPCONT Congresso Bras. Tabela 5 .Custos ENANPAD Congresso USP TOTAL GERAL 1 Autor 4 4 1 9 2 Autores 2 15 15 10 42 3 Autores 1 22 2 5 30 Mais de 3 Autores 1 20 6 8 35 Fonte: dados da pesquisa O resultado relacionado ao número de autores por artigo publicado nos Congressos analisados demonstra que dentre os 116 artigos analisados. Tabela 4 .45% contemplam aplicações mistas (público e privado). EnANPAD e Congresso USP.10 Tabela 3 . verifica-se destaque no Congresso Brasileiro de Custos e EnANPAD. Com relação à área temática. 37. é produzido por três autores. a tabela 5 revela que em todos os congressos prevalece a produção científica por autores masculinos. 58. 66% são homens e 34% são mulheres. Entre os 336 autores.Gênero dos autores nos Congressos EVENTOS Masculino 11 ANPCONT 115 Cong. o maior número de artigos sobre o tema orçamento.Divisão por área temática EVENTOS ANPCONT Congresso Bras. 36 %.

magazines e jornais nacionais e internacionais. apresentam-se as fontes de referências utilizadas pelos artigos analisados nos congressos. assim uma obra traduzida ao português foi considerada de origem nacional. especificando as fontes encontradas. com 50%. Os dados ilustrados na tabela 7 mostram que entre as 2. Bras.11 Tabela 6 . a maior parte são obras de origem nacional.Origem das referências nos Congressos EVENTO Nacional 63 ANPCONT 1. A região Norte. regulamentos. e que a categoria de leis inclui os decretos. Custos EnANPAD Congresso USP TOTAL GERAL DVD/CD's Dissertações 1 3 31 1 16 9 2 59 Fonte: dados da pesquisa Tipo de Referências Livros Leis Monografias Periódicos 43 2 22 734 50 2 316 332 16 1 430 254 30 2 188 1363 98 5 956 Sites 6 92 41 28 167 Teses 27 13 9 49 . Custos 399 EnANPAD 331 Congresso USP TOTAL GERAL 1. Custos EnANPAD Congresso USP TOTAL GERAL TOTAL EM % Fonte: dados da pesquisa A tabela 6 mostra que a região Sudeste apresenta o maior número de autores participantes nos Congressos.. sites e outros. 2%. representada apenas pelos estados do Amazonas e Rondônia.878 Fonte: dados da pesquisa % 3% 58% 21% 18% 100% Internacional 14 167 451 189 821 % 2% 20% 55% 23% 100% O critério para classificação das referências nacionais ou internacionais considerou o fato de estar escrito em língua portuguesa ou língua estrangeira. apresenta o menor número de autores. com 32% dos autores. Esse resultado evidencia o baixo emprego da literatura em língua estrangeira nos trabalhos produzidos. Tabela 8 – Referências encontradas nos Congressos EVENTOS ANPCONT Cong. com destaque a Bahia (5%). Importante ressaltar que a categoria de periódicos contempla os anais nacionais e internacionais. destacando-se o Estado de São Paulo com 23%. A região Nordeste apresenta 11% dos autores. periódicos. entre elas livros. instruções normativas entre outros. Tabela 7 .085 Cong. Porém. A seguir. O Centro-Oeste apresenta 5% dos autores. o estado do Paraná apresentou o maior número de autores (17%). Bras.Distribuição geográfica dos autores nos congressos Sul Sudeste Centro-Oeste Norte Nordeste PR RS SC ES MG RJ SP MS MT DF AM RO CE SE BA PB PE 3 2 3 2 1 41 10 22 2 35 18 34 1 2 3 2 3 2 16 2 3 9 4 7 8 24 3 4 . normas.2 12 8 3 2 2 20 2 5 2 4 8 58 20 30 12 46 31 78 3 2 11 2 4 3 2 18 8 8 17% 6% 9% 4% 14% 9% 23% 1% 1% 3% 1% 1% 1% 1% 5% 2% 2% EVENTOS ANPCONT Congresso Bras. cabe ressaltar que no congresso EnANPAD a literatura internacional é mais freqüente e ultrapassa o volume de referências em língua portuguesa. constando apenas 30% de referências internacionais.699 (duas mil seiscentos e noventa e nove) referências utilizadas nos Congressos analisados. Entre os estados da Região Sul. revistas. com destaque para o Distrito Federal (3%).

49 teses de doutorado.93 % são sobre orçamento público. 5 CONCLUSÕES O presente trabalho teve como objetivo traçar um perfil dos artigos nos Congressos USP de Controladoria e Contabilidade. o total de referências que é de 1.495 equivale a 55% do total.699 (duas mil seiscentos e noventa e nove) referências utilizadas nos Congressos analisados. a maior parte são obras em língua portuguesa. conclui-se que entre as 2. 59 dissertações de mestrado. resumo e palavras-chave. quanto ao gênero. de 336 autores. Entre os 116 artigos. Ao se investigar as referências utilizadas nos artigos. Nesta faixa temporal. 66% são homens e apenas 34% são mulheres.5%) foram oriundas de livros e 956 referências de periódicos e anais. destaca-se que 1. Percebeu-se que a região Sudeste apresenta o maior número de autores participantes nos Congressos com 50%. 5 monografias de lato sensu e 2 DVD/CD´s. Somando-se os demais autores de outras regiões tem-se 7%.699. e 5% estão entre os períodos de 1911 a 1980. No total de 2. Martins e Silva (2005) também verificaram uma maior utilização de livros por pesquisadores nos trabalhos que desenvolveram. Em seguida. . outras 31% das referências estão entre o período de 1991 a 2000. Schlindwein e Pasqual (2007). representando 52. 61 artigos foram aprovados no Congresso Brasileiro de Custos. 8% entre o período de 1981 a 1990.699 (duas mil seiscentas e noventa e nove) referências utilizadas nos Congressos.62 %. 107 são produzidos em co-autoria e a colaboração entre dois autores (36. verifica-se a quantidade de 167 sítios da internet. representando 58. Entre as 2. EnANPAD. assim como se observa em Leite Filho (2006). dos artigos publicados nos Congressos analisados no período de 2005 à 2009. constando apenas 30% de referências internacionais. Tabela 9 – Total de referências encontradas nos Congressos por ano de publicação Período 1911 a 1920 1931 a 1940 1941 a 1950 1951 a 1960 1961 a 1970 1971 a 1980 1981 a 1990 1991 a 2000 2001 a 2010 Livro 6 15 47 104 499 692 Periódico 1 1 6 52 107 272 517 Site 2 165 Tese 1 3 9 39 DVD 2 Monografia Dissertação 2 8 5 46 Lei 2 1 0 0 16 2 1 47 29 Total 2 2 0 7 37 102 217 837 1495 Fonte: dados da pesquisa A tabela 9 apresenta o total de referências por ano de publicação. Os dados da pesquisa revelam que no período analisado foram encontrados 116 trabalhos publicados.21%) a forma mais freqüente de autoria entre os trabalhos encontrados. os resultados revelam que em todos os congressos prevalece a produção científica por autores do sexo masculino. da mesma forma que Beuren. corroborando com os dados apresentados nessa pesquisa. no período de 2005 a 2009.6% do total. a região Sul com 32% e a região Nordeste apresenta 11% dos autores. observou-se que a maior parte são obras cuja edição está entre os anos de 2001 a 2010. Os resultados apresentados caracterizam o perfil dos artigos cuja palavra orçamento aparece no título.12 A tabela 8 apresenta as referências bibliográficas utilizadas nos artigos nos anos de 2005 a 2009.363 referências (50. 98 leis. Houve predominância de artigos publicados na área temática de orçamento privado. Congresso ANPCONT e Congresso Brasileiro de Custos. já 37. sendo que a maioria deles.

Orçamento empresarial: planejamento e controle gerencial. 18.org/index.. CALLADO. n. 1999 ARAÚJO. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO (EnANPAD). n.C. Managing budget emphasis through the explicit designof conditional budgetary slack. A. GUERREIRO.. como os autores das referências mais utilizadas. L. ANDRADE. 5. 643 p. bem como comparar outros congressos nacionais e internacionais. Curitiba/PR. v. 22-37. M. 2005. 1.. achados e conclusões não podem ser generalizados.. contudo. n. D. Organizations and Society v. v. DLCH/UFPE. São Paulo... C. De acordo com Martins e Silva (2005) as análises evidenciaram que os autores dos trabalhos publicados demonstram-se conservadores quanto à construção de seus referenciais bibliográficos. jun. Como sugestão para pesquisas futuras. DVD’s/CD’s. DAVILA. São Paulo: Atlas. 2010.13 Há uma enorme predominância de livros. São Paulo: Atlas. Margaret. FREZATTI. L. Como preparar trabalhos para cursos de pósgraduação: noções práticas. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil. 11-32. Ray H. Anais. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Disponível em <http://www. R. Peter. Rio de Janeiro. E. SAKATA. 2004. L. L. ed. PEREIRA. os sites. A. R.. O. p. ABERNETHY. 1. 12. SCHLINDWEIN. 189-204. vale lembrar que as suas evidências. 9ª ed. 1983. A produção acadêmica em custos no âmbito do EnANPAD: uma análise de 1998 até 2003. Metodologia científica: para uso dos estudantes universitários.revistas. set/dez.. p. 2004. 2007.. Abordagem de controladoria em trabalhos publicados no EnANPAD e no Congresso USP de Controladoria e Contabilidade de 2001 a 2006. 2001. MENDONÇA NETO. 1-20. CARDOSO. GARRISON. ANPAD. I. M. NOREEN. Revista de Contabilidade e Finanças. M. A. PASQUAL. Fábio. REFERÊNCIAS ATKINSON. Accounting. v. teses e leis. em seguida. 45. G. 30 (2005). A. p. C. WOUTERSB. T. R. RICCIO. p. 2006. 587–608. L. Perfil dos artigos sobre custos no agronegócio publicados nos anais do CONGRESSO BRASILEIRO DE CUSTOS. C. 5. 2002. M. Anthony A. et al.php/ revistaemquestao/article/view/3707>.. 2008. 2000. The role of budgets in organizations facing strategic change: an exploratory study. P. ou até mesmo ampliar a amostra para revistas nacionais e internacionais no âmbito da contabilidade. Rio de Janeiro: LTC. Em Questão. 2004. Accounting... ALMEIDA. BERVIAN. L. Custos e Agronegócio On-line. BEUREN.univerciencia. ed. Eric W. Acessado em 10 fev. indica-se aplicar outros parâmetros bibliométricos. Revista de Administração de Empresas. A. Pesquisa científica em contabilidade entre 1990 e 2003. mas devem ser entendidos como tendências indicativas da evolução dos congressos pesquisados. v. os periódicos passaram a ser mais referenciados pelos autores dos trabalhos nos últimos anos. Tendo em vista as limitações do universo pesquisado e metodologia deste trabalho. dissertações.. R. C. 4. CERVO. A. São Paulo: Atlas. 24. . 1. Contabilidade gerencial. CARDOSO. BROWNELL. Contabilidade gerencial.. Maria Margarida de. Organizations and Society.

5. PINTO. n. 22. Padrões de produtividade de autores em periódicos e congressos na área de contabilidade no Brasil: um estudo bibliométrico. 2005. 68-86. J. Journal of Management Accounting Research. SILVA. v. São Paulo. A. 29. Faculdade de Saúde Pública Universidade de São Paulo..G. n. São Paulo. 1978. São Paulo. Stephen C. OTLEY. São Paulo. THEOPHILO. Anais. HANSEN. Orçamento empresarial: levantamento da produção científica no período de 1995 a 2006. p. IV.. São Paulo. Florianópolis. SAES.88. et al. 5. Charles T. DATAR. KOBASHI. REY. Plataforma teórica – trabalhos dos 3o e 4o Congressos USP de Controladoria e Contabilidade: um estudo bibliométrico. São Paulo: Prentice Hall. Practice developments in budgeting: an overview and research perspective. E. R. L.. maio/ago 2002. Srikant M. 2006. FEA/USP.. Atuariais e Financeiras. A. São Paulo. G. 3.. Rio Grande do Sul.. R. C. Uma análise crítico-epistemológica da produção científica em Contabilidade no Brasil. J. Dissertação (Mestrado de Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Administração. SILVA. J. M... T. HORNGREN. jan/abr.. 1999. FOSTER. 2009.14 GIL. set. SANTOS. HORNGREN... MARTINS. R. São Paulo. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE. 526 p. G.-dez. Revista de Contabilidade e Finanças. São Paulo. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO (EnANPAD). Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Revista Contabilidade & Finanças . Gary L. RICHARDSON. Caderno de Estudos. C. Accounting research in brazilian universities: 1962-1999.USP.Rio de Janeiro. n 47. 1º sem. Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis. Serviços de Saúde. Brasília/DF. LEITE FILHO. São Paulo: Prentice Hall. ed. Roberto Jarry. 2003. Edgard Blücher Ltda. Charles T. p. 15. 2008. n 1. 30. Anais. Arqueologia do Trabalho Imaterial: uma aplicação bibliométrica à análise de dissertações e teses. v 1.. ANPAD. Pesquisa social: métodos e técnicas. p.. p.. 1999. 2005. OLIVEIRA.. Análise dos Periódicos Brasileiros de Contabilidade. v. 11ª ed. CARASTAN. no Brasil 19891998.. n.. p. David T. Raimundo Nonato Macedo dos. George. 12ª ed.. 2004. S. 560 p. n.. IUDÍCIBUS. São Paulo: Atlas.. Win A. STRATTON. v. 11. set/dez 2002. 2004. Análise bibliométrica dos artigos sobre controladoria publicados em periódicos dos programas de pós-graduação em Ciências Contábeis recomendados pela Capes. ed. R. M. 19. 2005. RICCIO. 6. SUDEM. 2008 LEITE. M. 81 . VAN DER STEDE. esp. C. B. p. S. Antonio Carlos. Como redigir trabalhos científicos. William O. 35-44. Considerações sobre os doze anos do caderno de estudos. Contabilidade de custos.. v. 2006. Métodos e técnicas de pesquisa social. maio/agosto. 56-72. MARTINS. 106-115. A. J. 95-116. SAKATA. A. Revista da Associação Brasileira de Custos. G. São Paulo: FEA/USP. Ed. 2000. Anais. Revista Contabilidade & Finanças – USP. Nair Yumiko. Estudo bibliométrico das publicações em economia da saúde.. Luís. TOLEDO FILHO. 1999. São Paulo: Atlas. 2005. Contabilidade gerencial. In: CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE. .

Journal of the American Society of Information Science. July/Aug. New York. 2.15 URBIZAGÁSTEGUI ALVARADO. v. 1974. . 2002. Ciência da Informação. n. 270-272. Brasília. 14-20. H. VOOS. A lei de Lotka na bibliometria brasileira. maio/ago. Lotka and information science. v. Rubén. p. p. 25. 31.