You are on page 1of 16

DANIEL GARCIA FOGAÇA

FLAVIO SÉRGIO GONÇALVES

A IGREJA NO MUNDO
DIVIDIDO PELAS GUERRAS

SÃO PAULO – SP
MAIO DE 2015

FLAVIO SÉRGIO GONÇALVES DANIEL GARCIA FOGAÇA A IGREJA NO MUNDO DIVIDIDO PELAS GUERRAS Trabalho apresentado como prérequisito parcial para aprovação da disciplina de História da Igreja III. Dr. SÃO PAULO – SP MAIO DE 2015 . Rev Christian Brially Tavares de Medeiros. Prof.

os humanistas liberais. outros questionavam se havia provas válidas de que tal progresso realmente existia e sugeriam que os males da industrialização e urbanização eram muito maiores que seus benefícios. defensores do cristianismo social e até muitos evangélicos estavam certos de que o reino de Deus.Turma: 3º ano. se aproximava. Com certeza os novos sistemas de crença daquele tempo não eram otimistas e nem ofereciam elogios à natureza humana. diurno INTRODUÇÃO Enquanto o mundo entrava no século 20. Então. duas guerras mundiais. sendo:  Os Marxistas viam os seres humanos em termos de relação de propriedades. . Essa situação iria moldar profundamente o Cristianismo do século 20. Os positivistas. sepultaram de vez a esperança otimista de aperfeiçoamento humano. seguidas por quase meio século sob o temor de uma terceira. ou pelo menos um mundo melhor. de um racionalismo científico.   os darwinistas sociais em termos de sobrevivência do mais adequado. Os freudianos falavam de uma libido desconhecida.

esforços foram evidenciados na tentativa de se resolver as disputas entre nações. Várias igrejas protestantes tentaram uma aproximação em torno de uma organização com fins sociais. Com suas viagens profunda. ele foi chamado de "The Great Commoner". Ele exigiu "Livre de prata". Outra iniciativa veio em 1908. Por causa de sua fé na sabedoria das pessoas comuns.Em busca da Paz No início da primeira guerra. abrindo mão de posições doutrinarias. um forte defensor da democracia popular. um proibicionista. e um adversário do darwinismo por motivos religiosos e humanitários. voz de comando e de largura. O movimento pela conciliação nacional tinha feito muitas conquistas. 1 Bryan foi um presbiteriano devoto. William Jennings Bryan1 que entre 1913 e 1914 assinou mais de trinta tratados com esse objetivo. havia sociedades pacíficas em vários países e diversos congressos internacionais procuravam dar um rumo a essa causa Entre os esforços cristãos para que muitos países não se lançassem à Guerra temos o iniciado pelo Secretário de Estado Americano. por parte de líderes das igrejas na Alemanha e Grã-Bretanha que começaram a trocar visitas para incentivar um entendimento comum e estabeleceram contatos com colegas dos Estados Unidos que também tinham a mesma preocupação. e um inimigo dos bancos e seu padrão-ouro. . ele foi um dos oradores mais conhecidos e professores da época. Ele era um defensor da paz.

org/SeparacaoEclesiastFundament/PerigosDoEcumenismo-Ferro.htm . então. A iniciativa Missionária sofreu um golpe devastador tendo em 2 http://solascripturatt. durou mais de 3 anos e gerou uma verdadeira carnificina que ceifou a vida de mais de 12 milhões de pessoas. dentre as quais a maioria homens na faixa etária do 18 aos 32 anos. porém apesar dos esforços desses defensores da Paz. a Aliança Mundial para Promover a Amizade Internacional através das igrejas.2 Essas instituições revelaram-se como uma força importante na promoção do entendimento internacional. os sonhos de solidariedade cristã se dissipavam à medida que os ventos da guerra sopravam sobre a Europa. Por outro lado. O que parecia em primeiro momento ser uma guerra rápida e logo voltariam para casa. o Conselho Federal das Igrejas de Cristo na América. impondo-lhe bloqueio naval e submarino. Apesar do Comitê Permanente de Edinburgo e o Movimento pela paz terem feito no progresso no sentido da cooperação ecumênica. a propaganda era usada para retratar o inimigo da pior maneira possível e ao mesmo tempo despertar nas pessoas um senso de solidariedade e de convicção de que estavam enganjados numa cruzada de retidão. Outras restrições como a dos direitos civis e na censura. os exércitos marcharam alegremente para a guerra. com a morte do príncipe austro-húngaro. vieram com a intenção de combater subversões e com a intenção de silenciar críticas sobre a guerra e possíveis informações que venham a ajudar o inimigo. as tensões continuaram a crescer. Com o clima sombrio que antecedia a primeira Guerra Mundial. O INÍCIO DA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL Apesar das tentativas de se evitar os conflitos. destruindo o otimismo dos defensores da paz.Organizaram. Uma guerra que contou com o complexo industrial para garantir o suprimento de armas e que ocasionou um controle rígido na produção de alimentos e distribuição de matéria prima e mão de obra. esta organização uniu-se a igrejas protestantes européias. houve crescente tensão e partir de 28 de junho de 1914. pois um dos lados tentava destruir a economia do outro. fundando assim em agosto de 1914.

No mês seguinte. incentivando a prática de princípios cristãos. através de estudos bíblicos e orações . Apesar dos aliados condenarem o genocídio. que confiscavam propriedades das missões e detinham ou repatriavam missionários de nacionalidade alemã que estivesse trabalhando nesses locais e em seus próprios territórios na Índia. em Londres por um jovem chamado George Williams. que fora discutido em 1914 quando na conquista dos territórios alemães na África e no Pacífico. África e Pacífico Sul. afirmavam que a Alemanha havia agido em defesa própria. houve um que mexeu profundamente com o Ocidente – o massacre turco de cristãos armênios. não conseguiu evitá-lo. Entre as atrocidades da guerra.Associação Cristã de Moços 3 trabalharam incansavelmente para dar assistência às regiões afetadas pela guerra e ajudar prisioneiros de guerra e soldados feridos. líderes e teólogos da igreja Britânica liderados pelo arcebispo de Canterbury responderam com uma defesa igualmente severa de seu país e acusações continuaram a ser trocadas até mesmo nos púlpitos. um fator positivo desse trabalho veio da ACM . onde se proclamava a retidão de sua causa de um lado e acusando o inimigo dos mais vis motivos e atos. incluindo Adolf von Harnack. O PANORAMA HISTÓRICO DO GENOCÍDIO DE CRISTÃOS ARMÊNIOS 3 uma organização fundada em 6 de junho de 1844.vista que os fundos para obras em outros países haviam sido drasticamente reduzidos e as viagens missionárias dificultadas. conforme ensinados por Jesus Cristo. condenando os Aliados de culpar a Alemanha pela guerra e de tomar posse das propriedades das missões. o que culminou no extermínio sistemático de um povo cristão muito antigo e deu a Hitler um modelo para seguir no tratamento dos judeus europeus. Líderes da comunidade teológica e missionária alemã. Essas ações levaram a igreja a envolver-se nos conflitos desde o princípio. não foi levado em conta pelos aliados. Com isso até a “supranacionalidade das Missões”. uma opção à vida nas ruas. preparam uma declaração com termos severos. Na ocasião o objetivo era oferecer aos jovens que chegavam em Londres a trabalho. Apesar dos esforços ecumênicos ter fracassado.

povo não turco e cristão.Frequentemente. que já não suportavam mais ser considerados cidadãos de segunda classe em suas próprias terras. que preconizavam a união dos povos de raízes turcas (azerbaijanos. 4 Aproximadamente um milhão e meio deles morreu vítima de assassinato. tornando-os mais hostis ao nacionalismo turco e ajudando a organizá-los para resistir às tentativas de turquificação oriundas de Constantinopla. linchamento e marchas mortais de deportação. Ademais. turcomanos. uma paz negociada e baseada no restabelecimento do equilíbrio do poder tornou-se totalmente fora de questão. tratamento desigual. etc. ao tentarem “justificar” o genocídio. mas foram rapidamente sufocadas pelas tropas otomanas. A PRESENÇA AMERICANA NA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL E A REAÇÃO DA IGREJA Ao longo da guerra os aliados conquistaram a simpatia dos americanos. 4 http://genocidioarmenio. No século 19. saques constantes e outras situações começaram a fazer parte do cotidiano dos armênios. afirmando que eram revoltosos e traidores. como sendo uma guerra santa contra a tirania. uzbeques. quando começaram a retratar os conflitos em termos moralistas e ideológicos. o Império otomano foi gradativamente perdendo terreno na Europa.com. Os armênios. Tais eventos foram usados como justificativa pelo governo dos Jovens Turcos para atacarem o povo armênio. os Jovens Turcos alimentaram as ideias de panturquismo. despotismo e militarismo. Algumas vilas e cidades se rebelaram contra a violência imperial. o que levou as autoridades a temerem a fragmentação total do país caso a onda de independência atingisse a Ásia Menor. principalmente nos meios eclesiásticos.). eram um empecilho físico a esse plano. muitos turcos alegam uma “traição” armênia da relação de quase 600 anos entre ambos os povos no Império Otomano.br/historia/o-genocidio/ . ideias nacionalistas oriundas da Europa atingiram os armênios no final do século 19. Altos impostos. Para evitar a destruição do Império.

Em 1917 foi criado o Concílio Federal de Igrejas. as igrejas superaram suas divisões e desbravaram novos horizontes na busca pela unidade. sua experiência com guerras permitiu que se tornassem parceiros integrais da comunidade religiosa americana. Podemos dizer que o Presidente Wilson foi um verdadeiro revolucionário. vai ver a marca “Feito na Alemanha” escrita no fundo” e o proeminente ministro liberal e educador presbiteriano Henry Van Dyke (1852-1933).Isso acabou levando em 1917 os Estados Unidos para a guerra e o argumento de que a guerra era uma luta entre a democracia e o autoritarismo ganhou novo fôlego. Esse fato teve um segundo elemento revolucionário ao quadro geral que foi a deposição do Governo da República Rússia em 1917 por Vladimir I. estabelecendo logo após a Ditadura e o sistema de . E concentrando-se em questões práticas. emergindo como uma das forças mais influentes da América. A maioria dos cristãos americanos apoiaram com entusiasmo a participação na guerra. que através da Comissão Geral das Igrejas em Tempos de Guerra do FCC. Lenin e seu partido Bolchevique. coordenava as iniciativas de assistência social e lidava com o governo. mas acabaram sendo perseguidos pelas autoridades civis e militares. apesar de algumas igrejas historicamente favoráveis à paz (Menonitas.Quanto aos Católicos. que defendia que todos aqueles que erguiam a voz contra a participação americana na guerra “deveriam ser enforcados sem demora”. entre eles o evangelista Billy Sunday que declarou: “Se você virar o inferno de cabeça para baixo. Quackers e Igreja dos irmãos) continuaram firmes em seus princípios pacifistas. este concílio representava dois terços dos protestantes de todo país. contribuíram para esse fim. pois sua visão idealista de guerra como uma contenda de bem contra o mal e da democracia contra a tirania e o militarismo prussiano e ainda com a criação da Liga das Nações. Os poderes centrais precisavam ser derrotados para que uma nova ordem mundial fosse criada. As denominações também foram impactadas pela guerra. Alguns pregadores protestantes foram a extremos em sua retórica de guerra. Esse tipo de entusiasmo ilimitado na defesa de seu lado podia ser encontrado igualmente nos sermões de ministros alemães e britânicos.

em Paris. que tinha posto um fim aos confrontos. pois não foi permitido aos alemães participar das sessões de negociação. os líderes em Paris estavam extremamente cônscios das tendências nacionalistas e anti-revolucionárias em suas nações. O principal ponto do tratado determinava que a Alemanha aceitasse todas as responsabilidades por causar a guerra e que.crenças Marxismo-leninismo. tinha um caráter de paz imposta. defendendo uma revolução socialista armada.6 O acordo de Paz também ergueu uma barreira na Europa Oriental para conter o Bolchevismo7 ao permitir a criação de vários países novos nos territórios antigos impérios. o tratado foi assinado como uma continuação do armistício de Novembro de 1918.sohistoria. O medo de que o Bolchevismo se espalharia em seus países firmou ainda mais a resolução dos líderes de não aceitar uma paz conciliatória. Em 1917. Os aliados lançaram uma ofensiva em todas as frentes. 6 http://www. os Poderes Centrais entraram em colapso. Partido Russo que defendia uma mudança radical de política para o povo. Com ondas conservadoras avançando sobre os países aliados. CONTRIBUIÇÃO DA IGREJA NO TRATADO DE VERSALHES 5 O Tratado de Versalhes (1919) foi um tratado de paz assinado pelas potências européias que encerrou oficialmente a Primeira Guerra Mundial. O TRATADO DE VERSALHES5 Os Europeus planejavam punir a Alemanha e impedir que ela se levantasse contra eles novamente. passaram a ser conhecidos apenas como Partido Comunista da União Soviética. em Compiègne.com. caso necessário. que se tornou um grande desafio ideológico à democracia e para preservar a Revolução Rússia separou-se da Alemanha. fizesse reparações a certo número de nações da Tríplice Entente. sob os termos dos artigos 231-247.br/ef2/versalhes/ 7 O bolchevismo. Após seis meses de negociações. seus países foram varridos por revoluções e a guerra terminou com o armistício de 11 de novembro de 1918. .

Havia também uma lenda sobre um “judeu errante” que reforçava a ideia do judeu como o eterno estrangeiro. o que significaria a completa destruição das missões alemãs.concluiu que a assimilação não era a solução. Theodor Herzl. Depois que os ânimos haviam se acalmado os curadores ocidentais discretamente devolveram as propriedades para seus proprietários alemães. um nômade incapaz e sem raízes que dedicava-se ao comércio – diferente do nobre ariano que tinha raízes. ANTI-SEMITISMO E SIONISMO O crescimento do racismo europeu é um assunto complexo. Em contraste com esse pensamento havia ainda a ideia iluminista de assimilação dos judeus que afirmava que os judeus poderiam tornar-se parte da civilização em geral e que deveriam ter os mesmos direitos que todas as outras pessoas. Um outro mito era o da sinistra conspiração mundial judia. um jornalista austríaco que acompanhou o julgamento de Dreyfuss e viu o anti-semitismo agressivo naquele que era o mais liberal de todos os países – a França . Os redatores do tratado haviam autorizado os aliados a confiscarem em suas terras todos os bens que pertencessem a cidadãos alemães para quitar dívidas com indivíduos e com vários governos.Uma realização importante da comunidade cristã no acordo de paz foi a preservação das propriedades de missões. Produzido na Rússia por volta de 1905. mas fica claro que a criação de estereótipos como o “nobre ariano” e a sistematização dos tipos raciais à partir de características físicas eram voltadas para um grupo – os judeus. chegou traduzido no ocidente em 1918 e é considerado desde então a “bíblia” dos anti-semitas. J. O artigo 438 determinava que as propriedades das missões seriam colocadas nas mãos de um “curador” da mesma denominação. um tema da ficção do século 19 que foi incorporado no maior livro anti-semítico de todos os tempos “Os protocolos dos Sábios anciãos de Sião”. que a sociedade envolvida.H. Entretanto. Oldham e outros membros do grupo ecumênico persuadiram os redatores a incluírem uma cláusula de exceção no documento. . Publicou um livro no qual argumentava que os judeus deveriam ter a sua própria terra – um Estado Judaico. Em 1860-1904.

Com isso a sociedade começou a abandonar crenças e valores que mantinham desde o Iluminismo. persuadiu o Secretário de Assuntos Estrangeiros Arthur Balfour a apoiar o sinomismo como uma medida de guerra. ele afirmou que o governo britânico “vê favoravelmente a fundação na Palestina de um lar nacional para o judeu”. no mês seguinte as tropas britânicas entraram em Jerusalém. . fundaram escolas e hospitais e em 1929. criaram um órgão de governo próprio. Imigrantes Judeus começaram a dirigir-se em massa para a Palestina mandatária. a Agência Judia da Palestina. Na famosa Declaração de Balfour em 2 de novembro de 1917.Herzl foi o fundador do sionismo moderno. enquanto q França assumiu o mandato do Líbano e da Síria. No Tratado de paz a Grã-Bretanha recebeu um mandato da Liga das Nações sobre aquela área. Depois que Hitler subiu ao poder na Alemanha. incerteza e pessimismo marcaram a crise do pensamento. um fervoroso defensor do movimento na Grã-Bretanha e que tinha contatos com cargos elevados. Uma revolução de ideias que havia se iniciado antes da Primeira Guerra Mundial espalhou-se para toda a população na década de 1920. compraram terras. desordem. Para ele essa era uma resposta racional para o antisemitismo e não alguma coisa baseada num profundo sentimento de identidade dos judeus. de fato. A intenção dessa declaração era firmar o apoio de judeus americanos e russos para as iniciativas de guerra e buscar um possível endosso alemão para o sionismo e. Durante os anos que se seguiram. Esta ideia ganhou força com Chaim Weizmann (18741952). a imigração cresceu ainda mais e com ela também o ressentimento árabe. a violência entre grupos de guerrilha judeus e árabes se intensificou e os britânicos ficaram presos entre os dois. O número de judeus na região havia subido de 58 mil em 1919 para 450 mil em 1939. construíram cidades. Para a GrãBretanha o problema na Palestina parecia não ter solução. A CRISE CULTURAL E O PENSAMENTO CRISTÃO Dúvida. o movimento em favor de um país para os judeus. Tudo era relativo e dependia da referência usada pelo observador.

Assim. O positivismo lógico afirmou que os únicos conceitos válidos eram aqueles que podiam ser testados através de experimentos científicos ou demonstrados pela lógica da Matemática. No século 19. Essa posição causou divisão entre os cristãos modernos e isso preparou terreno para um terrível conflito cultural na década de 1920. estavam agora enfraquecendo as instituições educacionais da América. o conceito de revelação divina foi colocado em dúvida não apenas por descrentes mas por teólogos dentro da própria igreja. crenças essas que haviam destruído a alma da Alemanha. a . a controvérsia fundamentalista-modernista. Vários profetas do apocalipse falaram do declínio da civilização ocidental e usaram a guerra mais destrutiva da história como prova de que os seres humanos eram um bando de animais violentos e irracionais. Assim. A Psicologia Freudiana explicou o comportamento humano em termos de inconsciente irracional que era dirigido por desejos sexuais. Os conservadores encontraram uma explicação plausível para o “colapso” da civilização alemã na teologia modernista e na evolução darwiniana. não se podia falar dos conceitos como Deus. a dos conservadores foi a de rejeitá-la. Enquanto a reação liberal foi de reforçar a nova situação. agressivos e dirigidos para o prazer que estavam em constante conflito como as partes racionais e morais da mente. que foi o caso do deísmo iluminista que na verdade era uma religião rival. liberdade e moralidade pois estes não tinham significados. Estes acontecimentos afetaram profundamente a Teologia. Os conservadores desafiaram os princípios básicos do modernismo com coragem profética e mostraram que coisas como a teoria da evolução e a hipótese documentária das Escrituras eram incompatíveis com o Cristianismo bíblico. Desde a Idade Média a Fé e a Razão estavam ligadas e a confiabilidade do Cristianismo só era questionada por aqueles que estavam do lado de fora.Muitos autores rejeitaram a fé geral no progresso e racionalidade humana e sugeriram que a experiência direta e a intuição eram tão importantes quanto o pensamento científico.

Riley. movimento este que se espalhou e desafiou os modernistas em duas frentes: A primeira nas igrejas e a segunda na cultura de modo geral. que foi acusado de causar a revolução na moralidade e ameaçar a Democracia. Cristianismo e Liberalismo.B. Tendo como destaque o estudioso do Novo Testamento do Seminário de Princeton. W. Seu credo era a Inerrância Bíblica e a volta pré-milenar e iminente de Cristo. A mídia transformou esse julgamento num circo e os fundamentalistas acabaram sendo ridicularizados. autor do livro. o movimento concentrou-se em salvar a civilização americana da influência perniciosa do Darwinismo. como a Igreja Presbiteriana Ortodoxa . as Igrejas Independentes Fundamentais da América e a Convenção Cristã Norte Americana. Em 1919. um proeminente pregador Batista do norte de Minneapolis.intensidade e militância da Guerra Mundial foi transferida para o campo da religião. Na Esfera Cultural. Gresham Machem. os fundamentalistas deixaram de desenvolver uma cosmovisão . que argumentava que esses dois lados eram religiões diferentes. Convenção dos Batistas do Norte sIgreja Presbiteriana nos EUA. J. as principais denominações e suas agências missionárias combateram o Liberalismo ao pressionar os oficiais a se comprometerem com as doutrinas tradicionais. Então. Em grande parte esse era um problema do Norte. Outro fator que estimulou o ativismo fundamentalista foi a profecia bíblica. As lutas mais dramáticas aconteceram nos Discípulos de Cristo. a Igreja Metodista do Sul. o exército celestial do Rei Jesus. Essas igrejas por concentrarem-se exclusivamente em negar o modernismo. Os fundamentalistas asseguraram-se de que fossem aprovadas leis em alguns estados proibindo o ensino da evolução nas escolas públicas. Machem deixa Princeton em 1929 e começa o novo Westminster Theological Seminary e os conservadores deixaram as principais denominações para começar novos grupos. As igrejas. uma vez que os conservadores controlavam as denominações do Sul. iria aniquilar as formas terrenas do mal. pois com a volta dos Judeus muitos achavam que a Segunda Vinda estava próxima. encontrou um encontro de conservadores na Filadélfia para lançar a Associação Mundial dos Fundamentos Cristãos.

O pastor suíço Karl Barth. um filósofo dinamarquês cujas obras eram desconhecidas fora de sua terra natal até o século 20. Veio de uma família devota. Deve-se ter uma fé autêntica e pessoal.afirmativa e tornaram-se partido derrotado na política denominacional. filosofia que rejeitava tanto o Romantismo como a Razão e enfatizava a existência da pessoa como um todo (ou o ser) e a experiência como base para o viver. estudou para o ministério. que viria a ser o maior teólogo do século 20. mas nunca pastoreou uma igreja e viveu uma existência solitária e deprimente. . um outro movimento chamado de neo-ortodoxia oferecia respostas mais singulares para o dilema moderno. oferecidas pelo racionalismo popular e insistiu que a verdade podia ser vista através de lutas. Cada pessoa está sozinha diante de Deus e deve encontrar o caminho até ele através da ansiedade e do desespero. não algo recebido de segunda mão da igreja Oficial secular e morna de sua época. rebelou-se contra as explicações sobre a fé. isto é. da dedicação e da decisão. iniciativas de radiodifusão religiosa e sociedades missionárias. publicou um comentário sobre Romanos que tomava por base a Bíblia e a obra de Kierkgaard e mostrava a inadequação do Liberalismo e a necessidade de uma fé genuína em Deus. O Sofrimento daquele conflito desacreditou a fé na Ciência e na capacidade de aperfeiçoamento do ser humano e muitos se perguntaram como podia Deus permitir tal tragédia. Ainda assim o fundamentalismo passou por uma transformação institucional. Ao mesmo tempo. Isso permitiu que os conservadores voltassem à tona com vigor renovado na década de 1940. Barth insistiu na transcendência divina. tornando-se uma religião popular através da criação de uma complexa rede de institutos bíblicos. conferências bíblicas de verão. que a pessoa individual é mais importante do que a abstração. Possuia profunda consciência do pecado e achava que o abismo entre o Deus distante e majestoso e a humanidade podia ser transposto somente através da fé em Cristo. Foi o primeiro expoente do Existencialismo. Uma importante fonte dessa nova visão de mundo foi Sorem Kierkgaard. Passou a ver a importância da fé pessoal baseada num coração partido. Somente depois da primeira guerra mundial que a melancolia daquele dinamarquês influenciou a Teologia. Rejeitando a ênfase liberal sobre a imanência de Deus na natureza. Kierkgaard declarou que “a existência é anterior a essência”.

perdão e obediência.A Teologia não era o desenvolvimento gradual e progressivo de uma vida boa. Isso preparava o indivíduo para a participação na igreja e no reino de Deus. Eliot e C. Nichols (1985. a natureza histórica das declarações e atividades religiosas e a necessidade da relevância por parte da mensagem cristã. Através de suas obras literárias e apologéticas. a neoortodoxia reteve algumas coisas do Liberalismo do século 19. Mas. onde é considerado em alta estima até os dias de hoje. que dizimou mais vidas que a própria Guerra. Essa Guerra voltou a atenção do mundo para o poderio americano. é que todos esses prejuízos sérios foram ràpidamente enfrentados e superados. . enquanto a Europa enfrentava crise. Lewis exerceu uma enorme influência no evangelicalismo anglo-americano. prejudicando as relações inter-eclesiásticas e criando sérios distúrbios em vários campos.S. Com ideias semelhantes às dos reformadores protestantes.S. Após a 1ª Guerra a Europa já não dispunha da influência de antes e entrou em uma crise que terminou por desencadear a 2ª Guerra. despertou o conflito entre capitalismo e socialismo e localizouse no auge da Gripe Espanhola. nesse período. A própria guerra estimulou as missões por ter aproximado muitas partes do mundo com o que fortaleceu o sentimento de solidariedade humana. Admirável. Ele caracterizou a vida humana como a tensão entre o julgamento e a graça de Deus. países como Estados Unidos e Japão. p. reduzindo as contribuições de manutenção. entre guerras. A única esperança estava na “crise da fé” quando havia o arrependimento diante de Deus e o viver num estado de humildade. bem como alguns da América Latina. que não tinham sido “palco da Guerra” tiraram proveito do comércio europeu. como também os escritores T. Não apenas os filósofos franceses Gabriel Marcel e Jacques Maritain voltaram para o catolicismo em busca de sustento para sua fé.254) afirma o seguinte sobre esse período: A Primeira Guerra Mundial interrompeu sèriamente a obra missionária. incluindo a explicação científica da natureza e da vida humana. para o qual não há substitutos nas meras instituições humanas. mas de caráter “dialético” ou “cataclísmico”. Lewis eram profundamente comprometido com os valores cristãos. Desde 1918. a religião tornou-se mais importante e significativa para os pensadores do que havia sido antes. porém.

A Alemanha teve seu exército reduzido. além de gerar grandes prejuízos econômicos em todos os países envolvidos. influenciando o início da Segunda Guerra Mundial. pois havia acordos comerciais a defender. perdeu a região do corredor polonês. sua indústria bélica controlada. Este fato marcou a vitória da Entente.Fim do conflito e resultados Em 1917 ocorreu um fato histórico de extrema importância : a entrada dos Estados Unidos no conflito. o triplo de feridos. forçando os países da Aliança a assinarem a rendição. arrasou campos agrícolas. A guerra gerou aproximadamente 10 milhões de mortos. além de ter que pagar os prejuízos da guerra dos países vencedores. Os EUA entraram ao lado da Tríplice Entente. O Tratado de Versalhes teve repercussões na Alemanha. principalmente com Inglaterra e França. destruiu indústrias. Os derrotados tiveram ainda que assinar o Tratado de Versalhes que impunha a estes países fortes restrições e punições. teve que devolver à França a região da Alsácia Lorena. .