You are on page 1of 11

Antonio Wedson

CPD: 23203
Design Bacharelado - 5º periodo noturno
Tipografia

Paul Renner (1878-1956)
Próximo do espírito renovador da Bauhaus, o alemão Renner foi artista,
formador, tipógrafo e autor dum Manual tipográfico. A fonte Futura fez o
seu nome internacionalmente conhecido.
No fim dos anos 20, a Alemanha atravessava uma crise global –
desemprego em massa, inflação galopante, crise do parlamentarismo
burguês. Paul Renner desenvolve a Futura - uma fonte de formas claras e
sóbrias. O seu nome soa como o clarim de uma visão optimista de um futuro
mais feliz. De todas as sem serifa alemãs dos anos 20, a Futura é hoje a mais
apreciada e usada.
O jovem Paul Renner estudou Arquitectura e Arte em Berlin, München
(Debschitz-Schule) e Karlsruhe. Em 1910 associou-se ao Deutscher
Werkbund.
Através do conhecimento do editor Georg
Müller, Renner foi introduzido (em 1907) no
mundo das artes gráficas. Começou a fazer a
composição tipográfica e artística dos livros
deste editor.
Em 1911, fundou, junto com Emil Preetorius,
a Schule
für
Illustration
und
Buchgewerbe, que iria ser mais tarde
Lehrwerkstätten.

integrada

nas Münchener

Em 1922, Paul Renner publica o seu primeiro livro, com o título «Die
Typographie als Kunst». O seu manual tipográfico Die Kunst der
Typographie foi editado em 1925.
De 1925 a 26 leccionou na Frankfurter Kunstschule as disciplinas
Werbegrafik e Typografie
Em 1926, Renner foi chamado a dirigir a Escola da Imprensa em Munique.
Foi
também
co-fundador
daMeisterschule
für
Deutschlands
1

2 . Futura (1924-26) A sua família de fontes Futura. Inicialmente. Em 1926.. a fundição francesa Deberny & Peignot comprou uma licença e editou-a em França com o nome Europa. As fundições American Typefounders Corporation e Mergenthaler Linotype pouparam os custos do copyright e emitiram uma imitação da Futura com o nome de Spartan. por recomendação de Paul Renner. O grande sucesso tipográfico foi (quase) um plágio de outras fontes grotescas já vigentes na época: da Erbar Grotesk e da Kramer (Frankfurt). a Bauersche Giesserei editou a Futura em 1928 com seis estilos diferentes. Jan Tschichold foi para München ensinar na Meisterschule.Buchdrucker (Escola dos Mestres de Artes Gráficas). começada em 1925 e acabada em 1927 foi um grande sucesso — Paul Renner foi um dos poucos desenhadores de tipos que ganhou seriamente com a sua letra – apesar dos plágios.. onde trabalhou como formador. onde deu aulas até ser expulso pelos nazis em 1933.

a inspiração da Futura teria vindo das inscrições lapidares da Grécia clássica. Desenhada entre 1924 e 1926 por Paul Renner. a Futura apresenta as características preferidas pelos designers vanguardistas dos anos 20 e 30. está a fonte Futura. Os gregos usavam uma letra sem serifas de formas simples. neutral. legível (em corpos grandes. clara. com evidente construção geométrica. desenhada por Jakob Erbar para a Fundição Ludwig & Mayer (a partir de 1922). em todas as suas publicações. bem equilibrada. elegante. Segundo os depoiamentos e as interpretações que não insinuam o plágio da Kramer ou da Erbar. também a Futura foi derivada de letras já existentes. mas também em texto corrido. Mas assim como a Gill Sans (a outra importante sem serifa da época) se inspirou directamente no tipo que Edward Johnston desenhara para os TRANSPORTES urbanos londrinos. e teria sido essa clareza estética que Renner captou. da Mergenthaler Linotype e da Linotype Londres. 3 . que Renner analisou em pormenor. uma sem serifa desenhada pelo arquitecto alemão Ferdinand Kramer para uso do município de Frankfurt am Main. é uma letra bem representativa da clareza defendida nos manifestos da Bauhaus. Sóbria.Entre as sem serifas mais notáveis da época entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial. Outra letra que terá servido de modelo e inspiração foi a Erbar Grotesk. por exemplo da Kramer-Grotesk. e as versões preliminares têm óbvias afinidades com as experiências tipográficas do anos 20. Parece construída com régua e compasso.

4 .A brochura de promoção que a Fundição Bauer publicou em 1927 . comercializada entre 1927 e 1930.uma versão «arcaica» da Futura.

sediada em Barcelona. Editora Educação Nacional. Outro tipo sem serifa desenhado por Renner foi a Topic ou Steile Futura. em 1953. Esta Topic foi editada pela Bauersche Giesserei já mais tarde. 5 . E. 1939. Porto. Usa tipos Futura .ou alguma tipografia muito semelhante.Capa de uma edição de 1939 da obra de António Botto Não é preciso mentir. Os desenhos originais de Renner para a Futura estão hoje guardados na Fundición Tipográfica Neufville. M e W. com traços redondos nas letras A. uma variante condensada.

Aplicação contemporânea da Futura 6 .

Aplicação contemporânea da Futura Hoje existem muitas «Futuras» de estética questionável: atenção às versões grátis. 7 .

baseado em princípios rigidamente geométricos. inspirada nos ensinamentos da Bauhaus.A Futura é uma família tipográfica sem-serifa considerada como um dos símbolos do modernismo no design gráfico. 8 .

Fontes similares A Nobel 9 .

A Avenir 10 .

11 .