Cientistas estabeleceram valores para processos ambientais
básicos que, se ultrapassados, podem

arneacar

a sustentabilidade

da Terra. Lamentavelmente, tres deles já foram excedidos
POR JONATHAN

FOLEY

LIMI;TES PARA UM
PLANETA SUSTENTAVEL
;

D

urante quase 10 mil anos - desde os primórdios da civilizacáo e do Holoceno -, nosso
mundo foi inimaginavelmente grande. Vas-

tidóes de terras e oceanos ofereciam recursos infinitos. Os humanos podiam poluir vontade e evitavam repercussóes locais simplesmente ao se mudar para outro lugar. POyOSconstruíram impérios

a

e sistemas económicos alicercados em sua capacidade de explorar o que presumiam ser riquezas ine-

CONCEITOS-CHAVE
• Embora a mudan~ dimática seja foco de grande
aten~o, a perda de biodiversidade e a polui~o por
nitrogenio excedem os
limites seguros em graus
mais acentuados. Outros
processos ambientais rumam para niveis perigosos.
• Adotar imediatamente
fontes de energia de baixa
emissáo de carbono, restringir o desmatamento e
revolucionar as práticas
agrícolas sáo medidas decisivas para tomar a vida
humana na Terra mais
sustentável.
- Os editores

28

SCIENTlFIC

AMERICAN

BRASil

xauríveis. E jamais se deram conta de que esse privilégio teria fimo
Entretanto, gra\=as aos avances na saúde pública, Revolucáo Industrial e, mais tarde, Revolucáo Verde, a populacáo mundial saltou de cerca de

a

a

Oq
evitá-Ias?
chefiada
liéncia de

1 bilháo de pessoas, em 1800, para quase 7 bilhóes

Europa,dos
trália - procur

hojeo SÓ nos últimos 50 anos, nosso número mais
que dobrou. Alimentada pela riqueza, a utilizacáo
de recursos também atingiu níveis assustadores. Em

meio de urna Q1
abrangente:
críticos" planetários,

50 anos, o consumo global de alimentos e água
doce mais que triplicoue o de combustíveis fósseis
quadruplicou. Agora, cooptamos entre 30% e 50%
de toda a fotossíntese no planeta.
Esse crescimento arbitrário fez com que a polui-

te global em um
de tudo o que já Coi Wito
Após examinar llIIlIIt10SC

\=aopassasse de um problema local para um ataque
global. A reducáo do ozónio estratosférico e as concentracóes dos gases de efeito estufa sáo complicacóes óbvias, porém muitos outros efeitos nefastos
estáo se manifestando.
A súbita aceleracáo do crescimento populacional,
o consumo de recursos e os danos ambientais mudaram a face da Terra. Passamos a viver em um pla-

l

nares de sistemas fíSicos e
-~cque nove proeessos ambieocüs amiopllmcial
de arruinar a capacidade do planeta de susrmrnr vida humana. Em seguida, estipulamos limites para eJes urna faixa dentro da qual a bnmanidade pode operar
em seguranca, Sete processos apresenram um limite
preciso (ver ilustraflio no pág. 29), definido científicamente por um úniro número (que obviamente contém certa margem de incerteza). Tris deles - a mudanca climática, a acidificacáo oceánica e a reducáo

Junho 2010

-.###BOT_TEXT###0 I. Todos os outros estáo se encaminhando aos seus limiares.!. A concentracáo de C02 já está em 387 ppm (a medida usual.'\O ~.sciam.¡". será ameacado..br do de carbono (C02) na atmosfera. v: Concentraciio on} {unidades DObs . Em dois casos .~~${ij .~a)(a de e)(tinqáO lrni\"IOes de espécies \I~ ~1\lp. CI o""1!!~1:! ~ 8. por volurne). a poluicáo de nitrogénio e a mudanca clirnáti- nha passado por urn significativo aquecimento induzido pelo homem. Caso contrário.~~ ~E § ~~ •.!)¡ PRt-tNOI..!.Embora nosso planeta já te- elevacóes de temperatura.mudanca climática e acidificacáo irreversível. "1.qQ 0'& &!hó..& '"'>'<!'S 4~ .. . sE ~ • E ::..'\ *'\.. ~S.-. o fluxo de nitrogenio e a mudan~a climática já excederam esses valores. cientistas e formuladores de políticas buscam meios para evitar as consequéncias mais devastadoras .~~C'&I)¡'_ . oceánica . f. mas o conjunto constitui urn surnário de "primeira ordem" das condicóes ambientais mais perigosas do mundo e propóe urna estrutura básica para pensar sobre como gerenciar essas ameacas. e o debate sobre os níveis de ernissáo de gases de efeito estufa capazes de provocar mudancas drásticas prossegue. e certamente experimentará novas permanecer dentro de certos limites.It<1~.. o espaco operacional seguro. '#. "1. A colora~áo indica o avance de um processo desde os níveis pré-industriais até ou além de certo limiar. Os limites individuais podem estar perfeitamente ajustados e outros poderáo ser acrescidos no futuro. '"1. 'VAl. :s'Fe.f ~fIJ A. que lancam dióxi- Nossa análise mostra que tres processos já excederam seus patamares: a perda de biodiversidade. (Os fluxos de nitrogenio e fósforo foram combinados porque tendem a ocorrer juntos.. ~Ú>.a. l}éJ . Os dois processos restantes . Mudanfa dimátial.inclusive a perda das plataformas de gelo polares. A compreensáo das causas de nossos problemas www.. outros quatro apontam o início de urna degradacáo mais urgentes nos fomece indícios de como solucioná- PROCESSOS AMBIENTAIS VITAIS devem los.e ATUAL: 283 . •. éJ¡..J~ -~ 11I C c: c: Ca¡ <i:r l 80 ..c(:J do ozónio estratosférico -constituem pontos críticos.: p!\É-INoUSTf\p.~fii"~ #s. Os valores aceitáveis sugeridos variam entre 350 e 550 ppm de SCIENTIFIC AMERICAN BRASil 29 .céJ~_ ~. =.E/':&'~ -&.: 'fiI. "F'q. A biodiversidade.¡l !.JS11/IAL: 2SÓ -•• ~ . no qual a humanidade pode existir..com..:..a poluicáo atmosférica por aerossóis e a poluicáo química global . ~.0 .• "'~ us rlJ~i2 vj ea • -'lo. o colapso dos estoques de água doce e o desequilibrio de sistemas climáticos regionais.o responsável é mais que conhecido: a utilízacáo de combustíveis fósseis. "~~~éJ/ .) ea. LIMITE: 276 por ano) 0..nao passaram por estudos táo extensivos e seus limites ainda nao foram definidos.

mas algumas a~Oesdecisivas conseguem mante-Ios dentro de esferas seguras. DA SOLUC.600 krn-' de água de rios.ÁO ~ Ecossistemas terrestres e oceánkos colapsam . adatar veículos híbridos Reduzír a utiliza~o de fertilizantes. A aplicacáo de adubos sintéticos mais que dobrou os fluxos de nitrogenio e fósforo no meio ambiente. Estamos perdendo espécies de cem a mil vezes mais rápido que as taxas naturais passadas. Melhoras drásticas na eficiencia global do consumo de água.dependem da aragonita para construir Jonathan Foley é diretor do Instituto do Meio Ambiente.A expansáo territorial é responsável por uma das maiores ondas de extincóes da história do planeta. A demanda futura pode ser fenomenal. Em consequéncia. razáo de 133 rnilhóes de toneladas de nitrogénio e 10 milhóes de a EM BUSCA DE SAíDAS Pennitir que processosambientais excedam certos limites pode ter graves implica~6es. que nao deságua mais no oceano. para manter o planeta bem distante de pontos críticos climáticos. constituindo outro Vários limites planetários correm risco de ser transpostos por práticas de utilizacáo da terra.Esse o primo menos co- A humanidade já sequestra 35% da superficie terrestre para cultivar alimentos e pastos. degradam numerosos lagos e rios e afetam áreas oceánicas litoráneas ao criar extensas "zonas monas" hipóxicas. há vários meses. pagar por servi~os de ecossistemas Reduzir a utiliza~o de fertilizantes. A acidez erescente pode enfraquecer severamente os ecossistemas oceánicos e as teias alimentares. que constituem a base da cadeia alimentar oceánica . a partir da página 58). Os esforcos para conservar a biodiversidade.l ••. deixando a superficie oceánica mais ácida. Esgotamento de (antes de água doce .o da Prodw. e o mar de Aral. Em nossa análise propomos uma meta conservadora. muitos rios caudalosos tiveram seu fluxo reduzido. o trabalho foi bem recebido e visto como o que pretendeu ser: um experimento complexo para tentar definir perigosas linhas "in- ~ g :5 ~ transponíveis" para o mundo. o mundo precisa agir imediatamente para estabilizar as emissóes e. a indústria (20%) e o uso doméstico (10%).A amplamente difundida utilizacáo de fertilizantes industriais desestabilizou a química do planeta. é é nhecido da mudanca climática. retiramos anualmente assombrosos 2. Os oceanos sáo naturalmente neutros. necessitam de muito mais atencáo. pagar por servkos de ecossistemas Adotar energia e combustíveis de baixo teor de carbono.testar efeitos de novas substancias químicas 30 SCIENTlFIC AMERICAN BRASil toneladas de fósforo por ano. A hnplical¡a. Exemplos incluem o rio Colorado. de 350 ppm.motivo contundente para que nacóes rumem para um futuro energético mais pobre em carbono. para atingir essa meta. outros estáo secando por completo. seus esqueletos. que aumentem a producáo de alimentos e sustentem o meio ambiente. mas os dados mostram que esse valor já caiu para quase 8 e continua baixando. PROCESSOS AMBIENTAIS CONSEQUENCIAS TRANSPOSIC. conchas e carapacas. em longo prazo. Sáo necessárias novas práticas agrícolas. outros nao 8 Junho 2010 ex -c ¡¡j "' . Esse índice constatado em ecossistemas tanto terrestres como marinhos e pode minar processos ecológicos em escala regional e global. é Poluifiío por nitrogenio e fósforo . agora em grande parte desertificado. particularmente para a irrigacáo.ur:u~· OOw'ft@dtm r:. melhorar a eficiencia agrícola. com um pH de aproximadamente 8. As duas substancias causam intensa poluicáo da água. A medida que as concentracóes atmosféricas de C02 aumentam. ele trabalha principalmente com o vfnculo entre o uso da terra. Muitas criaturas .de corais a uma infinidade de fitoplánctons. fomos abertamente criticados por alguns cientistas pelo sim- " ples fato de termos tentado fixar limites. destruir ecossistemas naturais. Entretanto. a agricultura e o meio ambiente global. De modo geral.:iloque utilizamos para quantificar essa mudanca é o nível decrescente de aragonita (uma forma de carbonato de cálcio). lagos e aquíferos para a irrigacáo (70%).o de Alimentos Mas.2. que se forma na água superficial. com isso. reduzir escoamento superficial de fertilizantes Melhorar eficiencia da irriga~o. nas próximas décadas. processar dejetos animais. e a expansáo agrícola a principal motivacáo para abrir novas áreas de plantio e.Ao redor do globo.(Para saber mais. na Asia Central. taxar emissOes de carbono Limitar a expansác urbana. A mensura<. instalar dispositivos de baixo fluxo de água Eliminar os hidroclorofluorcarbonos (HCFCs).a. C02. processar melhor refugos humanos Adotar energia e combustíveis de baixo teor de carbono. observadas no registro geológico. ajudariam a evitar perdas mais sérias ainda. reduzi-las substancialmente . Com formacáo em ciencias atmosféricas. a quantidade de dióxido de carbono que se dissolve na água em forma de ácido carbónico cresce. Acidificafiio oce!inica . particularmente nas sensíveis florestas tropicais. da University of Minnesota. Perda de biodiversidade . ver "Solu{Oes para amea{as ambientais". processar dejetos animais. suscitou um saudáve\ debate científico.ÓES posslvElS Reduzir o desmatamento e o desenvolvimento de terras. Fiquem Bem Longa A publicacáo inicial de nosso estudo na revista Nature.

112-119. Johan Rockstrórn et al. Nesse momento crítico. As prementes questóes da mudanca climática e acidificac. e a degradacáo das terras.. isso nao é o que propomos! A sociedade nao deve permitir que o mundo se eneaminhe para um limite antes de agir. Ao avancarrnos. fósforo tem o potencial de minar a capacidade de re- ~ ~ o :¡ . e previmos muitas delas. Independentemente de quanto as nossas solucóes térn sido bem-intencionadas. desde que ela se mantenha dentro dessas delimitacóes. Eis algumas ideias iniciais: • Fazer a transicáo para um sistema energético eficiente. as delimitacóes estáo intima- GIGANTESCAS FLOREScENCIAS algas no mar Negro (redemoinhos verdes na parte inferior) sáo alimentadas por escoamentos agrícolas levados pelo rio Danúbio (embaixo). porque todos eles representam uma crise ambiental.ao oceánica exigem que estabilizemos as concentracóes atmosféricas de C02 o quanto antes e preferivelmente abaixo de 350 ppm.particularmente para aprimorar os números. _ SCIENTIFIC AMERICAN BRASIL 31 . Entretanto. 2009. Vários limites. outubro de 2009. devemos reconhecer que nao existe um simples manual de regras para alcancar um futuro mais sustentável. nao basta que os cientistas apenas definam os problemas e cruzem os bracos. matando a vida aquática .html Planetary boundaries: exploring the safe operating space for humanity.org/ planetary-boundaries A medida que implantarmos solucóes. sobretudo nos trópicos. Commentaries: planetary boundaries.com/ climatefeedback/2009/09/ planetary-boundaries.nature. podemos estar encorajando as pessoas a pensar que a destruicáo ambiental é aceitável. sáo afetados por nossos sistemas agrícolas industrializados.br da • proporcional de fontes alternativas de energia de baixo carbono. págs. inclusive os ligados a poluicáo de nitrogénio e ao consumo de água. vol. Para maximizar essa capacidade rápida de recuperacáo. Johan Rockstrórn et al. nº 2. http://blogs. Ponto de Partida A medida que o mundo se empenha em atender as exigencias económicas. Refrear drasticamente o desmatamento. em Nature. vol.stockholmresilience.com. A sociedade já comecou a enfrentar alguns desafios. além da utilizacáo muito mais eficiente de água e fertilizantes. sociais e ambientais para a sustentabilidade global. tomando cada limite isoladamente. ele exerce pressáo sobre outros. Um avance de 30% a 60% rumo a qualquer fronteira de seguranea também causará danos severos. instituicóes políticas e acóes sociais. aumentando o risco de excede-los. entre elas o desenvolvimento de novas variedades de plantas e técnicas de agricultura de precisa o. de baixo teor de carbono. teremos de fazer o melhor possível para viver dentro dos limites de um planeta que está enco!hendo.sciam. E esperávamos que os resultados estimulassem discuss6es na comunidade científica. Instamos as pessoas a serem suficientemente espertas e altruístas (em relacáo a geracóes futuras) e ficarem o mais longe possível dos limites. págs. estáo comprometidos em raza o da incessante expansáo de assenta- • mentos humanos. www. Isso nos ajudaria simultaneamente a me!horar a resiliéncia de sistemas naturais e humanos..'" ex z ~ ~ ~ o: '2" ~ ~ -c '"oo '~ " -c z . ultrapassar a barreira da seguranca climática pode impulsionar os índices de extincáo. é preciso respeitar um amplo conjunto de limites planetários. a tentativa de resolver um fator de cada vez fracassará com grande probabilidade. Abordagens inovadoras sáo possíveis. em Ec%gy and Society.. a poluicáo por nitrogénio e eficiencia energética e uma subsequente oferta DE • PARA CONHECER MAlS A safe operating space for humanity. particularmente a perda de biodiversidade. É necessário comecar a propor solucóes. acelerando acentuadamente a perda de biodiversidade. Por exemplo. 461. Sabíamos que a nocáo de limites exigiría mais estudos . Similarmente. 24 de setembro de 2009. 14. vol. o ~ 8 cuperacáo de ecossistemas aquáticos. A maioria das críticas tem sido razoável. 3. Muitos limites planetários. Nature Reports Climate Change. Parece que esse desejo se concretizou.: ti:: ~ ~ o .concordam com os números que estipulamos.. Investir em práticas agrícolas revolucionárias.um exemplo da natureza interligada de processos ambientais vitais. mantendo-nos rigorosamente atentos a nossa limitada compreensáo dos processos humanos e ambientais. para que eles se tornem mais robustos e menos vulneráveis a choques inesperados com muita probabilidade de ocorrer. artigo 32. Para que fique bem claro. Quaisquer padr6es de referencia ou práticas inovadoras devem nos permitir reagir a alteracóes nos indicadores da saúde ambiental e necessidades sociais. ao determinar limites.. desenvolveremos novos princípios operacionais para nossos sistemas económicos. como o uso da terra e da biodiversidade. Essa mudanca implicará grandes aprimoramentos www. mente interligadas. Mas sentimos que o conceito era poderoso e ajudaria a estruturar um pensamento coletivo sobre limites ambientais para a existencia humana. 472-475. Talvez o comentário mais importante seja que. Quando um limiar é transposto. mas apenas de um modo incipiente e parcial.

. porém.. a solucáo é conservar energia e utilizá-Ia com mais eficiencia. (As emissóes de veículos tradicionais na realidade aurnentam quando o motor funciona em marcha lenta. Além disso. ainda assim... o país está criando" áreas de conservacáo com fun~o ecossistérnica". Junho 2010 . conservando simultaneamente servi~os ecossistémicos vitais. a maioria dos animais era alimentada com plantas cultivadas localmente e os dejetos retomavam as lavouras como adubo. Dependemos dela para a nossa seguran~ alimentar. Se o país quer depender de biocombustíveis. O ideal seria comer came procedente de animais criados em pastos de gramíneas perenes. madeira e outros servkos biológicos e físicos... como gra- míneas. haveria menos dejetos e menos fertilizantes sintéticos seriam necessários para cultivar alimentos para as cria~óes. muitos fazendeiros poderiam utilizar menos fertilizantes e... mitigando mudencas dimáticas. como centeio ou trigo. Além disso. Primeiro: novas ciencias e ferramentas para valorizar e contabilizar o capital natural em termos biofísicos. A solu~o? Exigir que os praticantes da Cafo processem os refugos animais. lidade dirnática. mas de muitas áreas protegidas e amplamente espalhadas . Come" University É hora de enfrentar a dura realidade de que as abordagens tradicionais de conserva~ao de espécies específicas estáo condenadas ao fracasso. em vez de milho. Hoje. A atividade humana alterou acentuadamente o fluxo de nitrogenio ao redor do globo. água limpa. O govemo da Costa Rica remunera proprietários de terras pelos servi~osdos ecossistemas de florestas tropicais.. económicos e outros. que inclui políticas inovadoras e mecanismos financeiros para recompensar a conser~o e a restaura~o. Vários estudos sugeriram que. a queima de combustiveis fósseis domina o problema em algumas regióes. peixes e frutos do mar. O maior contribuinte isolado para isso é a aplica~o de fertilizantes. corporacóes e comunidades para ajudar na~óes a construír economias mais duráveis. Na agricultura.sob perspectivas económicas e culturais. Por exemplo. exatamente como os municípios sáo obrigados a fazer com a matéria residual humana. Daily.Terceiro: cooperacáo entre govemos. prod~ de energia hidrelétrica. Tres medidas de vanguarda ajudariam o resto do mundo a ampliar esses modelos de sucesso. as perdas de nitrogenio podem ser reduzidas em 30% ou mais se os agricultores plantarem lavouras de cobertura no invemo. seria melhor cultivar gramíneas e árvores para queimá-Ias e gerar calor e eletricidade. As reservas naturais existentes sáo pequenas demais... na sigla em ingles) constitui um problema enorme. tornando o retomo do esterco ao campo "antieconómico". A Colómbia e a África do Sul também adotaram drásticas mudancas de políticas.) As emissóes de usinas elétricas dos Estados Unidos também poderiam ser muito reduzidas se as instala~óes que transgridem a Lei do Ar Puro e suas emendas fossem obrigadas a respeitálas.. pouco numerosas. se consumíssemos menos came. que govemos e corporacóes podem empregar no planejamento da utiliza~o de terras e recursos. professora de ciencia ambiental. _ _ . a quantidade de nitroqénio que descerá o rio Mississippi para alimentar as zonas mortas no Golfo do México poderá aumentar de 30% a 4O%. Nao podemos continuar tratando a Natureza como um bufe de consumo ilimitado. A polukáo por nitroqénio resultante da chamada Operacáo Concentrada de Alimenta~oAnimal (Cafo. organiza~óes de desenvolvimento. que ajudam o solo a reter nitrogenio. Há relativamente pouco tempo.. essas usinas poluem muito mais que a quantidade de eletricidade que produzem. O escoamento superficial de lavouras de milho em particular é evitável porque suas raízes penetram apenas alguns centímetros no solo e assimilam nutrientes só durante dois meses do ano. professor de ecologia e biologia ambiental... Veículos híbridos constituem uma excelente opcáo: as emissóes de nitrogenio sáo significativamente inferiores as de modelos tradicionais. A explosiva expansáo da produ~o de etanol como biocombustível também agrava seriamente a poluicáo por nltroqénio. Para manter esses benefícios. Além disso. se as metas de etanol estipuladas pelos Estados Unidos forem akarcadas. Melhor ainda seria cultivar plantas perenes. eles sáo tratados com produtos cultivados a centenas de quilómetros de distancia. o Projeto Capital Natural criou o software InVEST. inclusive a compensa~o de carbono. Entretanto. estabi. A polukáo de nitroqénio e as emissóes de gases de efeíto estufa seriam muito inferiores. que compóem 18% de sua área terrestre. Stanford University • CICLO DO NITROGENIO Robert Howarth.. Segundo: dernonstracóes convincentes dessas ferramentas em políticas de recursos.como" esta~óes de servi~os de ecossistemas" . e no desevolvimento de infraestrutura.. nao necessitamos apenas de reservas remotas.COMOENFRENTARAMEACAS I Especialistas revelam El ScIENllFIC AMERICAN quais acóes rnsnteráo os processos sob controle o PERDA DE BIODIVERSIDADE .. O desafio é tomar a conservacáo atraente . Essasculturas também favorecem a reten~ao de carbono. Alguns pioneiros estao integrando a conserva~o e o desenvolvimento humano.que integra a valoriza~o de servkos ecosslstémicos e trocas... muito isoladas e excessivamente sujeitas a mudan~s para poderem sustentar mais que apenas uma diminuta fra~o da biodiversidade da Terra.. Gretchen C. as quedas de produtividade seriam mínimas ou inexistentes. pois as perdas de nitrogenio sáo muito inferiores. nos anos 70.. Proporcionalmente.. A China está investindo US$ 100 bilhóes em "ecocorroensacáo". porque os motores desligam enquanto o veículo está estacionário. como no nordeste dos Estados Unidos..A melhor altemativa seria abrir máo da produ~ao de etanol de milho.. con~o de biodiversidade e beleza 32 SCIENTIFIC AMERICAN BRASIL cenica.. Nesse caso.

diretora de políticas' do Projetode Ciencia Econ6mica Climática e Energética. deveriarnos adatar políticas que minimizem os custos e preservem a dedsáo consensual de agía por muitos anos. porque eleitores indignados exigirao a derrubada de um programa que. Acordos intemacionais tambérn deveriam permitir comprometimentos baseados em preces como uma alternativa para rígidos limites de emissóes que pos-sam se mostrar inviáveis. Para controlar o impacto causado pelo uso da terra.Jistemas terrestres. Também se podem poupar mais terras para a Natureza ao converter em leis rigorosas políticasde "reserva·. Estamos nos arriscando a atingir um ponto em que qualquer aumento de produgio de alimentos (sem mencionar os biocombustiveis) acarretaria um acelerado desmatamento de florestas tropicais e outros ecossistemas. A necessidade de terras cultiváveis também pode ser reduzida se diminuirmos o desperdício ao longo da cadeia de distribuigio alimentar. Uma faixa de preco regulamentada manteria o custo das emissóes suficientemente alto para obter redu~óes ambiciosas. 5 ~ o. nos50S dois objetívos sáo conservar o fósforo como um recurso e reduzir seu escoamento das lavouras.AMBIENTAIS 1 ~ i ~ 8 ~ s 1:. E reduziriam o desperdício em vias aquáticas de 22 para 8. garantirmos uma distribuigía mais justa de alimentos no mundo e Iimitarmos significativamente o consumo de came em países ricos. bem como uma expansao das lavouras para tenras marginais. O fluxo de fósforo mais sustentável no meio ambiente seria o natural: 7 milhóes de toneladas por ano. Portanto. Políticas climáticas baseadas em pre~os podem evitar limites económicos e políticos desse genero. Diante da dificuldade disso. em vez do que é necessário para evitar cenários perigosos. Stanford University e Universidadede Louvain A demanda de fósforo está cr~endo mais rápido que a populacáo gra~ a melhoria das condi~óes de vida. a razáo de 7. professor de. É possível evitar a perda das melhores terras agrícolas ao controlar sua degradagio. Para atingir esse marco e ainda assim atender a nossa demanda. Brookings Institution Eric F. porém razoável.e poderia ser eliminada no transporte do estrume até áreas agricolas para ser aplicado como adubo.~U!»~9. Outra possibilidade é o sistema" cap-andtrade" (o comércio de cotas de emis5ÓeS de gases).Ambiental'e Oceanica. o que danifica ecossistemas costeiros. Essa flexibilidade abrandaria as preocuparóes de países em desenvolvimento de que esse teto refreie a redu~ao da pobreza. Com base no que é praticável..aoatrnosférica". Técnicas agricolas de conservagio.. A maior parte está contida em dejetos de animais de fazendas que ainda nao sao reciclados .VlE!lna. e um aumento do consumo implicaria uma reciclagem mais ihtensiva.. teriarnos de reciclar ou reutilizar 72% do produto."eXigeuma avaliagio de wstos e beneficios para alcan~r metas diferentes e estipular quem pagará. essas a~óes sáo perfeitamente viáveis.5 milhóes de toneladas/ano acabam nos mares .lntemamente. as tecnologias existentes podem aumentar a recuperagía entre 50% e 85%. como plantio direto e terraceamento. Essa medida exigirá um zoneamento e a www. mas limitaria os riscos a economia se o teto se mostrasse rigoroso dérnels.br adagio de práticas agrícolas mais eficientes. Stevens/nstitute ofTechnology Adele C. poderiarn limitar a quantidade de fósforo que entra nos ríos..cerca de 5.queestabilize os gases de efeito estufa. precisamos focalizar a distribuigio global das lavouras. as reservas prontamente disponíveis duraráo menos de um século.2 milhóes de toneladas por ano. É possível reduzir o fluxo com tecnologias existentes.Monis. em sua opiniao. o depauperamento de água doce e a expansao urbana. Um tratado climático poderia permitir que as na~óes aceitem uma taxa para emissóes acima de determinado nível. economizando 1 milhao de toneladas/ano. corno fez a Uniao Europeia (UE). CICLO .~ciam. taxa para gás de efeito estufa aplicada a toda a economia.¡ z !! t.. com produtividade menor. De acordo com os índices de consumo atuais.é oneroso dernais..Costa Rica)conseguiram fazer a transigía do desmatamento para o reflorestamento.com.25 milhóes de toneladas/ano . em que as permissóes de emissóes sáo comercializadas a preces que aumentem com o tempo.~t~~!~J]~USODATERRA David A Vaccari. detenninar uma concentra<. SCIENTIFIC AMERICAN BRASil 33 .nao muito acima do fluxo natural. Uma agricultura intensiva deveria se concentrar em terras que tem o melhor potencial de gerar lavouras de alta produtividade. diretorde Engenharia Civil.m" DO FÓSFORO ~.Alguns países em desenvoIvimento (China. de 22 milhóes de toneladas/ano. Lambin. Embota aparentementeseja {ma dedsao dentfflCa. particularmente nos países em desenvolvimento. O primeiro passo é nao acabar com esse incipiente consenso com ambi~óes de curto prazo. uma opgio é uma crescente. encorajarmos um cresdmento populacional mais comedido. No caso dos resíduos humanos.aosignificativa desse solo de excelente qualidade está sendo perdida. Mas uma fra<. 1550 ocorreu g~ a um melhorgerenciamento ambiental e a uma forte determinagio para modernizar o uso da terra.

precisamos parar de lan~r C02 na atmosfera e. proteger florestas e explorar tecnologias para o sequestro de carbono.quando a eveporacáo e o consumo ultrapassam o reabastecimento natural por meio da predpitacáo ou de outras fontes.As incubadoras de crustáceos podem controlar a química da água e produzir espécies mais robustas. como células fotovoltaicas e energia eólica. como mexilh6es.Doney. causada principalmente por ernlssóes de usinas elétricas e industriais. o CO2 oriundo de sua decornposkáo acidifica a água. milhoes de pessoas podem substituir dispositivos ineficientes por outros mais funcionais. Garantir que as na~6es de fato siga m os regulamentos. ou bacia hidrográfica. adotar energia renovável e nuclear. As principais táticas sáo melhorar a eficiencia energética.~~!I~~~~~º . Regionalmente. Mais controverso é defini-Ios ou determinar que medidas deveráo ser tomadas para que nos restrinjamos a eles. reduziu em 95% a utiliza~ao de substancias que empobrecem o ozónio . norte da China e partes do vale central da Califómia.Administra~o Nacional Qceanica eAtmosférica Scott C. Localmente. ~. protegendo simultaneamente a camada de ozónio. a água acídica poderia ser protegida com calcário ou bases químicas produzidas eletroquimicamente a partir de água e rachas marinhas. em grande parte. em algum momento. tomando-os mais capazes de resistir a certa acidifica~o. • Mantero Painel deAvalia~aoTecnológica e Económica. No decorrer de duas décadas. já excedemos claramente o pico ecológico da água em muitas bacias ao redor do mundo. até 21 OO.: ~ ~ z o 2j '" -c 8j "'8 1 .. em conjunto. como nas hacias fósseis de águas sebterráneas das grandes planícies. onde ocorreram danos imensos. Os dois painéis também teráo de avaliar.p ~ 'e f ~ s 11 1 z BURACO DE OZÓNIO (azul) Junho 2010 ~ ~ ~ ~ . mas amplifica a acidifica~o. O excesso de nutrientes estimula o crescimento do fitopláncton e. Gleick. para detectar imediatamente quaisquer mudencas inesperadas. Outra maneira de desaever essa restri~o é o conceito de "pico d'água" (quando o índice de demanda é maior que o do reahastecimento do suprimento). Outra medida é reduzir a chuva ácida. por exemplo. « z :. Embora seja difícil quantificar precisamente esse ponto. os ecossistemas marinhos teráo de se adaptar. enquanto nos afastamos de uma economia baseada em combustiveis fósseis. Tres ideias diferentes silo úteis. Iimites de "picos renováveis" constituem o total de fluxo renovável de um desaguadouro. talvez. India. Como resultado disso. A boa noticia é que o potencial para economizar. Nas residencias. Mais prático.que só será completada em 2030. arcondicionado e materiais isolantes de espu-ma pode ser atendida. Muitos dos principais rios da Terra já se aproximam desse limite . Precisamos ser mais inteligentes sobre como adubamos lavouras e gramados. e como tratamos o estrume de animais e nossos próprios sistemas de esgoto. a elimina~ao paulatina dos HCFCs. Nessas bacias. de substitutos intermediários.. Limites de pico" nao reno-váveis" se aplicam onde o consumo de água por humanos excede em muito os índices de reahastecimento natural. Ele atribui causas as mudancas na camada de ozónio e avalia novas substancias químicas quanto ao seu potencial de destruí-la e contribuir para a rnudanca climática. O atual sucesso depende de vários passos: • Continuar observando a camada de ozónio. 34 SCIENTIFIC AMERICAN • DEGRADACAO DO OZONIO . como a polui~o da água e a sobrepesca. nos termos da Conven~ao de Viena para a Prot~ao da Camada de Ozónio.Fahey. Espera-se que a queda do pH oceánico acelere nas próximas décadas. o Protocolo de Montreal. sua produ~o foi suspensa nas 195 nacóes signatárias do protocolo. físico.~ ..especialmente os clorofluorcarbonos (CFCs)e os halons. Moluscos larvais. presidente do Pacific Institute David W. notadamente os hidroclorofluorcarbonos (HCFCs) e a crescente utiliza~o de compostos que nao provoca m degrada~ao. o escoamento de nutrientes para águas costeiras nao apenas cria zonas mortas.LJbia. Instituto Oceanográfico Woods Hole Os oceanos esta o ficando mais ácidos por causa das ernissóes mundiais de dióxido de carbono. Podem-se cultivar mais alimentos com menos água (e menor contamina~o desta) ao passar da irriga~o convencional por aspersáo. particularmente máquinas de lavar. provavelmente é proteger vivedouros específicos' para crustáceos e indústrias pesqueiras de aquicultura. as rnudancas climáticas e a recuperacáo da camada de ozónio. regionais e locais viáveis. Em termos globais. a medida que os custos e os esforcos necessários para conseguir aumentar novamente o recurso minguante se elevam . juntamente com o monitoramento e o gerenciamento mais acurado da umidade do solo. sem prejudicar a saúde humana ou a produtividade económica é vasto. Essaconquista dependeu. mariscos e ostras.~~~º~~ • ACIDIFICACAO OCEANICA . Usinas elétricas convencionais podem passar do resfríamento a água para um resfríamento a seco. a medida que este morre. em parte. para sistemas de gotejamento e sprinklersde predsáo. Peter H. porém. BRASIL Poucos observadores racionais negam a necessidade de se estabelecerem limites para o consumo de água doce. um aumento de extra~ao é seguido por um equilíbrio e depois uma redu~o. Ele fomece íntormacóes sobre tecnologias e compostos substitutos que aju-dam as nacóes a determinar como a demanda de dispositivos para refrigera~ao. nos Everglades. como os hidrofluorcarbonos (HFCs). Podemos aumentar suas chances de sucesso ao restringirmos outras agress6es. e mais energia pode ser gerada porfontes que utilizam nenhuma ou extremamente pouca água. parecem ser mais suscetiveis a acidifica~o que adultos. I :. É possível promover melhorias na eficiencia do consumo de água em muitos setores.. no vale Sarrarnento-Sáo Joaquim e em muitas bacias fluviais na China. e reciclar conchas velhas no lodo pode ajudar a proteger o pH e proporcionar um substrato melhor para a fixa~o larval. fazer retroceder sua concemracáo a níveis pré-industriais. a degrada~o do ozónio estratosférico reverterá. ~~. A partir de 1Q de janeiro.um conceito similar ao do pico de produ~o de petróleo. • Manter o Painel deAvalia~ao Científica sob o protocolo. portanto. instala~oes sanitárias e chuveiros. porém existem solucóes globais. Água de "pico ecológico" é a ideia de que retiradas crescentes de um sistema hídrico acsbaráo atingindo um ponto em que qualquer beneficio económico extra para extrair a água é suplantado pela destrui~o ecológica adicional causada por isso. cientista senior. como no mar de Aral. A chuva nao para ao atingir a linha costeira.