NR 18 PROPOSTA DE ALTERAÇÃO

PLANO DE TRABALHO
Aprovado pelo CPN em 15 MAI 201

Processo de Regulamentação
Definição de prioridades
Formulação de texto técnico básico
Consulta pública
Discussão tripartite
Análise final
Publicação
Acompanhamento da implementação

PLANO DE TRABALHO
1-Elaboração e apresentação do texto
base
• Apresentação da proposta elaborada pela SIT ao
CPN em 15/05/2013, anteriormente à
disponibilização em consulta pública.

PLANO DE TRABALHO
2- Consulta Pública
• Realizada por 60 dias no período de 20/05/2013
a 22/07/2013, com harmonização das sugestões
nas semanas de 22/07-03/08/2013.

PLANO DE TRABALHO
3- Elaboração de proposta de texto
regulamentar
• O texto normativo será elaborado por 4 GTTs com
reuniões mensais de três dias cada sob
acompanhamento do CPN e gestão por dois
coordenadores da CGNOR, possibilitando em seis
meses de trabalho dos GT a estruturação de
proposta de norma, com reuniões de avaliação e
harmonização.
• Cada GTT, formado por três representantes de cada
bancada, discutirá determinados temas da Norma

9. Formação • 18.5.DF • 18. Áreas de vivência • 18. Organização dos canteiros de obra e frentes de trabalho • 18.27 Atividades em vias públicas .8.PLANO DE TRABALHO GTT GTT1 – Organização do Canteiro .

Demolição 18. Serviços em plataformas flutuantes .PLANO DE TRABALHO GTT GTT2 – Eletricidade .4 Controle de Energias Perigosas 18.26. Trabalho a Quente 18.13.10 Instalações Elétricas 18.19.12 Armazenagem e Estocagem de Materiais 18.DF • • • • • • 18.

11 Máquinas. Armações de aço • 18. Revestimentos e Acabamentos . Equipamentos e Ferramentas Diversas • 18. Fundações.16. Drenagem e Pavimentação • 18.SP • 18.PLANO DE TRABALHO GTT GTT3 – Máquinas e Equipamentos .15. Estruturas de concreto • 18. Desmonte de Rochas.17.14 Escavações. Carpintaria • 18.24 Alvenaria. Terraplenagem.

rampas e passarelas • 18. Medidas de proteção contra quedas de altura • 18.21.25. Cabos de Aço.23.PLANO DE TRABALHO GTT GTT4 – Trabalho em Altura .22. Cintas e Cabos de Fibra Sintética • 18. Escadas. Andaimes • 18. Telhados e Coberturas .20.18. Estruturas metálicas • 18.SP • 18.

CRONOGRAMA DE TRABALHO . 18. • Início dos trabalhos dos grupos em separado.GTT 19-23/08 DF • Participação de todos os integrantes e dos dois coordenaodres da CGNOR • Discussão do procedimento de trabalho dos GTT. . • Discussão dos itens 18.3.2 e 18.1.

15 e 16 – SP GTT3 • 16. 19 e 20 – SP GTT4 Outubro • 30/09. 03 e 04 – DF GTT2 • 14. 17 e 18 – SP GTT3 • 18.CRONOGRAMA DE TRABALHO . 05 e 06 – DF GTT2 • 16.GTT Setembro • 02. 03 e 04 – DF GTT1 • 04. 17 e 18 – SP GTT4 . 01 e 02 – DF GTT1 • 02.

05 e 06 – DF GTT1 • 06. 07 e 07 – DF GTT2 • 18.CRONOGRAMA DE TRABALHO .GTT Novembro • 04. 21 e 22 – SP GTT4 Dezembro 02-06 – Belém • Reunião de avaliação do processo e ajuste do calendário para o ano de 2013 • Participação do CPN na PREVNORTE . 19 e 20 – SP GTT3 • 20.

06 e 07 – DF GTT2 • 17. 11 e 12 – DF GTT1 • 12. 13 e 14 – DF GTT2 • 24.GTT Fevereiro/2014 • 03. 18 e 19 – SP GTT3 • 19. 27 e 28 – SP GTT4 . 04 e 05 – DF GTT1 • 05. 25 e 26 – SP GTT3 • 26. 20 e 21 – SP GTT4 Março/2014 • 10.CRONOGRAMA DE TRABALHO .

DF • Harmonização do texto final para apresentação para a CGNOR . 06 e 07/05 – SP GTT3 • 07.GTT Abril/Maio 2014 • 07.CRONOGRAMA DE TRABALHO . 10 e 11/04 – DF GTT2 • 05. 08 e 09/05 – SP GTT4 19-23/05 Reunião com todos os GTT . 08 e 09/04 – DF GTT1 • 09.

Elaboração de proposta de texto regulamentar • O texto final será harmonizado pela CGNOR no mês de junho discutido em Julho com a coordenação da CTPP e apresentado para a CTPP na reunião seguinte (provavelmente agosto).PLANO DE TRABALHO 3. .

PLANO DE TRABALHO 4. .Aprovação e Publicação • A proposta de norma será apresentada à CTPP e publicada pela SIT.

Revisão da NR-18 – principais aspectos • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • ÍNDICE 18.20.17. Equipamentos e Ferramentas Diversas 18.22.11 Máquinas. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção .15. Drenagem e Pavimentação 18.4. Trabalho a Quente 18.23.PCMAT 18.1.30. Disposições gerais 18. Acidente fatal 18.13.5.28. Carpintaria 18.12 Armazenagem e Estocagem de Materiais 18.27 Atividades em vias públicas 18.9. Serviços em plataformas flutuantes 18.26.25. Fundações. Objetivo e campo de aplicação 18. Estruturas metálicas 18. Andaimes 18. Comunicação prévia 18.18. Telhados e Coberturas 18.21. rampas e passarelas 18. Áreas de vivência 18. Demolição 18.2. Estruturas de concreto 18.16. Glossário .19. Controle de Energias Perigosas 18. Organização dos canteiros de obra e frentes de trabalho 18. Formação Profissional 18. Terraplenagem. Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho 18.3. Cabos de Aço.24 Serviços de Impermeabilização 18.10 Instalações Elétricas 18. Armações de aço 18.7 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes 18. Escavações. Desmonte de Rochas.6.8.29. Medidas de proteção contra quedas de altura 18. Cintas e Cabos de Fibra Sintética 18. Escadas.14.

o proprietário do imóvel.CEI. Sociedade com Propósito Específico – SPE.1 Para fins desta NR. a empresa construtora.1. considera-se responsável pela obra ou frente de trabalho o inscrito no Cadastro Específico do INSS .1. . • b. • c. ou seus sócios ou consorciados. o dono da obra ou o incorporador de construção. pessoa física ou pessoa jurídica. o Consórcio.Revisão da NR-18 – principais aspectos • Objeto e campo de aplicação 18. podendo ser: • a.

cronograma de implantação das medidas preventivas definidas no PCMAT em conformidade com as etapas de execução da obra. com sua carga horária. dimensionamento e especificação das áreas de vivência. Plano de Ações em Emergências – PAE. projeto das instalações elétricas temporárias atendendo ao disposto na NR-10. . levando-se em consideração riscos de acidentes e de doenças do trabalho e suas respectivas medidas preventivas. especificação técnica das proteções coletivas e individuais a serem utilizadas. d. programa de treinamento e capacitação contemplando a temática de prevenção de acidentes e doenças do trabalho. c. layouts inicial e atualizado do canteiro de obras contemplando as áreas de vivência.3. f. g. b.Revisão da NR-18 – principais aspectos 18. h. exigências contidas na NR-9. e. projeto de execução das proteções coletivas em conformidade com as etapas de execução da obra. se houver. com definição e localização das instalações temporárias ou móveis. j. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção – PCMAT Integram o PCMAT: a. i. Análise de Risco das atividades e operações.

g) Verificação da inexistência ou controle da energia perigosa. envolvendo as seguintes etapas: a) Preparação e Comunicação. d) Bloqueio.4. k) Liberação para a retomada da operação. desativando os dispositivos normalmente utilizados. c) Isolamento das fontes de energia do equipamento ou sistema por dispositivos de isolamento.4 Controle de Energias Perigosas 18. h) Liberação dos serviços i) Comunicação após encerramento dos serviços. j) Retirada dos bloqueios. das etiquetas e do dispositivo de isolamento após a execução dos serviços. b) Desligamento dos equipamentos ou sistemas que possam intervir na atividade por meio de todos os tipos de controle existentes (botoeira.Revisão da NR-18 – principais aspectos 18. f) Neutralização da energia. disjuntor. e) Etiquetagem. válvula dentre outros). deve ser implementado o controle de energias perigosas. • • .1 Nas situações indicadas na Análise de Risco ou previstas nesta Norma.

Revisão da NR-18 – principais aspectos • • • • • 18.5. Formação Profissional legalmente habilitado trabalhador qualificado trabalhador capacitado Capacitação e Treinamento .

• b.6. .2 O dimensionamento dos Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho deve considerar os seguintes requisitos: • a.4 O Quadro I aplica-se às empresas enquadradas no grau de risco 3 e o Quadro II aplica-se às empresas enquadradas no grau de risco 4. naquilo em que não conflitarem com o disposto neste item. 18. Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho 18.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.6.6. número total de trabalhadores do canteiro de obras.6.3 Aplicam-se às empresas da indústria da construção as demais disposições previstas na NR-4. 18. gradação do risco da atividade principal do canteiro de obras.

Revisão da NR-18 – principais aspectos .

Revisão da NR-18 – principais aspectos .

d) local para refeições. g) lavanderia.8.1. . c) alojamento. e) local para descanso após a realização das refeições adequado ao número de trabalhadores f) cozinha. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias. 18. b) vestiário para troca de roupa dos trabalhadores que não estejam alojados no canteiro. Áreas de vivência. * separadas por gênero. quando houver preparo de refeições. quando se tratar de canteiros com 100 (cem) ou mais trabalhadores. j) abrigos provisórios capazes de proteger os trabalhadores contra intempéries nos trabalhos realizados a céu aberto. * trabalhadores alojados. que atenda às frentes de trabalho. i) ambulatório.8. h) área de lazer. quando houver homens e mulheres no local de trabalho.Revisão da NR-18 – principais aspectos 18.

Lavatórios.7.2. 18. 18.8. Alojamento.13.8.2. Chuveiros.2.8.8.8.8.8. 18.11.8.14 Fornecimento de água potável.4. 18.8.2. 18.2. 18.8. Vestiário. Mictórios. 18.2.8. Área de lazer. Gabinetes sanitários.5. Lavanderia.12.9.10. Local para refeições. 18.2. 18.Revisão da NR-18 – principais aspectos • • • • • • • • • • • • 18.8. 18. 18.2.6. .2.8.2. Áreas de vivência.2. Cozinha.

5.9.9.9. Organização dos canteiros de obra e frentes de trabalho • 18. Tapumes e Galerias .2 Destinação de Resíduos e Sobras de Materiais • 18.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.9.9. Barreiras.4 Sinalização de Segurança • 18.3 Vias de Circulação • 18.

• 18. • 18. 10 . . 10 . 10 .9. alínea “h”.2 As instalações elétricas devem possuir projeto elétrico assinado por profissional legalmente habilitado.1.1 A utilização da tensão de segurança desobriga o cumprimento do disposto no item 18.3.10 Instalações Elétricas • 18.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18. em conformidade com o item 18.3. • 18.1.1 As instalações elétricas temporárias e definitivas devem atender ao disposto na NR-10 e nas normas técnicas oficiais vigentes. 10 .2 As disposições contidas nesta Norma aplicam-se igualmente às instalações elétricas temporárias e às instalações elétricas definitivas.

equipamentos e ferramentas devem ser submetidos à inspeção e manutenção de acordo com as normas técnicas oficiais vigentes. na sua falta.11. • 18. .2 As máquinas. mecanismos de direção. nas normas técnicas internacionais. cabos de tração e suspensão.1 As máquinas e equipamentos devem atender ao disposto na NR-12 e nas normas técnicas oficiais vigentes e.11. sistema elétrico e outros dispositivos de segurança.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.11Máquinas. Equipamentos e Ferramentas Diversas • 18. dispensando-se especial atenção a freios.

11 Máquinas.13 MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTE DE MATERIAIS E PESSOAS .10 FERRAMENTAS • 18.12 VEÍCULOS • 18.11. Equipamentos e Ferramentas Diversas • 18.11.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.11.11.11 MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS DE GRANDE PORTE • 18.

13.11.13 MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS PARA TRANSPORTE DE MATERIAIS E PESSOAS • 18.11 Máquinas.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.13.13.10 GRUAS • 18. Equipamentos e Ferramentas Diversas • 18.11.11.9 ELEVADORES • 18.11.11 GUINCHOS DE PEQUENO PORTE .

Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.12 Armazenagem e Estocagem de Materiais .

1. d) procedimentos relativos a cada etapa do processo de demolição.13 Demolição 18.1. . b) processo a ser utilizado na demolição.13.13. c) máquinas e equipamentos a serem utilizados.1 O plano de demolição deve ser parte integrante do PCMAT e deve contemplar: a) descrição da estrutura a ser demolida. 18. Toda demolição deve ser precedida de plano de demolição elaborado por profissional legalmente habilitado.Revisão da NR-18 – principais aspectos 18.

14.14 Escavações. Desmonte de Rochas.1. Drenagem e Pavimentação • 18. Fundações. Os serviços de escavação. fundação. terraplenagem. Terraplenagem. • TUBULÕES A CÉU ABERTO . drenagem e pavimentação devem ser planejados e supervisionados por profissional legalmente habilitado. desmonte de rochas.Revisão da NR-18 – principais aspectos 18.

15. Carpintaria.Revisão da NR-18 – principais aspectos 18. e) possuir coifa protetora automaticamente ajustável ao disco. b) ter sistema de aterramento. i) ser dotada de guia de alinhamento.15. dentes quebrados. f) dotar de dispositivo que possibilite a regulagem da altura do disco. empenamentos ou qualquer outra condição determinada pelo fabricante. g) possuir dispositivo que impeça o retrocesso da madeira. h) possuir dispositivo coletor de serragem. 18. . devendo ser substituído quando apresentar trincas.2. c) o disco deve ser mantido afiado e travado. d) as transmissões de força mecânica e a face inferior do disco devem estar protegidas obrigatoriamente por anteparos fixos e resistentes. A máquina de serra circular deve atender às disposições a seguir: a) ser dotada de estrutura metálica estável.

Armações de aço • 18. • b) lâmpadas protegidas contra impactos provenientes da projeção de partículas ou de vergalhões.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18. As áreas de trabalho onde são realizadas as atividades de corte.16. . dobragem e armação de vergalhões de aço devem ter: • a) cobertura resistente para proteção dos trabalhadores contra queda de materiais e intempéries.1.16.

garantir a proteção do operador contra correntes de fuga.4. Nas operações de concretagem. b) inspecionar os equipamentos e os sistemas de alimentação de energia por trabalhador capacitado antes e durante a execução dos serviços. d) inspecionar as peças e máquinas do sistema transportador de concreto por trabalhador capacitado antes e durante a execução dos serviços. f) manter as conexões dos dutos transportadores de concreto fixadas por dispositivos de segurança para impedir a separação das partes. h) quando utilizados vibradores elétricos. de acordo o item 18.Revisão da NR-18 – principais aspectos • • • • • • • • • • • 18. devem ser observadas as seguintes medidas: a) ser supervisionada por trabalhador capacitado.17. g) isolar e sinalizar o local onde se executa a concretagem.9. Estruturas de concreto 18. e) inspecionar o escoramento e a resistência das fôrmas por trabalhador capacitado antes e durante a execução dos serviços. c) dotar os sistemas de alimentação de energia dos equipamentos de proteção contra cortes e choques mecânicos.17. permitindo somente a equipe indispensável à execução dessa tarefa. quando o sistema estiver sob pressão. . i) dotar as caçambas transportadoras de concreto de dispositivos de segurança que impeçam o seu descarregamento acidental.

na impossibilidade técnica de montagem da estrutura ao nível do piso a realização da montagem dos maiores elementos estruturais no piso e o posterior erguimento e fixação. • 18. a adoção da montagem direta de elementos estruturais quando caracterizada a impossibilidade técnica da montagem no piso.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18. O processo de montagem deve considerar: • a.2.18.1 Toda montagem.18. • c.18. • b. manutenção e desmontagem de estrutura metálica deve estar sob responsabilidade de profissional legalmente habilitado. . a montagem da estrutura ao nível do piso e erguimento da estrutura pronta. Estruturas metálicas • 18.

3 Inspeção Preliminar • 18.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.5 Controle de fumos e contaminantes • 18. • 18.19.4 Proteção contra Incêndio • 18.19.1 Para fins desta NR. • 18. goivagem.19.19. esmerilhamento.19. Trabalho a Quente • 18. corte ou outras que possam gerar fontes de ignição tais como aquecimento.2 Todo trabalho a quente deve ser executado por trabalhador capacitado.19.19.19. centelha ou chama. considera-se trabalho a quente as atividades de soldagem.6 Utilização de gases • 18.7 Medidas específicas .

quando em sistema de guardacorpo. Além do disposto neste item.20. Medidas de proteção contra quedas de altura • 18. A proteção contra quedas. 20.00m (um metro). • 18. as medidas de proteção contra queda de altura devem atender o disposto na NR35 e nas normas técnicas vigentes. 20. independentemente do processo construtivo e do tipo de edificação.5.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.50m (cinquenta centímetros) preenchidos com tela ou outro dispositivo que garanta o fechamento seguro da abertura • d) rodapé com altura mínima de 0. ter vãos horizontais de no máximo 0.20m (vinte centímetros) ou sistema equivalente que impeça a queda de materiais. • b) resistir a carga horizontal de 80kgf/m aplicado no seu ponto mais desfavorável. . • c) quando vazado. deve atender aos seguintes requisitos: • a) ser construída com altura mínima de 1.1.

5.1 As escadas fixas podem ser de uso coletivo ou do tipo marinheiro (gaiola).21.5.1. • 18.1.21. • 18. • 18. Escadas. Escadas.21. . • 18. rampas e passarelas • 18.5.21.2 As escadas portáteis podem ser de uso individual (de mão). dupla (cavalete ou de abrir) ou extensível.5.21.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.21.6. Rampas e passarelas.1 As escadas podem ser fixas ou portáteis.

Revisão da NR-18 – principais aspectos • • • • • • • • • • 18.22. Andaimes ANDAIMES SIMPLESMENTE APOIADOS ANDAIMES FACHADEIROS ANDAIMES MÓVEIS ANDAIMES EM BALANÇO ANDAIMES SUSPENSOS ANDAIMES SUSPENSOS MOTORIZADOS PLATAFORMAS DE TRABALHO PLATAFORMAS POR CREMALHEIRA CADEIRA SUSPENSA .

Cabos de Aço. as cintas e os acessórios devem ser submetidos à inspeção inicial.23. dimensionamento e conservação dos cabos de aço e de fibra sintética. • 18. conforme o disposto em norma técnica vigente.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18. diária e periódica de acordo com requisitos estabelecidos em normas técnicas nacionais ou.1. na sua inexistência. Cintas e Cabos de Fibra Sintética • 18.2 Os cabos de aço e de fibra sintética.23. É obrigatória a observância das condições de utilização. das cintas e dos acessórios utilizados em obras de construção. . em normas internacionais vigentes.23.

3 O equipamento para aquecimento deve possuir: a) nome e CNPJ da empresa fabricante ou importadora em caracteres indeléveis.24. c) tampa com respiradouro de segurança.24. b) ter piso nivelado e incombustível.1.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.24.1 Os serviços de aquecimento. c) ter isolamento e sinalização de advertência. d) ser mantido limpo e organizado.1. 18. d) medidor de temperatura.1. . Revestimentos e Acabamentos 18.24. 18. b) manual técnico de operação disponível aos trabalhadores. Impermeabilização 18.4 O local de instalação do equipamento para aquecimento deve: a) possuir ventilação natural ou forçada.24 Alvenaria.1. transporte e aplicação de impermeabilizante devem atender às normas técnicas vigentes.

25. • b) o sistema de movimentação do trabalhador na superfície de trabalho. Telhados e Coberturas • 18. • c) os equipamentos de proteção coletiva e individual.1 Para trabalhos em telhados e coberturas.24. devem ser utilizados dispositivos dimensionados por profissional legalmente habilitado e que permitam a movimentação segura dos trabalhadores. que estabelecerá: • a) os meios de acesso do trabalhador ao posto de trabalho.1.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18.1 O trabalho em telhados e coberturas deve ser antecedido de Análise de Risco.1.2 A especificação e o dimensionamento do sistema de ancoragem devem ser realizados por profissional legalmente habilitado. • 18.25. . • 18.25.

26.1 As plataformas flutuantes devem estar regularmente inscritas na Capitania dos Portos e.Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18. . b) Certificado de Segurança de Navegação (CSN) válido. obrigatoriamente.26. Serviços em plataformas flutuantes 18. portar: a) Título de Inscrição de Embarcação (TIE) ou Provisão de Registro de Propriedade Marítima (PRPM) originais.

Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18. • e. considerando a velocidade de operação da via. no mínimo: • a.27 Atividades em vias públicas • 18.3 O Plano de Trabalho deve prever. • b.27. . utilização de sinalização de material reflexivo ou similar que possibilite a visualização inclusive à noite.1 A sinalização de segurança para alertar motoristas e pedestres nas vias públicas próximas a canteiros de obras ou frentes de trabalho deve ser realizada conforme Plano de Trabalho precedido de Análise de Riscos. • c. distância segura ao local de trabalho. manutenção periódica da sinalização. • 18. necessidade de veículos de apoio. delimitação das vias de circulação de trabalhadores. de acordo com normas técnicas oficiais vigentes. • g.27. • f. • d.1. especificação das vestimentas dos trabalhadores. implementação das medidas de controle antes do início das atividades.

1. • 18.1.28. Em caso de ocorrência de acidente fatal. Acidente fatal • 18. até o primeiro dia útil seguinte à sua ocorrência. A liberação do local poderá ocorrer após a inspeção pelo órgão regional do Ministério do Trabalho e Emprego ou após decorridos o prazo de três dias úteis. contados da comunicação do acidente. .Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18. mantendo suas características até sua liberação pelo órgão regional do Ministério do Trabalho e Emprego.28.28. é obrigatória pelo responsável pela obra ou frente de trabalho a adoção das seguintes medidas: • a) comunicar. • b) isolar o local diretamente relacionado ao acidente. ao órgão regional do Ministério do Trabalho e Emprego.1.

Revisão da NR-18 – principais aspectos • 18. em situações especiais não previstas nesta NR.1.29.1 É facultada às empresas construtoras. tecnologias e outros dispositivos que: .29. sob responsabilidade de profissional de Engenharia.1 Soluções Alternativas • 18. a adoção de soluções alternativas referentes às medidas de proteção coletiva. a adoção de técnicas de trabalho e uso de equipamentos.29. Disposições gerais. regularmente registradas no Sistema CONFEA/CREA. mediante cumprimento dos requisitos previstos nos subitens seguintes. • 18.

gov.br SRTE/RJ .Muito Obrigado! Luiz.rocha@mte.