Unidade I

ÁLGEBRA

Profa. Isabel Espinosa

Conjuntos
Notação:
 Conjuntos – letras maiúsculas: A, B, ...
 Elementos – letras minúsculas, números.
 Conjunto vazio: ø ou { }.

Conjuntos
Pertinência: 
Elemento pertence a conjunto
x  A (x é elemento do conjunto A)
x  A (x não é elemento do conjunto A)
Exemplo:
A = { 0, 2, 3, 5 }
0A
3A
1A

Conjuntos
Característica comum:
a) A = { 2x + 1 | x  Z }
x = -1  2(-1) + 1 = -1
x = 0  2 (0) + 1 = 1
x = 1  2(1)
( )+1=3
x = 2  2(2) + 1 = 5
Assim: A = {..., -1, 1, 3, 5, ...}
b) B = { x  IR / 0 < x < 3 }}: iindica
di os
números reais entre 0 e 3.

Conjuntos
 Igualdade de conjuntos
A = B  ( x) (x  A  x  B )
Exemplo:
A = { 1, 2, 3 }
B={xZ/0<x<4}
1  A e 0 < 1 < 4, então 1  B
2  A e 0 < 2 < 4,
4 então
tã 2  B
3  A e 0 < 3 < 4, então 3  B
Logo: A = B

B A .Conjuntos  Inclusão A  B (A está contido em B) Indica que todo elemento de A também é elemento de B.

8 } B = { 1. 4. 2. Logo: A  B . 8 } Todos os elementos de A estão em B. 4. 5. 6. 7. 3. 6.Conjuntos Exemplos: 1) A = { 2.

6 } Nem todos os elementos de A estão em C. 2. 5.Conjuntos 2) A={2 2. 8 } C = { 1. 8  A. mas 8  C Logo: A  C . 4. 6 6. 4 4. 3.

Conjuntos Intersecção de conjuntos AB={x/xA e xB} Exemplo: A = { 0. 1. 5. 4. 6. 4. 5 } B = { 3. 2. 5 } . 7 } 0 1 6 5 7 4 2 A 3 B A  B = { 3. 4. 3.

.Conjuntos Conjuntos disjuntos A  B = { } ou A  B = ø Exemplo: A = { 3. 6. 2 } AB=ø Não tem elementos comuns. 9 } B = { 1.

5. 1.Conjuntos União de conjuntos A  B = { x / x  A ou x  B } Exemplo: A = { 0. 3. 3. 6. 4. 7 } 4 1 2 A 6 3 0 5 7 B A  B = { 0. 7 } . 2. 1. 2. 5 } e B = { 3. 6. 5. 4. 4.

Conjuntos Propriedade da união e da intersecção A  ( A  B) = A AB B B A B AB A A .

Conjuntos Diferença A–B= {xU/ xAe xB} A-B A B .

3. 5. 6. 4 } B = { 3. 4. 1. 2 } . 7 } A – B = { 0. 1. 2.Conjuntos Exemplo: A = { 0.

3. 1. então A  B será: a) A  B = { -1. 5 } c) A  B = { -1. 3. 1. 3. 2. 1. 2.Interatividade Considerando os conjuntos A = { -1. 5 } d) A  B = { -1. 5 } e B = { x  Z / 0 < x < 3 }. 3. 1. 5 } b)) A  B = { -1. 2. 5 } e) A  B = { -1. 3 } .

4 } e B = { 3. 2. 3. 2 } . 1. 4 } BA B C A = A – B = { 0.Conjuntos Complementar (só para B  A) B C = A–B A Lê-se: ê complementar de B em relação a A Exemplo: A = { 0. 1.

Conjuntos Propriedades: 1) B C  B =ø A Pois B C A = {x/xAexB} .

Conjuntos 2) BC C A = B C  B B C CA C C A B BC A B BC C A A A C CA C CA .

Conjuntos 3) BC C A = B C A B A B C CA A B BC C  C C A C A B BC CA C CA .

2) 2). 4)} . 2). 2) 2). (4. 0). 0). 4 } A x B = {(0 {(0.4)} 4)} B x A = {(2. 1). 4). 1. 2). (4. 2) 2).y) / x  A e y  B} Se A ≠ B. (4. 4) 4). (4. (2. (2.2)} B x B = {(2. então A x B ≠ B x A Exemplo: A = { 0. 2 } B = { 2. 2). 1). (2. (4. (2 (2. (0 (0.Produto cartesiano Produto cartesiano A x B = {(x. (2 (2. (1 (1. 4) 4). (1 (1.

y)  R ou x R y . y)  R ou x R y ~ (x.Relação binária Relação binária: (R) R  AxB Notação: (x.

4. (0 (0. ) ((1. 2. 3. 4} B = {1. 2. 5. {( 1).1)} 1)}  A x B R3 não é relação de A em B . 1. 3. {(5 0) 0). 6} R1 = {(0.Relação binária Exemplos: 1) A = {0.3)} )} ou 0 R1 1 e 1 R1 3 R2 = ø R3 = {(5.

B = {1.4} . 2. 1.Relação binária 2) A = {0.: 0 y=0 0B 1 y=2 2B 2 y=4 4B 3 y=6 6B L Logo: R = {(1 {(1. 3}. 2. 4)} D(R) = {1. 2).2} e Im(R) = {2. 2) (2 (2. y)  A x B / y = 2 x} x(A) y=2x Obs. 4} e R = {(x.

I (R) = { y  B / ( x  A) x R y } Im(R) .Relação binária Domínio de R R  AxB D(R)  A D(R) = { x  A / ( y  B) x R y } Imagem de R R  AxB Im(R)  B.

{( 1). 4} B = {1. 2. ) ((2. 3.Relação binária Representações  Gráfico cartesiano A = {1. ) ((3. 2). 2. 3)} )} B 3 2 1 1 2 3 4 A . 3} R = {(1.

Conjuntos Gráfico cartesiano A = IR B = IR R = {(x. y)  IR2 / y = .x} B 1 -1 -1 1 A .

x)  BxA / (x.y)  AxB } R •a R-11 •b •1 •2 •c •3 •d A B .Conjuntos Inversa R-1 = { (y.

3)}. B = {0. 2). 0). 3. (2. (3. 1. 1. (1. 1). 1). R = { (0. 2) } . 1).Conjuntos Exemplo: Sendo A = {0. 2 }. 5} e R = {(0. (2. (2. 2. 2). determinar R-1 e a representação gráfica de R e R-1. 4. (1. 3) } Assim: R-1 = { (1.

0). (2. 1). 2)} A B 5 4 3 2 1 R R-1 3 2 1 1 2 3 A 1 2 3 45 B . (3. (2. 2). 3)} R-1 = {(1. 1). (1.Conjuntos Graficamente: R = {(0.

(3. 1. 1). 5}.Interatividade Sendo R = {(x. 1)} b)) R-11 = {(0. (1. 1)} . a expressão que representa R-1 é: a) R-1 = {(0. 0). 3. 4. 0). {( 0). 3)} )} c) R-1 = {(1. 2. 0). (3. (3. 1)} d) R-1 = {(0. ) ((1. 3)} e) R-1 = {(0. y)A x A / y = 3x } e A = {0.

y.z  A) (x R y e y R z  x R z) R é antissimétrica  (x. R  A x A R é reflexiva  (x) (x  A  x R x) R é simétrica  (x.y.y  A) (x R y  y R x) R é transitiva  (x.Relações Seja R uma relação sobre A.z  A) (x R y e y R x  x = y) .

0). (1. (3.Relações Exemplo 1: Seja A = {0. (1.2). 1.0)} .2).1). (2.1).3)} R2 = {(0. (2. (1. (3.0).3). 3} e as relações sobre A R1 = {(0. 2.

0)  R2. ) ((3. 1. pois (2 1)  R2 e (1. Não é simétrica.3). (3.0)} )} Reflexiva. 2. transitiva e antissimétrica.3)} Reflexiva. {( ) ((1. (1.1) (1 0)  R2. (1.0) (2.2).0) (2 0)  R2 é antissimétrica .1). ) ((1. ) ((2.0).Relações A = {0. mas (2.1)  R2 Não é transitiva. R2 = {(0.1). mas (0.0). simétrica. 3} R1 = {(0. (2.2).

temos que. então t  s . se s  t. conjunto de todas as retas de um plano sRt  st R não é reflexiva. t  A). ( s.Relações Exemplo 2: Seja a relação de perpendicularismo definida sobre A. R é simétrica.

r  s e s  t. mas r // t s t r Assim. pois: s r  s e s  r. mas r  t R não é antissimétrica.Relações R não é transitiva. rs e s  t. mas r ≠ t r .

c.Relações Exemplo 3: Sendo A = {a. d} e a relação R representada pelo diagrama. b. simétrica ou transitiva. b a c d Nota: a R b é indicado por a  b . verificar se R é reflexiva.

R mas (c (c. mas (a. (d.Relações b c d É reflexiva: (a.a) a)  R Não é transitiva: (a.c) c)  R. (b.d)  R.d)  R Não é simétrica: (a (a.d)  R .b)  R.a)  R. (c.c)  R e (c.c)  R.

( a. R deve ser reflexiva.b  A) (aRb  bRa) III.b. .Relação de equivalência R é relação de equivalência sobre A  valem as propriedades: I. ( a.c  A) (aRb e bRc  aRc) Isto é. simétrica e transitiva. (a) (a  A  aRa) II.

R mas (b.b) ( b)  R. (a. Nã é simétrica Não i ét i (a.(b. equivalência.c).c} e R = {(a.c)} Não é rel.(c.c)} R é reflexiva. 2. Logo. Seja A = {a. mas (a.(c.b)  R e (b.c} e R a relação sobre A dada por R = {(a.a) (b )  R Não é transitiva: (a.b.a).(b.b).b).Relação de equivalência Exemplos: 1.c)  R . simétrica e transitiva.b). pois é reflexiva.a). R é relação de equivalência sobre A.b.c)  R. (b. Seja A = {a.

.b.Relação de ordem R é relação de ordem sobre A  valem as propriedades: I.c  A) (aRb e bRc  aRc) Isto é. ( a. antissimétrica e transitiva. R deve ser reflexiva.b  A) (aRb e bRa  a = b) III. ( a. (a) (a  A  aRa) II.

Relação de ordem Exemplo: 1.c)}.a).b.b).(c. R é reflexiva.(b. Seja A = {a. Logo: R é relação de ordem sobre A. f antissimétrica é e transitiva. .c} e R a relação sobre A dada por R = {(a.

3} e R a relação sobre A dada por R = {(1.2) R (2.  R não é antissimétrica.2). (1.(3.1).2). (1.(2. pois (1 2)  R.1) (2 1)  R. pois:  R é reflexiva.2.  R é transitiva.Relação de ordem Exemplo 2: Seja A = {1. (2.1)} R não é relação de ordem.3). R mas 1 ≠ 2 .

assinale a alternativa correta. R é relação de ordem. considerando o diagrama abaixo. R é simétrica. R não é transitiva. 3}} e R uma relação em A.Interatividade Seja o conjunto A = {1. S { 2. . representativo de R. 1 2 3 a)) b) c) d) e) R não é reflexiva. R é relação de equivalência.

a=b ou a>b) .Relação de ordem Ordem total: R é relação de ordem sobre A e quaisquer dois elementos de A são sempre comparáveis. isto é: R é relação de ordem R é ordem total (a.b)(a<b.

c} e a relação R sobre A.c).(b. pois:  é reflexiva: aRa.a). ti i ét i  é transitiva.(b. .b).c).c)} R é relação de ordem total? ? É ordem total. bRb e cRc.(c.b).(a.(a.b.  quaisquer dois elementos são sempre comparáveis.  é antissimétrica.Relação de ordem Exemplo: Considere o conjunto A = {a. dada por R = {(a.

Aplicação Sejam A e B conjuntos e f uma relação de A S em B. Aplicação = função . f: A  B D(f) = A f é aplicação aD(f)  ! bB tal que (a.b)f D(f): domínio de f B: contradomínio de f ((! = existe e é único)) A e B conjuntos numéricos.

4.(1.Aplicação Exemplos: 1. 3. 5.5)(3. Considerando os conjuntos A e B e a relação R1. { 1.(1. 6} R1 = {(0. 2.4). (4.4). 4}} B = {3. A = {0.3). verificar se é uma aplicação de A em B.6)} .

4). espo de tes Logo. 1. 5.5)(3. 6} R1 = {(0.6)} Não vale: aD(f)  ! bB tal que (a. 4.b)f 1 te tem do dois s co correspondentes.Aplicação A = {0. .(1.4). 3. R1 não é aplicação. 2.(1. 4} B = {3. (4.3).

.Aplicação Exemplo 2: Determinar o domínio das funções: a) f(x) = 2 x x+1 b) f(x) = 3 x .6 Devemos determinar os possíveis valores para x.

x ≠ -1 Assim: D(f) = { x  IR / x ≠ -1} 1} . logo o domínio será: x + 1 ≠ 0. ele não pode ser igual a zero. isto é.Aplicação a) f(x) = 2 x x+1 Como temos um denominador.

logo x  2 Portanto: D(f) = {x  IR / x  2} . Assim: 3x – 6  0. 3x  6. a expressão dentro da raiz deve ser maior ou igual a zero. isto é.Aplicação b) f(x) = 3x-6 Como temos uma raiz quadrada.

x2) (f(x1) = f(x2)  x1 = x2) .Aplicação injetora Aplicação injetora: elementos diferentes do domínio vão em imagens diferentes. x2) (x1 ≠ x2  f(x1) ≠ f(x2) ou f injetora  ( x1. f injetora  ( x1.

mas f(3) = f(7) 3 4 6 10 5 .Aplicação injetora Exemplo: f: A  B não é injetora A B 0 -2 1 3 7 3 ≠ 7.

Im f ≠ B A -2 1 3 7 0 3 4 B 6 10 5 . f: A  B f sobrejetora  ( y)(y  B   x  A | y = f(x)) Exemplo: f não é sobrejetora.Aplicação sobrejetora Aplicação sobrejetora: a imagem é igual ao contradomínio.

Aplicação bijetora Aplicação bijetora: f: A  B f bijetora  injetora e sobrejetora Exemplos: 1) f: A  B é bijetora A B 0 2 3 1 4 3 4 10 .

. 1. devemos ter: f( 1) = f( f(x f(x2)  x1 = x2 f(x1) = 2 x1 + 1 e f(x2) = 2 x2 + 1 D í se 2 x1 + 1 = 2 x2 + 1 Daí. é bijetora. dada por f(x) = 2x + 1. então tã x1 = x2 Logo: f é injetora. a) Injetora Para f ser injetora. Verificar se a função f: IR  IR.Aplicação 2.

Aplicação b) Sobrejetora Como f(x) = 2x + 1. f é bijetora. temos Im f = IR. Logo: f é sobrejetora. Assim. .

5. é correto afirmar que é: a)) Injetora. b) Sobrejetora. 12} e f a aplicação dada por (x. B = {1. Sobre a aplicação f. b j t . 7. d) Não injetora e não sobrejetora. e)) Injetora I j t e não ã sobrejetora. 6}. 4. 5.y)  f se x é divisor de y.Interatividade Dados os conjuntos A = {3. c) Bijetora.

ATÉ A PRÓXIMA! .