You are on page 1of 38

11

1. INTRODUÇÃO

Buscamos como analise da dificuldade da relação familiar e Escola U.E.B Paranã como parceira no ensino/aprendizagem.

Contudo, retratando a discussão da problemática do contexto sócio político e econômico, que está a cerca do conhecimento de vida de cada aluno para que possamos adequar, a cada realidade na vida escolar dos alunos, possibilitando conhecer a comunidade no seu contexto de vida ou costumes e valores culturais de sua família, trazendo diferença ou semelhanças existentes entre instituição e família.

Ressalta-se a falta de interesse dos pais nas atividades escolar do aluno, traz a questão da falta de diálogo entre família e instituição.

A participação da família na escola possibilita o melhor desempenho na aprendizagem dos alunos.

Na existência humana configura a família como referencia circunstancial que pressupõe um solo firme de conhecimento e como matriz que nutre, orienta o agir do individuo. Atualmente a sociedade vive uma crise de valores éticos e Moraes que exige uma maior integração participativa da família na escola para alcançar melhor qualidade no trabalho pedagógico promovendo o ensino e aprendizagem. A família desempenha um papel importante, primordial na transmissão de cultura e valores, é nela que o individuo recebe a primeira educação que chamamos conhecimento popular ou senso comum. A escola precisa proporcionar caminhos que favoreça o acompanhamento da família, somente assim atingirá o seu objetivo de educar. A escola em evidência nos proporcionará conhecer vários fatores que contribuirão com papel da família na escola e vice e versa. Diante destes fatores está à regra de conduta, falta de limite e fracasso escolar. A família e a escola se torna parceira que instituir um caráter global no processo ensino e aprendizagem. Os dois públicos alvos precisam assumir a responsabilidade, elas são componentes fundamentais para uma educação democrática. Cabe aos profissionais da educação dá um primeiro passo para parceria da escola e família acontecer de forma efetiva.

12

A família e escola tem um caráter educativo que trouxe consigo uma instrumentação de remodelação da ordem política social. Com a evolução da educação e transformação econômica social, cultural, política e ideológica que reflete na definição rumo da educação uma relação social entre pais e professores com propósitos de participação da família na escola com objetivo de melhorar a qualidade da educação. Segundo GADOTTI (1993, p.17) a família e a escola são destinadas ao cuidado e educação, pois são as principais instituições voltadas para o ensino. É neste sentido que pode afirmar que na parceria da família interagindo com a escola busca de convívio social que permite despertar o cognitivo. Portanto, isso estabelece conscientização madura da criança resgatada, o fortalecimento de da autoestima estimulando as habilidades, criatividade e espontaneidade que contribui na formação do caráter dos educando. VASCONCELLOS (1989, p.128): relata a primeira grande dificuldade definir tipo envolvimento que devem acontecer entre as duas instituições, esse tipo de envolvimento entre o contexto família e escola são importantes no favorecimento do ensino e aprendizagem da criança. Desse modo que fica evidente no envolvimento da família na escola que implica elaboração de propostas e projetos de atividades extracurriculares nas reuniões interativas e dinâmica com participação, sugestões e estratégias. Pois a influencia da família de maneira favorável nos resultados da aprendizagem. Na melhoria do desempenho escolar e qualidade educacional a parceria escola e família são vista como parte integrante no processo ensino aprendizagem (PAROLIN (2007, p. 36): compreende que a família e a escola formam uma equipe fundamental, que ambas sigam os mesmos princípios e critérios, existem em diversas contribuições que tanto a família e a escola podem oferecer propiciando o desenvolvimento dos seus filhos. Na educação de qualidade é preciso ter em mente que a família esteja presente na vida escolar de todos os alunos e em todos os sentidos. A constituição Federal de 1988 estabelece que a educação seja direito para todos, e um dever dos estados da família promover e garante a colaboração da sociedade tendo como objetivo desenvolver plenamente o desenvolvimento integral da personalidade humana para o bem estar comum na sociedade.

13

Segundo a lei nº 9.394/96 da LDB 1996 determina que a educação infantil é um direito assegurado legalmente que a criança de 0 a 6 anos deveres efetivando mediante garantia de atendimento gratuito em creches e pré-escolas( art.4º IV). E ainda: “ é direito dos pais ou responsáveis ter ciência do processo pedagógico, bem como participação, definição das propostas

educacionais”. (art.53, parágrafo único, BRASIL 1996). A família não tem só o papel de promover o meio necessário a condição

de sobrevivência da vida mais responsável a promover ambiente afetivo favorável que permite a integração da criança. Ao acessar o processo de aprendizagem cognitivo para que seja um cidadão capaz de tomar suas

próprias decisões no cotidiano e na sociedade como contribuição para o seu desenvolver como contribuição para o seu o seu desenvolvimento.

Pois,

a

criança

ter

como

referencia

arranjos

familiares

com

pedagogicamente orientado no processo de contribuição da formação de

cidadãos. Para LÓPEZ (2002, p.112) “[

]

é um sujeito ativo que, pela ação, ao

qualquer outro sujeito tende caracteres de atividade, sociabilidade, histocidade, praticidade”.

Pressupor

que

o

processo

educativo implica na continuidade, na

dinâmica e progressiva da educação escolar, pois ela se realiza em continuidade a educação familiar, a necessidade que a família tinha de participação no desenvolvimento escolar tem que haver parceria entre família e escola. A constituição, a LDB (art.225) cita que é dever da família, da sociedade e da escola assegurar à criança alimentação, saúde, profissionalização a cultura, a dignidade, ao respeito, a liberdade e a convivência da família que é a base, incentivada com a colaboração da sociedade visando ao pleno desenvolvimento social e prepara para o exercício da cidadania e sua qualificação de trabalho (BRASIL, 1996). A família tem o papel decisivo na educação formal e informal dos filhos, tem como base os valores éticos e humanitários trazendo com laços de solidariedade e afetividade no núcleo da família que se constroem as marcas de valores culturais e criados valores morais. De acordo com CHALITA (2001. P.20) afirma que a responsabilidade da família, a forma, o caráter de educar para os desafios da vida e perpetuar valores éticos e morais.

14

A família é um espaço que tem que ser aberto para o diálogo em relação as construções de troca de experiências e conhecimentos, que pais e filhos juntos conduzam uma educação repleta de princípios éticos e de conduta no ambiente social e valores necessários para vivenciar a vida social.

Para

PARREIRA (2002, p.43) a criança na fase

escolar precisa da

participação dos pais na escola, não só quando apresenta alguns problemas, mas também nas atividades cotidiana trabalhando com texto para estimular a leitura que possibilita reconhecer o mundo e desenvolver atitudes que influenciará durante a vida adulta, com confiança, respeito mútuo e compreensão, mantendo o contato periódico com os professores para ter conhecimento constante do processo educativo. Segundo BENVIDES (1996, p.5): os pais devem interagir não somente em reuniões, festa e outros eventos promovidos na escola, mas estar presente na própria ação educacional e na vida escolar dos filhos é de suma importância para o desempenho e acompanhar o processo de desenvolvimento educacional. Quanto maior for a parceria entre escola e a família, mais positiva e significativa serão os resultados da aprendizagem da criança.

Com base na realidade escolar detectamos a necessidade e importância do tema sobre a importância da família na escola. No entanto, trazer como análise a participação dos pais na escola como atuantes dentro do núcleo de ensino a Escola U.E.B Paranã. Dessa forma podemos trabalhar com a família tendo como objetivo fornecer estratégia e metas, visando integrar a família na escola enfatizando como deve ser executado o trabalho de integração. Ressaltando que queremos mostrar que a família deve ser participativa com a instituição escolar, criando vínculos que conduzirá o processo de eficácia na educação dos alunos para alcançá-lo de uma postura de cidadão. Posteriormente visto que a família e a escola são duas instituições que devem andar juntas como um só conjunto, pois não existe educação sem participação da família na escola.

O principal objetivo foi investigar sobre a importância da família no processo de desenvolvimento da aprendizagem na Escola U.E.B Paranã. Enquanto eu os objetivos específicos foram compreender a importância da relação entre família e escola; promover incentivos de diálogo entre filhos, pais e a Escola

15

U.E.B Paranã ;conhecer a participação da família nas atividades escolares e avaliar a qualidade de ensino e aprendizagem.

1.1 Contextos gerais da família na escola

Sabemos que a família é que propicia os aportes afetivos e, sobretudo materiais necessários ao desenvolvimento e bem-estar dos seus componentes. É sabido também que o desempenho escolar individual de cada aluno depende não apenas do seu rendimento em sala de aula e da competência de seus professores, mas também, do apoio da base familiar que o aluno encontra em sua casa. A relação entre família e estudos e, principalmente, a maneira como a família de cada aluno se comporta em relação ao seu desempenho escolar, influencia os resultados obtidos por crianças e adolescentes, independente de classe social. Não basta apenas que os pais se preocupem e estejam presentes nas horas de estudos, eles devem também ter a capacidade de percepção para notar quando seu filho não está se empenhando adequadamente em alguma matéria e buscar soluções: seja ajudando-os a estudar, ou mesmo contratando professores particulares para que estas carências sejam supridas. Segundo Kaloustian (1988), a família é o lugar indispensável para a garantia da sobrevivência e da proteção integral dos filhos e demais membros, independentemente do arranjo familiar ou da forma como vêm se estruturando. O que pretendemos aqui é apontar mais alguns aspectos que parecem ser relevantes para o enfrentamento das dificuldades encontradas no processo de relacionamento entre a família e a escola.

Ao aproximar a escola da vida ou das preocupações profissionais dos pais, e ao proporcionar, reciprocamente, aos pais um interesse pelas coisas da escola, chega-se a uma divisão de responsabilidades [ ] ...

(PIAGET,2007,p.50)

Quando a família e a escola mantêm boas relações, as condições para um melhor aprendizado e desenvolvimento da criança podem ser maximizadas. Assim, pais e professores devem ser estimulados a discutirem e buscarem estratégias conjuntas e específicas ao seu papel, que resultem em novas opções e condições de ajuda mútua.

16

O envolvimento dos pais com a escola é essencial para a aprendizagem de sucesso dos alunos. Não basta que os pais saibam que o filho vai a todas as aulas e realiza as tarefas, eles precisam ter interesse no que cada tarefa consiste, e mostrar que estarão ali, apoiando a criança, independente de seu desempenho. Estas instituições, assim como toda instituição, têm passado por profundas transformações ao longo da história. Mudanças sociais, culturais, políticas e econômicas ocorridas em função da globalização acabam por interferir na estrutura e na dinâmica escolar, de forma que a família, em vista das circunstâncias vem transferindo para a escola a tarefa de educar que deveria ser sua. Os pais devem participar ativamente da educação de seus filhos, tanto em casa quanto na escola, e devem envolver-se nas tomadas de decisão e em atividades voluntárias, sejam esporádicas ou permanentes, dependendo de sua disponibilidade. No entanto, cada escola, em conjunto com os pais, deve encontrar formas peculiares de relacionamento que sejam compatíveis com a realidade de pais, professores, alunos e direção, a fim de tornar este espaço físico e psicológico um fator de crescimento e de real envolvimento entre todos os segmentos. Atualmente a educação fundamental é um direito de todos. É importante que a escola faça um trabalho de orientação aos familiares e de toda comunidade. Apesar de a escola ser insubstituível na educação, formação profissional e socialização da criança, por toda sua variedade de ideias e suas diferenças de crenças, culturas e de condições sociais, se torna um espaço de muitos conflitos. É por isso que o diálogo, a compreensão, o compromisso são elementos indispensáveis para que se consiga terra fértil.

O saudoso educador Paulo Freire certa vez proferiu que “não há educação sem amor”. Sabiamente ele foi ao âmago de tudo, pois educar sem amor pode resultar em mero ganha pão, em um simples contar de hora-aula ou em uma assinatura de folha de ponto apenas. (SANTANA 2007, p.1).

A difícil tarefa de educar não cabe a todos, pois se sabe que toda e qualquer profissão exige não só dedicação e profissionalismo, como também amor na arte de fazê-la. Pensando como Freire, educar sem amor pode se

17

resultar em mero ganha pão. As dificuldades sofridas não só pelos pais como também pelos professores pode resultar em um alto nível de estresse de ambas as partes, o que acaba por afetar também o desenvolvimento da criança. Falta diálogo no ambiente familiar, falta amizade, afetividade e, consequentemente, falta respeito. As consequências da ausência dos pais na vida de seus filhos são muitas. O papel de educar passa a ser da escola, das ruas, da televisão e internet, onde, sem monitoramento algum, filhos fazem o que querem e assistem programas que influenciam negativamente em suas vidas.

A interação entre a família e a escola é necessária para que ambas conheçam suas realidades e suas limitações e busquem caminhos que permitam facilitar o entrosamento entre si, para o sucesso educacional do filho/aluno.

e toda pessoa tem direito à educação, é evidente que os pais também possuem o direito de serem senão educados, ao menos,

[

...

]

informados no tocante à melhor educação a ser proporcionada a seus filhos. (PIAGET, 2007, p. 50)

Uma boa relação entre a família e a Escola deve estar presente em qualquer trabalho educativo que tenha como principal alvo o aluno. A escola deve também, exercer sua função educativa junto aos pais, discutindo, informando, orientando sobre os mais variados assuntos, para que em reciprocidade, a família e a escola possam proporcionar um bom desempenho escolar e social às crianças. Sendo assim, pode-se afirmar que a família é fundamental na formação cultural e social de qualquer indivíduo visto que, todos fazem parte da mais velha das instituições, que é a família. Porém, ao tratarmos da família em sua relação com a escola faz-se necessário um estudo sobre o panorama familiar atual, não esquecendo que a família através dos tempos vem passando por um profundo processo de transformação. É por esta razão que o presente texto tem por finalidade apresentar uma metodologia de pesquisa e intervenção voltada para o fortalecimento dos laços de aproximação entre escola e família, que crie uma atmosfera para o

18

fortalecimento do desenvolvimento e a aprendizagem das crianças nesses dois ambientes sociais e educacionais.

Na problematização buscamos como analise da dificuldade da relação familiar e Escola U.E.B Paranã como parceira no ensino/aprendizagem.

Contudo, retratando a discussão da problemática do contexto sócio político e econômico, que está a cerca do conhecimento de vida de cada aluno para que possamos adequar, a cada realidade na vida escolar dos alunos, possibilitando conhecer a comunidade no seu contexto de vida ou costumes e valores culturais de sua família, trazendo diferença ou semelhanças existentes entre instituição e família.

Ressalta-se a falta de interesse dos pais nas atividades escolar do aluno, traz a questão da falta de diálogo entre família e instituição.

Como hipótese procuramos buscar a participação da família na escola possibilita o melhor desempenho na aprendizagem dos alunos.

19

  • 2. A INTERAÇÃO FAMÍLIA E ESCOLA

A participação da família no processo de ensino e aprendizagem a muito tempo vem sendo discutido por muitos teóricos, com a finalidade de apontar os benefícios da integração da família na escola.

A

escola

e

família

são

de

suma

importância

no

processo

de

aprendizagem da criança, por serem as duas esferas que tem o papel de

desenvolver a socialização, a harmonia, aprendizagem da criança.

No ambiente familiar e escola realidade de vida, seja cultural ou social.

é

que

a

criança

desenvolve a sua

Os encontros entre família e escola são fundamentais para garantir a sinergia do trabalho da escola. Pois educar depende de uma relação mais ampla entre os pais dos alunos e os professores do que a prevista em uma mera prestação de serviços.

Parcerias remede colaboração, diálogo, discussão aberta, são aspectos decisivos para o encontro desta relação de interação.

Escola e Família têm os mesmos objetivos, promover o desenvolvimento infantil em todos os aspectos e ter sucesso na aprendizagem.

As escolas que

conseguem tornar os pais parceiros diminuem os

problemas e melhoram o rendimento das turmas de forma significativa.

A

escola

precisa

proporcionar

caminhos

que

favoreça

o

acompanhamento da família, somente assim atingirá os seus objetivos de educar.

20

A escola em evidência nos proporcionará conhecer vários fatores que

contribuirão

com

o papel

da família

na

escola e vice versa. Diante destes

fatores, tornar parceira que instituir um caráter global no processo ensino e aprendizagem.

Os dois públicos alvos precisam assumir a responsabilidade, elas são componentes fundamentais para uma educação democrática.

Cabe aos profissionais da educação dá um primeiro passo para parceria da escola e família acontecer de forma efetiva.

A família e escola tem um caráter educativo que trouxe consigo uma instrumentação de remodelação da ordem política social.

Com a evolução da educação e transformação econômica social, cultural, política e ideológica que reflete na definição rumo da educação uma relação social entre pais e professores com propósitos de participação da família na escola, com objetivo de melhorar a qualidade da educação.

Segundo GADOTTI (1993, p.17) a família e a escola são destinadas ao cuidado e educação, pois são as principais instituições voltadas para o ensino. É neste sentido que pode afirmar que na parceria da família interagindo com a escola busca de convívio social que permite despertar o cognitivo. Portanto, isso estabelece conscientização madura da criança resgatada, o fortalecimento da autoestima estimulando as habilidades, criatividade e espontaneidade que contribui na formação do caráter dos educando.

Vasconcellos (1989, p.128) relata a primeira grande dificuldade definir tipo envolvimento que devem acontecer entre as duas instituições, esse tipo de ensino e aprendizagem da criança. Desse modo que fica evidente no envolvimento da família na escola, que implica elaboração de propostas e projetos de atividades extracurriculares nas reuniões interativas e dinâmicas, com participação, sugestões e estratégias. Pois a influencia da família de maneira favorável nos resultados da aprendizagem.

Na melhoria do desempenho escolar e qualidade educacional a parceria escola e família são vista como parte integrante no processo ensino

21

aprendizagem. (PAROLIN (2007, p.36): compreende que a família e a escola formam uma equipe fundamental, que ambas sigam os mesmos princípios e critérios, existem em diversas contribuições que tanto a família e a escola podem oferecer propiciando o desenvolvimento dos seus filhos.

Na educação de qualidade é preciso ter em mente que a família esteja presente na vida escolar de todos os alunos e em todos os sentidos.

É fundamental que a família se envolva no contexto de vida escolar do aluno, pois incentiva o interesse da curiosidade na aprendizagem o acompanhamento valoriza o desempenho das atividades, desta forma será possível orientar na busca do sucesso. O acompanhamento frequente dos pais ajuda a fortalecer a compreensão da aprendizagem desenvolvida na escola, modificando os novos conhecimentos adquiridos no dia a dia.

Segundo

TIBA

(2002),

muitos

pais

culpam

a

escola

pelo

mau

comportamento em casa, dando a entender que quem educa é a escola.

Esta realidade vem sendo inadequada pela família a muito tempo, cabe aos pais a formação do caráter, da autoestima da criança, se cada um cumprir seu papel haverá uma diminuição de sobrecarga da família e da escola. Mas para isso não devemos esquecer que é preciso orientar a criança da função que cada um obtém na vida dela. Desta forma ajudará para seus conflitos.

TIBA (2002) entende que se a união entre família e instituição de ensino for firmada desde o inicio da vida escolar da criança, todos irão ganhar. Pois o envolvimento dos pais contribuirá no fortalecer do rendimento do aluno na escola,. Favorecendo no encorajamento do aluno nas tarefas e nas atividades extracurriculares desenvolvidas, fortalecendo a formação da maturação do conhecimento da criança.

Concordando com as concepções de TIBA (2002), PAROLIN (2003) coloca a família e escola como “Instituições Parceiras”.

De acordo com esta afirmação, a educação é responsabilidade da escola e da família numa parceria que busca a participação efetiva dos pais no

22

processo de ensino aprendizagem, a escola poderá desenvolver papel pedagógico mais eficaz para os alunos.

NOGUEIRA (1999) completa que a relação entre escola e família tem se resumido à comunicação de notas e frequência escolar, e resultados de aprendizagem com a solicitação de ajuda para resolver problemas disciplinares e financeiros, relação esta que normalmente não inclui o respeito e reconhecimento dos pais como educadores responsáveis por seus filhos.

A família

se

diz

parceira

da

escola,

mas só

se preocupa com

o

rendimento do filho quando precisa de nota ou critica professores exigentes, nos pagamentos em dia da escola, mas não se preocupa com acompanhamento de sua aprendizagem desenvolvida na escola, é obrigação da família ajudá-los, colhê-los e orienta-los para enfrentar etapas da vida.

Voltando ao comentário de PAROLIN (2003), anteriormente citado, escola e família são instituições independentes, porém nunca isoladas, e de atuação obrigatoriamente conjunta.

Portanto independente de cada uma ter função de educar diferente, mas ambas devem andar de mãos dadas neste relacionamento entre família e escola, porque têm o mesmo objetivo comum, educar o aluno para ingressar no meio social.

A justificativa do trabalho foi O tema foi escolhido com base no que está sendo vivenciado nas ultimas décadas. A presente pesquisa tem como objetivo colaborar com a discussão e reflexão sobre a interação da família com a escola na educação infantil. Onde se tem observado que a integração da família na escola é de suma importância para qualificar a identidade moral da criança.

A família e a escola juntas são de relevante importância. Tendo em vista que ambas sigam os mesmos princípios e critérios, bem como a mesma direção em relação aos objetivos desejados. O ideal seria que a família e a escola traçassem metas simultâneas proporcionando ao aluno uma segurança na aprendizagem, de forma que

23

venham a criar cidadãos críticos capazes de enfrentar as complexas situações que surgem na sociedade. Existem diversas contribuições que tanto a família quanto a escola

podem proporcionar para o perfeito desenvolvimento de seus filhos e alunos. Dentre elas podemos destacar: o estudo de politicas de educação incorporando

a família, como dizem Montandon e Perrenoud (1987, p.7

...

),

"de uma maneira

ou de outra, onipresente ou discreta, agradável ou ameaçadora, a escola faz

parte da vida cotidiana de cada família".

A família tem um papel extremamente importante na construção do sucesso ou do fracasso escolar, à medida que funciona como um grupo afetivo responsável por grande parte da formação cultural e do estabelecimento dos projetos de vida e identidade dos alunos. Para que ocorra o desenvolvimento global do educando, é importante que escola e pais trabalhem em harmonia. É fato: quando os pais participam da vida escolar dos filhos, estes aprendem mais e melhor. O principal objetivo foi analisar a importância da integração entre escola e família no processo de aprendizagem na Educação Infantil e os específicos foram conhecer a relação família, escola e seus resultados na formação do caráter da criança; pesquisar como o trabalho em conjunto da escola e família beneficiam os alunos; dotar a família de conhecimentos teórico-práticos capazes de subsidiar o acompanhamento escolar do aluno; investigar como os autores relatam a influencia e a contribuição desta parceria durante a jornada de aprendizagem do aluno; estimular a família a acompanhar o desenvolvimento da aprendizagem do aluno.

2.1 Família e a difícil Arte de Educar

Na existência humana configura a família como referencia circunstancial que pressupõe um solo firme de conhecimentos e como matriz que nutre, orienta o agir do individuo.

Atualmente a sociedade vive uma crise de valores éticos e morais que exige uma maior integração participativa da família na escola para alcançar

24

melhor

qualidade

no

trabalho

pedagógico,

promovendo

o

ensino

e

aprendizagem.

 

A família desempenha um papel importante, primordial na transmissão de culturas e valores, é nela que o individuo recebe a primeira educação que chamamos conhecimento popular ou senso comum.

Portanto, a família não é um simples fenômeno natural, ela é uma instituição social variando através da história e apresentando até formas e finalidades diversas numa mesma época e lugar, conforme o grupo social que esteja sendo observado (Prado 2009, p.12). De acordo com esta afirmação a família é considerada primeiro grupo educacional mais importante na vida da criança, pois é a primeira instituição que transmite convívio social, educacional, valores, afetividade, carinho, ética, é neste momento que a criança constrói sua personalidade.

Essa grande mudança da sociedade ao longo do tempo na atualidade histórica cultural e econômica configura:

Segundo o dicionário Aurélio (2001), a família é conceituada como grupo de pessoas aparentadas do mesmo sangue e origem, que vivem na mesma casa, particularmente o pai, a mãe e os filhos.

Atualmente vivenciamos modelos de família diferenciada por conceitos históricos culturais e econômicos, podemos deslumbrar existência variadas de modelos nuclear com pais divorciados, existência de criança adotada por casais solteiros ou homossexuais, relação de avós que assumem a criação da criança e parentes mais próximos que atuam na responsabilidade educacional da criança.

Mas, todos tem somente um objetivo, de almejar uma boa educação para essa criança na integra da sociedade.

A justificativa do trabalho monográfico foi Com base na realidade escolar detectamos a necessidade e importância do tema sobre a importância da família na escola. No entanto, trazer como análise a participação dos pais na escola como atuantes dentro do núcleo de ensino a Escola U.E.B Paranã.

25

Dessa forma podemos trabalhar com a família tendo como objetivo fornecer estratégia e metas, visando integrar a família na escola enfatizando como deve ser executado o trabalho de integração. Ressaltando que queremos mostrar que a família deve ser participativa com a instituição escolar, criando vínculos que conduzirá o processo de eficácia na educação dos alunos para alcançá-lo de uma postura de cidadão. Posteriormente visto que a família e a escola são duas instituições que devem andar juntas como um só conjunto, pois não existe educação sem participação da família na escola. O principal objetivo foi Investigar sobre a importância da família no processo de desenvolvimento da aprendizagem na Escola U.E.B Paranã. Enquanto que os específicos foram compreender a importância da relação entre família e escola; promover incentivos de diálogo entre filhos, pais e a Escola U.E.B Paranã; conhecer a participação da família nas atividades escolares e avaliar a qualidade de ensino e aprendizagem.

A metodologia do trabalho foi realizada mediante a preparação desta

metodologia

aplica-se

a

pesquisa

de

campo

que

busca

descrever as

informações

sobre

a

interação

família

e

escola

no

processo

ensino

e

aprendizagem.

 

É com a pesquisa de campo foi descrever a forma de como ocorre a interação entre a escola e a família.

Foram utilizadas entrevistas para aquisição de levantamentos para possibilitar o conhecimento da participação de gestores, professores, alunos para termos obtenção de dados, informações desejadas.

Quanto aos procedimentos metodológicos a pesquisa foi baseada em pesquisa de campo, qualitativa e quantitativa, usando questionário estruturado, e semiestruturados com perguntas aberta e fechadas.

A Identificação da Escola foi feita na própria escola Municipal U.E.B Paranã é situada na Rua C Paranã I. A unidade de ensino conjunto Paraná, iniciou suas atividades em março de 1993.

Foi construído para ser um Jardim de Infância,

por causa do aumento

da demanda foi ampliado para Ensino Fundamental, constituído hoje de uma

26

instalação composta por salas de aula, 04 banheiros adaptados, 01 biblioteca, 01 sala de professores, secretaria, diretoria, cantina, área de serviço, 01 pátio coberto e 01 quadra esportiva, cozinha industrial para atender os 560 alunos matriculados no ensino fundamental (280 no turno da manhã 2 280 a tarde) e 100 matriculados na educação infantil (50 no matutino e 50 no vespertino).

Hoje é uma escola bem estruturada onde já passou por várias reformas na estrutura física e o número de aluno triplicou, funcionando assim do 1º ao 9º ano. Assim aumentando o quadro de funcionários com participação de voluntários da comunidade.

Nesta unidade de ensino a maioria de educando que estão matriculados é de baixa renda e são da comunidade ou adjacência, a grande dificuldade da instituição é trazer a família para dentro do processo educacional da escola.

A maioria dos pais não tem o ensino completo e têm dificuldades de acompanhar as atividades dos filhos, ou então trabalham de segunda a sexta, e ficam sem tempo para acompanhar as tarefas dos filhos, conduzindo a responsabilidade para a escola.

Foi avaliada o universo amostral com base nos dados obtidos por meio dos questionários aplicados para pais, professores e gestores. São tabuladas as informações e transformadas em tabelas de análise qualitativa e quantitativa.

Com relação ao instrumento de coleta de dados foi feito estudo de pesquisa e coleta de dados que foi aplicada sob a observação, questionários e entrevistas aplicadas aos gestores, professores, pais, alunos e demais funcionários do Instituto Educacional Presbiteriano, em Paço do Lumiar – Ma.

Nas análises e discussão dos dados foram diagnosticados que a maioria dos pais não tem o ensino completo e têm dificuldades de acompanhar as atividades dos filhos, ou então trabalham de segunda a sexta, e ficam sem tempo para acompanhar as tarefas dos filhos, conduzindo a responsabilidade para a escola.

Constatamos

que

na

unidade

de

ensino

estudado

a

maioria

de

educando que estão matriculados é de baixa renda e são da comunidade ou

27

adjacência, a grande dificuldade da instituição é trazer a família para dentro do processo educacional da escola.

Segundo Prado (1981) “A família influencia positivamente quando transmite afetividade, apoio e solidariedade e negativamente quando impõe normas através de leis de Usos e dos Costumes”.

Visando isto, encontramos a necessidade de elaborar uma intervenção que busque auxiliar a família nesse processo de integração para dentro da instituição.

Para realizarmos essa proposta tivemos que executar juntos, com os docentes e colaboradores da escola um questionário para analisar qual meta e estratégia teríamos que conduzir em busca do desenvolvimento do trabalho almejado.

Desta forma para o desenvolvimento da pesquisa nós escolhemos a turma do 1º ano por ser uma turma que está no ciclo da alfabetização e necessita de maior apoio da família. Para isso tivemos que relacionar alguns pais e educadores para responderem um questionário com 10 questões referentes a acompanhamento por parte de educadores e família no processo educacional.

  • 3. O PAPEL DA FAMÍLIA NO DESENVOLVIMENTO DO EDUCANDO

A família é compreendida como instituição social, embora tenha conflitos que influencia no caráter pessoal no contexto família.

Explicita na experiência contexto família, primeira priorizem vivencia que aprende harmonizar diferentes ambientes independente das normas que emerge na família e na escola inerente sua realidade na sociedade, de acordo PRADO (1981).

28

Ressaltar que a família promove mais importância e responsabilidade por estar eventualmente em contato na fase de formação e desenvolvimento da personalidade. Refletindo nessa temática por isso não deve transmitir as responsabilidades da família para outra instituição que a escola tem deve transcender a continuidade ao processo condicionado pela família quando isso não acontece implica mudança eventualmente transforma em um adulto frustrado, autoestima baixa e agressiva.

Segundo PRADO (1981) influencia exercida pela família pragmática positivamente atingir diversão permitem alcançar o resultado do pretendido permitam integrar transmitido afetividade, apoio e solidariedade atua negativamente quando impõe normas ressaltado leis de usos e do costume obviamente no eixo família criança aprende socializar, dividir, compartilhar e convive em grupo. A função da família tem finalidade da autonomia atingida os valores e padrões culturais, se assegura acesso ao conhecimento, segundo OLIVEIRA (1993, p.92).Não importa circunstancias nas quais vive a criança não deve transferir a responsabilidade dos familiares e para a escola esse processo ajuda o desenvolvimento pessoal da criança.

Pretendo tratar esta transferência de responsabilidade irá reforçar distanciamento impedir que a criança vivencie experiência afetiva no âmbito familiar, importante na construção identidade. Portanto, pretendo possibilita um trabalho que envolve duas instituições, a família e a escola atua no sentido da construção identidade no desenvolvimento da formação do individuo com mesmo objetivo. Se a família utilizar o seu papel referindo se atuação de ser responsável pelo sujeito desenvolve o seu funcionamento no lar a conscientização educacional reforça o ensino, orientar, ama e valorizar a si próprio proporciona potencialidade efetivação da ação.

Assume e cumpre seu compromisso a família posiciona nova realidade, a escola não vai ter dificuldade socializar e adaptar nova incorporação. Cabe a escola integrem a criança no colhimento vinculado a responsabilidade, afeto e a dedicação a partir daí a escola concretiza e dá continuidade ao processo efetuado pela família imprime uma nova visão de mundo.

29

Aspecto crucial da crise de limite na escola porque no caso não atua o respeito ao próximo trabalho dinâmico na escola fica limitado. Entende que é necessário a escola reinstituir aquilo significante para criança trás de casa. É claro que mudança no quadro valores da sociedade apontado nosso filho mas temos esperança que família colabore para produção de consciente atribuir para o futuro da humanidade de acordo CURY (2003).

Vivemos em termos de transições realização mudança de paradigmática substancial exige todos os membros da família trabalha fora portanto a maioria comandada somente por mãe encontra uma consequência de casal separado por isso essa mãe não tem condição de acompanhar o processo de aprendizagem do filho.

Partindo de tal concepção esses fatores influencia desempenho do aluno. Pode-se dizer a mãe sobrecarregada limitada não desempenha o seu papel de mãe.

A família no seu diverso níveis estruturas estão desestruturada tem o parâmetro condicional diferente outra família nuclear burguês deve se revestir de um caráter estático unir família e a escola segundo SZYMANSKI (2001).

Referindo nesse fato que deve unir família e a escola possa efetivar no sujeito o processo educacional. Toda dificuldade dos pais é preciso um olhar atento sobre deve impor sua nova decisão sobre seu filho.

Educando necessita da família que servir rotulação e entendimento possa ser capaz ultrapassar competitividade na sociedade e forte raiz, ela precisa de apoio da escola para continua intensifica pressuposto conduzido ambiente estável. A parceria da família importante na vida escolar conduzir diferente forma de ser e de pensar no comportamento, atitudes e na organização no desempenho da aprendizagem tem influencia negativa que contribui mal consistência para produção do saber acontece conflito toda partes engloba a criança.

3.1 Os limites e possibilidades da interferência dos pais na vida escolar

30

Portanto quando se comunica aos pais sobre o nível comportamento e o desenvolvimento intelectual não corresponde a perspectiva do educando e obter o apoio dos pais buscando a família participação com construção ética, consciente necessária presente no exercício da cidadania solicita um acompanhamento dos pais na pratica cotidiana com deveres de casa não suficiente para atribuir o apoio que o educador premissa necessário para qualquer formação de cidadão precisa uma escola e responsável.

Levanta uma discussão reflete sobre dificuldade escolar trata-se problema de comportamento em classe e na do recreio não respeita o professor, colega, são agressivos dificuldade em permanecer na classe durante o período de aula esse problema relacionado ao comportamento possibilita baixo rendimento escolar da criança acaba prejudicada.

Esse processo de desenvolvimento da educação haveria de obter sua maior pureza se esse resultado fosse cumprido a carga horária a próxima gestão, os professores e pais unir formas e estratégias para falta de professores por alguns motivos atraso constante lançado atividades pedagógicas e recreativa com auxilio de professores voluntários envolvendo artes, pintura, artesanato, aula de passeio, feira cultural, grupo de dança.

Constatamos a crise familiar relatar as crianças para o professor e colegas isso procede quando chega em casa relata para os pais da agressão do colega ou professores são primeiro relata gestão escola ou Semed no Conselho Tutelar ou ministério público, também acontece denuncia dos educadores de seus filhos a esse mesmo sistema punição partindo do pressuposto predomina.

Ressaltamos sobre o processo de emoções reconstruir o objetivo visam caminho confiável para saltarmos para nosso sentimento intencionalizado sem causar danos nem a nós nem aos outros, aceitaremos critérios deve constituir a base do respeito mútuo.

Visam zelar pela qualidade de ensino as situações conflito e a utilização e as necessidades de materiais são indispensáveis. Algumas datas comemorativas dia do índio, páscoa, dia das mães, dia da criança, natal. No

31

município de Paço do Lumiar-Ma, mesmo Semed não distribui material, não solicita ajuda do responsável.

A realização toda atividade humana viabilizar uma educação requer dificuldade inicia quando a criança não tem hábito de acordo PARREIRA (2002,

p.19).

As questões do dinheiro do PDDE termos de ações não são utilidade sendo suficiente para suprir as necessidades da escola, não pode solicitar ajuda financeira da comunidade por ser escola pública e gratuita predomina gasto em cima professores ou gestão escolar e realidade vida lógica pedagógica ganha pouco trabalha muito.

A partir da idade moderna iniciou-se toda uma nova reflexão forma como a família atualmente encontra-se estruturada. Tendo o conhecimento da família tradicional, pai, mãe e filhos e raro novo principio atual e contexto família fundamenta insegurança, abandono sofre consequências dessa crise.

Portanto a sociedade exigir por diferente motivo que pai e mãe precisam ter posição, mas competitivo no mercado de trabalho, antigamente predomina funções exercidas pela mãe dentro da família cuidar dos filhos e o pai trabalhando para oferecer conforto. Hoje é diferente, os dois trabalham, não tendo tempo para os filhos, e se encontram somente a noite, por isso não há vínculo entre os pais e ocorre os conflitos.

Visando qualidade na educação, não se pode deixar de incluir a família junto a escola com interação de desacertos, acertos, durante a implementação esteja preparada para enfrentar os desafios. Ação da escola na educação e incompleta quando não houve correlação, atuação da família.

Aponta a complexidade da família e escola precisa que as decisões institucionais para se efetivarem parte da parceria da família e escola se torna um lugar agradável para sua convivência da filho e aluno atinge um objetivo, flui entre o fictício e o real, aproxima a melhoria da qualidade resultado educativo.

32

Para isso começaremos essa parceria entre família e escola enfocando dentro de um diálogo, reunião com conscientização, permite os pais darem sua opinião, citam problemas, proposta de solução almejada oportunidade expressa suas ideias.

  • 4. OS CONFLITOS ENTRE OS PAIS, A GESTÃO ESCOLAR E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS EDUCADORES EM SALA DE AULA: SUPERANDO DIFICULDADES DO COTIDIANO.

Relata que a primeira esfera da pirâmide implica relação professores e programa educativo. Concebida pela prefeitura de forma e desperdício de

33

dinheiro público estão inserido livros selecionado sem participação dos professores ou gestão escolar, manuais, agenda pedagógica retificada no ambiente escolar intensifica a negatividade o fracasso escolar.

Implementação do processo de atividade complementar diferenciada pretende empregar para atender as deficiências de alguns alunos criando estratégias não consegue acompanhar conteúdo adicionado o livro didático uma forma de a escola superar dificuldades a partir alternativas desenvolvendo cooperação, envolve serviço de formação de professores, universidade, serviço de saúde, ampliar o entendimento sobre a realidade para os pais hábitos e comportamento esperado pela escola buscando completa com programa para os pais possa acompanhar o processo aprendizagem enfoque o conhecimento mútuo e o desenvolvimento de estratégias educativas (SEYMANSKI 2003).

Pautamos sobre a situação preocupante que educadores não participar de nenhuma formação continuada oferecida pela Semed prevalece apenas orientação em classe (raríssima) interpretada pelo técnico Semed com planejamento mensal que não são funcionários do sistema e justamente não participaram a eleboração de programa apresentado pelo município direcionado aos educadores.

A interpretação e tomada de decisão em torno duas reações por parte da gestão escolar e da SEMED principio reação tentativa de implantação contingente adequação às heterogeneidade de turma segunda reação incidem no encaminhamento exigência e a pressão psicológica da Semed requer bom resultado junto às avaliações do MEC, alguns deles em dois anos de funcionamento nunca foram informados ao IDBE.

Por outro lado, intenciona uma aproximação maior do interesse político inserido com interesses pessoais de uma gestão educação frisa deixa depois não tem prioridade passou a ser consequência. A realidade é marcada pelo estado crítico de todo discurso legitimador baseado na união operativa do conhecimento cientifico acumulado e a ação do estado como grande cérebro administrador do público político se ocupam da questão.

34

Pressupõe a consciência do educador na questão disciplinar mesmo sendo profissional aplicar o seu comprometimento ausência de limites da criança informado para os pais a sua autoridade fica desequilibrada pela falta de combinado na turma e de mural informativo contendo regras e normas pela escola para conduzir as crianças e pais junto a vida escolar.

A escola para conseguirmos uma prática pedagógica diversificada coerente e consistente precisa e deve termos clareza no acontece no espaço de sua responsabilidade se na sala de aula ou no pátio o aluno se comporta de modo agressivo, inadequado, indisciplinado tem que ser resolvido na escola.

A terceira esfera trata-se o lugar privilegiado de conforto e assistência educativa dada pela escola e apoio dado pelos pais que não orientam as atividades de casa. Essa tarefa de casa é um treino de responsabilidade proporciona situação na qual a própria criança passa executá-las. Portanto já que pais nem sempre tem conhecimento suficiente.

Percebemos que pais não supervisionam se a criança ausência de caderno, lápis para escola todas as duas cuidado do material escolar.

Consideramos que a criança na fase escolar precisa da participação dos pais na escola não só quando há necessidade sócia educativa dos apresentados, mas também nas atividades cotidianas.

A educação centrada nas aprendizagens significativa rumo à cidadania e a heterogeneidade real a criança se sente interessada a participar da rotina da escola, com incentivo, encorajamento, sem críticas nem ameaças que possa traumatizá-las ou inibi-las que criança saberá que tem motivação dos pais que garante consistência dos saberes.

4.1 As formas familiares de investimentos pedagógicos na escola U.E.B Paranã

35

Além disso, surge baseada ideias de missão cultural argumenta sobre organização desejada alguns membros de uma família buscando a perfeição do futuro utilizado uma prática sociais que proporciona possibilidades de mudança, estilo de vida mediante acompanhamento pedagógico e circunstanciais vivido pelas condições de limites fato de serem distintas a possibilidade do terma indissociável aos comportamento diante modo de ser vive e pré estabelecido pela sociedade.

Atualmente financiar curso, palestras, exibições de filmes, exposição pedagógica ajuda impor na comunidade a compreender uma complicadíssima rede de parentes colaterais, consequentemente alguns sem nenhum parentesco real que interfere nas relações educativas e convívio social.

O projeto moderno na escola pública tem uma contribuição anual do MEC através do Plano de Desenvolvimento da Educação – PDE com o apoio de programas com mais educação, uma dinâmica sócio pedagógico que usa a mudança qualitativa no educando incentiva a administração do investimento escolar pelo conselho escolar e pela organização da gestão educativa com apoio pedagógico da Secretaria de Educação (municipal e estadual) independente das formas familiares que diferencia pelas condições sócias econômicas pela natureza ética requisito faz parte das inter-relações pessoais no ambiente escolar.

Considerando que a educação necessária um referencial no conceito valores que norteia ações interpessoais constrói em seus saberes e sua competência através orientação prática de linguagem e comportamento próprio das relações sociais. Segundo diz LAHINE (2008) assim os educando que precisam de atendimento diferenciado os casos de solicitação do aluno no universo escolar pouco interiorizam através da estrutura de coexistência familiar possibilita enfrentar as regras do jogo escolar processo sistemático de acompanhamento da evolução cognitiva afetiva e psicomotora do aluno próprio da escola forma de relações sociais.

36

Com intuito de analisar a importância da família na escola, observamos o ponto de vista da família e do corpo docente da escola U.E.B Paranã em relação a fatores relacionados como o processo de aprendizagem. O resultado do referido questionário elaborado pelos professores, foi feito com 06 (seis) perguntas, sendo fichada e descritiva.

TABELA 01. Nível de observação dos professores para com seus alunos do 1º ano do ensino fundamental da escola U.E.B Paranã – município de Paço do Lumiar – MA.

Perguntas/professores

Sim

Não

  • 1. Você acha necessário para o aprendizado do aluno a participação da família na escola?

2

0

  • 2. Você conhece a vida social de seus alunos?

2

1

  • 3. Você conhece os pais e mães de seus alunos

2

0

  • 4. Você faz analise prévio para detectar deficiências visuais, auditiva ou psíquica nos seus alunos?

1

1

  • 5. Você consegue ter acompanhamento dos pais dos seus alunos?

1

1

  • 6. De que forma os pais podem contribuir com o desenvolvimento na aprendizagem dos alunos

0

0

Total

8

3

A tabela 01 mostra que 15% dos professores os pais podem contribuir no desenvolvimento da aprendizagem do aluno através do acompanhamento de tarefas escolar, tendo hábito de observar os materiais escolares e sempre que possível o ajude nas lições de casa, procurar saber o que aprendeu e como se relaciona socialmente na turma. Este instrumento de coleta de dados foi executado 16 perguntas direcionadas aos pais de alunos, e foi possível perceber já na primeira resposta realizada que os pais dizem que acompanham o desenvolvimento da aprendizagem dos seus filhos na escola.

TABELA 02. Nível de observação dos pais para com seus filhos da escola U.E.B Paranã – Município de Paço do Lumiar – MA

37

 

Pais

 

Sim

Não

Regular

Bom

Muito

Excelente

Total

1.

Você já participou de alguma atividade?

 

20

03

0

0

0

0

23

2.

A escola já te convocou para participar de alguma

 

ação na escola. Porque?

 

09

14

0

0

0

0

23

3.

Você

acha

importante

a

sua

participação

na

escola?

23

0

0

0

0

0

23

4.

Você conhece o funcionamento da escola do seu

 

filho?

16

07

0

0

0

0

23

5.

Você conhece os componentes do colegiado da

 

sua escola?

 

10

13

0

0

0

0

23

6.

Você gostaria que a direção da escola fosse

diferente e administrasse melhor a escola onde seu filho

estuda?

09

14

0

0

0

0

23

7.

Qual o nível de conhecimento dos professores da

 

escola a qual o seu filho estuda?

 

0

0

4

10

7

2

23

8.

A

escola

de

seu

filho

tem

biblioteca

em

funcionamento?

 

18

05

0

0

0

0

23

9.

A sua escola marca reunião com

os

pais dos

 

alunos com frequência?

 

20

03

0

0

0

0

23

10.

Você acha

importante a merenda escolar no

 

aprendizado dos alunos?

 

23

0

0

0

0

0

23

11.

Você conhece a metodologia de ensino aplicada

 

na escola do seu filho?

 

09

14

0

0

0

0

23

12.

Você já participou de algum trabalho voluntário

 

na higienização da escola do seu filho?

 

01

22

0

0

0

0

23

13.

Na

escola

de

seu filho

tem

o projeto

político

 

pedagógico PPP?

 

05

18

0

0

0

0

23

14.

Você

participou

de

algum

projeto

de

planejamento na escola do seu filho?

 

03

20

0

0

0

0

23

15.

Como

funciona

os

comunicados

de

reuniões

 

entre pais, alunos e professores?

 

0

0

0

0

0

0

0

16.

A

escola

que

seu

filho

estuda

funciona

em

perfeita condições para educação de qualidade?

 

21

2

0

0

0

0

0

TOTAL

186

135

4

10

7

2

368

Conforme o resultado respondido pelos pais dos alunos sobre a forma que a escola informa das reuniões e suas atividades 60% afirma que o aluno entrega o bilhete informativo Tabela 02.

TABELA 03. Nível de concepção de conhecimento do gestor sobre os pais e alunos da escola U.E.B Paranã – município de Paço do Lumiar – MA

Perguntas/gestor

Sim

Não

38

  • 1. Você conhece o perfil dos alunos matriculados nesta escola?

02

0

  • 2. O que você faz para atrair os pais para interagir com a escola?

02

0

  • 3. Você como gestor atuante trabalhou para melhorar a eficácia do ensino,

interação dos pais, alunos e professores?

02

0

  • 4. Você usou método utilizado para melhorar fracassos escolares?

02

0

  • 5. Você trabalhou dentro do projeto político pedagógico da escola?

02

0

TOTAL

10

0

Já na tabela 03 mostra que os gestores também participaram do questionário demonstrado que conhece 100% do perfil dos alunos matriculados. A primeira condição para atrair os pais era interação com a escola, realizar palestras para orientar os pais com relação a problemas de interesse deles na educação de seus filhos e na prevenção de problemas frequentes entre alunos. Afirma a gestão é 100% democrática, são aplicadas com ação educativa na administração da escola, configura-se efetivação com ações sempre orientada por escolhas, prioridades, vínculos, compromissos, uma luta política, e portanto, deve envolver todos os segmentos na busca da ruptura estabelecido canais de articulação compreensão, profundidade dos problemas postos. A gestão busca a garantia da democratização de acesso para melhor qualidade ensino e aprendizagem fundamentado no conselho de classe, rediscutir a organização do trabalho no interior da escola, autonomia estabelecendo canais de articulação. Em relação ao gestor os métodos utilizados para melhorar fracasso escolar, ajustamento que promover medida concreta de incentivo e apoio à constituição de parceria sócio-educativa que são reuniões com maior frequência entre pais, filhos e a equipe escolar, palestras e oficina que são atividades integradora através de múltiplas parcerias de natureza sócio- educativa. Conforme resposta da gestão, constatei mecanismos de controle com ação de intencional com compromisso sociopolítico, prova uma construção coletiva de um projeto político pedagógico capaz de atender de um lado às necessidades do aluno e de outra formação do educando como cidadão. Perante os resultados da maioria dos participantes, foi possível diagnosticar

39

que mesmo considerando importante a participação da família no processo de ensino aprendizagem expectativas que a escola tem para com a família, em relação entre o acompanhamento realizado pelos pais e desempenho escolar de seus filhos, compreender as razões pelas quais alguns pais não acompanham a vida escolar de seus filhos e caracterizar o desempenho escolar desses estudantes. Conforme a entrevista com questionário feito com professores, afirma-se que é necessário fortalecerem a ideia de que a presença dos pais na escola é de grande relevância e isso é notório, alunos mais comportados, com tarefas de casa cumpridas, cadernos organizados, desenvolvimento mais eficaz em todas as disciplinas e maior interesse pelas atividades desenvolvidas na escola. Elas se queixam que os pais não se interessam pelas atividades desenvolvidas na escola e educação dos seus filhos, atribuindo a esta toda a responsabilidade que lhes compete. Quanto a questão se os professores conhecem os pais de seus alunos, 75% dos docentes só conhecem alguns dos pais, realidade esta que só vem dificultar o trabalho docente, uma vez que a participação familiar contribui de forma positiva ao bom rendimento escolar dos alunos que da instituição fazem parte.

A família

participa ativamente da vida escolar do filho, ocorrerá

benefícios ao aluno, professores, sendo que para o discente terá uma aprendizagem significativa, além de desenvolver um ótimo trabalho, melhorando sua autoestima enquanto professora. É importante esse reconhecimento do professor com os pais, fortalece a união e enriquece o processo educativo da criança, pois o acompanhamento será mais significativo. De acordo com os dados levantados evidenciamos que 23% dos pais acham importante a sua participação na escola, pois é importante a interação da escola com a família e vice-versa. Na prática essa parceria ainda está muito distante da participação esperada. Os pais por sua vez alegam falta de tempo, dizem não ter um conhecimento necessário para participarem das reuniões e não se sentem muito a vontade no que dialogam na reunião.

40

Os pais devem compreender que mesmo a escola fazendo a sua parte, criando situações lúdicas que viabilizem ainda mais o acesso deles à escola de nada adiantará se não tiver a sua presença ativa no processo de aprendizado do seu filho. Nesse contexto, os pais devem compreender que sua relação com a escola é indispensável para o desenvolvimento do seu filho em todos os aspectos, aprendizagem, sociabilidade, comportamento e disciplina. Como já vimos, há uma série de fatores que podem influenciar a família a conhecer a necessidade de seus filhos, fracasso escolar, solucionar a situação tem que ter atitude e competência de gerenciamento de acordo elemento derivam essa deficiência e sua potencialidade. Este planejamento pode efetivo se o profissional desenvolva e reforça uma relação interpessoal saudável e respeitosa para segurar a eficiência e alcançar esse objetivo, enfatiza a verdadeira aprendizagem significativa de acordo com LÓPEZ (2002). Menciona CESAR (2009) que família tem um significado global que desenvolve o cognitivo, moral e afetivo, ela cria e educa no contexto família, permite uma segmentação e consolidação na construção de uma existência própria. De acordo com análise que fizemos compreendemos que a família se apropria de pilares básicos, nele encontra espaço, convivência, histórica, simbólica, tem disfunção de valores, possibilita adquirir habilidade que progride formações pessoais. Contudo a família concentra na construção social da realidade através da afetividade os membros processa o seu significado. A família e escola configura uma interação que não tem vinculo, nem competência e reconhece seu potencial e não funcional seu instrumento autônomo sem senso, isso cria ambiente ansioso, agressiva sem motivação, não segura uma participação ambiente escolar, segundo BRORUCHAVIT ET. AL. (2004, p.209) Segundo VYGOTSKY (apud. Oliveira, 2005) aponta o homem com capacidade perceber, pensar, racionar, abstrair ainda tem sentimento emocional que são o desejo, imaginação e sua sensibilidade com isso pressupõe que professor conhece cada aluno rigorosamente respeitando sua particularidade, individualidade para Possibilitar uma aprendizagem eficaz. O educador tem que saber administrar o conflito emocional empregado pelo aluno que trouxeram consigo o seu mundo interno, relatos são de acordo com nossa pesquisa.

41

No entanto é preciso levar em consideração a relação de amizade efetuada na escola, além disso, a instituição oferece o fator proteção se procede de outra forma oposto pode gerar um processo de vitimização quando o aluno forçado sai do grupo, determina em risco para seu desenvolvimento. Se ele for vitimizado difícil de ser superado. Segundo PAROLIM (2007, p.75) abordar afetividade com dimensões ambas implica o desenvolvimento da pessoa. Diante da interação com outras crianças favorece socialização, manifestar-se emocionalmente para atingir o direcional na sua formação de sua personalidade, segundo DIAS (2007). Chegando a este ponto abordamos que escola sozinha não é capaz de solucionar problema, ela contribui com processo dinâmico, progressivo significativo para melhoria de nossa própria história faz necessário que ambas conheçam seu contexto papel da escola, dos pais e da comunidade, JOÃO PESSOA (2002) Além do que foi dito o professor tem papel ativo em relação a criança e sua família e ressalva que conhecedor da criança, consulta, apoiador dos pais extremamente multiprofissionais que não compete com papel dele. OLIVEIRA(2005, p.181) trata que professor age da melhor maneira possível, possui habilidade para lidar com as ansiedades da família, partilha decisões e ações.

O docente tem que ter conscientização e compreensão do processo ensino aprendizagem na educação quando se necessita de atendimento educacional especializado, nesse aspecto a escola tem o papel de informar os pais, orientar a criança com dificuldade de aprendizagem. A instituição pública e privada existe multiprofissional avaliar, intervir, atribuir para âmbito evolutivo processo de aprendizagem criança elemento concedido de acordo com FREIRE (1999); LOPEZ (2002). Os pais devem ter em mente reconhecimento que educação é necessário propondo uma rotina de estudo e limites tornando um ambiente caloroso e acolhedor. Dada estas condições os pais a educar com valores, tem reforço pela escola em termos de tarefa de casa inicia em sala de aula e acompanhada pelos pais, para ter conhecimento relevante do desempenho da criança.

6. CONCLUSÕES

42

Por meio desse trabalho monográfico percebe-se de fato que a participação dos pais no processo escolar dos alunos do Ensino Fundamental é muito importante. Devido eles ainda ser bem pequenos e muito imaturos. Diante disso, constata-se que os pais investigados consideram importante sua participação no processo escolar dos filhos. Sendo que essa participação ainda não está sendo o suficiente para refletir no desenvolvimento da criança. Não se sabe se o maior responsável é os pais que não estão se dedicando como deveria ou da escola, devido à forma de trabalho que esta sendo realizado.

Percebe-se que esta falta de participação da família está sendo um grande desafio para os envolvidos com o processo educativo das crianças. Faz se necessário que a parceria entre escola/família seja realizada com compromisso por ambas as partes, em busca de superar as dificuldades existentes nessa relação. A escola vem buscando cada vez mais novas formas de trabalho para facilitar a aproximação com as famílias.

Foi possível concluir ainda que as dificuldades vivenciadas pelos alunos dentro do ambiento escolar na maioria das vezes vem do convívio social que este indivíduo está inserido e na forma que os pais têm usado para educar seus filhos. O importante é não atribuir total responsabilidade somente a uma das instituições. E sim realizar em parcerias o processo educativo, a fim de obter resultados mais amplos e positivos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasil. MEC, 1996.

43

BENDIVES, Maria Victoria de Mesquita Soares – A cidadania ativa. São Paulo:

Martins Fortes, 1996.

CHALITA, Gabriel. Educação: a solução está no afeto. São Paulo: Gente, 2001.

DICIONÁRIO DIDÁTICO SM-Didáticos por Definição, Ensino Fundamental / 1ª edução, Ed. SM, São Paulo, 2007.

GADOTTI, Moacir. Escola cidadã. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1993.

GADOTTI, Moacir. Escola cidadã. 2 ed. São Paulo: Cortez,1993

LÓPEZ, Jaume Sarramoni. Educação na família e na escola. São Paulo:

Loyola, 2002.

NOGUEIRA, N.A Relação entre escola e comunidade na perspectiva dos parâmetros curriculares nacionais. Revista Pátio, ano 3.n.10, p.13-17 ago/out. 1999.

PAROLIN, Isabel Cristina Hierro. Pais e educadores: quem tem tempo de

educar ..

Porto Alegre: Mediação, 2007.

PARREIRA, Vera Lúcia Casari: Como ajudar seu filho na escola. São Paulo:

PARALIN, Isabel Cristina Hierro. Pais e educadores: quem tem tempo de educar. Porto Alegre: Mediação, 2001. PARALIN, I.C.H. Família e Escola: Instituição Parceiras. Temas em Educação II. Jornadas 2003. São Paulo: Futuro Congresso e Eventos Ltda,

2003

PRADO, Danda, O que é Família I, Ed. São Paulo: Brasiliense, 1981.(Coleção Primeiros Passos). TIBA, I. Quem ama educa. São Paulo: Gente, 2002. VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Disciplina: Construção da Disciplina Consciente e Interativa em Sala de Aula e na Escola, 7ª Ed. São Paulo:

Libertad. 2002.

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Disciplina: Construção da disciplina

consciente e interativa em sala de aula e na escola. 7ª. São Paulo: Libertad.

1989.

44

APENDICES

QUESTIONÁRIO PARA PROFESSORES

45

01-Você acha necessário para o aprendizado dos alunos a participação da família na escola?

(

)Sim

(

)Não

02-Você conhece a vida social de seus alunos?

(

)Sim

(

)Não

03-Você conhece os pais e mães de seus alunos?

(

)Sim

(

)Não

04-Você faz analise prévio para detectar deficiências visuais, auditiva ou psíquica nos seus alunos?

(

)Sim

(

)Não

05- Você consegue ter o acompanhamento dos pais dos seus alunos?

(

)Sim

(

)Não

06 –Você contribuiu para a interação dos pais para o desenvolvimento na aprendizagem dos alunos?

Sim

(

)

Não (

)

QUESTIONÁRIO PARA OS GESTORES

1)

Você conhece o perfil dos alunos matriculados nesta escola?

Sim (

)

Não

(

)

2) Você trabalha em parceria com os pais sua escola?

Sim (

)

Não (

)

3)

A sua gestão é democrática?

Sim (

)

Não (

)

46

4) Você como gestor atuante o que faz para melhorar a eficácia do ensino, interação dos pais, alunos e professores com relação a reuniões, Eventos sociais, Conselho escolar e Conselho de classe?

Sim (

)

Não (

)

5) Você usou método para melhora fracasso escolar?

6)

Sim (

)

Não (

)

7) Você trabalhou dentro do projeto político pedagógico da escola?

Sim (

)

Não (

)

ANEXOS

47

47 FOTO 01. Reunião e palestra para os pais sobre a violência

FOTO 01. Reunião e palestra para os pais sobre a violência

48

48 FOTO 02. Reunião com os pais sobre a aprovação dos alunos;

FOTO 02. Reunião com os pais sobre a aprovação dos alunos;