Prefácio

Amigos, há muito tenho acompanhado a aflição de vocês enquanto estive em comunidades virtuais. Estive esperando o melhor dia para escrever tal tutorial (um que acordasse inspirado), para que saísse o melhor possível. Sinceramente, sinto-me confortável e indicado para fazer tais apontamentos, já que tenho acumulado muitos anos de pesquisa e experiências (sei que muitos de vocês não ficam devendo em nada quanto a isso). Sei também que muitos têm estado contritos e amargurados na carne devido a tal assunto. Não digo que estejam errados, se o tivessem, isso não os aborreceriam tanto, mas é mister que tais coisas aconteçam, para que o Pai seja glorificado, porque o que é carne, vem da carne, e o que é espírito, vem do espírito. Se o mundo os aborrece, é porque não são do mundo, mas antes, Cristo Jesus os escolheram e os enviou ao mundo, através de sua palavra, para que fossem pescadores de homens e ceifassem os escolhidos os que aqui estão. O mundo sabe dar boas coisas aos que são do mundo, mas o mundo já é do príncipe deste mundo, o filho da perdição, e os que são aborrecidos por este mundo só têm recebido o que lhes têm sido permitido pertencer, pelo próprio Deus, porque o desejo do que os enviou é que seja um com Ele, e não um com o mundo. Assim, neste mundo, não haverá felicidade plena para os escolhidos, isto só sucederá quanto voltarem para o que os enviou. Saibam que a hora está avançada, o mundo sofre dores do parto, o qual irá dar à luz ao príncipe deste mundo, o qual é enviado pelo filho da perdição, para selar os que não foram escolhidos por Deus (seus nomes não estão escritos no Livro da Vida), porque antes, tais amaram este mundo mais que à Deus (foram amantes deste mundo), e portanto haverão de ser um com o filho da perdição, assim como os escolhidos haverão de ser um com Deus. Saibam amigos que muitos dos escolhidos, cujas escamas (vendas) nos olhos não foram retiradas, devido a enganação deste mundo, têm se perdido, porque nada deste mundo os dão alegria (porque a estes não fora permitido pertencer nada deste mundo, para serem primícias de Deus), sendo que muitos têm caído em depressão e ceifado a própria vida. E nisso, o filho da perdição têm roubado muitos dos que eram de Deus, porque morreram sem ter conhecido o que os enviou a este mundo (ver parábola das dez virgens em Mateus 25:113). Assim, espero estar ajudando a todos quantos têm sido aborrecidos pela carne quanto ao assunto deste tutorial, para que dêem a César o que é de César, e dêem a Deus o que é de Deus, para que o frutos desses sejam abundante.

Introdução
Muitos de vocês já têm lido a respeito da Biomecânica como ciência. Vejamos o conceito clássico de ciência: A ciência é um conjunto de conhecimentos racionais, certos ou prováveis, obtidos metodicamente, sistematizados e verificáveis, que fazem referência a objetos de uma mesma natureza.
Ander-Egg (1978:15)

Ou seja, na pior das hipóteses, o conjunto de observações feitas por essa ciência foi obtido como prováveis através de verificações ou por raciocínio lógico. Toda matéria possui propriedades características. Assim, quando estudamos o corpo humano temos que ter pelo menos a noção básica de que, como um todo, nosso corpo é constituído por cerca de 70% de água. Sabemos que as forças de interação da água são desprezíveis em relação a outras forças em estudo na Biomecânica. Mesmos os ossos, ligamentos e fáscias musculares (esses serão os tecidos que imporão maior resistência à tração, e consequentemente, ao crescimento corporal) têm um teor considerável de hidratação, sendo que a principal causa da grande resistência desses é devida a proteína de colágeno (a mais abundante do corpo humano) e a matriz extracelular mineralizada, particularmente no caso dos ossos. A biossíntese correta do colágeno é dependente de um cofator, a vitamina C, cuja ingestão como nutriente é imprescindível para a formação e manutenção dos tecidos. O colágeno mal-formado, não funcional, sem a mesma propriedade de resistência, devido a falta de VitC durante sua síntese, não consegue ser degradado pelo organismo, e assim, acumulasse nos tecidos, ocupando lugar do colágeno funcional que poderia ser formado corretamente na presença de VitC. Por isso, com a idade, para pessoas que não ingerem quantidades adequadas de VitC diariamente, a pele cai e os ossos tendem a enfraquecer também (isso não se deve apenas a ingestão ou fixação inadequada de cálcio). Por isso, para a formação e manutenção de ossos saudáveis, a VitC deve estar no rol de nutrientes priorizados diariamente, uma vez que durante o crescimento a demanda desse nutriente estará maior, e também pelo fato de essa vitamina ser hidrossolúvel, sendo o excesso excretado pela urina, ao contrário das vitaminas lipossolúveis (o grupo K E D A ), que podem ser estocadas principalmente pelo fígado para uso posterior, quando houver escassez dessas através da ingestão. Para quem já teve a oportunidade de sentir o peso de uma vértebra, pôde perceber que se trata de um osso extremamente leve e poroso, e, portanto, passível a deformação imposta por cargas humanamente suportáveis, glória a Deus! Mas a resistência do corpo não se deve apenas a força dos fortes , deve-se também a força dos fracos , já que estes são a maioria (já dizia o ditado popular, a união faz a força!). No entanto, estes podem ser deformados por forças relativamente leves, como um alongamento bem feito, que trabalhe os diversos grupos musculares envolvidos na sustentação da coluna, por exemplo. É importante não negligenciar os fracos , pois tenho muito a dizer, por experiência própria, sobre isso. Durante muitos meses fiz um exercício chamado hanging (pendurar-se em barra). Imaginava que me concentrando nele poderia obter meus objetivos, e também porque não tinha muita força dos músculos do braço e antebraço, e concentrando-me nesse exercício poderia fortalecê-los e conseguir progressivamente passar mais e mais tempo pendurado, obtendo resultados cada vez melhores em relação ao crescimento. E de fato isso aconteceu, de quatro sessões de

trinta segundos evolui para seis de setenta segundos, ou três de oitenta segundos. Após cada sessão de hanging, deitava-me, quer seja em rede, quer seja em cama, para descansar as costas e principalmente as mãos , sentia uma ardência nas costas, exatamente sobre os processos espinhosos das vértebras torácicas. Isso me dava a certeza de que algo estava dando certo, muito embora os resultados não aparecessem com o decorrer das semanas e dos meses! Isso foi realmente desalentador para mim, o que me fazia ser um io-io : fazia dois meses, ficava desanimado, dizia agora vai dar certo , mais dois meses, desânimo, parava, voltava... Acho quase impossível infortúnio acontecer com outra pessoa, pois imagino que nenhum outro corpo é tão sedentário quanto o meu, exceto meus membros superiores, que nesse tempo trabalhou muito e evoluiu na mesma proporção. Calma, vou explicar como isso pode acontecer. Sou um estudante, e para fazer jus à tal profissão , estudo muito, ou melhor durmo muito, porque estudo deitado, mais especificamente em uma rede, pois estudar em uma mesa do tipo escritório, como todos que se julgam normais fazem, nunca funcionou comigo, devido a minha personalidade do tipo inquieto (e com tics nas pernas de alta freqüência Hertz, risos). A explicação para tal fenômeno (crescer, mas na prática não crescer isso só me fez acreditar mais ainda na teoria da Relatividade de Einstein) só surgiu através do empirismo, ou seja, da observação do comportamento do meu próprio corpo: observei que nos dias milagrosos que eu fazia cooper, eu ficava mais alto. Curiosos? Não imaginam o tamanho enorme da pulga atrás das minhas orelhas e que, no entanto, não conseguia pegar! Até que um dia, Eureca, eureca , eu só não sai correndo nu pelas ruas, porque assim não estava, e porque nossa cultura é bastante diferente da Grécia antiga. De fato minha coluna havia crescido, no entanto os tecidos moles não, já que negligenciava os alongamentos (a seguir explico o motivo), e esses estavam comprimindo a minha coluna nova coluna crescida contra si mesmo. Isso é bem peculiar para a coluna, já que só nela há discos IV cartilaginosos, cujas alturas variam de acordo com o grau de hidratação... (isso vocês já estão cansados de saber). Agora, o lance foi ter essa sacada, esse estalo. Resumindo, a coluna de uma maneira geral estava crescendo, mas estava também sendo cada vez mais sendo comprimida, já que os tecidos moles estavam limitando o novo comprimento natural da minha coluna. Na verdade, a melhor comparação que podemos fazer entre nossa coluna e um objeto, é entre ela e uma mola. Sabemos o que acontece quanto pegamos uma molinha e a esticamos mais do que ela suporta elasticamente: ela ganha um novo formato esticado e fica toda estranha, desajeitada (estropiada). No entanto, como existem espaços entre cada volta da mola, podemos simplesmente achatar ela em seu sentido longitudinal, tanto quanto ela poderia ser achatada se não tivesse sido estropiada , mesmo tendo um novo comprimento após ter sido estropiada. A força que fazemos para a molinha ficar comprimida é, por comparação, a força que os tecidos moles exercem sobre a coluna em seu novo comprimento. Após um dia ou outro de inspiração atlética, eu voltava a minha vida de sedentário (quem bebe não larga o copo eu não bebo viu, foi só uma brincadeira). As fibras musculares podem ser alongadas sim, no entanto, elas também se encurtam quando são pouco utilizadas (todos sabem o que acontece quando tiramos o gesso de um membro engessado, mal podemos esticar o braço isso se deve ao encurtamento das fibras musculares inativas durante o período de engessamento então temos que seguir os exercícios de alongamento com cautela que o fisioterapeuta nos prescreve). Bem, posso dizer que a minha de estudante na rede torna a minha coluna engessada diariamente, exceto nos períodos que permaneço na faculdade (justamente quando minha altura está cerca de cinco centímetros maior!). No entanto, o tempo que passo em pé ou sentado não é o suficiente grande para se tornar em uma pessoa não sedentária. A minha coluna só expande a tal ponto porque minha coluna já teve estar

suficientemente maior que cinco centímetros e suficientemente maior para faltar espaço para ser comprimida pelos tecidos moles. Ou seja, se eu assumir uma vida com um pouco menos de inatividade (os períodos que permaneço em casa levo uma vida de astronauta!) posso em pouco tempo mostrar a todos minha verdadeira altura (estimo que mais que sete centímetros di que aparento). É daí que vem a sabedoria dos programa de exercícios do John Patharday. Ele sempre foi honesto com todos, em seu livro ele explica que nossos ossos não irão crescer, apenas nossos tecidos moles irão se reorganizar (ele preferiu usar esse verbo porque é fácil de os leigos no assunto entenderem, e por questões de segredo comercial se você ensinar a todos como pescar, quem vai querer comprar o peixe caro na feira? ou seja, vários irão querer fazer um livro sobre o assunto) e os que mais irão crescer serão os que levavam uma vida sedentária ele se refere a isso como sendo o potencial genético. Como se trata de um programa que se propõe reduzir o poder compressivo que os tecidos moles exercem sobre a coluna, então é de se esperar que resultados quase que imediatos sejam obtidos. Ele ainda adverte que para manter a nova altura é necessário que alguns exercícios sejam feitos para manutenção da nova altura. A questão do potencial genético, a que se refere o Patharday, ainda está relacionada ao metabolismo muscular de postura e de equilíbrio de cada pessoa. É fato que, devido a sua carga genética, certas pessoas têm mais facilidade de encurtamento de fibras musculares em uma situação de sedentarismo que outras. Ou seja, imaginemos duas pessoas têm exatamente a mesma altura, têm as mesmas necessidades fisiológicas, dormem o mesmo número de horas e são igualmente sedentárias. Iniciamos o programa do Patharday em ambos e constatamos que um dos dois está mais alto. O que ocorreu? Um dos dois tinha a coluna realmente maior, no entanto, o metabolismo de suas fibras musculares reduzia muito em momentos de sedentarismo, o que levava a um encurtamento maior das fibras e maior carga compressiva sobre a coluna, o que o levava a aparentar ter a mesma altura do outro indivíduo na prática. Assim, esse tipo de programa será muito benéfico para sedentários, no entanto, não irá desenvolver resultados significativos para pessoas que já possuem um espírito mais atlético, porque o que aparentam é tudo mesmo o que têm.

Plano de Ação
1. Fazer alongamentos clássicos para coluna. Exemplos: inclinar-se para frente e tentar encostar os dedos no chão, colocar o tronco para o lado, arqueando os braços para esse lado, colocar o tronco e braços para trás, girar o tronco para esquerda, para direita. Isso leva uns cinco minutos. 2. Tirar os músculos sustentadores da coluna da inatividade. Exemplos: sprint durante quatro minutos ou running durante dez minutos ou para os adeptos do sedentarismo como eu, pular durante quatro minutos sem tirar as pontas dos dedos do chão. Depois de feita uma dessas opções, é preciso exercitar os músculos associados as vértebras cervicais em especial. Para isso, basta colocar a mão lateralmente na cabeça onde está a orelha e forçar a cabeça contra a mão. O mesmo colocando as duas mãos contra a testa e contra a nuca . É fácil sentir por quanto tempo deve-se fazer isso, pois dá para sentir a musculatura fadigando e emitindo respostas nociceptivas (dolorosas) para o SNC. No meu caso em particular, isso leva um pouco mais que um minuto em cada situação dessas. 3. Fazer uma sessão de hanging. O tempo disso é o máximo que suas mãos permitirem. Obviamente, com o passar dos meses estará cada vez mais apto a quebrar seus próprios recordes. Como esse exercício é sempre bem difícil, prefiro imaginar que será a última vez que irei o fazer na vida ou que irei ganhar uma medalha de ouro por isso, rs. Eu sempre aproveito o grande esforço que estou fazendo em se pendurar e aproveito, enquanto estou pendurado, para flexionar as coxas, assim posso esticar as costas e ao mesmo tempo fazer abdominal, por sinal muito importante para quem não quer ficar com lordose, tipo eu. E às vezes, ainda invento de enquanto pendurado, com coxas flexionadas, fico girando a porção abdominal do tronco para esquerda e para direita. Acho muito legal, porque sinto uns estalos, como se as vértebras abdominais estivessem sendo mobilizadas, o que irá ajudar na flexibilidade delas para o crescimento. Oh! 4. Hora de usar o grouthmax (o certo seria growthmax, mas respeito o nome comercial como veio). Eu sou eu, então faço as coisas assumindo meus riscos. Assim, inventei de fazer os quinze minutos de uma vez só e quando a alça que vai para o queixo está bem estabilizada, sem riscos de escorregar em direção ao meu pescoço, ou sair para frente em direção ao meu nariz, eu empurro com os pés o banquinho, sobre o qual estava sentado para frente e fico só com os pés encostados no chão, assim, minha posição é de sentado, mas sob minhas nádegas não há nada. Dessa forma, quase que 100% do meu tronco fica puxando minha cabeça para cima, descontando a normal (vocês que gostam de Física), mas na verdade é 50% (irão entender mais na frente) exercida sobre a planta dos meus pés. Devem estar imaginando como consigo fazer isso, já originalmente o grouthmax foi feito com alças para as mãos puxar o tronco para cima. Coloco uma barra de pesos de academia (aquelas que são cromadas e que por si só pesa uns quatro quilos) passando por dentro nas alças que supostamente usaria para puxar usando as mãos. Daí, quando já estou na posição final para iniciar a tração, a barra está situada na altura dos meus ombros, coloco os cotovelos sobre a barra, e assim, o próprio peso do tronco irá tracionar a coluna. Pensando fisicamente, em uma preparação de polias, observamos que o peso do meu tronco fica dividido em 50% nos cotovelos, 50% na tração cervical, e ainda tem o desconto da normal sob a planta dos pés, que deve ser compensada pelo peso da barra cromada.

5. Completando os quinze minutos, descanso uns cinco minutos até que minha cabeça, em suas porções parietais, temporais e occipitais pare de formigar (a alça do grouthmax que vai para trás da cabeça encaixa-se na sutura parieto-occipital, no meu caso, já que está é em mim pronunciada) comprime vasos cutâneos para o escalpo dessas regiões. Realmente isso é desaconselhado a qualquer pessoa. Eu mesmo estou pensando em dividir esse tempo em duas sessões seguidas de oito minutos. 6. Volto a fazer o passo de número três. 7. Realizo as manobras do primeiro passo e terceiro (somente a parte de fortalecer os músculos de sustentação cervical). 8. Passou-se cerca de uma hora de exercícios. Agora um banho relaxante e uma refeição leve em seguida é o ideal, antes de voltar aos estudos por um tempo e ir para o berço. ZzZzZz 9. Antes de iniciar esses exercícios durante à noite, sempre estou estudando e tenho pensado em adicionar algo novo: estudo, faço hanging, estudo por mais vinte minutos, hanging... Assim, enquanto estudo, minhas mãos estão descansando. É claro que não vou suportar fazer hanging durante as quatro de estudos diário, não conseguiria. Faço só uns seis hanging e depois fico estudando em paz, sem interrupções, até mesmo para mais tarde sobrar um pouquinho de força nas mãos para fazer os passos três e seis. Amigos, espero sinceramente ter contribuído de alguma forma com todos aqueles que estavam sem alguma noção de como é possível crescer depois do impossível e também tranqüilizar os que estavam aflitos quanto ao tema abordado neste tutorial. Com humildade, fé no cara lá de cima e se o que quisermos fazer for justo diante dos homens e de Deus, não haverá motivos para não dar certo.