You are on page 1of 4

BOLETIM DA

SEDEC/CBMERJ

NÚMERO
044

DATA
13/03/2015

FOLHA
1806

2. USO DO UNIFORME “3º D” E DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
INDIVIDUAL (EPIS) NO SERVIÇO DE PRONTIDÃO PARA SOCORROS E OUTROS DETERMINAÇÃO - NOTA GAB/CMDO-GERAL 071/2015
Este Secretário de Estado de Defesa Civil e Comandante-Geral, tendo por
objetivo a necessidade de se garantir a segurança dos bombeiros militares em suas atividades e
padronizar a utilização de uniformes e equipamentos de proteção individual, durante o serviço de
prontidão, vez que o Decreto estadual nº 39.034, de 21 de março de 2006 (Regulamento de
Uniformes), estabelece que o Comandante-Geral do CBMERJ pode modificar ou suspender o uso
de uniformes e autorizar o uso de peças complementares, equipamentos de proteção individual, de
sinalização, de segurança e outros afins, bem como define que o uniforme “3º D”, obrigatório para
Oficiais e Praças, seja utilizado nos serviços de prontidão para socorros e instrução profissional, e
considerando os seguintes aspectos:
A - as atividades operacionais expõem os bombeiros militares a agentes de
natureza física, química, biológica e mecânica, e que tal exposição, sem a devida proteção
individual, coloca em risco a integridade física do Bombeiro Militar, podendo acarretar prejuízo a sua
saúde; e
B - as Unidades Operacionais possuem equipamentos de proteção individual
(EPIs), dentre eles, capas de aproximação e combate a incêndio, botas de combate a incêndio,
capacetes MSA Gallet, F1 (recomendado para prevenções e combate a incêndios) e F2
(recomendado para salvamentos, combate a incêndios florestais e fogo em vegetação), e capacetes
de salvamento em altura e montanha;
DETERMINA sejam cumpridas a partir da publicação desta Nota, as regras
consignadas, a saber:
1 - Nos serviços de prontidão para socorros, instruções operacionais,
operações simuladas e demonstrações profissionais serão utilizados o uniforme “3º D” (capacete de
prontidão, blusa longa de brim cáqui, camisa de malha meia-manga vermelha, calça de brim
cáqui, cinto vermelho, cinto ginástico, meias pretas, coturnos pretos com bombachas);
2 - Nas formaturas diárias, incluindo-se a de passagem de serviço, os
militares utilizarão o uniforme “3º D”, entretanto, substituirão o capacete de prontidão pelo boné
de brim cáqui (vide figura 1);
3 - Exclusivamente nos socorros de salvamento, tais como, salvamento de
pessoas em estruturas colapsadas, deslizamentos de encostas, buscas de pessoas ou cadáver,
salvamento em alturas, ou outros eventos em que a viatura de salvamento se desloque
isoladamente ou em comboio com viatura de APH, a guarnição de salvamento deverá utilizar o
capacete MSA Gallet F2 (vide figura 2), com o uniforme “3º D”, sendo proibida a utilização deste tipo
de capacete por militares envolvidos em eventos de incêndio, exceto nos casos previstos no item 4;
4 - Nos socorros de incêndios florestais e fogo em vegetação, as guarnições
deverão utilizar o capacete MSA Gallet F2, com o uniforme “3º D”, sendo, neste caso, proibida a
retirada do protetor de nuca pertencente ao capacete (vide figura 3);

6 . em substituição ao boné de brim cáqui. devendo se equipar com o capacete MSA Gallet F1 ou F2.Nos socorros ou eventos relacionados à prevenção ou combate a incêndios. substituindo o capacete de prontidão pelo boné de brim cáqui.BOLETIM DA SEDEC/CBMERJ Figura 1 NÚMERO 044 Figura 2 DATA 13/03/2015 FOLHA 1807 Figura 3 5 . deverão estar equipadas com os seguintes EPIs: Capa de aproximação e combate a incêndio (sobreposta ao 3º D). imediatamente à chegada ao local da ocorrência. . botas de combate a incêndio e luvas (vide figura 4). 7 . conforme o evento. TODAS as guarnições envolvidas (combate a incêndio e salvamento). bem como utilizar óculos de proteção.Os militares condutores e operadores de viaturas ficam autorizados a utilizar o uniforme “3º D”. durante a condução das mesmas.As guarnições de APH DEVERÃO utilizar o capacete de salvamento em alturas e montanha (vide figura 5). exceto APH. capacete MSA Gallet F1 (com balaclava).

competindo aos Comandantes das Unidades Operacionais a fiscalização pelo fiel cumprimento da presente Nota. 3 e 4. o farão em conformidade com os itens 1. 5 e 7 deverão ser cumpridas imediatamente após o brado. . 2. 3. nas instruções operacionais.Fica terminantemente PROIBIDO o uso do boné de brim cáqui nos socorros. . até o regresso à UBM. nas instruções operacionais. utilizar os EPIs previstos no item 2 quando da eclosão de eventos de salvamento. 9 . com exceção do previsto no item 6.Nos socorros. antes do embarque nas viaturas. nas operações simuladas e nas demonstrações profissionais.As determinações citadas nos itens 2. ou ainda. os EPIs previstos no item 4 em caso de combate a incêndios. no entanto. e permanecerão vigentes durante todo o evento. nas operações simuladas e nas demonstrações profissionais. OBSERVAÇÕES: . a manga da blusa longa de brim cáqui (gandola) deverá estar totalmente estendida.BOLETIM DA SEDEC/CBMERJ NÚMERO 044 Figura 4 DATA 13/03/2015 FOLHA 1808 Figura 5 8 .As guarnições do GPrevE estão autorizadas a usar o boné de brim laranja quando em atividades de prevenção em arenas desportivas. . quando fizerem uso do uniforme “3º F”. . 4.Os Comandantes de Socorro são os responsáveis diretos pelo cumprimento das presentes determinações.As guarnições dos Grupamentos Especializados. devendo.

Considerando o Parecer nº 02/2012-GUB. Considerando que existe necessidade de autorização do paciente ou seu representante legal. BOLETIM RESERVADO – DISPONIBILIDADE . 4. As solicitações deverão ser encaminhadas ao Comandante do Comando de Bombeiros da Área. As partes deverão ter como anexos os seguintes documentos: Mapa da força. as escalas das 04 (quatro) alas de serviço. está disponível na Rede CBMERJ (Intranet). de 09 de janeiro de 2014.Os Comandantes de Unidades Operacionais até o nível de PABM deverão. Considerando que o Registro de Atendimento Pré-Hospitalar é o documento oficial que registra os cuidados profissionais prestados pelos militares do quadro de saúde do CBMERJ às vítimas em situação de urgência e emergência em vias e logradouros públicos. constando a função de cada militar. remeter. guarnição e unidade de saúde. NOTA SAD/CI 274/2015 O Cel BM Corregedor Interno informa que o Boletim Reservado da SEDEC/CBMERJ n° 008. MÉD. suas demandas pelos EPIs citados nesta Nota. para franquear o acesso de terceiros a seu prontuário médico ou. no âmbito de suas atribuições. de 04 de março de 2015.: nome da vítima. a Nota CHEMG 577/2012. Considerando o Parecer CFM nº 6/2010. alternativamente. está disponível na Rede CBMERJ (Intranet). hora. proferida para fins de instrução processual ou investigação criminal. Considerando o Parecer PGM – SMSDC Ofício 654/2012 SUBHUE. em especial. Considerando o Parecer RLS nº 813/2011 – SES/ASJUR. de 07 de agosto de 2012. PRIMEIRO GRUPAMENTO DE SOCORRO DE EMERGÊNCIA – NORMATIZAÇÃO DO ENVIO DE CÓPIAS DE REGISTROS DE ATENDIMENTO PRÉHOSPITALAR (RAPHS) – DETERMINAÇÃO – NOTA 1º GSE/ARQ. publicada no Boletim da SEDEC/CBMERJ nº 147. Considerando o Parecer nº 66/01 JAV/PSP/PGE. . publicada no Boletim da SEDEC/CBMERJ nº 006. Em consequência. e a relação das viaturas operacionais da UBM. no caso de julgarem a impossibilidade de atendimento imediato da presente determinação. de 13 de março de 2015. como ato administrativo protocolar e legal. a liberação de cópia do Registro de Atendimento Pré-Hospitalar (RAPH) somente nas condições de "ordem judicial devidamente fundamentada" (por juízes e/ou perito por eles designados) ou por autorização/consentimento do paciente ou seu representante legal. os órgãos aos quais advierem responsabilidades tomem conhecimento e providências. sendo considerado um prontuário médico. de decisão judicial fundamentada. 001/2015 Considerando o Parecer SEDEC/ASSEJUR nº 1200/2014 de 20/10/2014. via Comando do GBM. 3. Considerando a Resolução CFM 1605/2000.INFORMAÇÃO A. NOTA SAD/CI 275/2015 O Cel BM Corregedor Interno informa que o Boletim Reservado da SEDEC/CBMERJ n° 009. Ficam revogadas as demais disposições em contrário. através de parte. Ficam autorizadas informações de contexto operacional sobre o evento em análise por ex. e serão remetidas à Chefia do EMG. viatura. B. Processo nº E-14/331/2012 de 31/01/2012. à Chefia do EMG. O Comandante do 1º GSE DETERMINA.BOLETIM DA SEDEC/CBMERJ NÚMERO 044 DATA 13/03/2015 FOLHA 1809 . Republicada por ter sido alterado o item 7 da Nota GAB/CMDO-GERAL 016/2014.