You are on page 1of 9

ANO 2 NÚMERO 2

SÉRIE 1 FEVEREIRO 2010

Corta-mato
PP. 16-17

Jornal
RUM S
COLÉGIO LA SALLE - COMUNIDADE EDUCATIVA DE BARCELOS
RUA IRMÃOS DE LA SALLE 4755-054 BARCELINHOS BCL WWW.LASALLE.PT

Encontro de
NOVO Oração
P. 19
DIRECTOR
P. 2

Este ano o Colégio La Salle tem um novo Director Pedagógico. 150 jovens de Portugal e de
O professor Olímpio Durães substitui no cargo o Ir. César Ruiz que ocupou Espanha reuniram-se em Braga
aquelas funções durante oito anos. para o Encontro de Oração.

Festa de Natal
P. 15

Foi a 17 de Dezembro... Lá fora estava frio, mas dentro do pavilhão do Colégio, cantores afinados, pequenos
actores e bailarinas ritmadas aqueceram a noite com a magia do Natal.

La Salle, Um Olhar
Solidário...
2 09/10

SUMÁRIO Editorial presente e exige, a melhor resposta
Editorial................................2 Olímpio Durães
Encontros de Verão...........3-6 da parte de todos, a às necessidades
- Director
Convivências Cristãs.............7 Pedagógico - mesma dedicação e educativas dos
Assembleia da Associação de identificação com os alunos. É isto que se
Pais.......................................8 princípios assumidos espera de todos os
Semana das Missões............9 Uma escola de todos aquando da adesão elementos integrantes
Magusto Colegial................10 e para todos. Esta voluntária a este desta comunidade
Almoço Convívio..................11 é a premissa que projecto educativo. educativa. E é
Dia Mundial Do Não Fumador deve emoldurar o Apesar da mudança esta a postura dos
.............................................11 pensamento daqueles organizativa não educadores do
Quadros de Valor e de Ex- que se encontram se deve adulterar Colégio La Salle
celência..........................12-13 envolvidos nesta a ideologia nem de Barcelos que
Campanha e Jantar de Na- comunidade escolar. agir como se já não
tal........................................14 leva a que os pais,
A não ser assim, a tivéssemos o dever
Festa de Natal.....................15 desejosos do melhor
escola lassalista não de educar segundo os
Corta-Mato.....................16-17 para os seus filhos,
faria sentido. preceitos de S. João
Semana da Alimentação.....18 apostem numa
O Carácter Próprio Baptista de La Salle.
Boneco de Neve Ecológi- educação integral que
dos Centros La Salle, Ser professor
co........................................18 prepara as crianças e
dá especial destaque numa escola La
Encontro de Oração............19
à comunidade os jovens para a vida.
Salle não é apenas
Educação Sexual................20
educativa enquanto O lema deste ano,
Alunos Novos......................21 ensinar conteúdos
elemento dinâmico “La Salle… um
Momento de Leitura............22 académicos aos
de toda a vida Olhar Solidário”,
Sétima Arte.........................23 alunos; ser aluno
escolar. Assim simboliza, também,
Escravatura.........................24 numa escola La
sendo, todos se um olhar de
Ponto Electrão....................25 Salle não é apenas
deveriam sentir aprender conteúdos esperança num
Realidades Humanas.........26
co-responsáveis académicos; ser futuro que se
Teatro.............................27-28
pela transmissão encarregado de adivinha difícil mas
Encontro Geral de Grupos
Cristãos...............................29 e consolidação da educação numa que, aqueles que
Página da Matemática........30 ideologia lassalista e, escola La Salle não crescem e se fazem
Projecto Twist/Green School .. consequentemente, é apenas comparecer homens do amanhã,
...........................................31 pelo eficaz quando convocado. segundo os ideais
Professores Novos........32-33 funcionamento das Ser membro da solidariedade,
Projecto QUAL....................34 actividades levadas a da comunidade não deverão recear.
História de Portugal ...........35 cabo em cada centro. educativa do A verdadeira
Passatempos......................36 A organização Colégio La Salle, solidariedade é tanto
do nosso Colégio é sentir-se parte mais aprazível quanto
COORDENAÇÃO contempla, pela integrante da mesma, mais nos sentirmos
Professores primeira vez, um participando numa implicados na prática
Carlos Novais, Director laico. No gestão partilhada que do bem; isto far-
João Carvalho e entanto, a ideologia orienta a educação nos-á, realmente,
Paula Lopes lassalista continua em valores e procura sentir solidários.

Jornal
3
ENCONTROS DE VERÃO
Acampamento cama do que comer.
Falemos daquilo
mas... Pesqueiras,
acabou mais cedo. S.
Pesqueiras 2009 que realmente é um Pedro não perdoou e,
pouco mais difícil este ano, mandou-nos
mos tudo a nosso bel de, como hei-de de uma chuveirada, Ai
Sara Martins dizer, difícil de di-
prazer, como o gosto amigos!
- 10.º A - zer, que sentimos. A
indica e manda fazer. Primeiro molhou,
Vá, vá! Mas passe- descoberta pessoal, depois encharcou
Pesqueiras I love a comunicação com
mos ao que é intenso, mas inundou de tal
you deep down in tudo aquilo que nos
emocionante e real- maneira que obrigou
my heart. Ouvimos a dá uma razão, a con-
mente importante, a uma rápida e urgen-
cantar antes de lá en- vivência, o reflectir
sim porque eu estou te evacuação do cam-
trarmos, aprendemos impulsivo são de
farta de falar e falar po. Foi entristecedor,
a cantar quando lá facto coisas que nos
das nossas confortá- porque o trabalho de
estamos e nunca mais marcam e muito.
veis, limpas e agra- todas aquelas pesso-
a esquecemos por Partilhar algo com
dáveis condições e é as, que davam o cor-
tudo aquilo que aí alguém que nunca ti-
claro que já ouviram po e a alma para que
passámos. Assim falo nhas falado, o ofere-
falar disso; afinal é o acampamento fosse
porque não sei como a imagem de marca, cer do ombro que até
especificar o que se àquele momento não possível, e assim tão
o logótipo daquele
vive naquele mundo. lugar, não o que o imaginavas disponí- cheio de essência, foi
Passemos a palavras vel, as mudanças, os com aquelas fortes
define mas algo que,
concretas que pos- compromissos, coisas chuvadas...
sendo elementar e
sam dar a entender a que és exposto e Mais um acampa-
simples, não deixa de
o que realmente é que te fazem viver, mento, mais de Pes-
marcar.
acampar em Pes- Não desviando... viver, dar, dar. queiras, mais de nós!
queiras: fazemos as Como é possível que Bem, este ano manti- Não podemos deixar
malas, carregamos o algo que fazemos veram-se os diverti- de agradecer a todos
camião com uns ban- em grupo, por um dos jogos, os quentes os animadores que
cos, umas tintas, uns grupo e para um gru- banhos, as acolhedo- continuam a tornar
tecidos, fogão, gás, po, possa dar tanto a ras dinâmicas e acon- aquele lugar cenário
louça, tendas, livros nível pessoal? Não chegantes orações, um mundo só nosso.
de oração, papel hi- falo da inter-ajuda,
giénico (muito mes- fraternidade, a parti-
mo), sanitas e todas lha... Não querendo
essas coisas que são “desvalorizar” esses
mais do que neces- importantes valores,
sárias. Bem, depois são coisas que, sem
de tudo isto pronto, o querer, fazemos
uma vez lá chegados, porque é mais normal
decoramos e prepara- partilhar um saco

rumos
4 09/10
Encontro de Grupos 11.º Ano
Bujedo, Espanha
Carlos Cardoso
Grupo J42
- 12.º A -
Chegou finalmente
o dia tão aguardado,
o momento
tão esperado, a
compensação de
todos os nossos
esforços. Dia 22 de
Julho. Nem a chuva
nem o medo da Gripe
A nos parou perante
tanta extasia. E, o gentes, variadas as semelhanças Mas aí é que está o
que se avizinhava emoções. existiam e foi isso segredo: quando não
ser uma viagem Depois daquilo que serviu de mote queremos, o tempo
enfadonha, foi (para que se previa ser para as conversas. não passa, quando
as duas carrinhas!) um início um Tendo a surpresa queremos, só nos
uma animação. Mas pouco tímido por como palavra mestra, resta aproveitar ao
o que é isto afinal? parte de ambos os fomos aproveitando máximo. Estar com
BUJEDO! lados (portugueses todo o encanto espírito aberto e
Passado algum e espanhóis), a daqueles dias. Até o esquecer a timidez e
tempo das famosas curiosidade deu-nos tempo esteve a favor as diferenças. Agarrar
intermináveis um pontapezinho e da nossa alegria. aquela experiência de
fomos espreitar os Tenho a dizer braços abertos pois de
horas de viagem,
“nuestros hermanos”. que, para mim, foi lá viemos muito mais
estávamos próximos
ricos, com um espírito
do derradeiro local: a Com a ajuda da um pouco difícil
renovado cheio de
placa de “BUJEDO” música, foi batida o início porque
ideais.
foi recebida com o que se pensava estava um pouco
Passada toda a alegria
euforia. Malas de ser uma barreira, retraído. Acontece
e festa, estava na
fora e olhares de a língua, e desde que a magia de lá altura de dizer adeus.
encanto e admiração. aí foi só aprender me contagiou e no Foi com um pouco de
Aquele local estava e explorar. Com a fim só queria mais. tristeza que viemos.
escondido do mundo timidez posta de lado, Penso que todos Para desfrutar desta
real e a sua magia fomos descobrindo os participantes aventura, um conselho
atingiu-nos. Estava as diferenças entre concordam que amigo: levem o vosso
à nossa frente um nós e a juventude do mais uns diazitos coração aberto e
conjunto de dias país vizinho e, por tinham dado jeito deixem­-se contagiar
inesquecíveis, novas mais diferenças que para prolongar a pela felicidade que ali
experiências, novas houvesse, também nossa felicidade. se vive.

Jornal
5
Campo de Trabalho crescêssemos imenso.
Ficámos alojados no
Lar de São José, Braga Colégio S. Caetano,
a quem agradecemos
Joel Figueiras nunca foi tarefa os levantarmos, o acolhimento
- Grupo OUPA - fácil. Contudo, para os animarmos, dos Irmãos de La
colocámos o nosso para lhes darmos Salle. No lar ainda
melhor sorriso e de comer, para conseguimos ter uma
Em pleno mês de toca a arregaçar passearmos com eles, dinâmica por dia que
Agosto, em que todos as mangas, pois para conversarmos, nos ajudou a reflectir
os jovens querem estes dias exigiriam para proporcionar sobre vários temas
ir para a praia, eis muito de nós. momentos diferentes que influenciam a
que uma “camada” Quando chegámos a pessoas que, nossa sociedade. No
deles decide partir ao Asilo de S. José, na sua maioria, Colégio São Caetano
para Braga para fazer recebemos o total não conhecia o tínhamos uma oração
voluntariado num lar apoio das Irmãs que, mundo lá fora. No diária que nos dava
de idosos. juntas, formavam Domingo animámos a possibilidade de
À primeira vista a uma belíssima a Eucaristia com agradecer a Deus
experiência não seria comunidade. Sempre cânticos que, por tudo o que nos
segundo testemunhos proporciona. O
posteriores, foram dia era quase todo
espectaculares e passado no lar (era lá
fizeram com que que almoçávamos).
a Eucaristia se Por volta das 18h00
tornasse mais bela vínhamos embora
e diferente. O nosso para ter a oração,
ânimo e vontade depois jantávamos e
ia aumentando ao revíamos o nosso dia.
longo dos dias e Estes três momentos
do total agrado de se mostraram com o passar das serviam para o
toda a gente mas, atentas e atenciosas horas e do contacto fortalecimento do
com o passar dos connosco, de com os idosos. Este espírito de grupo e
dias, isso mudou modo a facilitar a voluntariado mexeu das nossas relações.
completamente. nossa tarefa. Para imenso connosco, Em suma, uma
pois na verdade, experiência
Partimos com muitos de nós era
uma pessoa com gratificante que nos
a sensação de a primeira vez que
uma idade mais ajudou a conhecer
que seria uma contactávamos
avançada, possui outra realidade e que
experiência diferente com pessoas desta uma experiência de nos fez relembrar que
mas confesso que faixa etária. Lidar vida que serve para todas as pessoas têm
estávamos um com os idosos deste nos ensinar muito. o seu encanto.
bocado relutantes lar envolveu muito Juntos, como grupo, Resta agradecer a
pois, convenhamos mais do que simples aprendemos bastante todas as pessoas do
que lidar com idosos conversas: exigiu e esta actividade Asilo S. José por toda
que vivem num lar muito de nós para fez com que a sua simpatia.

rumos
6 09/10
Encontro de Grupos ser perfeito para
amar-me, pois assim
Salamanca, Espanha nunca começarás a
amar-me”, foi uma
Sérgio Magalhães “Olá amigos! pessoal/grupal sobre frase que foi dita no
- Grupo E agora? Depois como vive cada último dia e que me
Pé Descalço -
do encontro de um este momento fez reflectir bastante.
Salamanca? Que de opção nas suas Esta frase não é mais
Quando nos vamos fazer? vidas), deu-me muita de que um convite a
pediram para Damos um passo à força! darmos um passo em
escrever um artigo
frente e seguimos o E perguntam porquê? frente...
sobre o Encontro
nosso processo de - Porque em três dias - Sem darmos conta,
de Salamanca,
discernimento sobre foram-nos dados, de existiu uma vontade
apelaram aos
o Ser e Viver em forma intensiva, três interior em cada um
nossos talentos!
Comunidade, ou cada temas fundamentais (pelo menos foi o que
Assim quisemos
ser irreverentes e, um dará diferentes neste processo de senti) de discutirmos
então, consultando rumos às suas vidas? discernimento: bastante “o ser
o histórico do nosso Esta é a pergunta que Vocação, Comunidade comunidade e o que
Blog, encontrámos agora se impõe.... A e Missão; implica”, mesmo
um post escrito na verdade é que este - Desmistificou alguns nos momentos de
emoção do pós- encontro com todas as medos e incertezas ócio (partilhávamos
encontro e de todos suas debilidades (não que constantemente o que reflectíamos
os sentimentos que tão boas condições nos impediam de individualmente e
norteavam a nossa de estadia, alguma dizer “está na altura em grupos pequenos
cabeça naquela fase falta de momentos de dar um passo em com cada um de
do nosso grupo. de oração, de algum frente”; nós) - para mim é
Aqui vai: acompanhamento - “Não esperes para curioso constatar
esta realidade:
“procuramo-nos (a
cada um de nós) para
nos encontrarmos
como comunidade”;
- Analisámos
criticamente a nossa
situação actual e o
que temos que mudar.

Agora sim, estou
preparado para viver
o encontro de fim
de verão em que,
de uma forma mais
efectiva, viveremos
este processo de
discernimento.

Jornal
7
Convivências Cristãs foram muitos os
que queriam, mas
7.º Ano - 22 de Outubro acabámos por nos
juntarmos e partilhar...
“pesquisar” o terreno, das respostas, deram-
Daniel Costa Imaginem que até
- 7.º A - e era espectacular! nos um intervalo
sobrou! Depois
A casa dos Irmãos para falarmos sobre o
assunto e brincarmos. de tanta comida,
Combonianos tinha:
Foi numa manhã de 22 campos de futebol, Voltámos para a sala podíamos fazer o
Outubro que as turmas jardins, um poço, onde continuámos que quiséssemos.
do 7.º ano foram para até uma piscina, com o filme e, no Acabámos por
as suas primeiras basicamente, tudo. final da segunda ter quem jogasse
“Convivências Depois da nossa parte, deram-nos futebol, conversasse,
Cristãs”. Logo que pesquisa, avisaram- outro questionário corresse, entre outras
lá chegámos, os nos que íamos ver individual para coisas... só sei que
professores estiveram um filme e fomos respondermos. não se via uma cara
a sensibilizar-nos para todos para uma sala Depois das respostas
triste. Depois de uma
as regras a cumprir onde observámos tivemos um pequeno
hora de diversão
no local. Estava tudo a primeira parte do intervalo para, mais
uma vez, falar e voltámos para
normal até vermos filme e, terminando,
o interior daquele discutir as respostas. partilhar a opinião
propuseram-nos
espaço. Quando o um questionário Voltámos para a sala sobre o filme onde
vimos, fomos logo individual. No fim onde recomeçámos o “chefe” de cada
o filme. No final, equipa foi expressar a
Vigília do Advento os professores conclusão do grupo.
separaram-nos em
28 de Novembro cinco grupos, onde
Depreendemos que
devemos estar gratos
o Agricultor prepara o fomos partilhando
Paula Lopes pela vida que temos
terreno para a sementeira, as opiniões,
- Professora - e que nunca devemos
para dali poder obter mui- participando toda a
tos e bons frutos. gente e conhecendo- ficar convencidos de
Iniciámos assim um cami- nos uns aos outros que somos melhores
No dia 28 de Novembro
realizou-se no Colégio a nho até ao Natal, no qual pelas respostas. que os outros, seja
Vigília de Advento. Reu- quisemos abrir os olhos à Após vermos o pelo motivo que for.
nimo-nos em ambiente realidade, preparar o ter- filme, reunimos para Apenas devemos
de oração e recolhimento, reno, semear esperanças, almoçar, cada um tentar ser boas pessoas
que apelava ao cultivo in- transformar gestos, gerar com a sua comida, e pensar nos outros.
terior. Fomo convidados sorrisos, para acolher no pois íamos começar a E, no final, tivemos
a deixarmo-nos modelar nosso coração o Menino comer em grupinhos,
na mesma medida em que Jesus. uma grande oração
ou até sozinhos. Até
onde cantámos e
que... uma professora
nos explicou que agradecemos a Deus.
íamos partilhar a Foi um dia diferente
comida, pois era com brincadeira,
uma convivência reflexão, partilha e
cristã. Ao início não muita alegria.

rumos
8 09/10
Assembleia de Eleição dos Orgãos So-
ciais da Associação de Pais para, agradecer a
confiança de novo
funcionários e pais, particularmente depositada na sua
Associação de daqueles que
bem como a saudação pessoa, manifestando
Pais
especial e desejo deixaram de pertencer o desejo de estar à
à estrutura directiva, altura do que dele
pela sua acção é, de novo, exigido.
incansável em prol Quanto ao plano
do dinamismo da de actividades e
Associação e seu orçamento, foi
contributo para o aprovado por
bem-estar educativo unanimidade dos
dos alunos do Colégio associados presentes.
La Salle. Saudou, Destacam-se as
Enquadrada na de sucesso ao novo entretanto, os novos habituais actividades
cerimónia solene Director do Colégio, membros, a quem relacionadas com a
de abertura do ano - foi apresentado pela desejou, tal como dinamização festiva,
aos reeleitos, as assinalando-se as
lectivo de 2009/2010, Direcção o Relatório
maiores felicidades, principais datas
realizada no dia de Actividades e
no sentido da de efemérides de
19 de Setembro no Conta de Gerência
Associação continuar cariz tradicional
Colégio de La Salle e referentes a
a prossecução dos e/ou cultural; os
orientada pelo novo 2008/2009, sendo
seus objectivos no clubes para os pais
Director Pedagógico, aprovado por
seio da Comunidade (Clubes de Dança,
professor Olímpio unanimidade.
Educativa, numa Informática, Espanhol
Durães, realizou-se a O Presidente da
estratégia de e Desporto); o
Assembleia Geral da Assembleia Geral, colaboração activa apoio logístico e/
Associação de Pais Álvaro Manuel com o novo Director. ou financeiro às
e Encarregados de Gonçalves de A sessão continuou principais actividades
Educação do Colégio Carvalho, apresentou, cumprindo-se dos alunos e
La Salle, tendo como então, a única lista o último ponto professores, e, ainda,
ponto principal a concorrente ao acto da ordem de a participação ao
eleição dos novos eleitoral, a qual foi trabalhos que foi nível do Conselho
Corpos Sociais para eleita, de imediato, a apresentação do Pedagógico e
o biénio 2009/2010 e por unanimidade dos plano de actividades e diálogo constante
2010/2011. associados presentes. orçamento para o ano com a Direcção
Depois da habitual O Presidente lectivo de 2009/2010. do Colégio. Após
saudação inicial de aproveitou este Este documento foi esta Assembleia,
abertura do novo momento para louvar apresentado nas suas os Encarregados de
ano lectivo e de o trabalho, empenho linhas gerais pelo Educação tiveram o
boas vindas a todos e dedicação de reeleito Presidente seu habitual primeiro
os membros da todos os membros da Direcção, Dr. encontro com os
comunidade educativa dos anteriores Ferreira de Sousa, que respectivos Directores
– alunos, professores, Órgãos Sociais, aproveitou a ocasião de Turma.

Jornal
9
SEMANA DAS MISSÕES forma de acabar
aquela semana tão
19-23 de Outubro especial do que
com os testemunhos
Diana Simões fazer esta oração tão morrem devido a de duas pessoas
Helena Silva especial. Começámos doenças e à falta de corajosas, que já
- 9.º A -
por ler um texto em assistência médica.” viveram todas estas
que nos eram ditas Estas foram algumas realidades durante
Não sabíamos algumas verdades das realidades que um pequeno período
que as coisas se do nosso Mundo. foram postas à frente das suas vidas.
passavam desta Ficamos boquiabertas dos nossos olhos Obrigada professoras
forma. Fechávamos ao sabermos destas para que as possamos Paula e Diana pela
muitas vezes os realidades, as quais ver, de uma vez lição de vida que nos
olhos à realidade, ignoramos, pois não por todas. Todas as passaram durante
pois não se passava é por não sabermos orações que fizemos aqueles poucos mas
connosco. Porém, que elas existem que ao longo dessa bons minutos, em
quando chegámos à não fazemos nada. semana desde tudo que nos mostraram
escola pensando que - “Nós (20% da o que escrevemos que o mundo não
íamos ter mais uma população Mundial), nas velas, passando é um mar de rosas
semana de “seca”, temos tudo em pelo pano que a que estamos
algo mudou. quantidade e tivemos de decorar, habituadas.
A nossa delegada qualidade, mas 80% até todos os textos A nossa vida mudou
apareceu na sala das pessoas que que lemos dia após depois daquela
com uma broa de habitam o nosso dia, foram formas semana. Agora,
pão e uma vela na planeta sobrevivem de nos elucidar para antes de termos
mão. Não sabíamos apenas com 20% dos os problemas reais alguma atitude de
o que ela queria… bens” do nosso mundo. ambição ou antes
será que pensava que - “A maioria das Foram formas de nos
de desprezarmos
passávamos fome crianças não têm mostrar que a vida
algo, pensamos duas
ou tínhamos falta direito à educação: não é um conto de
vezes e isso acontece
de electricidade em não têm livros, não fadas para muitas
devido ao que
casa? têm boas escolas, pessoas.
aprendemos.
Não, não era isso. nem professores.” Não havia melhor
Ficamos a saber - “Enquanto
que era para a nos Países ditos
reflexão da manhã. de Primeiro
Qual seria essa Mundo existem
reflexão tão especial hospitais, médicos,
que necessitaria medicamentos,
de objectos tão vacinas, e a
diferentes. possibilidade de
“Semana das tratamento de várias
Missões”, disse o doenças, muitas
professor. Estávamos pessoas de países
empolgados em do Terceiro Mundo

rumos