You are on page 1of 5

FICHASSAOS

EMBARGOS DE TERCEIRO
Trata-se de embargos interpostos para desconstituir a penhora
incidente em bem já alienado à terceiro. Em ação de execução,
as partes deixaram de pagar o débito reclamado e não
nomearam bens à penhora. Com base nesse fato, o Oficial de
Justiça valeu-se dos apontamentos do DETRAN para realizar a
constrição judicial do veículo que acreditava ser pertencente a
uns dos executados. Todavia, tal ato configurou-se como
equivocado, uma vez que o automóvel que sofrera a constrição já
teria sido alienado à embargante e a tradição do bem ocorrera
antes da citação do executado à ação. Diante dos fatos expostos
e com base no art.1.046 e 1.267 do CPC, a embargante pede em
seus embargos a citação do embargado, bem como a sua
condenação ao pagamento de encargos de sucumbência, a
suspensão da penhora e a modificação no registro do DETRAN
para que não se relacione a constrição judicial ao veículo.
EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA (xxx) VARA CÍVEL DA COMARCA DE
VITÓRIA – ESPÍRITO SANTO.

Processo

n.º

(xxx)

(XXX), sociedade comercial inscrita no CNPJ sob o n.º (xxx), estabelecida na
(xxx), por seu advogado infraassinado, por intermédio do qual deverá receber
intimações, com base no art. 39 do C.P.C., no seguinte endereço
(xxx)

segundo seus argumentos. opor os presentes EMBARGOS DE TERCEIRO em face de (XXX). Em (xxx). DOS FATOS: Em (xxx). impulsionando a diligência de constrição realizada pelo Sr. Oficial de Justiça às fls. Logo após a constrição supra citada. tal bem havia sido anteriormente alienado a terceiros. apesar dos ditames do artigo 652 do Código de Processo. conforme verificar-se-á. Oficial intimar o 2o Executado do ato. pois “. (xxx) dos autos da Ação de Execução... Tal ato do 2o Executado toma sentido quando da análise da certidão de fls. (xxx) dos autos.“. empresa anteriormente qualificada nos autos executivos. pois. Oficial de Justiça. (XXX) e (XXX).FICHASSAOS vem. foi efetivada a citação das partes Demandadas.. tudo conforme documentos comprobatórios ora acostados. a ... quais sejam. (xxx). efetivou o Sr. (xxx) dos autos da Execução). pelos fundamentos de fato e de direito a seguir expostos: 1. Ou seja: recusou-se o 2o Executado a receber o encargo de fiel depositário do bem penhorado pelo Sr. restando tal diligência infrutífera. tentou o Sr. verifica-se que as partes Executadas. (xxx). Ainda conforme a certidão supra citada.046 e seguintes do Código de Processo Civil. deixaram de pagar o débito reclamado e não nomearam bens à penhora. por força da constrição judicial efetivada em face de (XXX). Valendo-se dos apontamentos do DETRAN (fls. qual seja. Elucida a Embargante que tais argumentos do 2o Executado são válidos. com fulcro nos artigos 1. o executado negou-se a entregar o bem. a fornecer o endereço onde se encontra o veículo e a aceitar o encargo de fiel depositário”. Oficial de Justiça. Oficial de Justiça a constrição do veículo indicado no auto de penhora de fls. nesta oportunidade.. tendo o executado negado a aceitar o encargo de fiel depositário alegando que já vendeu o mesmo para terceiros . conforme certidão do Sr. oportunidade em que o serventuário atesta que “.

que.EMBARGOS DE TERCEIRO – JULGADO PROCEDENTE PELO MM. verifica-se que a Embargante teve um de seus veículos equivocadamente penhorado pelo Sr. a Embargante. A ALIENAÇÃO DO BEM OCORREU ANTES QUE SE EFETIVASSE A CITAÇÃO . a tradição. que buscava bens de propriedade do 2o Executado. In casu. procedeu à constrição judicial de um bem que não pertencia à esfera patrimonial deste. Percebe-se. a alienação e a tradição do bem já haviam se efetivado.FICHASSAOS Embargante adquiriu frente ao 2o Executado (XXX) o veículo objeto da constrição judicial nos presentes autos. Oficial de Justiça. Desembargador Titular : AMIM ABIGUENEM Vara de Origem : COMARCA DA CAPITAL .267 – A propriedade das coisas não se transfere pelos negócios jurídicos antes da tradição”. Vale repisar que tal alienação. ocorreu antes da citação do segundo Executado nos presentes autos. caracterizada pela tradição do bem. inobstante as alegações do 2o Executado. visando aniquilar a constrição judicial erroneamente efetivada sobre seu patrimônio. e sim de terceiros. pois. 2.JUÍZO DE VITÓRIA Acórdão: EMENTA : REMESSA EX-OFFICIO . Esta inclusive. é a forma de transmissão dos bens móveis. ressalta a Embargante que. in casu.046 e seguintes do Código de Processo. DO DIREITO: Conforme determinam os artigos 1. é cabível a oposição do terceiro proprietário ao processo de execução. pela quantia líquida de R$ (xxx). Não obstante o fato de tal veículo ter pertencido ao 2o Executado em outra oportunidade. do novo Código Civil: “Art.267. 1.ALIENAÇÃO OCORRIDA ANTES DA CITAÇÃO – NEGADO PROVIMENTO A REMESSA – JULGADO PROCEDENTE O PEDIDO. CONFORME SE VERIFICA DOS AUTOS. quando da citação daquele nos autos. efetivada em (xxx). a impropriedade da penhora realizada pelo Sr. JUIZ – NÃO EFETUADO A PENHORA DO VEÍCULO NA FORMA DA LEI . No mesmo sentido dos argumentos da Embargante é o entendimento do Tribunal de Justiça do Espírito Santo: Processo : 024000098723 Remessa Ex-officio Órgão Julgador : QUARTA CÂMARA CÍVEL Data de Julgamento : 10/09/2001 Data de Leitura : 01/10/2001 Data da Publicação no Diário : Não informado. conforme dispõe o artigo 1. Oficial de Justiça.

urge a necessidade de desconstituição da penhora efetivada sobre o veículo da Embargante. Diante DO de todo PEDIDO: o exposto. que não possui qualquer relação com as partes litigantes no processo executivo. POR OUTRO LADO.º (xxx). O MM. para que deixe de figurar a constrição judicial efetivada pelo Sr. EM FRAUDE CONTRA CREDORES. ASSIM. estes a serem arbitrados em grau máximo. quais sejam. DEIXANDO DE CONDENAR O EMBARGADO AO RESSARCIMENTO DAS CUSTAS E HONORÁRIOS ADVOCA TÍCIOS. ajuizado perante a (xxx)ª Vara Cível de Vitória por (XXX) em face de (XXX) e (XXX). com a decisão do feito no prazo de 5 (cinco) dias. 3. NO PRESENTE CASO. não pode sofrer restrições patrimoniais como a ocorrida nos autos. Oficial de Justiça da (xxx)ª Vara Cível de Vitória. ao pagamento dos encargos da sucumbência. despesas processuais e honorários de advogado. a presunção dos artigos 1. JUIZ JULGOU PROCEDENTES OS PRESENTES EMBARGOS DE TERCEIRO. ora Embargada. seja aplicada. Destarte. a suspensão do rito executivo supra citado. APENAS COM RESTRIÇÃO NO DETRAN-ES.FICHASSAOS VÁLIDA.049 do Código de Processo. sejam julgados procedentes os presentes Embargos com a modificação no registro do DETRAN.053 e 803 da lei adjetiva civil. conforme ditames do artigo 1. para. contestar os termos dos presentes Embargos no prazo da lei.052 da lei processual. e portanto. . Conclusão: A UNANIMIDADE. 314 DO CPC. seja condenada a Exeqüente/Embargada. se desejar. PARA A VALIDADE DO PROCESSO E INDISPENSÁVEL A CITAÇÃO DO RÉU. em virtude da singularidade entre o bem que garante a totalidade do juízo executivo e o objeto do mérito dos presentes Embargos. a citação da Exeqüente. CONSTATA-SE QUE O VEÍCULO EM QUESTÃO NÃO É OBJETO DE PENHORA NO PROCESSO DE EXECUÇÃO. requer-se: a distribuição dos presente Embargos por dependência ao processo executivo n. conforme ditames do artigo 20 da lei processual. PORQUE EM CONFORMIDADE COM O ART. no caso de inércia da Exeqüente/Embargada. PELO FATO DE NÃO TER SIDO EFETIVADA A PENHORA DO VEÍCULO NA FORMA DA LEI. NEGAR PROVIMENTO A REMESSA. RAZÃO PORQUE NÃO HÁ QUE SE FALAR. tudo conforme determina o artigo 1.

FICHASSAOS Protesta a Embargante pela produção de todos os meios de prova em direito admitidas. 03 de agosto de 2004. Pede Deferimento. (XXX). Nestes Termos. com a oitiva do segundo Executado. o Sr. Vitória. Dá-se à presente o valor de R$ (XXX). notadamente testemunhal. (XXX) OAB/ES (xxx) EDILSON DE OLIVEIRA SOUZA AYONDE ONSDKKS .