DECRETO N.

_____, DE ___ DE ________ DE 2006
Homologa o Regimento Interno
da Secretaria Municipal de
Educação (SEMED) e adota
outras providências.
O PREFEITO MUNICIPAL DE MANAUS, no
uso das atribuições que lhe confere o art. 80, incisos II, IV
e VIII, da Lei Orgânica do Município de Manaus, e com
fulcro no art. 11, incisos I e II, alíneas “b”, “e” e “g”, da Lei
n. 936, de 20 de janeiro de 2006,
D E C R E T A:
Art. 1o É homologado o Regimento Interno
Secretaria Municipal de Educação (SEMED)
conformidade do Anexo Único a este Decreto.
Art. 2o Este Decreto entra em vigor na data
sua publicação, produzindo efeitos desde 20 de abril
2006.

da
na
de
de

Manaus, ____ de ______ de 2006.

SERAFIM FERNANDES CORRÊA
Prefeito do Município de Manaus

ANEXO ÚNICO
REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA MUNICIPAL
DE EDUCAÇÃO - SEMED
TÍTULO I
DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
Art. 1o A Secretaria Municipal de Educação
(SEMED), unidade da estrutura básica do Poder Executivo,
é dirigida pelo Secretário Municipal de Educação, com o
apoio dos Subsecretários.
§ 1o O Secretário Municipal de Educação e os
Subsecretários de que trata o caput deste artigo são os
correspondentes ordenadores de despesa, atribuição que
exercem concomitantemente e em caráter solidário.
§ 2o Mediante autorização do Chefe do Poder
Executivo, SEMED poderá firmar convênios, contratos,
acordos de cooperação técnica e outros ajustes, que
tenham por finalidade o cumprimento de suas finalidades e
competências, com instituições públicas ou privadas,
nacionais, internacionais ou estrangeiras.
CAPÍTULO I
DAS FINALIDADES DA SEMED
Art. 2o São finalidades da Secretaria Municipal
de Educação:
I –definir Políticas e Diretrizes para a educação
infantil, o ensino fundamental, a educação
especial e a educação de jovens e adultos;
II –estabelecer mecanismos que avaliem e
garantam a qualidade do ensino público
municipal;
III –coordenar a implantação da política
educacional;
IV –prover o acompanhamento das ações
educacionais em execução na rede municipal;

V –definir parâmetros curriculares, realizar
avaliações,
pesquisas
e
inovações
educacionais, que possam garantir a
organização e o funcionamento das escolas
municipais;
VI –desenvolver
cooperação
técnica
e
financeira com outros níveis de governo com
vistas à municipalização do ensino;
VII –manter as escolas públicas municipais,
garantindo-lhes recursos necessários ao seu
funcionamento regular e ao atendimento com
programas suplementares aos alunos do
ensino fundamental;
VIII – apoiar a implantação de ações colegiadas
nas escolas públicas e a democratização da
gestão educacional;
IX –utilizar tecnologias adequadas à educação;
X –integrar ações de caráter educacional na
área do ensino básico, que possam ser
viabilizadas em conjunto com outras
instâncias governamentais;
XI –desenvolver e gerenciar políticas de
educação destinada à criança e ao
adolescente em situação de vulnerabilidade;
XII –exercer outras atribuições correlatas.
CAPÍTULO II
DA ESTRUTURA OPERACIONAL
Art. 3o A SEMED tem a seguinte estrutura
operacional:
1. Secretário;
1.1 – Chefia de Gabinete;
1.2 – Subsecretário de Administração e Finanças;
1.2.1 – Coordenadoria de Planejamento;
1.2.1.1 – Gerência de Planos e Programas
Governamentais;
1.2.1.2 – Gerência de Informação e Estatística;
1.2.2 – Núcleo de Controle Interno;
1.2.3 – Coordenadoria de Finanças;
1.2.3.1 – Gerência de Orçamento;
1.2.3.2 – Gerência de Execução Financeira;
1.2.3.2.1 – Núcleo de Finanças;
1.2.3.2.2 – Núcleo de Convênio e Contratos;
1.2.4 – Coordenadoria de Administração;
1.2.4.1 – Gerência de Administração;
1.2.4.1.1 – Núcleo de Controle de Pessoal;
1.2.4.1.2 – Núcleo de Folha de Pagamento;
1.2.4.1.3 – Núcleo de Direitos e Deveres;
1.2.4.1.4 – Núcleo de Contabilidade;
1.2.4.1.5 – Núcleo de Compras;
1.2.4.1.6 – Núcleo de Serviço Social
1.2.4.2 – Gerência de Informática;
1.2.4.2.1 – Núcleo de Suporte e Manutenção;
1.2.4.2.2 – Núcleo de Sistemas e Programas;
1.3 – Subsecretário de Infra-estrutura e Logística;
1.3.1 – Gerência de Elaboração de Projetos;
1.3.2 – Gerência de Controle e Fiscalização;
1.3.3 - Coordenadoria de Logística;
1.3.3.1 – Gerência de Transportes, Serviços e
Manutenção;
1.3.3.1.1 – Núcleo de Transporte;
1.3.3.1.2 – Núcleo de Manutenção;
1.3.3.2 – Gerência de Patrimônio, Almoxarifado e
Depósitos;
1.3.3.2.1 – Núcleo de Material Escolar;
1.3.3.2.2 – Núcleo de Material Permanente e de
Consumo;
1.3.3.3 – Gerência de Alimentação e Distribuição;
1.3.3.3.1 – Núcleo de Nutrição;

1.3.3.3.2 – Núcleo de Controle de Qualidade;
1.4 – Subsecretário de Gestão Educacional;
1.4.1 – Coordenadoria de Artes-Educação
1.4.1.1 – Núcleo de Artes;
1.4.1.2 – Núcleo dos Espaços Culturais;
1.4.1.3 – Núcleo de Bibliotecas;
1.4.2 – Coordenadoria de Gestão Educacional;
1.4.2.1 – Gerência de Ensino Fundamental;
1.4.2.2 – Gerência de Educação Infantil;
1.4.2.3 – Gerência de Administração Escolar;
1.4.2.4 – Gerência de Modalidades Educacionais;
1.4.2.4.1 – Núcleo de Educação Especial;
1.4.2.4.2 – Núcleo de Educação Escolar Indígena;
1.4.2.4.3 – Núcleo de Educação de Jovens e Adultos;
1.4.2.5 – Gerência de Atividades Complementares;
1.4.1.5.1 – Núcleo de Atividades Extracurriculares;
1.4.1.5.2 – Núcleo de Integração Escola Comunidade;
1.4.3 – Coordenadoria Geral dos Distritos;
1.4.3.1 – Gerência Distrital Zona Norte;
1.4.3.1.1 – Núcleo Pedagógico;
1.4.3.1.2 – Núcleo de Administração e Finanças;
1.4.3.1.3 – Núcleo de Infra-estrutura e Logística;
1.4.3.2 – Gerência Distrital Zona Sul;
1.4.3.2.1 – Núcleo Pedagógico;
1.4.3.2.2 – Núcleo de Administração e Finanças;
1.4.3.2.3 – Núcleo de Infra-estrutura e Logística;
1.4.3.3 – Gerência Distrital Zona Leste 1;
1.4.3.3.1 – Núcleo Pedagógico;
1.4.3.3.2 – Núcleo de Administração e Finanças;
1.4.3.3.3 – Núcleo de Infra-estrutura e Logística;
1.4.3.4 – Gerência Distrital Zona Leste 2;
1.4.3.4.1 – Núcleo Pedagógico;
1.4.3.4.2 – Núcleo de Administração e Finanças;
1.4.3.4.3 – Núcleo de Infra-estrutura e Logística;
1.4.3.5 – Gerência Distrital Zona Oeste;
1.4.3.5.1 – Núcleo Pedagógico;
1.4.3.5.2 – Núcleo de Administração e Finanças;
1.4.3.5.3 – Núcleo de Infra-estrutura e Logística;
1.4.3.6 – Gerência Distrital Zona Centro-Sul;
1.4.3.6.1 – Núcleo Pedagógico;
1.4.3.6.2 – Núcleo de Administração e Finanças;
1.4.3.6.3 – Núcleo de Infra-estrutura e Logística;
1.4.3.7 – Gerência Distrital Zona Rural;
1.4.3.7.1 – Núcleo Pedagógico;
1.4.3.7.2 – Núcleo Distrital de Administração e
Finanças;
1.4.3.7.3 – Núcleo de Infra-estrutura e Logística
Terrestre;
1.4.3.7.4 – Núcleo de Infra-estrutura e Logística
Fluvial;
1.4.4 – Coordenadoria de Formação do Magistério;
1.4.4.1 – Núcleo de Apoio Administrativo;
1.4.4.1 – Núcleo de Tecnologia Educacional;
1.4.4.3 – Gerência de Formação Continuada;
1.4.4.4 – Gerência de Formação Inicial;
CAPÍTULO III
DO EXERCÍCIO DAS ATRIBUIÇÕES E DAS
COMPETÊNCIAS
Art. 4o Com a finalidade de reservar ao
Secretário Municipal de Educação as funções estratégicas
de planejamento, orientação, coordenação, controle e
revisão no âmbito de sua atuação, e de oferecer condições
de tramitação mais rápida de processos na esfera
administrativa e decisória:
I – os Subsecretários de que trata este
Regimento
deverão
exercer
suas
funções
de
assessoramento e assistência direta e imediata ao
Secretário em todas as atribuições que a este couber,
instrumentalizando-o
e
fazendo
cumprir
suas

municipais e de cunho particular. TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DAS UNIDADES DA ESTRUTURA OPERACIONAL CAPÍTULO I DAS COMPETÊNCIAS DA CHEFIA DE GABINETE Art. nos núcleos. V –divulgar as ordens do Secretário e dos Subsecretários. nas gerências. VIII –executar as atividades de apoio operacional. ou em nível tático. pelas coordenadorias. pelos Subsecretários. nas correspondentes gerências. III –atender tempestiva e eficazmente às solicitações de outros setores do Governo Municipal. ou gerências se não houver coordenadoria. criação de ações. CAPÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DA COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO . políticas e sistemas. encaminhando-as aos setores responsáveis pelo assunto. XV –exercer outra competências correlatas. VII –receber e distribuir as correspondências enviadas ao Secretário e aos Subsecretários. ou nos núcleos se não houver gerência. XI –coordenar o fluxo de informações e as relações públicas de interesse da Secretaria. II –encaminhar processos e tomar outras providências tendentes a instruir e esclarecer assuntos que devem ser submetidos à consideração do Secretário e dos Subsecretários. c) em nível operacional. supervisionar e controlar as atividades do gabinete. 5o À Chefia de Gabinete compete: I –prestar assistência direta e imediata ao Secretário e aos Subsecretários no que concerne às suas atividades políticas. ou não havendo núcleo. fazendo instruir os processos de conhecimento de modo a habilitar a correspondente decisão com celeridade e exação.determinações. b) em nível tático. XII –manter organizado o arquivo dos expedientes do Gabinete. XIV –coordenar. estaduais. se não houver coordenadoria. necessárias ao funcionamento do Gabinete. X –atender as pessoas que procuram o Gabinete. IV –propor ao Secretário e aos Subsecretários medidas visando propiciar e manter a eficiência e o bom funcionamento dos serviços da Secretaria. VI –controlar a agenda do Secretário e dos Subsecretários. XIII –instruir e minutar o expediente e a correspondência do Secretário para autoridades federais. sociais e administrativas. II – as atribuições e competências da SEMED serão exercidas: a) em nível de gestão do conhecimento. IX –zelar e responsabilizar-se pelo material permanente do Secretário e dos Subsecretários. d) em nível de assunto de rotina.

promover a internalização das ações e políticas de planejamento. em especial: I –garantir e fortalecer os mecanismos necessários à implantação e implementação de planos e projetos de educação.coordenar a elaboração e realizar anualmente as revisões da programação plurianual.desenvolver metodologias para implantar e implementar ações de planejamento na SEMED.coordenar a elaboração do plano de trabalho e dos relatórios periódicos da Secretaria. VI . observada a política educacional e administrativa fixada para o Município de Manaus. III –coordenar atividades de apoio ao ensino e outras competências de natureza administrativa. acompanhar e avaliar a execução dos planos. de forma a assegurar a periodicidade e os prazos de alimentação das informações referentes ao planejamento. IX . XI . X . orientar e acompanhar o processo de planejamento no âmbito da SEMED. 6o À Coordenadoria de Planejamento compete: I . V . XIV .acompanhar a execução orçamentária e extra-orçamentária e proceder às alterações do orçamento.dar apoio às unidades da estrutura básica da SEMED. no desenvolvimento do processo de planejamento. em articulação com a Coordenadoria de Finanças. em consonância com os demais membros das Coordenadorias.exercer outras competências correlatas. e. SEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE PLANOS E PROGRAMAS GOVERNAMENTAIS Art. interagindo com os demais setores da unidade. em consonância com diretrizes legalmente instituídas. coordenar atividades e propor medidas com o objetivo de melhorar as condições de trabalho e a qualidade dos serviços prestados nas unidades da SEMED. em articulação com a Coordenadoria de Finanças. a programação anual da SEMED.supervisionar. buscando o comprometimento das demais unidades da SEMED com o processo e com o cumprimento dos prazos. quando necessário. permanente e sistematicamente. IV . de acordo com a legislação vigente.coordenar a elaboração. programas e ações da Secretaria. II . VI –exercer outras competências correlatas. com todas as unidades da SEMED.prestar apoio na formulação de diretrizes e na definição de prioridades da Secretaria. .planejar. objetivos e metas das atividades.Art. V –assessorar na elaboração e no acompanhamento da programação orçamentária da SEMED. IV –elaborar periodicamente relatórios e planos das atividades executadas pela SEMED. II –gerenciar as atividades de apoio ao ensino e outras competências de natureza administrativa no âmbito de sua atuação.coordenar. XII . as propostas orçamentárias da Secretaria. VIII .elaborar. XIII articular-se. 7o À Gerência de Planos e Programas Governamentais compete desenvolver planos e programas governamentais. VII . XV .garantir a unicidade na aplicação da metodologia de planejamento. III .

que deverão estar adequados à legislação federal. XIV . quando necessário. 9o Ao Núcleo de Controle Interno compete: I –analisar a execução dos programas e ações. V . bem como dos projetos orçamentários. III . informar a Controladoria Geral do Município.construir periodicamente séries históricas de indicadores educacionais e rendimento escolar. II –apreciar a regularidade dos procedimentos administrativos relacionados aos sistemas contábil.exercer outras competências correlatas. VIII . municipal e às regras de controle externo exigidas pelo Tribunal de Contas da União e pelo Tribunal de Contas do Estado.realizar levantamento. assegurando a eficiência nas informações de oferta e demanda dos serviços no âmbito da SEMED. financeiro. objetivando a análise. XIII .manter contato com entidades que realizam estudos e pesquisas educacionais. a viabilidade de aplicações dos resultados e a elaboração de propostas para a melhoria do sistema educacional do município. a situação físico-financeira dos programas e ações no âmbito da SEMED. XI . controle e organização dos dados relativos à educação. VI . II . mediante informações das escolas. CAPÍTULO III DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE CONTROLE INTERNO Art. X .organizar cadastros do alunado. a divulgação de novas experiências. por idade e por turno. VII .orientar e acompanhar as unidades da estrutura operacional da SEMED no que diz respeito ao registro. IX .participar da elaboração dos planos de ação que norteiam as diretrizes da política educacional. orçamentário e de pessoal. 8o À Gerência de Informação e Estatística compete: I .orientar as escolas quanto à execução das atividades necessárias ao arquivamento de dados e informações educacionais. processamento e socialização das informações educacionais.analisar e interpretar as informações obtidas com o propósito de fornecer ferramentas gerenciais de planejamento.orientar os Diretores de escolas quanto à execução das atividades necessárias de levantamento e arquivamento de dados e informações educacionais.coordenar. XII . III –assistir a Controladoria Geral do Município na auditagem da gestão dos recursos públicos . patrimonial. quando necessário.SEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE INFORMAÇÃO E ESTATÍSTICA Art.realizar estudos referentes à qualidade das ações educacionais e propor ações no sentido de melhorar os programas da Secretaria. em articulação com a Gerência de Informática. ações necessárias para garantir a coleta de dados e a manutenção das informações educacionais. IV .elaborar e calcular indicadores educacionais e de rendimento escolar por nível de ensino.coletar e processar dados referentes às informações educacionais da rede municipal de ensino com o objetivo de fornecer subsídios que possibilitem o direcionamento qualitativo das ações educativas da Secretária Municipal de Educação.

propondo e assegurando o cumprimento de normas. coordenar. orientar e dirigir a execução das atividades de finanças e orçamento. indicando as providências. o levantamento de necessidade de cada setorial. III –coordenar a execução do orçamento. orientar e controlar as normas de prestação de contas. SEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE ORÇAMENTO Art. emitindo documentos de execução orçamentária. X –elaborar demonstrativos de execução orçamentária. acompanhar e analisar as atividades financeiras relacionadas às operações junto ao SIAFEM. XIII –interagir com as demais unidades da Secretaria. IV –analisar a prestação de contas anual a ser encaminhada às autoridades competentes nas esferas federal. . possibilitando a adequada operacionalização dos créditos recebidos. visando orientar. patrimonial e orçamentário. À Gerência de Orçamento compete: I –acompanhar e verificar as atividades orçamentárias relacionadas às operações junto ao SIAFEM. XI –apurar anualmente o superávit ou déficit na conta da Secretaria. descrevendo disponibilizações. VI –analisar os atos orçamentários. inclusive das decisões que interessam ao sistema. VIII –propor alterações do Quadro de Detalhamento de Despesa. 10. CAPÍTULO IV DAS COMPETÊNCIAS DA COORDENADORIA DE FINANÇAS Art. IV –proceder à verificação e a análise dos processos orçamentários. V –exercer outras competências correlatas. III – proceder à confecção de relatórios anuais. VII –registrar e controlar as dotações orçamentárias e créditos adicionais. V –efetuar mensalmente a projeção de despesa até final do exercício.de responsabilidade da unidade orçamentária e dos sistemas contábil. IX –registrar. mantendo atualizadas as informações a respeito do andamento dos trabalhos. XII –emitir relatório de eficiência de gestão. bem como: I – planejar e orientar a execução das atividades de seu âmbito de atuação. bem como propor e assegurar o cumprimento de normas. municipal e estadual. À Coordenadoria de Finanças compete: planejar. 11. instruções ou regulamentos. II –efetuar a conformidade diária dos atos efetuados no SIAFEM. instruções ou regulamentos. II – planejar. financeiro. documentos de programação e execução financeira. XIV –exercer outras competências correlatas.

apoiando e orientando as atividades referentes ao empenho. 13. execução e prestação de contas desses convênios. liquidação e pagamento das despesas da Secretaria. Ao Núcleo de Finanças compete: I –executar e acompanhar o registro dos créditos orçamentários recebidos. contabilidade e controle interno. III –acompanhar a celebração de convênios. conforme determinação do órgão central do sistema.SEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE EXECUÇÃO FINANCEIRA Art. mantendo registros dos empenhos em livro próprio. Ao Núcleo de Convênio e Contratos compete: I –assessorar a celebração de convênios entre a SEMED e outras entidades. indicando e classificando-as. 14. em planilhas individualizadas. X –cumprir as exigências de legislações que regularem as atividades da área. SUBSEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE CONVÊNIO E CONTRATOS Art. coordenar e executar os planos de trabalho e cronograma de realização das atividades do seu âmbito de atuação. ajustes. IV –realizar lançamentos dos créditos e das despesas empenhadas. assessorando a elaboração. capital e de pessoal. a realização dos empenhos. III –proceder controle financeiro em nível de elemento da despesa. atualizandoos mensalmente. VII –executar as prestações de contas dos suprimentos de fundos especiais. por programa de trabalho e elemento de despesa. V –projetar os gastos contratuais. VI –fazer fechamento das fichas financeiras procedendo à verificação nos relatórios do SIAFEM. em especial. II –proceder à execução das liquidações financeiras. e. bem como acompanhar e informar a Coordenaria de Finanças a respeito da emissão das ordens bancárias. os saldos orçamentários relativamente às despesas de custeios. acordos e atos similares mediante . contribuindo no planejamento e execução desses convênios. controlando os empenhos estimativos por fornecedor. efetivar e controlar as atividades concernentes à liquidação de pagamentos. e avaliar o desempenho de execução financeira no âmbito da SEMED. XI –exercer outras competências correlatas. IX –promover a execução financeira da folha de pagamento da Secretaria. para adequação da dotação recebida. À Gerência de Execução Financeira compete coordenar. VIII –executar e fornecer sistematicamente os dados necessários à manutenção do processo de administração financeira. II –acompanhar todas as etapas dos convênios firmados com o Ministério da Educação (MEC). SUBSEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE FINANÇAS Art. 12.

16. V –acompanhar e avaliar a gestão operacional. . discutir e decidir sobre as políticas administrativas e de recursos humanos no âmbito da SEMED. II –controlar as atividades de telecomunicação da Secretaria. contabilidade. À Gerência de Administração compete: I –acompanhar a prestação dos serviços de manutenção predial. ajustes. formalizar processos. serviços gerais. controle da locação predial e gestão de pessoas. IV –receber documentos. material e serviços gerais no âmbito da SEMED. III –decidir a respeito da aquisição de bens em geral no âmbito da SEMED . almoxarifado. conservação e vigilância de bens móveis e imóveis no âmbito da SEMED . VI –interagir com a Coordenadoria de planejamento e orçamento para definir a implementação de metas e programas de trabalho relativos a atividades e a competências. controlar e informar a respeito do andamento desses processos. limpeza. transporte. cabendo-lhe. patrimônio. CAPÍTULO V DAS COMPETÊNCIAS DA COORDENADORIA DE ADMINISTRAÇÃO Art. IV – interagir com as Coordenadorias para propor ao Secretário a celebração de convênios. suas gerências e seus núcleos têm por finalidade desenvolver atividades de informática. 15.Sede e unidades administrativas. de materiais. exercer outras competências correlatas.delegação do Prefeito. recursos humanos e informática da SEMED. II –formalizar processos licitatórios. bem como os resultados alcançados pelos convênios e contratos firmados no âmbito da SEMED. bem como acompanhar sua execução e propor alterações dos seus termos ou sua denúncia. SEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO Art. VI –exercer outras competências correlatas. III –controlar as atividades de recursos humanos no âmbito da secretaria. V –programar as atividades relacionadas com recursos humanos. em especial: I –planejar as atividades relativas a compras. voltados para o âmbito da própria Secretaria e garantindo e viabilizando todos os recursos necessários à execução das atividades da SEMED. higienização. A Coordenadoria de Administração. estrangeiras e internacionais na área de competência da respectiva Coordenadoria. VII –desempenhar outras competências típicas da unidade. acordos e atos similares com órgãos e entidades públicas e privadas. econômica e financeira dos recursos.Sede. patrimônio e serviços. nacionais. protocolo. registrar. IV –analisar. delegadas pela autoridade superior ou cometidas por meio de normas.

remeter ao Núcleo de Direitos e Deveres os processos referentes a direitos. elétricas. . XIV . à SEMPLAD os servidores que entrarem em exercício. VIII . VI . XV . II -informar. deveres e garantias individuais e sociais. recessos. seus vínculos. Ao Núcleo de Controle de Pessoal compete: I . XI . VI –atender ao público prestando informações em casos de rotina ou encaminhando os interessados ao setor competente. X . controle de freqüência e da vida funcional. inclusive no que diz respeito ao recolhimento das obrigações trabalhistas e previdenciárias.V –receber. VIII –elaborar a programação de trabalho das unidades que lhe são subordinadas.atender e encaminhar pedidos de vinculação e desvinculação do servidor ao plano de saúde oferecido pelo Município. SUBSEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE CONTROLE DE PESSOAL Art. bem como o recolhimento das obrigações trabalhistas e previdenciárias. o levantamento das necessidades de capacitação e treinamento dos servidores e articular junto à Fundação Escola de Serviço Público Municipal a integração e capacitação aos servidores e estagiários recém-admitidos. por meio de reuniões inter-unidades e de atividades de interação e lazer entre os servidores.efetuar contratação temporária de excepcional interesse público. deveres. periodicamente. IX .fazer controle do cumprimento de penalidades disciplinares.realizar o controle da freqüência dos servidores. XIII . protocolar e encaminhar a outros órgãos: correspondências.realizar atividades de melhorias contínuas na qualidade do atendimento ao público.organizar e manter atualizada toda a documentação referente a vida funcional do servidor. V . IX –coordenar e executar os planos de trabalho e cronograma de realização das atividades da área.exercer outras competências correlatas. licenças. observado o prazo legal. XVII . direitos.realizar.executar as atividades relativas à administração de pessoal. férias.executar as atividades necessárias ao pagamento dos servidores. 17. VII – inspecionar periodicamente as condições das instalações físicas. processos e demais atos administrativos. III . hidráulicas e sanitárias do prédio e tomar providências necessárias para sua conservação e manutenção. XII . vantagens e responsabilidades dos servidores devidamente instruídos com todos os documentos necessários à formação do convencimento.proceder à análise dos recursos humanos e sua distribuição interna.propiciar um clima organizacional satisfatório.definir normas e procedimentos para recrutamento e seleção de pessoal. IV . afastamentos. X –exercer outras competências correlatas.proceder avaliação da necessidade de alteração do quadro de cargos e salários. VII .zelar para que sejam asseguradas aos servidores condições de trabalho adequadas. XVI . responsabilidades dos servidores.

junto à SEMPLAD. supervisionar e avaliar as atividades afetas a concessão de direitos ou vantagens no âmbito da SEMED. vantagens e deveres dos servidores ativos da SEMED. VI – executar atividades inerentes ao enquadramento e progressão funcional dos servidores. III –acompanhar e controlar o cumprimento das normas aplicáveis ao pagamento de direitos e vantagens dos servidores da SEMED. Ao Núcleo de Contabilidade compete: I –providenciar a escrituração sintética e analítica dos lançamentos relativos às operações contábeis. zelar para que sejam asseguradas aos servidores condições de trabalho adequadas. V – coordenar e executar planos de trabalho e cronograma de realização das atividades da área. propor. 20. 18. nos prazos estabelecidos. o balanço geral. e o cronograma de realização das atividades da área. IV – promover a orientação normativa sobre aplicação de legislação de recursos humanos no âmbito da SEMED. II – acompanhar processos e atos. SUBSEÇÃO III DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE DIREITOS E DEVERES Art.SUBSEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE FOLHA DE PAGAMENTO Art. II –verificar a regularidade de aplicação de dispositivos legais. SUBSEÇÃO IV DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE CONTABILIDADE Art. exercer outras competências correlatas. executar. acompanhar e executar as atividades inerentes às folhas de pagamento dos servidores da SEMED. visando demonstrar a receita e a despesa no âmbito da SEMED. III – acompanhar aplicação da legislação de recursos humanos no âmbito da SEMED. Ao Núcleo de Folha de Pagamento compete: I –controlar. normativos e observar as orientações dos órgãos fiscalizadores. . 19. VI –exercer outras competências correlatas. diários e outros documentos de apuração contábil da SEMED. IV –coordenar e executar as normas provenientes da SEMPLAD. relativos aos direitos. bem como os balancetes mensais. II –organizar e apresentar às Coordenadorias de Administração e de Finanças. Ao Núcleo de Direitos e Deveres compete: I – planejar. V –manter arquivo dos documentos relativos à produção da folha de pagamento da SEMED.

em conjunto com SEMPLAD. de acordo com a política de assistência integral ao servidor. 21. SUBSEÇÃO V DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE COMPRAS Art. IV – participar das reuniões periódicas do sistema. bem como de eventos de interesse da área de serviços sociais e afins. programas e projetos visando à promoção social dos servidores da SEMED e seus respectivos dependentes. controle e prestação de contas dos convênios da SEMED. campanhas preventivas em saúde e outros temas pertinentes à promoção da qualidade de vida do servidor da SEMED. III –encaminhar e acompanhar junto ao órgão oficial de cotação de preços os processos licitatórios. III – realizar levantamento de demandas para intervenções do serviço social. V –propor as diretrizes para recebimento e inspeção de materiais e equipamentos adquiridos. com vistas ao aprimoramento dos trabalhos desenvolvidos. 22. bens móveis. VI – implementar políticas e sistemas de ações de orientação social e assistência integral ao servidor. IV –encaminhar processo de aquisição ou serviço com a referida cotação de preços ao setor competente para iniciar o processo licitatório. auxiliando os servidores a elaborar novos projetos de vida. VIII – desenvolver e manter. VII –exercer outras competências correlatas.III –manter contato permanente com o serviço de processamento de dados. programas de saúde ocupacional. VI –manter registros e cadastros de especificação de materiais e de fornecedores. II –providenciar a compra de materiais de consumo e permanentes necessários ao funcionamento da secretaria. V –exercer outras competências correlatas. realizar. em conjunto com a SEMPLAD. com vistas à atualização profissional. VII – atuar junto aos servidores da SEMED que aguardam aposentadoria. . Ao Núcleo de Compras compete: I –promover a aquisição de máquinas. em parceria com a SEMPLAD. SUBSEÇÃO VI DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO SERVIÇO SOCIAL DE Art. V – elaborar e encaminhar relatório das ações do serviço social ao chefe imediato e à coordenadoria do sistema de serviço social. instalações hidráulicas e elétricas de todas as unidades da secretaria. Ao Núcleo de Serviço Social compete: I – colaborar com a SEMPLAD na formulação das políticas e dos sistemas de assistência integral ao servidor no âmbito da SEMED. bem como dos serviços e contratos de manutenção realizados. IV –promover a análise. II – elaborar e implementar.

XIII – exercer outras competências correlatas.proceder a instalação.fiscalizar os serviços contratados na área de informática. campanhas preventivas de saúde e qualidade de vida no trabalho. SEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE INFORMÁTICA Art.solicitar a realização de capacitação de servidores.IX – estabelecer rotinas. XI – acompanhar processos administrativos e/ou disciplinares. fornecendo. manutenção e remanejamento dos equipamentos de informática.exercer outras competências correlatas.solicitar aquisição de programas e sistemas na área de informática. unidades vinculadas com relação à operação dos equipamentos na área de informática. 23. em conjunto com a SEMPLAD. XIV . prestar assistência e acompanhar os servidores encaminhados pela SEMPLAD. dar suporte. as atividades voltadas à segurança do trabalho e prevenção de acidentes.viabilizar manual para utilização dos programas implantados e orientar os servidores sobre o funcionamento operacional desses programas. visando suprir demandas operacionais e administrativas da Secretaria. parecer técnico-social para subsidiar a tomada de decisões relativas aos servidores envolvidos.prestar assistência à Secretaria.executar e acompanhar o controle de qualidade do processamento e sistemas utilizados. estudos e propor projetos de aperfeiçoamento e expansão dos programas e sistemas.desenvolver programas e sistemas e suas atualizações. de programas e equipamentos a serem adquiridos na área de informática. SUBSEÇÃO I .analisar a viabilidade técnica e operacional para contratação de serviços e compra de equipamentos de informática. III . IX . X – promover. controlar e avaliar. subsídios de suporte técnico. VI . XI . quando necessário.fornecer especificações necessárias de material. XIII . À Gerência de Informática compete: I .realizar análise. avaliar. VIII . V . XII . X . supervisionar. também. propondo alternativas que julgarem cabíveis. em conjunto com a SEMPLAD. com o objetivo de orientá-los sobre o funcionamento e operação dos programas e sistemas implantados. II .propor as Unidades alternativas de dimensionamento de equipamentos e da rede de comunicação de informática. IV . visando atender as necessidades da Secretaria relativas à Informática. XII – quando requisitado.interagir com a Secretaria de Ciência e Tecnologia da Informação (SEMCTI). bem como emitir. VII . fiscalizando o material recebido e a execução dos serviços contratados.

bem como treinar o usuário. VIII – controlar o licenciamento de software. Ao Núcleo de Suporte e Manutenção compete no âmbito da SEMED: I – administrar a segurança lógica. III –documentar todos os sistemas implantados. 25. XVIII – padronizar layout para aplicações web na SEMED. que estão armazenadas nos servidores. III – realizar cópias de segurança das informações da SEMED. IX – instalar e configurar software e hardware de terminais sob domínio da SEMED. desenvolvidos internamente ou por terceiros. XII – gerenciar informações disponibilizadas no sítio tecnológico da SEMED. II – cumprir Planos de Trabalho e cronogramas de realização de atividades do Setor. XVI – implantar novos serviços de webmail. SUBSEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE SISTEMAS E PROGRAMAS Art. mantendo arquivo com registro de licenças e equipamentos. IV –sugerir a aquisição de programas que atendam à necessidade de melhor qualidade do trabalho. VI – promover instalação e atualização de antivírus no maquinário da SEMED.DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE SUPORTE E MANUTENÇÃO Art. 24. VII – promover. observando a funcionalidade desses sistemas e corrigindo distorções. XIX – exercer outras competências correlatas. Ao Núcleo de Sistemas e Programas compete no âmbito da SEMED: I –testar e implantar sistemas desenvolvidos. X – controlar o parque de máquinas da SEMED XI – quando solicitado. XIV – promover a segurança do portal da SEMED. CAPÍTULO VI DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS . XVII – prestar manutenção do código fonte do webmail. XIII – manter. IV – realizar gerenciamento dos servidores. bem como atualizar as mudanças ocorridas. XV – manter e administrar o servidor web. II –dar manutenção aos sistemas. desenvolver e administrar o portal da SEMED. V –exercer outras competências correlatas. V – promover comunicação de dados na rede da SEMED. emitir parecer sobre especificação técnica e avaliação de software e hardware a ser implantado ou comprado pela SEMED. suporte no que concerne a problemas de software e hardware nas estações de trabalho da SEMED. quando solicitado.

IV –exercer outras competências correlatas. II –manter os veículos em plenas condições de utilização. À Gerência de Elaboração de Projetos compete à avaliação da infra-estrutura das unidades escolares para assim elaborar os projetos de manutenção de diversos setores. ações. em especial: I –confeccionar orçamentos analíticos de custos e projetos para serem licitados. elaborando políticas. SEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE TRANSPORTES. IV –emitir ordens de serviço. acompanhar e fiscalizar as atividades de suporte e apoio às demais unidades da estrutura operacional da Secretaria da Educação. VII –fornecer aos contratados os meios necessários à execução das obras. programas e projetos no seu âmbito de atuação. À Gerência de Transportes. apoiando as necessidades. III –emitir atestado de capacidade técnica e de visita. SERVIÇOS E MANUTENÇÃO E SEUS NÚCLEOS Art. de aquisição de material e de espaço físico. 27. 26. II –elaborar composição de custo de serviços de engenharia e arquitetura. Serviços e Manutenção compete: I –fixar critérios para o dimensionamento e administração da frota de veículos terrestres e fluviais da SEMED. VIII –exercer outras competências correlatas. VI –emitir laudos e pareceres técnicos. À Coordenadoria de Logística compete planejar. 29. 28. provisórias e definitivas. CAPÍTULO VIII DAS COMPETÊNCIAS DA COORDENADORIA DE LOGÍSTICA Art.Art. além de exercer outras competências correlatas. fiscalizando o fiel cumprimento das normas e especificações em vigor para os serviços de manutenção e conservação. III –elaborar e emitir pareceres técnicos quanto a projetos de obras e serviços executados. CAPÍTULLO VII DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO Art. oriundas das áreas educacionais. V –elaborar relatórios de atividades. III –gerenciar recursos financeiros destinados ao pagamento de combustíveis em viagem e despesas de manutenção. IV –planejar. II –atestar o recebimento de obras. bem como definir as medidas técnicas pertinentes para construção e recuperação de imóveis da SEMED e. À Gerência de Controle e Fiscalização compete: I –controlar as faturas inerentes às obras. . controlar e acompanhar a manutenção preventiva e recuperativa da frota de veículos da SEMED.

V –propor diretrizes no sentido de adotar uma política de uso do diversos materiais de consumo. ao emplacamento. XII –recuperar bens imóveis e outros serviços de manutenção e conservação das instalações físicas hidráulicas. a conservação e o uso serão de inteira responsabilidade dos gestores e demais chefes. a guarda. ao licenciamento. VII –zelar pela guarda do patrimônio existente no depósito. comparando custos com atividades desempenhadas. VI –propor medidas para a aquisição e/ou baixa dos bens móveis e imóveis. sanitárias e elétricas e de equipamentos das diversas unidades da SEMED. consoante o dispositivo da legislação vigente. ao registro e guarda dos veículos da frota da SEMED. SEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE PATRIMÔNIO.V –manter atualizado o cadastro de veículos da frota da SEMED. VIII –acompanhar. II –coordenar e controlar a dotação de equipamentos e materiais de consumo aos diversos setores da SEMED. 30. IX –identificar os motoristas responsáveis pelo cometimento de infrações de trânsito para adoção de medidas administrativas cabíveis junto à SEMPLAD. XI –controlar e executar os serviços referentes à legalização. XIII –exercer outras competências correlatas. Almoxarifado e Depósitos compete: I –estabelecer critérios para fixação e manutenção do estoque de materiais e equipamentos no almoxarifado. responsabilizando-se pelo uso e distribuição. . IV –propor à SEMPLAD normas complementares para a administração de patrimônio. III –promover programas para manutenção e conservação de materiais e equipamentos. ALMOXARIFADO E DEPÓSITOS Art. VI –elaborar e expedir normas reguladoras do serviço de manutenção e de instrução aos motoristas. de modo a satisfazer as necessidades dos diversos órgãos da SEMED. tripulações e pilotos fluviais. adotando medidas para o cumprimento das normas legais estabelecidas com relação aos veículos e motoristas. porém. VIII –exercer outras competências correlatas. conferir e inspecionar os veículos revisados por terceiros. VII –avaliar e analisar os programas de manutenção e de comparação de custos anuais para proposição de substituição de veículos. À Gerência de Patrimônio. X –controlar o consumo de combustíveis lubrificantes e expedir relatórios mensais. cadastramento e inventário conforme instruções legais e atos normativos pertinentes. bem como manter atualizado o registro de manutenção ocorridas com a frota da SEMED. aos materiais permanentes distribuídos para escolas e a outros departamentos.

32. À Gerência de Alimentação e Distribuição compete: I –planejar. VI –exercer outras competências correlatas. IV –exercer outras competências correlatas. II –receber. utilizando as hortas escolares . 33. SUBSEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE MATERIAL PERMANENTE E DE CONSUMO Art. SUBSEÇÃO II . II –manter registros e cadastros de especificação de materiais e de fornecedores. supervisionar e avaliar o recebimento e a distribuição de merenda escolar. coordenar. 31. zelar pela guarda e distribuição dos materiais odontológicos e demais materiais destinados ao programa saúde escolar e demais ensinos. III –receber. III –conhecer e manter atualizada a legislação pertinente ao desempenho das atividades. III –promover a formação de preparadores de merenda escolar. nas escolas municipais. assim como os demais livros adquiridos pela secretaria para serem distribuídos às bibliotecas da rede municipal de ensino. orientar. SEÇÃO III DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE ALIMENTAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO Art. articulando-se com entidades públicas e privadas. II –sugerir às unidades escolares os equipamentos necessários para a elaboração da merenda escolar. IV –receber. zelar pela guarda e distribuição dos livros didáticos que compõem a reserva técnica. zelar pela guarda e distribuição do material didático e pedagógico que compõem o kit escolar. calorias e complemento vitamínico necessário à idade dos menores assistido. SUBSEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE NUTRIÇÃO Art. 34. proporcionando qualidade. III –exercer outras competências correlatas. II –desenvolver programas de merenda escolar. Ao Núcleo de Material Permanente e de Consumo compete: I –propor as diretrizes para o recebimento e inspeção de materiais e equipamentos adquiridos.SUBSEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE MATERIAL ESCOLAR Art. IV –minimizar a carência alimentar. V –realizar treinamentos técnicos agrícolas com alunos e professores. zelar pela guarda e distribuição do uniforme escolar. Ao Núcleo de Material Escolar compete: I –receber. Ao Núcleo de Nutrição compete: I –organizar a elaboração do cardápio da merenda escolar.

supervisionar e avaliar as ações voltadas para o conhecimento no campo da arte-educação nas escolas municipais. II –planejar. socializar e discutir as pesquisas sobre a Arte na contemporaneidade e seu ensino. realizada pelo Núcleo de Nutrição. VII –incentivar. à força comunicativa dos objetos. artes . CAPÍTULO IX DAS COMPETÊNCIAS DA COORDENADORIA DE ARTE-EDUCAÇÃO Art. verificando se atende aos padrões de qualidade. ampliar e aprofundar as reflexões sobre Arte e Filosofia. nas escolas da Rede Municipal de Ensino. VII –exercer outras competências correlatas. IV –elaborar fundamentos. IX –coordenar e acompanhar as atividades das bibliotecas escolares e centros municipais de arte-educação. III –avaliar o ensino da Arte a partir de parâmetros que fundamentem os campos de conhecimento na escola. orientar. às cores e formas. junto aos Distritos Educacionais. aos gestos que buscam o sentido da vida. às criações musicais. da sensibilidade. orientações teóricometodológicas e bibliográficas para a formação sólida do professor. música. assegurando a qualidade dos itens preocupados. VIII –divulgar. nos centros municipais de arte-educação e bibliotecas escolares. 35. Arte e Cultura. 36. VI –preparar para os novos modos de percepção largamente introduzidos pela revolução tecnológica e da comunicação de massa. IV –acompanhar a formação dos manipuladores de alimentos. III –acompanhar as supervisoras nas visitas às escolas para verificar as condições de armazenamento e conservação dos gêneros da merenda escolar. Ao Núcleo de Controle de Qualidade compete: I –cuidar da formação da guarda e conservação de estoque dos itens destinados ao preparo e à distribuição de merenda escolar. II –acompanhar o recebimento dos gêneros da merenda escolar. À Coordenadoria de Arte-Educação em parceria com a Secretaria da Cultura compete: I –estimular o desenvolvimento do pensamento estético. VI –realizar a análise das amostras dos produtos licitados. da percepção e da imaginação criadora no processo de ensino e aprendizagem. organizar. projetos de incentivo a leitura. integrada ao sonho. X –articular. necessários para o ensino. V –estimular a compreensão do mundo na qual a dimensão poética esteja presente. para alunos e para professores. Arte e Sociedade. V –acompanhar a análise sensorial (organoléptica) realizada pelas nutricionistas antes da aquisição do produto.DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE CONTROLE DE QUALIDADE Art.

VI –promover a difusão dos eventos artísticos e culturais da rede municipal de ensino. apreciar e valorizar a pluralidade do patrimônio cultural brasileiro. em parceria com a Coordenadoria de Gestão Educacional. XVII –executar outras atividades que lhes forem atribuídas dentro de sua área de competência. do planejamento das diretrizes de preservação do patrimônio cultural. arte-educadores e colaboradores. XII –participar . promovendo o desenvolvimento cultural dos alunos. V –ampliar as discussões sobre a valorização e o aprimoramento do professor. em parceria com o Centro de Formação do Magistério. em parceria com o Centro de Formação do Magistério e Fundação Escola de Serviço Público Municipal. desenvolvendo o sentimento de respeito ao passado pré-colonial e à diversidade étnica da Amazônia. 37. juntamente com outros órgãos municipais e federais. artes visuais. artes cênicas e audiovisuais da rede municipal de ensino. II –propor. VII –coordenar. cursos de capacitação e atualização para auxiliares de biblioteca. XIII –conhecer. IV –propor e orientar novas metodologias para o ensino da Arte nas escolas. por meio da educação patrimonial. XI –promover. acompanhar e executar as ações artísticas e culturais promovidas pelas gerências distritais e centros municipais de arte-educação. XVI –produzir material didático que atenda as diversas modalidades da linguagem artística: artes visuais. oficinas e cursos de música. VIII –promover ações voltadas para a valorização do patrimônio cultural brasileiro. seminários. focando o patrimônio amazônico. possibilitando a formação e a capacitação docente nas áreas afins. a elaboração de projetos e programas de formação e capacitação de professores e profissionais envolvidos com arte-educação. fóruns. propondo novos andamentos à ação educativa em arte. IX –consolidar a implantação do Projeto de Educação Patrimonial nas escolas da rede municipal de ensino. III –estimular o conhecimento teórico e prático da Educação e da Arte e sua função pedagógica na escola. literatura. por meio do laboratório de educação patrimonial. juntamente com as Gerências Distritais e Centros Municipais de ArteEducação. por meio de encontros. música e literatura. artes cênicas. artes cênicas. audiovisuais. XV –promover as ações que visem o conhecimento. . XIV –promover o intercâmbio com entidades governamentais e não-governamentais na área de arte-educação. Ao Núcleo de Artes compete: I –planejar.visuais. SEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS NÚCLEO DE ARTES Art. material e imaterial. a preservação e a divulgação do patrimônio cultural do município. visando à construção da identidade cultural amazônica.

Ao Núcleo dos Espaços Culturais compete: I –articular e executar política de cultura da SEMED – voltada especificamente para o atendimento da rede municipal de ensino. atividades e eventos culturais da SEMED. II –articular divisões subordinadas e trabalho em conjunto com os demais departamentos no planejamento de atividades transversais e comuns. parcerias. III –administrar rede de equipamentos de cultura da SEMED. VI –articular e efetivar apoio da SEMED à realização de atividades culturais das demais secretarias e órgãos da prefeitura de Manaus. SEÇÃO III DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE BIBLIOTECAS Art. III –orientar os alunos na pesquisa bibliográfica e meios adequados para usufruto de seus acervos. 38. diversificar e divulgar o acervo das bibliotecas escolares. II –desenvolver campanhas de leitura. assim como por entidades e associações da sociedade civil. 39. XII –promover o inventário das referências culturais do município. XIV –executar outras atividades que lhes forem atribuídas dentro de sua área de competência. VIII –elaborar projetos culturais da SEMED. XI –desenvolver as ações de estímulo à pesquisa e ao reconhecimento do patrimônio cultural do município.X –promover o conhecimento sobre a cultura local de vários grupos que caracterizam a nação brasileira e a cultura de outras nações. X –exercer outras competências correlatas. . IX –administrar e executar de projetos. estimulando o prazer de ler como caminho para a formação do hábito da leitura. difundindo o uso do livro. IV –manter o intercâmbio com órgãos federais. V –apoiar a realização de atividades culturais nos distritos e escolas da rede. estaduais e municipais. XIII –promover cursos e oficinas de educação patrimonial na rede municipal de ensino. supervisionar e avaliar as atividades inerentes às bibliotecas escolares da rede municipal de ensino. no âmbito interno e externo. promovidos por órgãos do governo do estado e do governo federal. empresas e comunidade em geral. IV –apoiar demais departamentos na realização de atividades culturais. VII –articular participação da SEMED em projetos. voltados para a educação. Ao Núcleo de Bibliotecas compete: I –planejar. para ampliar. atividades e eventos culturais. coordenar. SEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DOS ESPAÇOS CULTURAIS Art. em consonância com as Coordenadorias e Gerências Distritais. a fim de que realizem suas tarefas com organização.

IV –apoiar gerências de ensino na formalização de suas demandas. VIII –elaborar. CAPÍTULO X DAS COMPETÊNCIAS DA COORDENADORIA DE GESTÃO EDUCACIONAL Art. utilizando também a arte dramática e outras estratégias de promoção à leitura. VII –acompanhar. clássicos da literatura nacional e internacional. controlar e avaliar nas unidades de ensino o cumprimento das normas pedagógicas e administrativas. conservação e distribuição do acervo literário das bibliotecas escolares. programar. na construção de seus programas de trabalho. montagem de seus projetos e no exercício das atividades de organização e funcionamento das unidades de ensino. À Gerência de Ensino Fundamental compete: I –elaborar políticas públicas voltadas para o ensino fundamental. IX –exercer outras competências correlatas. normas pedagógicas e administrativas a partir das propostas das gerências. emitir instruções. V –explicar diretrizes. junto às gerências de ensino. III –acompanhar a implementação. que serão posteriormente providenciados em conjunto com a Coordenadoria de Formação do Magistério. VI –compatibilizar as ações das gerências de ensino para garantir a unidade de operacionalização da política educacional do município. dos programas de formação docente. emanadas do Conselho Municipal de Educação.V –gerir todo o processo de manutenção. cursos de formação e capacitação para os auxiliares de biblioteca e bibliotecários. IX –promover a valorização das bibliotecas escolares como espaço do saber e difusão do conhecimento. X –executar outras atividades que lhes forem atribuídas dentro de sua área de competência. . II –orientar. em parceria com o CFM e a Fundação Escola de Serviço Público Municipal. SEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE ENSINO FUNDAMENTAL Art. VII –realizar. VIII –promover a informatização da rede de bibliotecas escolares. 40. implementar e avaliar as políticas do sistema público de ensino. coordenar e avaliar as políticas de educação na Secretaria Municipal. 41. preservação. À Coordenadoria de Gestão Educacional compete: I –formular. coordenar e supervisionar as atividades educacionais executadas pela Secretaria. VI –promover a valorização das obras da cultura amazonense.

monitorar e avaliar os programas e projetos que integram as atividades do processo ensino-aprendizagem na área de educação infantil. À Gerência de Educação Infantil compete: I –definir diretrizes gerais e acompanhar a elaboração do currículo escolar das unidades de ensino que oferecem educação infantil. orientar. IV –oferecer campos de estágio curricular para os alunos do curso de formação de Professores nas escolas na Rede Municipal. em casos específicos. V –propor. juntamente com gerências distritais zonais. VI –assessorar o comitê estratégico do plano de desenvolvimento da escola. . VII –análise dos processos da gratificação e do aperfeiçoamento profissional dos funcionários. IX –assessorar e subsidiar o Conselho Municipal de Educação/Manaus com minutas de resoluções e pareceres que regulamentem a educação básica na rede municipal de ensino. III –elaborar políticas públicas educacionais voltadas para a educação infantil. emitir parecer. monitorar e avaliar os programas e projetos que integram as atividades do processo ensino-aprendizagem no ensino fundamental. a implantação e a execução de novos métodos de gerenciamento escolar. VIII –exercer outras competências correlatas. com orientações quanto aos procedimentos técnicos da administração escolar. SEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Art. orientar. VIII –averiguar denúncias administrativas e pedagógicas no âmbito escolar. III –analisar os documentos escolares e. monitorar e avaliar formação continuada de professores do ensino fundamental. SEÇÃO III DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR Art. monitorar e avaliar a formação de professores de educação infantil. II –supervisionar a aplicabilidade da legislação educacional vigente. IV –propor. X –expedir transferências das escolas extintas. III –planejar. V –subsidiar as gerências distritais zonais. 42. À Gerência de Administração Escolar compete: I –exercer outras competências correlatas. II –planejar. 43. V –exercer outras competências correlatas. autenticando documentação de escolaridade.II –definir diretrizes gerais e acompanhar a elaboração do currículo escolar das unidades de ensino que oferecem ensino fundamental. VI –orientar pedagogicamente as gerências distritais zonais e unidades escolares. monitorar e avaliar. VII –assegurar o cumprimento das normas pedagógicas e administrativas. no Sistema Municipal de Ensino. IV –propor.

SEÇÃO IV DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE MODALIDADES EDUCACIONAIS Art. monitorar e avaliar os programas e projetos que integram as atividades do processo ensino-aprendizagem na área de educação escolar indígena. XIV –participar auditagem quando solicitada pela autoridade competente. requisitar e fornecer as gerências distritais zonais modelos padronizados da documentação escolar. SUBSEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Art. de aperfeiçoamento e especialização para o pessoal técnico e docente. XIII –assessorar em parceria com as gerências competentes a elaboração do plano de ação e aplicação dos recursos financeiros das escolas municipais. em conjunto com as unidades que lhe são subordinadas.XI –reformular. coordenar executar o currículo de educação escolar indígena. . o acompanhamento e a gestão dos assuntos voltados para as diversas modalidades educacionais. IV –propor a realização de cursos de atualização. 44. orientar. III –orientar a organização de classe especiais. bem como a fiscalização. V –exercer outras competências correlatas. bem como cópias da legislação vigente do ensino. da implementação. II –planejar. SUBSEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA Art. monitorar e avaliar os programas de formação inicial e continuada dos professores da educação escolar indígena. fazendo cumprir as normas estabelecidas. III –elaborar políticas públicas voltadas para a educação escolar indígena. IV –propor. À Gerência de Modalidades Educacionais compete a promoção do planejamento. Ao Núcleo de Educação Especial compete: I –coordenar as atividades de ensino nas unidades escolares que oferecem educação especial. controlar e avaliar os programas de projetos de ensino que integram o processo de ensino-aprendizagem nas escolas especiais. II –planejar. Ao Núcleo de Educação Escolar Indígena compete: I –elaborar. 46. 45. XII –organizar e atualizar o arquivo de atas finais enviadas pelas escolas da rede municipal de ensino. orientar. XV –executar outras atividades no âmbito de sua competência.

psicopedagogia. II –planejar. IX –exercer outras competências correlatas. especialização e mestrado para os técnicos do CEMASP e das unidades educacionais. monitorar e avaliar os programas e/ou projetos que integram as atividades do processo ensino-aprendizagem na modalidade de educação de jovens e adultos. parcerias com outras instituições visando à implementação das atividades desenvolvidas. III –propor. IV –elaborar políticas públicas educacionais voltadas para as áreas sóciopsicopedagógicas. VIII –assegurar o cumprimento das normas pedagógicas emanadas da coordenadoria de gestão educacional. as gerências distritais zonais e unidades de ensino sobre as culturas indígenas. V –orientar pedagogicamente as gerências distritais zonais e unidades de ensino em questões pertinentes a educação de jovens e adultos. II –realizar ações preventivas que visem a melhoria das relações intra e interpessoais nas unidades de ensino. pedagogicamente. . IV –elaborar políticas públicas educacionais voltadas para a modalidade educação de jovens e adultos. III –promover a permanência dos discentes nas unidades de ensino em consonância com as gerências distritais zonais. VI –articular. V –propor. monitorar e avaliar a formação continuada dos professores da educação de jovens e adultos. VII –elaborar material didático com objetivo de dinamizar o processo ensino-aprendizagem da modalidade de educação de jovens e adultos. SUBSEÇÃO III DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Art. 47. monitorar e avaliar atendimentos específicos nas áreas de serviço social.V –orientar. VI –assegurar o cumprimento das normas pedagógicas emanadas da Coordenadoria de Gestão Educacional. coordenar e executar o currículo de educação de jovens e adultos. SUBSEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DO CENTRO MUNICIPAL DE ATENDIMENTO SÓCIOPSICOPEDAGÓGICO AO EDUCANDO – CEMASP Art. monitorar e avaliar a realização de cursos de aperfeiçoamento. psicologia. orientar. VII –promover. organizar e estimular a produção de material didático-pedagógico específico de cada povo indígena. Ao Núcleo de Educação de Jovens e Adultos compete: I –elaborar. 48. pedagogia e fonoaudiologia aos discentes das unidades de ensino. compete: I –realizar. Ao Centro Municipal de Atendimento sociopsicopedagógico ao Educando. juntamente a gerência do ensino fundamental e gerência de administração escolar.

musicoterapia. VIII –promover a inserção dos PNEEs no mundo trabalho por meio do balcão de empregos. monitorar e avaliar formação continuada a profissionais da modalidade de educação especial. a inclusão de portadores de necessidades educativas especiais nas unidades de ensino na rede municipal. IX –efetivar parcerias com diversos órgãos ou instituições por meio de convênios. consolidando articulações efetivas. XI –assegurar o cumprimento das normas pedagógicas emanadas da coordenadoria de gestão educacional. fisioterapia. 49. SUBSEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DO CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL – CMEE Art. visando conscientizar. X –manter intercâmbio com as demais Secretarias Municipais de Educação. VI –promover.VI –efetivar parcerias com diversos órgãos e/ou instituições por meios de convênios. visando à troca de experiências e aprimoramento dos programas educacionais inclusivos. motivar e sensibilizar sobre a capacidade produtiva dos PNEEs atendidos pelo Centro. adolescentes e adultos da educação básica do Município que apresentem distúrbios ou dificuldades na aprendizagem. visando integração social dos PNEEs. . IV –orientar as famílias. em nível nacional. hidroterapia.CEMEJA Art. audiometria. pedagogia. V –propor. III –realizar atendimento específico de ludoterapia. 50. terapia ocupacional. VII –implantar e coordenar oficinas pedagógicas e profissionalizantes. SUBSEÇÃO III DAS COMPETÊNCIAS DO CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS . os professores de educação básica e técnicos que atendem os PNEEs. que contribuam com os discentes atendidos no CEMASP. psicologia. clínica geral. odontologia e estimulação essencial e de aprendizagem à crianças de 0 a 06 anos. psicopedagogia. ecoterapia. Ao Centro Municipal de Educação Especial compete: I –coordenar. II –avaliar e diagnosticar crianças. XII –exercer outras competências correlatas. elaborar e executar o currículo adaptando às necessidades específicas dos Portadores de Necessidades Educativas Especiais (PNEE). VII –exercer outras competências correlatas. Ao Centro Municipal de Educação de Jovens e Adultos compete: I –atender jovens e adultos que não concluíram na idade apropriada o 2º segmento do ensino fundamental por meio de programas específicos. fonoterapia. em conjunto com as gerências distritais zonais.

V –exercer outras competências correlatas. Ao Núcleo de Atividades Extracurriculares compete: I –planejar. SEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE ATIVIDADES EXTRACURRICULARES Art. visando ao fortalecimento da integração escola e comunidade. visando ao atendimento das atividades complementares junto com a comunidade escolar. coordenar. monitorar e avaliar programas e projetos extracurriculares. SEÇÃO IV DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. V –encaminhar ações/projetos para utilização de recursos financeiros disponíveis para o 2º segmento dessa modalidade de ensino. VI –assegurar o cumprimento das normas pedagógicas emanadas da Coordenadoria de Gestão Educacional. IV –elaborar políticas públicas educacionais. monitorar e avaliar formação continuada a técnicos e profissionais envolvidos nas ações do núcleo de atividades extracurriculares. além dos componentes da base curricular. monitorar e avaliar a política de escolha do livro didático. monitorar e avaliar o cumprimento de normas e diretrizes que beneficie a comunidade escolar. II –planejar e coordenar projetos e programas de apoio à comunidade escolar. VI –executar e avaliar junto ao Núcleo de Educação de Jovens e Adultos a elaboração de planos de metas. V –propor. II –elaborar. VII –exercer outras competências correlatas. SEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO ESCOLA COMUNIDADE . III –propor. IV –assegurar o cumprimento das normas pedagógicas emanadas da coordenadoria de gestão educacional. visando prosseguimento de estudos. projetos diversos. monitorar e avaliar os programas de formação continuada a técnicos e profissionais envolvidos nas ações da gerência de atividades complementares junto à Coordenadoria de Formação do Magistério e a Escolas de Serviço Público Municipal. III –articular parcerias com órgãos governamentais e não-governamentais. IV –coordenar e avaliar as atividades pedagógica e administrativa. À Gerência de Atividades Complementares compete: I –elaborar. 51. VII –exercer outras competências correlatas. orientar. 52.II –realizar exames de suplência com a finalidade de regularizar o histórico escolar. executar. III –proporcionar à comunidade escolar.

monitorar e avaliar formação continuada a técnicos e profissionais envolvidos nas ações do núcleo de integração escola e comunidade. as escolas. IV –acompanhar o processo de formação dos professores e colaboradores das escolas de sua jurisdição. em especial: I –coordenar todos os processos administrativos. a fiscalização e a organização das atividades desenvolvidas nos Distritos Educacionais e. CAPÍTULO XI DAS COMPETÊNCIAS DA COORDENADORIA GERAL DOS DISTRITOS Art. III –dinamizar junto às unidades escolares atuação do Poder Público no segmento educacional. VI –executar. constituindo-se como um interlocutor entre a organização SEMED. V –executar outras atividades compatíveis com a natureza de sua função e que lhes forem atribuídas pelo Secretário Municipal de Educação. II –fazer a interface administrativa e pedagógica entre as escolas municipais. pedagógicos e infraestruturais das unidades escolares jurisdicionadas. implantar e implementar ações de organização e operacionalização dos processos de trabalhos e/ou atividades de natureza técnico-administrativa. IV –propor. À Coordenadoria Geral dos Distritos compete o planejamento.Art. e a comunidade do seu entorno. CMEIs. patrimônio e dispêndio financeiro e pedagógico das escolas jurisdicionadas. mestres e comunitários (APMC). VII –assegurar o cumprimento das normas pedagógicas emanadas da coordenadoria de gestão educacional. SEÇÃO ÚNICA DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DISTRITAL Art. IV –articular junto ao Secretário e demais unidades da estrutura operacional da SEMED. 54. III –fortalecer as ações de integração escola comunidade visando à participação dos pais no processo pedagógico. creches e anexos e os demais departamentos da SEMED. Ao Núcleo de Integração Escola Comunidade compete: I –promover a participação e a integração entre família-escola-comunidade. 53. V –assessorar as gerências distritais zonais nas ações de integração escola comunidade. II –exercer outras competências correlatas. . Às Gerências Distritais compete: I –coordenar o levantamento da necessidade de ampliação e construção da rede física escolar. 55. via associação de pais. acompanhar e avaliar os programas e os projetos de saúde preventiva. III –planejar. o acompanhamento. visando instrumentalizar o funcionamento dos Distritos Educacionais. II –orientar e controlar o cumprimento das normas relativas à administração de pessoal.

no seu âmbito de atuação. Aos Núcleos de Administração e Finanças dos Distritos compete assistir e assessorar diretamente os Distritos Educacionais. IV –acompanhar e assessorar os processos pedagógicos das escolas sob sua jurisdição. identificando os alunos com baixo rendimento escolar a fim de encaminhá-los aos setores competentes responsáveis pela intervenção pedagógica. providenciando todo o suporte necessário para tanto. controlar e fiscalizar o cumprimento dos padrões mínimos de funcionamento das unidades escolares zoneadas em sua jurisdição. controle da lotação dos servidores das escolas. em especial: I –encaminhar demandas de pessoal (pagamentos. referentes à Educação Infantil. VI –garantir a execução das diretrizes de educação da Secretaria nas escolas da Rede Municipal de Ensino. respeitado o âmbito de atuação de cada uma delas. encaminhamento de solicitações diversas dos servidores como: . V –acompanhar os resultados pedagógicos (rendimento) das escolas sob sua jurisdição. IX –acompanhar o processo de planejamento e de execução dos recursos financeiros recebidos pelas unidades escolares. 57. VII –executar outras atividades que lhes forem atribuídas dentro de sua área de competência. e. SUBSEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DOS NÚCLEOS PEDAGÓGICO DOS DISTRITOS EDUCACIONAIS Art.V –orientar e avaliar projetos e programas pedagógicos desenvolvidos nas escolas no âmbito de sua atuação. X –executar outras atividades compatíveis com a natureza de sua função e que lhes forem atribuídas pelo Secretário Municipal de Educação. planejar. VIII –elaborar bimestralmente relatórios gerenciais das atividades desempenhadas e encaminhá-las ao setor competente. III –assessorar administrativamente os processos de gestão das unidades escolares de sua jurisdição. de acordo com as diretrizes da Secretaria. SUBSEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DOS NÚCLEOS DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Art. 56. II –acompanhar projetos e programas pedagógicos desenvolvidos nas escolas. ao Ensino Fundamental e seus segmentos. interagindo com as demais unidades da estrutura operacional da SEMED. VI –executar as propostas pedagógicas da Secretaria Municipal de Educação. VII –gerir. controle da freqüência dos servidores das escolas. Aos Núcleos Pedagógicos dos distritos compete: I –acompanhar o processo de planejamento e de execução dos recursos financeiros recebidos pelas unidades escolares.

II –acompanhar a distribuição de material didático. planejando as atividades relativas a programas de formação inicial e continuada dos profissionais do magistério. e fóruns realizados no âmbito da Secretaria Municipal de Educação. de limpeza. simpósios. À Coordenadoria de Formação do Magistério compete: I –elaborar. VI –executar outras atividades que lhes forem atribuídas dentro de sua área de competência. III –executar o levantamento da rede física escolar. fardamento. coordenar e acompanhar a política de formação inicial e permanente do magistério. II –encaminhar demandas de intervenção na rede física das escolas. reforma. implementar. II –elaborar e emitir pareceres técnicopedagógicos quanto a projetos de formação em parceria com os diversos segmentos da SEMED. em consonância com a Coordenadoria de Logística. IV –acompanhar. em consonância com a Coordenadoria de Logística. CAPÍTULO XII DAS COMPETÊNCIAS DA COORDENADORIA DE FORMAÇÃO DO MAGISTÉRIO Art. III –encaminhar demandas de material de expediente. solicitações diversas de reparos e de serviços. IV –executar outras atividades que lhes forem atribuídas dentro de sua área de competência. promover e divulgar a produção científica da Rede Municipal de Ensino. da merenda escolar e de todo o material pertinente ao trabalho pedagógico desenvolvido nas escolas. SUBSEÇÃO III DAS COMPETÊNCIAS DOS NÚCLEOS DE INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA E DE INFRA-ESTRUTURA TERRESTRE E FLUVIAL Art. Ao Núcleo de Infra-estrutura e Logística Terrestre e Fluvial compete: I –levantar as necessidades e requisitar o material a ser empregado nas escolas que lhe são subordinadas. licenças . manutenção e ampliação das escolas integrantes de seu distrito educacional. como também das áreas com maior demanda escolar para programação das obras de ampliação e construção de escolas em consonância com a Coordenadoria de Logística. as instituições proponentes e definir linhas de ação pedagógica envolvendo eventos como seminários.férias. V –articular junto à Gerencia de Informática a funcionalidade dos equipamentos de informática das escolas. ampliação de jornada de trabalho. SEÇÃO I DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE APOIO ADMINISTRATIVO . material e merenda escolar. 58. 59. propor. bem como desenvolver pesquisas. kit escolar. a execução de obras como construção. entre outros).

VIII –exercer outras competências correlatas. À Gerência de Formação Continuada compete: I –promover a política de formação continuada dos profissionais de educação da Rede Municipal de Ensino. VII –participar de Eventos Regionais. além de outras atribuições correlatas. II –articular ações de cunho técnico-pedagógico com os diversos segmentos da SEMED. as Instituições de Ensino Superior e as Universidades referentes à formação continuada propostas. III –interagir com a Secretaria de Ciência e Tecnologia da Informação (SEMCTI). IV –realizar acompanhamento técnico e pedagógico às atividades com Tecnologias Interativas (Informática – TV Escola – Mídias na Educação) nas escolas. Ao Núcleo de Tecnologia Educacional compete: I –a oferta de formação especializada nas Tecnologias Interativas à educação nos níveis de ensino. II –articular-se com a SEED/MEC/PROINFO e com as demais unidades da estrutura operacional da SEMED de forma a garantir os mecanismos necessários à implantação e implementação de projetos de Inclusão Digital e Educação a Distância (EAD). 60. III –estimular a produção científica realizada pelos profissionais de educação em suas respectivas escolas. Ao Núcleo de Apoio Administrativo compete o assessoramento direto e imediato à coordenadoria de Formação do Magistério no âmbito de apoio logístico. suporte operacional. registro de freqüência e divulgação das ações desenvolvidas pela Coordenadoria de Formação do Magistério. órgãos e Universidades nacionais e internacionais para garantir a rede de aprendizagem colaborativa virtual. no que se refere ao desenvolvimento tecnológico em parceria com a SEED/MEC/Programa Nacional de Informática na Educação (PROINFO). VI –articular e manter intercâmbio com Instituições. IV –promover intercâmbio com órgãos nacionais e internacionais no que se refere à formação contínua dos professores da Secretaria Municipal de Educação. respeitando o Programa de Formação “Tapiri” em vigor.Art. relativas à Informática e à Internet. SEÇÃO III DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA Art. visando atender às necessidades do Núcleo e das escolas. 61. suprimento. . SEÇÃO II DAS COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL Art. Nacionais e Internacionais socializando e divulgando a utilização dos recursos tecnológicos na educação do município de Manaus. V –analisar e solicitar aquisição de programas/software na área de informática na educação. 62.

VI –designar servidores para responderem provisoriamente. diretrizes. VII –exercer outras atribuições correlatas. bem como realizar assessoramento técnicopedagógico dos projetos em parceria. IV –assessorar o Prefeito e os outros Secretários Municipais em assuntos de competência da Secretaria. V –analisar e deliberar acerca dos pedidos de liberação com ônus para cursos de pósgraduação stricto sensu por meio do Programa Qualifica. V –fazer indicações ao Prefeito. VI –fomentar a cultura de pesquisa na rede municipal de ensino. À Gerência de Formação Inicial compete: I –promover a preparação e o aperfeiçoamento de recursos humanos para a área de educação especial. III –exercer a liderança política e institucional da Secretaria. 64. II –viabilizar parcerias com instituições de ensino superior. III –realizar cursos de extensão. para o provimento de cargos em comissão e prover as funções comissionadas. contemplando o programa de formação “Tapiri” e em parceria com agências de fomento à pesquisa. 63. atribuições que estejam no âmbito de sua competência. promovendo contatos e relações com autoridades e organizações dos diferentes níveis governamentais. II –fixar as prioridades. pelo expediente das unidades que compõem a estrutura organizacional da Secretaria. no âmbito da Secretaria. VII –delegar. aos servidores. com estreita observância às normas legais e atos normativos. programas e projetos de formação oriundos do Ministério da Educação. em casos de vacância. até que sejam supridas por ato próprio. São Atribuições do Secretário Municipal de Educação: I –administrar a Secretaria. eventos de formação e encontros de pesquisas na rede municipal de ensino. visando o oferecimento de cursos de graduação e de pós-graduação. metas e política para consecução dos objetivos da Secretaria. . VI –exercer outras atribuições correlatas. e de acordo com os ditames legais. TÍTULO III DAS ATRIBUIÇÕES DOS DIRIGENTES CAPÍTULO I DAS ATRIBUIÇÕES DO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Art. SEÇÃO IV DAS COMPETÊNCIAS DA GERÊNCIA DE FORMAÇÃO INICIAL Art. IV –promover intercâmbio com órgãos nacionais e internacionais no que se refere à formação dos profissionais da secretaria.V –acompanhar e coordenar em forma de parcerias.

XV –designar servidores da Secretaria para utilização de suprimentos de fundos. exercer o controle da legalidade dos atos administrativos praticados no âmbito da Secretaria. relatório crítico-interpretativo das atividades da Secretaria. XVI –representar externamente a Secretaria nos assuntos de sua competência. 66. XIX –referendar todos os atos concernentes à Pasta. III –substituir o Secretário em seus impedimentos eventuais. São Atribuições do Assessor Jurídico: elaborar ou auxiliar na elaboração de projetos de lei. buscando. periodicamente. IX –emitir parecer final. recursos humanos e de serviços gerais. IV –planejar. a orientação do Prefeito. XI –apresentar ao Prefeito. decretos. XVII –propor a realização de concursos públicos para preenchimento de cargos vagos existentes na Secretaria. . definir políticas sobre desenvolvimento dos recursos humanos da Secretaria. XIII –aprovar o planejamento das atividades e o orçamento da Secretaria. II –garantir a continuidade das atividades da Secretaria. XIV –ordenar a realização de despesas. de caráter conclusivo. CAPÍTULO III DAS ATRIBUIÇÕES DO ASSESSOR JURÍDICO Art. VI –acompanhar e promover a avaliação de projetos e atividades. orçamento. regulamentos e outros atos administrativos de interesse da Secretaria. quando da ausência ou impedimento do Secretário. sobre os assuntos submetidos à sua decisão. XXI –exercer outras atividades que lhe sejam delegadas pelo Prefeito. antes. aprovar planos de comunicação social. X –propor ou baixar normas de sua competência. no âmbito da Secretaria. XX –promover integração com o Governo Federal e Estadual para o desenvolvimento de programas e projetos relativos à Pasta. 65. CAPÍTULO II DAS ATRIBUIÇÕES DOS SUBSECRETÁRIOS Art. VII –exercer outras atividades que lhe sejam delegadas pelo Secretário.VIII –atender às solicitações e convocações da Câmara Municipal. São Atribuições dos Subsecretários: I –auxiliar o Secretário no desempenho de suas funções e na coordenação das atividades das demais Unidades. planejamento. coordenar e supervisionar a execução das atividades relativas à organização. XII –assinar contratos. convênios e protocolos em que a Secretaria seja parte. XVIII –promover a divulgação de projetos e realizações da Secretaria. V –promover a elaboração e consolidação dos planos e programas das atividades de sua área de competência e submetê-los a decisão do Secretário.

elaborar minutas de contratos. executar as atividades de assistência jurídica da Secretaria. no âmbito da Secretaria. assistir o Secretário e Subsecretários em suas relações com o Poder Judiciário. acompanhar e controlar a divulgação de informações e temas relativos à Secretaria. 68. nos casos em que esta for autora. nas divulgações e realizações da Secretaria. receber e controlar o andamento interno dos processos relacionados às Ações de interesse da Secretaria. CAPÍTULO IV DAS ATRIBUIÇÕES DO ASSESSOR DE COMUNICAÇÃO Art. quando necessário. prestar informações quando solicitadas por outros órgãos em assuntos jurídicos relacionados à Secretaria. orientar. contatar os veículos de comunicação. interagir com a Gerência de Planejamento na elaboração da proposta de programação anual relativa à comunicação. interagir com a Secretaria Municipal de Comunicação. organizar cerimonial das solenidades promovidas pela Secretaria. a serem divulgados na rede mundial de computadores. elogios e providenciar as medidas e respostas cabíveis. estudar. que forem submetidos à sua apreciação pelo Secretário e servidores do órgão. administrativos e logísticos. apoiar a Procuradoria Geral do Município na defesa da Secretaria em juízo. interagir com a Gerência de Planejamento na elaboração da proposta de programação anual relativa à Assessoria Jurídica. . São Atribuições do Assessor de Comunicação: realizar. exercer outras competências correlatas. preparar informações ou defesas a serem assinadas pelo Secretário em cumprimento a decisões do Tribunal de Conta do Município ou nas ações judiciais. manter arquivo atualizado de matéria jornalística de interesse da Secretaria. convênios e termos similares. acordos. CAPÍTULO V DAS ATRIBUIÇÕES DO ASSESSOR DE GABINETE (AG) Art. relacionados com a área de atuação da secretaria municipal de educação. definir os dados. analisar e exarar pareceres e informações sobre assuntos de interesse da Secretaria. questionamentos. 67. críticas. São atribuições do Assessor de Gabinete: I –assessorar o secretário e os subsecretários em assuntos técnicos. ré ou interveniente. receber sugestões. exercer outras competências correlatas. orientar as unidades de direção superior da Secretaria quanto às implicações de ordem jurídica decorrentes da legislação e jurisprudência em vigor. identificar e analisar as tendências da opinião pública sobre a atuação da Secretaria. promover a comunicação interna da Secretaria. promover ações de divulgação da Secretaria.

V –propor ao Secretário medidas destinadas ao aperfeiçoamento dos programas. CAPÍTULO VI DAS ATRIBUIÇÕES COMUNS A TODOS OS COORDENADORES Art. XVI –exercer outras atribuições peculiares ao cargo ou que lhe sejam conferidas por autoridade. IV –propor ao Secretário a constituição de comissões ou grupos de trabalho e a designação dos respectivos responsáveis para a execução de atividades especiais. no âmbito da secretaria. projetos e programas de interesse da secretaria. para o bom funcionamento dos serviços. monitoramento e avaliação de planos. programas e projetos a serem desenvolvidos pela Gerência/Núcleo. ajustes. acordos e atos similares com órgãos e entidades públicas e privadas. supervisionar e avaliar as ações desenvolvidas pela Gerência/Núcleo subordinados. XV –articular-se com dirigentes de Órgãos e entidades públicas e privadas e definir estudos e projetos da conveniência da Secretaria. XII –cumprir e fazer cumprir as determinações superiores. quando designado pelo secretário. II –assistir ao Secretário em assuntos compreendidos na sua área de competência. VIII –articular-se com as demais unidades da Secretaria. 69. estrangeiras e internacionais na sua área de competência. III –elaborar e submeter à apreciação e aprovação do Secretário a proposta dos planos. de acordo com as normas em vigor e diretrizes estabelecidas pelo Secretário. da elaboração. X –promover ações relativas à melhoria do ambiente de trabalho de sua área. VII –encaminhar ao Secretário relatórios periódicos das atividades das suas áreas e respectivas unidades. XIV –aprovar as propostas orçamentárias de sua Coordenadoria. execução. orientar. coordenação. projetos e atividades sob sua coordenação. organizar. XIII –propor ao Secretário a execução de programas de treinamento e aperfeiçoamento para os servidores que lhe são subordinados. . IX –controlar a qualidade dos serviços gerados pela sua área. XI –baixar atos normativos internos que digam respeito a sua área de competência. São Atribuições Comuns a todos os Coordenadores: I –planejar. com vistas à otimização dos resultados. IV –realizar estudos para a permanente racionalização dos métodos e técnicas utilizadas ela secretaria. VI –executar outras atividades que lhes forem delegadas. os assuntos submetidos à assessoria. nacionais. V –atender ou encaminhar para atendimento.II –participar. III –emitir pareceres e estudos com o objetivo de subsidiar as decisões superiores. VI –propor ao Secretário a celebração de convênios.

VI –encaminhar ao Coordenador relatórios periódicos das atividades das suas áreas e respectivas unidades.XVII –responsabilizar-se pelos materiais permanentes e de expediente de suas unidades. São Atribuições Comuns a todos os Chefes de Núcleo: I –desempenhar atribuições. 70. de natureza administrativa e técnico-especializada. II –supervisionar os procedimentos relacionados à execução das atividades que lhe são afetas. projetos e atividades sob sua gerência. e a designação dos respectivos responsáveis para a execução de atividades especiais. . CAPÍTULO VIII DAS ATRIBUIÇÕES COMUNS A TODOS OS CHEFES DE NÚCLEO Art. III –elaborar e submeter à apreciação e à aprovação do Coordenador a proposta dos planos. São Atribuições Comuns a todos os Gerentes: I –gerir. CAPÍTULO VII DAS ATRIBUIÇÕES COMUNS A TODOS OS GERENTES Art. XI –propor. X –cumprir e fazer cumprir as determinações superiores. programas e projetos a serem desenvolvidos pelos Núcleos. XIV –responsabilizar-se pelos materiais permanentes e de expediente de suas unidades. VIII –controlar a qualidade dos serviços gerados pela sua área. para o bom funcionamento dos serviços. XII –articular-se com dirigentes de Órgãos e entidades públicas e privadas. XV –exercer outras atribuições correlatas. II –assistir aos Subsecretários e/ou o Coordenador em assuntos compreendidos na sua área de competência. IV –propor ao Coordenador a constituição de comissões ou grupos de trabalho. supervisionar e avaliar as ações desenvolvidas pelos Núcleos subordinados. ao Coordenador. XIII –exercer outras atribuições peculiares ao cargo ou que lhe sejam conferidas por autoridade. XVIII –exercer outras atribuições correlatas. e definir estudos e projetos da conveniência da Secretaria. com vistas à otimização dos resultados. que lhes forem atribuídas por seus superiores. V –propor ao Coordenador medidas destinadas ao aperfeiçoamento dos programas. de acordo com as normas em vigor e diretrizes estabelecidas pelos Subsecretários e/ou Coordenador. IX –promover ações relativas à melhoria do ambiente de trabalho de sua área. orientar. 71. a execução de programas de treinamento e aperfeiçoamento para os servidores que lhe são subordinados. VII –articular-se com as demais unidades da Secretaria. organizar.

pela ordem dos trabalhos e pela guarda dos materiais da unidade. V –exercer outras atribuições correlatas. monitoramento e avaliação de seus programas e projetos. 72. II –exercer outras atribuições correlatas. Os casos omissos e as dúvidas surgidas na aplicação do presente Regimento Interno serão resolvidos pelo Secretário Municipal Educação. e aquelas que lhe sejam conferidas por autoridade. IV –zelar pelo uso correto dos equipamentos. CAPÍTULO X DAS DISPOSIÇÕES FINAIS Art. implementação. . CAPÍTULO IX DAS ATRIBUIÇÕES COMUNS AOS DEMAIS CARGOS EM COMISSÃO Art. 73.III –executar estudos técnicos que subsidiem o processo de elaboração. São Atribuições Comuns aos demais Cargos em Comissão: I –desempenhar com zelo e dedicação as atribuições ao exercício do cargo. exercendo suas atividades com caráter de dedicação integral. primando pelo espírito de equipe e de colaboração. execução. para o alcance dos objetivos propostos.