You are on page 1of 56

habitação coletiva na cidade contemporânea

projeto de arquitetura | habitação coletiva

unip – graduação | fevereiro 2015 | aula 02
prof. diego rozo e silvia duarte

quais as

formas de

se

morar hoje ?

regular

irregular

lote urbanizado

favela – ocupação sobre terrenos

casa individual sobre lote

cortiço – habitação coletiva precária de aluguel

casa sobreposta

palafita – ocupação sobre a água

casa geminada ou em renque

edifício ocupado – construção existente

vila

terras ocupadas – acampamento em terras improdutivas

edifício multifamiliar

rua – intervalo da cidade. viaduto, ponte, marquise

conjunto habitacional
condomínio “clube”

m o r a d i a (permanente) x a b r i g o (provisório)

partido arquitetônico

…o
que
?

consequência formal derivada de uma série de
condicionantes ou de determinantes; seria o
resultado físico da intervenção sugerida.¹

USUÁRIO

OBJETO/CONSTRUÇÃO

SÍTIO/LOCALIZAÇÃO

- programa de necessidades

- sistema construtivo: materiais,

-clima

- conveniências e costumes

técnicas, mão-de-obra

-condições físicas

-condições financeiras

-condições topográficas
-legislação regulamentadora

-acessos
-volumetrias das construções adjacentes
-uso das construções adjacentes

-visuais e perspectivas
-infra-estrutura

1. LEMOS, Carlos. O que é arquitetura. Ed. Brasiliense. 2003

habitação individual X habitação coletiva

HABITAÇÃO INDIVIDUAL

HABITAÇÃO COLETIVA

-escolhas individuais e especifcas para cada usuário;

-usuário genérico;

-personalização;

-escolhas universais;

-baixa densidade;

-mecanismos de flexibilidade para atendimento mais abrangente;

-espraiamento.

-maior densidade;
-verticalização.

Edifício Habitacional SILODAM - Amsterda - Holanda | 2002

MVRDV

EDIFÍCIO SILODAM [2002] MVRDV .

.

HOLANDA . PAÍSES BAIXOS .PORTO DE AMSTERDA.

desatraca do território .o edifício desprende-se.

nova embarcaçao? navio cargueiro lotado de containeres de aço colorido? .

4 1 2 3 FOTO: PEDRO KOK .

.

.

FOTO: PEDRO KOK .diferentes cores e texturas de uma variedade de materiais e técnicas de construção.

FOTO: PEDRO KOK habitação coletiva na cidade contemporânea | projeto de arquitetônico | habitação coletiva | unip – graduação | fevereiro 2014 | aula 02 | prof. diego rozo .

lojas e áreas públicas espremidos em uma estreita faixa urbana FOTO: PEDRO KOK .160 unidades habitacionais escritórios áreas comerciais.

FOTO: PEDRO KOK .

habitação coletiva na cidade contemporânea | projeto de arquitetônico | habitação coletiva | unip – graduação | fevereiro 2014 | aula 02 | prof. diego rozo KOK FOTO: PEDRO .

.

.

diego rozo FOTO: PEDRO KOK .habitação coletiva na cidade contemporânea | projeto de arquitetônico | habitação coletiva | unip – graduação | fevereiro 2014 | aula 02 | prof.

.

Estrutura semelhante a trapiches. . palafitas e pier.Edifício apoiado sobre pilotis megulhados no canal.

.

.

edifício [container] cria uma versão tridimensional do espaço urbano “bairro empilhado” .

container contenedor urbano (recipiente) .

Infiltração do espaço público dentro da edificação. .

ENVIRONMENT .AMBIENTE novas possibilidades de aberturas e conexões com meio externo .

.

.

solteiros. familias Usos: habitaçoes variadas.Recriação da diversidade urbana dentro do volume do edifício diversidade: Usuários: idosos. restaurante Acessos: via mar e via avenida pier Espaços: público e particular – cheios e vazios . comércio. casais.

camadas sobrepostas = ESTRATIFICAÇÃO .empilhamento horinzontal.

colunas separadas = APARTHEID .separação vertical.

uma só especialidade = MONOCULTURA .um único tipo.

diversidade = MIX (MISTURA) .BUILDING – EDIFÍCIO FAÇADE ANONYMITY – FACHADA ÁNÓNIMA união ou combinação de varias coisas.

para promoção da diversidade máxima de moradores .VIZINHHOS usuários mistos.NEIGHBORS . edifício com muitas variações de unidades.

diego rozo .habitação coletiva na cidade contemporânea | projeto de arquitetônico | habitação coletiva | unip – graduação | fevereiro 2014 | aula 02 | prof.

120 m 20 m .

os apartamentos são agrupados em grupos de quatro a oito unidades por tipo. 120 metros de comprimento e 20 metros de largura.plantas forma retilínea com 10 pavimentos. .

cidade ACESSO pedestre e autos NÍVEL 9 NÍVEL 8 NÍVEL 7 NÍVEL 6 NÍVEL 5 NÍVEL 4 NÍVEL 3 NÍVEL 2 NÍVEL 1 NÍVEL 0 braço de mar ACESSO embarcações corte transversal .

.

.

habitação coletiva na cidade contemporânea | projeto de arquitetônico | habitação coletiva | unip – graduação | fevereiro 2014 | aula 02 | prof. diego rozo .

.

.

.

5 6 6 ACESSO 5 6 5 .

.

.

.

KARL MARX – HOF [1926] KARL EHN 2. EDIFÍCIO “A BALEIA” [2000] ARCHITEKTEN CIE 15. EDIFÍCIO MIRADOR [2004] MVRDV e BLANCA LLEÓ 11. JEAN-MARC. EDIFÍCIO KITAGATA [2007] SEJIMA KAZUYO 13. FÁBIO PENTEADO E PAULO MENDES DA ROCHA 8. CONJUNTO RESIDENCIAL SCHOTS 1 + 2 [2002] S333 ARCHITECTURE + URBANISM 14.FOREIGN OFFICE ARCHITECTS 12. EDIFÍCIO COPAN [1950] OSCAR NIEMYER E CARLOS LEMOS . TORRES MARINA CITY [1964] BERTRAND GOLDBERG 6 APARTAMENTOS NO LAFAYETTE PARK [1963] LUDWIG MIES VAN DER ROHE 7. UNIDADE DE HABITACAO DE MARSELHA [1952] LE CORBUSIER 5.SEMINÁRIOS 1. CONJUNTO HABITACIONAL PEDREGULHO [1950] AFFONSO EDUARDO REIDY 3. EDIFÍCIOS NA LAKE SHORE DRIVE. CONJUNTO RESIDENCIAL CARABANCHEL 16 [2007] FOA . EDIFÍCIOS NEMAUSUS [1985] JEAN NOUVEL. TORRE DE CÁPSULAS NAGAKIN [1971] KISHO KUROKAWA 9. 860 E 880 [1951] LUDWIG MIES VAN DER ROHE 4. HABIT. CECAP – ZEZINHO MAGALHÃES PRADO [1967] VILANOVA ARTIGAS. CONJ. FRÉDÉRIC CHAMBON E JEAN-RÉMI NEGRE 10.

.Apresentação em power-point.20 minutos de apresentação por grupo .Grupos de 5 componentes . Entregar 1 por aluno + professor.Formular ficha sobre a apresentação (ver modelo). .questões práticas .

Modelo da ficha .

.

análise e abordagem Localização e clima Condições físicas e topográficas Implantação Acessos e circulações Sistema construtivo: materiais. técnicas e mão-de-obra Programa de necessidades Tipologia/ Unidades Áreas comuns/ lazer Composição volumétrica Visuais e perspectivas Infra-estrutura Condições financeiras Conveniências e costumes (particularidades) .