You are on page 1of 8

Unidade: Anhanguera – Pirituba

Curso: Serviço Social
Disciplinas: Fundamentos Históricos Teóricos e Metodológicos do Serviço Social I
Formação Social, Econômica e Política do Brasil
Nome: Marília Lourenço Marcelino
RA:
Professor:

DESAFIO PROFISSIONAL

São Paulo, SP
20 Set 2014

SP 20 Set 2014 .DESAFIO PROFISSIONAL São Paulo.

.........6 Anos 1980 vs 2000 ...........................................Ìndice: Realidade civil nos anos 80 e o serviço social ….Evolução do Serviço Social..4 Sociedade Civil no séc XXI e a estruturação do Serviço Social..7 Referências Bibliograficas............................................................8 .....................

em um país ferido pelas marcas de um forte regime ditatorial. quando se consolidou a categoria de sociedade civil. ao capital e ao trabalho. Ainda que irreal. forçando uma abertura do Estado. tal participação foi fundamental para afirmar as políticas públicas. Surgiram também neste cenário. em um espírito de coletividade. movimentos sociais ocorreram. em relação à produção material. incluindo parcelas mais amplas da sociedade. políticos. Tal inversão gerou uma atmosfera de debate dos princípios democráticos e capitalistas. Em verdade. houve neste período. foi vivenciado neste cenário. foram formadas parcerias entre a sociedade civil organizada e o poder público. na qual foram discutidos modelos estruturais alternativos. surgiram os "novos movimentos sociais" que buscavam a conquista e ampliação dos direitos civis. A partir do final da década de 70. organizações (déc. entre os quais estava o da democracia participativa. até movimentos ecológicos e em defesa dos direitos do consumidor. transformando os padrões de participação e competição eleitoral. antes impensáveis. Em prol do movimento de redemocratização. transformando o Estado em um local de experimentação distributiva e cultural. sociais e trabalhistas.Realidade civil nos anos 80 e o serviço social Ao longo da história brasileira. Em princípio acreditava-se que a participação popular atrasaria e dificultaria os processos políticos e as tomadas de decisões. pela primeira vez. a sociedade civil. grande participação popular. contribuindo para o estabelecimento e a consolidação de um estado de direito. 90). a sociedade civil articulou-se através de associações. XX é que esses tomaram força. de diversas maneiras e por diferentes grupos. Em uma busca contraditória pelo desenvolvimento da cidadania e ao mesmo tempo do capital. lutas e movimentos em um âmbito de mobilização. no entanto. participação e conscientização política em . Devido ao rápido e agressivo processo de modernização gerou-se uma multidão de interesses particulares e um grande aumento da sociedade civil atuante. como poder. um sentimento de inversão da visão organizacional: o Estado passou a ser visto como instrumento e. mas somente nas três ultimas décadas do séc.

como uma sociedade civil mais participante. definem problemas e demandas. com a falência do discurso até então tão arraigado de uma sociedade dividida entre Burguesia. a partir da admissão da contradição entre as classes. No regime pós-ditatorial. início dos anos 80. passando o assistente social a agir de forma mais contemporânea. ao final da década de 70. houve também uma mudança na percepção do conceito de “serviço social” quando os trabalhadores do serviço social perceberam que representavam os interesses da burguesia. a população embora imersa em grande crise.9) "Os movimentos sociais refletem mais do que as privações materiais. mas seus reflexos estão presentes até hoje. começou a caminhar dentro do conceito descrito. tanto individual quanto coletiva. bem como. do direito aos bens políticos. Dessa percepção surgiu um “movimento de reconceituação” (com início nos anos 60) do serviço social. Passou a entender-se que por meio da participação política ativa. cujo avanço estava relacionado à evolução da sociedade através da educação. Estado e Igreja. como nos séculos passados. . Nesta realidade. tanto econômica como de identidade. negação que culminou com o rompimento com modelo conservador tradicionalista. a reforma de caráter.). com base marxista. pelo grupo familiar ou de pessoas. Ainda que influenciados pelo modelo de abordagem individual psicanalítica utilizado nos EUA. 2011. por meio da qual se analisa a trama das relações sociais em busca de explicações para a real situação vivenciada pelo cidadão. em um cenário mais inclusivo e hegemônico do Estado. Entendendo-se que os movimentos sociais lançam temas relevantes sobre toda a sociedade. pela consciência de reivindicação de direitos mais participativos. de reconhecimento das diferenças. em um processo de reflexão. O ápice dessa conscientização foi naquela fase. entre os quais estavam os de moradia. Proletariado. criou-se uma nova vertente: a abordagem coletiva dialética. oposição. forma-se um novo cenário para atuação e influência do serviço social como descrito(AZEVEDO. haveria o fortalecimento da democracia em si.referência ao aprimoramento e reafirmação do Estado Democrático de Direito.. conscientização e politização de seus cidadãos. surgiria o início de uma consciência de transformação social.. pois vislumbram o potencial político que pode ser constituído a partir da criação pela sociedade civil de espaços públicos de discussão que aumentem a capacidade de controle do poder institucionalizado(. Caracterizouse esse momento histórico. utilizando o atendimento das mazelas do proletariado para conter os movimentos sociais trabalhistas. No bojo das mudanças sociais e também como fomentadora delas. visando também a transformação social e não apenas o ajustamento. Pag.

com base na leitura e estudo das contradições da sociedade capitalista. até os dias atuais. as bases das diretrizes curriculares. vista agora como um direito de cidadania O “novo” profissional faz agora uma analise crítica da realidade. adotam decisões e estabelecem mecanismos de atendê-las. que fundamentam a intervenção dos assistentes sociais na política de Assistência Social. e a mudança de foco de suas resoluções para a “matricialidade sóciofamiliar”. bem como. consolidam-se no compromisso de toda a sociedade perante essa questão que atinge todo o planeta." Nesse contexto descrito acima.com direitos e deveres . as transformações no mundo do trabalho. suas regulamentações profissionais. da questão social e suas expressões.trazem contribuições a fim de produzir pressão nos atores da sociedade política. redefinindo assim. que agora passa a ser gerido por um código de ética . aprimora-se a visão do serviço social. Ao deparar-se com as demandas da população. em consolidação a assistência social como política de estado. ao mesmo tempo que solidificam sua identidade individual e coletiva. Configurando-se enquanto processo de constante participação. o profissional passou a pensar nas políticas sociais como resposta a situações de vivência indígnas da sociedade. o acelerado processo de urbanização mundial. pelo qual grupos compartilham necessidades. as novas identidades culturais desencadearam mudanças significativas nas relações do Estado. criou-se o Código de Ética da profissão.e pela Lei de Regulamentação da Profissão. para então estabelecer as competências e atribuições específicas necessárias ao . a prática assistêncial a partir deste momento. estas em constante aprimoramento e adequação. os avanços da ciência e da tecnologia. visando o interesse coletivo rumo a transformação social. Sociedade Civil no séc XXI e a estruturação do Serviço Social Os fenômenos da globalização mundial. Ouve também neste setor uma grande ramificação do mercado de trabalho gerando a necessidade de mais especialização e pesquisas sobre o assunto. em sua complexidade. que por sua vez produziu embasamento para a desvinculação com o modelor conservador. Neste novo século. ressaltando o processo de democratização da sociedade brasileira e os próprios compromissos internacionais no combate a pobreza.

de forma a fortalecer a gestão democrática. Afim de se afastar as políticas de benemerência. e independente. Agindo assim de forma crítica. Anos 1980 vs 2000 . responsabilizando o estado pela aplicação de políticas sociais de redução a pobreza e acesso a renda. gerenciando e implementando programas e políticas sociais que viabilizem a gestão favor de todos os cidadãos. como anseada nos anos 80. congressos. . com a disseminação em massa da probeza junto com a globalização. fortalecendo a idealização de uma sociedade democrática homogênea a igualitária. porém embasada em uma cartilha e em um Código de Ética Profissional. Trabalhando para a ampliação do acesso coletivo ou dos indivíduos aos direitos sociais. como direito a cidadania. Nesta realidade globalizada. A partir desta data. Fala-se intensamente neste novo século de um discurso defensor da busca pela universalização e ampliação dos direitos sociais e pela consolidação da assistência social como política pública e dever do estado. a busca por programas inclusivos e a luta por uma sociedade democrática de direito se intensivaram junto com a consciência das desigualdades. Nesta fase iniciaram-se grande parte das reflexões nas quais se baseam a atual forma de ação social. debates. Reconhecendo a questão social como objeto de intervenção profissional. publicações. Já no século XXI. criativa. em uma perspectiva totalizante. foi dominado por intensas pesquisas.Evolução do Serviço Social As questões sociais começaram a tomar um rumo em prol da sociedade democrática de direito. elaborando. em um âmbito populacional pós-ditatorial. de liberdade e igualdade. especializações. fóruns. baseada na identificação sócio-econômica e cultural das desigualdades sociais. após os anos 80.enfrentamento das situações e das demandas sociais que se apresentam em seu cotidiano. foram discutidos e criados as primeiras diretizes profissionais e curriculares que romperiam com o sistema assistencialista conservador norteado pelos interesses da burgressia. regulamentações e ramificações da leitura da questão social bem como houve um aumento da trama de suas complexidades e necessidades.

Sociedade Civíl e Transformação Social no Brasil. Valinhos.anhanguera. Disponível: http://www. ISBN 978-85-7983-038-9.br/cead>.edu. PIANA.ed. São Paulo: Cultura Acadêmica.Jun. [Online]. MARQUES. Daviane Aparecida de: Movimentos Sociais. p. Rosa Maria (Orgs. Acesso em: jul. 2013. São Paulo:Cortez. Maria Lúcia. NOBRE.Série: Trabalho e Projeto Profissional nas Políticas Sociais. 2010/ ISSN 1980-5950. 2011. São Paulo: Editora UNESP.br/revista. Mª Elisa Cleía Pinheiro Rodrigues. Brasília (DF). São Paulo: Saraiva. O serviço social na contemporaneidade [online].n º 09 . Available from SciELO Books <http://books.Referências Bibliográficas: MARTINELLI.org>.pdf. Disponível em: <www.uniesp. 2011.edu. 16ªed. Cartilha: Parâmetros para Atuação de Assistentes Sociais na Política de Assistência Social. Serviço Social: identidade e alienação.). 01-07. MC. . Desafio Profissional de Fundamentos Históricos e Teóricos-Metodológicos do Serviço Social I e Formação Social.] CFESS.br/arquivos/Cartilha_CFESS_Final_Grafica. 2013. AZEVEDO. 2009.cfess. econômica e política do Brasil.scielo. 233 p.org. 2. Disponível: http://www. Formação econômica do Brasil. Saber Acadêmico .