You are on page 1of 33

Unidade de Ensino:

Pólo Salvador / BA

1
1

Administração

Alexandro Rebouças - RA: 414011

Edjane Alves - RA: 429089

Josana Mesquita - RA: 445643 Leila Bitencourt - RA: 412387 Simone Rocha - RA: 438542 Tamires Souza - RA: 431760

SALVADOR

2015

Alexandro Rebouças - RA: 414011

Edjane Alves - RA: 429089

Josana Mesquita - RA: 445643 Leila Bitencourt - RA: 412387 Simone Rocha - RA: 438542 Tamires Souza - RA: 431760

2

Atividade Prática Supervisionada apresentando a disciplina de Estrutura e Análise das Demonstrações Financeira do Curso de Administração 5º Semestre do curso de Administração. Tutor presencial: Geane Neta

EXAME DA SAÚDE ECONÔMICA, FINANCEIRA E PATRIMONIAL DAS INDÚSTRIAS ROMI S.A.

LISTA DE TABELAS

SALVADOR

2015

2 Atividade Prática Supervisionada apresentando a disciplina de Estrutura e Análise das Demonstrações Financeira do Curso

Tabela 01: Análise Vertical - DRE

08

09

09

Tabela 04: Análise horizontal - DRE

10

11

Tabela 06: Resumo dos Índices

20

23

3

LISTA DE SIGLAS

3 LISTA DE SIGLAS AC – Ativo Circulante ACO – Ativo Operacional AH – Análise Horizontal

AC – Ativo Circulante ACO – Ativo Operacional AH – Análise Horizontal AP – Ativo permanente ATPS – Atividade Prática Supervisionada AV – Analise Vertical CCL – Capital Circulante Líquido CF - Ciclo Financeiro CG – Capital de Giro CMV- Custo de Mercadorias Vendidas CO - Ciclo Operacional DP - Dias de Período DRE – Demonstrativo de Resultado da Empresa EBCP – Empréstimos Bancários a Curto Prazo, Descontos de Duplicata ELP – Elegível a Longo Prazo FCCL – Financiamento do Capital Circulante Líquido IR – Imposto de Renda NCG – Necessidade do Capital de Giro PC – Passivo Circulante PCO – Passivo Operacional PL – Patrimônio Líquido PMPC - Prazo médio de pagamento das compras PMRE - Tempo de giro médio dos estoques da empresa

4

PMRV - Prazo médio de recebimento das vendas RLP – Realizável a Longo Prazo ROA – Retorno Sobre Ativo ROE – Retorno Sobre Patrimônio Líquido RSI – Retorno Sobre Investimento

SUMÁRIO

4 PMRV - Prazo médio de recebimento das vendas RLP – Realizável a Longo Prazo ROA
  • 1 INTRODUÇÃO

 

07

  • 2 ANÁLISE VERTICAL E HORIZONTAL DAS INDÚSTRIAS ROMI

08

2.1

Análise

Vertical Demonstração do Resultado do Exercício - DRE

08

2.2

Análise

Vertical Balanço Patrimonial - BP ...................................................................

09

2.2.1

Ativo

09

2.2.2

Passivo

10

  • 2.3 Análise Horizontal Demonstração do Resultado do Exercício - DRE

11

  • 2.4 Análise Horizontal Balanço Patrimonial

11

3

ANÁLISE DAS POSSIVEIS CAUSAS DAS VARIAÇOES

12

  • 3.1 Vendas

12

  • 3.2 Custos dos Produtos Vendidos

13

  • 3.3 Margem Bruta

13

  • 3.4 Despesas Operacionais

13

  • 3.5 Contas Patrimoniais

14

5

4

DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS

 

14

4.1

Estrutura

14

  • 4.1.1 Participação de Capitais de Terceiros - Endividamento

14

  • 4.1.2 Composição do Endividamento

...........................................................................

15

  • 4.1.3 Imobilização do Patrimônio Liquido

...................................................................

15

  • 4.1.4 Imobilização dos Recursos Não Correntes

16

4.2

Liquidez

16

  • 4.2.1 Índice de Liquidez Corrente

 

16

  • 4.2.2 Índice de Liquidez Seca

17

  • 4.2.3 Índice de Liquidez Geral

17

4.3

Rentabilidade

18

4.3.1

Giro do Ativo

........................................................................................................

18

4.3.2

Margem Líquida

...................................................................................................

18

4.3.3

Rentabilidade do Ativo

........................................................................................

19

4.3.4

Rentabilidade do Patrimônio Liquido

19

4.4

Dependência Bancaria

...........................................................................................

19

  • 4.4.1 Financiamento de Ativo

.......................................................................................

19

  • 4.4.2 Participação de instituições de créditos no endividamento

20

  • 4.4.3 Financiamento do Ativo Circulante por Instituições Financeiras

20

  • 5 RESUMO DOS ÍNDICES

 

22

  • 6 ARTIGO DE STEPHEN KANITZ

21

  • 7 ANALISE PELO MÉTODO DUPONT E TERMÔMETRO DE INSOLVÊNCIA

 

22

 

7.1

Cálculo da Rentabilidade do Ativo pelo Método DUPON

23

8

TERMÔMETRO DE INSOLVÊNCIA - MODELO STEPHEN KANITZ

25

8.1

Termômetro De Insolvência Stephen Kanitz

26

9

CICLO OPERACIONAL

27

  • 9.1 Necessidade do Capital de Giro

27

  • 9.2 Prazo Médio de Recebimento de Estoque - PMRE

28

  • 9.3 Prazo Médio de Recebimento de Vendas

29

  • 9.4 Prazo Médio de Pagamento das Compras

29

  • 9.5 Ciclo Operacional

30

  • 9.6 Ciclo De Caixa ou Ciclo Financeiro

30

6

10 RELATÓRIO GERAL SOBRE O EXAME DA SAÚDE ECONÔMICA,

FINANCEIRA E PATRIMONIAL

31

CONSIDERAÇÕES FINAIS

32

REFERENCIAS

33

1 INTRODUÇÃO

6 10 RELATÓRIO GERAL SOBRE O EXAME DA SAÚDE ECONÔMICA, FINANCEIRA E PATRIMONIAL 31 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Nessa atividade foram analisadas técnicas que nos permitiu avaliar através do demonstrativo contábil publicado, utilizamos técnicas de análise financeiro-econômica e elaboramos um parecer sobre a saúde patrimonial desta empresa nas seguintes áreas:

rentabilidade, fluxo de caixa, lucratividade e longevidade no mercado. As atividades financeiras desenvolvida pelas empresas precisam ser registradas, registros estes que demonstram a vida da empresa possibilitando uma análise completa de sua situação. A administração desses dados é responsabilidade do administrador financeiro, que coleta, estrutura, analisa e gera informações essenciais para o processo de tomada de decisões. Os administradores empregam técnicas adequadas para conseguir conclusões a respeito da situação econômica e financeira relacionados com o patrimônio, além deles, diversos outros usuários como: os gestores da empresas, as acionistas, os credores, os fornecedores, os clientes, os concorrentes e os órgãos governamentais têm interesses nelas e são usuários das suas demonstrações financeiras.

7

No sentido da elaboração de um parecer sobre a saúde patrimonial da Indústria ROMI S.A. A metodologia utilizada para a realização desse trabalho será fundamentada a partir de conceitos e aplicações encontrados em referências bibliográficas (livros e artigos) e outras a serem indicadas no decorrer do estudo. Este estudo será desenvolvido em quatro etapas. A primeira apresentar-se-á na necessidade da Análise Vertical e Horizontal como auxilio de tomada de decisão organizacional, bem como interpretação das variações ocorridas e apuradas na elaboração, bem como cálculo das análises mencionadas. A segunda etapa abordar-se-á sobre a necessidade e a função dos índices econômicos e financeiros. Na etapa seguinte, será utilizado o método DUPONT e o termômetro de insolvência para elaboração de projetos de viabilidade econômica para empresas, bem como prever possíveis falências ou tendências das empresas. Na quarta e última etapa, serão apresentados conceitos básicos de preparação de Fluxo de caixa e as tendências gerenciais do demonstrativo, bem como relatório final acerca da saúde econômica, financeira e patrimonial da organização em questão.

2 ANÁLISE VERTICAL E HORIZONTAL DAS INDÚSTRIAS ROMI S.A.

Ressalta-se que, para realização dos cálculos referentes à Análise Vertical e Análise Horizontal, houve necessidade de utilizar o Balanço Patrimonial, bem como Demonstração do Resultado do Exercício das Indústrias Romi no período pretendido, dispostos na tabela abaixo:

  • 2.1 Análise Vertical Demonstração do Resultado do Exercício – DRE

 

ANALISE VERTICAL – DRE

 

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO

2007

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO 2007 2008 Variação

2008

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO 2007 2008 Variação

Variação

CIRCULANTE

R$

A.V.

R$

A.V.

em %

RECEITA OPERACIONAL BRUTA

R$

761.156,00

100,00%

R$

836.625,00

100,00%

0,00%

Mercado Interno

R$

676.099,00

89,22%

R$

728.313,00

87,05%

-2,17%

Mercado Externo

R$

82.057,00

10,78%

R$

108.312,00

12,95%

2,17%

Impostos Incidentes sobre Vendas

R$

129.168,00

-16,97%

R$

140.501,00

-16,79%

0,18%

RECEITA OPERACIONAL LIQUIDA

R$

631.988,00

83,03%

R$

696.124,00

83,21%

0,18%

Custos dos Produtos e Serviços Vendidos

R$

359.903,00

-47,28%

R$

416.550,00

-49,79%

-2,51%

Lucro Bruto

R$

272.085,00

35,75%

R$

279.574,00

33,42%

-2,33%

 

8

 

Receita (Despesas) Operacional

 

Vendas

R$

59.786,00

-7,85%

R$

65.627,00

-7,84%

 

0,01%

Gerais e Administrativas

R$

45.428,00

-5,97%

R$

63.800,00

-7,63%

 

-1,66%

Pesquisa e Desenvolvimento

R$

26.340,00

-3,46%

R$

28.766,00

-3,44%

 

0,02%

Honorários de Administração

R$

8.025,00

-1,05%

R$

8.278,00

-0,99%

 

0,06%

Tributarias

R$

6.742,00

-0,89%

R$

2.913,00

0,35%

 

1,24%

Resultado de Equivalência Patrimonial

-

-

-

-

-

Outras Receitas Operacionais Líquidas

R$

1.031,00

0,14%

R$

1.673,00

38,37%

38,23%

 

Total Despesa Operacional

R$

145.290,00

-19,09%

R$

168.011,00

13,52%

32,61%

Lucro Operacional Antes do Res. Fin.

R$

126.795,00

16,66%

R$

111.563,00

-13,65%

-30,31%

Resultado Financeiro

Receita Financeira

R$

30.508,00

-23,62%

R$

36.950,00

4,42%

28,04%

Despesas Financeiras

R$

5.048,00

-0,66%

R$

5.061,00

-0,60%

 

0,06%

Variação Cambial Ativa

R$

3.796,00

-0,50%

R$

10.752,00

1,29%

 

1,79%

Variação Cambial Passiva

R$

6.258,00

0,82%

R$

73.378,00

-0,88%

 

-1,70%

Total Resultado Financeiro

R$

27.922,00

3,67%

R$

35.303,00

4,22%

 

0,55%

Lucro Operacional

R$

154.717,00

20,33%

R$

146.866,00

17,55%

 

-2,78%

Imposto de Renda e Contribuição Social

 

Corrente

R$

27.457,00

-3,61%

R$

33.324,00

-3,98%

 

-0,37%

Deferido

R$

1.914,00

0,25%

R$

4.715,00

0,56%

 

0,31%

Lucro Líquido antes das Participações

R$

129.174,00

16,97%

R$

118.257,00

14,14%

 

-2,84%

Participação Minoritária

R$

555,00

-0,07%

R$

881,00

-0,11%

 

-0,04%

Participação da Administração

R$

4.400,00

-1,00%

R$

4.423,00

-0,53%

 

0,47%

Lucro Líquido do Exercício

R$ 124.219,00

 

16,32%

R$

112.953,00

16,50%

-2,82%

 

Tabela 01: Análise Vertical - DRE. Adaptado pela equipe. Fonte: Caderno de atividade - ATPS - Anhanguera.

 

2.2

Análise Vertical Balanço Patrimonial - PB

 

2.2.1 Ativo

 

ANALISE VERTICAL - BP

 
 

ATIVO

2007

 

2008

ATIVO 2007 2008 Variação

Variação

 

CIRCULANTE

R$

A.V.

 

R$

A.V.

em %

Caixa e Equivalentes de Caixa

 

R$ 189.010,00

14,09%

 

R$ 135.224,00

8,13%

-5,96%

Títulos Mantidos para Negociação

 

R$ 111.512,00

8,31%

 

R$

53.721,00

3,23%

-5,08%

Duplicatas a Receber

 

R$

62.888,00

4,69%

 

R$

77.463,00

4,66%

-0,03%

Valores a Receber-Repasse Finame Fabricante

 

R$ 223.221,00

16,64%

 

R$ 306.892,00

18,45%

1,81%

Partes Relacionadas

 

-

-

-

-

-

 

Estoques

R$ 183.044,00

13,64%

 

R$

285.344,00

17,16%

3,52%

Impostos e Contribuições a Recuperar

 

R$

11.537,00

0,86%

 

R$

17.742,00

1,07%

0,21%

Impostos de Renda e Contribuição Social Deferidos

 

R$

2.149,00

0,16%

 

R$

3.243,00

0,20%

0,04%

Outros Créditos

 

R$

3.479,00

0,26%

 

R$

7.247,00

0,44%

0,18%

Total do Circulante

 

R$ 786.840,00

58,64%

 

R$

886.876,00

53,34%

-5,31%

NÃO CIRCULANTE

 

Realizável a Longo Prazo

 

-

-

-

-

-

Duplicatas a Receber

 

R$

1.149,00

0,09%

R$

1.686,00

0,10%

0,01%

Valores a Receber-Repasse Finame Fabricante

 

R$

409.896,00

30,55%

R$

479.371,00

 

28,83%

-1,72%

Partes Relacionadas

 

-

-

-

-

-

Impostos e Contribuições a Recuperar

 

R$

5.391,00

0,40%

R$

18.245,00

1,10%

0,70%

Impostos de Renda e Contribuição Social Deferidos

R$

5.867,00

0,44%

R$

9.488,00

0,57%

0,13%

Outros Créditos

 

R$

2.928,00

0,22%

R$

5.405,00

0,33%

0,11%

Investimentos em Controlada, Incluindo ágio e Deságio

 

-

-

-

-

Outros Investimentos

 

R$

1.935,00

0,14%

R$

3.163,00

0,19%

0,05%

9

Imobilizado Líquido

 

R$

127.731,00

9,52%

R$

252.171,00

 

15,16%

5,64%

Intangível

-

-

R$

6.574,00

 

0,85%

-

Total do Não Circulante

 

R$

554.897,00

41,36%

R$

776.103,00

46,67%

 

5,31%

 

100,00

 
 

Total do Ativo

R$

1.341.737,00

%

R$

1.662.979,00

100,00%

 

0,00%

Tabela 02: Análise Vertical - Do Ativo do Balanço Patrimonial. Adaptado pela equipe. Fonte: Caderno de atividade – ATPS - Anhanguera.

 
 

2.2.2 Passivo

ANALISE VERTICAL - BALANÇO PATRIMONIAL

   

PASSIVO

2007

2008

PASSIVO 2007 2008 Variação

Variação

CIRCULANTE

R$

A.V.

R$

A.V.

em %

Financiamentos

R$

29.459,00

2,20%

R$

26.375,00

1,59%

-0,61%

Financiamentos - Finame Fabricante

R$ 192.884,00

14,38%

 

R$ 270.028,00

16,24%

1,86%

Fornecedores

R$

24.795,00

1,85%

R$

31.136,00

1,87%

0,02%

Salários e Encargos Sociais

R$

35.927,00

2,68%

R$

33.845,00

2,04%

-0,64%

Impostos e Contribuições a Recolher

R$

7.500,00

0,56%

R$

7.357,00

0,44%

-0,12%

Adiantamentos de Clientes

R$

9.702,00

0,72%

R$

14.082,00

0,85%

0,12%

Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio

R$

2.234,00

0,17%

R$

11.777,00

0,71%

0,54%

Participações a Pagar

R$

4.400,00

0,33%

R$

4.500,00

0,27%

-0,06%

Outras Contas á Pagar

R$

4.262,00

0,32%

R$

15.044,00

0,90%

0,58%

Provisão para Passivo Descoberto – Controlado

R$

549,00

-

-

-

-

 

23,23

 

Total do Circulante

R$ 311.712,00

 

%

R$

414.144,00

24,90%

1,67%

 

Total Não Circulante

Exigível em Longo Prazo

-

-

-

-

-

Financiamentos

R$

49.144,00

3,99%

R$

68.943,00

4,15%

0,48%

 

Financiamentos - Finame Fabricante

R$

348.710,00

25,99%

 

R$

53.323,00

27,26%

1,27%

Impostos e Contribuições a Recolher

R$

1.896,00

0,14%

R$

3.578,00

0,22%

0,07%

Provisão para Passivo Eventual

R$

1.659,00

0,12%

R$

2.073,00

0,12%

0,00%

Outras Contas á Pagar

-

-

R$

9.626,00

0,58%

-

Deságio em Controladas

-

-

R$ 29.513,00

1,77%

1,77%

 
 

29,92

 

Total Não Circulante

R$

401.409,00

%

R$ 567.056,00

34,10%

4,18%

 

Participação Minoritária

-

-

R$

2.536,00

0,15%

-

Patrimônio Líquido

 

Capital Social

R$

489.973,00

36,52%

 

R$ 489.973,00

29,46%

-7,05%

Reserva de Capital

R$

2.052,00

0,15%

R$

2.052,00

0,12%

-0,03%

Ajustes de Avaliação Patrimonial

-R$

968,00

-0,07%

 

R$

349,00

-0,02%

0,05%

Reserva de Lucros

R$

130.516,00

9,73%

R$ 187.567,00

11,28%

1,55%

 

46,33

Total de Patrimônio Líquido

R$

621.573,00

%

R$ 679.243,00

40,84%

-5,48%

Total do Passivo

R$

1.341.737,00

 

100%

R$ 1.662.979,00

100%

0,00%

Tabela 03: Análise Vertical - Do Passivo do Balanço Patrimonial. Adaptado pela equipe. Fonte: Caderno de atividade – ATPS - Anhanguera.

  • 2.3 Análise Horizontal Demonstração do Resultado do Exercício – DRE

10

ANALISE HORIZONTAL - DRE

 

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO

2007

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO 2007 2008

2008

 

R$

A.H.

R$

A.H.

RECEITA OPERACIONAL BRUTA

R$

761.156,00

100%

R$

836.625,00

9,92%

Mercado Interno

R$

679.099,00

100%

R$

728.313,00

7,25%

Mercado Externo

R$

82.057,00

100%

R$

108.312,00

32,00%

Impostos Incidentes sobre Vendas

-R$

129.168,00

100%

R$

140.501,00

8,77%

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

R$

631.988,00

100%

R$

696.124,00

10,15%

Custos dos Produtos e Serviços Vendidos

-R$

359.903,00

100%

R$

416.550,00

15,74%

LUCRO BRUTO

R$

272.085,00

100%

R$

279.574,00

2,75%

RECEITAS (*DESPESAS) OPERACIONAIS

Vendas

-R$

59.786,00

200%

R$

65.927,00

10,27%

Gerais Administrativos

-R$

45.428,00

100%

R$

63.800,00

40,44%

Pesquisa e Desenvolvimento

-R$

26.340,00

100%

R$

28.766,00

9,21%

Honorários de Administração

-R$

8.025,00

100%

R$

8.278,00

3,15%

Tributarias

-R$

6.742,00

100%

R$

2.913,00

-56,79%

Resultado de Equivalência Patrimonial

-

-

-

-

Outras Receitas Operacionais Líquidas

R$

1.031,00

100%

R$

1.673,00

62,27%

Total das Despesas Operacionais

-R$

145.290,00

100%

R$

168.011,00

15,64%

LUCRO OPERACIONAL ANTES DO RES. FIN

R$

126.795,00

100%

R$

111.563,00

-12,01%

RESULTADO FINANCEIRO

Receita Financeira

R$

30.508,00

100%

R$

36.950,00

21,12%

Despesas Financeira

-R$

5.048,00

100%

R$

5.061,00

30,26%

Variação Cambial Ativa

-R$

3.796,00

100%

R$

10.752,00

-383,25%

Variação Cambial Passiva

R$

6.258,00

100%

R$

7.338,00

217,26%

Total Resultado Financeiro

R$

27.922,00

100%

R$

35.303,00

26,43%

LUCRO OPERACIONAL

R$

154.717,00

100%

R$

146.866,00

-5,07%

IMPOSTOS DE RENDA E CONTRIB. SOCIAL

Corrente

-R$

27.547,00

100%

R$

33.324,00

21,37%

Diferido

R$

1.914,00

100%

R$

4.715,00

146,34%

LUCRO LÍQUIDO ANTES DAS PARTICIP.

R$

129.174,00

100%

R$

118.257,00

-8,45%

Participação Minoritária

-R$

555,00

100%

R$

881,00

58,74%

Participação da Administração

-R$

4.400,00

100%

R$

4.423,00

0,58%

LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO

R$

124.219,00

100%

R$

112.953,00

-9,07%

Tabela 04: Análise Horizontal - DRE. Adaptado pela equipe. Fonte: Caderno de atividade – ATPS - Anhanguera.

2.4 Análise Horizontal Balanço Patrimonial - BP

 

ANALISE HORIZONTAL – BP

 

PASSIVO

2007

PASSIVO 2007 2008

2008

CIRCULANTE

R$

A.H.

R$

A.H.

Financiamentos

R$

29.459,00

100,00%

R$

26.375,00

-10,59%

Financiamentos - Finame Fabricante

R$ 192.884,00

100,00%

R$

270.028,00

40,00%

Fornecedores

R$

24.795,00

100,00%

R$

31.136,00

23,59%

Salários e Encargos Sociais

R$

35.927,00

100,00%

R$

33.845,00

-5,81%

Impostos e Contribuições a Recolher

R$

7.500,00

100,00%

R$

7.357,00

-8,19%

Adiantamentos de Clientes

R$

9.702,00

100,00%

R$

14.082,00

45,15%

11

Dividendos e Juros sobre o Capital Próprio

R$

2.234,00

100,00%

R$

11.777,00

395,87%

Participações a Pagar

R$

4.400,00

100,00%

R$

4.500,00

2,27%

Outras Contas á Pagar

R$

4.262,00

100,00%

R$

15.044,00

232,54%

Provisão para Passivo Descoberto - Controlado

-

-

-

-

Partes Relacionadas

-

100,00%

-

-

Total do Circulante

R$ 311.163,00

100,00%

R$

414.144,00

32,52%

Total Não Circulante

Exigível em Longo Prazo

-

-

-

-

Financiamentos

R$

49.144,00

100,00%

R$

68.943,00

39,83%

Financiamentos - Finame Fabricante

R$

348.710,00

100,00%

R$

453.323,00

30,00%

Impostos e Contribuições a Recolher

R$

1.896,00

100,00%

R$

3.578,00

88,71%

Provisão para Passivo Eventual

R$

1.659,00

100,00%

R$

2.073,00

24,95%

Outras Contas á Pagar

-

-

R$

9.626,00

-

Deságio em Controladas

R$

4.199,00

-

R$

29.513,00

-

Total Não Circulante

R$

405.770,00

100,00%

R$

567.056,00

39,75%

Participações Minoritárias

R$

1.871,00

-

R$

2.536,00

-

Patrimônio Líquido

Capital Social

R$

489.973,00

100,00%

R$

489.973,00

0,00%

Reserva de Capital

R$

2.052,00

100,00%

R$

2.052,00

0,00%

Ajustes de Avaliação Patrimonial

-R$

968,00

100,00%

R$

349,00

-63,95%

Reserva de Lucros

R$

130.516,00

100,00%

R$

187.567,00

43,71%

Total de Patrimônio Líquido

R$

621.573,00

100,00%

R$

679.243,00

9,28%

Total do Passivo e do Patrimônio Líquido

R$

1.341.737,00

100,00%

R$

1.662.979,00

23,94%

Tabela 05: Análise Horizontal - BP. Adaptado pela equipe. Fonte: Caderno de atividade – ATPS - Anhanguera.

3 ANÁLISE DAS POSSIVEIS CAUSAS DAS VARIAÇOES

3.1 Vendas

A Receita Operacional Liquida consolidada apresentou um acréscimo de 10,1% em comparação a 2007, atingindo 696 milhões. Crescimento visível no desempenho geral nas suas operações e no desempenho positivo dessa atividade no Brasil em 2008. Uma empresa competitiva, no mercado externo, nas receitas de exportação teve um aumento de 35%, dentro das exportações a receita operacional apresentou um crescimento de 3% de um ano para o outro.

3.2 Custos Dos Produtos Vendidos

À análise horizontal de 2007, o custo dos produtos e serviços vendidos apresentou um aumento de R$ 56.647,00, tendo aumento de 13,60%. Na Analise Vertical em 2008 o aumento foi de 2,89% comparado ao ano anterior. O aumento dos custos e a diminuição da margem de lucro foram observados com o aumento da receita.

12

  • 3.3 Margem Bruta

Em relação a 2007 todas as unidades de negocio tiveram as margens reduzidas, decorrente da conjuntura cambial e da instabilidade do preço de algumas matérias- primas metálicas, principalmente na divisão de fundidos e usinados, o que levou a uma redução significativa no volume de vendas, que atingiu 40,2% contra 43,1% em 2007.

Fórmula: Lucro Bruto*100 Receita Líquida

124, 219 2007 9,26% 1341, 737 112, 953 2008 6,79% 1662, 797
124, 219
2007
9,26%
1341, 737
112, 953
2008
6,79%
1662, 797
  • 3.4 Despesas Operacionais

Em 2007 os valores das despesas foram de R$145.290,00, segundo a análise horizontal. No ano de 2008 este valor foi de R$168.011,00, ou seja, 15,52% de aumento. As despesas administrativas foram as que obtiveram maior diferença de um ano para o outro com um aumento de 40,44%, contudo houve uma diminuição nas despesas tributárias de -56,79%, isto se deve a um melhora na gestão tributária da empresa.

  • 3.5 Contas Patrimoniais

Encontramos no circulante uma situação favorável na empresa, uma vez que o índice do Ativo Circulante é 2,14 vezes maior do que o Passivo Circulante, ou seja, para cada R$1,00 real das obrigações a pagar no circulante a empresa tem R$ 2,14 reais em bens e direitos no circulante. No não circulante a situação é muito parecida, estando à empresa com um índice de Ativo não Circulante de 1,37 vezes maior que o Passivo não Circulante. Os Juros sobre o Capital Próprio foram creditados aos acionistas durante o ano de 2008, líquidos de IRRF e imputáveis aos dividendos mínimos obrigatórios do exercício social

13

de 2008, foram de R$35,5 milhões e correspondeu a 31,4% do lucro líquido do exercício. O circulante de 2007 para 2008 a conta “Outros Créditos” aumentou para 10,8% e a que teve maior relevância foi a de Títulos Mantidos para Negociação, com redução de

51,82%.

O ativo não circulante apresentou a conta Impostos e Contribuições a recuperar o de maior percentual com 238,43% e o menor foi o de Valores a receber-repasse Finame fabricante, com 16,95%. No Passivo circulante o aumento de 395,87% na conta Dividendos e juros sobre o capital próprio, foi o maior e o menor na conta Financiamento com redução de 10,59%. No Passivo não circulante o Deságio em controladas teve um salto de 302,86% e a Provisão para passivos eventuais um aumento de 24,95%. No Patrimônio Líquido com 43,71% a Reserva de Lucros foi a mais alta e a menor foi os ajustes de Avaliação Patrimonial com uma redução de 63,95%.

4 DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS

4.1 Estrutura

4.1.1 Participação de Capitais de Terceiros - Endividamento

A maior parte do passivo está financiando ao Ativo, isto demonstra que a empresa investe em capital de terceiros para exercer suas atividades. Em 2008 ela aumentou o investimento em 1,67% em capital de terceiros em relação a 2007, não tendo medo de arriscar.

Índice ano 2007

PC + ELP x 100

R$ 311.712,00

* 100

23,23%

Passivo total

R$ 1.341.737,00

Índice ano 2008

PC + ELP x 100

R$ 414.144,00

 
 

R$

* 100

24,90%

Passivo total

1.662.979,00

14

  • 4.1.2 Composição do Endividamento

Aumentaram em 10,83% de um ano para o outro as dividas a serem pagas em curto prazo. Ela se mantém estável quando ao capital de terceiros que deve pagar em curto prazo, correndo assim menos riscos.

Índice ano 2007

Passivo circulante x 100

R$ 311.712,00

* 100

50,14%

Capital de terceiros

R$ 621.573,00

Índice ano 2008

Passivo circulante x 100

R$

414.144,00

* 100

60,97%

Capital de terceiros

R$ 679.243,00

  • 4.1.3 Imobilização do Patrimônio Liquido

Com o investimento da empresa de 114,26% em ativos imobilizados no ano de 2008, o índice de Imobilização do PL aumentou em 24,99%.

Índice ano 2007

ANC - RLP x 100

R$

554.897,00

* 100

89,27%

Patrimônio líquido

R$ 621.573,00

Índice ano 2008

ANC - RLP x 100

R$

776.103,00

* 100

114,26%

Patrimônio líquido

R$ 679.243,00

  • 4.1.4 Imobilização dos Recursos Não Correntes

Já que quanto menos a empresa investe em ativo permanente, mais recursos próprios sobram para outros investimentos, diminuindo a necessidade de endividamento e do financiamento de terceiros, podemos dizer que quanto menor melhor. É importante, no entanto, saber que este indicador muda de acordo com o setor de atuação da empresa. No caso apresentado, a empresa obteve aumento de 24,99% o que não é considerado bom.

15

Índice ano 2007

ANC - RLP x 100

R$

554.897,00

* 100

89,27 %

Patrimônio Líquido+ Exigível a longo prazo

R$ 621.573,00

Índice ano 2008

Ativo permanente x 100

R$

776.103,00

* 100

114,26 %

Patrimônio Líquido+ Exigível a longo prazo

R$ 679.243,00

4.2 LIQUIDEZ

  • 4.2.1 Índice de Liquidez Corrente

Podemos afirmar que as dívidas de médio prazo seriam pagas, pois, em 2007 para cada R$1,00 de dívida a empresa dispõe R$2,52 de recursos. Em 2008 o índice aumentou, no entanto, continua sendo um bom índice.

Índice ano 2007

Ativo circulante

786.840,00 = 2,52

Passivo circulante

312.523,00

Índice ano 2008

Ativo circulante

886.876,00 = 2,84

Passivo circulante

414.144,00

  • 4.2.2 Índice de Liquidez Seca

Este índice utiliza tão somente as contas que facilmente se transformariam em dinheiro, expondo que a empresa pagaria todas as suas dívidas de curto prazo apenas com estes recursos.

Índice ano 2007

Ativo circulante - estoques

603.796,00 = 1,93

Passivo circulante

312.523,00

Índice ano 2008

16

Ativo circulante - estoques

601.532,00 = 1,45

Passivo circulante

414.144,00

  • 4.2.3 Índice de Liquidez Geral

De forma geral, mostra a capacidade de liquidez das dívidas de uma empresa utilizando- se dos recursos de curto, médio e longo prazo. No caso apresentado a situação geral da empresa é de que para cada R$1,00 de dívida em 2007 ela dispõe R$0,39, já em 2008 para cada R$1,00 ela tem R$1,14.

Índice ano 2007

Ativo circulante + Realizável longo prazo

312.523,00 = 0,39

Passivo circulante + exigível a longo prazo

786.840,00

Índice ano 2008

Ativo circulante + Realizável longo prazo

886.876,00 = 1,14

Passivo circulante + exigível a longo prazo

414.144,00

4.3 Rentabilidade

  • 4.3.1 Giro do Ativo

No giro do Ativo, revela quanto à empresa vendeu em relação ao investimento total (Ativo Operacional) no período. O resultado deste índice mostra que para cada R$1,00 investido em ativo em 2007 a empresa conseguiu vender não mais que R$0,47 e em 2008 este índice diminuiu para R$0,41. Resultado que os bens da empresa não têm sido eficientemente utilizados.

Índice ano 2007

Vendas líquidas

631.988,00 = 0,47

Ativo total

1.341.737,00

Índice ano 2008

Vendas líquidas

696.124,00 = 0,41

Ativo total

1.662.979,00

17

Mostra o quanto a empresa obteve de lucro em relação ao seu faturamento, isso é o Lucro Líquido que a empresa teve em relação às vendas líquidas. Houve um retorno de 20,44% para cada R$100,00 vendido em 2007 e em 2008 este índice caiu para 16,99%, o que deve ser analisado.

Índice ano 2007

Lucro liquido x 100

R$

129.173,00

* 100

20,44%

Vendas líquidas

R$ 631.988,00

Índice ano 2008

Lucro liquido x 100

R$ 118.257,00

* 100

16,99

Vendas líquidas

R$ 696.124,00

4.3.3

Rentabilidade do Ativo

 

Índice ano 2007

 

Lucro liquido x 100

R$ 129.174,00

* 100

9,62%

Ativo Total

R$ 1.341.737,00

Índice ano 2008

 

Lucro liquido x 100

R$ 118.257,00

* 100

 

Ativo Total

R$ 1.662.979,00

7,11%

4.3.4

Rentabilidade do Patrimônio Liquido

 

Mostra-nos o quanto a empresa teve de retorno para cada R$1,00 real investido. Aponta o quanto o Ativo rendeu em relação ao lucro líquido. Em 2007 ele rendeu 9,62% já em 2008 este índice caiu para 7,11% o que demonstra que a empresa não foi eficiente em rentabilizar seus recursos.

Este índice expõe o quanto o capital investido pelos sócios rendeu. Revela quanto à empresa teve de lucro líquido para cada real de capital próprio. A empresa rentabilizou 17,37% do seu capital em 2008, serve para avaliar se o investimento é viável.

Índice ano 2008

Lucro liquido x 100

112.953,00 x 100 = 17,37%

18

Patrimônio liquido médio

(621.573,00+679.243,00)/2

4.4 Dependência Bancária

  • 4.4.1 Financiamento de Ativo

Este índice demonstra o quanto os empréstimos e financiamentos fazem parte dos investimentos da empresa. Em 2007 46,24% dos investimentos eram das participações de créditos, em 2008 esse índice aumentou para 49,23% o que mostra que a empresa teve mais participações de créditos para investir em si mesma.

Índice ano 2007

Empréstimo e Financiamentos x 100

R$ 620.398,00

* 100

46,24%

Ativo Total

R$ 1.341.737,00

Índice ano 2008

Empréstimo e Financiamentos x 100

R$ 818.669,00

* 100

49,23%

Ativo Total

R$ 1.662.979,00

  • 4.4.2 Participação de instituições de créditos no endividamento

Aqui temos a participação dos financiamentos em comparação ao capital de terceiros da empresa. Em 2007 86,37% do capital de terceiros eram financiamentos, em 2008 este índice caiu para 83,44%. Isto aponta que muitos dos recursos recebidos pela empresa vieram de financiamentos.

Índice ano 2007

Financiamento x 100

R$

620.398,00

* 100

86,37%

Capitais de Terceiros

R$ 718.293,00

Índice ano 2008

Financiamento x 100

R$

818.669,00

* 100

83,44%

Capitais de Terceiros

R$ 981.200,00

19

Este índice apresenta o quanto os financiamentos em curto prazo se representam comparado ao Ativo circulante da empresa. Os financiamentos em 2007 representavam 28,26% do Ativo Circulante da empresa, em 2008 este índice desceu para 33,42% mostrando que a empresa diminuiu seus financiamentos e está sendo financiada em partes pelos recursos provenientes das contas operacionais.

Índice ano 2007

Financiamento curto prazo x 100

R$ 222.382,00

* 100

28,26%

Ativo circulante

R$ 786.840,00

Índice ano 2008

Financiamento curto prazo x 100

R$ 296.403,00

* 100

33,42%

Ativo circulante

R$ 886.876,00

5 RESUMO DOS ÍNDICES

Índice

Índice

Fórmula

Interpretação

Estrutura de Capital

Participação de Capitais de Terceiros

PC + ELP x 100 Passivo total

Indica qual a “dependência” dos negócios em relação a recursos de terceiros (bancos, fornecedores, recursos trabalhistas e tributários).

Composição do

Passivo circulante x 100

Mostra a relação entre o passivo de curto prazo da empresa e o passivo total. Ou seja, qual o percentual de passivo de curto prazo é usado no

endividamento

Capital de terceiros

financiamento de terceiros.

Imobilização do Patrimônio Líquido

ANC - RLP x 100 Patrimônio líquido

Quanto menor melhor, já que quanto menos a empresa investe em ativo permanente, mais recursos próprios sobram para outros investimentos, diminuindo a necessidade de endividamento e do financiamento de terceiros. É importante ter em mente, entretanto, que este indicador

muda muito de acordo com o setor de atuação da empresa.

 

Imobilização dos recursos não correntes

ANC - RLP x 100 Patrimônio Líquido + Exigível a longo prazo

Quanto menor melhor, já que quanto menos a empresa investe em ativo permanente, mais recursos próprios sobram para outros investimentos, diminuindo a necessidade de endividamento e do financiamento de terceiros. É importante ter em mente, entretanto, que este indicador

muda muito de acordo com o setor de atuação da empresa.

Liquidez

Liquidez Geral

Ativo circulante + Realizável longo prazo Passivo circulante + exigível a longo

Demonstra a “viabilidade” de médio e longo prazo dos pagamentos de compromissos já assumidos. O índice mínimo é 1. Abaixo de 1, indica

prazo

problemas de liquidez.

 

Ativo circulante

Evidencia a capacidade de pagamento de curto prazo. Um índice inferior

Liquidez Corrente

Passivo circulante

a 1 indica problemas prementes de liquidez.

Liquidez Seca

Ativo circulante - estoques Passivo circulante

Como os estoques tem uma característica de permanência nas atividades da empresa (pois são indispensáveis a maioria das atividades de produção e comercialização), este índice procura demonstrar uma “liquidez real”, mediante a realização de ativos ditos “financeiros” (que

se realizam em caixa).

Rentabilidade

Giro do ativo

Vendas líquidas

Indica qual a geração de receitas sobre cada R$ do ativo. Quanto maior o índice, maior a capacidade de geração de receitas, indicando um bom

Ativo total

desempenho de vendas e/ou uma boa administração dos ativos.

20

 

Margem líquida

Lucro liquido x 100 Vendas líquidas

Utiliza-se este índice para avaliar o desempenho de resultado (lucro ou prejuízo) sobre a receita. Quanto maior o índice (se positivo), melhor a margem.

Rentabilidade do ativo

Lucro liquido x 100

A porcentagem resultante mostra a eficiência da aplicação dos ativos e quanto lucro eles estão gerando, onde quanto for maior a porcentagem,

Ativo Total

melhor.

Rentabilidade do Patrimônio Líquido

Lucro liquido x 100 Patrimônio liquido médio

A remuneração do Patrimônio Líquido é representada pelos resultados gerados. Se este índice for inferior à taxa de aplicação financeira (líquida de impostos) no período, significa um desempenho insatisfatório.

Tabela 06: Resumo dos Índices. Adaptado pela equipe. Fonte: Caderno de atividade – ATPS - Anhanguera.

6 ARTIGO DE STEPHEN KANITZ

A proposta do artigo publicado foi mostrar o lucro real de uma empresa e mostrar um olhar para o futuro. Após uma pesquisa, com Operários e Donas de casa que achavam que o lucro dos patrões era de 49%, mostrou que essas pessoas tinham uma idéia negativa das empresas, empresários e administradores em geral. Ele mostrou a visão dos jovens perante aos empresários, os achando “ladrões”, isso porque não lêem os balanços do que é publicado nos jornais. De acordo com a última edição em 2013 dos Melhores e Maiores, da revista Exame, nos últimos 10 anos o lucro médio das 500 maiores empresas foi de 2,3% sobre as receitas. Mostrando que das grandes companhias 97,7% de tudo o que compramos é custo do produto, e isso não pretende mudar, seja qual for o regime político implantado no Brasil. O artigo tenta chamar a atenção para que revelações como essa das Melhores e Maiores, que são publicadas anualmente, sejam ensinadas para os Jovens Universitários. Para isso é preciso que essa consciência falsa seja retirada urgentemente da cabeça dos futuros Administradores do nosso Brasil. Hoje as empresas estão à espera de mudanças para que as empresas invistam mais em produção e geração de mais empregos, um dos incentivos que faria o Brasil crescer e andar mais rápido, seria a tão esperada Reforma Tributaria.

7 ANALISE PELO MÉTODO DUPONT E TERMÔMETRO DE INSOLVÊNCIA

Método de extrema importância dentro da empresa utilizado para analisar detalhadamente as demonstrações contábeis, avaliando assim a situação financeira. Sistema este que mostra o balanço patrimonial da empresa com sua demonstração de resultado a qual chamamos de relatório financeiro, e para saber a situação financeira da empresa existe fatores importantes de análise.

21

Rentabilidade Sobre Ativo - ROA é um indicador utilizado para o acompanhamento da evolução ao longo do tempo da empresa. A porcentagem resultante mostra a eficiência da aplicação do ativo e quanto ao lucro, eles estão gerando, quanto maior a porcentagem, melhor. Rentabilidade Sobre Patrimônio Líquido – ROE utilizado para mostra o percentual de lucros líquidos aferido, relacionando o montante total aplicado pelos acionistas, quando maior o positivo melhor. Essa rentabilidade identifica as principais áreas responsáveis pelo bom ou mau desempenho financeiro de uma organização. Esse modelo reúne também a margem líquida, a qual mede a lucratividade sobre as vendas com o giro do ativo total. Que indica a capacidade que a empresa usa de todo o seu patrimônio financeiro e busca a melhor alternativa de investimento, fazendo com que esse giro proporcione melhores e eficientes lucros. O giro ativo total é igualar as rendas e tem Multiplicador de Alavancagem Financeira- MAF, significa que uma empresa consiste na dependência de recursos de terceiros que é a ampliação do risco e de retorno introduzido pelo uso de financiamento de um custo fixo. Ainda analisa, organiza, simplifica e observa minuciosamente a estrutura das demonstrações financeiras avaliando a situação da empresa.

7.1 Cálculo da Rentabilidade do Ativo pelo Método DUPON

CÁLCULO DA RENTABILIDADE DO ATIVO PELO MÉTODO DUPON

 

ANALISE HORIZONTAL - DRE ADAPTADA

 

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO

2007

2008

 

R$

A.H.

R$

A.H.

RECEITA OPERACIONAL BRUTA

R$

761.156,00

100%

R$

836.625,00

9,92%

Mercado Interno

R$

679.099,00

100%

R$

728.313,00

7,25%

Mercado Externo

R$

82.057,00

100%

R$

108.312,00

32,00%

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA

R$

761.156,00

R$

836.625,00

9,92%

Impostos Incidentes sobre Vendas

-R$

129.168,00

100%

R$

140.501,00

8,77%

Custos dos Produtos e Serviços Vendidos

-R$

359.903,00

100%

R$

416.550,00

15,74%

LUCRO BRUTO

R$

272.085,00

100%

R$

279.574,00

2,75%

RECEITAS (DESPESAS) OPERACIONAIS

Vendas

-R$

59.786,00

200%

R$

65.927,00

10,27%

Gerais Administrativas

-R$

45.428,00

100%

R$

63.800,00

40,44%

Pesquisa e Desenvolvimento

-R$

26.340,00

100%

R$

28.766,00

9,21%

Honorários de Administração

-R$

8.025,00

100%

R$

8.278,00

3,15%

Tributarias

-R$

6.742,00

100%

R$

2.913,00

-56,79%

Resultado de Equivalência Patrimonial

-

-

-

-

Outras Receitas Operacionais Líquidas

R$

1.031,00

100%

R$

1.673,00

62,27%

22

Total das Despesas Operacionais

-R$

145.290,00

100%

R$

168.011,00

15,64%

LUCRO OPERACIONAL ANTES DO I.R.

R$

126.795,00

100%

R$

111.563,00

-12,01%

IMPOSTOS DE RENDA E CONTRIB. SOCIAL

Corrente

-R$

27.547,00

100%

R$

33.324,00

21,37%

Diferido

R$

1.914,00

100%

R$

4.715,00

146,34%

LUCRO LÍQUIDO ANTES DAS PARTICIP.

R$

129.174,00

100%

R$

118.257,00

-8,45%

Participação Minoritária

-R$

555,00

100%

R$

881,00

58,74%

Participação da Administração

-R$

4.400,00

100%

R$

4.423,00

0,58%

LUCRO LÍQUIDO ANTES DO RESULTADO FINANC.

R$

124.219,00

100%

R$

112.953,00

-9,07%

RESULTADO FINANCEIRO

Receita Financeira

R$

30.508,00

100%

R$

36.950,00

21,12%

Despesas Financeira

-R$

5.048,00

100%

R$

5.061,00

30,26%

Variação Cambial Ativa

-R$

3.796,00

100%

R$

10.752,00

-383,25%

Variação Cambial Passiva

R$

6.258,00

100%

R$

7.338,00

217,26%

Total Resultado Financeiro

R$

27.922,00

100%

R$

35.303,00

26,43%

LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO

R$

124.219,00

100%

R$

112.953,00

-9,07%

Tabela 07: Cálculo da Rentabilidade do Ativo pelo Método Dupon. Adaptado pela equipe. Fonte: Caderno de atividade – ATPS - Anhanguera.

2007:

Passivo Operacional – 97.391 Passivo Financeiro – 620.398 Patrimônio – 623.948

Fórmula:

2008:

Passivo Operacional – 153.290 Passivo Financeiro – 818.669 Patrimônio – 691.020

Ativo Líquido = Ativo Total – Passivo Operacional 2007: Ativo Líquido = 1.341.737 - 97.391 = 1.244.346 2008: Ativo Líquido = 1.662.979 - 153.290 = 1.509.689

Fórmula:

Giro: Vendas Líquidas Ativo Líquido

2007: 761.156 = 0,61

1.244.346

2008: 836.625 = 0,55

1.509.689

Fórmula:

Margem: Lucro Líquido Vendas Líquidas

2007: 124.219 = 0,16 (x100 = 16,32%)

781.156

2008: 113.853 = 0,14 (x 100 = 13,50%)

836.625

23

Fórmula:

Rentabilidade do Ativo (Método Dupont) = (Giro x Margem) 2007: 0,61 x 0,16 = 0,10 ( x 100 = 10% ) 2008: 0,55 x 0,14 = 0,08 (x 100 = 8% ) 8 TERMÔMETRO DE INSOLVÊNCIA - MODELO STEPHEN KANITZ

O termômetro de Kantz ou termômetro de insolvência é um instrumento utilizado para prever a possibilidade de falência da empresa. A sua utilização tem sido via de regra, relativa isolada: procurando analisar se determinada empresa tem ou não possibilidade de falir. Principalmente em curto prazo. Após analisar e estudar várias empresas Stephen Kantz criou o termômetro de insolvência com a utilização da seguinte fórmula:

Y=(0.05 x RP + 1.65 x LG + 3.55.LS) – (1.106 x L x C+0.33 x GE)

Onde 0.05, 1.65,3.55, 1.106 e 0.33 são os pesos que devem ser multiplicados os indicies, e os indicies são os seguintes:

RP – Rentabilidade do Patrimônio;

LG – Liquide geral;

LS – Liquidez seca;

GE – Grau de Endividamento.

De acordo com Kantz, se após a aplicação da fórmula o resultado de (Y) se situa abaixo de –3 indicando que a empresa se encontra numa situação que poderá levá-lo a falência. Quanto menor for este valor, mais próximo da falência, estará à empresa. Do mesmo modo se a empresa se encontrar em relação ao termômetro com o valor acima de zero, não haverá razão para administração se preocupar principalmente à medida que melhora a posição da empresa. Se ela se situar entre zero e –3 temos o que Kantz chama de penumbra, funciona como um alerta. Situação da empresa: Depois do uso da fórmula se o resultado de (y) for menor que -3 A empresa encontra-se em insolvência, onde poderá levá-lo a falência. Maior que zero (0): A empresa se encontra na solvência ótima. Se for entre zero e -3: A empresa se encontra na penumbra – funciona como um alerta.

24

– 7 – 6 – 4

– 3 – 2 – 1

0

1 – 2 – 3 – 4 – 5

Insolvência

Penumbra

Salvência

8.1 Termômetro de Insolvência Stephen Kanitz

Escala para medir a possibilidade de insolvência.

Lucro Líquido

Fórmula1:

Patrimônio Líquido x 0.05

 
 

124.219

 

112.953

2007:

621.573

x0.05 = 0.01

 

2008:

679.243

= 0.166292 x

0.05 = 0.01

 

Fórmula2: Ativo Circulante+ ANC x 1.65 Passivo Circulante+ PNC

 
 

786.840+554.897

 

1.341

.737

2007:

312.523+405.770

=

718.293

 

= 1.87 x 1.65 = 3,08

 

886.676+776.103

1.662

.979

 

2008:

414.144+567.056

=

981.200

= 1.69 x 1.65 = 2,80

 

Fórmula 3: Ativo CirculanteEstoque x 3.55 Passivo Circulante

 
 

786.840183.044

 

603.796

 

2007:

312.523

=

321.523

 

= 1.932005 x 3.55 = 6,86