Eu digo sim à paixão ... e você?

“Se um coração diz que sim à paixão, como pode o outro dizer não?” Assim diz a canção do grupo Roupa Nova. Ao ouvir tal frase, passei a refletir sobre o que é paixão e como levar alguém a querer compartilhar de um mesmo sentimento de paixão. Busquei a definição do termo e, segundo o Mestre Aurélio, paixão é um sentimento ou emoção levados a um alto grau de intensidade, é o amor ardente, entusiasmo vivo. Seria a compreensão do termo, apenas, uma questão de semântica? Ou haveria algo, muito mais profundo, ligado à palavra paixão, visto que não se trata de um entusiasmo qualquer, mas sim, de algo que transcende a própria pessoa? Vive-se um sentimento de entrega, de compartilhamento, nada é

unicamente seu, mas sim, parte de outra pessoa também. A criatividade passa a ficar em alta e tudo gira em torno do objeto de desejo. A vontade de realizar coisas, de querer estar vivo e bem consigo mesmo é algo sempre presente. Agora, imagine se nossos sonhos, nossos projetos pessoais e profissionais fossem considerados com a intensidade com que se vive uma paixão? Imagine se pudéssemos chegar a um tão alto grau de intensidade criativa? Se desejássemos não fazer as coisas, sozinhos, em profunda individualidade, mas passássemos a ansiar por compartilhar idéias, a construir projetos, em conjunto, com outras pessoas, a não medir esforços para ver aquilo que nos move tomando forma e ganhando vida? Ah, como seria bom se as pessoas se apaixonassem por seus sonhos... Antes de querer que o outro diga sim e corresponda a sua paixão, ao seu sonho, ao seu projeto, você deve ser a primeira pessoa a se apaixonar por ele. Tenha um entusiasmo vivo, um amor ardente por aquilo que faz com que sua vida valha a pena. Apaixone-se, permita-se viver com intensidade suas paixões. Acredite no sentimento, no poder que te move. Quando as pessoas se vêem diante de alguém tão, intensamente, motivado por suas convicções, tão seguro do que acredita, tão decidido a materializar seus sonhos, dois tipos distintos de sentimentos podem surgir: ou elas se sentem contagiadas, estimuladas, e motivadas também, ou sentem-se inseguras, receosas por não saberem como lidar com pessoas assim. É o medo do desconhecido, do novo, das implicações desse envolvimento para
Pág. 1/2

suas próprias vidas. Por isso, tanta gente receia em se entregar a uma paixão, a se envolver, totalmente, em um projeto. Cabe a você, meu amigo apaixonado, fazer despertar nelas o desejo de querer compartilhar da mesma paixão que você. Isso se torna ainda mais intenso quando ela pode ser parte, ativa, desse mesmo projeto, quando seu envolvimento e opinião são considerados importantes, quando ela percebe que pode contribuir para o crescimento de outra pessoa e, assim, estar contribuindo para seu próprio crescimento também. Quando isso acontece, não há como dizer não a sua paixão. O máximo que pode acontecer é vocês viverem uma bela história de amor ardente, de entusiasmo vivo, de projetos intensamente realizados. Eu digo sim à paixão....e você?

Heloisa Amaral de Souza é Analista do Discurso, Palestrante, Consultora em Liderança e Comunicação Organizacional e Diretora Geral da Sharing Consultores Associados. heloisa@sharingconsultores.net

Pág. 2/2