You are on page 1of 39
Termodinâmica Metalúrgica
Termodinâmica
Metalúrgica
PROGRAMA DO CURSO
PROGRAMA DO CURSO

Conceitos Fundamentais; 1 a Lei da Termodinâmica; Entalpias;

Segunda Lei da Termodinâmica; Terceira Lei da Termodinâmica; Avaliações.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Qual o balanço energético de um dado processo?

Qual a condição de equilíbrio de uma determinada reação?, ou sob determinadas condições, uma certa reação é ou não viável?

A termodinâmica metalúrgica busca

responder estas duas questões!

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Para se fazer o balanço de energia realizado através da 1ª Lei da Termodinâmica deve-se atender alguns pré-requisitos:

conhecer adequadamente o balanço de massa do sistema;

conhecer os diversos tipos de calores envolvidos e saber avaliá-los.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Para o desenvolvimento do balanço de massa é necessário conhecer alguns conceitos fundamentais:

número de moles;

equação do gás ideal;

estequiometria de reações químicas.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS MOL
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
MOL

Átomos ou moléculas unidades fundamentais em cálculos termodinâmicos

O número de átomos de carbono contido em exatamente 12 g de C 12 é chamado o número de Avogadro, N (N = 6,023 X 10 23 ).

Um mol é a quantidade de material que contém o número de Avogadro de partículas.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  • 1 mol de carbono pesa 12g e contém 6,023 X 10 23 átomos de

carbono.

  • 1 mol de ferro pesa 55,85g e contém 6,023 X 10 23 átomos de ferro.

  • 1 mol de oxigênio pesa 16g e contém 6,023 X 10 23 átomos de oxigênio.

  • 1 mol de oxigênio molecular (O 2 ) pesa 32g e contém 6,023 X 10 23 moléculas de oxigênio.

  • 1 mol de hematita (Fe 2 O 3 ) pesa 159,7g e contém 6,023 X 10 23 moléculas de hematita.

  • 1 mol de água (H 2 O) pesa 18g e contém 6,023 X 10 23 moléculas de água.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
  • 1 mol de carbono pesa 12g e contém 6,023 X 10 23 ÁTOMOS de carbono.

  • 1 mol de ferro pesa 55,85g e contém 6,023 X 10 23 ÁTOMOS de ferro.

  • 1 mol de oxigênio pesa 16g e contém 6,023 X 10 23 ÁTOMOS de oxigênio.

  • 1 mol de oxigênio molecular (O 2 ) pesa 2X16g = 32g e contém 6,023 X 10 23 MOLÉCULAS de oxigênio.

  • 1 mol de Fe 2 O 3 pesa 2X55,85g + 3X16g = 111,7g + 48g = 159,7g e contém 6,023 X 10 23 MOLÉCULAS de hematita.

  • 1 mol de Fe 0,95 O pesa 0,95X55,85g + 16g = 53,06g + 16g = 69,06g e contém 6,023 X 10 23 MOLÉCULAS de wustita.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

O cálculo do número de moles de um elemento ou composto presente em um sistema é bastante simples e envolve o conhecimento da massa do elemento ou composto e de sua massa atômica ou molecular.

Nº demoles

massa g

  

CONCEITOS FUNDAMENTAIS O cálculo do número de moles de um elemento ou composto presente em um

massa atômica oumolecular g mol

  

O número determinado acima também pode ser denominado átomos grama ou molécula-grama. Calcular o número de moles contidos em 1t de Fe 2 O 3 .

n

Fe O

2

3

6 1  10 g 159,7 g mol
6
1
10
g
159,7 g
mol
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Calcular o número de moles de Fe, C, Si, Mn e P contidos em 1t de ferro gusa com a seguinte composição:

Fe = 94,5%

C = 4,5%

Si = 0,6%

Mn = 0,3%

e

P = 0,1%

n

Fe

94,5

10 6

100

55,85

16.920,32moles

n

C

4,5

10 6

100

12

3.750 moles

n

Si

0,6

10 6

100

28,09

213,60moles

n

Mn

0,3

10 6

100

54,94

54,61moles

n

P

0,1

10 6

100

30,97

32,29 moles

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Cálculos da quantidade molar de um sólido ou líquido é normalmente feito como nos procedimento anteriores.

Para os gases, há uma pequena diferença, pois os mesmos normalmente não são expressos em massa, mas em volume.

Portanto, é necessário aprendermos a calcular o número de moles de gases a partir de seu volume. Para isso precisamos aprender a trabalhar com a

Lei do gás ideal.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Lei do Gás Ideal

Equação de Estado relação matemática entre o volume de uma dada quantidade de material (sólido, líquido ou gasoso) e os valores da pressão e da temperatura.

Para os sólidos e líquidos as equações de estado podem ser algebricamente muito complicadas e podem diferir de uma substância para outra.

No entanto, no estado gasoso, as moléculas são essencialmente independentes umas das outras e por isso a natureza das moléculas individuais não afeta o comportamento do gás como um todo. Assim, para os gases, a equação de estado é a mesma.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS O gás ideal é caracterizado justamente por esta independência entre as moléculas. Este comportamento

O gás ideal é caracterizado justamente por esta independência entre as moléculas. Este comportamento é real para gases a baixas pressões e altas temperaturas (encontrada normalmente na metalurgia). A altas pressões e baixas temperaturas, começam a ocorrer desvios do comportamento ideal, devido justamente à maior interação entre as moléculas, em razão da maior proximidade entre elas. Experiências mostraram que:

sob temperatura constante, PV é uma constante e

sob pressão constante, V é proporcional a T. Reunindo estas duas relações obtêm-se uma equação que

expressa o comportamento dos gases.

PV nRT

CONCEITOS FUNDAMENTAIS Equação do Gás Ideal
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
Equação do Gás Ideal

PV nRT

em que: P é a pressão em atmosfera (atm)

V é o volume em litros (l)

n é o número de moles do gás

R é a constante universal dos gases

R = 0,082054 atm.l.K -1 .mol -1

T é a temperatura em graus Kelvin (K)

CONCEITOS FUNDAMENTAIS Equação do Gás Ideal
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
Equação do Gás Ideal

PV nRT

independe do gás considerado; O volume do gás depende da pressão e da temperatura;

uma condição de pressão e temperatura importante é a

CONCEITOS FUNDAMENTAIS Equação do Gás Ideal PV  nRT independe do gás considerado; O volume do

condição normal de temperatura e pressão; P = 1 atm e T = 0°C = 273 K

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
condição normal de temperatura e pressão;
condição normal de temperatura e pressão;

P = 1 atm e T = 0°C = 273 K

1 Nm 3 significa 1 m 3 de gás medido nas condições normais de temperatura e pressão

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Qual o volume ocupado por 1 mol de gás na CNTP (condições normais de temperatura e pressão)?

P = 1 atm; T = 273 K; n = 1 mol; R = 0,082054 atm.l.mol -1 .K -1

PV nRT

V

nRT

P

1 0,082054

273

22,40 l ou Nl
1

Este volume é também denominado volume molar e indicado por: V

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Calcular o número de moles contido em 1000 Nm 3 de oxigênio.

Usando o volume molar calculado anteriormente:

n

O 2

1000 m

3

CONCEITOS FUNDAMENTAIS Calcular o número de moles contido em 1000 Nm de oxigênio. Usando o volume

1000 l m

3

CONCEITOS FUNDAMENTAIS Calcular o número de moles contido em 1000 Nm de oxigênio. Usando o volume

22,40 l mol

44.641,38 moles

Ou, usando diretamente a equação do gás ideal:

n

O

2

P

V

O

2

R

T

1

1000

1000

0,082054

273

44.641,38 moles

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Calcular o número de moles de N 2 contido em 1000 Nm 3 desse gás, medido a 1,2 atm e 100 °C.

Usando a equação do gás ideal, obtêm-se:

n

N

2

P

V

N

2

R

T

1,2

1000

1000

0,082054

373

39.207,82 moles

CONCEITOS FUNDAMENTAIS Fração Molar
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
Fração Molar

É mais comum trabalharmos com uma mistura de gases, como o ar, por exemplo, ao invés de gases puros.

Para isto, temos que trabalhar com a fração molar de cada gás na mistura.

As frações molares x i são obtidas dividindo cada um dos números de moles pelo número total de moles de todas as substâncias.

n

t

n

1

n

2

n

3

 

...

n

x

x

n

i

i 1

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

assim:

x

i

n

i

n

t

A soma das frações molares de todas as substâncias de uma mistura é unitária.

x

1

x

2

x

3

 

...

1

Desta forma, a composição da mistura é descrita quanto às frações molares de todas as substâncias menos uma.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Para gases, a fração molar se relaciona com a porcentagem em volume da seguinte maneira:

%i

x i

100

Para mistura de gases, a lei dos gases ideais é correta na seguinte forma:

PV

n

t

RT

em que: n t é o número total de moles de todos os gases no volume V.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
Pressão Parcial de um Gás
Pressão Parcial de um Gás

Define-se a pressão parcial de um gás numa mistura, como a pressão que o gás exerceria se ocupasse sozinho o volume V, na temperatura T. Assim, as pressões parciais, P 1 , P 2 e P 3 são dadas por:

P

1

n

1

RT

V

P

2

n

2

RT

V

P

3

n

3

RT

V

Somando as equações acima tem-se:

P 1
P
1

P

2

P

3

n

t

RT

V

P

Logo, a pressão total exercida por uma mistura gasosa é igual à soma das pressões parciais dos constituintes.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

As pressões parciais são relacionadas de modo simples com as frações molares dos gases. Tem-se:

P

i

x

i

P

Calcular os números de moles de oxigênio e nitrogênio em 1 Nm 3 de ar seco.

Assim:

%O

2

21

%N

2

79

Assim:

CONCEITOS FUNDAMENTAIS x  21 100  0,21 O 2 x  79 100  0,79
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
x
21 100
0,21
O
2
x
79 100
0,79
N
2

Consequentemente:

P

O

0,21atm
2

0,21

1

 

P

N

0,79 atm
2

0,79

1

 

n

n

O

N

9,38 moles
2 35,27 moles
2

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Calcular os números de moles de oxigênio e nitrogênio e vapor d’água contido em 1 Nm 3 de ar com 25g de umidade.

Inicialmente determina-se o número de moles de vapor d’água, a partir de sua massa:

n

H

  • 2 O

25 g

P.M.H O

2

  • 25 1,389 moles
    18

Determina-se, então, a pressão exercida pelo vapor d’água:

P

H

2

O

n

H

2

O

RT

V

1,389

0,082054

273

1000

0,0311atm

mas:

CONCEITOS FUNDAMENTAIS P  P  P  1atm O N H O 2 2 2
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
P
P
P
1atm
O
N
H
O
2
2
2

Logo:

P

O

2

P

N

2

1

 

P

H

2

O

1

 

0,0311

0,9689 atm

Como visto anteriormente:

P

O

2

21

P

N

2

79

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Logo, empregando as duas relações anteriores, tem-se:

 

P

N

2

0,9689

0,79

0,7654 atm

0,21

P

O

2

0,9689

0,2035 atm

Finalmente:

n

P

O

V

0,2035 1000
2

9,083 moles

 
 

O

  • 2 0,082054 273

R

T

n

P

N

V

0,7654 1000
2

34,171moles

 
 

N

  • 2 0,082054 273

R

T

CONCEITOS FUNDAMENTAIS Volume Parcial de um Gás
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
Volume Parcial de um Gás

O volume parcial de um gás numa mistura, é definido como o volume que o gás ocuparia se estivesse sozinho à temperatura T e pressão P. Assim, para a mistura de três gases:

V

1

n

1

RT

P

V

2

n

2

RT

P

V

3

n

3

RT

P

Somando as equações acima tem-se:

V 1
V
1

V

2

V

3

n

t

RT

P

V

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Equacionando em termos de volumes parciais:

V

i

x

i

V

Deve-se considerar que o conceito de volume parcial é puramente matemático, não tendo significado físico.

As expressões obtidas até gora permitem que se formule uma relação genérica para cálculo do número de moles de um gás

contido num dado volume. Tem-se:

n

i

V Nm

3

1000

%i

100

1

22,4

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

em que:

n

i

V Nm

3

1000

%i

100

1

22,4

n i é o número de moles do gás “i”; V é o volume de gás (Nm 3 ) e %i é o teor do gás “i” na mistura.

Os processos metalúrgicos, de um modo geral, sempre envolvem reações químicas. Desse modo, é importante saber lidar com as quantidades envolvidas nessas reações.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS Estequiometria de Reações Químicas
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
Estequiometria de Reações Químicas
C s fase sólida
C
s
fase sólida

1 O  CO 2g g 2 fases gasosas pode ainda existir a fase líquida “(l)”
1
O
CO
2g
g
2
fases gasosas
pode ainda existir
a fase líquida “(l)”
CONCEITOS FUNDAMENTAIS 1 C  O  CO s 2g g 2
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
1
C
O
CO
s
2g
g
2

Esta é uma reação de muita importância no processo siderúrgico.

Esta reação diz que:

1 mol de carbono sólido combina-se com meio mol de oxigênio gasoso para produzir 1 mol de monóxido de carbono gasoso.

É importante saber que o número de moles de um

determinado elemento deve ser o mesmo em ambos os lados da equação.

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
1 mol de átomos de carbono 1
1 mol de átomos
de carbono
1

C

s

2

O

2g

CO

g

1 mol de átomos de oxigênio
1 mol de átomos
de oxigênio
CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Deseja-se queimar 1 kg de carbono com oxigênio, produzindo CO. Determinar o volume de oxigênio a ser gasto nessa queima e o volume de CO produzido. Caso esse oxigênio esteja contido no ar, qual o volume de ar necessário a essa queima?

Inicialmente determina-se o número de moles de carbono a ser queimado:

n c

1

1000g

12g mol

12g mol

83,3 moles

Pelas proporções envolvidas na reação, pode-se escrever as relações abaixo:

1

n

O

n

  • 2 C

2

n

CO

n

C

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Assim, tem-se:

n

O

2

83,33

  • 2 41,67moles

n

CO

83,33moles

Conhecendo os números de moles, determina-se os volumes

correspondentes nas condições normais, sabendo-se que nestas

condições 1 mol ocupa 22,4 litros, logo:

V

O

2

41,67

22,4

933,41Nl

0,933Nm

3

  • V CO

83,3322,4 1866,59Nl 1,867 Nm

3

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Se o oxigênio estivesse contido no ar, o volume de ar poderia ser calculado, lembrando-se que no ar seco a porcentagem de O 2 é de 21%, assim:

V

ar seco

V

O

2

100

21

0,933

100

21

4,443 Nm

3

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

Calcular o volume de ar necessário para reagir com 1 kg de carbono, sabendo-se que 70% do carbono vai formar CO e 30% vai formar CO 2 .

Inicialmente determina-se o número de moles de carbono a ser

queimado:

n c

1

1000g

12g mol

12g mol

83,3 moles

Os números de moles de carbono que vão formar CO e CO 2 são dados por:

n

CO

C

n

CO

2

C

83,33

0,7

58,33moles

83,33

0,3

25,00 moles

CONCEITOS FUNDAMENTAIS
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

O número de moles de O 2 consumido na formação de CO é:

n

CO

O 2

CO

n

  • C

2

58,33

29,17 moles
2

O número de moles de O 2 consumido na formação de CO 2 é:

n

O CO

2

2

n

CO

2

  • C

25moles

O total de oxigênio a ser consumido é:

n

O total

2

n

O CO

2

n

O CO

2

2

29,17

25,00

54,17moles

V

O

2

1.213,45 Nl

V

ar

5.778,13 Nl