You are on page 1of 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG

INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA INFORMAÇÃO
CURSO DE ARQUIVOLOGIA

A ANÁLISE DOCUMENTÁRIA NO ÂMBITO DO TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO:
ELEMENTOS HISTÓRICOS E CONCEITUAIS
José Augusto Chaves Guimarães

Marcelo dos Santos Azevedo – 80011

Rio Grande, 2015.

idealizado por Calímaco. a fim de produzir resumos e índices de assuntos). No século XIX. A história da Análise Documentária. 1876). a Análise Documentária passa a ser um conjunto de aplicação de técnicas. as propostas de . utilizadas até hoje em publicações religiosas. a recuperação. se inicia na Mesopotâmia. Define que o tratamento da informação é uma etapa voltada para um dialogo entre o produtor e o consumidor da informação. na biblioteca de Alexandria. de modo a conhecer seus elementos característicos.2 A ANÁLISE DOCUMENTÁRIA NO ÂMBITO DO TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO: ELEMENTOS HISTÓRICOS E CONCEITUAIS Para o autor. a disseminação e o uso da informação. com a prática dos monges copistas apresentando os índices marginais nas páginas dos códices medievais. Entende o autor que a análise é a distribuição ou separação dos documentos. por volta de 2000 AC. (EUA. a descrição de fatos. E aborda documento sob quatro situações: pelo seu valor jurídico. O tratamento ou organização da informação tende a aplicação de critérios de natureza descritiva (física) ou temática (conteúdo) aos diferentes suportes informacionais. para que os documentos possam ser localizados pelos seus registros ou pelos seus índices de assunto. receitas e regras previamente estabelecidas. também de argila. como suporte de informação e serve de base para a geração de novos conhecimentos. neste momento a Ciência da Informação denomina que a análise documentária expressa dois conceitos fundamentais: o de análise e do documento. Na Análise Documentária o autor define dois níveis: análise formal (processo de descrição bibliográfica e criação registros). a produção. Depois veio um sistema de classificação. num todo ou em partes. a análise documentária é fundamentada no ciclo informacional que serve de base para a criação documental. Nota-se a preocupação de Melvil Dewey com um sistema adaptável à realidade cotidiana de localização (ou arranjo) dos documentos nas estantes. os princípios específicos. e análise de conteúdo (representação por meio de linguagens documentárias. verificando suas operações fundamentais e interdependentes. de uso e sindético da indexação alfabética de Cutter (EUA. o tratamento ou organização. quando documentos registrados por escrita cuneiforme em tabletes de argila eram armazenados em envelopes. com a produção documental em larga escala a partir da revolução industrial. 1876).

1895). Terminologia. são retomadas as pesquisas no âmbito da Análise Documentária. o sistema de classificação da Biblioteca do Congresso. nos anos 70 foi desenvolvida grandes quantidades de trabalhos com a finalidade da elaboração de normatização internacional para os tesauros. Na análise verificam-se os procedimentos de leitura técnica do documento a identificação de conceitos e estrutura do documento.3 inter-relação de conceitos de Otlet e La Fontaine. Identifica-se . Arquivologia. no Brasil o reflexo pioneiro nos trabalhos Grupo Temma. de Clarles Ami Cutter (EUA. Nos anos 50. nos anos 80. valendo-se de estratégias cognitivas. Inteligência Artificial. Essa interdisciplinaridade levou a necessidades das inter-relações de outras áreas. voltada para a questão do processo em si. Para o autor. e os sistemas de indexação por palavra baseado no título. lançando as bases para o pós-coordenação de conceitos na indexação (EUA. Lógica e Ciências da Linguagem. as técnicas de indexação coordenada de Mortimer Taube. e a norte-americana. Foi a partir da publicação das Rules for a dictionary catalog. Lógica. Devido a isso. permitem maior agilidade na incorporação de novos conceitos. por meio da Classificação Decimal Universal (Bélgica. que passa a desenvolver uma vertente voltada para a representação alfabética de assuntos.1953). Psicologia. a relação com a arquivologia tem caráter simbiótico. os tesauros. A necessidade de acesso rápido e preciso a literatura científica no pósguerra. buscando as partes que revelam maior conteúdo temático. baseado no princípio de garantia literária (EUA. Devido a busca de metodologias. entre outras. Linguística. Informática. com foco centrado na consistência do produto. A Análise Documentária também se divide em dois momentos: de análise e de síntese. 1959). ganham força. dentre outros. a Análise Documentária passou a ter um caráter interdisciplinar. uma espécie de dicionário com ideias afins. 1876). como: Administração. buscou a relação entre Documentação. visto que uma completa a outra. aumentando a sua flexibilidade no momento da representação. 1920). com o estabelecimento de padrões de consistência para índices e o desenvolvimento de sistemas de estrutura alfabético combinatória. que é dividida em duas vertentes teóricas: a europeia. como KWIC de Hans Peter Luhn 9EUA. com as experiências de tratamento automatizado das informações. criado por Johanna Smit na USP.

e  A representação documentária. procurando novas e metodologias e bases teóricas que são experimentos das realidades informativas distintas. tendo como parâmetro a estrutura. Verifica-se claramente a necessidade de uma adequação entre as metodologias de tratamento temático em suas três dimensões fundamentais: o documento. buscando os enunciados que são categorizados em principais. que visam a criação de enunciados de assunto. representando-o por meio de índices. Na síntese. está em constante pesquisa. o usuário e a organização.4 os conceitos e aplica-se ao um conjunto de categorias conceituais. que é a transformação do documento original a em resumo. de modo a comprovar ou refutar sua instrumentalidade. realizam-se:  A seleção de conceitos. são ordenados logicamente. . secundários e periféricos.  A condensação documentária. a função e os usos. que é a tradução do conteúdo temático do documento em linguagem de indexação. Conclui-se que a Análise Documentária encontra-se em uma escala ascendente.