You are on page 1of 26

Manual de Desenhos Técnicos para

Fabricação

Sumário

1.
Introdução
2.
Projeto e métodos de fabricação
3.
Material
4.
Desenho Técnico
5.
Contato com o fornecedor
6.
Algoritmo de elaboração de
desenhos

esse manual tem como objetivo auxiliar a elaboração de desenhos técnicos dos projetos mecânicos da PJ e. Logo. os desenhos técnicos devem ser elaborados de forma clara e precisa. aprimorar a relação com os fornecedores e stakeholders. .Introdução Elaborar desenhos técnicos é uma atividade constante na rotina de trabalho de um engenheiro projetista. Vale ressaltar que esse material precisará de revisão e aprimoramento constante para melhor gestão do conhecimento. assim. Tendo em vista a sua finalidade de servir de comunicação entre o projeto conceitual e a fabricação.

ou seja. No caso. ou seja. observa-se que a dimensão 1. a dimensão base que a matéria prima é vendida. Escolher uma espessura comercial adequada garante que ela não precisará ter sua espessura corrigida posteriormente por uma operação de fresamento. os esforços e as paredes/ regiões submetidas a esses esforços. .1/4” é a espessura da chapa que segue na Tabela de Chapas ( anexo) e na tabela de vendas do fornecedor.Projeto e métodos de fabricação 1. 1. é importante ter em vista as dimensões comerciais do tarugo inicial. As outras dimensões 75 x36mm possuem mais liberdade.1/4” é a dimensão comercial. Peças para fresa e dimensões comerciais A figura 1 ilustra uma peça que será submetida a uma operação de usinagem de fresamento. que não haverá gasto adicional. Desse modo. uma vez que elas serão cortadas de acordo com especificação no desenho ou no pedido. Primeiramente.

Observa-se que o desenho técnico da figura 1 não apresenta as três vistas seguindo o modelo padrão. Em alguns casos é necessário cortar uma das vistas para que alguns furos fiquem cotados de forma clara.Quando elaborado o desenho técnico de fabricação este deverá possuir 3 vistas padrão (frontal/esquerda/superior ou traseira/direita/inferior) e uma vista isométrica. . o que é um erro que pode prejudicar a comunicação com o fornecedor. os livros Manual da Tecnologia Metal Mecânica e Teoria da Usinagem dos Materiais são indicados. Para mais informações sobre fresamento.

.

Peça fresada. .Figura 1.

. Peça para torneamento. Peças para torno e dimensões comerciais Figura 2.2.

quanto mais próximo de 35mm melhor. os livros Manual da Tecnologia Metal Mecânica e Teoria da Usinagem dos Materiais são indicados. são elas: quando elaborado o desenho técnico de fabricação este deverá possuir 3 vistas padrão (frontal/esquerda/superior ou traseira/direita/inferior) e uma vista isométrica. superfícies de revolução são mais adequadas para a operação de torneamento. As outras dimensões são cortadas conforme especificação no desenho ou no pedido. a dimensão comercial será o diâmetro ou raio da seção do tarugo circular. Para mais informações sobre fresamento. Desse modo. as mesmas especificações de fresamento valem para a operação de torneamento. Em alguns casos é necessário cortar uma das vistas para que alguns furos fiquem cotados de forma clara. Observa-se na figura 2 um exemplo de vista de corte. para a figura 2. Sendo também uma operação de usinagem. Como a superfície é uma superfície de revolução.De modo geral. . uma vez que não será necessário a retirada de material para correção do diâmetro em uma operação de torneamento.

3. Folgas para furos c. Folgas para furos A folga para furos é uma ferramenta do Solidworks e que nos permite a liberdade de trabalhar com pequenos ajustes. essas folgas permitem que você possa realizar pequenos ajustes . Parede para furos Tabela de furos para rosca Os furos para abertura de rosca são apresentados de acordo com a tabela Furos e Rosca que segue no anexo. Tabela de furos para rosca b. Se a furação for realizada com o fabricante a simples especificação da rosca já é suficiente. Furações e Elementos de fixação Nessa seção serão discutidos os seguintes tópicos: a. Quando sistemas mecânicos precisam ser alinhados e suas tolerâncias de fabricação não são as melhores. se o furo for feito por um membro da PJ é necessário ter conhecimento dessa tabela. entretanto.

Figura 3. Chamada de rosca M8. Paredes para furos .no alinhamento de forma a tentar corrigir esses erros na tolerância.

A figura a seguir é um exemplo de vista planificada para cotas: Figura 4. o raio de dobra é adicionado à peça e a garantia das dimensões já não é mais a mesma em relação à peça planificada. Vista planificada. Após a dobra. Dobras e estampagem As peças dobradas devem possuir vista planificada com as cotas de furos e rasgos. as .4. Dessa forma.

maior será a força necessária para a dobra e quanto menos espessa a chapa. deve-se separar o desenho em mais páginas. As três vistas padrão também são indicadas e devem ser acompanhadas com uma vista isométrica.operações de furações e a dobra devem ser analisadas com cuidado para que haja manutenção das cotas. Exemplo: DEA01 A utilização de chapa de 0. .6mm como matéria prima para o compartimento influenciou negativamente na manutenção do raio de dobra. pois a chapa era muito fina ( Figura 5). Vale ressaltar que quanto mais grossa a chapa. pois em chapas de menor espessura é difícil a manutenção do raio de curvatura – figura 5. menor será a força necessária para a dobra. É aconselhável manter um nível ótimo entre esses dois extremos. Se o detalhamento precisar ser muito grande.

.

.

Figura 5. Peça e raio de curvatura. .

5. Soldas .

Isso porque se o esforço for menor que o limite de escoamento o material não se deformará plasticamente. Aço O aço é um material relativamente barato sendo que os aços 1020 são mais sugeridos para operações de elevada retirada de material e peças com grandes paredes e os 1045 para operações de torneamento em eixos e mancais. Uma maneira simples. ou seja.Materiais Para avaliação dos materiais é necessário avaliar os esforços aos quais as peças serão submetidas e as operações de usinagem. não sendo duro demais. Além disso. nem mole. Além disso. para operações de usinagem é bom avaliar se um material é resistente o suficiente para os esforços gerados. o aço 1045 é o mais sugerido para operações de usinagem. 1. em peças que necessitam de ser mais resistentes e garantir suas dimensões mecânicas (*). é a avaliar o limite de escoamento do material e a curva de fluxo. *: conhecimento prático adquirido no DEA01. . mas não completa . Uma boa avaliação levará em conta um material com características intermediárias.

Alumínio São leves. . sendo utilizados na aeronáutica. pois nenhum aço é estável as condições ambientes. 3.Para trabalhos em aço é sugerido o tratamento e revestimento superficial o mais rápido possível. Além disso. 2. Aço inox Tendo em vista a ação da oxidação são utilizados para máquinas que terão contato com alimentos. tem excelente condutividade térmica. Sugere-se estudo das propriedades mecânicas dos materiais para escolha de utilização no projeto mecânico. Esses aços não precisam de tratamento superficial posterior. Sugere-se estudo das propriedades mecânicas dos materiais para escolha de utilização no projeto mecânico.

4. pois são de usinagem fácil e rápida. Sugere-se estudo das propriedades mecânicas dos materiais para escolha de utilização no projeto mecânico. 5. No DEA01 foram utilizados poliacetal e nylon. Polímero São excelentes para prototipagem. Compósitos .

Os furos devem ter distâncias de dois lados referência. os desenhos podem ser separados em mais páginas. Quando houver muitos furos e muitos detalhes.Desenho Técnico 1. . É aconselhável que outros furos na mesma peça tenham os mesmos lados como referência. o uso da vista planificada é fundamental e as furações e rasgos devem ser cotados nela. cotas e cortes Conforme já discutido é sugerido o uso de 3 vistas padrão (frontal/esquerda/superior ou traseira/direita/inferior) e uma vista isométrica. Vistas. informando suas distâncias em x e y. conforme figura 6. Em dobras.

.Figura 6. Cotas de furos.

Chamadas e especificação de furos 3.2. Solda 5. Observações . Tolerâncias 4.

2. Documentação Fornecedores e precisão Visitas e supervisão da fabricação . 3.Contato com fornecedor 1.

Algoritmo de elaboração de desenhos OK? Não OK: Reprojeto Material OK? Não OK: Reprojeto Dimensões comerciais OK? Não OK: Reprojeto Avaliar Fabricação: viabilidade OK? Desenho técnico Não OK: Reprojeto .

OK? Não OK: Refazer desenho Desenho técnico Claro e com OK? Não OK: Deixar claro Revisão técnica (2 pessoas) OK .