You are on page 1of 23

MACROECONOMIA I – 1EC204

Licenciatura em Economia – 2012/13

Capítulos 6 e 7 – Restrições orçamentais intertemporais, Consumo e
Investimento
EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 1

ENUNCIADOS

1.
Numa determinada economia, a família representativa tem um horizonte de vida de 2
períodos (presente e futuro) e preferências representadas por U=C10.6·C20.4. No presente,
tem um rendimento de 2000 unidades, e espera que o seu rendimento futuro seja 40%
superior. Sabendo que os impostos vão aumentar de 400 no presente para 910 no futuro,
a família estima que a sua riqueza ascenda a 3400 unidades.

a) Deduza a restrição orçamental da família representativa e calcule a repartição do
rendimento entre consumo e poupança que a família deverá escolher.

b) Suponha que a taxa de juro passa a ser igual a 8%. Nesse caso, qual a nova repartição
óptima do rendimento entre consumo e poupança? Qual o impacto sobre o bem-estar da
família? Quantifique e represente graficamente.

2.
Considere um agente representativo com uma esperança de vida de dois períodos e
preferências descritas pela função de utilidade U = 2·C10,2·C20,8. Os seus rendimentos
esperados no primeiro e no segundo período são iguais a 1300 e a 625 unidades,
respectivamente. Sabe-se ainda que a taxa de juro é igual a 25%.

1

Exercícios adicionais estão disponíveis no seguinte livro (ver bibliografia de 1EC204 2012/13):

Teixeira, Aurora C., Sandra Silva, Ana P. Ribeiro e Vítor Carvalho (2012): Fundamentos Microeconómicos da
Macroeconomia – exercícios resolvidos e propostos, 2ª Edição, Vida Económica.

1

a) Calcule o rendimento permanente do agente, isto é, aquele que lhe permite manter o
mesmo consumo ao longo do tempo que o seu fluxo de rendimentos esperados.

b) O agente pondera manter um nível de consumo constante ao longo do tempo. Será
essa a escolha que maximiza o seu bem-estar? Justifique e represente graficamente.

3.
De acordo com um estudo recente, o agente representativo de uma economia tem as
seguintes características:
- As suas preferências relativamente ao consumo presente e futuro são descritas pela
função de utilidade U (C1 , C 2 ) = C1 0 , 4 ⋅ C 2 0, 6 ;
- Os seus rendimentos, no presente e no futuro, são Y1 = 1600 e Y2 = 2200.
a) Sabendo que a taxa de juro em vigor é igual a 10%, classifique o agente
representativo quanto à sua capacidade ou necessidade de financiamento.

b) Se o Governo fixar uma contribuição para a segurança social de 600, que se reflectirá
num aumento do rendimento futuro igual a 660, como se irá comportar o agente
representativo?

c) Suponha agora que o agente apenas consegue um empréstimo de 400 unidades à taxa
de juro de 10%. Poderá obter financiamento adicional, mas suportando juros de 20%
sobre o montante adicional. Determine, neste contexto, o impacto da política de
segurança social considerada na alínea anterior.

4.
O Rei da Fisherlândia, preocupado com o bem-estar dos habitantes do Reino, resolveu
nomear uma “task force” com a missão de conhecer melhor as suas preferências no que
toca as decisões de consumo intertemporal. De acordo com os resultados do estudo, foi
possível definir um agente representativo na economia do Reino da Fisherlândia com as
seguintes características:

Função utilidade U (C1 , C 2 ) = C10, 4 C 20, 6 , com C1 = consumo ‘hoje’ e C2 = consumo

‘amanhã’;
2

• Rendimento ‘hoje’ (Y1) = 1500 unidades. Suponha ainda que no país A é eleito um governo que se propõe efectuar uma despesa pública por agente de 400 unidades no período 1 e de 315 unidades no período 2. b) Com o objectivo de elevar o bem-estar dos habitantes do Reino. será que o objectivo de elevação do bem-estar dos habitantes do Reino é atingido? Acompanhe a sua resposta de uma representação gráfica comparando devidamente as situações com e sem governo. o Rei decidiu instituir um Governo do Reino. Quantifique a ROI consolidada do 3 . rendimento ‘amanhã’ (Y2) = 2000 unidades. b) Admita que o rating do país melhorou substancialmente originando uma descida da taxa de juro real que incide sobre o estado para 2. um superávite orçamental hoje será preferível a um orçamento equilibrado? 5. do ponto de vista do bem-estar do agente representativo. O agente representativo da economia A tem um horizonte temporal de 2 períodos. responda às seguintes questões: a) Assumindo que não são cobrados impostos no período 1.5%. Os ‘gastos gerais’ do Reino terão o seguinte perfil intertemporal: G1 = 500 e G2 = 1000. b1) Tendo em conta que o Governo do Reino apresenta sempre um orçamento equilibrado. admitindo que não existem receitas nem gastos públicos no Reino.5%.600 unidades. Compromete-se ainda a assegurar um superávite orçamental de 380 no período 2.000 unidades e consome 1. Numa situação sem Estado. calcule qual a taxa de juro real que incide sobre o governo desta economia. ele avalia a sua riqueza em 4. a) Classifique o agente representativo quanto à sua capacidade / necessidade presente de financiamento. Com base nesta informação. • O agente representativo enfrenta uma taxa de juro real r = 5%. O Governo enfrenta uma taxa de juro real de 4. b2) Será que.000 unidades e espera que no período 2 o seu rendimento aumente em 5%. não dispondo de oportunidades de investimento. Este agente dispõe no período 1 de um rendimento de 2.

 Taxa de juro real: r = 5%.  Taxa de depreciação anual: d = 10%. a) Determine a restrição orçamental intertemporal consolidada do sector privado. em resultado dos investimentos enunciados. sendo considerada a existência de três períodos. e o que efectivamente vai deter. O agente representativo de uma dada economia vive 2 períodos (presente e futuro). Os dados seguintes são relativos ao agente representativo de uma dada economia. Diga qual o impacto sobre a riqueza desta nova situação.  Função de produção: Y = 6·K0.sector privado nesta economia. 7.  Rendimentos: Y1 = 1000. b) Qual seria o stock de capital óptimo se a taxa de depreciação aumentasse para 20%? c) E se a taxa de juro aumentasse para 10%? d) Qual o valor da riqueza do agente representativo da economia? 4 . tendo um rendimento de 1100 em cada período. 6. I2 = 40. b) Verifique se este investimento maximizou a riqueza do agente representativo. Y3 = 1000.  Investimentos: I1 = 40. em que a taxa de depreciação do capital é igual a 100%. Perante uma taxa de juro anual de 10%.5. o agente decidiu poupar e investir 900 unidades (no presente). justificando se se verifica o Princípio da Equivalência Ricardiana.  Activos financeiros iniciais: Ω0 = 200. Y2 = 1000. Tem acesso a uma tecnologia de produção dada por F(K) = 44·K0. I3 = 40.5.  Stock de capital físico inicial: K0 = 400. a) Determine o stock de capital que o agente representativo deveria deter em cada período.

A MPV labora actualmente segundo a função produção Y=500K0.e) Escreva a expressão analítica da restrição orçamental intemporal do agente representativo da economia.(K)0. Produções MPV .2 e com um stock de capital de 200. Considere os seguintes dados relativos a um agente considerado representativo de uma dada economia onde não existe sector público: - Herança: 200 - Rendimento: Período 1 = 1000. - Função de produção: Y = 6. Período 2 = 1000. b3) Qual será o valor da riqueza do agente representativo da economia? b4) Qual a expressão analítica da restrição orçamental intemporal do agente representativo da economia? 9. Zé-Kako recebeu de herança o negócio do seu pai. responda às questões que se seguem: a) Qual será o nível de K até ao qual os investimentos efectuados pelo agente representativo da economia são produtivos se a taxa de depreciação for de 20%? De que forma alteraria a sua resposta caso a taxa de depreciação fosse 10%? b) Considerando que a taxa de depreciação é efectivamente de 10%: b1) Qual será o stock de capital óptimo do agente representativo da economia em cada período? Represente graficamente. a taxa de depreciação é de 100%. com 5 . Período 2 = 40. Período 3 = 40.5 - Taxa de juro real: 5% Com base nesta informação. Zé-Kako.Migalhas para Pássaros Vermelhos. b2) Será que o stock de capital efectivo em cada período corresponde ao stock de capital óptimo? Justifique. Período 3 = 1000 - Stock de capital herdado: 400 - Investimento: Período 1 = 40. 8.

No país dos Kakos. respectivamente. Por isso vamos permitir o adiamento da cobrança de impostos referentes ao período 1 para o período 2”. espera receber regularmente (todos os períodos) 500 unidades de dividendos de participações que detém em outras empresas e enfrenta uma taxa de juro de 5%. No mercado do trabalho verifica-se uma probabilidade de saída do posto de trabalho (taxa de saída ou de separação) de 2% e uma taxa de desemprego de 11. declarou recentemente ao jornal Públiko: “Sabemos que a indústria de migalhas está a atravessar um período difícil em termos de liquidez. Considere-se a existência de um agente representativo do tipo empregado. em Macroeconomia II. Dado que esta matéria é presentemente leccionada no segundo semestre. Comente esta medida à luz dos seus efeitos sobre o bem-estar de Zé-Kako. Um empregado representativo trabalha 8 horas por período a uma taxa de salário horária de 20 unidades e um desempregado representativo recebe. caracterizado por estar empregue no período 1 e um agente representativo do tipo desempregado. os estudantes de Macroeconomia I devem ignorar esta alínea inicial. ascendam a 400 unidades e que sejam financiadas por 200 e 205 unidades de impostos nos períodos 1 e 2. Calcule: a) O perfil intertemporal de rendimentos brutos esperados (Y1.2 2 Esta alínea foi preparada para um ano lectivo em que se leccionava em Macroeconomia I uma análise dinâmica do mercado de trabalho. 10. Y2) pelo empregado e pelo desempregado. Só-Trokas. caracterizado por estar desempregado no período 1.esperança de vida de 2 períodos. 6 . actualizadas para o período 1. os agentes económicos têm um horizonte temporal de vida de 2 períodos.43%. b) O chefe do governo. Em cada período. O governo estima que as despesas nos dois períodos. devido à concorrência da indústria camaronesa da caldeirada. um subsídio de desemprego de 80 unidades. os agentes económicos auferem apenas rendimentos do trabalho. Tendo em conta a informação acima: a) Determine o montante de Investimento que Zé-Kako realizará no período 1. por período.

7 .N) = 5. no final do período 1. f) Determine a Posição Líquida de Investimento Internacional (PLII). taxa igual à suportada pelo governo. d) Calcule o montante óptimo de investimento per capita. determine o perfil intertemporal de consumo que maximiza a utilidade para o empregado e para o desempregado.2. Sabe-se ainda que o agente representativo empregado não enfrenta restrições ao crédito e que ao agente representativo desempregado o acesso ao crédito está totalmente vedado e que ambos partilham a mesma função utilidade U = C10. (Nota: se não conseguiu resolver a alínea anterior considere Y1 = 160 e Y2 = 158.4. nos próximos 2 períodos despender.Sabe-se ainda que os agentes representativos enfrentam uma taxa de juro real de 10%. c) Qual o perfil intertemporal dos impostos que maximizaria o bem-estar dos agentes representativos do país dos Kakos? Considere agora que existe a possibilidade de realização de investimento produtivo numa empresa cuja função produção per capita é definida por F(K.5.5K0. Sabendo que a taxa de depreciação é de 100% e que o governo mantém o equilíbrio orçamental em ambos os períodos. Avalie os impactos da decisão anterior sobre o bem-estar do agente empregado e do agente desempregado.8C20.4 para o desempregado. per capita. Admitindo que não existe a possibilidade de investimento e que o governo mantém o equilíbrio orçamental em ambos os períodos. O governo do país dos Kakos planeia. e) Admita que todos os agentes decidem investir o valor do stock de capital óptimo. G1 = 60 e G2 = 48. em termos per capita.4 para o empregado e Y1 = 80 e Y2 = 92.) b) Considerando equilíbrio do saldo orçamental primário em ambos os períodos.

a2) Admitindo a ausência de restrição ao crédito. na economia dos Kakos. qual seria o perfil óptimo de consumo do Zeka? Sabe-se que o governo do país dos Kakos. para financiar integralmente as despesas previstas para os períodos 1 e 2. aufere um rendimento bruto de 3100 no período 1 e o seu rendimento permanente é de YP = 2200. b) Admita que a taxa de juro enfrentada pelo governo é igual à do sector privado.11. com Y2=2100. no período 2. quer para o sector público. O sector privado enfrenta uma taxa de juro real de 5%. Zeka.5 e que a taxa de depreciação é de 100%. Aufere rendimentos do trabalho no valor de Y1=1000 no período 1 e espera ser promovido. para sinalizar o compromisso de correcção das contas públicas.55C20. T1 = 1000. a) Sabendo que o consumo máximo que o Zeka poderia realizar no período 1 seria de 4200 e que a sua utilidade pode ser representada pela função U = C10. agente representativo do sector privado do país dos Kakos. anunciou que ia cobrar todos os impostos no período 1. estando o financiamento internacional completamente congelado quer para o sector privado.45: a1) Calcule a taxa de juro enfrentada pelo sector privado. tem um horizonte de vida de 2 períodos. c) Suponha agora que o anúncio do governo exerce um impacto positivo sobre os mercados e que os agentes deixam de enfrentar quaisquer restrições ao crédito. Calcule o perfil óptimo de impostos que permitiria maximizar o bem-estar do agente representativo e que teria o mínimo impacto no superavit orçamental do período 1. Sabe-se ainda que a função produção é F(K) = 55K0. Aconselha o Zeka a realizar o investimento máximo? 12. Considere que. uma família representativa vive 2 períodos. O país dos Kakos está atualmente a enfrentar uma das maiores crises de sempre. 8 . Surge igualmente uma oportunidade de investimento na construção de um aeroporto cuja dimensão máxima é de 500.

no período 1. investimento num projecto Y = 20K0. 13. Assumindo que todos os impostos são cobrados no primeiro período do mandato. G1=G2=100. No país dos Kakos.5N0.5. Admita também que o agente representativo é suficientemente altruísta e que pretende deixar aos seus descendentes um valor equivalente ao dos impostos a cobrar no futuro. b1) Neste contexto. a legislação do trabalho determina que a duração do trabalho é de 8 horas/dia. cuja função produção é dada por Y = K0. a) Derive a restrição orçamental intertemporal de um empregado. A taxa de juro enfrentada pelo sector público é igual à dos particulares. b2) Qual o perfil dos impostos que maximiza a riqueza do agente representativo? c) Imagine que o sector público resolve realizar. para isso. calcule qual o montante óptimo de impostos a cobrar. b) Imagine agora a presença de sector público. em que Y é a produção diária e N é o número total de horas de trabalho diárias utilizadas pela empresa. 9 . Actualmente (período 1) a taxa de desemprego é de 20% e os empregados enfrentam uma probabilidade de saída do posto de trabalho de 2% para o período seguinte. A empresa oferece diariamente o almoço aos seus trabalhadores no valor de 4 unidades e o salário real praticado é de w=1.4 e que. A população activa é constituída por 1000 indivíduos e existe um único empregador. K está avaliado em 57 600. Justifique. G3=0.a) Calcule a capacidade de endividamento do agente representativo. cujo mandato é de 3 períodos e para o qual o orçamento de estado prevê distribuição equitativa das despesas públicas apenas nos dois primeiros períodos. Considerando que cada período corresponde a 100 dias e que a taxa de juro enfrentada pelos particulares é de 12% por período. cobra impostos adicionais às famílias. verifica-se o Princípio da Equivalência Ricardiana? Justifique.

calcule o valor do investimento que deveria ter sido realizado na empresa no período anterior. c) Sabendo que a economia enfrenta uma taxa de depreciação do capital físico de 4%. b) Considera adequado o perfil intertemporal de impostos cobrados pelo governo? Justifique. sem quantificar. Sabendo que a taxa de juro enfrentada pelo governo é de 15%. o dobro dos cobrados no período anterior e que a despesa pública não se altera.O orçamento de Estado prevê ainda que os impostos sejam de 100. de forma a otimizar o bem-estar intertemporal dos indivíduos e que conduzisse a uma taxa de desemprego nula. 10 .

5 ⋅ 2 0. e determinação da nova escolha óptima: TMS12 = (1 + r ) ⇔ 1.6 − 0. a) Determinação da taxa de juro a partir da riqueza estimada: 1 1 ⋅ (Y2 − T2 ) = (2000 − 400) + ⋅ (1. 1.5 ⋅ C2 1.RESOLUÇÕES 1.05 Taxa marginal de substituição entre consumo futuro e consumo presente: TMS12 = UMg1 0.05 = 1.08 ⇔ C 2 = ⋅ C1 C1 1. 1.5 Determinação da escolha óptima: 1 1. 1. 4 C = = 1.5 U = 2040 0.6 ⋅ C1−0.5 11 .08 Regra de escolha óptima.8. 4 = 1768.4 ⋅ 2000 − 910) ⇒ 1+ r 1+ r 1 1890 1890 ⇒ 3400 = 1600 + ⋅ (1890) ⇔ 1 + r = = = 1. 6 UMg 2 0. 1. 6 ⋅ 1428 0.08 = 1.5 ⋅ C2 1.08 1 ⋅ C 2 = 3350.05 3 ⋅ ⋅ C1 = 3400 ⇔ C1 = 3400 ⋅ = 2040. C1 + C2 = 1.05 1. b) Novo valor actualizado da riqueza.4 ⋅ C1 ⋅ C 2 C1 Regra de escolha óptima: TMS12 = (1 + r ) ⇔ 1.05 ⇔ C 2 = ⋅ C1 C1 1.5 5 S1 = Y1 − T1 − C1 = 2000 − 400 − 2040 = −440.05 ⋅ 2040 = 1428. e nova restrição orçamental: Ω = (2000 − 400) + C1 + 1 ⋅ (2800 − 910) = 3350. 4 ⋅ C 20. com r = 8%.05 ⇔ r = 5% 1+ r 3400 − 1600 1800 Ω = (Y1 − T1 ) + Restrição orçamental da família representativa: C1 + 1 1 1 ⋅ C 2 = (Y1 − T1 ) + ⋅ (Y2 − T2 ) ⇒ C1 + ⋅ C 2 = 3400 1+ r 1+ r 1.

1+ r 1. 1+ r 1. 1.5 5 S1 = Y1 − T1 − C1 = 2000 − 400 − 2010 = −410.5 -1. C1 + C2 = 1.05 2040 3350 3400 C1 2. a sua riqueza e as suas possibilidades de consumo manter-se-ão inalteradas.2 0. diminindo o seu grau de endividamento. YP + 1 1 ⋅Y P = Ω ⇒ Y P + ⋅ Y P = 1800 ⇒ Y P ⋅ (1 + 0. a) Riqueza do agente representativo: Ω = Y1 + 1 1 ⋅ Y2 = 1300 + ⋅ 625 = 1800 .5 U = 2010 0.1 1.2 1428 Ea Ua = 1768. O aumento da taxa de juro faz com que a família diminua o seu nível de consumo presente.08 3 ⋅ ⋅ C1 = 3350 ⇔ C1 = 3350 ⋅ = 2010.2.08 1.08 ⋅ 2010 = 1447. 1. é natural que o seu bem-estar tenha diminuído com o aumento da taxa de juro.8) = 1800 ⇒ Y P = 1000 .25 b) Valor máximo do fluxo constante de consumo: 12 .5.25 Se o agente receber em ambos os períodos o seu rendimento permanente.08 1600 2010 -1. C2 3618 3570 1890 A Eb 1447. 6 ⋅ 1447. Como a família era devedora. Isso permite-lhe aumentar o consumo futuro.8 Ub = 1762. 4 = 1762.

8) = 1800 ⇒ C = 1000 . 1+ r 1.4 ⋅ C1 ⋅ C 2 C TMS = (1 + r ) ⇒ = 1. portanto tem uma capacidade de financiamento igual a 160 unidades monetárias.1 ⇒ 2 = 1.7.6 ⋅ C1 ⋅ C 2 0.6 = 1944. dado que a riqueza se mantém constante e igual a 3600: 13 . O agente representativo tem um rendimento de 1600 no presente. Este fluxo constante de consumo proporciona ao agente a seguinte utilidade: U = 2 ⋅ C1 0. 1.2. 6 UMg 2 C1 0.8 = 2 ⋅ 1000 0.1 2.25 ⇒ = 1. 0.2 UMg 2 C1 1.65 ⋅ 1440 = 2376 ⇒ U = 1440 0 . 6 UMg1 0.8 = 2609. 2 ⋅ 1000 0 . 4 ⋅ 2376 0 .8 2 1 Determinação da escolha óptima: C1 + 1 1 1800 ⋅ C 2 = Ω ⇒ C1 + ⋅ 5 ⋅ C1 = 1800 ⇒ C1 = = 360 ⇒ 1+ r 1. −0 .: −0 . 2 ⋅ C2 0 .25 ⇒ 2 = 5 ⇒ C 2 = 5 ⋅ C1 .25 Este resultado não é surpreendente.1 1.65 ⋅ C1 .1 1 ⇔ C1 + ⋅ C 2 = 3600. 2 ⋅ 1800 0. b) A restrição orçamental intertemporal não se modifica.65 ⋅ C1 = 3600 ⇒ C1 = = 1440 ⇒ 1+ r 1.8 UMg1 0. Teria necessariamente de coincidir com o valor do rendimento permanente. a) Restrição orçamental intertemporal do agente representativo: 1 1 1 1 ⋅ C 2 = Y1 + ⋅ Y2 ⇔ C1 + ⋅ C 2 = 1600 + ⋅ 2200 ⇔ 1+ r 1+ r 1. 4 −0. e pretende consumir 1440. 2 0. 3.5 ⇒ C 2 = 1.25 5 ⇒ C 2 = 5 ⋅ 360 = 1800 ⇒ U = 2 ⋅ 360 0 .4 ⋅ C1 ⋅ C 2 C TMS = (1 + r ) ⇒ = 1.C+ 1 1 ⋅C = Ω ⇒ C + ⋅ C = 1800 ⇒ C ⋅ (1 + 0.1 C1 + Regra de escolha óptima: −0.8 = 2000 .65 ⇒ C 2 = 1. Regra de escolha óptima. 6 2 1 Determinação da escolha óptima: C1 + 1 1 3600 ⋅ C 2 = Ω ⇒ C1 + ⋅ 1.1 ⇒ = 1.6 ⋅ C1 ⋅ C 2 0 .

1.1 ⋅ 1400 = 3960 − 1540 = 2420 . C1 = 1400.1 ⋅ C1 . C1 = 1440. O valor da TMS no ponto da fronteira. o agente poderá consumir 1.1 1. 1. isso vai-lhe permitir um consumo futuro sempre igual ou superior a 2420 unidades.2 unidades de consumo no futuro (1+r). U = 1944. S1 = −400.152.2.1 unidades adicionais no futuro. 4 UMg 2 0.1 A função objectivo também se mantém constante.1 1. a sua restrição orçamental intertemporal mantém-se: C1 + 1 ⋅ C 2 = 3600 ⇔ C 2 = 3960 − 1. A taxa marginal de substituição entre consumo futuro e consumo presente é dada por: −0 . Por outro lado. É o Estado que poupa em vez das famílias.1 Mas agora tem uma restrição adicional: o seu consumo presente não poderá ultrapassar as 1400 unidades. 6 UMg1 0. U = 1944.7.4 ⋅ C1 ⋅ C 2 2 C TMS = = = ⋅ 2 −0 . o agente não vai contrair um emprestimo adicional. S1 = −440. mas não vai contrair qualquer empréstimo adicional. C1 ≤ 1400 ⇒ C 2 ≥ 3960 − 1. 6 0. C1 = 1400 e C2 = 2420 é igual a 1. o agente tem de abdicar de 1. C 2 = 2420. O agente vai aproveitar até ao limite de 400 a possibilidade de contrair um empréstimo a uma taxa de juro de 10%. Abdicando de uma unidade consumo presente.6 2 1 Aumenta com o consumo futuro e diminui com o consumo presente. Mas o agente prefere 1 unidade no presente. c) No caso em que o agente não recorre a um empréstimo adicional.152 unidades no futuro. Como para ter uma unidade adicional de consumo presente. C 2 = 2376. portanto o comportamento do agente não se altera. 14 . Para o agente. é indiferente ter mais uma unidade de consumo no presente ou mais 1.6 ⋅ C1 ⋅ C 2 3 C1 0.C1 + 1 1 1 ⋅ C 2 = (1600 − 600 ) + ⋅ (2200 + 660 ) ⇔ C1 + ⋅ C 2 = 3600. Mas agora a sua poupança é negativa.

05 = Y1+Y2/1. onde Umáx alínea 1.C2)  CPO: |TMS| = 1.9048 unidades.6349 < Umáx alínea 1.952 unidades. • Gráfico: C2 E0 2000 A0 E1 1000 A1 -1.05 ∧ C1+C2/1. o agente representativo tem capacidade de financiamento ‘hoje’. C2 = 1230 unidades. • Solução: C1 = 780. C2 = 2145 unidades.05 1000 1500 Ω1 Ω0 b2) Um superávite orçamental ‘hoje’ não será preferível a um orçamento equilibrado. b) b1) • Como SOi = 0 (i = 1. então T1 = G1 e T2 = G2.2). • Problema de max U (C1. • Solução: C1 = 1361. o objectivo do Rei não é atingido. ou seja. a) • Problema de max U (C1..05 = (Y1-T1)+(Y2- T2)/1.05.C2)  |TMS| = 1.608.4. é um agente credor. 15 C1 . • Resposta: como Y1>C1 <=> S1>0 e não existe investimento (por pressuposto). • Como Umáx = 1025. = 1788.05.05 ∧ ROI: C1+C2/1.

5 1.05 Face à situação anterior o impacto sobre a riqueza é negativo: ∆Ω = Ω ( com rg = 2.G2)/(1 + r) + [(r .05 1.T1).05 1 + rg 1 + rg b) Não há uma descida da taxa de juro real que incide sobre o Estado mas um aumento (de -5% passa para 2.05 1. estará o agente). pois o perfil temporal dos impostos influencia a riqueza dos agentes (em concreto. logo.1 = −28. 5. 6. vem:  Riqueza agente repres. A ROI consolidada.025) = 2000 − 400 + + ⇔ C1 + 2 = 3300 + 9. De facto. a uma diminuição da utilidade máxima alcançável.5 − 3338. a) Restrição orçamental intertemporal do sector privado: 16 .05 − 0.rg)/(1 + r)](G1 . em termos de acréscimo de riqueza. a) T1 + T2 G2 T 315 = G1 + ⇒ 0 + 2 = 400 + 1 + rg 1 + rg 1 + rg 1 + rg SOP2 = T2 − G2 = 380 ⇒ T2 = 380 + G 2 = 380 + 315 = 695 Assim : 0+ 695 315 = 400 + ⇒ rg = −0. com r ≠ rg.5%). = (Y1 .Justificação: como r > rg.rg)/(1 + r)](G1 .6 O Princípio da Equivalência Ricardiana não se verifica.G1) + (Y2 .5 ⇔ C1 + 2 = 3309.T1) < 0 => ↓Riqueza face à situação de saldo equilibrado. quanto menos o estado tributar em 1.05 1. vem: C1 + C2 Y − G 2 (G1 − T1 )(r − rg ) = Y1 − G1 + 2 + 1+ r 1+ r 1+ r C1 + C2 C C 2100 − 315 (400 − 0)(0.05 1. melhor. 5%) − Ω ( com rg = −5%) = 3309.  Com ↑ T1 tal que T1>G1 => [(r . de forma análoga à da alínea anterior. uma antecipação dos impostos levará a uma diminuição da riqueza do agente representativo e.

1 ⇔ K 0. K 3 = (1 − d ) ⋅ K 2 + I 3 = 0.1 1.5 = 12 ⇔ K = 144 .1 1.5 = 0 ⇒ −1 + 20 ⋅ I 1 = 0 ⇔ I 1 = 20 ⇔ I 1 = 400 dI 1 O investimento óptimo é inferior ao que foi realizado pelo agente.9 ⋅ 400 + 40 = 400.1 1+ r 1+ r 1.05 + 0. K 2 = (1 − d ) ⋅ K 1 + I 2 = 0. c) Stock de capital óptimo com r = 10%: PMg K ( K ) = r + d ⇒ 3 ⋅ K −0. 7. o agente representativo deveria ter poupado e investido apenas 400 unidades.C1 + C C2 Y F (K1 ) 1100 F (900) = Ω 0 + Y1 + 2 − I 1 + ⇔ C1 + 2 = 1100 + − 900 + ⇔ 1+ r 1+ r 1+ r 1.05 + 0.5 = 15 ⇔ K = 225 .1 b) Riqueza do agente representativo: Ω = Ω 0 + Y1 + Y2 F ( K1 ) F ( I1 ) 44 ⋅ I 1 1100 − I1 + = 0 + 1100 + − I1 + = 2100 − I 1 + 1.5 0 .1 ⇔ K 0.1 + 0.1 1.5 = 0.9 ⋅ 400 + 40 = 400.5 = 0.5 = 0.1 ⇔ C1 + C2 C 44 ⋅ 900 0.1 1.9 ⋅ 400 + 40 = 400.2 ⇔ K 0. d) Determinação da riqueza do agente representativo (supondo que no último período o capital pode ser vendido pelo seu valor residual): 17 .1 ⇔ Ω = 2100 − I 1 + 40 ⋅ I 1 0. b) Stock de capital óptimo com d = 20%: PMg K ( K ) = r + d ⇒ 3 ⋅ K −0. a) Stock de capital óptimo: PMg K ( K ) = r + d ⇒ 3 ⋅ K −0.5 ⇔ 0.5 = 1100 + 1000 − 900 + ⇔ C1 + 2 = 2400 1. Para maximizar a sua riqueza.5 = 20 ⇔ K = 400 .1 1. Stock de capital efectivo: K 1 = (1 − d ) ⋅ K 0 + I 1 = 0.5 Determinação do investimento que maximiza a riqueza: dΩ ( I 1 ) −0 .

(r + d 1 ) ⇔ 6.05) 1.K 0.8 − 36.8 = 3651.(1-d) + I3 = 400.05) (1.05) (1.05 1.05 1.1 ) ⇔ K = 1.5 ∂K MPK = r + d ⇔ 3.3 − 38.K 0 .(0.(1-0.4 + 907.( 400 )0 .5 = K .(1-d) + I2 = 400.0 2 1 + r ( 1 + r) 1.(1-0.( r + d ) ⇔ 6.K -0.05 (1.600 b1) Stock de capital óptimo em cada período MPK = ∂Y = 3.05) (1.05 (1.(1-0.05 + 0.( 0 .Y3 I3 K3 Y2 F (K1 ) I F (K 2 ) + + F (K 0 ) − I1 + − 2 + − + = 2 2 2 1 + r (1 + r ) 1+ r 1 + r (1 + r ) (1 + r ) (1 + r )2 F ( 400) 40 F (400) 1000 1000 40 400 = 200 + 1000 + + + F ( 400) − 40 + − + − + = 2 2 2 1.05 + 0 .0 = 1200 + 952.5 = 0.1) + 40 = 400 K2 = K1.(1-d) + I1 = 400.4 + 907.05)2 = 1200 + 952.1) + 40 = 400 b3) Valor da riqueza F ( K 1 ) = F ( K 2 ) = F ( K 3 ) = 6.05) (1. a) Nível de K limite (d1 = 20%) F ( K ) = K .K -0.5 = K .5 = 120 18 .05 + 0.1 ⇔ K * = 400 b2) Stock de capital efectivo K1 = K0.1) + 40 = 400 K3 = K2.05 (1.05 (1.2) ⇔ K = 576 Nível de K limite (d2 = 10%) F ( K ) = K .0 + 120 − 40 + 114.1 + 108.0 + 120 − 40 + e) Restrição orçamental intemporal: C1 + C3 C3 C2 C + = Ω ⇒ C1 + 2 + = 3651.05)2 8.05)2 Ω = Ω 0 + Y1 + 120 40 120 40 400 − + − + = 2 2 1.2 + 362.

05) (1.000 + 120 − 40 + + − + + − + = 3.05 (1.651 2 2 2 1.05) K OU F'(K) = 1 + r 0.8=1.K(1 + r) + K (1 .δ)/(1 + r) OU => Comparação explícita entre os valores da riqueza do Zé-Kako: 19 .G2)/(1 + r) + (G1 .δ) = 500K0.025 < r = 0.05 Com rg < r.05) 2 Ω = B0 + Y1 + F ( K 0 ) − I 1 + b4) Restrição orçamental intemporal da empresa C1 + C3 C3 C2 C + = Ω ⇔ C1 + 2 + = 3.025 rg = 0.rg)/(1 + r) + F(K)/(1+r) . => Apresentação.05 K* = 297. a) Max F(K)/(1 + r) .05) (1.05 1.651 2 1 + r (1 + r ) 1.G1) + (Y2 . aumenta o seu bem-estar.Y3 I3 K3 Y2 F ( K1 ) I F (K 2 ) + − 2 + + − + = 2 2 2 1+ r 1+ r 1 + r (1 + r ) (1 + r ) (1 + r ) (1 + r ) 2 1000 120 40 1000 120 40 400 = 200 + 1. o adiamento na cobrança de impostos aumenta a riqueza de Zé-Kako logo.05) 2 9. com explicação sucinta da fórmula dada nas aulas: Ω = (Y1 .05 1.05) (1.05 (1.T1)(r .5181-200 = 97.2 .2*500K-0.K(1 + r )/(1 + r)+ K (1 .5181 I* = 297.5181 b) Determinação de rg: G1+ G2/(1 + rg) = 400 <=> T1+ T2/(1 + rg) = 400 T1+ T2/(1 + rg) = 400 200 + 205/(1 + rg) = 400 (1+ rg) = 1.K(1.

02  Probabilidade de continuar empregado = 0. 0.025) = 400 T2 = 410 10. a) Empregado:  = 8 ∗ 20 = 160.05) .297.05) .155 ∗ 160 = 92.1 1.  = 0.297.4 Desempregado:  = 80. Probabilidade de passar de desempregado a empregado = f  Probabilidade de continuar desempregado = 1 – f.1143 0.K(1 + r )/(1 + r)+ K (1 .98 ∗ 160 = 158.51810.4 Cálculos auxiliares: Taxa de separação (s) = 2%.5181 Ω0 = 1771.2/(1.51810.02 ∗ 80 + 0.02 +  0.787 T1 = 0 => 0 + T2/(1.4  = 200 =  +  = 160 1.025 Ω1 = (500 .05) + 500*297.  = + 0.155 b) Empregado: Desempregado: 160 − 60 +  158. por definição.T2)/(1 + r) + F(K)/(1+r) .2/(1.δ)/(1 + r) Ω0 = (500 .205)/(1.1143  = 0.0) + (500 . Taxa de encontro (f) = ?.4 − 48. Probabilidade de passar de empregado a desempregado = 0.02 = 0.410)/(1.5181 Ω1 = 1775.98.845 ∗ 80 + 0.200) + (500 .02 + .T1) + (Y2 .  = 0.Ω = (Y1 .02 = 0.1    = 0.05) + 500*297.275  = 44  20  . Assumindo-se que a taxa de desemprego observada é igual à taxa de desemprego friccional.

21 . logo  = 20   = 60 − 20 ∗ 1.2   Consumo óptimo período 1 = 48 > Redndimento disponível no período 1 = 20 => não pode ser devedor líquido.4 − 48. o perfil de impostos para os desempregados deveria ser  − 28 =>  = 32. Desempregado: enfrenta restrições ao crédito e preferia 48 > 20 para consumo no período 1.25 − 13. c) Empregado: é indiferente o perfil intertemporal dos impostos porque r = rg e não enfrenta restrições ao crédito.1 = 57.4 = 79.25. Quanto ao desempregado.4  = 60 =  +  = 48 1. temos de quantificar porque o investimento diminui a capacidade de consumo no período 1 (não tem acesso ao crédito). per capita.75 = 23. = 60 − 32 ∗ 1.1 + 48.1 1.142 < 0. 80 − 60 + 92.75 ∗ 1.75 0.114380 − 60 − 20) = −53. e) O empregado melhora sempre o seu bem estar porque a riqueza aumenta e não enfrenta restrições ao crédito.75 *57.275  = 13. compensa? 0.25 = 13. no final do período 1: (1 − 0. Assim.2.42 0.8  "á$%&' = 80 − 60 − 6.750. aumentando as possibilidades de consumo no período 2.8 Uactual = 13.1    = 0.2 Uinicial = 20 *44  = 66.1143160 − 60 − 160 + 0.1 = 44. dadas as preferências por C1.  = d) K = 6.32 Perda de bem estar para os desempregados => não devem investir o stock de capital óptimo! f) PLII.2 = 18.

C1max-Y1=3000-1000=2000 b) Sim. a1) C =YP C =Y + = 4200 (1 + r ) 2200 2200 + = 4200 => r = 0.8 > 1.23 > 1. é irrelevante para a riqueza das famílias o perfil intertemporal dos impostos porque 1) as taxas de juro pública e privada são iguais e porque 2). de livre vontade.5=1229. a). 1.1 0. 500 < K* e. T2* = 231.1 C1 * = 2310 C 2 * = 2079 b) C1* = 2310 => Yd1* = 2310.5 22 . T1 deveria cair 210 unidades. as famílias. c) F(K) = 55*(500)0.11.55 C1 0. logo.1*500 = 550 (investimento dentro do valor produtivo) PMgK vs (1 + r ) 0. será o melhor investimento a realizar.55C1 −0. 45 C1 + C2 = 4200 1.1 12.1 Logo. Então.5 * 55(500) − 0.1 = 1. c) K*=29.5 > 1. mesmo que não paguem os impostos todos para financiar as despesas públicas. perfil óptimo de impostos: T1* = 790. 45 C 2 0.1 (1 + r ) P a2) UmgC1 = (1 + r ) UmgC 2 C1 + C2 = 4200 1. uma herança aos seus descendentes. Dada a despesa pública. apesar do horizonte de vida finito das famílias ser inferior ao do Governo.45C 2 −0. deixam. Como Yd1 = 3100 – 1000 = 2100.55 0.

5.13.-.4N/8 – (0. = 2250 b) Não. Os impostos deveriam ser cobrados todos no período1… c) Max K Lucro = K0. = 1200 + .12 + 0. a) *1 + + ..04)K  /"0 = 0.w8000 .∗ .04 + 0.12 K*= 78125. . 23 .580000..